SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA
Curso de Educação e Formação de Adultos NS
Trabalho Individual
Área / UFCD Cidadania e
Profissionalidade – CP 1
Página
1 de 8
Formador António Afonso
Tema Compromisso
Cidadão/Estado - Liberdade
e Responsabilidade Pessoal
Realizado por João Cruz
Data 27-09-2010
Compromisso Cidadão/Estado
Tema – Liberdade e Responsabilidade Pessoal
OBJECTIVO: Reconhecer as responsabilidades inerentes à Liberdade
pessoal em democracia
A palavra “cidadão” começou por significar “ habitante de uma cidade”.
Mas depois, com o tempo, adquiriu um significado mais rico. É cidadão quem pertence
a um país onde há leis que protegem as pessoas e onde as pessoas, além dos direitos, têm
direitos a cumprir, ou seja, quem pertence a um país politicamente organizado.
Actividade 1:
Assinale com uma cruz o que faz um bom cidadão:
xRespeita as regras de trânsito.
□ Despeja o lixo fora dos caixotes.
x Paga os impostos.
x Vai sempre votar quando há eleições.
x Reclama quando assiste a actos que prejudicam a comunidade.
x Manifesta-se contra injustiças.
x Vive a sua vida sem incomodar os outros.
□ Vive a sua vida sem nunca ajudar ninguém
x Protege os animais
Actividade 2:
Justifique cada uma das respostas assinaladas.
ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA
Curso de Educação e Formação de Adultos NS
Trabalho Individual
Área / UFCD Cidadania e
Profissionalidade – CP 1
Página
2 de 8
Formador António Afonso
Tema Compromisso
Cidadão/Estado - Liberdade
e Responsabilidade Pessoal
Realizado por João Cruz
Data 27-09-2010
O respeito pelas regras de trânsito é fundamental para preservar as nossas vidas e as de
outrem, bem como para evitar todo e qualquer tipo de acidentes.
Pagar os impostos é uma obrigação que todo o cidadão tem, pois só desta forma pode fazer
valer os seus direitos e usufruir de todos os bens que a sociedade põe ao seu dispor.
As eleições são uma vitória da democracia e um símbolo de um país livre, desta forma um
cidadão que se preze tem o direito e o dever de nelas participar, para assim e desta forma
civilizada se poder manifestar em relação às políticas que são seguidas no seu país.
O facto de se reclamar quando se assiste a actos que prejudicam a comunidade tem todo o
sentido de ser, pois é uma forma de proteger todos os bens comuns à sociedade.
O cidadão ao manifestar-se contra as injustiças está a ter um comportamento deveras
aceitável, já que todos nós temos o direito de viver num mundo livre e justo.
Viver a vida sem incomodar os outros é uma forma de ser e estar muito importante, pois desta
maneira temos todo o direito de exigir que igualmente nos respeitem e não nos incomodem.
Em suma respeitar para ser respeitado.
Os animais também têm os seus direitos, como tal um cidadão que se preze deve proteger e
fazer proteger os direitos dos animais.
Actividade 3:
Dê exemplos de atitudes correctas de um bom cidadão.
▪ Na escola – Na escola um bom cidadão deve respeitar todos os colegas, professores e
respectivos funcionários, deve estar com atenção e ser participativo nas aulas e deve ainda
zelar por todo o tipo de instalações e equipamentos.
▪ Na floresta – Na floresta deve proteger a fauna e flora, evitar fazer lume e dar o alarme
sempre que se depare com situações anómalas que de alguma forma possam prejudicar a
floresta (ex. fogos, abate ilegal de árvores, caça indevida ou de espécies protegidas).
ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA
Curso de Educação e Formação de Adultos NS
Trabalho Individual
Área / UFCD Cidadania e
Profissionalidade – CP 1
Página
3 de 8
Formador António Afonso
Tema Compromisso
Cidadão/Estado - Liberdade
e Responsabilidade Pessoal
Realizado por João Cruz
Data 27-09-2010
▪ Na praia – Na praia todo o cidadão deve ter um comportamento condizente com a situação
em causa, desta maneira não deve ter atitudes que se possam considerar obscenas ou que
possam ferir susceptibilidades de outros banhistas, deve igualmente ter em atenção e
respeitar as instruções dos nadadores salvadores bem como ter um certo cuidado quanto à
pratica de certos desportos, nomeadamente o futebol.
▪ Na cidade – Se for automobilista deve cumprir as regras de trânsito, e ter atenção aos peões.
Caso seja um transeunte deve ter todos os cuidados daí inerentes.
Deve igualmente fazer uso e estimar todos os equipamentos existentes.
▪ No cinema – Um espectador de cinema deve-se manter em silêncio e não fazer comentários
despropositados que possam incomodar os demais espectadores.
▪ No restaurante – Quando um indivíduo que se preze vai a um restaurante deve ter sempre
um comportamento civilizado, pois só desta forma pode transmitir aos outros que é uma
pessoa educada e com princípios.
▪ Na Feira do Montado – Todas as pessoas que se desloquem às diversas feiras que existem
pelo país devem ter um comportamento exemplar, ou seja devem comprar, vender ou
negociar tudo aquilo que pretenderem e estiverem habilitados para o fazer, devem divertir-se
