SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Educação e Formação de Adultos - Nível Secundário

Núcleo Gerador: Identidade e Alteridade
Área de Competência: Cidadania e Profissionalidade
Competência: Relacionar património comum da humanidade com interdependência e
solidariedade


Critérios de Evidência:
      •    Reflectir sobre as implicações sociais do património comum na humanidade
      •    Discutir e avaliar o papel das/os cidadãs/cidadãos no mundo actual
      •    Expressar-se e demonstrar respeito e solidariedade pelas diferentes identidades
           culturais



 Nome: Marco Eugénio Gomes Araújo                              Data: 16/09/2009


          Entende-se por património mundial todo local ou monumento considerado, pela
 UNESCO, de excepcional importância cultural ou natural para a humanidade, devendo, por
 isso, ser protegido e preservado.


               Atente nos seguintes bens considerados património mundial e faça a
             correspondência correcta, associando-os ao país a que pertencem:




                          Taj Mahal                                Monte Athos




                                                                                             1
Machu Pichu                            Jardim Botanico de Pádua




               Cidade Historica de Toledo               Cidade Pré Historica de Uxmal


      1.India ______________ Taj Mahal


      2.Italia ------------------ Jardim Botânico de Pádua


      3.México _____________ Cidade Pré Histórica de Uxmal


      4.Grécia ______________ Monte Athos


      5.Peru _______________ Machu Pichu


      6.Espanha ____________ Cidade Histórica de Toledo




      Os bens do Património Mundial devem ser preservados e protegidos pela comunidade
internacional, pois desempenham um importante papel na vida e no desenvolvimento das
sociedades, podendo, nalguns casos ser visto como a sustentabilidade de uma sociedade.

                                                                                         2
- Assinale quais as implicações sociais que a preservação do património comum da
humanidade podem trazer para a respectiva região onde se situam.


              1. Desertificação humana       X
              2. Desenvolvimento das áreas envolventes.
              3. Benefícios interculturais.
              4. Aumento do desemprego.          X

              5. Acentuação de desequilíbrios regionais. X
              6. Criação de mais postos de trabalho.
              7. Desenvolvimento do turismo.
              8. Exclusão social. X

       É considerado Património Cultural um conjunto de edifícios ou um local de calor
estético, arqueológico, cientifico, etnológico e antropológico. Em Portugal, cabe ao Ministério
da Cultura, através do Instituto do Património Português, a missão de conservar, preservar,
salvaguardar e valorizar o património arquitectónico e cultural português.




       - Associe os bens portugueses, classificados como património cultural, à
cidade em que se situam, seleccionando a opções correctas.




          1. Santuário Bom Jesus do                                1. Braga
              Monte                                                2. Guimarães
          2. Centro Histórico da Cidade                            3. Porto
          3. Mosteiro da Batalha                                   4. Batalha
          4. Convento de Cristo                                    5. Tomar
          5. Mosteiro dos Jerónimos                                6. Lisboa
                                                                   7. Évora




                                                                                                  3
É considerado Património Natural um local que tenha valor físico, biológico e
geológico importante para a humanidade. Leia a notícia com atenção e construa uma
afirmação verdadeira, seleccionando as opções correctas.


      “Alteração da paisagem do Douro ameaça classificação da UNESCO


      A paisagem do Alto Douro Vinhateiro, classificada como Património Mundial, pode
desaparecer no espaço de uma década, se prosseguir a intervenção humana em prol da
mecanização da produção vitivinícola. Uma alteração ditada por necessidades de eficiência
económica, que pode, contudo, mudar o rumo do desenvolvimento da região, ameaçando
actividades emergentes, como o turismo. É que, para além da alteração da paisagem, a
ausência de uma unidade de gestão que articule as actividades nos 13 municípios que
constituem o Douro - património da Humanidade está a colocar em causa a primeira Região
Demarcada do Mundo, que hoje comemora 250 anos. (...)


      Diário de Notícias [online]. 31 de Agosto 2006 [consult. 20 Março 2008]. Edição de
Lisboa. Disponível em:
http://dn.sapo.pt/2006/08/31/economia/alteracao_paisagem_douro_ameaca_clas.html”


      - O Estado português CUMPRIU a obrigação NACIONAL de assegurar a
identificação, protecção e conservação da paisagem do Alto Douro Vinhateiro. Este
Património está a ser mais ameaçado pelas transformações HUMANAS em nome do
desenvolvimento SOCIO-ECONOMICO da região.


