Peixes , anfíbios e répteis

4.010 visualizações

Publicada em

Peixes , anfíbios e répteis

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.010
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.128
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
181
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Peixes , anfíbios e répteis

  1. 1. Profª Shirley Correia PEIXES
  2. 2. PEIXES  No ambiente aquático surgia um novo grupo de craniados com mandíbulas.  Tornaram-se predadores mais eficientes, com uma dieta mais variada.  Puderam se proteger melhor de predadores.  A maioria tem o corpo coberto por escamas.  Adquiriram uma habilidade de nado cada vez maior, com a presença das nadadeiras.  Respiram por meio de brânquias (trocas gasosas).
  3. 3. PEIXES Respiração – Realizam as trocas por meio das brânquias (a maioria)
  4. 4. PEIXES Ao comprar um peixe, levante o opérculo e observe as brânquias – elas têm de estar bem vermelhas, caso contrário o peixe não está fresco.
  5. 5. PEIXES  A maioria possui linha lateral responsável pela detecção de outros organismos e de obstáculos por meio da vibração na água.
  6. 6. PEIXES  Há cerca de 350 milhões de anos, duas linhagens de peixes evoluíram separadamente: uma com o esqueleto cartilaginoso e outra com esqueleto ósseo. Tubarão-martelo Robalo
  7. 7. PEIXES CARTILAGINOSOS
  8. 8. PEIXES CARTILAGINOSOS Representantes Tubarões Cações Raias ou arraias Quimera
  9. 9. PEIXES CARTILAGINOSOS Habitat  Aquático de água doce (algumas raias), mares e oceanos. Hábito alimentar  Grande maioria predadores de crustáceos, peixes, répteis e mamíferos aquáticos.  Alguns são filtradores do plâncton (raia-jamanta, tubarão-baleia).
  10. 10. PEIXES CARTILAGINOSOS Tubarão-baleia
  11. 11. PEIXES CARTILAGINOSOS Principais novidades evolutivas  Mandíbulas (captura mais alimentos e funciona como órgão de ataque e defesa).  Esqueleto cartilaginoso presente nos peixes sem mandíbula.  Escamas placoides (facilita o deslocamento da água).
  12. 12. PEIXES CARTILAGINOSOS Curiosidades  As raias possuem um ferrão na cauda usado contra predadores. No ferrão contém substâncias tóxicas que causam dores terríveis e podem levar à morte.  O peixe quimera parece uma mistura de dois animais.  Os tubarões têm importante participação na teia alimentar marinha.  Os tubarões têm olfato muito apurado - sentem o “cheiro” de uma gotinha de sangue a mais de 30 metros de distância.  Os tubarões são bastante sensíveis às vibrações que ocorrem na água, como as de uma presa tentando fugir.
  13. 13. PEIXES ÓSSEOS
  14. 14. PEIXE ÓSSEOS Moreia Paru Peixe-cachimbo Piramboia Linguado Celacanto Representantes
  15. 15. PEIXES ÓSSEOS Habitat  Aquático de água doce (rios e lagos), mares e oceanos. Hábito alimentar  Variados hábitos alimentares, desde animais filtradores de plâncton até ferozes predadores, como as piranhas e as moreias .
  16. 16. Principais novidades evolutivas  Esqueleto ósseo.  Nadadeiras lobadas – estruturas que deram origem, mais tarde, às pernas (celacanto).  Pulmões (a piramboia).  Brânquias protegidas por uma estrutura chamada opérculo.  Bexiga natatória (favorece a flutuação do animal, facilitando os movimentos de subida e descida). PEIXES ÓSSEOS
  17. 17. PEIXES ÓSSEOS
  18. 18. PEIXES ÓSSEOS Bexiga natatória
  19. 19. PEIXES CARTILAGINOSOS E ÓSSEOS 1- Quais são as principais novidades evolutivas dos peixes? Os peixes adquiriram a mandíbula, habilidade para o nado com a presença das nadadeiras, a maioria tem o corpo coberto por escamas e apresentam a linha lateral. 2- Qual a função da linha lateral presente na maioria dos peixes? A linha lateral é responsável pela detecção de outros organismos e de obstáculos por meio da vibração na água. 3- Qual a função das escamas? Revestimento e proteção. 4- Descreva as principais diferenças entre os peixes cartilaginosos e os peixes ósseos. Os peixes cartilaginosos possuem um esqueleto cartilaginoso e não possuem opérculo e bexiga natatória. Os peixes ósseos possuem esqueleto ósseo, opérculo e bexiga natatória. 5- Qual é o órgão responsável pelo controle de flutuação dos peixes ósseos? Bexiga natatória.
  20. 20. ANFÍBIOS Representantes Perereca
