SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Baixar para ler offline
Focused Assessment
with Sonography for
Trauma (avaliação
focada com ecografia
para trauma)
Carlos Darcy Alves Bersot
Título Superior em Anestesiologia-SBA
Responsável pelo Centro de Ensino e Treinamento H.F Lagoa, RJ
Médico Anestesiologista do Hospital Federal da Lagoa-SUS
Professor de Ciências da Dor da Faculdade de Medicina-UNIFAA
Anestesiologista do HUPE/UERJ
Membro do CREMERJ
HISTÓRIA FAST
FAST foi realizado pela primeira vez começou na Alemanha e Japão.
Atualmente FAST protocolo usado em todo o mundo.
FAST (Focused Assessment with Sonography for Trauma) foi descrito por Rozicky (cirurgião alemão) 20
anos atrás, e descreve quatro janelas ecográficas para a detecção de líquido livre abdominal e
hemopericárdio.
Em 2004, este protocolo foi ampliado para e-FAST (estendido FAST), com avaliação de hemotórax e
pneumotórax.
Atualmente protocolo FAST incluindo no ATLS curso
(como parte de uma avaliação primária do Suporte Avançado à Vida no Trauma)
FAST
FAST exame permite rapidamente detectar líquido
livre abdominal, pleural e pericárdico, e também o
diagnóstico de pneumotórax em paciente com
trauma.
Por que FAST ?
USG tem boa sensibilidade (60-100%) e
alta especificidade (90-100%) na detecção
de líquido livre na cavidade abdominal,
indica lesão intra-abdominal com
hemorragia.
Vantagens
• Método muito rápido (realizado durante 3 minutos) e muito
fácil
• Utilização da ecografia à cabeceira do doente no serviço de
urgência
• Não invasivo
• Portátil
• Prontamente disponível (especialmente nos hospitais
municipais, em lugares remotos, pode ser usado no difícil
acesso lugares)
• Ausência de radiação
• Boa acurácia
• Baixo custo
FAST
Posições da sonda no FAST (4-8) janelas
ecográficas)
Janela no quadrante
superior direito
Janela no quadrante
superior esquerdo
Janela suprapúbica
Janela subxifóide
Janela torácica
(bilateral)
FAST pode ser realizado em paciente
instável (em pacientes críticos)
Por que FAST ?
Ecografia tem baixa sensibilidade (40%) na deteсção de
rupturas dos órgãos parenquimais.
TC com contraste tem alta sensibilidade (95%) e usado para
diagnóstico definitivo.
USG
Baço com aparência normal
TC
Ruptura de baço, grau 3
Limitações
• Exame operador dependente
• Não pode identificar lesão específica (por exemplo,
hematoma subcapsular, sem líquido livre abdominal)
• Não permite detectar lesão retroperitoneal
FAST
É importante lembrar que FAST
negativo (ausência de líquido livre
abdominal) não exclui lesão visceral
Ecografia tem boa, mas não tão alta
sensibilidade (60-100%) na detecção de
líquido livre abdominal – depende de
volume de líquido detectável e a duração
de tempo após trauma (porque pode ser
hemorragia mais tarde, devagar ou
ruptura de hematoma subcapsular)
Algoritmo sobre utilização do
FAST
Quem pode fazer FAST ?
Ainda que a USG seja tradicionalmente utilizado por
radiologistas ou ecografistas, há muitas publicações positivas
em relação à realização de ecografia por não especialistas em
radiologia(cirurgião,emergencista, intensivista).
Por que FAST para não radiologistas:
FAST exame deve ser realizado o mais rapidamente possível,
mas muitas vezes impossível implementação de ecografia 24
horas por dia. Também FAST exame é muito rápido e muito
fácil na realização e interpretação de resultado.
Mas preciso adequado treino para não radiologistas. Para
excluir erros é necessário a realização de 30 exames FAST
sob supervisão de um mentor.
Atualmente a
ecografia
integrada no
plano de
formação
dos médicos de
urgência.
A experiência
com a ecografia
agora é parte
obrigatória do
treinamento
residência
cirúrgica.
Programa de treino FAST
Técnica do exame FAST
QUADRANTE SUPERIOR DIREITO Detecção de líquido livre
no espaço de Morrison e no espaço pleural direito.