      CUMPRIU / NÃO CUMPRIU


      NACIONAL / SUPRANACIONAL


      HUMANAS / NATURAIS


      SOCIO-ECONOMICO / TURISMO




                                                                                            4
Identidades Culturais


       “Para a construção de uma cultura de paz, é fundamental articular especificidades dos
povos, dos grupos sociais e dos indivíduos. Neste sentido, o património mundial, um
testemunho da diversidade cultural da humanidade, deve ser preservado e transmitido às
gerações futuras. A identidade cultural consiste no sentimento de pertença a um determinado
grupo social ou cultural. Existem várias identidades culturais com línguas, regiões,
manifestações artísticas e costumes diferentes. Para a promoção de uma cultura de paz é
fundamental respeitar os direitos culturais que fazem parte dos Direitos Humanos e conviver
harmoniosamente com as diferentes identidades culturais. Com a globalização, visto q
convivemos cada vez mais com a diversidade cultural e étnica, o desafio de respeitar as
especificidades culturais é cada vez maior cabe a cada um dos cidadãos compreende-las e
respeita-las, a fim de evitar situações embaraçosas, conflitos e situações discriminatórias “
Respeitar a diversidade cultural é um imperativo ético inseparável do respeito pelos direitos
humanos. Desrespeitar diferenças culturais desencadeia comportamentos discriminatórios e
injustos, como xenofobia e o racismo.


       - Assinale as atitudes de respeito e solidariedade pelas diferentes identidades
culturais e eliminação de preconceitos e estereótipos.


       1. Dedicarmos algum tempo a informarmo-nos da cultura e valores de um
colega de trabalho.


       2. Evitar conversar, com colegas de trabalho, sobre hábitos e costumes.


       3. Ajudar um colega de trabalho a compreender a nossa cultura, diminuindo
estranheza face a certos hábitos.


       4. Evitar conversar com um colega que seja portador do vírus da sida.


       5. Conhecer costumes diferentes dos nossos, por muito estranhos ou fora do
comum que nos possam parecer.




                                                                                                5
Papel dos cidadãos no mundo actual


           A degradação ou o desaparecimento de um bem do Património Cultural e Natural
       constitui um empobrecimento efectivo do Património de todos os povos do mundo.


           Perante os perigos naturais e humanos que os ameaçam, a responsabilidade de
 conservar e proteger o Património Comum Mundial pertence à colectividade internacional, a
                    cada um dos Estados envolvidos e a todos os cidadãos.




       A lista do Património Mundial da Humanidade em perigo está disponível em:


       http://whc.unesco.org/en/danger/


       Faça uma investigação acerca das responsabilidades supranacionais do Estado
e dos cidadãos em relação à protecção do património cultural e natural.




Afeganistão

   •   Minarete e ruínas arqueológicas de Jam (2003)
   •   Paisagem cultural e ruínas arqueológicas do Vale de Bamiyan (2002)



                                                                                             6
Belize

   •     Rede de Reservas dos Recifes da Barreira do Belize (2009)

Chile

   •     Fábricas de Nitrato do Chile de Humberstone e Santa Laura (2005)

Colômbia

   •     Parque Nacional Los Katios (2009)

Costa do Marfim

   •     Reserva Natural Integral do Monte Nimba (1992) (sítio transfronteiriço com a Guiné) -
         como resultado de dois factores: a proposta de concessão de uma mina de ferro a um
         consórcio internacional e a instalação de um grande número de refugiados na parte
         guineense do monte.

