SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 67
A literatura
   enquanto
catalisadora da
mudança social
  Rafael Reinehr
A
propaganda
 socialista
A propaganda
  espiritual
Algumas obras...
Fábulas: George Orwell em A Revolução dos
Bichos

Jornada imaginária: Jonathan Swift em As
Viagens de Gulliver

Fantasias utópicas: A Utopia, de Thomas
Morus - Admirável Mundo Novo, de Aldous
Huxley - 1984, de George Orwell
“Eu vejo o protesto como uma forma genuína de encorajar alguém a sentir as
inconsistências, o horror das vidas que levamos. O protesto social está dizendo
que não precisamos viver dessa forma. Se sentimos profundamente, e encorajamos
nós mesmos e outros a sentir profundamente, encontraremos o germe das nossas
respostas sobre a mudança. Porque uma vez que reconheçamos o que estamos
sentindo, que reconheçamos que podemos sentir profundamente, amar
profundamente, sentir encantamento, então vamos demandar que todas partes de
nossas vidas produzam tal tipo de encantamento. E se elas não o fizerem, vamos
perguntar: “Porque elas não o fazem?” E é a pergunta que irá nos guiar para a
inevitável mudança social. Assim, a questão do protesto social e da arte é
inseparável para mim. (...) Arte pela arte não existe para mim. (...) Eu amo a
poesia e amo as palavras, mas o que é bonito precisa servir ao propósito de mudar
minha vida, ou eu teria morrido. Se eu não puder ventilar esta dor e alterá-la, eu
certamente dela morrerei. Este é o começo do protesto social.”

Audre Lorde
“Eu sugiro que o papel do artista é transcender a sabedoria convencional,
transcender a palavra do estabelecido, transcender a ortodoxia, ir além e
escapar do que é oferecido pelo governo e do que é dito na mídia... É o
trabalho do artista pensar fora dos limites do permissível e se atrever a
dizer coisas que ninguém mais diria... É absolutamente patriótico
apontar o dedo ao governo e dizer que ele não está fazendo o que deveria
fazer para salvaguardar o direito dos cidadãos à vida, liberdade e busca da
felicidade... Precisamos ser capazes de olhar para nós mesmos, olhar para
nosso país honesta e claramente e tal como podemos examinar as terríveis
coisas que as pessoas fazem em outros lugares, precisamos estar dispostos
a examinar as terríveis coisas que são feitas aqui pelo nosso governo.”

Howard Zinn, Artistas em Tempos de Guerra
Como a literatura
funciona para nós
Ou: dos usos da literatura para a sociedade
                  humana
Sabedoria


Sabedoria acumulada
através de gerações de
escritores, técnicas,
registros, temas,
tópicos, padrões de
reflexão e representação
Exploração

Criação de mundos
possíveis

Imaginação de
experiências dramáticas

Exploração das regras
básicas da natureza
humana e da estrutura
do mundo
Representação ou
Reflexo da Realidade

A experiência humana é
afetiva e simbólica

A literatura usa afetos e
símbolos e pode
representar
genuinamente a
experiência humana
Ideologia ou Visão de
       Mundo
A literatura pode
representar as formas
com que as pessoas
enxergam o mundo

Pode se posicionar
desta ou daquela
maneira, estabelecendo
uma postura ideológica
Código Cultural
Uma roupa tem códigos

Literatura os tem mais
densos e sutis e
complexos que outras
formas de comunicar

A partir do estudo e
aplicação dos códigos, o
escritor consegue levar
a reflexões profundas
Linguagem
Uma boa literatura
consegue engajar o
leitor a refinar suas
capacidades de
linguagem

Aumento da
capacidade de
conceitualização e
entendimento do
mundo
Subjetividade
Temos papéis sociais
que ditam como sentir e
agir

Literatura permite
“modelar” estes papéis
e entrar no papel do
outro

Também examina a
interação das
subjetividades
Função Cultural
Articula valores,
mantendo o poder dos
símbolos em uma cultura