o que tiverem a divertir e não ter comportamentos de briga ou anti – sociais.
▪ Na sala de aula – Tal como na escola e na vida em geral, o aluno deve ter um
comportamento socialmente aceitável. Na sala de aula ainda se torna mais evidente o bom
comportamento e boas maneiras pois esta é uma parte de uma instituição de cariz educativo e
formativo e onde por norma existe um professor que têm de ser respeitados em toda a
plenitude.
▪ No campo de jogos – Sendo certo que os campos de jogos são recintos onde a adrenalina se
encontra ao rubro e por vezes o clubismo impera, verdade é também que aqui os cidadãos
devem ter um bom auto controlo.
Este será um excelente princípio para não entrarem em conflito, quer com os adeptos da
equipa adversária quer com os agentes da autoridade.
ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA
Curso de Educação e Formação de Adultos NS
Trabalho Individual
Área / UFCD Cidadania e
Profissionalidade – CP 1
Página
4 de 8
Formador António Afonso
Tema Compromisso
Cidadão/Estado - Liberdade
e Responsabilidade Pessoal
Realizado por João Cruz
Data 27-09-2010
Todas as pessoas procuram satisfazer os seus interesses pessoais como, por
exemplo, ter uma casa agradável, viver numa zona onde haja facilidade de transportes,
escolas e centros de saúde, variedade de lojas. De uma maneira geral sempre que
possível, procuram instalar-se numa zona limpa, arejada, bonita.
Acontece que as pessoas vivem em grupos mais amplos que a própria família.
Vivem num bairro, que pertence a uma aldeia, vila ou cidade. Até mesmo nas casas de
quinta que se erguem em pleno campo, os habitantes, mesmo longe dos vizinhos,
pertencem a uma comunidade. Se houver crianças nessas casas têm que ir à escola
mais próxima, os pais e avós precisam de fazer compras em algum lugar, se alguém
adoecer recorre a um centro de saúde, a um consultório ou a um hospital.
Às vezes, um interesse individual ou provado entra em choque com o bem
comum. Por exemplo: quando é indispensável construir uma estrada pode ter que se
ocupar parte do terreiro de uma quinta. Quando se constrói uma barragem que vai
fornecer água e energia eléctrica para a comunidade, geralmente têm que se sacrificar
aldeias, pois as casas ficam submersas. Até podem surgir conflitos entre o bem comum
de uma comunidade e o bem comum de outra comunidade. É o que acontece, por
exemplo, quando se pretende queimar lixos tóxicos. Toda a gente reconhece que o lixo
tóxico é um perigo para a saúde pública e deve ser queimado, mas ninguém quer que a
queima se faça na sua terra porque ali polui o ambiente.
Actividade 3
Diga o que entende por Bem comum. Dê exemplos que conheça.
R: Bens comuns são todos aqueles que podem ser usufruídos por toda a sociedade em
geral.
São exemplos de bens comuns: as estradas, auto-estradas, pontes, hospitais, escolas,
redes de transportes públicos, de distribuição de água, electricidade ou gás, bem como
todos os edifícios públicos em geral.
Explique o que entende por Bem Privado. Dê exemplos que conheça.
R: Bens privados são aqueles que de uma forma ou de outra são pertença de
indivíduos ou sociedades particulares.
ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA
Curso de Educação e Formação de Adultos NS
Trabalho Individual
Área / UFCD Cidadania e
Profissionalidade – CP 1
Página
5 de 8
Formador António Afonso
Tema Compromisso
Cidadão/Estado - Liberdade
e Responsabilidade Pessoal
Realizado por João Cruz
Data 27-09-2010
São exemplos de bens privados: as empresas, habitações, terrenos, carros etc. desde
que sejam pertença de particulares.
Actividade 4
Assinale na lista seguinte o que considera Bem ou Interesse Privado e Bem ou
Interesse Comum.
Bem Privado Bem Comum
Construir Pontes X
Restaurar um Monumento
Construir mais um piso na casa da família A X
Inaugurar um Posto de Correio X
Abrir uma Biblioteca Municipal X
Cavar um poço numa quinta X
Montar uma rede de distribuição de água numa
aldeia
X
Actividade 5
Há certo tipo de situações em que não é evidente a distinção entre o Bem Comum e o
Bem Privado.
- Reflicta sobre os casos seguintes e debata em grupo as conclusões que tirou sobre
vantagens e desvantagens para os indivíduos e para a comunidade.
1. Abrir um restaurante numa zona muito sossegada e onde não há
outros restaurantes.
Esta situação pode ser analisada através de vários pontos de vista.
ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA
Curso de Educação e Formação de Adultos NS
Trabalho Individual
Área / UFCD Cidadania e
Profissionalidade – CP 1
Página
6 de 8
Formador António Afonso
Tema Compromisso
Cidadão/Estado - Liberdade
e Responsabilidade Pessoal
Realizado por João Cruz
Data 27-09-2010
Do ponto de vista do habitante pode trazer benefícios mas também
consequências pois passa a ter uma melhor e mais próxima oferta em
restauração mas da mesma forma também poderá passar a ter um
pouco menos de sossego em virtude da afluência de clientes ao mesmo.
Do ponto de vista do empresário em principio serão só vantagens pois