   •     Parque Nacional do Comoé (2003)

Congo, República Democrática do

   •     Parque Nacional de Virunga (1994)
   •     Parque Nacional de Garamba (1996)
   •     Parque nacional de Kahuzi-Biega (1980)
   •     Parque nacional de Salonga (1984)
   •     Reserva de fauna dos ocapis (1996)

Equador

   •     Ilhas Galápagos (2007)

Egipto

   •     Abu Mena (2001)

Etiópia

   •     Parque Nacional do Simien (1996)




                                                                                                 7
Filipinas

   •    Arrozais em terraços das Cordilheiras das Filipinas (2001)

Geórgia

   •    Monumentos Históricos de Mtskheta (2009)

Guiné

   •    Reserva da Natureza do Monte Nimba (1992) (sítio transfronteiriço com a Costa do
        Marfim)

Iémen

   •    Cidade Histórica de Zabid (2000)

Índia

   •    Santuário de Fauna de Manas (1992)

Irão

   •    Bam e sua Paisagem Cultural (2004)

Iraque

   •    Assur (Qal'at Sherqat) (2003)
   •    Cidade Arqueológica de Samarra (2007)

Jerusalém

   •    Cidade Antiga de Jerusalém e seus Muros (1982)

Níger

   •    Reserva Natural do Aïr e do Ténéré (1992)

Paquistão

   •    Forte e Jardins de Shalimar em Lahore (2000)


                                                                                           8
Peru

   •     Zona Arqueológica de Chan Chan (1986)

República Centro-Africana

   •     Parque Nacional de Manovo-Gounda St. Floris (1997)

Senegal

   •     Parque Nacional de Niokolo-Koba (2007)

Sérvia

   •     Monumentos Medievais do Kosovo (2006)

Tanzânia

   •     Ruínas de Kilwa Kisiwani e de Songo Mnara (2004) - ameaçadas pela erosão marinha, que
         pode levar ao desmoronamento de edifícios, e também por uma gestão inadequada da
         pressão demográfica.

Venezuela

    •    Coro e seu Porto

         Como pode ferir, acima com a lista dos patrimónios ameaçados nos seus respectivos
países, os estados tem uma responsabilidade presente para os preservar, e como: com
políticas direccionadas para a consciência da população para a importância destes
monumentos e apoios de verbas para as suas conservações.


         A Unesco tem um papel fundamental nesta preservação mas não chega na minha
opinião, porque como cidadãos teremos que ter um papel activo nessa mesma preservação,
trabalhando na preservação natural e cultural para que todas as gerações futuras possam
usufruir deste imensidade histórica que os nossos antepassados nos deixaram.




                                                                                                 9

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Descodificação referencial clc-ietc
Descodificação referencial clc-ietcDescodificação referencial clc-ietc
Descodificação referencial clc-ietcMarisa Paço
 
Tópicos importantes para evidenciar competências em cp
Tópicos importantes para evidenciar competências em cpTópicos importantes para evidenciar competências em cp
Tópicos importantes para evidenciar competências em cpLena Nabais
 
Refexão Dr1-Dr2-Dr3-Dr4
Refexão Dr1-Dr2-Dr3-Dr4Refexão Dr1-Dr2-Dr3-Dr4
Refexão Dr1-Dr2-Dr3-Dr4mega
 
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandesClc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandesSILVIA G. FERNANDES
 
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandesStc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandesSILVIA G. FERNANDES
 
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 MigraçõesCLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 MigraçõesFernando de Sá
 
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]SILVIA G. FERNANDES
 
Ng4, 5, 6, 7
Ng4, 5, 6, 7Ng4, 5, 6, 7
Ng4, 5, 6, 7escola
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2I.Braz Slideshares
 
ReflexãO Clc Dr2
ReflexãO  Clc Dr2ReflexãO  Clc Dr2
ReflexãO Clc Dr2mega
 
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
C.L.C.  6   Imigração em PortugalC.L.C.  6   Imigração em Portugal
C.L.C. 6 Imigração em PortugalI.Braz Slideshares
 

Mais procurados (20)

Descodificação referencial clc-ietc
Descodificação referencial clc-ietcDescodificação referencial clc-ietc
Descodificação referencial clc-ietc
 
Tópicos importantes para evidenciar competências em cp
Tópicos importantes para evidenciar competências em cpTópicos importantes para evidenciar competências em cp
Tópicos importantes para evidenciar competências em cp
 
Refexão Dr1-Dr2-Dr3-Dr4
Refexão Dr1-Dr2-Dr3-Dr4Refexão Dr1-Dr2-Dr3-Dr4
Refexão Dr1-Dr2-Dr3-Dr4
 
Reflexão - CP1
Reflexão - CP1Reflexão - CP1
Reflexão - CP1
 
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandesClc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
 
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandesStc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
 