Identifica e aborda
questões relevantes a
uma cultura

Dá senso de identidade a
uma comunidade,
através de suas
narrativas
Algumas ideias
para melhorar o
    mundo
Bibliotecas
Comunitárias
Biblioteca na Base
Comunitária do Jardim
Ranieri
  São Paulo - SP

  espaço ocioso

  base da polícia militar

  cooperação/mutirão

  integração com a
  comunidade
Borrachalioteca


Sabará - MG

Marcos Túlio gostava
de ler, e queria usar seu
tempo livre
Livro Livre,
Livro de Rua
Parada Cultural -
Biblioteca Popular 24h
Brasília - DF

início em um açougue >
6000 livros em uma
parada de ônibus

35 pontos, 600 livros em
cada parada da Asa
Norte
Livros em Locais de
    Circulação
Livros Itinerantes
Biblioteca Livro em
         Roda

Conde - PB

área rural

itinerante - 21 escolas e
3 creches, mais de 2450
crianças e adolescentes
“Ler em Casa”
Picada Café, RS

sacolas de livros
circulam pelos bairros

“Expresso da leitura”-
transporte gratuito até a
Bibl. Pública Municipal

“Saberes da nossa
gente”- aulas
domicilares
Tenda da Biblioteca
      Popular

Trairi - CE

5% dos munícipes em 1
ano

A biblioteca leva tenda
às feiras, eventos,
exposições
Projeto Jegue-Livro
Alto Alegre do Pindaré
- MA

2/3 população em
povoados espalhados

acervo da Casa do
Professor

jovens promovem
atividades de incentivo
à leitura
Bicicloteca

Campo Limpo - SP >
São Paulo - SP

Jardim Maria Sampaio
> Instituto Mobilidade
Verde

O livro vai ao leitor
Crossbooking
“Esquecer” um livro

Um ato de libertação

Um ato de educação

Um ato de cultura

Um ato de desapego

Um ato de humanidade
Oficinas literárias
    gratuitas
Celeiro de Oficinas

Coletivo APonte! - Rede
de Educadores Livres

Favo Araranguá da
Coolmeia

Oficina de Criação de
Minicontos
Oficinas de escrita
     criativa
Projeto Meninos
       Românticos
Hortolândia - SP

Fanzine criado por
crianças, adolescentes e
jovens

canal de expressão

superação da situação
de violação de direitos e
exercício da cidadania
Clube de Leituras
Clube da Leitura

Pirapora - MG

Leo, esposa e filhos
gostavam de ler

Vendiam peixe durante
a semana

Solução: Livro + peixe!
Círculo de Leituras

São Paulo, São
Bernardo, Pernambuco

1800 jovens

multiplicadores

melhor desempenho
escolar, interação,
convivialidade
Criação comunitária
      de livros
Elaboração
comunitária de livro
Vila da Penha, RJ

Resgate das pessoas
comuns da comunidade

Resgate da história da
comunidade

Livro produzido
coletivamente
Poemas no ônibus
Leitura para todos


Belo Horizonte - MG

desde 2004, poemas,
contos e crônicas
Poemas no Ônibus

Em Porto Alegre, há 16
anos

Concurso cultural anual

Centenas de ônibus

A comunidade
participa
Contação de
 Histórias
Poesia Viva - A Poesia
  bate à sua porta
Mariana - MG

uma artista plástica - de
porta em porta -
levando poesia e
literatura para os lares

leitura de poesias,
contos crônicas

distribuição de jornais e
livros
Leitura para bebês na
    UTI neonatal
Rio de Janeiro - RJ

tornar ambiente mais
acolhedor, substituir o
som das máquinas pelo
humano

estabelecer com bebê
diálogo afetivo e
acolhedor
Saraus literários
O Canto das Letras
Bairro Cidade
Tiradentes - SP - 30 mil

escolas públicas,
mistura de arte e leitura

saraus, contação de
história, letramento

participação
comunitária
Feiras do Livro
FLIP

Paraty, RJ

Encontro de escritores
de renome
internacional

Literatura, cultura,
novos escritores,
efervescência
Feira do Livro de Porto
        Alegre
 Mais de 50 anos

 convivialidade

 todos estratos sociais

 mudança da paisagem

 ativação e reativação de
 leitores
Jornadas Literárias de
    Passo Fundo
 Passo Fundo - RS

 Oficinas, grandes
 escritores, prêmios

 Parceria com UPF

 Comunidade participa
 em peso
Mural Público
Inclusão social
Livro falado, uma
questão de cidadania