Localização da sonda em posição longitudinal na linha axilar
média ou anterior na região intercostal, entre o 11º e 12º
espaços intercostais.
Espaço pleural
direito normal
Hemotórax direito
(líquido acima de
diafragma)
QUADRANTE SUPERIOR ESQUERDO
Detecção de líquido livre no espaço periesplênico,
espleno-renal e no espaço pleural esquerdo.
Localização da sonda em posição longitudinal na linha axilar
posterior na região intercostal, entre o 8º e 11º espaços
intercostais.
Devemos ver: baço, rim esquerdo, espaço
periesplênico e espleno-renal, diafragma, espaço
pleural esquerdo.
baço
rim
r
Presença de líquido no
espaço periesplênico e
espleno-renal
(FAST positivo)
Ausência de líquido no
espaço periesplênico e
espleno-renal
(FAST negativo)
Espaço pleural
esquerdo normal
Hemotórax direito
(líquido acima de
diafragma)
Detecção de liquido na cavidade pleural
esquerda
Janela subxifóide
janela pericárdica (corte subxifoide 4 câmaras
cardíacas)
Sonda em posição transversal, abaixo do apêndice xifóide a nível
epigástrico com feixe de ultrassons no plano coronal, dirigido ao ombro
esquerdo.
Visualizamos o coração (quatro cavidades)
O objetivo é excluir líquido no saco pericárdico (zona anecóica
pericárdica)
Presença de líquido anecóico pericárdica (seta),
compatível com hemopericárdio.
Janela suprapúbica
Procurar líquido livre na pelve
Procurar líquido livre na pelve
Presença de líquido livre posterior (fora) à
bexiga (FAST positivo)
Janela torácica anterior para procurar
pneumotórax
A ecografiaé
muito efetiva em
excluir ou
detectar
rapidamente
pneumotórax.
A ecografia tem alta sensibilidade (95 %) e
tem alta especificidade (100%) no
diagnóstico de pneumotórax e
comparativamente à TAC do tórax !
Radiografia do tórax em posição supina tem
uma baixa sensibilidade.
Para excluir o pneumotórax, a ecografia tem
uma sensibilidade e valor preditivo negativo
de 100 %.
Ecografia permite excluir pneumotorax
durante 5 sec (à cabeceira do doente)
Técnica de detecção de pneumotórax
Localizara sonda em posição longitudinal, na linha
paraesternal, perpendicular ao espaço intercostal.
Detecção de deslizamento pleural (lung
sliding)
Linha pleural (horizontal e
hiperecogénica - seta verde)
é localizada diretamente sob as
costelas (abaixo delas).
Linha pleural constituída pela
pleura parietal e pleura visceral.
Pleura visceral desliza com os
movimentos respiratórios –
sinal de deslizamento pleural
Em pneumotórax -
deslizamento pleural ausente
devido a distância de separação
por ar entre os folhetos
parietal e visceral da pleura.
Algoritmo para o diagnóstico ecográfico de
Pneumotórax
Deslizamento
Pleural
Ausente Presente
Pneumotórax Exclui pneumotórax
Atualmente FAST (E-FAST (Extended Focused Assessment with
Sonography in Trauma) inclui:
• Avaliação do diâmetro da Veia Cava Inferior
• Detecção de gás livre na cavidade abdominal
(pneumoperitôneo)
• Detecção de hemorragia intracranial e
deslocação da linha média.
• Ecografia ocular para avaliação pressão
intracraniana (pela medida do diâmetro de
shell de nervo óptico)
• Detecção das fraturas ósseas
Resumo
Atualmente ecografia é
parte do exame físico e
usada como Estetoscópio
Sonográfico.
A ecografia urgente
realizada de imediato
à cabeceira do doente no
serviço de urgência
permite um diagnóstico
mais rápido e salva a vida
de paciente em situações
críticas.
Atualmente há a revolução na ecografia
urgente.
Ecografia urgente integrada no plano de
formação dos médicos de urgência (não
especialistas em radiologia, ecografia ou
cardiologia), como programa obrigatório e
usado como rotina em todo o mundo.
Ecografia urgente com protocolos
(FAST, BLUE, RUSH, FATE, FOCUS e
outros)
usada para pacientes críticos permite
rápidamente detectar causas dos estados
críticos.
Tempo de diagostico é muito importante!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0Brenda Lahlou
 
