SlideShare uma empresa Scribd logo

EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1

W
wab030
1 de 8
Baixar para ler offline
Mergulho na comunidade
Saneamentobásico:Devidoaolocaleoambientequenosencontramos,tendo
emvistadiversosfatores,taiscomooracionamentodeáguaeascondições
precáriasdasredesesgotos;nãoaderemmuitoembenefíciodanossa
comunidadeproporcionandopéssimascondiçõesdevida.
Considerandoquetaisassuntossãodemelhoriasparatodosdacomunidade,
procuramossempreconservaranossahigiene,mantendoasredesdeesgotos
semprelimpas.Proporcionandoassimmelhorescondiçõesdevidasparatodos.
1° Observação da parte de recursos físicos da comunidade.
Moradia: As condições de moradia na nossa comunidade são precárias, pois
o espaço em que convivemos é mínimo, e a super lotação contribui para o
agravamento do caso.
Escolas: As redes de ensino da nossa comunidade são boas, pois suprem as
necessidades de nossos alunos, dando condições de um bom aprendizado e um ótimo
rendimento das aulas administradas.
Contamos com ótimos professores que promovem a conscientização e a participação de
seus alunos nas aulas, gerando assim um maior interesse entre todos os educandos.
Pois as escolas de nossa comunidade oferecem aos seus alunos um aprendizado que vai
desde o Ensino Fundamental até o Ensino Médio, incluindo a Alfabetização para aqueles
que não sabem ler nem escrever.
Contamos ainda com diversas atividades tais como o CDI (Comitê para Democratização da
Informática), que por ser uma (Ong), tem como função promover a Inclusão Social e a
Inclusão Digital através das EICs (Escolas de Informática para Cidadania) utilizando as TICs
(Tecnologia de Informação e Comunicação) como sua principal ferramenta de trabalho.
O intuito deste curso é mobilizar as comunidades menos favorecidas para construção da
Cidadania e a transformação de sua realidade. O caráter da não neutralidade da tecnologia
permite utilizar o computador não somente para aprender a dominar a máquina, mas,
sobretudo problematizar e entender.
E também contamos com um teatro, onde o aluno interage em grupo com as demais
pessoas da nossa comunidade e de outras comunidades também, desenvolvendo assim um
trabalho de integração social onde o educador e o educando estão sempre aprendendo e
ensinando.
Posto de saúde: Na nossa comunidade à assistência a saúde é boa, pois é dada a
devida atenção para a população nos mais diferentes casos, dependendo das necessidades
de cada um.
Contamos ainda com a assistência odontológica, da qual são feitos diversos tratamentos
dentários em auxílio à comunidade.
Contamos ainda com palestras sócio educativas, abrangendo temas sobre os diversos tipos
de doenças existentes hoje no mundo, e ensinando como preveni-las e trata-las da melhor
maneira possível. Dando assim melhores condições de vida para todos.
Ongs:
Transporte: Em relação ao transporte, nossa comunidade conta com um serviço que se
desenvolve conforme a necessidade de cada pessoa de nossa população.
Contamos com ambulâncias preparadas e prontas para o socorro imediato em caso de
necessidades médicas e contamos ainda com o auxilio de distribuição de passes (vale
transporte), para que as pessoas de nossa comunidade tenham acesso às demais
necessidades do nosso dia – dia, tais como um tratamento odontológico mais adequado e
hospitais mais qualificados.
Temos ainda o transporte que cuida da nossa classe operária de trabalhadores, que os
levam para trabalhar em serviços prestados para fora da nossa comunidade.
Expressando assim o nosso compromisso social, a forma de participação de cada um e a