Curitiba - PR

Vanessa, profa. 7a série

Aumentar a seção de
audiolivros, para
deficientes visuais
Leituras e Vivências com
Recuperandos do Sistema
Prisional
 Nova Lima - MG

 leitura, análise e
 produção de textos

 aumento da habilidade
 de comunicação e auto-
 estima

 10% de reinciência
 criminal, ante 85% da
 média brasileira
Conexão com redes
   de mudança
Aprendizagem, Educação Popular,
Democrática e Libertária

Permacultura, Agroecologia, Alimentação
Saudável

Saúde, Bem-estar e Felicidade

Economia Solidária e Comércio Justo

Comunicação e Mídias Livres
Em relação à
      Literatura...
Oferecer condições para a formação de uma
sociedade leitora

Despertar o prazer de ler

Ocupar espaços públicos e privados com
atividades culturais em torno da leitura

Mobilizar o público para a necessidade da
leitura

Democratizar o acesso aos bens culturais
Nossa Missão


promover ações e soluções que tragam o
verdadeiro e justo benefício ao maior número
possível de pessoas.
Quem somos

Somos uma rede de pessoas organizadas de
forma horizontal e não-hierárquica dedicadas à
tarefa de enfrentar os grandes desafios do
nosso tempo. Somos um grupo de visionários
unidos pela tarefa de encontrar, compartilhar,
discutir e aprimorar informações, atitudes e
soluções voltadas para o Bem Comum.
As ferramentas para construir um brilhante
futuro para todos já estão entre nós. A
Coolmeia se propõe a agregá-las.
Precisamos de melhores ferrramentas,
modelos , ideias e atitudes para mudar o
mundo para melhor.

Quanto mais pessoas tiverem acesso a esses
modelos, ferramentas, ideias e atitudes,
melhores suas próprias ideias se tornarão e
mais ideias e boas atitudes passarão a
acontecer.
Considere esta conversa um convite para
juntar-se à aventura.


Que tipo de futuro você criará?
coolmeia@coolmeia.org

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Oficinas ECOHVALE
Oficinas ECOHVALEOficinas ECOHVALE
Oficinas ECOHVALE
Instituto Uka
 
Atps -literatura_infantil
Atps  -literatura_infantilAtps  -literatura_infantil
Atps -literatura_infantil
mkbariotto
 
Literatura infanto juvenil
Literatura infanto juvenilLiteratura infanto juvenil
Literatura infanto juvenil
bielsvl14
 

Mais procurados (20)

Oficinas ECOHVALE
Oficinas ECOHVALEOficinas ECOHVALE
Oficinas ECOHVALE
 
Oficinas ecohvale
Oficinas ecohvaleOficinas ecohvale
Oficinas ecohvale
 
5844 18542-1-pb
5844 18542-1-pb5844 18542-1-pb
5844 18542-1-pb
 
Re leitura
Re leituraRe leitura
Re leitura
 
Regulamento 2018_ Ajudaris
Regulamento 2018_ AjudarisRegulamento 2018_ Ajudaris
Regulamento 2018_ Ajudaris
 
Arte e cultura
Arte e culturaArte e cultura
Arte e cultura
 
Slide eliane
Slide elianeSlide eliane
Slide eliane
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Ubuntu negras utopias
Ubuntu negras utopiasUbuntu negras utopias
Ubuntu negras utopias
 
Agenda janeiro 2013
Agenda janeiro 2013Agenda janeiro 2013
Agenda janeiro 2013
 
Agenda março 2012
Agenda março 2012Agenda março 2012
Agenda março 2012
 
A natureza da literatura infantil
A natureza da literatura infantilA natureza da literatura infantil
A natureza da literatura infantil
 
Atps -literatura_infantil
Atps  -literatura_infantilAtps  -literatura_infantil
Atps -literatura_infantil
 
Apresentação sobre Bibliotecas Comunitárias e o PMLLLB/SP
Apresentação sobre Bibliotecas Comunitárias e o PMLLLB/SPApresentação sobre Bibliotecas Comunitárias e o PMLLLB/SP
Apresentação sobre Bibliotecas Comunitárias e o PMLLLB/SP
 
Encontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBC
Encontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBCEncontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBC
Encontro Programa Prazer em Ler 2013 - RBBC
 
Literatura infanto juvenil
Literatura infanto juvenilLiteratura infanto juvenil
Literatura infanto juvenil
 
Atps literatura infantil oficial
Atps literatura infantil oficialAtps literatura infantil oficial
Atps literatura infantil oficial
 
Rede brasil de bibliotecas comunitárias uma rede social criada para aproximar...
Rede brasil de bibliotecas comunitárias uma rede social criada para aproximar...Rede brasil de bibliotecas comunitárias uma rede social criada para aproximar...
Rede brasil de bibliotecas comunitárias uma rede social criada para aproximar...
 
