SlideShare uma empresa Scribd logo
 
 
 
Regeneração era um movimento político que queria fazer recuperar Portugal do atraso económico em que o país estava. O grande político que orientou este movimento foi  FONTES PEREIRA de MELO
[object Object],[object Object]
 
 
Até ao séc. XIX, a maior parte das pessoas vivia no campo e trabalhava na agricultura. Contudo, a produção agrícola era pouca e não chegava para alimentar a população.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Terreno BALDIO
Algumas dúvidas: Quem é que podia  comprar  as terras? R: Só os burgueses ricos porque tinham dinheiro vindo do comércio. Os camponeses e muitos nobres estavam arruinados com a guerra civil; O que é um  MORGADIO? R:  Era o direito que tinha o filho mais velho, o MORGADO, de herdar todos os bens dos pais, não dando nada para os outros irmãos; O que é um  BALDIO ? R:  Eram os terrenos que nunca tinham sido cultivados e eram utilizados nas aldeias por todos para pastar o gado ou tirar lenha;
Com estas medidas passou-se a ter mais terrenos para cultivar e mais donos de terras que podiam cultivar ; Agora era preciso  modernizar a AGRICULTURA  , usando novas técnicas agrícolas;
Antes do século XIX, os terrenos onde se cultivavam os cereais ficavam  em POUSIO  ( em descanso) um, dois ou mais anos para se recomporem do desgaste. No século XIX descobriu-se que no terreno onde se tinham plantado cerais, podia-se, de seguida, plantar batatas, nabos, ou outros produtos diferentes. A produção continuava a ser boa. Era preciso  ALTERNAR  AS  CULTURAS .
ASSIM :
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
[object Object],Milho  – no noroeste, cultura de Verão, que era alternada no Outono/Inverno com prados para o gado . Arroz  – junto aos rios Sado, Tejo e Mondego: aumento da área cultivada e passou a ser consumido em maior quantidade. Batata  – esta cultura espalhou-se por todo o País, principalmente a norte do rio Tejo, substituindo a castanha na alimentação.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
ANTES Adubavam as terras com estrume proveniente dos excrementos de bois, cavalos, etc.
DEPOIS
[object Object],[object Object]
ANTES
 
DEPOIS
 
[object Object],[object Object]
 
 
 
 
[object Object],Novos proprietários de terras na 2.ª metade do séc. XIX Burgueses que compraram as terras confiscadas ao clero e compraram à nobreza arruinada. Todos os filhos passaram a ser herdeiros das terras. (terminou o direito do MORGADIO) Camponeses apropriaram-se de terras bravias. (BALDIOS)
[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

C3 portugal na segunda metade do século xix (1ª parte)
C3   portugal na segunda metade do século xix (1ª parte)C3   portugal na segunda metade do século xix (1ª parte)
C3 portugal na segunda metade do século xix (1ª parte)
Carlos Vaz
 
Portugal na 2.ª metade do século xix
Portugal na 2.ª metade do século xixPortugal na 2.ª metade do século xix
Portugal na 2.ª metade do século xix
sylvialuzo
 
A ModernizaçãO
A ModernizaçãOA ModernizaçãO
A ModernizaçãO
jdlimaaear
 
1261614021 portugal na_segunda_metade_do_seculo_xix
1261614021 portugal na_segunda_metade_do_seculo_xix1261614021 portugal na_segunda_metade_do_seculo_xix
1261614021 portugal na_segunda_metade_do_seculo_xix
Pelo Siro
 
O atraso na agricultura
O atraso na agriculturaO atraso na agricultura
O atraso na agricultura
maria40
 
Hgp telegrafo séc xix pedro pereira 6ºb n.24
Hgp telegrafo  séc xix  pedro pereira 6ºb n.24Hgp telegrafo  séc xix  pedro pereira 6ºb n.24
Hgp telegrafo séc xix pedro pereira 6ºb n.24
Ana Paiva
 
Portugal na segunda metade do século xix
Portugal na segunda metade do século xixPortugal na segunda metade do século xix
Portugal na segunda metade do século xix
David Antunes
 
O ensino e a população em portugal do século xix
O ensino e a população em portugal do século xixO ensino e a população em portugal do século xix
O ensino e a população em portugal do século xix
anabelasilvasobral
 