CP 4
CP 4CP 4
CP 4
 
CLC 5
CLC 5CLC 5
CLC 5
 
STC - NG3 - DR1
STC - NG3 - DR1STC - NG3 - DR1
STC - NG3 - DR1
 
Fluxos Migratorios Clc 6
Fluxos Migratorios Clc 6Fluxos Migratorios Clc 6
Fluxos Migratorios Clc 6
 
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 MigraçõesCLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
 
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
 
Reflexão - CLC7
Reflexão - CLC7 Reflexão - CLC7
Reflexão - CLC7
 
Ng4, 5, 6, 7
Ng4, 5, 6, 7Ng4, 5, 6, 7
Ng4, 5, 6, 7
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
 
Resumo STC
Resumo STCResumo STC
Resumo STC
 
Processos Identitários
Processos IdentitáriosProcessos Identitários
Processos Identitários
 
ReflexãO Clc Dr2
ReflexãO  Clc Dr2ReflexãO  Clc Dr2
ReflexãO Clc Dr2
 
Reflexão - CP4
Reflexão - CP4Reflexão - CP4
Reflexão - CP4
 
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
C.L.C.  6   Imigração em PortugalC.L.C.  6   Imigração em Portugal
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
 

Destaque

811182 recepcionista de-hotel-referencial_efa
811182 recepcionista de-hotel-referencial_efa811182 recepcionista de-hotel-referencial_efa
811182 recepcionista de-hotel-referencial_efaandreiammartins
 
O Portefoio no Curso Efa (Ns)
O Portefoio no Curso Efa (Ns)O Portefoio no Curso Efa (Ns)
O Portefoio no Curso Efa (Ns)João Lima
 
Direitos e deveres do trabalhador
Direitos e deveres do trabalhadorDireitos e deveres do trabalhador
Direitos e deveres do trabalhadorFillipe Lobo
 
Dr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CPDr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CPmega
 
Reflexão do percurso no curso
Reflexão do percurso no cursoReflexão do percurso no curso
Reflexão do percurso no cursojuliaoliveira1965
 
10 OrientaçãO Para A ElaboraçãO Do Pra
10 OrientaçãO Para A ElaboraçãO Do Pra10 OrientaçãO Para A ElaboraçãO Do Pra
10 OrientaçãO Para A ElaboraçãO Do PraJoão Lima
 
Direitos e deveres laborais
Direitos e deveres laboraisDireitos e deveres laborais
Direitos e deveres laboraiscattonia
 
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]J P
 
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)Helena Sabino Salvaterra
 
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores I.Braz Slideshares
 

Destaque (12)

Reflexão - CLCLEC
Reflexão - CLCLECReflexão - CLCLEC
Reflexão - CLCLEC
 
811182 recepcionista de-hotel-referencial_efa
811182 recepcionista de-hotel-referencial_efa811182 recepcionista de-hotel-referencial_efa
811182 recepcionista de-hotel-referencial_efa
 
O Portefoio no Curso Efa (Ns)
O Portefoio no Curso Efa (Ns)O Portefoio no Curso Efa (Ns)
O Portefoio no Curso Efa (Ns)
 
Direitos e deveres do trabalhador
Direitos e deveres do trabalhadorDireitos e deveres do trabalhador
Direitos e deveres do trabalhador
 
Dr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CPDr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CP
 
Reflexão do percurso no curso
Reflexão do percurso no cursoReflexão do percurso no curso
Reflexão do percurso no curso
 
10 OrientaçãO Para A ElaboraçãO Do Pra
10 OrientaçãO Para A ElaboraçãO Do Pra10 OrientaçãO Para A ElaboraçãO Do Pra
10 OrientaçãO Para A ElaboraçãO Do Pra
 
Direitos e deveres laborais
Direitos e deveres laboraisDireitos e deveres laborais
Direitos e deveres laborais
 
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
 
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
 
Reflexão - CLCLEI
Reflexão - CLCLEIReflexão - CLCLEI
Reflexão - CLCLEI
 
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
 

Semelhante a Dr4 identidade e alteridade Marco Araújo

patrimonio cultural da cidade de maputo
patrimonio cultural da cidade de maputopatrimonio cultural da cidade de maputo
patrimonio cultural da cidade de maputoElvis Enhard
 