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitoresA literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
 
Livro - literatura infantil construção, recepção e descobertas
Livro - literatura infantil construção, recepção e descobertasLivro - literatura infantil construção, recepção e descobertas
Livro - literatura infantil construção, recepção e descobertas
 

Destaque (11)

Mudança e transformação social no brasil
Mudança e transformação social no brasilMudança e transformação social no brasil
Mudança e transformação social no brasil
 
Literatura e sociedade
Literatura e sociedadeLiteratura e sociedade
Literatura e sociedade
 
Mudança e Transformação Social no Brasil
Mudança e Transformação Social no BrasilMudança e Transformação Social no Brasil
Mudança e Transformação Social no Brasil
 
O interesse pela realidade social nas artes e na literatura
O interesse pela realidade social nas artes e na literaturaO interesse pela realidade social nas artes e na literatura
O interesse pela realidade social nas artes e na literatura
 
Mudança Social e Sociologia
Mudança Social e SociologiaMudança Social e Sociologia
Mudança Social e Sociologia
 
Mudancas sociais
Mudancas sociaisMudancas sociais
Mudancas sociais
 
Literatura Trovadorismo Humanismo by Trabalho da hora
Literatura Trovadorismo Humanismo by Trabalho da horaLiteratura Trovadorismo Humanismo by Trabalho da hora
Literatura Trovadorismo Humanismo by Trabalho da hora
 
Mudança Social
Mudança SocialMudança Social
Mudança Social
 
Mudanças sociais
Mudanças sociaisMudanças sociais
Mudanças sociais
 
A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974
 
O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974
 

Semelhante a A literatura enquanto catalisadora da mudança social

Programacao 40pag semana-literaria2013_londrina 3
Programacao 40pag semana-literaria2013_londrina 3Programacao 40pag semana-literaria2013_londrina 3
Programacao 40pag semana-literaria2013_londrina 3
Claudio Osti
 
Ppt c cj cultura de paz, out 2008
Ppt c cj cultura de paz, out 2008Ppt c cj cultura de paz, out 2008
Ppt c cj cultura de paz, out 2008
Lala Deheinzelin
 
Tessituras: apresentação de Rosane Castro
Tessituras: apresentação de Rosane CastroTessituras: apresentação de Rosane Castro
Tessituras: apresentação de Rosane Castro
Ana Paula Cecato
 
A arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e culturaA arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e cultura
Fabiola Oliveira
 

Semelhante a A literatura enquanto catalisadora da mudança social (20)

Congresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltas
Congresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltasCongresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltas
Congresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltas
 
Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59
Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59
Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59
 
ELETIVA GRACIELA.docx
ELETIVA GRACIELA.docxELETIVA GRACIELA.docx
ELETIVA GRACIELA.docx
 
Corpo e movimento
Corpo e movimentoCorpo e movimento
Corpo e movimento
 
Programacao 40pag semana-literaria2013_londrina 3
Programacao 40pag semana-literaria2013_londrina 3Programacao 40pag semana-literaria2013_londrina 3
Programacao 40pag semana-literaria2013_londrina 3
 
Módulo 3
Módulo 3Módulo 3
Módulo 3
 
Revista ZN - Junho/2016
Revista ZN - Junho/2016Revista ZN - Junho/2016
Revista ZN - Junho/2016
 
Aula 20 cultura, conhecimento e poder
Aula 20   cultura, conhecimento e poderAula 20   cultura, conhecimento e poder
Aula 20 cultura, conhecimento e poder
 
linguistica textual
 linguistica textual  linguistica textual
linguistica textual
 
Ppt c cj cultura de paz, out 2008
Ppt c cj cultura de paz, out 2008Ppt c cj cultura de paz, out 2008
Ppt c cj cultura de paz, out 2008
 
Tessituras: apresentação de Rosane Castro
Tessituras: apresentação de Rosane CastroTessituras: apresentação de Rosane Castro
Tessituras: apresentação de Rosane Castro
 
Cartilha de Festas Religiosas
Cartilha de Festas ReligiosasCartilha de Festas Religiosas
Cartilha de Festas Religiosas
 
