SlideShare uma empresa Scribd logo
Início Sair
SEQUÊNCIA DE REVISÃO
Sociologia
Tempos Modernos
Tempos de Sociologia
Capítulos 19 e 20
Material desenvolvido pela Editora do Brasil, não avaliado pelo MEC.
Início Sair
Participação política,
direitos e democracia
Capítulo
19
A vida escrita de um país
Assembleia Nacional
Constituinte: sessão do
dia 5 de outubro de
1988. Celebração da
promulgação da
Constituição Brasileira
após o discurso de seu
presidente, deputado
Ulysses Guimarães.
Cláudio
Versiani/Editora
Abril
Início Sair
Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia
• A Constituição é a Carta Magna de um país.
• Nela, estão descritos os procedimentos, regras, normas, autorizações e proibições
pelos quais se guiam um Estado e sua população.
• A Constituição de 1988 marcou o encerramento de um longo processo político e social
e abriu o país para experiências ausentes das Cartas anteriores.
De volta à democracia
• A Constituição de 1988 foi o coroamento do fim do regime autoritário, conhecido como
Regime Militar.
• Sua elaboração é resultado de um disputado processo de mobilização da sociedade,
negociação e confronto de ideias.
• Ela também recebeu muitas críticas, sobretudo na parte relativa à organização
econômica.
• Essas críticas reforçam a ideia de que as constituições tratam da vida da sociedade.
Início Sair
Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia
Democracia se aprende, cidadania também
• O conceito de cidadania remete à ideia de inclusão.
• Ser cidadão é usufruir de um conjunto de benefícios e participar dos ganhos que uma
sociedade produziu.
• Os direitos políticos, sociais e civis são garantidos porque se pressupõe uma contrapartida:
o cidadão tem, por seu lado, de cumprir certos deveres.
• Direitos e cidadania não são dados: são construções que variam de acordo com o estágio
em que uma sociedade está.
Uma história do voto
• A primeira eleição no Brasil foi realizada em 1532, na então capitania de São Vicente,
por convocação de seu donatário, Martim Afonso de Sousa.
• O sistema eleitoral só passou a ser definido como um processo oficial a partir de nossa
primeira Constituição, de 1824.
• Mesmo após a Proclamação da República, em 1889, as mudanças foram lentas.
• Apenas no início do século XX foi permitido o voto de todos os brasileiros do sexo
masculino com mais de 21 anos e alfabetizados.
Início Sair
Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia
• As mulheres conquistaram o direito de votar somente em 1934, quando também foi
instituído o voto obrigatório e secreto.
• Entre 1937 e 1945, durante o Estado Novo, as eleições foram suspensas. Anos mais
tarde, a Ditadura Militar acabou com as eleições diretas para presidente e governador.
• Com a redemocratização, a Constituição de 1988 trouxe, além da volta das eleições
diretas para presidente (retomadas em 1989), a ampliação do direito ao voto para
analfabetos e jovens de 16 e 17 anos.
• Hoje, no Brasil, as eleições são realizadas no sistema universal e direto, com voto
obrigatório e secreto.
Pontos principais
• As sociedades democráticas são regidas por constituições.
• Nelas, estão registrados os direitos e deveres dos cidadãos e do Estado. Por essa razão,
as constituições fornecem pistas para conhecermos as especificidades das sociedades
em diferentes momentos históricos.
• Cidadania plena envolve a participação dos cidadãos nos direitos e deveres civis,
políticos e sociais, garantida pela Constituição.
• Mas cidadania diz respeito também à participação ativa das pessoas na vida do país.
Início Sair
Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia
Destaque final
O bom da experiência democrática é que com ela aprendemos a querer e a melhorar
mais e mais. Essa atitude é indispensável à vida em sociedade porque ensina a exigir o
que precisa ser modificado e cuidar do que se conquistou. No caso do Brasil, as últimas
décadas foram importantes em muitos aspectos: votamos livremente para a escolha de
todos os governantes; ampliamos o direito ao voto para aqueles que ainda não têm
domínio da leitura e estendemos o direito ao voto aos jovens de 16 anos. Hoje, a
população em idade escolar pode frequentar escolas, um direito social fundamental para
