O ensino e a população em portugal no século xix

1.142 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.142
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
75
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O ensino e a população em portugal no século xix

  1. 1. Ensino e População emPORTUGALNA SEGUNDA METADEDO SÉCULO XIX
  2. 2. As reformas do ensino.Os vários governos fizeram importantes reformas no ensino:1.“Ensino primário” obrigatório e gratuito;2.Alargaram o “ensino liceal”;3.Fundaram as 1ª escolas do “ensino técnico”;Passos Manuel, ministro de D. Maria II, foi um dos grandes responsáveispelas medidas tomadas na educação.Apesar das medidas tomadas, nos fins do século XIX,grande parte da população continuava analfabeta.Passos Manuel
  3. 3. A maioria das crianças continuaram a nãoir à escola porque precisavam de ajudar ospais na agriculturaO ENSINO Construíram-se muitas escola primáriasporque 90% da população era analfabetaA Cartilha Maternal, doProfessor João de Deus, foiO primeiro livro escolarJOÃO DE DEUS
  4. 4. João de Deus de Nogueira Ramos(São Bartolomeu de Messines, 8 deMarço de 1830 — Lisboa, 11 deJaneiro de 1896), mais conhecido porJoão de Deus, foi um eminente poetalírico, considerado à época o primeirodo seu tempo, e o proponente de ummétodo de ensino da leitura, assentenuma Cartilha Maternal por ele escrita,que teve grande aceitação popular,sendo ainda utilizado.In wikipédia
  5. 5. LICEUS Iam do 5º ano ao 12º anoConstruíram-se muitosLiceus nas cidadesConstruíram-se escolasTécnicas que preparavamos estudantes para umtrabalho no comércioou Indústria
  6. 6. O ENSINO
  7. 7. O 1º DIA NA ESCOLA
  8. 8. PASSOSMANUELEm 1836 foi escolhido por D. Maria IIpara ministro do reinoO pai, um lavrador poucoabastado, fez sacrifíciospara que Passos Manueltirasse o curso de Direito• Incentivou os cursospráticos nas Universidades• Criou a Academia dasBelas Artes• Reformulou o plano deestudos das escola primáriasE M H O M E N AG E M A PAS S O S M AN U E L , U M D O S M AI SAN T I G O S L I C E U S D E P O R T U G AL T E M O S E U N O M E
  9. 9. UNIVERSIDADESCriaram-se novos cursos,virados para a vida práticaOs estudantes universitárioseram, sobretudo, filhos deburgueses.MEDICINAQUÍMICAARQUITECTURA
  10. 10. OS AVANÇOS NA MEDICINA
  11. 11. ENSINOCONSTRUÇÃO•ESCOLASPRIMÁRIAS• LICEUSREFORMAS NASUNIVERSIDADESCURSOS MAISPRÁTICOSPASSOS MANUEL• MINISTRO DE D.MARIA II•PRINCIPALRESPONSÁVELPELASTRANSFORMAÇÕESNOENSINO
  12. 12. A POPULAÇÃO PORTUGUESANA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX
  13. 13. Os Movimentos da população• No séc. XIX,em Portugal,tal como noresto daEuropaverificou-se umcrescimento dapopulação .0123456milhões de habitantesmilhõesdehabitantes
  14. 14. A POPULAÇÃO AUMENTOUCausas:melhor alimentação; Melhor assistência médica;Criação de novos hospitais;melhores condições de higiene;* Consequências:Baixa a taxa de mortalidade eaumenta a taxa de natalidade.O Litoral Norte de Portugal era mais povoadodo que o Interior e sul do País.A população concentrava-se à volta dascidades: Porto / Lisboa.A consulta médica
  15. 15. • As transformações na agriculturapermitiram que a população sealimentasse melhor e morresse menos.• Os progressos nas áreas da saúde e dahigiene contribuíram também para umadiminuição do número de mortes.
  16. 16. EM CONCLUSÃO:Factores que contribuíram para ocrescimento da população• - Melhoria da alimentação• - Desenvolvimento da medicina emelhores condições de saúde.• -Melhoria nos cuidados de higiene.• -Ausência de guerras em Portugal.
