SlideShare uma empresa Scribd logo
XXI Jornada de Iniciação Científica - 2017
LETRAMENTO LITERÁRIO NA QUEBRA DOS ESTIGMAS VIVIDOS POR
CRIANÇAS COM HIV/AIDS:HQ ENQUANTO LITERATURA
Mônica De Santana Dias, monicasdias2009@hotmail.com, Rosemary Lapa De Oliveira, rloliveira@uneb.br
Departamento de Educação, Campus I, Salvador
Licenciatura Em Pedagogia
Palavras-Chave: Letramento Literário; Docência ; Histórias em quadrinhos; sujeito leitor
Introdução
Sabemos que as crianças vivenciam na infância muitas emoções nas
interações sociais e essas relações provocam em cada criança sensações
e sentimentos diferenciados com os quais elas precisam lidar a todo o
momento. Essas emoções se tornam mais intensas quando a criança
apresenta algum tipo de deficiência ou doença crônica, como o caso das
crianças soropositivas para o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV).
Diante dessa realidade, a literatura provou ser uma forma terapêutica para
lidar com esses conflitos internos vivenciados pelas crianças. Por isso,
neste estudo, objetivamos descrever o papel terapêutico do texto literário
história em quadrinho (HQ), através da constituição do sujeito leitor,
entendendo que a HQ pode ajudar as crianças, em especial as
soropositivas, a lidar com conflitos internos e situações de estigmatização
social. Temos,como base teórica, o letramento literário de Cosson (2010),
a constituição de sujeitos leitores de Oliveira (2015), o valor terapêutico da
contação de história de Sunderland (2005) e discussões sobre a HQ com
Vergueiro (2014).
Metodologia
O estudo foi realizado a partir de uma pesquisa bibliográfica, focando a
constituição do sujeito leitor a partir da leitura da HQ enquanto literatura,
trazendo para análise os benefícios terapêuticos da HQ da turma da
Mônica: Amiguinhos da Vida do cartunista Mauricio de Sousa para
formação do sujeito leitor soropositivo.
Resultados e discussão
Concordando com Candido (2011), compreendemos que a literatura tem
uma função humanizadora, pois pudemos perceber que a partir da leitura
as crianças podem refletir sobre si mesmas e sobre o outro, encontrando o
equilíbrio para seus conflitos internos e sociais. Isso acontece,quando as
crianças ao lerem as narrativas ficcionais, vivenciam situações de conflitos
que as ajudam a pensar sobre suas emoções e sua realidade com uma
linguagem que pertence ao seu mundo, o mundo da imaginação e da
fantasia, como esclarece Sunderland (2005), apresentando possibilidades
para o alívio de sofrimentos interiores e o reconhecimento de caminhos
para lidar com a estigmatização social.
E é nesse momento que o trabalho com a HQ se torna uma fonte
inesgotável de humanização e estímulo à leitura, já que as narrativas em
quadrinhos, por seu multimodalismo prendem a atenção das crianças por
ter uma linguagem e por apresentar situações do cotidiano infantil, as
quais as crianças entendem e ao ler se sentem parte da história.
Diante disso, dentre as histórias em quadrinhos que trazem esse cotidiano
infantil estão as da turma da Mônica do cartunista Maurício de Sousa, em
especial a intitulada: amiguinhos da vida em que os personagens são
crianças soropositivas e experienciam as aflições e alegrias do mundo
infantojuvenil dentro da escola. E por essa razão, durante a leitura dessa
literatura a criança pode se identificar com os personagens que revelam ao
leitor formas de lidar e expressar suas emoções.
Conclusões
Portanto, neste estudo, concluímos que a leitura da HQ pode proporcionar
benefícios terapêuticos, isso ocorre quando o leitor, no momento da leitura,
encontra um personagem que vivencia dores, medos e frustrações
parecidas com as suas em situações rápidas de leitura como na HQ
(ABRAMOVICH, 1997), e durante a história encontra maneiras para lidar
com situações desfavoráveis como a estigmatização social aprendendo
sobre si e sobre outro como nos ensina Bettelheim (2002). Assim, esse
leitor, ao ler as narrativas, constitui-se sujeito leitor do texto, do contexto e
de si mesmo como propõe Oliveira (2015), trazendo contribuições
significativas para o ensino de leitura.
Agradecimentos
Agradeço a Deus, primeiramente por ter me concedido coragem e energia
para desenvolver esse projeto. À Universidade do Estado da Bahia-UNEB
por ter dado condições para desenvolver a pesquisa. À minha professora
orientadora Dra. Rosemary Lapa de Oliveira pelas orientações e incentivo.
A minha mãe pelo amor, incentivo e apoio incondicional.
Bolsa: Voluntário
Referências:
ABRAMOVICH, Fanny.Literatura infantil:gostosuras e bobices. São Paulo:
Scipione, 1997.
BETTELHEIM, Bruno.A psicanálise dos contos de fadas. Editora Paz e Terra,
2002.
CANDIDO Antonio. O direito à literatura. In: Vários escritos. São Paulo: Duas
Cidades/Ouro sobre Azul; 2011. p.171-193.
COSSON, Rildo.Letramento literário:teoria e prática. Ed. Contexto, 2010.
OLIVEIRA, Rosemary Lapa.A Pedagogia da Rebeldia e o Enleituramento:a
constituição do sujeito leitor. Saarbrücken: Novas Edições Acadêmicas, 2015.
SOUSA, Mauricio deTurma da Mônica em Quadrinhos.Disponível em
<http://turmadamonica.uol.com.br/amiguinhosdavida/> Acesso em 19/01/2017.
SUNDERLAND, Margot.O valor terapêutico de contar histórias para crianças,
pelas crianças. São Paulo: Cultrix, 2005.
VERGUEIRO, Waldomiro .In:RAMA, Angela; VERGUEIRO, Waldomiro.Como usar
as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2014, p.7-29.
Pro-Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação (PPG) - Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
367