terá pouca concorrência no negócio e assim ter sucesso com o
investimento que está a fazer.
2. Abrir um Hipermercado num bairro onde há muitas lojas de comércio
tradicional.
Esta situação parece-me um pouco abstracta, de qualquer maneira a
acontecer poderia ser benéfica para o consumidor pois este teria uma
maior oferta e assim optar por aquilo que mais deseja-se, no lado
oposto seria mais uma preocupação para quem faz vida no comércio
tradicional pois como se compreende estes têm grandes dificuldades
em concorrer com as grandes superfícies.
3. Construir uma piscina municipal numa freguesia onde há pouca água.
Quanto a mim seria mais um paradoxo, o bom senso recomendaria que
se economiza-se a água e não houve-se tamanho desperdício, de
qualquer maneira a existência da tal piscina também traria alguma
qualidade de vida às populações em causa mas em minha opinião seria
preferível canalizar esta para necessidades mais básicas e importantes.
4. Proibir as pessoas que tenham casas em centros históricos de
alterarem as fachadas e os telhados.
Estou completamente de acordo com esta afirmação pois há
necessidade de preservar aquilo que existe e nos foi deixado pelos
nossos antepassados, faz parte da nossa cultura e não nos podemos
desfazer disso por meros caprichos ou vontades individuais, da mesma
maneira que na maior parte das vezes estas alterações também
interferem em interesses de terceiros.
ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA
Curso de Educação e Formação de Adultos NS
Trabalho Individual
Área / UFCD Cidadania e
Profissionalidade – CP 1
Página
7 de 8
Formador António Afonso
Tema Compromisso
Cidadão/Estado - Liberdade
e Responsabilidade Pessoal
Realizado por João Cruz
Data 27-09-2010
5. Proibir as pessoas que têm quintas de construir aldeamentos turísticos
sem autorização.
Aqui também estou de acordo, as leis existem e são para ser cumpridas
como tal há que seguir os planos directores municipais que estão
previamente autorizados e oficializados por quem de direito. Os
aldeamentos podem e devem existir mas devidamente enquadrados nas
respectivas realidades municipais.
6. Abater árvores centenárias para construir esgotos municipais.
Na minha opinião, esta é uma situação inadmissível. O saneamento
básico é de primordial importância numa sociedade que se diz evoluída
e desenvolvida mas não justifica o abate de árvores centenárias. Com
bons estudos ambientais e ligeiros desvios de traçados esta é uma
situação que pode muito bem ser remediada.
No final do debate acerca de cada situação registe as conclusões da turma. São
admissíveis várias opiniões.
- Comente a seguinte afirmação, “a minha liberdade acaba quando começa a
liberdade do outro”.
Na minha opinião aquilo que se pode deduzir desta afirmação é que os direitos e
deveres são comuns a todos os cidadãos.
Como tal é necessário que todos nós nos respeitemos mutuamente, pois só com esta
reciprocidade e respeito pelas leis que nos regem podemos usufruir da nossa liberdade e
permitir que com os outros também assim aconteça.
ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA
Curso de Educação e Formação de Adultos NS
Trabalho Individual
Área / UFCD Cidadania e
Profissionalidade – CP 1
Página
8 de 8
Formador António Afonso
Tema Compromisso
Cidadão/Estado - Liberdade
e Responsabilidade Pessoal
Realizado por João Cruz
Data 27-09-2010
- Reflicta sobre situações em que a sua liberdade colida com a liberdade dos
outros.
A minha liberdade poderá colidir com a de outrem, sempre que eu ou o outro
desrespeite as leis, normas e compromissos em vigor.
- De que forma se demonstra a sua responsabilidade civil.
A minha responsabilidade civil pode ser demonstrada através da forma como cumpro
com os compromissos assumidos, na forma ordeira como dirijo a minha vida, no
comportamento que tenho enquanto e quando conduzo um automóvel, na participação
em actos eleitorais e até quando participo na recolha e depósito de materiais passíveis de
serem reciclados.
- Identifique situações em que cooperou, na e em prol, a sua comunidade.
Já por diversas vezes chamei à atenção jovens que de uma forma ou de outra se
propunham a ter atitudes e comportamentos que poderiam prejudicar património e bens
públicos ou particulares.
- A reciclagem tem uma vertente individual e uma vertente colectiva?
Ambas, pois é um acto individual que beneficia o colectivo.
Penso que sim, num ambiente familiar por exemplo, onde existem várias pessoas não
faria sentido que uns patrocinassem a reciclagem enquanto outros o não fizessem.
Da mesma maneira também numa escala mais alargada se pode dar o exemplo
individualmente e o mesmo ser seguido pelos demais.
É necessário no entanto que se continue a sensibilizar a população e a dar-lhe meios no
sentido de que é muito importante a reciclagem e tudo o que a ela está associado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reflexão da dr4 do clc 5
Reflexão da dr4 do clc 5Reflexão da dr4 do clc 5
Reflexão da dr4 do clc 5joaokota
 