Painel III – Diversidades em EDS: Ética, território e turismo – Norberto Sant...
Painel III – Diversidades em EDS: Ética, território e turismo – Norberto Sant...Painel III – Diversidades em EDS: Ética, território e turismo – Norberto Sant...
Painel III – Diversidades em EDS: Ética, território e turismo – Norberto Sant...CIDAADS
 
Marina pilar
Marina pilarMarina pilar
Marina pilarMSamagaio
 
Palestra patrimonio natural
Palestra patrimonio naturalPalestra patrimonio natural
Palestra patrimonio naturalElizete Ignacio
 
11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barraslides-mci
 
Património Mundial e Turismo Cultural -Definição de Património- Artur Filipe ...
Património Mundial e Turismo Cultural -Definição de Património- Artur Filipe ...Património Mundial e Turismo Cultural -Definição de Património- Artur Filipe ...
Património Mundial e Turismo Cultural -Definição de Património- Artur Filipe ...Artur Filipe dos Santos
 
Património cultural
Património culturalPatrimónio cultural
Património culturalcattonia
 
O Património.pptx
O Património.pptxO Património.pptx
O Património.pptxPedro Silva
 
Patrimônios Bioculturais - 9788585048983
Patrimônios Bioculturais - 9788585048983Patrimônios Bioculturais - 9788585048983
Patrimônios Bioculturais - 9788585048983+ Aloisio Magalhães
 
Patrimonio imaterial ajtg
Patrimonio imaterial ajtgPatrimonio imaterial ajtg
Patrimonio imaterial ajtgElsa Fernandes
 
Turismo mineral no Brasil
Turismo mineral no BrasilTurismo mineral no Brasil
Turismo mineral no BrasilGabriela Leal
 
Projetos e Práticas educacionais II
Projetos e Práticas educacionais IIProjetos e Práticas educacionais II
Projetos e Práticas educacionais IIUesliane Mara Santos
 
Apresentação espinhaço
Apresentação espinhaçoApresentação espinhaço
Apresentação espinhaçoRodrigo Tinoco
 
Projetos especiais 7_ano
Projetos especiais 7_anoProjetos especiais 7_ano
Projetos especiais 7_anomaritese
 

Semelhante a Dr4 identidade e alteridade Marco Araújo (20)

patrimonio cultural da cidade de maputo
patrimonio cultural da cidade de maputopatrimonio cultural da cidade de maputo
patrimonio cultural da cidade de maputo
 
Painel III – Diversidades em EDS: Ética, território e turismo – Norberto Sant...
Painel III – Diversidades em EDS: Ética, território e turismo – Norberto Sant...Painel III – Diversidades em EDS: Ética, território e turismo – Norberto Sant...
Painel III – Diversidades em EDS: Ética, território e turismo – Norberto Sant...
 
Marina pilar
Marina pilarMarina pilar
Marina pilar
 
Patrimônio - Unesco.
Patrimônio - Unesco.Patrimônio - Unesco.
Patrimônio - Unesco.
 
Palestra patrimonio natural
Palestra patrimonio naturalPalestra patrimonio natural
Palestra patrimonio natural
 
11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra
 
Património Mundial e Turismo Cultural -Definição de Património- Artur Filipe ...
Património Mundial e Turismo Cultural -Definição de Património- Artur Filipe ...Património Mundial e Turismo Cultural -Definição de Património- Artur Filipe ...
Património Mundial e Turismo Cultural -Definição de Património- Artur Filipe ...
 
147
147147
147
 
Relacione turismo topico 7
Relacione turismo topico 7Relacione turismo topico 7
Relacione turismo topico 7
 
Património cultural
Património culturalPatrimónio cultural
Património cultural
 
O Património.pptx
O Património.pptxO Património.pptx
O Património.pptx
 
Patrimônio cultural - Projeto Aripuanã
Patrimônio cultural -  Projeto AripuanãPatrimônio cultural -  Projeto Aripuanã
Patrimônio cultural - Projeto Aripuanã
 
Patrimônios Bioculturais - 9788585048983
Patrimônios Bioculturais - 9788585048983Patrimônios Bioculturais - 9788585048983
Patrimônios Bioculturais - 9788585048983
 
cultura e patrimonio.pdf
cultura e patrimonio.pdfcultura e patrimonio.pdf
cultura e patrimonio.pdf
 
