SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
ALGUMAS IDEIAS
 As primeiras cartas surgiram na época das Grandes
Navegações , onde era preciso se orientar e localizar ;
 Nessa época , os mapas só mostravam o Velho Mundo que
era o mundo conhecido;
 A diferença entre mapa e carta é que o mapa mostra o espaço
em sua totalidade e a carta só mostra uma parte do todo ;
EXEMPLO : o mapa mostra todo o oceano todo e a carta mostra
apenas uma parte do oceano ; a carta dá um “zoom” num
espaço menor;
 As cartas davam maiores informações , detalhes porque só
trabalhavam com pequenos espaços;
 O mapa e a carta são planos , só têm duas dimensões ;
 A linha do Equador foi a primeira a ser traçada ; a partir dela
foram traçadas outras linhas paralelas a ela;
 A linha do Equador divide a Terra em dois hemisférios:Norte e
Sul ;é errado falar em “parte de cima ou parte de baixo “
 O eixo da Terra é inclinado para Oeste e faz com que , ao
longo do ano , algumas partes da Terra à força do Sol e isso
dá origem às estações do ano e ao fenômeno do equinócio e
do solstício ;
 Equinócio : o sol ilumina de maneira igual os dois
hemisférios: norte e sul . Acontece nos dias 21 de março e 23
de setembro , quando começa o outono e a primavera .
 Solstício: é o máximo que um hemisfério recebe de luz
enquanto outro não recebe luz;
 No dia 21de junho, temos o solstício de inverno no
hemisfério sul ; é o dia em que o hemisfério sul recebe
menos luz do sol e , por isso , o dia é mais curto ;
 Nesse dia , temos o solstício de verão no hemisfério norte:
é o dia em que o hemisfério norte recebe mais sol e , por
isso o dia é mais longo ;na Noruega , o sol fica no
horizonte o dia todo ;
 Os pontos cardeais são: Norte (N) , Sul (S) , Leste (L) e Oeste
(O ) ;
 Os pontos colaterais: Nordeste(NE) , Sudeste (SE) ,
Noroeste(NO) , Sudoeste (SO);
 Os paralelos são linhas imaginárias traçadas a partir da linha
do Equador e dividem a Terra em latitudes ; cada latitude é
uma seção ; se chamam paralelos porque são linhas que não
se encontram ;
São linhas imaginárias traçadas a partir do Meridiano de
Greenwich e que se encontram no pólos e dividem a Terra em
longitudes ;
 O cruzamento das latitudes e longitudes criaram as
coordenadas geográficas;
 As longitudes à esquerda são negativas e as longitudes à
direita são positivas ;
 As latitudes ao norte são positivas e as latitudes ao sul são
negativas ;
 Nenhum ponto na Terra se repete ;
 Sentido leste: aumenta
 Sentido oeste : diminui
Se obtém os fusos horários da seguinte maneira :
360º (circunferência da Terra) : 24 horas ( tempo gasto no
movimento de rotação) = 15 fusos horários
Os fusos horários situados a leste são positivos e contamos de 15
em 15;
Cada faixa de fuso horário tem 15º ;
EXEMPLOS:-um avião saiu da cidade P indo para a cidade M , às 10
horas . Sabendo que a duração da viagem é de 7 horas, que
horas chegará na cidade M ;
Para resolver esse problema preciso somar o fuso onde ela está ,
com a hora que ele saiu , com a duração da viagem .
-Que horas será na cidade P quando eu chegar na cidade M.
Nesse caso eu conto as horas e retiro o fuso horário .
 A escolha dos fusos horários é feita para facilitar as relações
entre os países ;
Existem dois tipos de fusos horários :teórico e prático
 Teórico: apenas delimita e divide o país
 Prático :não é uma linha reta ; segue os interesses dos países;
Cálculo da distância
E = d
________
D
 O Sol nasce no sentido leste/oeste : se sairmos do Japão num vôo ,
acompanhamos o Sol nascendo em vários lugares;
 Quanto mais perto dos pólos temos dias mais curtos; quanto mais longe dos
pólos , dias mais longos;
 Quanto mais distante da Linha do Equador , maior é a variação do dia para a
noite durante as estações do ano;
 Marco zero : Meridiano de Greenwich;
 Os fusos horários podem ser teóricos ou práticos ;
 Os fusos horários teóricos passam a cada 15° em linha reta ;
 Na cidade de Macapá , passa um meridiano de mudança de fuso
horário:metade da cidade está em um fuso horário e outra metade em outro
;
 Para resolver esses problema de dois fusos horários numa mesma cidade ,
num mesmo país , foram criados os fusos horários práticos que atendem às
necessidades da cidade e do país ;
 O governo federal , desde 2014, estabeleceu 4 fusos horários para o Brasil;
 Os mapas são uma projeção , uma visão que se tem do
mundo a partir de interesses , ideias de quem cria ;
 Os mapas têm diferentes formas , dependendo do que se
quer representar;
 Existem três formas de desenhar um mapa :
*Projeção cilíndrica : quanto mais perto da linha do Equador ,
mais ela estica na direção norte –sul e quanto mais perto dos
pólos ela estica no sentido leste/ oeste;
 Projeção planar :só toca no Pólo Sul , pois , como a Terra é
uma esfera não dá para ver tudo .
 As escalas podem ser : numérica ou gráfica ;
 ESCALA NUMÉRICA
Os mapas feitos por projeção são chamados anamorfórmicos ,
pois são deformados . Perdem sua forma para atender
interesses .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A localização absoluta
A localização absolutaA localização absoluta
A localização absolutaGina Espenica
 