vontade que os levam a se ressocializarem de uma forma mais digna e humana perante a
sociedade.
Meio ambiente:
Áreas de lazer, comercio local: Na nossa comunidade contamos com diversas atividades
de lazer, tais como: Campeonatos de futebol, onde toda a população é convidada a
participar dos eventos.
Também são feitos campeonatos de jogos de dama e de xadrez, aonde os membros de
nossa comunidade são incentivados e estimulados a promover a conscientização e a
participação de todos, possibilitando assim as trocas de conhecimento conjuntas de
saberes. Contamos ainda com atividades extras de lazer como a capoeira, que serve tanto
como um esporte e também como lazer e cultura para todos de nossa comunidade.
Podemos citar ainda como exemplo de nossas atividades de lazer, o teatro; que é uma arte
que necessita de muito esforço, muita dedicação e muito trabalho. Aonde você aprende a
relaxar, a dominar seus gestos e suas ações, dando a oportunidade de desenvolver o
espírito participativo de solidariedade e de auto - estima.
Amenizando assim os efeitos do estresse que o encarceramento (cárcere) provoca.
Notasse ainda por importante que possuímos também na nossa comunidade uma ampla
biblioteca, que nos serve também como cultura e lazer, proporcionando assim a nossa
população a reintegração social e a ressocialização dos mesmos.
“As expressões artísticas, portanto, atendem a essa aspiração criativa do individuo, que
encontra na música, na literatura e nas artes em geral, momentos de lazer, descontração
lúdica, ao mesmo tempo em que constrói um saber que certamente será útil no futuro”.
2° Observação dos processos e das relações na comunidade.
Observe a vida de sua comunidade, o que as pessoas estão
fazendo, porque estão ali naquele horário?
R: Na nossa comunidade o dia começa bem cedo, toda a nossa
população mantém um ritmo de vida padrão, ou seja, (.......).
A maioria trabalha em empregos dentro da própria comunidade,
nos mais diversos setores. Outros trabalham para fora, e assim
todos podem se manter financeiramente dentro de seu meio social,
podendo assim, ajudar seus familiares e a si mesmos,
proporcionando-lhes melhores condições de vida para todos.
O serviço (emprego) para nossa comunidade é vital, pois
possibilita a vida do reeducando uma vida mais produtiva,
aceitando-o em todos os setores da sociedade, sem preconceito
em relação à conduta progressa.
Em relação ao restante de nossa população, os que não estão
trabalhando, procuram outros meios de se ocuparem, tais como os
exercícios físicos.
Esportes como o futebol ajudam a desenvolver um bom trabalho
em grupo, pois estimulam seus participantes ao espírito
participativo e a solidariedade entre todos que dividem o mesmo
espaço social.
Veja se existem oportunidades de participar dos diversos locais da comunidade?
R: Na nossa comunidade todas as pessoas que nela se encontram, usufruem de
todos os locais que dizem respeito à saúde, a educação, esportes e ao
ensinamento religioso.
Áreas de lazer e interatividade com a biblioteca, aulas de teatro, aulas de
Informática & Cidadania e aulas de capoeira.
Sendo assim todas as pessoas de nossa comunidade tem livre acesso para
poderem visitar e participar de todos os locais existentes dentro de nosso
convívio social.
Pergunte se sabem que nesta comunidade tem uma EIC ou um projeto de
Inclusão Digital?
R: Sim, sabem. Contamos também com uma extensa lista de espera, onde se
encontram os nomes dos próximos alunos que vão começar a fazer o curso.
Resumindo, a nossa comunidade está inteiramente a par do projeto do CDI (EIC)
referente à Inclusão Digital e a Inclusão Social.