PORTUGAL NA 2ª METADE DO SÉC. XIX
PORTUGAL NA 2ª METADE DO SÉC. XIXPORTUGAL NA 2ª METADE DO SÉC. XIX
PORTUGAL NA 2ª METADE DO SÉC. XIX
guestbfbc7a
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
Ana Barreiros
 
G1 a revolução agricola e arranque industrial
G1 a revolução agricola e arranque industrialG1 a revolução agricola e arranque industrial
G1 a revolução agricola e arranque industrial
Vítor Santos
 
Vida quotidiana cidade século xix
Vida quotidiana cidade   século xixVida quotidiana cidade   século xix
Vida quotidiana cidade século xix
cameloburro
 
revolução agrícola
revolução agrícolarevolução agrícola
revolução agrícola
Ana Batista
 
38 portugal no século xix
38   portugal no século xix38   portugal no século xix
38 portugal no século xix
Carla Freitas
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
Ana Batista
 
A vida na cidade em Portugal no século XIX
A vida  na cidade em Portugal no século XIXA vida  na cidade em Portugal no século XIX
A vida na cidade em Portugal no século XIX
anabelasilvasobral
 
Portugal na 2ª metade do século XIX
Portugal na 2ª metade do século XIXPortugal na 2ª metade do século XIX
Portugal na 2ª metade do século XIX
martamariafonseca
 
Portugal no sec.xix
Portugal no sec.xixPortugal no sec.xix
Portugal no sec.xix
cattonia
 
A vida quotidiana na cidade no século XIX
A vida quotidiana na cidade no século XIXA vida quotidiana na cidade no século XIX
A vida quotidiana na cidade no século XIX
Paulo Saraiva
 
Vida quotidiana campo século xix
Vida quotidiana campo  século xixVida quotidiana campo  século xix
Vida quotidiana campo século xix
cameloburro
 

Mais procurados (20)

C3 portugal na segunda metade do século xix (1ª parte)
C3   portugal na segunda metade do século xix (1ª parte)C3   portugal na segunda metade do século xix (1ª parte)
C3 portugal na segunda metade do século xix (1ª parte)
 
Portugal na 2.ª metade do século xix
Portugal na 2.ª metade do século xixPortugal na 2.ª metade do século xix
Portugal na 2.ª metade do século xix
 
A ModernizaçãO
A ModernizaçãOA ModernizaçãO
A ModernizaçãO
 
1261614021 portugal na_segunda_metade_do_seculo_xix
1261614021 portugal na_segunda_metade_do_seculo_xix1261614021 portugal na_segunda_metade_do_seculo_xix
1261614021 portugal na_segunda_metade_do_seculo_xix
 
O atraso na agricultura
O atraso na agriculturaO atraso na agricultura
O atraso na agricultura
 
Hgp telegrafo séc xix pedro pereira 6ºb n.24
Hgp telegrafo  séc xix  pedro pereira 6ºb n.24Hgp telegrafo  séc xix  pedro pereira 6ºb n.24
Hgp telegrafo séc xix pedro pereira 6ºb n.24
 
Portugal na segunda metade do século xix
Portugal na segunda metade do século xixPortugal na segunda metade do século xix
Portugal na segunda metade do século xix
 
O ensino e a população em portugal do século xix
O ensino e a população em portugal do século xixO ensino e a população em portugal do século xix
O ensino e a população em portugal do século xix
 
PORTUGAL NA 2ª METADE DO SÉC. XIX
PORTUGAL NA 2ª METADE DO SÉC. XIXPORTUGAL NA 2ª METADE DO SÉC. XIX
PORTUGAL NA 2ª METADE DO SÉC. XIX
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
 
G1 a revolução agricola e arranque industrial
G1 a revolução agricola e arranque industrialG1 a revolução agricola e arranque industrial
G1 a revolução agricola e arranque industrial
 
Vida quotidiana cidade século xix
Vida quotidiana cidade   século xixVida quotidiana cidade   século xix
Vida quotidiana cidade século xix
 
revolução agrícola
revolução agrícolarevolução agrícola
revolução agrícola
 
38 portugal no século xix
38   portugal no século xix38   portugal no século xix
38 portugal no século xix
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
 
A vida na cidade em Portugal no século XIX
A vida  na cidade em Portugal no século XIXA vida  na cidade em Portugal no século XIX
A vida na cidade em Portugal no século XIX
 