Radiografia de tórax aula2-padrãoacinar-intersticial
Radiografia de tórax   aula2-padrãoacinar-intersticialRadiografia de tórax   aula2-padrãoacinar-intersticial
Radiografia de tórax aula2-padrãoacinar-intersticialFlávia Salame
 
Sinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de TóraxSinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de TóraxBrenda Lahlou
 
Princípios de física aplicada à ultrassonografia
Princípios de física aplicada à ultrassonografiaPrincípios de física aplicada à ultrassonografia
Princípios de física aplicada à ultrassonografiaIared
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduaçãoIapes Ensino
 
7. espaços anatômicos do abdome rx do trauma
7. espaços anatômicos do abdome  rx do trauma7. espaços anatômicos do abdome  rx do trauma
7. espaços anatômicos do abdome rx do traumaJuan Zambon
 
Avaliação sistemática da radiografia do tórax
Avaliação sistemática da radiografia do tóraxAvaliação sistemática da radiografia do tórax
Avaliação sistemática da radiografia do tóraxBruna Cesário
 
Anatomia E Protocolo Tomografia Computadorizada de Crânio
Anatomia E Protocolo Tomografia Computadorizada de  CrânioAnatomia E Protocolo Tomografia Computadorizada de  Crânio
Anatomia E Protocolo Tomografia Computadorizada de CrânioAlex Eduardo Ribeiro
 
Semiologia de Abdome II
Semiologia de Abdome IISemiologia de Abdome II
Semiologia de Abdome IIpauloalambert
 
Exame físico do tórax
Exame físico do tórax Exame físico do tórax
Exame físico do tórax Paulo Alambert
 
Urografia excretora - Abordagem completa
Urografia excretora - Abordagem completaUrografia excretora - Abordagem completa
Urografia excretora - Abordagem completaHeitor Leandro
 

Mais procurados (20)

SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
 
Ultrassom do Retroperitônio e Peritônio
Ultrassom do Retroperitônio e PeritônioUltrassom do Retroperitônio e Peritônio
Ultrassom do Retroperitônio e Peritônio
 
Radiografia de tórax aula2-padrãoacinar-intersticial
Radiografia de tórax   aula2-padrãoacinar-intersticialRadiografia de tórax   aula2-padrãoacinar-intersticial
Radiografia de tórax aula2-padrãoacinar-intersticial
 
Sinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de TóraxSinais do Raio X de Tórax
Sinais do Raio X de Tórax
 
Radiologia do tórax
Radiologia do tóraxRadiologia do tórax
Radiologia do tórax
 
Princípios de física aplicada à ultrassonografia
Princípios de física aplicada à ultrassonografiaPrincípios de física aplicada à ultrassonografia
Princípios de física aplicada à ultrassonografia
 
Laparotomia e fechamento
Laparotomia e fechamentoLaparotomia e fechamento
Laparotomia e fechamento
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduação
 
7. espaços anatômicos do abdome rx do trauma
7. espaços anatômicos do abdome  rx do trauma7. espaços anatômicos do abdome  rx do trauma
7. espaços anatômicos do abdome rx do trauma
 
Avaliação sistemática da radiografia do tórax
Avaliação sistemática da radiografia do tóraxAvaliação sistemática da radiografia do tórax
Avaliação sistemática da radiografia do tórax
 
Anatomia E Protocolo Tomografia Computadorizada de Crânio
Anatomia E Protocolo Tomografia Computadorizada de  CrânioAnatomia E Protocolo Tomografia Computadorizada de  Crânio
Anatomia E Protocolo Tomografia Computadorizada de Crânio
 
Semiologia de Abdome II
Semiologia de Abdome IISemiologia de Abdome II
Semiologia de Abdome II
 
