O papel político e social da cultura nos

1.281 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.281
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
82
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O papel político e social da cultura nos

  1. 1. O papel político e social da cultura no início do século XX
  2. 2. Índice <ul><li>Contexto; </li></ul><ul><li>A Cultura de Massas; </li></ul><ul><li>Os media; </li></ul><ul><li>A Imprensa; </li></ul><ul><li>A Literatura; </li></ul><ul><li>A Rádio; </li></ul><ul><li>O Cinema; </li></ul><ul><li>O Desporto; </li></ul><ul><li>Servindo o Estado; </li></ul><ul><li>Conclusão; </li></ul><ul><li>Bibliografia. </li></ul>
  3. 3. Contexto <ul><li>A 24 de Outubro de 1929, dá-se o crash na Bolsa de Nova Iorque que acabou por dar início à Grande Depressão dos anos 30 que se alastrou por todo o mundo. As pessoas viviam na miséria e devido à incapacidade dos governos em resolver os danos causados pela crise, o descontentamento aumentou. </li></ul>
  4. 4. Contexto <ul><li>Assim, surgiram soluções políticas que foram apoiadas pela população e que fizeram com que o demoliberalismo regredisse: </li></ul><ul><li>Soluções de extrema-esquerda: comunismo da U.R.S.S.; </li></ul><ul><li>Soluções de extrema-direita: fascismo, nazismo, salazarismo… </li></ul>
  5. 5. Contexto <ul><li>Apesar das diferenças evidentes entre os partidos de estrema-esquerda e os partidos de extrema-direita, todos eles tinham pontos em comum. Eram regimes: </li></ul><ul><li>Totalitários; </li></ul><ul><li>Autoritários; </li></ul><ul><li>Nacionalistas; </li></ul><ul><li>Corporativistas; </li></ul><ul><li>Expansionistas; </li></ul><ul><li>Militaristas. </li></ul>
  6. 6. Contexto <ul><li>Estes regimes consolidavam-se através da violência e da repressão dos seus opositores. Utilizavam a propaganda para conquistarem o apoio das grandes massas e expandirem os seus ideais até aos outros. </li></ul>
  7. 7. A Cultura de Massas <ul><li>Nas grandes cidades do século XX, surgiu este fenómeno. A população apoiava os mesmo hábitos, consumia as mesmas coisas, partilhava os mesmo interesses. Através da generalização do ensino e dos meios de comunicação que se desenvolveram durante este século, a informação circulava mais facilmente, atingindo a população e mudando a sua mentalidade. </li></ul>
  8. 8. Os media <ul><li>Durante o século XX, surgiram novos meios de comunicação que permitiam às pessoas alhearem-se da vida quotidiana. Através deles, divulgavam-se os valores culturais que acabavam por ser seguidos pela população. </li></ul>
  9. 9. A Imprensa <ul><li>Tal como já foi referido, deu-se a generalização do ensino e o interesse pela leitura aumentou significativamente. Surgiram novos tipos de literatura, tais como: </li></ul><ul><li>Banda desenhada; </li></ul><ul><li>Romances e policiais. </li></ul>
  10. 10. A Imprensa Os livros de banda desenhada <ul><li>Nos anos 30, surgiram os primeiros livros de banda desenhada. Estes passaram a ser a leitura mais comum entre os soldados pois possuíam uma linguagem simples e comum. Eram também atractivos por serem coloridos e, por isso, passaram até a ser publicadas pequenas tiras nos jornais. </li></ul>
  11. 11. A Imprensa Os jornais de grande tiragem <ul><li>Jornais: utilizavam uma linguagem simples e títulos apelativos. Noticiavam assuntos como guerras e crimes, dando também destaque ao desporto e a algumas crónicas; </li></ul><ul><li>Revistas: abordavam assuntos relacionados com a política, o desporto, eventos sociais, moda e cinema. </li></ul><ul><li>Ambos moldavam a vida e a mentalidade da população que acorria avidamente aos quiosques para os comprar. </li></ul>