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilSusanne Messias
 
Apresentação literatura infanto juvenil turma
Apresentação literatura infanto juvenil turma Apresentação literatura infanto juvenil turma
Apresentação literatura infanto juvenil turma Norma Almeida
 
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLALiteratura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLAMagno Oliveira
 
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundoLajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundomarcaocampos
 
A importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilA importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilKeilita Igor Fabrine
 
Livro - literatura infantil construção, recepção e descobertas
Livro - literatura infantil construção, recepção e descobertasLivro - literatura infantil construção, recepção e descobertas
Livro - literatura infantil construção, recepção e descobertasEdilson A. Souza
 
Tessituras literatura infantil
Tessituras   literatura infantilTessituras   literatura infantil
Tessituras literatura infantilAna Paula Cecato
 
Literatura infantil brasileira
Literatura infantil brasileiraLiteratura infantil brasileira
Literatura infantil brasileiraSilvana Aranda
 
Atps -literatura_infantil
Atps  -literatura_infantilAtps  -literatura_infantil
Atps -literatura_infantilmkbariotto
 
A literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do GloboA literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do Globo+ Aloisio Magalhães
 
Literatura infanto juvenil
Literatura infanto juvenilLiteratura infanto juvenil
Literatura infanto juvenilbielsvl14
 
Minicurso ENAPE UEG "Literatura infantil e a arte de contar histórias"
Minicurso ENAPE UEG "Literatura infantil e a arte de contar histórias"Minicurso ENAPE UEG "Literatura infantil e a arte de contar histórias"
Minicurso ENAPE UEG "Literatura infantil e a arte de contar histórias"Rizia Freire
 
A literatura infantil e a crítica
A literatura infantil e a críticaA literatura infantil e a crítica
A literatura infantil e a críticamarimidlej
 
A natureza da literatura infantil
A natureza da literatura infantilA natureza da literatura infantil
A natureza da literatura infantilRosemary Batista
 
O QUE É APRENDER E ENSINAR LITERATURA HOJE?
O QUE É APRENDER E ENSINAR LITERATURA HOJE?O QUE É APRENDER E ENSINAR LITERATURA HOJE?
O QUE É APRENDER E ENSINAR LITERATURA HOJE?Priscila Hilária
 
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO  DESENVOLVIMENTO INFANTILA ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO  DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO INFANTILRossita Figueira
 

Mais procurados (20)

Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
 
Slide seminário
Slide seminárioSlide seminário
Slide seminário
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Apresentação literatura infanto juvenil turma
Apresentação literatura infanto juvenil turma Apresentação literatura infanto juvenil turma
Apresentação literatura infanto juvenil turma
 
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLALiteratura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
Literatura Infanto Juvenil - LITERATUA INFANTIL NA ESCOLA
 
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundoLajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
 
A importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilA importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantil
 