Patrimonio imaterial ajtg
Patrimonio imaterial ajtgPatrimonio imaterial ajtg
Patrimonio imaterial ajtg
 
Turismo mineral no Brasil
Turismo mineral no BrasilTurismo mineral no Brasil
Turismo mineral no Brasil
 
Projetos e Práticas educacionais II
Projetos e Práticas educacionais IIProjetos e Práticas educacionais II
Projetos e Práticas educacionais II
 
Apresentação espinhaço
Apresentação espinhaçoApresentação espinhaço
Apresentação espinhaço
 
Projetos especiais 7_ano
Projetos especiais 7_anoProjetos especiais 7_ano
Projetos especiais 7_ano
 
Kit Jovens
Kit JovensKit Jovens
Kit Jovens
 

Mais de mega

Reflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 MarcoReflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 Marcomega
 
Deasafio contame uma história
Deasafio contame uma históriaDeasafio contame uma história
Deasafio contame uma históriamega
 
Reflexão
ReflexãoReflexão
Reflexãomega
 
Reflexão 13 Meses
Reflexão 13 MesesReflexão 13 Meses
Reflexão 13 Mesesmega
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosmega
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosmega
 
M 37 Anima Tu
M 37 Anima TuM 37 Anima Tu
M 37 Anima Tumega
 
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo MarcoKuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marcomega
 
ReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJoReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJomega
 
marco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidariomarco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidariomega
 
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]mega
 
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRioM 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRiomega
 
M 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao MarcoM 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao Marcomega
 
Ng5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 MarcoNg5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 Marcomega
 
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4MarcoCartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marcomega
 
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJoMudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJomega
 
Decalogo M 32
Decalogo M 32Decalogo M 32
Decalogo M 32mega
 
Ritmos & Blues
Ritmos & BluesRitmos & Blues
Ritmos & Bluesmega
 
Origem Blues
Origem BluesOrigem Blues
Origem Bluesmega
 
ReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marcoReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marcomega
 

Mais de mega (20)

Reflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 MarcoReflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 Marco
 
Deasafio contame uma história
Deasafio contame uma históriaDeasafio contame uma história
Deasafio contame uma história
 
Reflexão
ReflexãoReflexão
Reflexão
 
Reflexão 13 Meses
Reflexão 13 MesesReflexão 13 Meses
Reflexão 13 Meses
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anos
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anos
 
M 37 Anima Tu
M 37 Anima TuM 37 Anima Tu
M 37 Anima Tu
 
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo MarcoKuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
 
ReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJoReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJo
 
marco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidariomarco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidario
 
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
 
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRioM 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
 
M 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao MarcoM 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao Marco
 
Ng5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 MarcoNg5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 Marco
 
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4MarcoCartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
 
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJoMudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
 
Decalogo M 32
Decalogo M 32Decalogo M 32
Decalogo M 32
 
Ritmos & Blues
Ritmos & BluesRitmos & Blues
Ritmos & Blues
 
Origem Blues
Origem BluesOrigem Blues
Origem Blues
 
ReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marcoReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marco
 