os cidadãos de um país.
Início Sair
Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia
Violência, crime e
justiça no Brasil
Capítulo
20
• Ao longo de mais de 200 anos, assistimos ao que Michel Foucault chamou de
“humanização dos processos penais”.
• A justiça deixou de ser executada em praça pública para realizar-se nos tribunais.
• O criminoso passou de objeto passivo da vontade do soberano a sujeito detentor de
direitos – direito à defesa, a um julgamento justo, à reintegração à sociedade.
• O sistema judiciário como um todo tornou-se mais racional, mas isso não evitou os
problemas. Quais seriam as formas de enfrentar esse desafio?
Pobreza gera violência?
• A antropóloga Alba Zaluar aponta o ciclo da pobreza e da violência: o indivíduo é
violento porque é pobre, é pobre porque não tem acesso à educação, não tendo
educação não sabe exigir seus direitos.
• Ela afirma que é preciso interromper esse encadeamento de ideias.
• A desigualdade, e não a pobreza, tende a resultar em violência no contexto da
sociedade de consumo.
Início Sair
Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia
Cena do filme
Cidade de Deus,
2001.
Miramax/Everett
Collection/Glow
Images
Início Sair
Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia
Sociabilidade violenta
• O Estado precisa ser reconhecido como detentor único do direito de empregar a
violência.
• Há quem diga que o Estado não tem mais capacidade de conter o crime e que os
criminosos constituíram um “Estado paralelo”.
• Até que ponto essa linha de raciocínio se sustenta?
• Para o sociólogo Luiz Antonio Machado da Silva, não se deve encarar os “comandos” dos
narcotraficantes como um “Estado dentro do Estado”.
• Estamos vivendo de acordo com uma nova sociabilidade – uma sociabilidade violenta –,
que rege todo o corpo social, afetando especialmente as áreas mais desfavorecidas
economicamente.
Maioridade penal
• A maioridade penal é a idade a partir da qual a pessoa passa a responder criminalmente
como adulto.
• No Brasil, isso se aplica a pessoas com mais de 18 anos.
• Antes disso, quem infringir a lei será punido por uma norma feita especialmente para
jovens e crianças, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
• Diante do grave quadro de violência no país, algumas pessoas defendem que a redução
da maioridade penal para 16 anos seria uma solução.
Início Sair
Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia
Um problema de todos nós
Membros da Federação
Estadual de Remo do Rio
de Janeiro (FRERJ)
participam de manifestação
contra a violência e pela
paz, na Lagoa Rodrigo de
Freitas, Rio de Janeiro
(RJ), 2015.
Sergio
Moraes/Reuters/Latinstock
• A despeito de suas divergências teóricas, os pesquisadores da violência têm insistido em
um ponto: o problema da ilegalidade atinge cada um de nós.
• Legalidade, no estado democrático de direito, significa a afirmação normativa e a prática
de direitos, garantias e liberdades, individuais e coletivas.
• Negar a legalidade é negar a democracia. Quando a legalidade é substituída pela
ilegalidade, os cidadãos viram prisioneiros do despotismo imposto pelos criminosos.
Início Sair
Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia
Pontos principais
• No Brasil, observamos que a criminalidade não foi inibida em razão do maior número
de policiais, prisões, advogados, juízes e processos correndo na Justiça.
• A associação feita entre crime e pobreza não é considerada uma explicação para o
problema da violência no Brasil. A impunidade penal é uma das principais causas do
aumento da criminalidade. Além disso, o foco das análises foi deslocado da pobreza
para as desigualdades.
• A solução para o problema da violência está no fortalecimento da democracia e no
compromisso do Estado.
Destaque final
Não faz sentido conceber que o indivíduo já nasça violento. Da mesma forma que
ninguém nasce cidadão e precisa aprender a sê-lo, ninguém nasce “portador” da
sociabilidade violenta. Não se trata de uma questão de caráter ou de índole. E
justamente porque não se trata de uma questão “natural”, alguém que no presente é
criminoso no futuro pode deixar de sê-lo.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a capitulos-19-20.pptx