Revisão do conteúdo
Revisão do conteúdoRevisão do conteúdo
Revisão do conteúdo
 
Livro - literatura infantil construção, recepção e descobertas
Livro - literatura infantil construção, recepção e descobertasLivro - literatura infantil construção, recepção e descobertas
Livro - literatura infantil construção, recepção e descobertas
 
Tessituras literatura infantil
Tessituras   literatura infantilTessituras   literatura infantil
Tessituras literatura infantil
 
Literatura infantil brasileira
Literatura infantil brasileiraLiteratura infantil brasileira
Literatura infantil brasileira
 
Atps -literatura_infantil
Atps  -literatura_infantilAtps  -literatura_infantil
Atps -literatura_infantil
 
A literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do GloboA literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do Globo
 
Literatura infanto juvenil
Literatura infanto juvenilLiteratura infanto juvenil
Literatura infanto juvenil
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Minicurso ENAPE UEG "Literatura infantil e a arte de contar histórias"
Minicurso ENAPE UEG "Literatura infantil e a arte de contar histórias"Minicurso ENAPE UEG "Literatura infantil e a arte de contar histórias"
Minicurso ENAPE UEG "Literatura infantil e a arte de contar histórias"
 
A literatura infantil e a crítica
A literatura infantil e a críticaA literatura infantil e a crítica
A literatura infantil e a crítica
 
A natureza da literatura infantil
A natureza da literatura infantilA natureza da literatura infantil
A natureza da literatura infantil
 
O QUE É APRENDER E ENSINAR LITERATURA HOJE?
O QUE É APRENDER E ENSINAR LITERATURA HOJE?O QUE É APRENDER E ENSINAR LITERATURA HOJE?
O QUE É APRENDER E ENSINAR LITERATURA HOJE?
 
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO  DESENVOLVIMENTO INFANTILA ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO  DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
 

Semelhante a Letramento Literário na Quebra dos Estigmas Vividos por Crianças com HIV/AIDS:HQ Enquanto Literatura

Era uma vez: a contribuição dos contos de fadas para a formação do leitor
Era uma vez: a contribuição dos contos de fadas para a formação do leitorEra uma vez: a contribuição dos contos de fadas para a formação do leitor
Era uma vez: a contribuição dos contos de fadas para a formação do leitorMarilia Pires
 
A leitura e sua relação
A leitura e sua relaçãoA leitura e sua relação
A leitura e sua relaçãoLilian Miranda
 
Livros e Infância
Livros e InfânciaLivros e Infância
Livros e Infânciaeducadores
 
leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.pptleitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.pptSoniaMaia18
 
Projeto de contação de histórias
Projeto de contação de históriasProjeto de contação de histórias
Projeto de contação de históriasAmanda Freitas
 
Projeto literatura infantil
Projeto literatura infantilProjeto literatura infantil
Projeto literatura infantilShirley Costa
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar históriasPedro da Silva
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar históriasRossita Figueira
 
A Formiguinha e a Neve
A Formiguinha e a Neve A Formiguinha e a Neve
A Formiguinha e a Neve Dinny Rubini
 
Literatura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaLiteratura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaAna Paula Cecato
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura okMarcia Silva
 
Eixo3 raquel palma_relato_resumo
Eixo3 raquel palma_relato_resumoEixo3 raquel palma_relato_resumo
Eixo3 raquel palma_relato_resumoJosiane Jäger
 
Como contos de fadas e fantasia contribuem no desenvolvimento psíquico e emoc...
Como contos de fadas e fantasia contribuem no desenvolvimento psíquico e emoc...Como contos de fadas e fantasia contribuem no desenvolvimento psíquico e emoc...
Como contos de fadas e fantasia contribuem no desenvolvimento psíquico e emoc...Vera Ravagnani
 
Sobre leituras compartilhadas
Sobre leituras compartilhadasSobre leituras compartilhadas
Sobre leituras compartilhadasKaren Kampa
 
Adriana da silva_turbay_-_trabalho_adriana_da_silva_turbay
Adriana da silva_turbay_-_trabalho_adriana_da_silva_turbayAdriana da silva_turbay_-_trabalho_adriana_da_silva_turbay
Adriana da silva_turbay_-_trabalho_adriana_da_silva_turbayOnésimo Remígio
 
livro - eu conto contigo - formato digital - horizontal 2.pdf
livro - eu conto contigo - formato digital - horizontal 2.pdflivro - eu conto contigo - formato digital - horizontal 2.pdf
livro - eu conto contigo - formato digital - horizontal 2.pdffernandamoliterno1
 