Projeções
ProjeçõesProjeções
Projeçõeskarolpoa
 
Localização absoluta conceitos
Localização absoluta conceitosLocalização absoluta conceitos
Localização absoluta conceitosGeografias Geo
 
Localização no espaço geografico 6º ano
Localização no espaço geografico 6º anoLocalização no espaço geografico 6º ano
Localização no espaço geografico 6º anoNilberte Correia
 
Coordenadas geograficas
Coordenadas geograficasCoordenadas geograficas
Coordenadas geograficasrobertobraz
 
Coordenadas geográficas
Coordenadas geográficasCoordenadas geográficas
Coordenadas geográficasGilcleia
 
Pontos Cardeais e Colaterais
Pontos Cardeais e ColateraisPontos Cardeais e Colaterais
Pontos Cardeais e ColateraisIvaildo
 
Localização Absoluta - 7º D
Localização Absoluta - 7º DLocalização Absoluta - 7º D
Localização Absoluta - 7º Dabarros
 
IECJ - Capítulo 5 – Coordenadas geográficas - 6º ano do EFII
IECJ - Capítulo 5 – Coordenadas geográficas - 6º ano do EFIIIECJ - Capítulo 5 – Coordenadas geográficas - 6º ano do EFII
IECJ - Capítulo 5 – Coordenadas geográficas - 6º ano do EFIIprofrodrigoribeiro
 
A orientação no espaço terrestre
A orientação no espaço terrestreA orientação no espaço terrestre
A orientação no espaço terrestrepaulotmo
 
Orientação no espaço
Orientação no espaçoOrientação no espaço
Orientação no espaçoCOSMO ALVES
 
3 orientacao e-localizacao
3 orientacao e-localizacao3 orientacao e-localizacao
3 orientacao e-localizacaoLucas Cechinel
 

Mais procurados (18)

A localização absoluta
A localização absolutaA localização absoluta
A localização absoluta
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
Projeções
ProjeçõesProjeções
Projeções
 
Cartografia Primeiros Anos
Cartografia Primeiros AnosCartografia Primeiros Anos
Cartografia Primeiros Anos
 
Localização absoluta conceitos
Localização absoluta conceitosLocalização absoluta conceitos
Localização absoluta conceitos
 