Dr4 identidade e alteridade Marco Araújo

  • 1. Educação e Formação de Adultos - Nível Secundário Núcleo Gerador: Identidade e Alteridade Área de Competência: Cidadania e Profissionalidade Competência: Relacionar património comum da humanidade com interdependência e solidariedade Critérios de Evidência: • Reflectir sobre as implicações sociais do património comum na humanidade • Discutir e avaliar o papel das/os cidadãs/cidadãos no mundo actual • Expressar-se e demonstrar respeito e solidariedade pelas diferentes identidades culturais Nome: Marco Eugénio Gomes Araújo Data: 16/09/2009 Entende-se por património mundial todo local ou monumento considerado, pela UNESCO, de excepcional importância cultural ou natural para a humanidade, devendo, por isso, ser protegido e preservado. Atente nos seguintes bens considerados património mundial e faça a correspondência correcta, associando-os ao país a que pertencem: Taj Mahal Monte Athos 1
  • 2. Machu Pichu Jardim Botanico de Pádua Cidade Historica de Toledo Cidade Pré Historica de Uxmal 1.India ______________ Taj Mahal 2.Italia ------------------ Jardim Botânico de Pádua 3.México _____________ Cidade Pré Histórica de Uxmal 4.Grécia ______________ Monte Athos 5.Peru _______________ Machu Pichu 6.Espanha ____________ Cidade Histórica de Toledo Os bens do Património Mundial devem ser preservados e protegidos pela comunidade internacional, pois desempenham um importante papel na vida e no desenvolvimento das sociedades, podendo, nalguns casos ser visto como a sustentabilidade de uma sociedade. 2
  • 3. - Assinale quais as implicações sociais que a preservação do património comum da humanidade podem trazer para a respectiva região onde se situam. 1. Desertificação humana X 2. Desenvolvimento das áreas envolventes. 3. Benefícios interculturais. 4. Aumento do desemprego. X 5. Acentuação de desequilíbrios regionais. X 6. Criação de mais postos de trabalho. 7. Desenvolvimento do turismo. 8. Exclusão social. X É considerado Património Cultural um conjunto de edifícios ou um local de calor estético, arqueológico, cientifico, etnológico e antropológico. Em Portugal, cabe ao Ministério da Cultura, através do Instituto do Património Português, a missão de conservar, preservar, salvaguardar e valorizar o património arquitectónico e cultural português. - Associe os bens portugueses, classificados como património cultural, à cidade em que se situam, seleccionando a opções correctas. 1. Santuário Bom Jesus do 1. Braga Monte 2. Guimarães 2. Centro Histórico da Cidade 3. Porto 3. Mosteiro da Batalha 4. Batalha 4. Convento de Cristo 5. Tomar 5. Mosteiro dos Jerónimos 6. Lisboa 7. Évora 3
  • 4. É considerado Património Natural um local que tenha valor físico, biológico e geológico importante para a humanidade. Leia a notícia com atenção e construa uma afirmação verdadeira, seleccionando as opções correctas. “Alteração da paisagem do Douro ameaça classificação da UNESCO A paisagem do Alto Douro Vinhateiro, classificada como Património Mundial, pode desaparecer no espaço de uma década, se prosseguir a intervenção humana em prol da mecanização da produção vitivinícola. Uma alteração ditada por necessidades de eficiência económica, que pode, contudo, mudar o rumo do desenvolvimento da região, ameaçando actividades emergentes, como o turismo. É que, para além da alteração da paisagem, a ausência de uma unidade de gestão que articule as actividades nos 13 municípios que constituem o Douro - património da Humanidade está a colocar em causa a primeira Região Demarcada do Mundo, que hoje comemora 250 anos. (...) Diário de Notícias [online]. 31 de Agosto 2006 [consult. 20 Março 2008]. Edição de Lisboa. Disponível em: http://dn.sapo.pt/2006/08/31/economia/alteracao_paisagem_douro_ameaca_clas.html” - O Estado português CUMPRIU a obrigação NACIONAL de assegurar a identificação, protecção e conservação da paisagem do Alto Douro Vinhateiro. Este Património está a ser mais ameaçado pelas transformações HUMANAS em nome do desenvolvimento SOCIO-ECONOMICO da região. CUMPRIU / NÃO CUMPRIU NACIONAL / SUPRANACIONAL HUMANAS / NATURAIS SOCIO-ECONOMICO / TURISMO 4