  12. 12. A Imprensa Alguns nomes importantes <ul><li>Agatha Christie: escreveu o policial mais vendido do século XX; </li></ul><ul><li>Mao Tsé-Tung, Estaline e Lenine: livros de carácter político; </li></ul><ul><li>Barbara Cartland: autora de romances. </li></ul>
  13. 13. A Literatura <ul><li>A literatura passou a desempenhar um papel importante no que dizia respeito aos valores que eram incutidos na população. Os autores tentavam que as pessoas se conseguissem identificar com as personagens. Tal não acontecia com Bertolt Brecht que pretendia que o leitor inquirisse o sentido que a obra tinha. </li></ul><ul><li>Algumas obras eram baseadas em factores sociais e políticos onde criticavam o governo ou espalhavam os seus ideais. </li></ul>
  14. 14. A Rádio <ul><li>O desenvolvimento do rádio permitiu o aparecimento da publicidade não só comercial, como política. Os chefes de governo da altura, utilizavam este meio de comunicação para reforçarem os seus ideais na mente da população e assim conquistarem o apoio e preferência das massas. </li></ul>
  15. 15. A Rádio <ul><li>Nos primeiros tempos, a rádio era utilizada para divulgar a cultura às classes mais eruditas. Passavam músicas adequadas a estas classes, peças de teatro e noticiários. </li></ul><ul><li>Mais tarde passou a ser encarada como um meio de chegar até às classes menos instruídas da população, fazendo-lhes assim chegar os interesses comuns da sociedade e os hábitos de consumo. </li></ul>
  16. 16. Alguns nomes que surgiram na Indústria discográfica <ul><li>Bing Crosby: considerado um dos maiores cantores do século XX, é ele a voz da famosa música ‘Jingle Bells’; </li></ul><ul><li>Ella Jane Fitzgerald: considerada a primeira dama do jazz; </li></ul><ul><li>Francis Albert Sinatra: foi um cantor muito popular do século 20, entrou em diversos filmes e teve até o seu próprio programa de televisão. </li></ul>
  17. 18. O Cinema <ul><li>Se nos anos 20, o cinema era mudo, é durante os anos 30 que passa a ser sonoro após o êxito do filme “The Jazz Singer” em 1927. </li></ul><ul><li>Apesar do cinema ter surgido em França com Lumière, é nos Estados Unidos da América que ganha grande destaque e relevância. Acaba por aparecer o cinema technicolor que aumenta a realidade do cinema, assim como o fascínio que desperta nas pessoas. </li></ul>
  18. 19. O Cinema <ul><li>Devido ao seu sucesso passou a ser denominado de ‘Sétima Arte’ e tornou-se numa ‘fábrica de ilusões’ sem antecedentes que a igualassem. Baseando-se nos sentimentos humanos, narrava histórias que fascinavam o público e permitiam dar asas à imaginação. </li></ul>
  19. 20. O Cinema <ul><li>Foi nesta altura que o cinema passou a ter a dimensão que ainda tem nos dias de hoje: através dele as pessoas fugiam da realidade que viviam refugiando-se na vida das personagens que apresentavam problemas que podiam ser considerados iguais aos vividos na realidade. </li></ul>
  20. 21. O Cinema <ul><li>Além disso, os filmes serviam para moldar os valores defendidos pela população. As cenas seguiam códigos morais e existiam sempre finais felizes para recompensar os heróis que seguiam essas boas condutas. </li></ul><ul><li>Assim sendo, as pessoas seguiam esses modelos esperando encontrar também o seu final feliz. </li></ul>
  21. 22. O Desporto <ul><li>O desporto ganhou destaque durante os Loucos Anos 20, quando o ritmo de vida acelerou a olhos vistos. As pessoas começaram a considerar a prática desportiva como aceite e multidões inteiras aderiram. </li></ul>
  22. 23. O Desporto <ul><li>Existiam modalidades ligadas a cada tipo de classes: </li></ul><ul><li>O golfe e o ténis era característicos das classes mais abastadas da população; </li></ul><ul><li>O ciclismo, o futebol e o boxe ganharam adeptos um pouco por toda a parte. </li></ul>