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (19)

Boneca do informativo l dez
Boneca do informativo l  dezBoneca do informativo l  dez
Boneca do informativo l dez
 
O Voluntariado =D
O Voluntariado =DO Voluntariado =D
O Voluntariado =D
 
Voluntariado
VoluntariadoVoluntariado
Voluntariado
 
Manual do voluntário
Manual do voluntárioManual do voluntário
Manual do voluntário
 
Acta MarçO 2010
Acta MarçO 2010Acta MarçO 2010
Acta MarçO 2010
 
Acta Março 2010
Acta Março 2010Acta Março 2010
Acta Março 2010
 
Jornal do Cidadão N.º3
Jornal do Cidadão N.º3Jornal do Cidadão N.º3
Jornal do Cidadão N.º3
 
Cartilha moradores (atual)
Cartilha moradores (atual)Cartilha moradores (atual)
Cartilha moradores (atual)
 
Jornal CJ
Jornal CJJornal CJ
Jornal CJ
 
Voluntariado.ppt2[1]
Voluntariado.ppt2[1]Voluntariado.ppt2[1]
Voluntariado.ppt2[1]
 
Voluntariado
VoluntariadoVoluntariado
Voluntariado
 
Voluntariado
VoluntariadoVoluntariado
Voluntariado
 
Ser Voluntário
Ser VoluntárioSer Voluntário
Ser Voluntário
 
Documento - Politicas de Juventude (JS Maia)
Documento - Politicas de Juventude (JS Maia)Documento - Politicas de Juventude (JS Maia)
Documento - Politicas de Juventude (JS Maia)
 
Silveira cidadania e_participacao_social
Silveira cidadania e_participacao_socialSilveira cidadania e_participacao_social
Silveira cidadania e_participacao_social
 
Saude1
Saude1Saude1
Saude1
 
Manual de jornalismo da empresa brasil de comunicação
Manual de jornalismo da empresa brasil de comunicaçãoManual de jornalismo da empresa brasil de comunicação
Manual de jornalismo da empresa brasil de comunicação
 
Manual de jornalismo_ebc
Manual de jornalismo_ebcManual de jornalismo_ebc
Manual de jornalismo_ebc
 
Palestra sensibilização e inspiração para o trabalho voluntário cvl
Palestra sensibilização e inspiração para o trabalho voluntário   cvlPalestra sensibilização e inspiração para o trabalho voluntário   cvl
Palestra sensibilização e inspiração para o trabalho voluntário cvl
 

Destaque (6)

Apresentação SBPJOR 2014 - Laboratório de Jornalismo Convergente - Suzana Bar...
Apresentação SBPJOR 2014 - Laboratório de Jornalismo Convergente - Suzana Bar...Apresentação SBPJOR 2014 - Laboratório de Jornalismo Convergente - Suzana Bar...
Apresentação SBPJOR 2014 - Laboratório de Jornalismo Convergente - Suzana Bar...
 
Spontaneous meditation
Spontaneous meditationSpontaneous meditation
Spontaneous meditation
 
Forum feridas rogério
Forum feridas rogérioForum feridas rogério
Forum feridas rogério
 
My pictures
My picturesMy pictures
My pictures
 
CEFALS Retrospectiva 2010
CEFALS Retrospectiva 2010CEFALS Retrospectiva 2010
CEFALS Retrospectiva 2010
 
Apresentação SBPjor 2011
Apresentação SBPjor 2011Apresentação SBPjor 2011
Apresentação SBPjor 2011
 

Semelhante a EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1

A arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e culturaA arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e culturaFabiola Oliveira
 
Jornal Castreja 3º Edição
Jornal Castreja 3º EdiçãoJornal Castreja 3º Edição
Jornal Castreja 3º EdiçãoCastreja
 
Projeto AlimentAÇÃO - EDAL - 2017
Projeto AlimentAÇÃO -  EDAL -  2017Projeto AlimentAÇÃO -  EDAL -  2017
Projeto AlimentAÇÃO - EDAL - 2017Escola Edal
 
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2CETUR
 
Filosofia Aplicada ao Serviço Social
Filosofia Aplicada ao Serviço SocialFilosofia Aplicada ao Serviço Social
Filosofia Aplicada ao Serviço SocialIury Martins
 
Informativo de agosto/11
Informativo de agosto/11Informativo de agosto/11
Informativo de agosto/11Norton Tavares
 
Projeto design de estande
Projeto design de estandeProjeto design de estande
Projeto design de estandekarennalima
 
Trabalho das folgueiras
Trabalho das folgueirasTrabalho das folgueiras
Trabalho das folgueirasEunice Ramos
 
Jornal da União de Freguesias de S. Clara e Castelo Viegas
Jornal da União de Freguesias de S. Clara e Castelo ViegasJornal da União de Freguesias de S. Clara e Castelo Viegas
Jornal da União de Freguesias de S. Clara e Castelo Viegasclcoimbra
 
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.Leonam pepper Moreira
 
Institucional apresentando o makanudos
Institucional   apresentando o makanudosInstitucional   apresentando o makanudos
Institucional apresentando o makanudosONG MAKANUDOS
 
Compacto relatorio estagio
Compacto relatorio estagioCompacto relatorio estagio
Compacto relatorio estagioAndressa Gomes
 