Tudo sobre Ressonância Magnética (RM)
Tudo sobre Ressonância Magnética (RM)Tudo sobre Ressonância Magnética (RM)
Tudo sobre Ressonância Magnética (RM)
 
Abdome agudo
Abdome agudoAbdome agudo
Abdome agudo
 
Fígado 2012
Fígado 2012Fígado 2012
Fígado 2012
 
Abdome agudo
Abdome agudoAbdome agudo
Abdome agudo
 
ANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
ANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICAANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
ANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
 
.pdf
.pdf.pdf
.pdf
 
Exame físico do tórax
Exame físico do tórax Exame físico do tórax
Exame físico do tórax
 
Urografia excretora - Abordagem completa
Urografia excretora - Abordagem completaUrografia excretora - Abordagem completa
Urografia excretora - Abordagem completa
 

Semelhante a Protocolo FAST POCUS

Semiologia radiologica-estudantes-medicina
Semiologia radiologica-estudantes-medicinaSemiologia radiologica-estudantes-medicina
Semiologia radiologica-estudantes-medicinaKarlinhos Talita
 
sistematizacao_do_exame_ultrassonografico_do_abdome.pdf
sistematizacao_do_exame_ultrassonografico_do_abdome.pdfsistematizacao_do_exame_ultrassonografico_do_abdome.pdf
sistematizacao_do_exame_ultrassonografico_do_abdome.pdfDnissonLima
 
cepeti-trauma-abdominal-1f208408.pptx
cepeti-trauma-abdominal-1f208408.pptxcepeti-trauma-abdominal-1f208408.pptx
cepeti-trauma-abdominal-1f208408.pptxruanelucelia20gmailc
 
Ultrassonografia veterinária em emergencias
Ultrassonografia veterinária em emergencias Ultrassonografia veterinária em emergencias
Ultrassonografia veterinária em emergencias Cibele Carvalho
 
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómenAula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómenIdalecio de Oliveira
 
Apostila enfermagem cirurgica
Apostila   enfermagem cirurgica Apostila   enfermagem cirurgica
Apostila enfermagem cirurgica Ricardo Araujo
 
Cirurgiatoracica 120606123054-phpapp02
Cirurgiatoracica 120606123054-phpapp02Cirurgiatoracica 120606123054-phpapp02
Cirurgiatoracica 120606123054-phpapp02Tiago Manhezzo
 
Aula de histessalpingografia e dacriocistografia
Aula de histessalpingografia e dacriocistografiaAula de histessalpingografia e dacriocistografia
Aula de histessalpingografia e dacriocistografialucianooliveira306
 
Nefrectomia repaginado
Nefrectomia repaginadoNefrectomia repaginado
Nefrectomia repaginadoSonara Pereira
 
Nefrectomia parcial laparoscópica
Nefrectomia parcial laparoscópica Nefrectomia parcial laparoscópica
Nefrectomia parcial laparoscópica Urovideo.org
 
Manejo da via aérea
Manejo da via aéreaManejo da via aérea
Manejo da via aéreaAnestesiador
 
Laparoscopia em Urologia
Laparoscopia em UrologiaLaparoscopia em Urologia
Laparoscopia em UrologiaUrovideo.org
 

Semelhante a Protocolo FAST POCUS (20)

Us gastrico pocus
Us gastrico pocus  Us gastrico pocus
Us gastrico pocus
 
Semiologia radiologica-estudantes-medicina
Semiologia radiologica-estudantes-medicinaSemiologia radiologica-estudantes-medicina
Semiologia radiologica-estudantes-medicina
 
Semiologia radiologica-estudantes-medicina
Semiologia radiologica-estudantes-medicinaSemiologia radiologica-estudantes-medicina
Semiologia radiologica-estudantes-medicina
 