  • 5. Identidades Culturais “Para a construção de uma cultura de paz, é fundamental articular especificidades dos povos, dos grupos sociais e dos indivíduos. Neste sentido, o património mundial, um testemunho da diversidade cultural da humanidade, deve ser preservado e transmitido às gerações futuras. A identidade cultural consiste no sentimento de pertença a um determinado grupo social ou cultural. Existem várias identidades culturais com línguas, regiões, manifestações artísticas e costumes diferentes. Para a promoção de uma cultura de paz é fundamental respeitar os direitos culturais que fazem parte dos Direitos Humanos e conviver harmoniosamente com as diferentes identidades culturais. Com a globalização, visto q convivemos cada vez mais com a diversidade cultural e étnica, o desafio de respeitar as especificidades culturais é cada vez maior cabe a cada um dos cidadãos compreende-las e respeita-las, a fim de evitar situações embaraçosas, conflitos e situações discriminatórias “ Respeitar a diversidade cultural é um imperativo ético inseparável do respeito pelos direitos humanos. Desrespeitar diferenças culturais desencadeia comportamentos discriminatórios e injustos, como xenofobia e o racismo. - Assinale as atitudes de respeito e solidariedade pelas diferentes identidades culturais e eliminação de preconceitos e estereótipos. 1. Dedicarmos algum tempo a informarmo-nos da cultura e valores de um colega de trabalho. 2. Evitar conversar, com colegas de trabalho, sobre hábitos e costumes. 3. Ajudar um colega de trabalho a compreender a nossa cultura, diminuindo estranheza face a certos hábitos. 4. Evitar conversar com um colega que seja portador do vírus da sida. 5. Conhecer costumes diferentes dos nossos, por muito estranhos ou fora do comum que nos possam parecer. 5
  • 6. Papel dos cidadãos no mundo actual A degradação ou o desaparecimento de um bem do Património Cultural e Natural constitui um empobrecimento efectivo do Património de todos os povos do mundo. Perante os perigos naturais e humanos que os ameaçam, a responsabilidade de conservar e proteger o Património Comum Mundial pertence à colectividade internacional, a cada um dos Estados envolvidos e a todos os cidadãos. A lista do Património Mundial da Humanidade em perigo está disponível em: http://whc.unesco.org/en/danger/ Faça uma investigação acerca das responsabilidades supranacionais do Estado e dos cidadãos em relação à protecção do património cultural e natural. Afeganistão • Minarete e ruínas arqueológicas de Jam (2003) • Paisagem cultural e ruínas arqueológicas do Vale de Bamiyan (2002) 6
  • 7. Belize • Rede de Reservas dos Recifes da Barreira do Belize (2009) Chile • Fábricas de Nitrato do Chile de Humberstone e Santa Laura (2005) Colômbia • Parque Nacional Los Katios (2009) Costa do Marfim • Reserva Natural Integral do Monte Nimba (1992) (sítio transfronteiriço com a Guiné) - como resultado de dois factores: a proposta de concessão de uma mina de ferro a um consórcio internacional e a instalação de um grande número de refugiados na parte guineense do monte. • Parque Nacional do Comoé (2003) Congo, República Democrática do • Parque Nacional de Virunga (1994) • Parque Nacional de Garamba (1996) • Parque nacional de Kahuzi-Biega (1980) • Parque nacional de Salonga (1984) • Reserva de fauna dos ocapis (1996) Equador • Ilhas Galápagos (2007) Egipto • Abu Mena (2001) Etiópia • Parque Nacional do Simien (1996) 7
  • 8. Filipinas • Arrozais em terraços das Cordilheiras das Filipinas (2001) Geórgia • Monumentos Históricos de Mtskheta (2009) Guiné • Reserva da Natureza do Monte Nimba (1992) (sítio transfronteiriço com a Costa do Marfim) Iémen • Cidade Histórica de Zabid (2000) Índia • Santuário de Fauna de Manas (1992) Irão • Bam e sua Paisagem Cultural (2004) Iraque • Assur (Qal'at Sherqat) (2003) • Cidade Arqueológica de Samarra (2007) Jerusalém • Cidade Antiga de Jerusalém e seus Muros (1982) Níger • Reserva Natural do Aïr e do Ténéré (1992) Paquistão • Forte e Jardins de Shalimar em Lahore (2000) 8
  • 9. Peru • Zona Arqueológica de Chan Chan (1986) República Centro-Africana • Parque Nacional de Manovo-Gounda St. Floris (1997) Senegal • Parque Nacional de Niokolo-Koba (2007) Sérvia • Monumentos Medievais do Kosovo (2006) Tanzânia • Ruínas de Kilwa Kisiwani e de Songo Mnara (2004) - ameaçadas pela erosão marinha, que pode levar ao desmoronamento de edifícios, e também por uma gestão inadequada da pressão demográfica. Venezuela • Coro e seu Porto Como pode ferir, acima com a lista dos patrimónios ameaçados nos seus respectivos países, os estados tem uma responsabilidade presente para os preservar, e como: com políticas direccionadas para a consciência da população para a importância destes monumentos e apoios de verbas para as suas conservações. A Unesco tem um papel fundamental nesta preservação mas não chega na minha opinião, porque como cidadãos teremos que ter um papel activo nessa mesma preservação, trabalhando na preservação natural e cultural para que todas as gerações futuras possam usufruir deste imensidade histórica que os nossos antepassados nos deixaram. 9