Localização no espaço geografico 6º ano
Localização no espaço geografico 6º anoLocalização no espaço geografico 6º ano
Localização no espaço geografico 6º ano
 
Latitude
LatitudeLatitude
Latitude
 
Coordenadas geograficas
Coordenadas geograficasCoordenadas geograficas
Coordenadas geograficas
 
Coordenadas geográficas
Coordenadas geográficasCoordenadas geográficas
Coordenadas geográficas
 
Cartografia 1º ano
Cartografia 1º anoCartografia 1º ano
Cartografia 1º ano
 
Orientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espacoOrientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espaco
 
Pontos Cardeais e Colaterais
Pontos Cardeais e ColateraisPontos Cardeais e Colaterais
Pontos Cardeais e Colaterais
 
Localização Absoluta - 7º D
Localização Absoluta - 7º DLocalização Absoluta - 7º D
Localização Absoluta - 7º D
 
IECJ - Capítulo 5 – Coordenadas geográficas - 6º ano do EFII
IECJ - Capítulo 5 – Coordenadas geográficas - 6º ano do EFIIIECJ - Capítulo 5 – Coordenadas geográficas - 6º ano do EFII
IECJ - Capítulo 5 – Coordenadas geográficas - 6º ano do EFII
 
A orientação no espaço terrestre
A orientação no espaço terrestreA orientação no espaço terrestre
A orientação no espaço terrestre
 
Orientação no espaço
Orientação no espaçoOrientação no espaço
Orientação no espaço
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
3 orientacao e-localizacao
3 orientacao e-localizacao3 orientacao e-localizacao
3 orientacao e-localizacao
 

Destaque

Conceitos básicos da óptica
Conceitos básicos da ópticaConceitos básicos da óptica
Conceitos básicos da ópticaJohn Joseph
 
Aula 03 óptica geométrica
Aula 03   óptica geométricaAula 03   óptica geométrica
Aula 03 óptica geométricaCris Oliveira
 
Óptica Geométrica
Óptica GeométricaÓptica Geométrica
Óptica GeométricaNAPNE
 
óPtica geométrica
óPtica geométricaóPtica geométrica
óPtica geométricaErick Rabelo
 
Introdução à Óptica Geométrica
Introdução à Óptica GeométricaIntrodução à Óptica Geométrica
Introdução à Óptica GeométricaSamia Dantas
 
Óptica geométrica: conceitos
Óptica geométrica: conceitosÓptica geométrica: conceitos
Óptica geométrica: conceitosKelson Oliveira
 
Introdução à óptica geométrica
Introdução à óptica geométricaIntrodução à óptica geométrica
Introdução à óptica geométricafisicaatual
 
Introdução a Óptica
Introdução a ÓpticaIntrodução a Óptica
Introdução a Ópticaperezgabriel_
 
Introdução à Óptica
Introdução à ÓpticaIntrodução à Óptica
Introdução à ÓpticaUbirajara Neves
 
óptica - princípios fundamentais
óptica - princípios fundamentaisóptica - princípios fundamentais
óptica - princípios fundamentaisbruninhablc
 
Slides de Óptica Geométrica
Slides de Óptica GeométricaSlides de Óptica Geométrica
Slides de Óptica Geométricafrenaspa
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométricalaizdiniz
 

Destaque (17)

Conceitos básicos da óptica
Conceitos básicos da ópticaConceitos básicos da óptica
Conceitos básicos da óptica
 
Óptica Geométrica
Óptica GeométricaÓptica Geométrica
Óptica Geométrica
 
Aula 03 óptica geométrica
Aula 03   óptica geométricaAula 03   óptica geométrica
Aula 03 óptica geométrica
 
Óptica Geométrica
Óptica GeométricaÓptica Geométrica
Óptica Geométrica
 
óPtica geométrica
óPtica geométricaóPtica geométrica
óPtica geométrica
 
Introdução à Óptica Geométrica
Introdução à Óptica GeométricaIntrodução à Óptica Geométrica
Introdução à Óptica Geométrica
 
