O ensino e a população em portugal do século xix

14.478 visualizações

Publicada em

Um resumo sobre a evolução do Ensino e o crescimento da população em Portugal do século XIX.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.478
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
572
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
183
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O ensino e a população em portugal do século xix

  1. 1. Ensino e População em PORTUGALNA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX
  2. 2. As reformas do ensino. Os vários governos fizeram importantes reformas no ensino: 1. “Ensino primário” obrigatório e gratuito; 2. Alargaram o “ensino liceal”; 3. Fundaram as 1ª escolas do “ensino técnico”; Passos Manuel, ministro de D. Maria II, foi um dos grandes responsáveis pelas medidas tomadas na educação. Apesar das medidas tomadas, nos fins do século XIX,grande parte da população continuava analfabeta. Passos Manuel
  3. 3. O ENSINOJOÃO DE DEUS Construíram-se muitas escola primárias porque 90% da população era analfabeta A Cartilha Maternal, do Professor João de Deus, foi O primeiro livro escolar A maioria das crianças continuaram a não ir à escola porque precisavam de ajudar os pais na agricultura
  4. 4. João de Deus de Nogueira Ramos(São Bartolomeu de Messines, 8 deMarço de 1830 — Lisboa, 11 deJaneiro de 1896), mais conhecido porJoão de Deus, foi um eminente poetalírico, considerado à época o primeirodo seu tempo, e o proponente de ummétodo de ensino da leitura, assentenuma Cartilha Maternal por ele escrita,que teve grande aceitação popular,sendo ainda utilizado. In wikipédia
  5. 5. LICEUS Iam do 5º ano ao 12º ano Construíram-se muitos Liceus nas cidades Construíram-se escolas Técnicas que preparavam os estudantes para um trabalho no comércio ou Indústria
  6. 6. O ENSINO
  7. 7. O 1º DIA NA ESCOLA
  8. 8. O pai, um lavrador pouco PASSOSabastado, fez sacrifícios MANUELpara que Passos Manueltirasse o curso de DireitoEm 1836 foi escolhido por D. Maria IIpara ministro do reino • Incentivou os cursos práticos nas Universidades • Criou a Academia das Belas Artes E M H O M E N A G E M A PA S S O S M A N U•E L , U M D O S plano de Reformulou o M A I S A N T I G O S L I C E U S D E P O R T U G A L T E M O S E U escola primárias estudos das N O M E
  9. 9. Os estudantes universitáriosUNIVERSIDADES eram, sobretudo, filhos de burgueses. QUÍMICA Criaram-se novos cursos, virados para a vida prática MEDICINA ARQUITECTURA
  10. 10. OS AVANÇOS NA MEDICINA
  11. 11. ENSINOCONSTRUÇÃO PASSOS MANUEL REFORMAS NAS UNIVERSIDADES •ESCOLAS PRIMÁRIAS • MINISTRO DE D. CURSOS MAIS PRÁTICOS MARIA II • LICEUS •PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELAS TRANSFORMAÇÕES NO ENSINO
  12. 12. A POPULAÇÃO PORTUGUESANA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX
  13. 13. Os Movimentos da população• No séc. XIX 6 milhões de habitantes ,em Portugal, 5 tal como no 4 resto da 3 milhões Europa 2 de habitantes verificou-se um 1 crescimento da 0 população .
  14. 14. A POPULAÇÃO AUMENTOUCausas: melhor alimentação;  Melhor assistência médica; Criação de novos hospitais; melhores condições de higiene;* Consequências: Baixa a taxa de mortalidade e aumenta a taxa de natalidade.O Litoral Norte de Portugal era mais povoadodo que o Interior e sul do País.A população concentrava-se à volta dascidades: Porto / Lisboa. A consulta médica
  15. 15. • As transformações na agricultura permitiram que a população se alimentasse melhor e morresse menos.• Os progressos nas áreas da saúde e da higiene contribuíram também para uma diminuição do número de mortes.