Semelhante a Letramento Literário na Quebra dos Estigmas Vividos por Crianças com HIV/AIDS:HQ Enquanto Literatura (20)

Era uma vez: a contribuição dos contos de fadas para a formação do leitor
Era uma vez: a contribuição dos contos de fadas para a formação do leitorEra uma vez: a contribuição dos contos de fadas para a formação do leitor
Era uma vez: a contribuição dos contos de fadas para a formação do leitor
 
A leitura e sua relação
A leitura e sua relaçãoA leitura e sua relação
A leitura e sua relação
 
Livros e Infância
Livros e InfânciaLivros e Infância
Livros e Infância
 
leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.pptleitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
 
Contos na educação infantil
Contos na educação infantilContos na educação infantil
Contos na educação infantil
 
Projeto de contação de histórias
Projeto de contação de históriasProjeto de contação de histórias
Projeto de contação de histórias
 
Projeto literatura infantil
Projeto literatura infantilProjeto literatura infantil
Projeto literatura infantil
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar histórias
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar histórias
 
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitoresA literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
 
A Formiguinha e a Neve
A Formiguinha e a Neve A Formiguinha e a Neve
A Formiguinha e a Neve
 
Slides idalice
Slides   idaliceSlides   idalice
Slides idalice
 
Literatura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaLiteratura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativa
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura ok
 
Eixo3 raquel palma_relato_resumo
Eixo3 raquel palma_relato_resumoEixo3 raquel palma_relato_resumo
Eixo3 raquel palma_relato_resumo
 
Como contos de fadas e fantasia contribuem no desenvolvimento psíquico e emoc...
Como contos de fadas e fantasia contribuem no desenvolvimento psíquico e emoc...Como contos de fadas e fantasia contribuem no desenvolvimento psíquico e emoc...
Como contos de fadas e fantasia contribuem no desenvolvimento psíquico e emoc...
 
Sobre leituras compartilhadas
Sobre leituras compartilhadasSobre leituras compartilhadas
Sobre leituras compartilhadas
 
Adriana da silva_turbay_-_trabalho_adriana_da_silva_turbay
Adriana da silva_turbay_-_trabalho_adriana_da_silva_turbayAdriana da silva_turbay_-_trabalho_adriana_da_silva_turbay
Adriana da silva_turbay_-_trabalho_adriana_da_silva_turbay
 
livro - eu conto contigo - formato digital - horizontal 2.pdf
livro - eu conto contigo - formato digital - horizontal 2.pdflivro - eu conto contigo - formato digital - horizontal 2.pdf
livro - eu conto contigo - formato digital - horizontal 2.pdf
 
Atv4marcia
Atv4marciaAtv4marcia
Atv4marcia
 

Último

O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfemeio123
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosbiancaborges0906
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorCasa Ciências
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergBrenda Fritz
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 

Último (20)

O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 

Letramento Literário na Quebra dos Estigmas Vividos por Crianças com HIV/AIDS:HQ Enquanto Literatura