Cirurgia toracica
Cirurgia toracicaCirurgia toracica
Cirurgia toracica
 
sistematizacao_do_exame_ultrassonografico_do_abdome.pdf
sistematizacao_do_exame_ultrassonografico_do_abdome.pdfsistematizacao_do_exame_ultrassonografico_do_abdome.pdf
sistematizacao_do_exame_ultrassonografico_do_abdome.pdf
 
cepeti-trauma-abdominal-1f208408.pptx
cepeti-trauma-abdominal-1f208408.pptxcepeti-trauma-abdominal-1f208408.pptx
cepeti-trauma-abdominal-1f208408.pptx
 
Ultrassonografia na uti
Ultrassonografia na utiUltrassonografia na uti
Ultrassonografia na uti
 
Ultrassom pulmonar `POCUS
Ultrassom pulmonar `POCUSUltrassom pulmonar `POCUS
Ultrassom pulmonar `POCUS
 
Ausculta
AuscultaAusculta
Ausculta
 
Ultrassonografia veterinária em emergencias
Ultrassonografia veterinária em emergencias Ultrassonografia veterinária em emergencias
Ultrassonografia veterinária em emergencias
 
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómenAula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
Aula teorica - Métodos de Imagem para Avaliacao do abdómen
 
Apostila enfermagem cirurgica
Apostila   enfermagem cirurgica Apostila   enfermagem cirurgica
Apostila enfermagem cirurgica
 
Cirurgiatoracica 120606123054-phpapp02
Cirurgiatoracica 120606123054-phpapp02Cirurgiatoracica 120606123054-phpapp02
Cirurgiatoracica 120606123054-phpapp02
 
ultrassonografia...pdf
ultrassonografia...pdfultrassonografia...pdf
ultrassonografia...pdf
 
Aula de histessalpingografia e dacriocistografia
Aula de histessalpingografia e dacriocistografiaAula de histessalpingografia e dacriocistografia
Aula de histessalpingografia e dacriocistografia
 
nefrectomia.pdf
nefrectomia.pdfnefrectomia.pdf
nefrectomia.pdf
 
Nefrectomia repaginado
Nefrectomia repaginadoNefrectomia repaginado
Nefrectomia repaginado
 
Nefrectomia parcial laparoscópica
Nefrectomia parcial laparoscópica Nefrectomia parcial laparoscópica
Nefrectomia parcial laparoscópica
 
Manejo da via aérea
Manejo da via aéreaManejo da via aérea
Manejo da via aérea
 
Laparoscopia em Urologia
Laparoscopia em UrologiaLaparoscopia em Urologia
Laparoscopia em Urologia
 

Mais de Carlos D A Bersot

Enhanced recovery after neurosurgery and neuroanesthesia
Enhanced recovery after neurosurgery and neuroanesthesiaEnhanced recovery after neurosurgery and neuroanesthesia
Enhanced recovery after neurosurgery and neuroanesthesiaCarlos D A Bersot
 
Monitorização na área de radiologia intervencionista
Monitorização na área de radiologia intervencionistaMonitorização na área de radiologia intervencionista
Monitorização na área de radiologia intervencionistaCarlos D A Bersot
 
Monitorizacao hemodinamica com Ecocardiograma
Monitorizacao hemodinamica com EcocardiogramaMonitorizacao hemodinamica com Ecocardiograma
Monitorizacao hemodinamica com EcocardiogramaCarlos D A Bersot
 
Neurofisiologia e edema cerebral COPA 13.04.pptx
Neurofisiologia e edema cerebral  COPA 13.04.pptxNeurofisiologia e edema cerebral  COPA 13.04.pptx
Neurofisiologia e edema cerebral COPA 13.04.pptxCarlos D A Bersot
 
Fibroscopia para o anestesista
Fibroscopia  para o anestesistaFibroscopia  para o anestesista
Fibroscopia para o anestesistaCarlos D A Bersot
 
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of PainNeuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of PainCarlos D A Bersot
 
Is the prone position indicated in critically ill patients with SARS-CoV- 2 d...
Is the prone position indicated in critically ill patients with SARS-CoV- 2 d...Is the prone position indicated in critically ill patients with SARS-CoV- 2 d...
Is the prone position indicated in critically ill patients with SARS-CoV- 2 d...Carlos D A Bersot
 