Óptica geométrica: conceitos
Óptica geométrica: conceitosÓptica geométrica: conceitos
Óptica geométrica: conceitos
 
Introdução à óptica geométrica
Introdução à óptica geométricaIntrodução à óptica geométrica
Introdução à óptica geométrica
 
Fenômenos ópticos
Fenômenos ópticosFenômenos ópticos
Fenômenos ópticos
 
Introdução a Óptica
Introdução a ÓpticaIntrodução a Óptica
Introdução a Óptica
 
Introdução à Óptica
Introdução à ÓpticaIntrodução à Óptica
Introdução à Óptica
 
ÓPTICA
ÓPTICAÓPTICA
ÓPTICA
 
óptica - princípios fundamentais
óptica - princípios fundamentaisóptica - princípios fundamentais
óptica - princípios fundamentais
 
Óptica introdução
Óptica introduçãoÓptica introdução
Óptica introdução
 
Óptica
ÓpticaÓptica
Óptica
 
Slides de Óptica Geométrica
Slides de Óptica GeométricaSlides de Óptica Geométrica
Slides de Óptica Geométrica
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométrica
 

Semelhante a Cartografia

Noções de cartografia.docx apostila de geografia
Noções de cartografia.docx apostila de geografiaNoções de cartografia.docx apostila de geografia
Noções de cartografia.docx apostila de geografiaFelipe Alecrim Alecrim
 
Cartografia, latitudes, longitudes, Movimentos da Terra
Cartografia, latitudes, longitudes, Movimentos da TerraCartografia, latitudes, longitudes, Movimentos da Terra
Cartografia, latitudes, longitudes, Movimentos da Terraronierefeitosa
 
Geofísica
GeofísicaGeofísica
GeofísicaUFES
 
Cartografia completa
Cartografia completaCartografia completa
Cartografia completaArtur Lara
 
oriente-se_pontos cardeais
oriente-se_pontos cardeaisoriente-se_pontos cardeais
oriente-se_pontos cardeaisTânia Sampaio
 
Cartografia completa
Cartografia completaCartografia completa
Cartografia completaArtur Lara
 
Cartografia - Prof. Wesley Torres
Cartografia - Prof. Wesley TorresCartografia - Prof. Wesley Torres
Cartografia - Prof. Wesley TorresWesley Torres
 
Cartografia, projeção, solstício, equinócio e fusos horários
Cartografia, projeção, solstício, equinócio e fusos horáriosCartografia, projeção, solstício, equinócio e fusos horários
Cartografia, projeção, solstício, equinócio e fusos horáriosColégio Aprov
 
Texto escolar3anorevisao
Texto escolar3anorevisaoTexto escolar3anorevisao
Texto escolar3anorevisaoechechurry
 
Apresentação curso geografia
Apresentação curso geografiaApresentação curso geografia
Apresentação curso geografiaVandy Zago
 

Semelhante a Cartografia (20)

Noções de cartografia.docx apostila de geografia
Noções de cartografia.docx apostila de geografiaNoções de cartografia.docx apostila de geografia
Noções de cartografia.docx apostila de geografia
 
Cartografia, latitudes, longitudes, Movimentos da Terra
Cartografia, latitudes, longitudes, Movimentos da TerraCartografia, latitudes, longitudes, Movimentos da Terra
Cartografia, latitudes, longitudes, Movimentos da Terra
 
Geofísica
GeofísicaGeofísica
Geofísica
 
cartografia completo.pptx
cartografia completo.pptxcartografia completo.pptx
cartografia completo.pptx
 
CARTOGRAFIA.pptx
CARTOGRAFIA.pptxCARTOGRAFIA.pptx
CARTOGRAFIA.pptx
 
Cartografia completa
Cartografia completaCartografia completa
Cartografia completa
 
oriente-se_pontos cardeais
oriente-se_pontos cardeaisoriente-se_pontos cardeais
oriente-se_pontos cardeais
 
terra.ppt
terra.pptterra.ppt
terra.ppt
 
Cartografia completa
Cartografia completaCartografia completa
Cartografia completa
 