complexidade e mudança - dr2
complexidade e mudança - dr2complexidade e mudança - dr2
complexidade e mudança - dr2cattonia
 
Ruralidade e urbanismo
Ruralidade e urbanismoRuralidade e urbanismo
Ruralidade e urbanismoMarina
 
Direitos e deveres laborais
Direitos e deveres laboraisDireitos e deveres laborais
Direitos e deveres laboraiscattonia
 
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]SILVIA G. FERNANDES
 
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_epptClc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_epptSILVIA G. FERNANDES
 
Direitos E Deveres
Direitos E DeveresDireitos E Deveres
Direitos E Deverespaulanapalma
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2I.Braz Slideshares
 
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandesClc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandesSILVIA G. FERNANDES
 
Reflexao Dr2 CP CFE
Reflexao Dr2 CP CFEReflexao Dr2 CP CFE
Reflexao Dr2 CP CFEmega
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 4 - Organização do Estado Democrá tico Português.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 4 - Organização do Estado Democrá tico Português.pdfCP 1 Fich. Trab. n.º 4 - Organização do Estado Democrá tico Português.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 4 - Organização do Estado Democrá tico Português.pdfarodatos81
 

Mais procurados (20)

Reflexão da dr4 do clc 5
Reflexão da dr4 do clc 5Reflexão da dr4 do clc 5
Reflexão da dr4 do clc 5
 
complexidade e mudança - dr2
complexidade e mudança - dr2complexidade e mudança - dr2
complexidade e mudança - dr2
 
Reflexão - CLC7
Reflexão - CLC7 Reflexão - CLC7
Reflexão - CLC7
 
Ruralidade e urbanismo
Ruralidade e urbanismoRuralidade e urbanismo
Ruralidade e urbanismo
 
Reflexão - CP4
Reflexão - CP4Reflexão - CP4
Reflexão - CP4
 
Reflexão STC 7
Reflexão STC 7Reflexão STC 7
Reflexão STC 7
 
Direitos e deveres laborais
Direitos e deveres laboraisDireitos e deveres laborais
Direitos e deveres laborais
 
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
Cp 5 ética_deontologia_reflexão_sílvia_f[1]
 
CP5
CP5CP5
CP5
 
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_epptClc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
 
CLC 5
CLC 5CLC 5
CLC 5
 
Direitos E Deveres
Direitos E DeveresDireitos E Deveres
Direitos E Deveres
 
STC7
STC7STC7
STC7
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandesClc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
 
CLC 6
CLC 6CLC 6
CLC 6
 
Fluxos Migratorios Clc 6
Fluxos Migratorios Clc 6Fluxos Migratorios Clc 6
Fluxos Migratorios Clc 6
 
Reflexao Dr2 CP CFE
Reflexao Dr2 CP CFEReflexao Dr2 CP CFE
Reflexao Dr2 CP CFE
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 4 - Organização do Estado Democrá tico Português.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 4 - Organização do Estado Democrá tico Português.pdfCP 1 Fich. Trab. n.º 4 - Organização do Estado Democrá tico Português.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 4 - Organização do Estado Democrá tico Português.pdf
 

Semelhante a CP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdf

EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1
EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1
EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1wab030
 
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2CETUR
 
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º AE.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º AEduardo Perez
 
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
5º ano edu. para a cidadania ativ. complGiselda Rodrigues
 
Direitos humanos cartilha
Direitos humanos cartilhaDireitos humanos cartilha
Direitos humanos cartilhaLucimar Avelino
 
Tcc a valorização da vida através da educação para o trânsito 2011
Tcc a valorização da vida através da educação para o trânsito 2011Tcc a valorização da vida através da educação para o trânsito 2011
Tcc a valorização da vida através da educação para o trânsito 2011Dutra Santos
 
I mostra do spe nas escolas 1
I mostra do spe nas escolas 1I mostra do spe nas escolas 1
I mostra do spe nas escolas 1Solange Cartaxo
 
I mostra do spe nas escolas 1
I mostra do spe nas escolas 1I mostra do spe nas escolas 1
I mostra do spe nas escolas 1Solange Cartaxo
 
Planificação Cidad. e Desenvolv. 1º ano.docx.pdf
Planificação Cidad. e Desenvolv. 1º ano.docx.pdfPlanificação Cidad. e Desenvolv. 1º ano.docx.pdf
Planificação Cidad. e Desenvolv. 1º ano.docx.pdfMarianaBonecaSantos
 
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º AE.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º AEduardo Perez
 
escola e responsabilidade social.pdf
escola e responsabilidade social.pdfescola e responsabilidade social.pdf
escola e responsabilidade social.pdfGihOliveira4
 
40 contribuições pessoais - ONG AGUA É VIDA
40 contribuições pessoais - ONG AGUA É VIDA40 contribuições pessoais - ONG AGUA É VIDA
40 contribuições pessoais - ONG AGUA É VIDALuiz Alberto Palomares
 
Projeto direitos humanos: construindo valores positivos no ambiente escolar
Projeto direitos humanos: construindo valores positivos no ambiente escolarProjeto direitos humanos: construindo valores positivos no ambiente escolar
Projeto direitos humanos: construindo valores positivos no ambiente escolarSeduc MT
 

Semelhante a CP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdf (20)

Historia cidadania
Historia   cidadaniaHistoria   cidadania
Historia cidadania
 
Sequencia didática 1
Sequencia didática 1Sequencia didática 1
Sequencia didática 1
 
EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1
EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1
EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1
 
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
 
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º AE.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
 
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
 
Direitos humanos cartilha
Direitos humanos cartilhaDireitos humanos cartilha
Direitos humanos cartilha
 
Tcc a valorização da vida através da educação para o trânsito 2011
Tcc a valorização da vida através da educação para o trânsito 2011Tcc a valorização da vida através da educação para o trânsito 2011
Tcc a valorização da vida através da educação para o trânsito 2011
 
I mostra do spe nas escolas 1
I mostra do spe nas escolas 1I mostra do spe nas escolas 1
I mostra do spe nas escolas 1
 
I mostra do spe nas escolas 1
I mostra do spe nas escolas 1I mostra do spe nas escolas 1
I mostra do spe nas escolas 1
 
Planificação Cidad. e Desenvolv. 1º ano.docx.pdf
Planificação Cidad. e Desenvolv. 1º ano.docx.pdfPlanificação Cidad. e Desenvolv. 1º ano.docx.pdf
Planificação Cidad. e Desenvolv. 1º ano.docx.pdf
 