  16. 16. EM CONCLUSÃO:Factores que contribuíram para o crescimento da população • - Melhoria da alimentação • - Desenvolvimento da medicina e melhores condições de saúde. • -Melhoria nos cuidados de higiene. • -Ausência de guerras em Portugal.
  17. 17. A contagem da população.Os numeramentos: contagem do número de fogos (casas) enão de pessoas. Recenseamento : (ou censo) = contagem do número de habitantes. O 1º foi feito em 1864 no reinado de D. Luís I.A partir de 1890, foi feitode 10 em 10 anos. Registos mais seguros.No século XIX, houve umcrescimento da população.
  18. 18. RecenseamentosO primeiro recenseamento da populaçãoportuguesa foi feito em 1864. Durou doisanos e apurou-se que havia 3 829 619habitantes em Portugal.Na segunda metade do século XIX apopulação aumentou; concentrava-sesobretudo em torno de Lisboa e Porto eno litoral norte.Este crescimento, COMO JÁ VIMOS, ficoua dever-se à melhoria das condições devida.
  19. 19. Crescimento da população Mais alimentos Mais higieneDiminuição donúmero de mortes. Mais cuidados médicos
  20. 20. O êxodo rural• Com a crescente utilização de máquinas a mão-de-obra foi sendo dispensada na agricultura.• O trabalho era mal remunerado e os camponeses migraram para o litoral à procura de melhores condições de vida para si e para a sua família.
  21. 21. • O aumento da população e a mecanização agrícola registada em algumas propriedades fizeram com que muitos camponeses não conseguissem emprego.• Muitos outros recebiam salários miseráveis, que mal davam para sustentar a família.• Os novos meios de comunicação e de transporte facilitavam a chegada de notícias e de pessoas que tinham partido antes e que tinham sido bem sucedidas na vida.• Foi, para as grandes cidades do litoral – Lisboa e Porto – que partiram mais camponeses, aumentado o número de pessoas que aí vivia e acentuando os contrastes que sempre existiram na distribuição da população.
  22. 22. A DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃOA maior parte da população vivia no Litoral e a norte do rioTejo, onde há relevo pouco acidentado, clima ameno, solosférteis, portos marítimos, mais actividades económicas, hospitais, escolas e boas vias de comunicação.
  23. 23. PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX A População MOVIMENTOS DA POPULAÇÃO MIGRAÇÕES INTERNAS A EMIGRAÇÃO O aumento da população e as Outros portugueses partiram para máquinas agrícolas provocaram o África ou para a América do Norte. desemprego no campo, verificando-se Mas, o destino preferido era o Brasil. assim um ÊXODO RURAL para o Alguns regressaram ricos à sua terra litoral,sobretudo Lisboa e Porto – MIGRAÇÕES INTERNAS.
  24. 24. ÊXODO RURAL
  25. 25. SAÍDA DE MUITOS CAMPONESESO ÊXODO DOS CAMPOS PARA AS CIDADES RURAL DEVIDO AO DESEMPREGO E À POBREZA.
  26. 26. NAS CIDADES, OS CAMPONESES PROCURAVAMTRABALHO, SOBRETUDO NAS FÁBRICAS, MAS NEMSEMPRE CONSEGUIAM…
  27. 27. QUANDO NÃO CONSEGUIAM EMPREGO NAS CIDADES, OS CAMPONESESEMIGRAVAM, PROCUR ANDO UMA VIDA MELHOR NOUTRO PAÍS
  28. 28. ANTES DA 2ª METADE DO LEI DO MORGADIO SÉCULO XIX PEDRO TAVARES SÓ O FILHO MAIS VELHO (MORGADO) PODIA HERDAR AS TERRAS QUANDO O PAI MORRESSE EMIGROU PARA O BRASIL TERRENO AGRÍCOLA DA FAMILIA TAVARES JOÃO TAVARES 40 ANOS JOÃO TAVARES HERDA AS 65 ANOS - morre TERRAS JOÃO TAVARES ESTA LEI DO 65 ANOS DONO DAS É MORGADIO UMA… TERRAS CENSURADO RUI TAVARES 35 ANOS AJUDA O IRMÃOJOSÉ TAVARES RUI TAVARES 35 PEDRO TAVARES40 ANOS (Filho ANOS (Filho do 33 ANOS (Filho mais velho – meio) mais novo) Morgado)
  29. 29. NO SÉCULO XIX O BRASIL FOI O PRINCIPAL DESTINODOS EMIGRANTES PORTUGUESES
  30. 30. A CARTA DO BRASIL
  31. 31. ÊXODO RURAL E EMIGRAÇÃOÊXODO RURAL EMIGRAÇÃO SAÍDA DE MUITOS SAÍDA DO CAMPONESES PAÍS ONDE DO CAMPO SE NASCEUPARA A CIDADE PARA OUTRO PRINCIPAL DESTINO: BRASIL

×