  17. 17. A contagem da população.Os numeramentos: contagem do número de fogos (casas) enão de pessoas.Recenseamento : (ou censo) = contagem do númerode habitantes.O 1º foi feito em 1864 no reinado de D. Luís I.A partir de 1890, foi feitode 10 em 10 anos.Registos mais seguros.No século XIX, houve umcrescimento da população.
  18. 18. RecenseamentosO primeiro recenseamento da populaçãoportuguesa foi feito em 1864. Durou doisanos e apurou-se que havia 3 829 619habitantes em Portugal.Na segunda metade do século XIX apopulação aumentou; concentrava-sesobretudo em torno de Lisboa e Porto eno litoral norte.Este crescimento, COMO JÁ VIMOS, ficoua dever-se à melhoria das condições devida.
  19. 19. Crescimento da populaçãoDiminuição donúmero de mortes.Mais alimentosMais higieneMais cuidados médicos
  20. 20. O êxodo rural• Com a crescente utilização de máquinas amão-de-obra foi sendo dispensada naagricultura.• O trabalho era mal remunerado e oscamponeses migraram para o litoral àprocura de melhores condições de vidapara si e para a sua família.
  21. 21. • O aumento da população e a mecanização agrícolaregistada em algumas propriedades fizeram comque muitos camponeses não conseguissememprego.• Muitos outros recebiam salários miseráveis, quemal davam para sustentar a família.• Os novos meios de comunicação e de transportefacilitavam a chegada de notícias e de pessoas quetinham partido antes e que tinham sido bemsucedidas na vida.• Foi, para as grandes cidades do litoral – Lisboa ePorto – que partiram mais camponeses, aumentadoo número de pessoas que aí vivia e acentuando oscontrastes que sempre existiram na distribuição dapopulação.
  22. 22. A DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃOA maior parte da população vivia no Litoral e a norte do rioTejo, onde há relevo pouco acidentado, clima ameno, solosférteis, portos marítimos, mais actividades económicas,hospitais, escolas e boas vias de comunicação.
  23. 23. PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIXA PopulaçãoMIGRAÇÕES INTERNASO aumento da população e asmáquinas agrícolas provocaram odesemprego no campo, verificando-seassim um ÊXODO RURAL para olitoral,sobretudo Lisboa e Porto –MIGRAÇÕES INTERNAS.A EMIGRAÇÃOOutros portugueses partiram paraÁfrica ou para a América do Norte.Mas, o destino preferido era o Brasil.Alguns regressaram ricos à sua terraMOVIMENTOS DA POPULAÇÃO
  24. 24. ÊXODO RURAL
  25. 25. O ÊXODOR U R A LS A Í D A D E M U I T O S C A M P O N E S E SD O S C A M P O S P A R A A S C I D A D E SD E V I D O A O D E S E M P R E G O E ÀP O B R E Z A .
  26. 26. N A S C I D A D E S , O S C A M P O N E S E S P R O C U R A V A MT R A B A L H O , S O B R E T U D O N A S F Á B R I C A S , M A S N E MS E M P R E C O N S E G U I A M …
  27. 27. Q U A N D O N Ã OC O N S E G U I A ME M P R E G O N A SC I D A D E S , O SC A M P O N E S E SE M I G R A V A M , P R O C U RA N D O U M A V I D AM E L H O R N O U T R OP A Í S
  28. 28. LEI DO MORGADIOSÓ O FILHO MAIS VELHO (MORGADO) PODIA HERDAR AS TERRAS QUANDO O PAI MORRESSEANTES DA 2ªMETADE DOSÉCULO XIXTERRENO AGRÍCOLA DA FAMILIA TAVARESJOÃO TAVARES65 ANOSDONO DASTERRASJOÃO TAVARES65 ANOS - morreJOSÉ TAVARES40 ANOS (Filhomais velho –Morgado)RUI TAVARES 35ANOS (Filho domeio)PEDRO TAVARES33 ANOS (Filhomais novo)JOÃO TAVARES40 ANOSHERDA ASTERRASRUI TAVARES 35ANOSAJUDA O IRMÃOPEDRO TAVARESEMIGROU PARA OBRASILESTA LEI DOMORGADIO ÉUMA…CENSURADO
  29. 29. N O S É C U L O X I X O B R A S I L F O I O P R I N C I P A L D E S T I N OD O S E M I G R A N T E S P O R T U G U E S E S
  30. 30. A CARTA DO BRASIL
  31. 31. ÊXODO RURAL E EMIGRAÇÃOSAÍDA DEMUITOSCAMPONESESDO CAMPOPARA A CIDADEÊXODO RURALEMIGRAÇÃOSAÍDA DOPAÍS ONDESE NASCEUPARA OUTROPRINCIPALDESTINO:BRASIL

×