Portugal na 2ª metade do século XIX
Portugal na 2ª metade do século XIXPortugal na 2ª metade do século XIX
Portugal na 2ª metade do século XIX
 
Portugal no sec.xix
Portugal no sec.xixPortugal no sec.xix
Portugal no sec.xix
 
A vida quotidiana na cidade no século XIX
A vida quotidiana na cidade no século XIXA vida quotidiana na cidade no século XIX
A vida quotidiana na cidade no século XIX
 
Vida quotidiana campo século xix
Vida quotidiana campo  século xixVida quotidiana campo  século xix
Vida quotidiana campo século xix
 

Destaque

Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3
UERGS
 
Histórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agriculturaHistórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agricultura
Alex Samuel Rodrigues
 
Origens da agricultura: Revolução Agrícola Neolítica
Origens da agricultura: Revolução Agrícola NeolíticaOrigens da agricultura: Revolução Agrícola Neolítica
Origens da agricultura: Revolução Agrícola Neolítica
Josemar da Silva Alves Bonho
 
Origem da agricultura e revolução verde
Origem da agricultura e revolução verdeOrigem da agricultura e revolução verde
Origem da agricultura e revolução verde
igor-oliveira
 
A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
Maria Adelaide
 
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIXPortugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Sandra Sousa
 
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
Joana Filipa Rodrigues
 
Revolução verde
Revolução verdeRevolução verde
Revolução verde
komartiins
 
Avida Quotidiana No Sec. Xiii Mosteiros
Avida Quotidiana No Sec. Xiii MosteirosAvida Quotidiana No Sec. Xiii Mosteiros
Avida Quotidiana No Sec. Xiii Mosteiros
Manuela Cavaco
 
A vida no campo em Portugal no século XIX
A vida no campo  em Portugal no século XIXA vida no campo  em Portugal no século XIX
A vida no campo em Portugal no século XIX
anabelasilvasobral
 
Origem, evolução e domesticação das plantas
Origem, evolução e domesticação das plantasOrigem, evolução e domesticação das plantas
Origem, evolução e domesticação das plantas
UERGS
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
Allan Dantas Borges
 
Cultura empreendedorismo e_oportunidades
Cultura empreendedorismo e_oportunidadesCultura empreendedorismo e_oportunidades
Cultura empreendedorismo e_oportunidades
CRIST1976
 
072 técnicas agrícolas e industriais
072   técnicas agrícolas e industriais072   técnicas agrícolas e industriais
072 técnicas agrícolas e industriais
pibiduergsmontenegro
 
Política Agrícola Comum 2014 2020
Política Agrícola Comum 2014 2020Política Agrícola Comum 2014 2020
Política Agrícola Comum 2014 2020
Paulo Sousa
 
Agricultura em Portugal
Agricultura em PortugalAgricultura em Portugal
Agricultura em Portugal
kyzinha
 
Grupo 04
Grupo 04Grupo 04
Relevâncias a evolução do trabalho
Relevâncias a evolução do trabalhoRelevâncias a evolução do trabalho
Relevâncias a evolução do trabalho
Jéssica Lorena Jardim de Carvallho
 
Mosteiros
MosteirosMosteiros
Mosteiros
eliapaias
 
Petróleo no mundo
Petróleo no mundoPetróleo no mundo
Petróleo no mundo
Manu Costa
 

Destaque (20)

Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3
 
Histórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agriculturaHistórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agricultura
 
Origens da agricultura: Revolução Agrícola Neolítica
Origens da agricultura: Revolução Agrícola NeolíticaOrigens da agricultura: Revolução Agrícola Neolítica
Origens da agricultura: Revolução Agrícola Neolítica
 
Origem da agricultura e revolução verde
Origem da agricultura e revolução verdeOrigem da agricultura e revolução verde
Origem da agricultura e revolução verde
 
A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
 
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIXPortugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIX
 
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
A Agricultura portuguesa (11º ano) e a Ação erosiva do mar (10º ano)
 
Revolução verde
Revolução verdeRevolução verde
Revolução verde
 
Avida Quotidiana No Sec. Xiii Mosteiros
Avida Quotidiana No Sec. Xiii MosteirosAvida Quotidiana No Sec. Xiii Mosteiros
Avida Quotidiana No Sec. Xiii Mosteiros
 
