Reflexao Dr2 CP CFE

20.059 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Reflexao Dr2 CP CFE

  1. 1. Educação e Formação de Adultos - Nível Secundário Núcleo Gerador: Convicção e Firmeza Ética Área de Competência: Cidadania e Profissionalidade Competência: Adoptar normas deontológicas e profissionais como valores de referência não transaccionáveis em contextos profissionais. Critérios de Evidência: • Identificar deontologia e normas profissionais. • Reconhecer valores de referência em organizações distintas. • Actuar criticamente sobre práticas sociais, articulando responsabilidade pessoal e profissional. Nome: Marco Araújo Data: 11/11/2009 Guia de trabalho Se por Deontologia entendemos o conjunto de deveres exigidos aos profissionais, uma ética de obrigações para consigo próprio, com os outros e com a comunidade, parece evidente que todas as profissões implicam uma ética, pois todas se relacionam directa ou indirectamente com os outros seres humanos. Claro que existem diferenças entre a relação indirecta, actividades que lidam com os objectos, e a relação directa, profissões que trabalham com pessoas, como sejam advogados, psicólogos, professores, médicos ou assistentes sociais. É que nestas actividades, a maior parte das normas profissionais, assumem uma dupla natureza, são técnicas e são éticas. 1. Defina deontologia profissional. Um código deontológico é um conjunto de normas, comportamentos e obrigações que devem pautar a actuação do profissional na sua prática diária. Em todas as profissões, deverá haver um código de ética, que pautará a actuação dos profissionais de forma a defender os interesses da comunidade, salvaguardar o profissional e honrar a profissão. 2. Faça uma reflexão crítica sobre práticas/posturas profissionais onde a falta de deontologia o constrangeu/afectou a nível social ou psíquico. Animadores Sócio culturais Cidadania e Profissionalidade
  2. 2. Cada vez mais assisto com tristeza minha, a condutas impróprias para profissionais, onde os valores morais e institucionais são atropelados. Por exemplo quem nunca passou a frente de outro só para ganhar mais tempo ou puro desenrasque português, mas onde me assusta mais é a falta de ética e de ontologia para com os clientes, os advogados é aérea profissional que mais me impressiona onde se refugiam no seu código deontológico em proveito próprio. A profissão médica é, talvez, aquela em que a deontologia profissional é mais exposta à população em geral, na medida em que todos nós, pelo menos uma vez na vida, já necessitámos de cuidados médicos. O desenvolvimento da ciência médica e das tecnologias de apoio à mesma tem possibilitado prolongar a vida cada vez até mais tarde. Esta realidade levanta um novo problema – com que qualidade de vida se vive esses anos. A eutanásia tem surgido como uma possível solução para terminar com o sofrimento prolongado e sem esperança. Se temos direito à vida, não teremos também direito à morte? “Mais de um terço dos oncologistas são a favor da legalização da eutanásia, mas apenas menos de um quarto admite que seria capaz de o fazer. Ferraz Gonçalves, autor do estudo e investigador da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, considera que a morte assistida não deve ser uma questão prioritária para ser discutida. O especialista considera que uma maior implementação dos cuidados paliativos evitaria muitos dos eventuais pedidos de eutanásia. Trinta e nove por cento dos médicos oncologistas defendem a legalização da eutanásia, mas a percentagem que admite fazê-lo é de 23%, segundo um estudo de 2007 da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP).” Fonte: Tribuna Médica Press, 12 de Fevereiro de 2009 Animadores Sócio culturais Cidadania e Profissionalidade
  3. 3. 3. Faça uma reflexão sobre a diferença entre a percentagem de médicos a favor da legalização da eutanásia e a percentagem de médicos que era capaz de a praticar. Tendo em conta os valores acima indicados, reparei que 39% dos médicos oncológicos está de acordo com a legalização da eutanásia, mas só 23% o admitiam o fazer. Como seres humanos que somos a quando do nosso nascimento a própria sociedade se encarrega de incutir valores e regras a seguir por vezes nas nossas profissões somos obrigados a cumprir um código deontológico que por vezes não nos identificamos, e estamos no nosso direito recusar exercer alguma função quando não vai de encontro com os nossos valores pessoais. Animadores Sócio culturais Cidadania e Profissionalidade
  4. 4. Educação e Formação de Adultos - Nível Secundário Núcleo Gerador: Convicção e Firmeza Ética Área de Competência: Cidadania e Profissionalidade Competência: Adoptar normas deontológicas e profissionais como valores de referência não transaccionáveis em contextos profissionais. Critérios de Evidência: • Identificar deontologia e normas profissionais. • Reconhecer valores de referência em organizações distintas. • Actuar criticamente sobre práticas sociais, articulando responsabilidade pessoal e profissional. Nome:_____________________________________ Data: __/__/__ O presente tema, Deontologia e normas profissionais, ao estar subordinado ao núcleo gerador Convicção e firmeza ética, exige a desocultação dos conceitos de ética e deontologia, dado que as suas diferenças teórico-conceptuais não nos permitem concebê-los de forma eminentemente unívoca. Se se tem em consideração o legado filosófico ocidental, o conceito de ética - do grego, ethiké – refere-se à disciplina de estuda os fundamentos da moralidade, isto é, os princípios do comportamento humano que se vinculam com as noções de bom e mau. Diferentemente, conceito de deontologia, derivando dos vocábulos gregos deontos e logos, exige que o interpretemos por um discurso ou tratado de normas, o que o aproxima significativamente dos conceitos filosóficos tradicionais de moralidade e axiologia. Ética e moral são, portanto, expressão duas disciplinas distintas, ainda que complementares. Pois, se a primeira busca os princípios da moralidade, isto é, aquilo que permite distinguir entre acções boas ou más; a segunda, tendo como base estes princípios, busca construir um conjunto de normas às quais ninguém se pode arbitraria ou livremente furtar. Deste modo, se é verdade que existe uma relação de dependência entre as disciplinas da deontologia e da ética, com preponderância da segunda relativamente à primeira, já que esta última disciplina determina os princípios pelos quais aquela deve se reger; não deixa de ser igualmente verdade que a deontologia reveste-se de um carácter eminentemente pragmático, porquanto permite não só fixar as normas profissionais que devem reger cada trabalhador assim como afastar a subjectividade inerente ao critério ético. NG5 - DR2 - Deontologia e Normas Profissionais Adoptar normas deontológicas e profissionais como valores de referência não transaccionáveis em contextos profissionais. 1. Sou capaz de identificar deontologia e normas profissionais? 2. Sou capaz de reconhecer valores de referência em organizações distintas? 3. Sou capaz de actuar criticamente sobre práticas sociais, articulando responsabilidade pessoal e profissional? Proposta de trabalho: Para a desocultação da competência em análise, exortamo-lo para a realização de três tarefas conjuntas. Num primeiro momento, propomos-lhe que identifique as normas profissionais que regem o seu colectivo profissional e situações de vida que Animadores Sócio culturais Cidadania e Profissionalidade
  5. 5. evidenciem o cumprimento das mesmas. Num segundo momento, procure mostrar importância da deontologia e das normas profissionais para proficuidade das relações laborais entre colegas de trabalho e entidade patronal, assim como para a salvaguarda dos consumidores. E, num último momento, procure reelaborar uma nova deontologia profissional que, animada por novos códices éticos, seja capaz de responder a situações de intolerância, desrespeito e abuso de autoridade, com que se confronta cada trabalhador na relação que mantém com os seus colegas de trabalho, com a entidade patronal e com o público a que se dirige. Animadores Sócio culturais Cidadania e Profissionalidade

×