Slide do projeto
Slide do projetoSlide do projeto
Slide do projeto
 
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º AE.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
E.E. Eduardo Perez - Projeto Conecta 9º A
 
escola e responsabilidade social.pdf
escola e responsabilidade social.pdfescola e responsabilidade social.pdf
escola e responsabilidade social.pdf
 
Direitos E Deveres
Direitos E DeveresDireitos E Deveres
Direitos E Deveres
 
40 contribuições pessoais - ONG AGUA É VIDA
40 contribuições pessoais - ONG AGUA É VIDA40 contribuições pessoais - ONG AGUA É VIDA
40 contribuições pessoais - ONG AGUA É VIDA
 
Cp 2 Ra1
Cp 2 Ra1Cp 2 Ra1
Cp 2 Ra1
 
Trânsito 4º ano 2014
Trânsito 4º ano 2014Trânsito 4º ano 2014
Trânsito 4º ano 2014
 
Projeto direitos humanos: construindo valores positivos no ambiente escolar
Projeto direitos humanos: construindo valores positivos no ambiente escolarProjeto direitos humanos: construindo valores positivos no ambiente escolar
Projeto direitos humanos: construindo valores positivos no ambiente escolar
 
Cidadania sustentável
Cidadania sustentávelCidadania sustentável
Cidadania sustentável
 

Mais de arodatos81

CD_C_3_ANEXO.pdf
CD_C_3_ANEXO.pdfCD_C_3_ANEXO.pdf
CD_C_3_ANEXO.pdfarodatos81
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 5 - Direitos Fundamentais do Homem - A Declaração Univer...
CP 1 Fich. Trab. n.º 5 - Direitos Fundamentais do Homem - A Declaração Univer...CP 1 Fich. Trab. n.º 5 - Direitos Fundamentais do Homem - A Declaração Univer...
CP 1 Fich. Trab. n.º 5 - Direitos Fundamentais do Homem - A Declaração Univer...arodatos81
 
CP 1 Fich. Trab n.º 3 - Liberdades e Responsabilidades Democráticas.pdf
CP 1 Fich. Trab n.º  3 - Liberdades e Responsabilidades Democráticas.pdfCP 1 Fich. Trab n.º  3 - Liberdades e Responsabilidades Democráticas.pdf
CP 1 Fich. Trab n.º 3 - Liberdades e Responsabilidades Democráticas.pdfarodatos81
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 6 - O papel da Sociedade Civil na Democracia.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 6 - O papel da Sociedade Civil na Democracia.pdfCP 1 Fich. Trab. n.º 6 - O papel da Sociedade Civil na Democracia.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 6 - O papel da Sociedade Civil na Democracia.pdfarodatos81
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 2 - O Código do Trabalho.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 2 - O Código do Trabalho.pdfCP 1 Fich. Trab. n.º 2 - O Código do Trabalho.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 2 - O Código do Trabalho.pdfarodatos81
 
Ficha 04 sinalizacao-2
Ficha 04 sinalizacao-2Ficha 04 sinalizacao-2
Ficha 04 sinalizacao-2arodatos81
 
Ficha 02-osjovenseosacidentestrab 2
Ficha 02-osjovenseosacidentestrab 2Ficha 02-osjovenseosacidentestrab 2
Ficha 02-osjovenseosacidentestrab 2arodatos81
 
Ficha 01-osacidentestrabalhoemnumeros
Ficha 01-osacidentestrabalhoemnumerosFicha 01-osacidentestrabalhoemnumeros
Ficha 01-osacidentestrabalhoemnumerosarodatos81
 
Ficha 007 prevencao-de-riscos-profissionais
Ficha 007 prevencao-de-riscos-profissionaisFicha 007 prevencao-de-riscos-profissionais
Ficha 007 prevencao-de-riscos-profissionaisarodatos81
 
Ficha 006 ergonomiaambientedetrabalho
Ficha 006 ergonomiaambientedetrabalhoFicha 006 ergonomiaambientedetrabalho
Ficha 006 ergonomiaambientedetrabalhoarodatos81
 
17170023 ficha-004-a higien-pessoaleaprevencaoacidentes
17170023 ficha-004-a higien-pessoaleaprevencaoacidentes17170023 ficha-004-a higien-pessoaleaprevencaoacidentes
17170023 ficha-004-a higien-pessoaleaprevencaoacidentesarodatos81
 
Ficha tecnica nº_25__plantas_de_emergencia
Ficha tecnica nº_25__plantas_de_emergenciaFicha tecnica nº_25__plantas_de_emergencia
Ficha tecnica nº_25__plantas_de_emergenciaarodatos81
 

Mais de arodatos81 (13)

CD_C_3_ANEXO.pdf
CD_C_3_ANEXO.pdfCD_C_3_ANEXO.pdf
CD_C_3_ANEXO.pdf
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 5 - Direitos Fundamentais do Homem - A Declaração Univer...
CP 1 Fich. Trab. n.º 5 - Direitos Fundamentais do Homem - A Declaração Univer...CP 1 Fich. Trab. n.º 5 - Direitos Fundamentais do Homem - A Declaração Univer...
CP 1 Fich. Trab. n.º 5 - Direitos Fundamentais do Homem - A Declaração Univer...
 