A vida no campo em Portugal no século XIX
A vida no campo  em Portugal no século XIXA vida no campo  em Portugal no século XIX
A vida no campo em Portugal no século XIX
 
Origem, evolução e domesticação das plantas
Origem, evolução e domesticação das plantasOrigem, evolução e domesticação das plantas
Origem, evolução e domesticação das plantas
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Cultura empreendedorismo e_oportunidades
Cultura empreendedorismo e_oportunidadesCultura empreendedorismo e_oportunidades
Cultura empreendedorismo e_oportunidades
 
072 técnicas agrícolas e industriais
072   técnicas agrícolas e industriais072   técnicas agrícolas e industriais
072 técnicas agrícolas e industriais
 
Política Agrícola Comum 2014 2020
Política Agrícola Comum 2014 2020Política Agrícola Comum 2014 2020
Política Agrícola Comum 2014 2020
 
Agricultura em Portugal
Agricultura em PortugalAgricultura em Portugal
Agricultura em Portugal
 
Grupo 04
Grupo 04Grupo 04
Grupo 04
 
Relevâncias a evolução do trabalho
Relevâncias a evolução do trabalhoRelevâncias a evolução do trabalho
Relevâncias a evolução do trabalho
 
Mosteiros
MosteirosMosteiros
Mosteiros
 
Petróleo no mundo
Petróleo no mundoPetróleo no mundo
Petróleo no mundo
 

Semelhante a Parte 1ª a agricultura

Parte 1ª a agricultura
  Parte 1ª a agricultura  Parte 1ª a agricultura
Parte 1ª a agricultura
anabelasilvasobral
 
6º mudancas no campo
6º mudancas no campo6º mudancas no campo
6º mudancas no campo
História
 
995
995995
12 portugalnasegundametadedoseculoxix
12 portugalnasegundametadedoseculoxix12 portugalnasegundametadedoseculoxix
12 portugalnasegundametadedoseculoxix
R C
 
O EspaçO AgropecuáRio Brasileiro Estrutura FundiáRia E Conflitos De Terra No...
O EspaçO AgropecuáRio Brasileiro  Estrutura FundiáRia E Conflitos De Terra No...O EspaçO AgropecuáRio Brasileiro  Estrutura FundiáRia E Conflitos De Terra No...
O EspaçO AgropecuáRio Brasileiro Estrutura FundiáRia E Conflitos De Terra No...
ProfMario De Mori
 
Do Campo à Cidade
Do Campo à CidadeDo Campo à Cidade
Do Campo à Cidade
jdlimaaear
 
estruturafundiriabrasileira
estruturafundiriabrasileiraestruturafundiriabrasileira
estruturafundiriabrasileira
IsadoraPaulino2
 
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
hsjval
 
A segunda metade do século XIX
A segunda metade do século XIXA segunda metade do século XIX
A segunda metade do século XIX
Joao Soares
 
Portugal do seculo_xviii_ao_seculo_xix
Portugal do seculo_xviii_ao_seculo_xixPortugal do seculo_xviii_ao_seculo_xix
Portugal do seculo_xviii_ao_seculo_xix
cattonia
 
Resumos historia
Resumos historiaResumos historia
Resumos historia
Elisa Dias
 
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Gabriel Resende
 
Estrutura fundiária brasileira
Estrutura fundiária brasileiraEstrutura fundiária brasileira
Estrutura fundiária brasileira
Colégio Nova Geração COC
 
Mato grosso
Mato grossoMato grosso
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colônia
Rose Vital
 
A vida quotidiana
A vida quotidiana A vida quotidiana
A vida quotidiana
Ana Beatriz Gonçalves
 
Final da idade média
Final da idade médiaFinal da idade média
Final da idade média
caldarte
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Luise Moura
 
Portugal no xix
Portugal no xixPortugal no xix
Portugal no xix
AnaM187
 
O sistema colonial português na américa
O sistema colonial português na américaO sistema colonial português na américa
O sistema colonial português na américa
Daniel IX
 

Semelhante a Parte 1ª a agricultura (20)

Parte 1ª a agricultura
  Parte 1ª a agricultura  Parte 1ª a agricultura
Parte 1ª a agricultura
 
6º mudancas no campo
6º mudancas no campo6º mudancas no campo
6º mudancas no campo
 