Democracia e Cidadania: participação política e social
Democracia e Cidadania: participação política e socialDemocracia e Cidadania: participação política e social
Democracia e Cidadania: participação política e social
Carlos Benjoino Bidu
 
Aula 3 com e cidadania
Aula 3  com e cidadaniaAula 3  com e cidadania
Aula 3 com e cidadania
UFSM
 
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdfSlides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
LeandroBrando21
 
Democracia em Crise? - Nicholas Merlone
Democracia em Crise? - Nicholas MerloneDemocracia em Crise? - Nicholas Merlone
Democracia em Crise? - Nicholas Merlone
Nicholas Merlone
 
20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.
20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.
20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.
Development Workshop Angola
 
Sociologia
Sociologia Sociologia
Sociologia
EzequielCardoso8
 
Apresentação CE B3 A PDF.pdf
Apresentação CE B3 A PDF.pdfApresentação CE B3 A PDF.pdf
Apresentação CE B3 A PDF.pdf
snia57
 
Direito e cidadania
Direito e cidadaniaDireito e cidadania
Direito e cidadania
Andrea Aparecida Conte
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
roberto mosca junior
 
Capítulo 14 - A Política no Brasil
Capítulo 14 - A Política no BrasilCapítulo 14 - A Política no Brasil
Capítulo 14 - A Política no Brasil
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65
Valter Gomes
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humana
Luci Bonini
 
9ª aula 20-04-2010
9ª aula   20-04-20109ª aula   20-04-2010
9ª aula 20-04-2010
ElenitaPimentel
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
pascoalnaib
 
Sociologia Capítulo 13 - a democracia no Brasil
Sociologia Capítulo 13 - a democracia no BrasilSociologia Capítulo 13 - a democracia no Brasil
Sociologia Capítulo 13 - a democracia no Brasil
Miro Santos
 
Direitos Humanos e Cidadania.ppt
Direitos Humanos e Cidadania.pptDireitos Humanos e Cidadania.ppt
Direitos Humanos e Cidadania.ppt
MarcusAurelius54
 
Direitos Humanos e Cidadania.ppt
Direitos Humanos e Cidadania.pptDireitos Humanos e Cidadania.ppt
Direitos Humanos e Cidadania.ppt
PaulaMontanari5
 
Bobbio
BobbioBobbio
Bobbio
UNICAP
 
Direitos,cidadania e movimentos sociais
Direitos,cidadania e movimentos sociaisDireitos,cidadania e movimentos sociais
Direitos,cidadania e movimentos sociais
Eralda Cruz
 
Artigo desobediência civil
Artigo   desobediência civilArtigo   desobediência civil
Artigo desobediência civil
marioferreiraneto
 

Semelhante a capitulos-19-20.pptx (20)

Democracia e Cidadania: participação política e social
Democracia e Cidadania: participação política e socialDemocracia e Cidadania: participação política e social
Democracia e Cidadania: participação política e social
 
Aula 3 com e cidadania
Aula 3  com e cidadaniaAula 3  com e cidadania
Aula 3 com e cidadania
 
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdfSlides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
 
Democracia em Crise? - Nicholas Merlone
Democracia em Crise? - Nicholas MerloneDemocracia em Crise? - Nicholas Merlone
Democracia em Crise? - Nicholas Merlone
 
20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.
20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.
20170623 DW Debate: Cidadania, Governação e Eleições: Desafios e Perspectiva.
 
Sociologia
Sociologia Sociologia
Sociologia
 
Apresentação CE B3 A PDF.pdf
Apresentação CE B3 A PDF.pdfApresentação CE B3 A PDF.pdf
Apresentação CE B3 A PDF.pdf
 
Direito e cidadania
Direito e cidadaniaDireito e cidadania
Direito e cidadania
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
Capítulo 14 - A Política no Brasil
Capítulo 14 - A Política no BrasilCapítulo 14 - A Política no Brasil
Capítulo 14 - A Política no Brasil
 
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 65
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humana
 
9ª aula 20-04-2010
9ª aula   20-04-20109ª aula   20-04-2010
9ª aula 20-04-2010
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
 
Sociologia Capítulo 13 - a democracia no Brasil
Sociologia Capítulo 13 - a democracia no BrasilSociologia Capítulo 13 - a democracia no Brasil
Sociologia Capítulo 13 - a democracia no Brasil
 
Direitos Humanos e Cidadania.ppt
Direitos Humanos e Cidadania.pptDireitos Humanos e Cidadania.ppt
Direitos Humanos e Cidadania.ppt
 