CP 1 Fich. Trab n.º 3 - Liberdades e Responsabilidades Democráticas.pdf
CP 1 Fich. Trab n.º  3 - Liberdades e Responsabilidades Democráticas.pdfCP 1 Fich. Trab n.º  3 - Liberdades e Responsabilidades Democráticas.pdf
CP 1 Fich. Trab n.º 3 - Liberdades e Responsabilidades Democráticas.pdf
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 6 - O papel da Sociedade Civil na Democracia.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 6 - O papel da Sociedade Civil na Democracia.pdfCP 1 Fich. Trab. n.º 6 - O papel da Sociedade Civil na Democracia.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 6 - O papel da Sociedade Civil na Democracia.pdf
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 2 - O Código do Trabalho.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 2 - O Código do Trabalho.pdfCP 1 Fich. Trab. n.º 2 - O Código do Trabalho.pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 2 - O Código do Trabalho.pdf
 
Ficha 04 sinalizacao-2
Ficha 04 sinalizacao-2Ficha 04 sinalizacao-2
Ficha 04 sinalizacao-2
 
Ficha 02-osjovenseosacidentestrab 2
Ficha 02-osjovenseosacidentestrab 2Ficha 02-osjovenseosacidentestrab 2
Ficha 02-osjovenseosacidentestrab 2
 
Ficha 01-osacidentestrabalhoemnumeros
Ficha 01-osacidentestrabalhoemnumerosFicha 01-osacidentestrabalhoemnumeros
Ficha 01-osacidentestrabalhoemnumeros
 
Ficha 007 prevencao-de-riscos-profissionais
Ficha 007 prevencao-de-riscos-profissionaisFicha 007 prevencao-de-riscos-profissionais
Ficha 007 prevencao-de-riscos-profissionais
 
Ficha 006 ergonomiaambientedetrabalho
Ficha 006 ergonomiaambientedetrabalhoFicha 006 ergonomiaambientedetrabalho
Ficha 006 ergonomiaambientedetrabalho
 
29186
2918629186
29186
 
17170023 ficha-004-a higien-pessoaleaprevencaoacidentes
17170023 ficha-004-a higien-pessoaleaprevencaoacidentes17170023 ficha-004-a higien-pessoaleaprevencaoacidentes
17170023 ficha-004-a higien-pessoaleaprevencaoacidentes
 
Ficha tecnica nº_25__plantas_de_emergencia
Ficha tecnica nº_25__plantas_de_emergenciaFicha tecnica nº_25__plantas_de_emergencia
Ficha tecnica nº_25__plantas_de_emergencia
 

Último

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 

Último (20)