995
995995
995
 
12 portugalnasegundametadedoseculoxix
12 portugalnasegundametadedoseculoxix12 portugalnasegundametadedoseculoxix
12 portugalnasegundametadedoseculoxix
 
O EspaçO AgropecuáRio Brasileiro Estrutura FundiáRia E Conflitos De Terra No...
O EspaçO AgropecuáRio Brasileiro  Estrutura FundiáRia E Conflitos De Terra No...O EspaçO AgropecuáRio Brasileiro  Estrutura FundiáRia E Conflitos De Terra No...
O EspaçO AgropecuáRio Brasileiro Estrutura FundiáRia E Conflitos De Terra No...
 
Do Campo à Cidade
Do Campo à CidadeDo Campo à Cidade
Do Campo à Cidade
 
estruturafundiriabrasileira
estruturafundiriabrasileiraestruturafundiriabrasileira
estruturafundiriabrasileira
 
Revolucao Industrial
Revolucao IndustrialRevolucao Industrial
Revolucao Industrial
 
A segunda metade do século XIX
A segunda metade do século XIXA segunda metade do século XIX
A segunda metade do século XIX
 
Portugal do seculo_xviii_ao_seculo_xix
Portugal do seculo_xviii_ao_seculo_xixPortugal do seculo_xviii_ao_seculo_xix
Portugal do seculo_xviii_ao_seculo_xix
 
Resumos historia
Resumos historiaResumos historia
Resumos historia
 
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
 
Estrutura fundiária brasileira
Estrutura fundiária brasileiraEstrutura fundiária brasileira
Estrutura fundiária brasileira
 
Mato grosso
Mato grossoMato grosso
Mato grosso
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colônia
 
A vida quotidiana
A vida quotidiana A vida quotidiana
A vida quotidiana
 
Final da idade média
Final da idade médiaFinal da idade média
Final da idade média
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Portugal no xix
Portugal no xixPortugal no xix
Portugal no xix
 
O sistema colonial português na américa
O sistema colonial português na américaO sistema colonial português na américa
O sistema colonial português na américa
 

Mais de anabelasilvasobral

Composição
ComposiçãoComposição
Composição
anabelasilvasobral
 
Invisivel
InvisivelInvisivel
Lançamento do ano letivo 2012
Lançamento do ano letivo 2012Lançamento do ano letivo 2012
Lançamento do ano letivo 2012
anabelasilvasobral
 
A história da 1ª republica
A história da 1ª republicaA história da 1ª republica
A história da 1ª republica
anabelasilvasobral
 
Escrever uma carta
Escrever uma cartaEscrever uma carta
Escrever uma carta
anabelasilvasobral
 
D.carlos
D.carlosD.carlos
Malhoa
MalhoaMalhoa
Antigas profissões
Antigas profissõesAntigas profissões
Antigas profissões
anabelasilvasobral
 
Oficios
OficiosOficios
A arte e a cultura em Portugal do século XIX
A arte e a cultura em Portugal do século XIXA arte e a cultura em Portugal do século XIX
A arte e a cultura em Portugal do século XIX
anabelasilvasobral
 
Oldtimers
Oldtimers Oldtimers
Oldtimers
anabelasilvasobral
 
Parte 3ª os transportes e as comunicações no século xix
Parte 3ª   os transportes e as comunicações no século xixParte 3ª   os transportes e as comunicações no século xix
Parte 3ª os transportes e as comunicações no século xix
anabelasilvasobral
 
Parte 2ª a industria na segunda metade do século xix
Parte 2ª   a industria na segunda metade do século xixParte 2ª   a industria na segunda metade do século xix
Parte 2ª a industria na segunda metade do século xix
anabelasilvasobral
 
O império colonial português no século XVIII
O império colonial português no século XVIIIO império colonial português no século XVIII
O império colonial português no século XVIII
anabelasilvasobral
 
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouroO ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
anabelasilvasobral
 
O reinado de D.João V
O reinado de D.João VO reinado de D.João V
O reinado de D.João V
anabelasilvasobral
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5
anabelasilvasobral
 
O império português do oriente parte 4
O império português do oriente  parte 4O império português do oriente  parte 4
O império português do oriente parte 4
anabelasilvasobral
 