Cartografia - Prof. Wesley Torres
Cartografia - Prof. Wesley TorresCartografia - Prof. Wesley Torres
Cartografia - Prof. Wesley Torres
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
3 em a01 - cartografia
3 em   a01 - cartografia3 em   a01 - cartografia
3 em a01 - cartografia
 
Cartografia básica
Cartografia básicaCartografia básica
Cartografia básica
 
Cartografia, projeção, solstício, equinócio e fusos horários
Cartografia, projeção, solstício, equinócio e fusos horáriosCartografia, projeção, solstício, equinócio e fusos horários
Cartografia, projeção, solstício, equinócio e fusos horários
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
Trimestral cap 7 e 8
Trimestral cap 7 e 8Trimestral cap 7 e 8
Trimestral cap 7 e 8
 
Slides rivancley
Slides   rivancleySlides   rivancley
Slides rivancley
 
Texto escolar3anorevisao
Texto escolar3anorevisaoTexto escolar3anorevisao
Texto escolar3anorevisao
 
Apresentação curso geografia
Apresentação curso geografiaApresentação curso geografia
Apresentação curso geografia
 
Orientação
Orientação Orientação
Orientação
 

Mais de NAPNE

Literatura - Naturalismo
Literatura - NaturalismoLiteratura - Naturalismo
Literatura - NaturalismoNAPNE
 
Fisiologia Vegetal - Resumo
Fisiologia Vegetal - ResumoFisiologia Vegetal - Resumo
Fisiologia Vegetal - ResumoNAPNE
 
Sistema circulatório e excretor - Resumo
Sistema circulatório e excretor - ResumoSistema circulatório e excretor - Resumo
Sistema circulatório e excretor - ResumoNAPNE
 
Slide renascimento cultural
Slide   renascimento culturalSlide   renascimento cultural
Slide renascimento culturalNAPNE
 
Período composto por subordinação - Introdução
Período composto por subordinação - IntroduçãoPeríodo composto por subordinação - Introdução
Período composto por subordinação - IntroduçãoNAPNE
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasNAPNE
 
NAFTA
NAFTANAFTA
NAFTANAPNE
 
Imperialismo - EUA
Imperialismo - EUAImperialismo - EUA
Imperialismo - EUANAPNE
 
Literatura - Realismo / Naturalismo (introdução)
Literatura - Realismo / Naturalismo (introdução)Literatura - Realismo / Naturalismo (introdução)
Literatura - Realismo / Naturalismo (introdução)NAPNE
 
Literatura - Realismo
Literatura - RealismoLiteratura - Realismo
Literatura - RealismoNAPNE
 
Romantismo - Exercícios
Romantismo - ExercíciosRomantismo - Exercícios
Romantismo - ExercíciosNAPNE
 
Resumo - Física
Resumo - FísicaResumo - Física
Resumo - FísicaNAPNE
 
Digestão em humanos
Digestão em humanosDigestão em humanos
Digestão em humanosNAPNE
 
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)NAPNE
 
Biologia - vírus e príon
Biologia - vírus e príonBiologia - vírus e príon
Biologia - vírus e príonNAPNE
 
Atividades - Pré-História
Atividades - Pré-HistóriaAtividades - Pré-História
Atividades - Pré-HistóriaNAPNE
 
Geografia - Paisagens
Geografia - PaisagensGeografia - Paisagens
Geografia - PaisagensNAPNE
 
Ciências - Atividade
Ciências - AtividadeCiências - Atividade
Ciências - AtividadeNAPNE
 
Cruzada - Arte e Cultura
Cruzada - Arte e CulturaCruzada - Arte e Cultura
Cruzada - Arte e CulturaNAPNE
 
Apostila - Grécia e Roma
Apostila - Grécia e RomaApostila - Grécia e Roma
Apostila - Grécia e RomaNAPNE
 