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 

CP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdf

  • 1. ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Cidadania e Profissionalidade – CP 1 Página 1 de 8 Formador António Afonso Tema Compromisso Cidadão/Estado - Liberdade e Responsabilidade Pessoal Realizado por João Cruz Data 27-09-2010 Compromisso Cidadão/Estado Tema – Liberdade e Responsabilidade Pessoal OBJECTIVO: Reconhecer as responsabilidades inerentes à Liberdade pessoal em democracia A palavra “cidadão” começou por significar “ habitante de uma cidade”. Mas depois, com o tempo, adquiriu um significado mais rico. É cidadão quem pertence a um país onde há leis que protegem as pessoas e onde as pessoas, além dos direitos, têm direitos a cumprir, ou seja, quem pertence a um país politicamente organizado. Actividade 1: Assinale com uma cruz o que faz um bom cidadão: xRespeita as regras de trânsito. □ Despeja o lixo fora dos caixotes. x Paga os impostos. x Vai sempre votar quando há eleições. x Reclama quando assiste a actos que prejudicam a comunidade. x Manifesta-se contra injustiças. x Vive a sua vida sem incomodar os outros. □ Vive a sua vida sem nunca ajudar ninguém x Protege os animais Actividade 2: Justifique cada uma das respostas assinaladas.
  • 2. ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Cidadania e Profissionalidade – CP 1 Página 2 de 8 Formador António Afonso Tema Compromisso Cidadão/Estado - Liberdade e Responsabilidade Pessoal Realizado por João Cruz Data 27-09-2010 O respeito pelas regras de trânsito é fundamental para preservar as nossas vidas e as de outrem, bem como para evitar todo e qualquer tipo de acidentes. Pagar os impostos é uma obrigação que todo o cidadão tem, pois só desta forma pode fazer valer os seus direitos e usufruir de todos os bens que a sociedade põe ao seu dispor. As eleições são uma vitória da democracia e um símbolo de um país livre, desta forma um cidadão que se preze tem o direito e o dever de nelas participar, para assim e desta forma civilizada se poder manifestar em relação às políticas que são seguidas no seu país. O facto de se reclamar quando se assiste a actos que prejudicam a comunidade tem todo o sentido de ser, pois é uma forma de proteger todos os bens comuns à sociedade. O cidadão ao manifestar-se contra as injustiças está a ter um comportamento deveras aceitável, já que todos nós temos o direito de viver num mundo livre e justo. Viver a vida sem incomodar os outros é uma forma de ser e estar muito importante, pois desta maneira temos todo o direito de exigir que igualmente nos respeitem e não nos incomodem. Em suma respeitar para ser respeitado. Os animais também têm os seus direitos, como tal um cidadão que se preze deve proteger e fazer proteger os direitos dos animais. Actividade 3: Dê exemplos de atitudes correctas de um bom cidadão. ▪ Na escola – Na escola um bom cidadão deve respeitar todos os colegas, professores e respectivos funcionários, deve estar com atenção e ser participativo nas aulas e deve ainda zelar por todo o tipo de instalações e equipamentos. ▪ Na floresta – Na floresta deve proteger a fauna e flora, evitar fazer lume e dar o alarme sempre que se depare com situações anómalas que de alguma forma possam prejudicar a floresta (ex. fogos, abate ilegal de árvores, caça indevida ou de espécies protegidas).
  • 3. ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Cidadania e Profissionalidade – CP 1 Página 3 de 8 Formador António Afonso Tema Compromisso Cidadão/Estado - Liberdade e Responsabilidade Pessoal Realizado por João Cruz Data 27-09-2010 ▪ Na praia – Na praia todo o cidadão deve ter um comportamento condizente com a situação em causa, desta maneira não deve ter atitudes que se possam considerar obscenas ou que possam ferir susceptibilidades de outros banhistas, deve igualmente ter em atenção e respeitar as instruções dos nadadores salvadores bem como ter um certo cuidado quanto à pratica de certos desportos, nomeadamente o futebol. ▪ Na cidade – Se for automobilista deve cumprir as regras de trânsito, e ter atenção aos peões. Caso seja um transeunte deve ter todos os cuidados daí inerentes. Deve igualmente fazer uso e estimar todos os equipamentos existentes. ▪ No cinema – Um espectador de cinema deve-se manter em silêncio e não fazer comentários despropositados que possam incomodar os demais espectadores. ▪ No restaurante – Quando um indivíduo que se preze vai a um restaurante deve ter sempre um comportamento civilizado, pois só desta forma pode transmitir aos outros que é uma pessoa educada e com princípios. ▪ Na Feira do Montado – Todas as pessoas que se desloquem às diversas feiras que existem pelo país devem ter um comportamento exemplar, ou seja devem comprar, vender ou negociar tudo aquilo que pretenderem e estiverem habilitados para o fazer, devem divertir-se o que tiverem a divertir e não ter comportamentos de briga ou anti – sociais. ▪ Na sala de aula – Tal como na escola e na vida em geral, o aluno deve ter um comportamento socialmente aceitável. Na sala de aula ainda se torna mais evidente o bom comportamento e boas maneiras pois esta é uma parte de uma instituição de cariz educativo e formativo e onde por norma existe um professor que têm de ser respeitados em toda a plenitude. ▪ No campo de jogos – Sendo certo que os campos de jogos são recintos onde a adrenalina se encontra ao rubro e por vezes o clubismo impera, verdade é também que aqui os cidadãos devem ter um bom auto controlo. Este será um excelente princípio para não entrarem em conflito, quer com os adeptos da equipa adversária quer com os agentes da autoridade.
  • 4. ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Cidadania e Profissionalidade – CP 1 Página 4 de 8 Formador António Afonso Tema Compromisso Cidadão/Estado - Liberdade e Responsabilidade Pessoal Realizado por João Cruz Data 27-09-2010 Todas as pessoas procuram satisfazer os seus interesses pessoais como, por exemplo, ter uma casa agradável, viver numa zona onde haja facilidade de transportes, escolas e centros de saúde, variedade de lojas. De uma maneira geral sempre que possível, procuram instalar-se numa zona limpa, arejada, bonita. Acontece que as pessoas vivem em grupos mais amplos que a própria família. Vivem num bairro, que pertence a uma aldeia, vila ou cidade. Até mesmo nas casas de quinta que se erguem em pleno campo, os habitantes, mesmo longe dos vizinhos, pertencem a uma comunidade. Se houver crianças nessas casas têm que ir à escola mais próxima, os pais e avós precisam de fazer compras em algum lugar, se alguém adoecer recorre a um centro de saúde, a um consultório ou a um hospital. Às vezes, um interesse individual ou provado entra em choque com o bem comum. Por exemplo: quando é indispensável construir uma estrada pode ter que se ocupar parte do terreiro de uma quinta. Quando se constrói uma barragem que vai fornecer água e energia eléctrica para a comunidade, geralmente têm que se sacrificar aldeias, pois as casas ficam submersas. Até podem surgir conflitos entre o bem comum de uma comunidade e o bem comum de outra comunidade. É o que acontece, por exemplo, quando se pretende queimar lixos tóxicos. Toda a gente reconhece que o lixo tóxico é um perigo para a saúde pública e deve ser queimado, mas ninguém quer que a queima se faça na sua terra porque ali polui o ambiente. Actividade 3 Diga o que entende por Bem comum. Dê exemplos que conheça. R: Bens comuns são todos aqueles que podem ser usufruídos por toda a sociedade em geral. São exemplos de bens comuns: as estradas, auto-estradas, pontes, hospitais, escolas, redes de transportes públicos, de distribuição de água, electricidade ou gás, bem como todos os edifícios públicos em geral. Explique o que entende por Bem Privado. Dê exemplos que conheça. R: Bens privados são aqueles que de uma forma ou de outra são pertença de indivíduos ou sociedades particulares.