Peri-operative fluid management during neurosurgical procedures
Peri-operative fluid management during neurosurgical proceduresPeri-operative fluid management during neurosurgical procedures
Peri-operative fluid management during neurosurgical proceduresCarlos D A Bersot
 
FATE-Basic Cardiac Ultrasound I
FATE-Basic Cardiac Ultrasound IFATE-Basic Cardiac Ultrasound I
FATE-Basic Cardiac Ultrasound ICarlos D A Bersot
 
Curso de vias aéreas fármacos
  Curso de vias aéreas    fármacos  Curso de vias aéreas    fármacos
Curso de vias aéreas fármacosCarlos D A Bersot
 

Mais de Carlos D A Bersot (20)

Enhanced recovery after neurosurgery and neuroanesthesia
Enhanced recovery after neurosurgery and neuroanesthesiaEnhanced recovery after neurosurgery and neuroanesthesia
Enhanced recovery after neurosurgery and neuroanesthesia
 
Oximetria Cerebral
 Oximetria Cerebral Oximetria Cerebral
Oximetria Cerebral
 
Monitorização na área de radiologia intervencionista
Monitorização na área de radiologia intervencionistaMonitorização na área de radiologia intervencionista
Monitorização na área de radiologia intervencionista
 
Monitorizacao hemodinamica com Ecocardiograma
Monitorizacao hemodinamica com EcocardiogramaMonitorizacao hemodinamica com Ecocardiograma
Monitorizacao hemodinamica com Ecocardiograma
 
Neurofisiologia e edema cerebral COPA 13.04.pptx
Neurofisiologia e edema cerebral  COPA 13.04.pptxNeurofisiologia e edema cerebral  COPA 13.04.pptx
Neurofisiologia e edema cerebral COPA 13.04.pptx
 
Aula COPA 2022
Aula COPA 2022  Aula COPA 2022
Aula COPA 2022
 
Dor Crônica 2021
Dor Crônica 2021Dor Crônica 2021
Dor Crônica 2021
 
FATE POCUS .pptx
FATE POCUS .pptxFATE POCUS .pptx
FATE POCUS .pptx
 
Acesso vascular POCUS
 Acesso vascular POCUS Acesso vascular POCUS
Acesso vascular POCUS
 
Fibroscopia para o anestesista
Fibroscopia  para o anestesistaFibroscopia  para o anestesista
Fibroscopia para o anestesista
 
Opioid-free anesthesia/ERAS
Opioid-free anesthesia/ERASOpioid-free anesthesia/ERAS
Opioid-free anesthesia/ERAS
 
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of PainNeuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
Neuroanatomia da Dor/ Neuroanatomy of Pain
 
Is the prone position indicated in critically ill patients with SARS-CoV- 2 d...
Is the prone position indicated in critically ill patients with SARS-CoV- 2 d...Is the prone position indicated in critically ill patients with SARS-CoV- 2 d...
Is the prone position indicated in critically ill patients with SARS-CoV- 2 d...
 
Peri-operative fluid management during neurosurgical procedures
Peri-operative fluid management during neurosurgical proceduresPeri-operative fluid management during neurosurgical procedures
Peri-operative fluid management during neurosurgical procedures
 
Infografico ketamina
Infografico ketamina Infografico ketamina
Infografico ketamina
 
Point of Care Pulmonar
 Point of Care Pulmonar Point of Care Pulmonar
Point of Care Pulmonar
 
FATE-Basic Cardiac Ultrasound I
FATE-Basic Cardiac Ultrasound IFATE-Basic Cardiac Ultrasound I
FATE-Basic Cardiac Ultrasound I
 
Curso de vias aéreas fármacos
  Curso de vias aéreas    fármacos  Curso de vias aéreas    fármacos
Curso de vias aéreas fármacos
 
Farmacologia dos opiaceos
  Farmacologia dos opiaceos   Farmacologia dos opiaceos
Farmacologia dos opiaceos
 
Cuidados paliativos e dor
 Cuidados paliativos e dor   Cuidados paliativos e dor
Cuidados paliativos e dor
 

