Valores cultura e ética

340 visualizações

Publicada em

ai

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
340
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Valores cultura e ética

  1. 1. Formando: Bruno Oliveira Formadora: Fernanda Correia Disciplina: Área de Integração Modulo: Maio 2015 Valores cultura e ética
  2. 2. Acredito antes de mais que é necessário dar valor as diferenças. O desafio de se conviver com a diferença na sociedadeé complicado, mas necessário. Diante da grandepluralidade cultural e étnica que sechoca com frequência no mundo globalizado é preciso, além de tolerância um respeito incondicional aos direitos humanos. Diariamente, nos deparamos com pessoas das mais variadas culturas, opiniões e classes sociais. Muitas vezes, são os nossos vizinhos, colegas e amigos. Se entendêssemos que essa convivência enriquece as nossas vidas tudo seria melhor, devemos antes de mais aprender a respeitar o nosso próximo. É claro que nem sempre essas relações acontecem facilmente, basta ver alguns fatos divulgados pela média onde são mostradas cenas de preconceito e intolerância para com os imigrantes e não só, até para com classes minoritárias “mesmo com a mesma cultura”. Em suma, devemos nos consciencializar que somos todos iguais em espécie, devemos nos consciencializar que conviver com as diferenças (por mais difícil que pareça), nos enriquece como pessoas. Os nossos esforçosdevemser voltados contra discriminações como o racismo ou perseguições religiosas. Estas não nos levam a lugar algum, apenas nos desqualificamcomo seres humanos. No entanto vale lembrar que em determinadas situações em buscada harmonia social, acabamos sendo forçados a viver um “FORÇADO RESPEITOCULTURAL” melhor dizendo uma “tolerância multicultural” que por vezes vem ao custo, mais uma vez, da dignidade do ser humano. O relativismo faz com que aceitamos situações e acções que por serem “culturais” devem permanecer ocorrendo, mesmo quando são inequivocamente condenáveis e erradas. Umexemplo disso é a aceitação da mutilação genital feminina (a Anis tia Internacionalapresenta uma lista de 28 países africanos ondeela é normalmente praticada). Sendo que essas “manifestações culturais” não somente não devem ser questionadas, como, por vezes, devem até ser “protegidas”. Ou seja,
  3. 3. mesmo as pessoas de“outra cultura” que não possuemtais práticas, em prol da harmonia, devem seempenhar em defender a “liberdade” de quem as praticam. Tal harmonia sacrificaa ética inerente à própria humanidade. Uma declaração recente chama a atenção para este convívio multicultural, “Pensem duas vezes antes de casaremcom um muçulmano” Com esta declaração o cardeal patriarcade Lisboa, D. JoséPolicarpo abriu uma brechano diálogo inter-religioso. O Irão definiu na sua constituição que a vida de uma mulher vale metade da de um homem e que não é crime o marido bater numa mulher. No Paquistão a mulher adúltera pode ser punida com a morte às mãos de um familiar. No que diz respeito a este facto em especial, a meu ver toda a cultura quando muito diferente gera problemas assimcomo tudo na vida países diferentes, criações paternas também diferentes temperamento em conflito também mas cada caso é um caso o amor que envolve compreensão, respeito, lealdade em fim pode se mais agradávele sim dar certo mais uma vez acredito que generalizar rotular é um caminho muito curto para cometer altas injustiças. Vale sim ter a consciência de que a mulher que quiser casar com um muçulmano e sendo de outra religião deveria primeiramente conhecer muito bem o islamismo e pensar muito bem se estará disposta a mudar de vida e se submeter ao islamismo. Tem de ainda avaliar que existem muçulmanos e muçulmanos. Existem aquelas seitas mais retrógradas queimpõem a burcaàs mulheres, mas tem aquelas mais progressistas quepermitem às mulheres que estudem e que cresçamenquanto pessoas. Ora, seo amor existir entre os dois, se houver um pacto de respeito mútuo. Tudo poderá dar certo. Valor: é um conceito que faz parte do estudo da Filosofia, Sociologia, Economia, Psicologia, Antropologia e Política. O valor cultural, por exemplo, é objeto de estudo da filosofia, da psicologia e da sociologia. Do ponto de vista filosófico, sociológico e psicológico, o valor cultural recebeu as mais variadas definições e promoveu inúmeras discussões paralelas (talcomo a da neutralidade dos
  4. 4. valores na pesquisa científica, a relação valores e gosto, etc.). Na filosofia, os filósofos que se dedicam ao estudo da ética ou da axiologia vão ser aqueles que irão contribuir mais intensamente com a discussão sobreo conceito e características dos valores, produzindo várias concepções, algumas chamadas subjetivistas e outras objetivistas. Na Psicologia, o estudo dos valores vaiestar relacionado mais com a questão do comportamento e das atitudes dos indivíduos. Na sociologia, os valores vão ser abordados comproduto das relações sociais e relacionados com "normas", "representações",etc. Cultura (do latim cultura) é um conceito de várias acepções, sendo a mais corrente, especialmente no senso comum, a definição genérica formulada por Edward. Taylor segundo a qual cultura é "todo aquele complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e capacidades adquiridos pelo homem como membro da sociedade". Embora a definição de Taylor tenha sido problematizada e reformulada constantemente, tornando a palavra "cultura" um conceito extremamente complexo e impossível de ser fixado de modo único. Na Roma antiga, seu antepassado etimológico tinha o sentido de "agricultura" (significado que a palavra mantém ainda hoje em determinados contextos), como empregado por Varrão, por exemplo. A palavra "ética" vem do grego ἠθικός (ethikos), e significa aquilo que pertence ao ἦθος1 (ethos), que significava "bom costume", "costume superior", ou "portador de caráter".
  5. 5. Diferencia-se da moral, pois, enquanto esta se fundamenta na obediência a costumes e hábitos recebidos, a ética, ao contrário, busca fundamentar as ações morais exclusivamente pela razão. Na filosofia clássica, a ética não se resumia à moral (entendida como "costume", ou "hábito", do latim mos, mores), mas buscava a fundamentação teórica para encontrar o melhor modo de viver e conviver, isto é, a busca do melhor estilo de vida, tanto na vida privada quanto em público. A ética incluía a maioria dos campos de conhecimento que não eram abrangidos na física, metafísica, estética, na lógica, na dialéctica e nem na retórica. Assim, a ética abrangia os campos que atualmente são denominados antropologia, psicologia, sociologia, economia, pedagogia, às vezes política, e até mesmo educação física e dietética, em suma, campos direta ou indiretamente ligados ao que influi na maneira de viver ou estilo de vida. Um exemplo desta visão clássica da ética pode ser encontrado na obra Ética, de Spinoza. Os valores éticos podem ser muitas, variadas e diferentes percepções, no entanto, o ser humano tem quatro valores éticos fundamentais , sem dúvida, são a base da educação das pessoas entre si; estes valores têm muito arraigado em nossa consciência e agir. Ao falar sobre algo importante você falar sobre algo sem o qual não poderia ir, tão importante são esses valores. Estes quatro valores e sua aplicação é essencial para a convivência saudável do homem na sociedade, então descrevemos cada um deles:

×