Direitos Humanos e Cidadania.ppt
Direitos Humanos e Cidadania.pptDireitos Humanos e Cidadania.ppt
Direitos Humanos e Cidadania.ppt
 
Bobbio
BobbioBobbio
Bobbio
 
Direitos,cidadania e movimentos sociais
Direitos,cidadania e movimentos sociaisDireitos,cidadania e movimentos sociais
Direitos,cidadania e movimentos sociais
 
Artigo desobediência civil
Artigo   desobediência civilArtigo   desobediência civil
Artigo desobediência civil
 

Último

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 

Último (20)

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 

capitulos-19-20.pptx

  • 1. Início Sair SEQUÊNCIA DE REVISÃO Sociologia Tempos Modernos Tempos de Sociologia Capítulos 19 e 20 Material desenvolvido pela Editora do Brasil, não avaliado pelo MEC.
  • 2. Início Sair Participação política, direitos e democracia Capítulo 19 A vida escrita de um país Assembleia Nacional Constituinte: sessão do dia 5 de outubro de 1988. Celebração da promulgação da Constituição Brasileira após o discurso de seu presidente, deputado Ulysses Guimarães. Cláudio Versiani/Editora Abril
  • 3. Início Sair Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia • A Constituição é a Carta Magna de um país. • Nela, estão descritos os procedimentos, regras, normas, autorizações e proibições pelos quais se guiam um Estado e sua população. • A Constituição de 1988 marcou o encerramento de um longo processo político e social e abriu o país para experiências ausentes das Cartas anteriores. De volta à democracia • A Constituição de 1988 foi o coroamento do fim do regime autoritário, conhecido como Regime Militar. • Sua elaboração é resultado de um disputado processo de mobilização da sociedade, negociação e confronto de ideias. • Ela também recebeu muitas críticas, sobretudo na parte relativa à organização econômica. • Essas críticas reforçam a ideia de que as constituições tratam da vida da sociedade.
  • 4. Início Sair Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia Democracia se aprende, cidadania também • O conceito de cidadania remete à ideia de inclusão. • Ser cidadão é usufruir de um conjunto de benefícios e participar dos ganhos que uma sociedade produziu. • Os direitos políticos, sociais e civis são garantidos porque se pressupõe uma contrapartida: o cidadão tem, por seu lado, de cumprir certos deveres. • Direitos e cidadania não são dados: são construções que variam de acordo com o estágio em que uma sociedade está. Uma história do voto • A primeira eleição no Brasil foi realizada em 1532, na então capitania de São Vicente, por convocação de seu donatário, Martim Afonso de Sousa. • O sistema eleitoral só passou a ser definido como um processo oficial a partir de nossa primeira Constituição, de 1824. • Mesmo após a Proclamação da República, em 1889, as mudanças foram lentas. • Apenas no início do século XX foi permitido o voto de todos os brasileiros do sexo masculino com mais de 21 anos e alfabetizados.
  • 5. Início Sair Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia • As mulheres conquistaram o direito de votar somente em 1934, quando também foi instituído o voto obrigatório e secreto. • Entre 1937 e 1945, durante o Estado Novo, as eleições foram suspensas. Anos mais tarde, a Ditadura Militar acabou com as eleições diretas para presidente e governador. • Com a redemocratização, a Constituição de 1988 trouxe, além da volta das eleições diretas para presidente (retomadas em 1989), a ampliação do direito ao voto para analfabetos e jovens de 16 e 17 anos. • Hoje, no Brasil, as eleições são realizadas no sistema universal e direto, com voto obrigatório e secreto. Pontos principais • As sociedades democráticas são regidas por constituições. • Nelas, estão registrados os direitos e deveres dos cidadãos e do Estado. Por essa razão, as constituições fornecem pistas para conhecermos as especificidades das sociedades em diferentes momentos históricos. • Cidadania plena envolve a participação dos cidadãos nos direitos e deveres civis, políticos e sociais, garantida pela Constituição. • Mas cidadania diz respeito também à participação ativa das pessoas na vida do país.