Protocolo FAST POCUS

  • 1. Focused Assessment with Sonography for Trauma (avaliação focada com ecografia para trauma) Carlos Darcy Alves Bersot Título Superior em Anestesiologia-SBA Responsável pelo Centro de Ensino e Treinamento H.F Lagoa, RJ Médico Anestesiologista do Hospital Federal da Lagoa-SUS Professor de Ciências da Dor da Faculdade de Medicina-UNIFAA Anestesiologista do HUPE/UERJ Membro do CREMERJ
  • 2. HISTÓRIA FAST FAST foi realizado pela primeira vez começou na Alemanha e Japão. Atualmente FAST protocolo usado em todo o mundo. FAST (Focused Assessment with Sonography for Trauma) foi descrito por Rozicky (cirurgião alemão) 20 anos atrás, e descreve quatro janelas ecográficas para a detecção de líquido livre abdominal e hemopericárdio. Em 2004, este protocolo foi ampliado para e-FAST (estendido FAST), com avaliação de hemotórax e pneumotórax. Atualmente protocolo FAST incluindo no ATLS curso (como parte de uma avaliação primária do Suporte Avançado à Vida no Trauma)
  • 3. FAST FAST exame permite rapidamente detectar líquido livre abdominal, pleural e pericárdico, e também o diagnóstico de pneumotórax em paciente com trauma.
  • 4.
  • 5.
  • 6. Por que FAST ? USG tem boa sensibilidade (60-100%) e alta especificidade (90-100%) na detecção de líquido livre na cavidade abdominal, indica lesão intra-abdominal com hemorragia.
  • 7. Vantagens • Método muito rápido (realizado durante 3 minutos) e muito fácil • Utilização da ecografia à cabeceira do doente no serviço de urgência • Não invasivo • Portátil • Prontamente disponível (especialmente nos hospitais municipais, em lugares remotos, pode ser usado no difícil acesso lugares) • Ausência de radiação • Boa acurácia • Baixo custo FAST
  • 8. Posições da sonda no FAST (4-8) janelas ecográficas) Janela no quadrante superior direito Janela no quadrante superior esquerdo Janela suprapúbica Janela subxifóide Janela torácica (bilateral)
  • 9. FAST pode ser realizado em paciente instável (em pacientes críticos)
  • 10. Por que FAST ? Ecografia tem baixa sensibilidade (40%) na deteсção de rupturas dos órgãos parenquimais. TC com contraste tem alta sensibilidade (95%) e usado para diagnóstico definitivo. USG Baço com aparência normal TC Ruptura de baço, grau 3
  • 11. Limitações • Exame operador dependente • Não pode identificar lesão específica (por exemplo, hematoma subcapsular, sem líquido livre abdominal) • Não permite detectar lesão retroperitoneal FAST
  • 12. É importante lembrar que FAST negativo (ausência de líquido livre abdominal) não exclui lesão visceral Ecografia tem boa, mas não tão alta sensibilidade (60-100%) na detecção de líquido livre abdominal – depende de volume de líquido detectável e a duração de tempo após trauma (porque pode ser hemorragia mais tarde, devagar ou ruptura de hematoma subcapsular)
  • 14. Quem pode fazer FAST ? Ainda que a USG seja tradicionalmente utilizado por radiologistas ou ecografistas, há muitas publicações positivas em relação à realização de ecografia por não especialistas em radiologia(cirurgião,emergencista, intensivista). Por que FAST para não radiologistas: FAST exame deve ser realizado o mais rapidamente possível, mas muitas vezes impossível implementação de ecografia 24 horas por dia. Também FAST exame é muito rápido e muito fácil na realização e interpretação de resultado. Mas preciso adequado treino para não radiologistas. Para excluir erros é necessário a realização de 30 exames FAST sob supervisão de um mentor.
  • 15. Atualmente a ecografia integrada no plano de formação dos médicos de urgência. A experiência com a ecografia agora é parte obrigatória do treinamento residência cirúrgica. Programa de treino FAST
  • 16. Técnica do exame FAST QUADRANTE SUPERIOR DIREITO Detecção de líquido livre no espaço de Morrison e no espaço pleural direito. Localização da sonda em posição longitudinal na linha axilar média ou anterior na região intercostal, entre o 11º e 12º espaços intercostais.