Roteiro de-leitura-publica
Roteiro de-leitura-publicaRoteiro de-leitura-publica
Roteiro de-leitura-publica
 
Atv4marcia
Atv4marciaAtv4marcia
Atv4marcia
 
Palestra leitura um convite ao conhecimento_final
Palestra leitura um convite ao conhecimento_finalPalestra leitura um convite ao conhecimento_final
Palestra leitura um convite ao conhecimento_final
 
Funções do texto literário - 1° ano Ensino médio
Funções do texto literário - 1° ano Ensino médioFunções do texto literário - 1° ano Ensino médio
Funções do texto literário - 1° ano Ensino médio
 
Oficina de leitura e interpretação david araujo
Oficina de leitura e interpretação david araujoOficina de leitura e interpretação david araujo
Oficina de leitura e interpretação david araujo
 
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
 
Opará Revista vol 2 - Apresentação
Opará Revista vol 2 - ApresentaçãoOpará Revista vol 2 - Apresentação
Opará Revista vol 2 - Apresentação
 
A arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e culturaA arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e cultura
 

Mais de Coolmeia, Ideias em Cooperação (7)

Carta de Principios da Coolmeia
Carta de Principios da CoolmeiaCarta de Principios da Coolmeia
Carta de Principios da Coolmeia
 
Oficina de minicontos
Oficina de minicontosOficina de minicontos
Oficina de minicontos
 
Saúde
SaúdeSaúde
Saúde
 
Teias de aprendizagem
Teias de aprendizagemTeias de aprendizagem
Teias de aprendizagem
 
Ivan illich sociedade desescolarizada ii - o retorno
Ivan illich   sociedade desescolarizada ii - o retornoIvan illich   sociedade desescolarizada ii - o retorno
Ivan illich sociedade desescolarizada ii - o retorno
 
Cinco caminhos para o bem-estar
Cinco caminhos para o bem-estarCinco caminhos para o bem-estar
Cinco caminhos para o bem-estar
 
Coolmeia, Ideias em Cooperação (CIRS 2011)
Coolmeia, Ideias em Cooperação (CIRS 2011)Coolmeia, Ideias em Cooperação (CIRS 2011)
Coolmeia, Ideias em Cooperação (CIRS 2011)
 

Último

Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 

Último (20)