Semelhante a EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1 (20)

Cp! associações pedro pires
Cp!   associações pedro piresCp!   associações pedro pires
Cp! associações pedro pires
 
A arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e culturaA arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e cultura
 
Jornal Castreja 3º Edição
Jornal Castreja 3º EdiçãoJornal Castreja 3º Edição
Jornal Castreja 3º Edição
 
Projeto AlimentAÇÃO - EDAL - 2017
Projeto AlimentAÇÃO -  EDAL -  2017Projeto AlimentAÇÃO -  EDAL -  2017
Projeto AlimentAÇÃO - EDAL - 2017
 
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
Curso Gestores - Cidades Socialistas - Aula 8 Módulo 2
 
Filosofia Aplicada ao Serviço Social
Filosofia Aplicada ao Serviço SocialFilosofia Aplicada ao Serviço Social
Filosofia Aplicada ao Serviço Social
 
Inclusão Social
Inclusão SocialInclusão Social
Inclusão Social
 
Informativo de agosto/11
Informativo de agosto/11Informativo de agosto/11
Informativo de agosto/11
 
Desenvolvimento
DesenvolvimentoDesenvolvimento
Desenvolvimento
 
Projeto design de estande
Projeto design de estandeProjeto design de estande
Projeto design de estande
 
diretos humanos.pptx
diretos humanos.pptxdiretos humanos.pptx
diretos humanos.pptx
 
Boletim UNIVERTI setembro 2013
Boletim UNIVERTI setembro 2013Boletim UNIVERTI setembro 2013
Boletim UNIVERTI setembro 2013
 
Evora solidária
Evora solidáriaEvora solidária
Evora solidária
 
Trabalho das folgueiras
Trabalho das folgueirasTrabalho das folgueiras
Trabalho das folgueiras
 
Jornal da União de Freguesias de S. Clara e Castelo Viegas
Jornal da União de Freguesias de S. Clara e Castelo ViegasJornal da União de Freguesias de S. Clara e Castelo Viegas
Jornal da União de Freguesias de S. Clara e Castelo Viegas
 
Incluir todos
Incluir todosIncluir todos
Incluir todos
 
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
 
Cidadania sustentável
Cidadania sustentávelCidadania sustentável
Cidadania sustentável
 
Institucional apresentando o makanudos
Institucional   apresentando o makanudosInstitucional   apresentando o makanudos
Institucional apresentando o makanudos
 
Compacto relatorio estagio
Compacto relatorio estagioCompacto relatorio estagio
Compacto relatorio estagio
 

Mais de wab030

Internet e Educação
Internet e EducaçãoInternet e Educação
Internet e Educaçãowab030
 
Programe ou seja programado
Programe ou seja programadoPrograme ou seja programado
Programe ou seja programadowab030
 
Internet e cidadania
 Internet e cidadania Internet e cidadania
Internet e cidadaniawab030
 
Internet, Cidadania e Educação
Internet, Cidadania e EducaçãoInternet, Cidadania e Educação
Internet, Cidadania e Educaçãowab030
 
Internet e redes sociais digitais como instrumento para os movimentos sociais
 Internet e redes sociais digitais como instrumento para os movimentos sociais Internet e redes sociais digitais como instrumento para os movimentos sociais
Internet e redes sociais digitais como instrumento para os movimentos sociaiswab030
 
A internet como espaço de mobilidade social: democratização e regulamentação ...
A internet como espaço de mobilidade social: democratização e regulamentação ...A internet como espaço de mobilidade social: democratização e regulamentação ...
A internet como espaço de mobilidade social: democratização e regulamentação ...wab030
 
Hp0061
Hp0061Hp0061
Hp0061wab030
 
Internet e educação
Internet e educaçãoInternet e educação
Internet e educaçãowab030
 
Alimentos Orgânicos - Melhor para sua saúde
Alimentos Orgânicos - Melhor para sua saúdeAlimentos Orgânicos - Melhor para sua saúde
Alimentos Orgânicos - Melhor para sua saúdewab030
 