  • 17. Espaço pleural direito normal Hemotórax direito (líquido acima de diafragma)
  • 18. QUADRANTE SUPERIOR ESQUERDO Detecção de líquido livre no espaço periesplênico, espleno-renal e no espaço pleural esquerdo. Localização da sonda em posição longitudinal na linha axilar posterior na região intercostal, entre o 8º e 11º espaços intercostais.
  • 19. Devemos ver: baço, rim esquerdo, espaço periesplênico e espleno-renal, diafragma, espaço pleural esquerdo. baço rim r
  • 20. Presença de líquido no espaço periesplênico e espleno-renal (FAST positivo) Ausência de líquido no espaço periesplênico e espleno-renal (FAST negativo)
  • 21. Espaço pleural esquerdo normal Hemotórax direito (líquido acima de diafragma) Detecção de liquido na cavidade pleural esquerda
  • 22. Janela subxifóide janela pericárdica (corte subxifoide 4 câmaras cardíacas) Sonda em posição transversal, abaixo do apêndice xifóide a nível epigástrico com feixe de ultrassons no plano coronal, dirigido ao ombro esquerdo.
  • 23. Visualizamos o coração (quatro cavidades) O objetivo é excluir líquido no saco pericárdico (zona anecóica pericárdica) Presença de líquido anecóico pericárdica (seta), compatível com hemopericárdio.
  • 25. Procurar líquido livre na pelve Presença de líquido livre posterior (fora) à bexiga (FAST positivo)
  • 26. Janela torácica anterior para procurar pneumotórax A ecografiaé muito efetiva em excluir ou detectar rapidamente pneumotórax.
  • 27. A ecografia tem alta sensibilidade (95 %) e tem alta especificidade (100%) no diagnóstico de pneumotórax e comparativamente à TAC do tórax ! Radiografia do tórax em posição supina tem uma baixa sensibilidade. Para excluir o pneumotórax, a ecografia tem uma sensibilidade e valor preditivo negativo de 100 %. Ecografia permite excluir pneumotorax durante 5 sec (à cabeceira do doente)
  • 28. Técnica de detecção de pneumotórax Localizara sonda em posição longitudinal, na linha paraesternal, perpendicular ao espaço intercostal.
  • 29. Detecção de deslizamento pleural (lung sliding) Linha pleural (horizontal e hiperecogénica - seta verde) é localizada diretamente sob as costelas (abaixo delas). Linha pleural constituída pela pleura parietal e pleura visceral. Pleura visceral desliza com os movimentos respiratórios – sinal de deslizamento pleural Em pneumotórax - deslizamento pleural ausente devido a distância de separação por ar entre os folhetos parietal e visceral da pleura.
  • 30. Algoritmo para o diagnóstico ecográfico de Pneumotórax Deslizamento Pleural Ausente Presente Pneumotórax Exclui pneumotórax
  • 31. Atualmente FAST (E-FAST (Extended Focused Assessment with Sonography in Trauma) inclui: • Avaliação do diâmetro da Veia Cava Inferior • Detecção de gás livre na cavidade abdominal (pneumoperitôneo) • Detecção de hemorragia intracranial e deslocação da linha média. • Ecografia ocular para avaliação pressão intracraniana (pela medida do diâmetro de shell de nervo óptico) • Detecção das fraturas ósseas
  • 32. Resumo Atualmente ecografia é parte do exame físico e usada como Estetoscópio Sonográfico. A ecografia urgente realizada de imediato à cabeceira do doente no serviço de urgência permite um diagnóstico mais rápido e salva a vida de paciente em situações críticas.
  • 33. Atualmente há a revolução na ecografia urgente. Ecografia urgente integrada no plano de formação dos médicos de urgência (não especialistas em radiologia, ecografia ou cardiologia), como programa obrigatório e usado como rotina em todo o mundo. Ecografia urgente com protocolos (FAST, BLUE, RUSH, FATE, FOCUS e outros) usada para pacientes críticos permite rápidamente detectar causas dos estados críticos. Tempo de diagostico é muito importante!