  • 1. XXI Jornada de Iniciação Científica - 2017 LETRAMENTO LITERÁRIO NA QUEBRA DOS ESTIGMAS VIVIDOS POR CRIANÇAS COM HIV/AIDS:HQ ENQUANTO LITERATURA Mônica De Santana Dias, monicasdias2009@hotmail.com, Rosemary Lapa De Oliveira, rloliveira@uneb.br Departamento de Educação, Campus I, Salvador Licenciatura Em Pedagogia Palavras-Chave: Letramento Literário; Docência ; Histórias em quadrinhos; sujeito leitor Introdução Sabemos que as crianças vivenciam na infância muitas emoções nas interações sociais e essas relações provocam em cada criança sensações e sentimentos diferenciados com os quais elas precisam lidar a todo o momento. Essas emoções se tornam mais intensas quando a criança apresenta algum tipo de deficiência ou doença crônica, como o caso das crianças soropositivas para o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). Diante dessa realidade, a literatura provou ser uma forma terapêutica para lidar com esses conflitos internos vivenciados pelas crianças. Por isso, neste estudo, objetivamos descrever o papel terapêutico do texto literário história em quadrinho (HQ), através da constituição do sujeito leitor, entendendo que a HQ pode ajudar as crianças, em especial as soropositivas, a lidar com conflitos internos e situações de estigmatização social. Temos,como base teórica, o letramento literário de Cosson (2010), a constituição de sujeitos leitores de Oliveira (2015), o valor terapêutico da contação de história de Sunderland (2005) e discussões sobre a HQ com Vergueiro (2014). Metodologia O estudo foi realizado a partir de uma pesquisa bibliográfica, focando a constituição do sujeito leitor a partir da leitura da HQ enquanto literatura, trazendo para análise os benefícios terapêuticos da HQ da turma da Mônica: Amiguinhos da Vida do cartunista Mauricio de Sousa para formação do sujeito leitor soropositivo. Resultados e discussão Concordando com Candido (2011), compreendemos que a literatura tem uma função humanizadora, pois pudemos perceber que a partir da leitura as crianças podem refletir sobre si mesmas e sobre o outro, encontrando o equilíbrio para seus conflitos internos e sociais. Isso acontece,quando as crianças ao lerem as narrativas ficcionais, vivenciam situações de conflitos que as ajudam a pensar sobre suas emoções e sua realidade com uma linguagem que pertence ao seu mundo, o mundo da imaginação e da fantasia, como esclarece Sunderland (2005), apresentando possibilidades para o alívio de sofrimentos interiores e o reconhecimento de caminhos para lidar com a estigmatização social. E é nesse momento que o trabalho com a HQ se torna uma fonte inesgotável de humanização e estímulo à leitura, já que as narrativas em quadrinhos, por seu multimodalismo prendem a atenção das crianças por ter uma linguagem e por apresentar situações do cotidiano infantil, as quais as crianças entendem e ao ler se sentem parte da história. Diante disso, dentre as histórias em quadrinhos que trazem esse cotidiano infantil estão as da turma da Mônica do cartunista Maurício de Sousa, em especial a intitulada: amiguinhos da vida em que os personagens são crianças soropositivas e experienciam as aflições e alegrias do mundo infantojuvenil dentro da escola. E por essa razão, durante a leitura dessa literatura a criança pode se identificar com os personagens que revelam ao leitor formas de lidar e expressar suas emoções. Conclusões Portanto, neste estudo, concluímos que a leitura da HQ pode proporcionar benefícios terapêuticos, isso ocorre quando o leitor, no momento da leitura, encontra um personagem que vivencia dores, medos e frustrações parecidas com as suas em situações rápidas de leitura como na HQ (ABRAMOVICH, 1997), e durante a história encontra maneiras para lidar com situações desfavoráveis como a estigmatização social aprendendo sobre si e sobre outro como nos ensina Bettelheim (2002). Assim, esse leitor, ao ler as narrativas, constitui-se sujeito leitor do texto, do contexto e de si mesmo como propõe Oliveira (2015), trazendo contribuições significativas para o ensino de leitura. Agradecimentos Agradeço a Deus, primeiramente por ter me concedido coragem e energia para desenvolver esse projeto. À Universidade do Estado da Bahia-UNEB por ter dado condições para desenvolver a pesquisa. À minha professora orientadora Dra. Rosemary Lapa de Oliveira pelas orientações e incentivo. A minha mãe pelo amor, incentivo e apoio incondicional. Bolsa: Voluntário Referências: ABRAMOVICH, Fanny.Literatura infantil:gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1997. BETTELHEIM, Bruno.A psicanálise dos contos de fadas. Editora Paz e Terra, 2002. CANDIDO Antonio. O direito à literatura. In: Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades/Ouro sobre Azul; 2011. p.171-193. COSSON, Rildo.Letramento literário:teoria e prática. Ed. Contexto, 2010. OLIVEIRA, Rosemary Lapa.A Pedagogia da Rebeldia e o Enleituramento:a constituição do sujeito leitor. Saarbrücken: Novas Edições Acadêmicas, 2015. SOUSA, Mauricio deTurma da Mônica em Quadrinhos.Disponível em <http://turmadamonica.uol.com.br/amiguinhosdavida/> Acesso em 19/01/2017. SUNDERLAND, Margot.O valor terapêutico de contar histórias para crianças, pelas crianças. São Paulo: Cultrix, 2005. VERGUEIRO, Waldomiro .In:RAMA, Angela; VERGUEIRO, Waldomiro.Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2014, p.7-29. Pro-Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação (PPG) - Universidade do Estado da Bahia (UNEB) 367