Notas b2redes
Notas b2redesNotas b2redes
Notas b2redeswab030
 
Notas info+banco
Notas info+bancoNotas info+banco
Notas info+bancowab030
 
Aula 10 camada de rede
Aula 10   camada de redeAula 10   camada de rede
Aula 10 camada de redewab030
 
Aula 12 revisãodos exercícios
Aula 12   revisãodos exercíciosAula 12   revisãodos exercícios
Aula 12 revisãodos exercícioswab030
 
Aula 10 maquinade turing
Aula 10   maquinade turingAula 10   maquinade turing
Aula 10 maquinade turingwab030
 
Wireshark ip sept_15_2009
Wireshark ip sept_15_2009Wireshark ip sept_15_2009
Wireshark ip sept_15_2009wab030
 
Aula 10 camada de rede
Aula 10   camada de redeAula 10   camada de rede
Aula 10 camada de redewab030
 
Aula 9 conceitos gerais de Rede
Aula 9   conceitos gerais de RedeAula 9   conceitos gerais de Rede
Aula 9 conceitos gerais de Redewab030
 
Wireshark UDP
Wireshark UDPWireshark UDP
Wireshark UDPwab030
 
Notas b1 redes
Notas b1 redesNotas b1 redes
Notas b1 redeswab030
 
Notas b1 info+banco
Notas b1 info+bancoNotas b1 info+banco
Notas b1 info+bancowab030
 

Mais de wab030 (20)

Internet e Educação
Internet e EducaçãoInternet e Educação
Internet e Educação
 
Programe ou seja programado
Programe ou seja programadoPrograme ou seja programado
Programe ou seja programado
 
Internet e cidadania
 Internet e cidadania Internet e cidadania
Internet e cidadania
 
Internet, Cidadania e Educação
Internet, Cidadania e EducaçãoInternet, Cidadania e Educação
Internet, Cidadania e Educação
 
Internet e redes sociais digitais como instrumento para os movimentos sociais
 Internet e redes sociais digitais como instrumento para os movimentos sociais Internet e redes sociais digitais como instrumento para os movimentos sociais
Internet e redes sociais digitais como instrumento para os movimentos sociais
 
A internet como espaço de mobilidade social: democratização e regulamentação ...
A internet como espaço de mobilidade social: democratização e regulamentação ...A internet como espaço de mobilidade social: democratização e regulamentação ...
A internet como espaço de mobilidade social: democratização e regulamentação ...
 
Hp0061
Hp0061Hp0061
Hp0061
 
Internet e educação
Internet e educaçãoInternet e educação
Internet e educação
 
Alimentos Orgânicos - Melhor para sua saúde
Alimentos Orgânicos - Melhor para sua saúdeAlimentos Orgânicos - Melhor para sua saúde
Alimentos Orgânicos - Melhor para sua saúde
 
Notas b2redes
Notas b2redesNotas b2redes
Notas b2redes
 
Notas info+banco
Notas info+bancoNotas info+banco
Notas info+banco
 
Aula 10 camada de rede
Aula 10   camada de redeAula 10   camada de rede
Aula 10 camada de rede
 
Aula 12 revisãodos exercícios
Aula 12   revisãodos exercíciosAula 12   revisãodos exercícios
Aula 12 revisãodos exercícios
 
Aula 10 maquinade turing
Aula 10   maquinade turingAula 10   maquinade turing
Aula 10 maquinade turing
 
Wireshark ip sept_15_2009
Wireshark ip sept_15_2009Wireshark ip sept_15_2009
Wireshark ip sept_15_2009
 
Aula 10 camada de rede
Aula 10   camada de redeAula 10   camada de rede
Aula 10 camada de rede
 
Aula 9 conceitos gerais de Rede
Aula 9   conceitos gerais de RedeAula 9   conceitos gerais de Rede
Aula 9 conceitos gerais de Rede
 