O império português do oriente parte 3
O império português do oriente  parte 3O império português do oriente  parte 3
O império português do oriente parte 3
anabelasilvasobral
 

Mais de anabelasilvasobral (20)

Composição
ComposiçãoComposição
Composição
 
Invisivel
InvisivelInvisivel
Invisivel
 
Preaviso greve manif12_jul
Preaviso greve manif12_julPreaviso greve manif12_jul
Preaviso greve manif12_jul
 
Lançamento do ano letivo 2012
Lançamento do ano letivo 2012Lançamento do ano letivo 2012
Lançamento do ano letivo 2012
 
A história da 1ª republica
A história da 1ª republicaA história da 1ª republica
A história da 1ª republica
 
Escrever uma carta
Escrever uma cartaEscrever uma carta
Escrever uma carta
 
D.carlos
D.carlosD.carlos
D.carlos
 
Malhoa
MalhoaMalhoa
Malhoa
 
Antigas profissões
Antigas profissõesAntigas profissões
Antigas profissões
 
Oficios
OficiosOficios
Oficios
 
A arte e a cultura em Portugal do século XIX
A arte e a cultura em Portugal do século XIXA arte e a cultura em Portugal do século XIX
A arte e a cultura em Portugal do século XIX
 
Oldtimers
Oldtimers Oldtimers
Oldtimers
 
Parte 3ª os transportes e as comunicações no século xix
Parte 3ª   os transportes e as comunicações no século xixParte 3ª   os transportes e as comunicações no século xix
Parte 3ª os transportes e as comunicações no século xix
 
Parte 2ª a industria na segunda metade do século xix
Parte 2ª   a industria na segunda metade do século xixParte 2ª   a industria na segunda metade do século xix
Parte 2ª a industria na segunda metade do século xix
 
O império colonial português no século XVIII
O império colonial português no século XVIIIO império colonial português no século XVIII
O império colonial português no século XVIII
 
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouroO ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
 
O reinado de D.João V
O reinado de D.João VO reinado de D.João V
O reinado de D.João V
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5
 
O império português do oriente parte 4
O império português do oriente  parte 4O império português do oriente  parte 4
O império português do oriente parte 4
 
O império português do oriente parte 3
O império português do oriente  parte 3O império português do oriente  parte 3
O império português do oriente parte 3
 

Último

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 

Último (20)

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 

Parte 1ª a agricultura

  • 1.  
  • 2.  
  • 3.  
  • 4. Regeneração era um movimento político que queria fazer recuperar Portugal do atraso económico em que o país estava. O grande político que orientou este movimento foi FONTES PEREIRA de MELO
  • 5.
  • 6.  
  • 7.  
  • 8. Até ao séc. XIX, a maior parte das pessoas vivia no campo e trabalhava na agricultura. Contudo, a produção agrícola era pouca e não chegava para alimentar a população.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 13. Algumas dúvidas: Quem é que podia comprar as terras? R: Só os burgueses ricos porque tinham dinheiro vindo do comércio. Os camponeses e muitos nobres estavam arruinados com a guerra civil; O que é um MORGADIO? R: Era o direito que tinha o filho mais velho, o MORGADO, de herdar todos os bens dos pais, não dando nada para os outros irmãos; O que é um BALDIO ? R: Eram os terrenos que nunca tinham sido cultivados e eram utilizados nas aldeias por todos para pastar o gado ou tirar lenha;
  • 14. Com estas medidas passou-se a ter mais terrenos para cultivar e mais donos de terras que podiam cultivar ; Agora era preciso modernizar a AGRICULTURA , usando novas técnicas agrícolas;
  • 15. Antes do século XIX, os terrenos onde se cultivavam os cereais ficavam em POUSIO ( em descanso) um, dois ou mais anos para se recomporem do desgaste. No século XIX descobriu-se que no terreno onde se tinham plantado cerais, podia-se, de seguida, plantar batatas, nabos, ou outros produtos diferentes. A produção continuava a ser boa. Era preciso ALTERNAR AS CULTURAS .
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21. ANTES Adubavam as terras com estrume proveniente dos excrementos de bois, cavalos, etc.
  • 23.
  • 24. ANTES
  • 25.  
  • 27.  
  • 28.
  • 29.  
  • 30.  
  • 31.  
  • 32.  
  • 33.
  • 34.