  • 6. Início Sair Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia Destaque final O bom da experiência democrática é que com ela aprendemos a querer e a melhorar mais e mais. Essa atitude é indispensável à vida em sociedade porque ensina a exigir o que precisa ser modificado e cuidar do que se conquistou. No caso do Brasil, as últimas décadas foram importantes em muitos aspectos: votamos livremente para a escolha de todos os governantes; ampliamos o direito ao voto para aqueles que ainda não têm domínio da leitura e estendemos o direito ao voto aos jovens de 16 anos. Hoje, a população em idade escolar pode frequentar escolas, um direito social fundamental para os cidadãos de um país.
  • 7. Início Sair Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia Violência, crime e justiça no Brasil Capítulo 20 • Ao longo de mais de 200 anos, assistimos ao que Michel Foucault chamou de “humanização dos processos penais”. • A justiça deixou de ser executada em praça pública para realizar-se nos tribunais. • O criminoso passou de objeto passivo da vontade do soberano a sujeito detentor de direitos – direito à defesa, a um julgamento justo, à reintegração à sociedade. • O sistema judiciário como um todo tornou-se mais racional, mas isso não evitou os problemas. Quais seriam as formas de enfrentar esse desafio? Pobreza gera violência? • A antropóloga Alba Zaluar aponta o ciclo da pobreza e da violência: o indivíduo é violento porque é pobre, é pobre porque não tem acesso à educação, não tendo educação não sabe exigir seus direitos. • Ela afirma que é preciso interromper esse encadeamento de ideias. • A desigualdade, e não a pobreza, tende a resultar em violência no contexto da sociedade de consumo.
  • 8. Início Sair Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia Cena do filme Cidade de Deus, 2001. Miramax/Everett Collection/Glow Images
  • 9. Início Sair Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia Sociabilidade violenta • O Estado precisa ser reconhecido como detentor único do direito de empregar a violência. • Há quem diga que o Estado não tem mais capacidade de conter o crime e que os criminosos constituíram um “Estado paralelo”. • Até que ponto essa linha de raciocínio se sustenta? • Para o sociólogo Luiz Antonio Machado da Silva, não se deve encarar os “comandos” dos narcotraficantes como um “Estado dentro do Estado”. • Estamos vivendo de acordo com uma nova sociabilidade – uma sociabilidade violenta –, que rege todo o corpo social, afetando especialmente as áreas mais desfavorecidas economicamente. Maioridade penal • A maioridade penal é a idade a partir da qual a pessoa passa a responder criminalmente como adulto. • No Brasil, isso se aplica a pessoas com mais de 18 anos. • Antes disso, quem infringir a lei será punido por uma norma feita especialmente para jovens e crianças, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). • Diante do grave quadro de violência no país, algumas pessoas defendem que a redução da maioridade penal para 16 anos seria uma solução.
  • 10. Início Sair Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia Um problema de todos nós Membros da Federação Estadual de Remo do Rio de Janeiro (FRERJ) participam de manifestação contra a violência e pela paz, na Lagoa Rodrigo de Freitas, Rio de Janeiro (RJ), 2015. Sergio Moraes/Reuters/Latinstock • A despeito de suas divergências teóricas, os pesquisadores da violência têm insistido em um ponto: o problema da ilegalidade atinge cada um de nós. • Legalidade, no estado democrático de direito, significa a afirmação normativa e a prática de direitos, garantias e liberdades, individuais e coletivas. • Negar a legalidade é negar a democracia. Quando a legalidade é substituída pela ilegalidade, os cidadãos viram prisioneiros do despotismo imposto pelos criminosos.
  • 11. Início Sair Sociologia: Tempos Modernos Tempos de Sociologia Pontos principais • No Brasil, observamos que a criminalidade não foi inibida em razão do maior número de policiais, prisões, advogados, juízes e processos correndo na Justiça. • A associação feita entre crime e pobreza não é considerada uma explicação para o problema da violência no Brasil. A impunidade penal é uma das principais causas do aumento da criminalidade. Além disso, o foco das análises foi deslocado da pobreza para as desigualdades. • A solução para o problema da violência está no fortalecimento da democracia e no compromisso do Estado. Destaque final Não faz sentido conceber que o indivíduo já nasça violento. Da mesma forma que ninguém nasce cidadão e precisa aprender a sê-lo, ninguém nasce “portador” da sociabilidade violenta. Não se trata de uma questão de caráter ou de índole. E justamente porque não se trata de uma questão “natural”, alguém que no presente é criminoso no futuro pode deixar de sê-lo.