Wireshark UDP
Wireshark UDPWireshark UDP
Wireshark UDP
 
Notas b1 redes
Notas b1 redesNotas b1 redes
Notas b1 redes
 
Notas b1 info+banco
Notas b1 info+bancoNotas b1 info+banco
Notas b1 info+banco
 

EIC FUNAP P1 Apresentação 1 mergulho na comunidade funap p1

  • 2. Escolas: As redes de ensino da nossa comunidade são boas, pois suprem as necessidades de nossos alunos, dando condições de um bom aprendizado e um ótimo rendimento das aulas administradas. Contamos com ótimos professores que promovem a conscientização e a participação de seus alunos nas aulas, gerando assim um maior interesse entre todos os educandos. Pois as escolas de nossa comunidade oferecem aos seus alunos um aprendizado que vai desde o Ensino Fundamental até o Ensino Médio, incluindo a Alfabetização para aqueles que não sabem ler nem escrever. Contamos ainda com diversas atividades tais como o CDI (Comitê para Democratização da Informática), que por ser uma (Ong), tem como função promover a Inclusão Social e a Inclusão Digital através das EICs (Escolas de Informática para Cidadania) utilizando as TICs (Tecnologia de Informação e Comunicação) como sua principal ferramenta de trabalho. O intuito deste curso é mobilizar as comunidades menos favorecidas para construção da Cidadania e a transformação de sua realidade. O caráter da não neutralidade da tecnologia permite utilizar o computador não somente para aprender a dominar a máquina, mas, sobretudo problematizar e entender. E também contamos com um teatro, onde o aluno interage em grupo com as demais pessoas da nossa comunidade e de outras comunidades também, desenvolvendo assim um trabalho de integração social onde o educador e o educando estão sempre aprendendo e ensinando.
  • 3. Posto de saúde: Na nossa comunidade à assistência a saúde é boa, pois é dada a devida atenção para a população nos mais diferentes casos, dependendo das necessidades de cada um. Contamos ainda com a assistência odontológica, da qual são feitos diversos tratamentos dentários em auxílio à comunidade. Contamos ainda com palestras sócio educativas, abrangendo temas sobre os diversos tipos de doenças existentes hoje no mundo, e ensinando como preveni-las e trata-las da melhor maneira possível. Dando assim melhores condições de vida para todos. Ongs: Transporte: Em relação ao transporte, nossa comunidade conta com um serviço que se desenvolve conforme a necessidade de cada pessoa de nossa população. Contamos com ambulâncias preparadas e prontas para o socorro imediato em caso de necessidades médicas e contamos ainda com o auxilio de distribuição de passes (vale transporte), para que as pessoas de nossa comunidade tenham acesso às demais necessidades do nosso dia – dia, tais como um tratamento odontológico mais adequado e hospitais mais qualificados. Temos ainda o transporte que cuida da nossa classe operária de trabalhadores, que os levam para trabalhar em serviços prestados para fora da nossa comunidade. Expressando assim o nosso compromisso social, a forma de participação de cada um e a vontade que os levam a se ressocializarem de uma forma mais digna e humana perante a sociedade.
  • 4. Meio ambiente: Áreas de lazer, comercio local: Na nossa comunidade contamos com diversas atividades de lazer, tais como: Campeonatos de futebol, onde toda a população é convidada a participar dos eventos. Também são feitos campeonatos de jogos de dama e de xadrez, aonde os membros de nossa comunidade são incentivados e estimulados a promover a conscientização e a participação de todos, possibilitando assim as trocas de conhecimento conjuntas de saberes. Contamos ainda com atividades extras de lazer como a capoeira, que serve tanto como um esporte e também como lazer e cultura para todos de nossa comunidade. Podemos citar ainda como exemplo de nossas atividades de lazer, o teatro; que é uma arte que necessita de muito esforço, muita dedicação e muito trabalho. Aonde você aprende a relaxar, a dominar seus gestos e suas ações, dando a oportunidade de desenvolver o espírito participativo de solidariedade e de auto - estima. Amenizando assim os efeitos do estresse que o encarceramento (cárcere) provoca. Notasse ainda por importante que possuímos também na nossa comunidade uma ampla biblioteca, que nos serve também como cultura e lazer, proporcionando assim a nossa população a reintegração social e a ressocialização dos mesmos. “As expressões artísticas, portanto, atendem a essa aspiração criativa do individuo, que encontra na música, na literatura e nas artes em geral, momentos de lazer, descontração lúdica, ao mesmo tempo em que constrói um saber que certamente será útil no futuro”.