O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 

A literatura enquanto catalisadora da mudança social

  • 1. A literatura enquanto catalisadora da mudança social Rafael Reinehr
  • 3. A propaganda espiritual
  • 4. Algumas obras... Fábulas: George Orwell em A Revolução dos Bichos Jornada imaginária: Jonathan Swift em As Viagens de Gulliver Fantasias utópicas: A Utopia, de Thomas Morus - Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley - 1984, de George Orwell
  • 5. “Eu vejo o protesto como uma forma genuína de encorajar alguém a sentir as inconsistências, o horror das vidas que levamos. O protesto social está dizendo que não precisamos viver dessa forma. Se sentimos profundamente, e encorajamos nós mesmos e outros a sentir profundamente, encontraremos o germe das nossas respostas sobre a mudança. Porque uma vez que reconheçamos o que estamos sentindo, que reconheçamos que podemos sentir profundamente, amar profundamente, sentir encantamento, então vamos demandar que todas partes de nossas vidas produzam tal tipo de encantamento. E se elas não o fizerem, vamos perguntar: “Porque elas não o fazem?” E é a pergunta que irá nos guiar para a inevitável mudança social. Assim, a questão do protesto social e da arte é inseparável para mim. (...) Arte pela arte não existe para mim. (...) Eu amo a poesia e amo as palavras, mas o que é bonito precisa servir ao propósito de mudar minha vida, ou eu teria morrido. Se eu não puder ventilar esta dor e alterá-la, eu certamente dela morrerei. Este é o começo do protesto social.” Audre Lorde
  • 6. “Eu sugiro que o papel do artista é transcender a sabedoria convencional, transcender a palavra do estabelecido, transcender a ortodoxia, ir além e escapar do que é oferecido pelo governo e do que é dito na mídia... É o trabalho do artista pensar fora dos limites do permissível e se atrever a dizer coisas que ninguém mais diria... É absolutamente patriótico apontar o dedo ao governo e dizer que ele não está fazendo o que deveria fazer para salvaguardar o direito dos cidadãos à vida, liberdade e busca da felicidade... Precisamos ser capazes de olhar para nós mesmos, olhar para nosso país honesta e claramente e tal como podemos examinar as terríveis coisas que as pessoas fazem em outros lugares, precisamos estar dispostos a examinar as terríveis coisas que são feitas aqui pelo nosso governo.” Howard Zinn, Artistas em Tempos de Guerra
  • 7. Como a literatura funciona para nós Ou: dos usos da literatura para a sociedade humana
  • 8. Sabedoria Sabedoria acumulada através de gerações de escritores, técnicas, registros, temas, tópicos, padrões de reflexão e representação
  • 9. Exploração Criação de mundos possíveis Imaginação de experiências dramáticas Exploração das regras básicas da natureza humana e da estrutura do mundo
  • 10. Representação ou Reflexo da Realidade A experiência humana é afetiva e simbólica A literatura usa afetos e símbolos e pode representar genuinamente a experiência humana
  • 11. Ideologia ou Visão de Mundo A literatura pode representar as formas com que as pessoas enxergam o mundo Pode se posicionar desta ou daquela maneira, estabelecendo uma postura ideológica
  • 12. Código Cultural Uma roupa tem códigos Literatura os tem mais densos e sutis e complexos que outras formas de comunicar A partir do estudo e aplicação dos códigos, o escritor consegue levar a reflexões profundas
  • 13. Linguagem Uma boa literatura consegue engajar o leitor a refinar suas capacidades de linguagem Aumento da capacidade de conceitualização e entendimento do mundo
  • 14. Subjetividade Temos papéis sociais que ditam como sentir e agir Literatura permite “modelar” estes papéis e entrar no papel do outro Também examina a interação das subjetividades
  • 15. Função Cultural Articula valores, mantendo o poder dos símbolos em uma cultura Identifica e aborda questões relevantes a uma cultura Dá senso de identidade a uma comunidade, através de suas narrativas
  • 18. Biblioteca na Base Comunitária do Jardim Ranieri São Paulo - SP espaço ocioso base da polícia militar cooperação/mutirão integração com a comunidade
  • 19. Borrachalioteca Sabará - MG Marcos Túlio gostava de ler, e queria usar seu tempo livre
  • 21. Parada Cultural - Biblioteca Popular 24h Brasília - DF início em um açougue > 6000 livros em uma parada de ônibus 35 pontos, 600 livros em cada parada da Asa Norte
  • 22. Livros em Locais de Circulação
  • 24. Biblioteca Livro em Roda Conde - PB área rural itinerante - 21 escolas e 3 creches, mais de 2450 crianças e adolescentes
  • 25. “Ler em Casa” Picada Café, RS sacolas de livros circulam pelos bairros “Expresso da leitura”- transporte gratuito até a Bibl. Pública Municipal “Saberes da nossa gente”- aulas domicilares
  • 26.
  • 27. Tenda da Biblioteca Popular Trairi - CE 5% dos munícipes em 1 ano A biblioteca leva tenda às feiras, eventos, exposições