Mais de NAPNE (20)

Literatura - Naturalismo
Literatura - NaturalismoLiteratura - Naturalismo
Literatura - Naturalismo
 
Fisiologia Vegetal - Resumo
Fisiologia Vegetal - ResumoFisiologia Vegetal - Resumo
Fisiologia Vegetal - Resumo
 
Sistema circulatório e excretor - Resumo
Sistema circulatório e excretor - ResumoSistema circulatório e excretor - Resumo
Sistema circulatório e excretor - Resumo
 
Slide renascimento cultural
Slide   renascimento culturalSlide   renascimento cultural
Slide renascimento cultural
 
Período composto por subordinação - Introdução
Período composto por subordinação - IntroduçãoPeríodo composto por subordinação - Introdução
Período composto por subordinação - Introdução
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivas
 
NAFTA
NAFTANAFTA
NAFTA
 
Imperialismo - EUA
Imperialismo - EUAImperialismo - EUA
Imperialismo - EUA
 
Literatura - Realismo / Naturalismo (introdução)
Literatura - Realismo / Naturalismo (introdução)Literatura - Realismo / Naturalismo (introdução)
Literatura - Realismo / Naturalismo (introdução)
 
Literatura - Realismo
Literatura - RealismoLiteratura - Realismo
Literatura - Realismo
 
Romantismo - Exercícios
Romantismo - ExercíciosRomantismo - Exercícios
Romantismo - Exercícios
 
Resumo - Física
Resumo - FísicaResumo - Física
Resumo - Física
 
Digestão em humanos
Digestão em humanosDigestão em humanos
Digestão em humanos
 
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
 
Biologia - vírus e príon
Biologia - vírus e príonBiologia - vírus e príon
Biologia - vírus e príon
 
Atividades - Pré-História
Atividades - Pré-HistóriaAtividades - Pré-História
Atividades - Pré-História
 
Geografia - Paisagens
Geografia - PaisagensGeografia - Paisagens
Geografia - Paisagens
 
Ciências - Atividade
Ciências - AtividadeCiências - Atividade
Ciências - Atividade
 
Cruzada - Arte e Cultura
Cruzada - Arte e CulturaCruzada - Arte e Cultura
Cruzada - Arte e Cultura
 
Apostila - Grécia e Roma
Apostila - Grécia e RomaApostila - Grécia e Roma
Apostila - Grécia e Roma
 

Último

QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 

Último (20)

QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 

Cartografia

  • 2.  As primeiras cartas surgiram na época das Grandes Navegações , onde era preciso se orientar e localizar ;  Nessa época , os mapas só mostravam o Velho Mundo que era o mundo conhecido;  A diferença entre mapa e carta é que o mapa mostra o espaço em sua totalidade e a carta só mostra uma parte do todo ; EXEMPLO : o mapa mostra todo o oceano todo e a carta mostra apenas uma parte do oceano ; a carta dá um “zoom” num espaço menor;  As cartas davam maiores informações , detalhes porque só trabalhavam com pequenos espaços;  O mapa e a carta são planos , só têm duas dimensões ;
  • 3.
  • 4.  A linha do Equador foi a primeira a ser traçada ; a partir dela foram traçadas outras linhas paralelas a ela;  A linha do Equador divide a Terra em dois hemisférios:Norte e Sul ;é errado falar em “parte de cima ou parte de baixo “  O eixo da Terra é inclinado para Oeste e faz com que , ao longo do ano , algumas partes da Terra à força do Sol e isso dá origem às estações do ano e ao fenômeno do equinócio e do solstício ;  Equinócio : o sol ilumina de maneira igual os dois hemisférios: norte e sul . Acontece nos dias 21 de março e 23 de setembro , quando começa o outono e a primavera .
  • 5.
  • 6.  Solstício: é o máximo que um hemisfério recebe de luz enquanto outro não recebe luz;  No dia 21de junho, temos o solstício de inverno no hemisfério sul ; é o dia em que o hemisfério sul recebe menos luz do sol e , por isso , o dia é mais curto ;  Nesse dia , temos o solstício de verão no hemisfério norte: é o dia em que o hemisfério norte recebe mais sol e , por isso o dia é mais longo ;na Noruega , o sol fica no horizonte o dia todo ;
  • 7.  Os pontos cardeais são: Norte (N) , Sul (S) , Leste (L) e Oeste (O ) ;  Os pontos colaterais: Nordeste(NE) , Sudeste (SE) , Noroeste(NO) , Sudoeste (SO);
  • 8.  Os paralelos são linhas imaginárias traçadas a partir da linha do Equador e dividem a Terra em latitudes ; cada latitude é uma seção ; se chamam paralelos porque são linhas que não se encontram ;
  • 9. São linhas imaginárias traçadas a partir do Meridiano de Greenwich e que se encontram no pólos e dividem a Terra em longitudes ;
  • 10.  O cruzamento das latitudes e longitudes criaram as coordenadas geográficas;  As longitudes à esquerda são negativas e as longitudes à direita são positivas ;  As latitudes ao norte são positivas e as latitudes ao sul são negativas ;  Nenhum ponto na Terra se repete ;  Sentido leste: aumenta  Sentido oeste : diminui
  • 11. Se obtém os fusos horários da seguinte maneira : 360º (circunferência da Terra) : 24 horas ( tempo gasto no movimento de rotação) = 15 fusos horários Os fusos horários situados a leste são positivos e contamos de 15 em 15; Cada faixa de fuso horário tem 15º ; EXEMPLOS:-um avião saiu da cidade P indo para a cidade M , às 10 horas . Sabendo que a duração da viagem é de 7 horas, que horas chegará na cidade M ; Para resolver esse problema preciso somar o fuso onde ela está , com a hora que ele saiu , com a duração da viagem . -Que horas será na cidade P quando eu chegar na cidade M. Nesse caso eu conto as horas e retiro o fuso horário .
  • 12.  A escolha dos fusos horários é feita para facilitar as relações entre os países ; Existem dois tipos de fusos horários :teórico e prático  Teórico: apenas delimita e divide o país  Prático :não é uma linha reta ; segue os interesses dos países; Cálculo da distância E = d ________ D
  • 13.  O Sol nasce no sentido leste/oeste : se sairmos do Japão num vôo , acompanhamos o Sol nascendo em vários lugares;  Quanto mais perto dos pólos temos dias mais curtos; quanto mais longe dos pólos , dias mais longos;  Quanto mais distante da Linha do Equador , maior é a variação do dia para a noite durante as estações do ano;  Marco zero : Meridiano de Greenwich;  Os fusos horários podem ser teóricos ou práticos ;  Os fusos horários teóricos passam a cada 15° em linha reta ;  Na cidade de Macapá , passa um meridiano de mudança de fuso horário:metade da cidade está em um fuso horário e outra metade em outro ;  Para resolver esses problema de dois fusos horários numa mesma cidade , num mesmo país , foram criados os fusos horários práticos que atendem às necessidades da cidade e do país ;  O governo federal , desde 2014, estabeleceu 4 fusos horários para o Brasil;
  • 14.  Os mapas são uma projeção , uma visão que se tem do mundo a partir de interesses , ideias de quem cria ;  Os mapas têm diferentes formas , dependendo do que se quer representar;  Existem três formas de desenhar um mapa : *Projeção cilíndrica : quanto mais perto da linha do Equador , mais ela estica na direção norte –sul e quanto mais perto dos pólos ela estica no sentido leste/ oeste;
  • 15.  Projeção planar :só toca no Pólo Sul , pois , como a Terra é uma esfera não dá para ver tudo .
  • 16.
  • 17.  As escalas podem ser : numérica ou gráfica ;  ESCALA NUMÉRICA
  • 18.
  • 19. Os mapas feitos por projeção são chamados anamorfórmicos , pois são deformados . Perdem sua forma para atender interesses .