  23. 24. O Desporto <ul><li>Aproveitando o furor causado pelo desporto e pela competição, as pessoas conseguiram arranjar mais uma maneira de se isolarem dos problemas das suas vidas por momentos. </li></ul><ul><li>O desporto passou a ser considerado um espectáculo e os interesses económicos e políticos sobre ele aumentaram durante o século XX. </li></ul>
  24. 25. O Desporto ao serviço dos Estados <ul><li>Os atletas eram encarados como modelos a seguir, não só nos estados totalitários mas também nos democráticos. Além disso, com a competição os sentimentos nacionalistas eram aumentados. </li></ul><ul><li>Em 1936, os Jogos Olímpicos de Berlim, foram encarados como uma possibilidade de mostrar a superioridade das diferentes raças. A Alemanha conquistou 33 medalhas e os E.U.A. conseguiram 24. O problema surgiu quando Jesse Owens, um atleta negro americano, conseguiu vencer dez provas de atletismo. Hitler retirou-se do estádio pois sentiu as suas ideias racistas abaladas por aquelas conquistas. </li></ul>
  25. 26. Servindo o Estado <ul><li>Os estados totalitários começaram a usar a cultura como forma de divulgar os seus interesses e de atrair o apoio das massas. </li></ul><ul><li>A cultura passou então a estar ao serviço do poder tentando construir-se uma ‘nova ordem’ capaz de assegurar que os valores que a população apoiava eram os mesmos que os do Estado. </li></ul>
  26. 27. Servindo o Estado <ul><li>Nos meios de comunicação a linguagem utilizada era simples. Isto porque, através dela podia chegar-se até às classes menos instruídas que constituíam grande parte da população. Recorria-se à arte figurativa e a um controlo muito elevado daquilo que era feito. </li></ul>
  27. 28. Servindo o Estado <ul><li>Na Rússia, Estaline criou o Comité Central do Partido Comunista em 1932. Este obrigava a que todos os artistas se agrupassem em uniões de criadores conforme as actividades que desempenhavam. </li></ul><ul><li>Surge o realismo socialista, isto é, uma arte oficial que procurava mostrar os valores do regime e os benefícios trazidos por eles. </li></ul>
  28. 29. Servindo o Estado <ul><li>Já na Alemanha, Hitler sobe ao poder apoiando-se numa forte propaganda dos ideais do regime nazi. Após a sua chegada ao poder, cria a Câmara da Cultura do Reich que impede o modernismo e as vanguardas que surgiam na Europa. </li></ul><ul><li>A cultura passou apenas a reforçar o poder do regime, apoiando as suas ideias e valorizando a superioridade da raça ariana em relação a todas as outras. </li></ul>
  29. 30. Servindo o Estado <ul><li>Em Itália, Mussolini protegia aqueles que apoiavam o seu regime. Não criou nenhum órgão de controlo como a Câmara da Cultura do Reich e o Comité Central do Partido Comunista. Apenas tentava manter a ordem no país, evitando obras que pudessem degradar a imagem do regime. </li></ul>
  30. 31. Conclusão <ul><li>A cultura do século XX, sofreu grandes mudanças a partir dos loucos anos 20; </li></ul><ul><li>Surgiram novos meios de comunicação, entre eles a rádio e o cinema; </li></ul><ul><li>As pessoas usavam o cinema e o desporto como maneira de escaparem à realidade que viviam; </li></ul><ul><li>Através da imprensa, da rádio e do cinema eram incutidos novos valores a todas as classes, incluindo as menos instruídas; </li></ul><ul><li>Os grandes líderes da época criaram órgãos com vista a controlar as expressões culturais que pudessem ser prejudiciais ao seu regime e apostavam naquelas que ajudavam a divulgar os ideais; </li></ul>
  31. 32. Bibliografia <ul><li>Manual “O Tempo da História” do 12º ano, de Célia Pinto do Couto e Maria Antónia Monterroso Rosas, da Porto Editora; </li></ul><ul><li>Apontamentos cedidos pela professora; </li></ul><ul><li>Wikipédia; </li></ul><ul><li>Imagens procuradas através do Google; </li></ul>
  32. 33. <ul><li>Trabalho realizado por: Ana Borges </li></ul><ul><li>Nº1 </li></ul><ul><li>12ºI </li></ul>

×