  • 5. ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Cidadania e Profissionalidade – CP 1 Página 5 de 8 Formador António Afonso Tema Compromisso Cidadão/Estado - Liberdade e Responsabilidade Pessoal Realizado por João Cruz Data 27-09-2010 São exemplos de bens privados: as empresas, habitações, terrenos, carros etc. desde que sejam pertença de particulares. Actividade 4 Assinale na lista seguinte o que considera Bem ou Interesse Privado e Bem ou Interesse Comum. Bem Privado Bem Comum Construir Pontes X Restaurar um Monumento Construir mais um piso na casa da família A X Inaugurar um Posto de Correio X Abrir uma Biblioteca Municipal X Cavar um poço numa quinta X Montar uma rede de distribuição de água numa aldeia X Actividade 5 Há certo tipo de situações em que não é evidente a distinção entre o Bem Comum e o Bem Privado. - Reflicta sobre os casos seguintes e debata em grupo as conclusões que tirou sobre vantagens e desvantagens para os indivíduos e para a comunidade. 1. Abrir um restaurante numa zona muito sossegada e onde não há outros restaurantes. Esta situação pode ser analisada através de vários pontos de vista.
  • 6. ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Cidadania e Profissionalidade – CP 1 Página 6 de 8 Formador António Afonso Tema Compromisso Cidadão/Estado - Liberdade e Responsabilidade Pessoal Realizado por João Cruz Data 27-09-2010 Do ponto de vista do habitante pode trazer benefícios mas também consequências pois passa a ter uma melhor e mais próxima oferta em restauração mas da mesma forma também poderá passar a ter um pouco menos de sossego em virtude da afluência de clientes ao mesmo. Do ponto de vista do empresário em principio serão só vantagens pois terá pouca concorrência no negócio e assim ter sucesso com o investimento que está a fazer. 2. Abrir um Hipermercado num bairro onde há muitas lojas de comércio tradicional. Esta situação parece-me um pouco abstracta, de qualquer maneira a acontecer poderia ser benéfica para o consumidor pois este teria uma maior oferta e assim optar por aquilo que mais deseja-se, no lado oposto seria mais uma preocupação para quem faz vida no comércio tradicional pois como se compreende estes têm grandes dificuldades em concorrer com as grandes superfícies. 3. Construir uma piscina municipal numa freguesia onde há pouca água. Quanto a mim seria mais um paradoxo, o bom senso recomendaria que se economiza-se a água e não houve-se tamanho desperdício, de qualquer maneira a existência da tal piscina também traria alguma qualidade de vida às populações em causa mas em minha opinião seria preferível canalizar esta para necessidades mais básicas e importantes. 4. Proibir as pessoas que tenham casas em centros históricos de alterarem as fachadas e os telhados. Estou completamente de acordo com esta afirmação pois há necessidade de preservar aquilo que existe e nos foi deixado pelos nossos antepassados, faz parte da nossa cultura e não nos podemos desfazer disso por meros caprichos ou vontades individuais, da mesma maneira que na maior parte das vezes estas alterações também interferem em interesses de terceiros.
  • 7. ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Cidadania e Profissionalidade – CP 1 Página 7 de 8 Formador António Afonso Tema Compromisso Cidadão/Estado - Liberdade e Responsabilidade Pessoal Realizado por João Cruz Data 27-09-2010 5. Proibir as pessoas que têm quintas de construir aldeamentos turísticos sem autorização. Aqui também estou de acordo, as leis existem e são para ser cumpridas como tal há que seguir os planos directores municipais que estão previamente autorizados e oficializados por quem de direito. Os aldeamentos podem e devem existir mas devidamente enquadrados nas respectivas realidades municipais. 6. Abater árvores centenárias para construir esgotos municipais. Na minha opinião, esta é uma situação inadmissível. O saneamento básico é de primordial importância numa sociedade que se diz evoluída e desenvolvida mas não justifica o abate de árvores centenárias. Com bons estudos ambientais e ligeiros desvios de traçados esta é uma situação que pode muito bem ser remediada. No final do debate acerca de cada situação registe as conclusões da turma. São admissíveis várias opiniões. - Comente a seguinte afirmação, “a minha liberdade acaba quando começa a liberdade do outro”. Na minha opinião aquilo que se pode deduzir desta afirmação é que os direitos e deveres são comuns a todos os cidadãos. Como tal é necessário que todos nós nos respeitemos mutuamente, pois só com esta reciprocidade e respeito pelas leis que nos regem podemos usufruir da nossa liberdade e permitir que com os outros também assim aconteça.
  • 8. ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Cidadania e Profissionalidade – CP 1 Página 8 de 8 Formador António Afonso Tema Compromisso Cidadão/Estado - Liberdade e Responsabilidade Pessoal Realizado por João Cruz Data 27-09-2010 - Reflicta sobre situações em que a sua liberdade colida com a liberdade dos outros. A minha liberdade poderá colidir com a de outrem, sempre que eu ou o outro desrespeite as leis, normas e compromissos em vigor. - De que forma se demonstra a sua responsabilidade civil. A minha responsabilidade civil pode ser demonstrada através da forma como cumpro com os compromissos assumidos, na forma ordeira como dirijo a minha vida, no comportamento que tenho enquanto e quando conduzo um automóvel, na participação em actos eleitorais e até quando participo na recolha e depósito de materiais passíveis de serem reciclados. - Identifique situações em que cooperou, na e em prol, a sua comunidade. Já por diversas vezes chamei à atenção jovens que de uma forma ou de outra se propunham a ter atitudes e comportamentos que poderiam prejudicar património e bens públicos ou particulares. - A reciclagem tem uma vertente individual e uma vertente colectiva? Ambas, pois é um acto individual que beneficia o colectivo. Penso que sim, num ambiente familiar por exemplo, onde existem várias pessoas não faria sentido que uns patrocinassem a reciclagem enquanto outros o não fizessem. Da mesma maneira também numa escala mais alargada se pode dar o exemplo individualmente e o mesmo ser seguido pelos demais. É necessário no entanto que se continue a sensibilizar a população e a dar-lhe meios no sentido de que é muito importante a reciclagem e tudo o que a ela está associado.