  • 5. 2° Observação dos processos e das relações na comunidade. Observe a vida de sua comunidade, o que as pessoas estão fazendo, porque estão ali naquele horário? R: Na nossa comunidade o dia começa bem cedo, toda a nossa população mantém um ritmo de vida padrão, ou seja, (.......). A maioria trabalha em empregos dentro da própria comunidade, nos mais diversos setores. Outros trabalham para fora, e assim todos podem se manter financeiramente dentro de seu meio social, podendo assim, ajudar seus familiares e a si mesmos, proporcionando-lhes melhores condições de vida para todos. O serviço (emprego) para nossa comunidade é vital, pois possibilita a vida do reeducando uma vida mais produtiva, aceitando-o em todos os setores da sociedade, sem preconceito em relação à conduta progressa. Em relação ao restante de nossa população, os que não estão trabalhando, procuram outros meios de se ocuparem, tais como os exercícios físicos. Esportes como o futebol ajudam a desenvolver um bom trabalho em grupo, pois estimulam seus participantes ao espírito participativo e a solidariedade entre todos que dividem o mesmo espaço social.
  • 6. Veja se existem oportunidades de participar dos diversos locais da comunidade? R: Na nossa comunidade todas as pessoas que nela se encontram, usufruem de todos os locais que dizem respeito à saúde, a educação, esportes e ao ensinamento religioso. Áreas de lazer e interatividade com a biblioteca, aulas de teatro, aulas de Informática & Cidadania e aulas de capoeira. Sendo assim todas as pessoas de nossa comunidade tem livre acesso para poderem visitar e participar de todos os locais existentes dentro de nosso convívio social. Pergunte se sabem que nesta comunidade tem uma EIC ou um projeto de Inclusão Digital? R: Sim, sabem. Contamos também com uma extensa lista de espera, onde se encontram os nomes dos próximos alunos que vão começar a fazer o curso. Resumindo, a nossa comunidade está inteiramente a par do projeto do CDI (EIC) referente à Inclusão Digital e a Inclusão Social.
  • 7. Pergunte nas Instituições existentes na comunidade como é feita sua rede de contatos? Elas se relacionam com outras instituições? Elas conhecem outras instituições? Têm contato? Trabalham juntas? Converse com as pessoas na rua, do que sentem falta, do que mais gostam e menos gostam na comunidade? R: Conversando com as pessoas de nossa comunidade, constatamos os seguintes fatos: Em sua maioria, a nossa população expressou que as coisas que mais sentem falta são os seus familiares, seus verdadeiros lares que são suas casas na companhia de seus filhos e esposas. Sentem falta do convívio social, do relacionamento com outras pessoas da sociedade, do direito de ir e vir quando lhes der vontade. Querem uma oportunidade para mostrar para a sociedade que independentemente de terem cometidos erros, que são seres humanos, que estão suscetíveis a erros como qualquer outra pessoa normal. “Mas assim como todos; Temos o direito a uma segunda chance, pois errar é humano, persistir no erro é ignorância”. Pois assim como dizia o nosso famoso físico alemão Albert Einstein, que além de exímio físico era também um pacifista. “É de sua autoria a frase que afirma ser mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito”.
  • 8. 3° Observação da identidade da comunidade: Qual o nome desta comunidade? R: P1 de Hortolândia. Que nome eu dou à esta comunidade? R: Utopia & Realidade. Que consciência eu tenho desta comunidade? R: Que a integração do reeducando a sociedade esbarra em vários obstáculos, os quais inviabilizam qualquer esforço institucional de recuperação do individuo infrator. Nessa luta é preciso contar não apenas com uma estrutura carcerária eficiente, capaz de proporcionar ao reeducando uma capacitação mínima de subsistência ao ser liberto, mas também, com o apoio da sociedade. Defendemos na nossa comunidade a criação de uma seção de educação física, esporte e cultura para que o reeducando tenha oportunidade de desenvolver o espírito participativo, de solidariedade e de auto-estima . Além disso, sugerimos a integração do reeducando por meio das artes e da criatividade na música e na literatura, a fim de amenizar os efeitos do estresse que o cárcere provoca. Para isso, julga, acima de tudo, necessário o estimulo e o apoio dos que diretamente estão ligados aos destinos da nossa população carcerária (nossa comunidade).