  • 28.
  • 29. Projeto Jegue-Livro Alto Alegre do Pindaré - MA 2/3 população em povoados espalhados acervo da Casa do Professor jovens promovem atividades de incentivo à leitura
  • 30. Bicicloteca Campo Limpo - SP > São Paulo - SP Jardim Maria Sampaio > Instituto Mobilidade Verde O livro vai ao leitor
  • 32. “Esquecer” um livro Um ato de libertação Um ato de educação Um ato de cultura Um ato de desapego Um ato de humanidade
  • 34. Celeiro de Oficinas Coletivo APonte! - Rede de Educadores Livres Favo Araranguá da Coolmeia Oficina de Criação de Minicontos
  • 36. Projeto Meninos Românticos Hortolândia - SP Fanzine criado por crianças, adolescentes e jovens canal de expressão superação da situação de violação de direitos e exercício da cidadania
  • 38. Clube da Leitura Pirapora - MG Leo, esposa e filhos gostavam de ler Vendiam peixe durante a semana Solução: Livro + peixe!
  • 39. Círculo de Leituras São Paulo, São Bernardo, Pernambuco 1800 jovens multiplicadores melhor desempenho escolar, interação, convivialidade
  • 41. Elaboração comunitária de livro Vila da Penha, RJ Resgate das pessoas comuns da comunidade Resgate da história da comunidade Livro produzido coletivamente
  • 43. Leitura para todos Belo Horizonte - MG desde 2004, poemas, contos e crônicas
  • 44. Poemas no Ônibus Em Porto Alegre, há 16 anos Concurso cultural anual Centenas de ônibus A comunidade participa
  • 46. Poesia Viva - A Poesia bate à sua porta Mariana - MG uma artista plástica - de porta em porta - levando poesia e literatura para os lares leitura de poesias, contos crônicas distribuição de jornais e livros
  • 47.
  • 48. Leitura para bebês na UTI neonatal Rio de Janeiro - RJ tornar ambiente mais acolhedor, substituir o som das máquinas pelo humano estabelecer com bebê diálogo afetivo e acolhedor
  • 50. O Canto das Letras Bairro Cidade Tiradentes - SP - 30 mil escolas públicas, mistura de arte e leitura saraus, contação de história, letramento participação comunitária
  • 52. FLIP Paraty, RJ Encontro de escritores de renome internacional Literatura, cultura, novos escritores, efervescência
  • 53. Feira do Livro de Porto Alegre Mais de 50 anos convivialidade todos estratos sociais mudança da paisagem ativação e reativação de leitores
  • 54. Jornadas Literárias de Passo Fundo Passo Fundo - RS Oficinas, grandes escritores, prêmios Parceria com UPF Comunidade participa em peso
  • 57. Livro falado, uma questão de cidadania Curitiba - PR Vanessa, profa. 7a série Aumentar a seção de audiolivros, para deficientes visuais
  • 58. Leituras e Vivências com Recuperandos do Sistema Prisional Nova Lima - MG leitura, análise e produção de textos aumento da habilidade de comunicação e auto- estima 10% de reinciência criminal, ante 85% da média brasileira
  • 59. Conexão com redes de mudança
  • 60. Aprendizagem, Educação Popular, Democrática e Libertária Permacultura, Agroecologia, Alimentação Saudável Saúde, Bem-estar e Felicidade Economia Solidária e Comércio Justo Comunicação e Mídias Livres
  • 61. Em relação à Literatura... Oferecer condições para a formação de uma sociedade leitora Despertar o prazer de ler Ocupar espaços públicos e privados com atividades culturais em torno da leitura Mobilizar o público para a necessidade da leitura Democratizar o acesso aos bens culturais
  • 62. Nossa Missão promover ações e soluções que tragam o verdadeiro e justo benefício ao maior número possível de pessoas.
  • 63. Quem somos Somos uma rede de pessoas organizadas de forma horizontal e não-hierárquica dedicadas à tarefa de enfrentar os grandes desafios do nosso tempo. Somos um grupo de visionários unidos pela tarefa de encontrar, compartilhar, discutir e aprimorar informações, atitudes e soluções voltadas para o Bem Comum.
  • 64. As ferramentas para construir um brilhante futuro para todos já estão entre nós. A Coolmeia se propõe a agregá-las.
  • 65. Precisamos de melhores ferrramentas, modelos , ideias e atitudes para mudar o mundo para melhor. Quanto mais pessoas tiverem acesso a esses modelos, ferramentas, ideias e atitudes, melhores suas próprias ideias se tornarão e mais ideias e boas atitudes passarão a acontecer.
  • 66. Considere esta conversa um convite para juntar-se à aventura. Que tipo de futuro você criará?

Notas do Editor

  1. \n
  2. \n
  3. \n
  4. \n
  5. \n
  6. \n
  7. \n
  8. \n
  9. \n
  10. \n
  11. \n
  12. \n
  13. \n
  14. \n
  15. \n
  16. \n
  17. \n
  18. \n
  19. \n
  20. \n
  21. \n
  22. \n
  23. \n
  24. \n
  25. \n
  26. \n
  27. \n
  28. \n
  29. \n
  30. \n
  31. \n
  32. \n
  33. \n
  34. \n
  35. \n
  36. \n
  37. \n
  38. \n
  39. \n
  40. \n
  41. \n
  42. \n
  43. \n
  44. \n
  45. \n
  46. \n
  47. \n
  48. \n
  49. \n
  50. \n
  51. \n
  52. \n
  53. \n
  54. \n
  55. \n
  56. \n
  57. \n
  58. \n
  59. \n
  60. \n
  61. \n
  62. \n
  63. \n
  64. \n
  65. \n
  66. \n
  67. \n