  21. 21. ANFÍBIOS Habitat  Rios, lagos, banhados, florestas, cerrados e campos, sempre com razoável umidade. Hábito alimentar  Carnívoros (principalmente insetívoros). Hábito de vida  Vida livre aquático e/ou terrestre (uma fase da vida é aquática – larval)  Algumas formas podem se enterrar no fundo de rios e lagos e permanecer assim até que a estiagem acabe.
  22. 22. ANFÍBIOS Principais novidades evolutivas  Respiração terrestre por pulmões e pela pele. (Os girinos respiram principalmente por brânquias).  Quando presentes os membros locomotores, têm forma de patas.  Em alguns grupos pernas posteriores adaptadas para o salto.
  23. 23. ANFÍBIOS
  24. 24. ANFÍBIOS Reprodução – Fecundação externa
  25. 25. ANFÍBIOS Estratégias de reprodução em anfíbios Rãs depositam seus gametas numa espécie de ninho de espuma, onde ocorre a fecundação e a formação de ovos. Algumas pererecas colocam seus ovos em cima de folhas próximas ou acima da água. Os girinos, ao nascerem, rastejam até a água para completar sua metamorfose Alguns sapinhos carregam seus girinos presos ao corpo até que eles estejam desenvolvidos para sobreviverem sozinhos.
  26. 26. ANFÍBIOS Ameaças aos anfíbios  Destruição dos ambientes naturais Retirada de árvores da mata, reduzem a sombra e a umidade, destruindo muitas vezes o habitat dos anfíbios.  Poluição Substâncias tóxicas presentes em rios e lagos, como pesticidas e fertilizantes, podem ser absorvidos pela pele permeável e diminuem a taxa de sobrevivência das larvas ou ocorrem má formações nos filhotes.
  27. 27. ANFÍBIOS Ameaças aos anfíbios  Mudanças climáticas O aumento da temperatura do planeta (aquecimento global) tem provocado a diminuição e até extinção de vários anfíbios – Doenças causadas por fungos.  Introdução de espécies exóticas Plantas invasoras podem modificar o habitat dos anfíbios, alterando sua dinâmica alimentar. Peixes introduzidos podem se alimentar das larvas e adultos de anfíbios. Ambos podem causar a extinção de várias espécies.
  28. 28. ANFÍBIOS 1- Quais são as principais novidades evolutivas dos anfíbios? Os girinos respiram principalmente por brânquias e os adultos por pulmões e pela pele. Algumas espécies as pernas posteriores são adaptadas para o salto. 2- Em que fase da vida dos anfíbios ocorre respiração branquial? Na fase de girino porque vivem na água. 3- Por que podemos afirmar que alguns anfíbios não apresentam patas? Porque são ausentes nas cobras-cegas ou cecílias. 4- Porque a fecundação dos anfíbios é externa? Porque o encontro dos gametas masculinos e femininos ocorre fora do corpo da fêmea, dentro da água. 5- Cite alguns fatores que causam a diminuição e até mesmo à extinção nas populações dos anfíbios. Destruição dos ambientes naturais, a poluição de rios e lagos, mudanças climáticas e a introdução de espécies exóticas.
  29. 29. RÉPTEIS  Réptil: do latim, significa “que rasteja”.  Nem todos os répteis rastejam.  Alguns andam, saltam, correm, nadam e até planam.  São animais de “sangue frio”.
  30. 30. RÉPTEIS Representantes  Jacarés; crocodilos.  Tartarugas (marinhas, de água doce e terrestres).  Lagartos (camaleão, lagartixas, monstro de Gila, iguanas).  Serpentes (cascavéis, jararacas, corais verdadeiras e falsas surucucus, jiboias, sucuri).  Cobra-de-duas-cabeças.
  31. 31. RÉPTEIS Representantes Tartaruga CágadoJabuti Tartaruga
  32. 32. RÉPTEIS Tartaruga de Galápagos
  33. 33. RÉPTEIS Representantes Camaleão - Camuflagem Monstro de Gila Lagartixa Iguana
  34. 34. RÉPTEIS Representantes Coral verdadeira Coral falsa Jiboia Cascavel
  35. 35. RÉPTEIS Representantes
  36. 36. RÉPTEIS Representantes Cobra-de-duas-cabeças
  37. 37. RÉPTEIS Principais novidades evolutivas  Ovo terrestre com bolsa com água e substâncias tóxicas, vitelo e casca protetora.
  38. 38. RÉPTEIS Principais novidades evolutivas  Fecundação interna.
  39. 39. RÉPTEIS Desenvolvimento direto – sem metamorfose Principais novidades evolutivas
  40. 40. RÉPTEIS Principais novidades evolutivas  Pele impermeável – recoberta por escamas.  Cascos (em tartarugas).
  41. 41. RÉPTEIS Principais novidades evolutivas  Ossos de partes da cabeça soltos (serpentes).
  42. 42. RÉPTEIS Principais novidades evolutivas  Perda de pernas (serpentes e alguns lagartos) Lagarto cobra-de-vidro
  43. 43. RÉPTEIS Hábito alimentar  Carnívoros (Jacarés, crocodilos, tartarugas, lagartos, serpentes, cobras-de-duas- cabeças).  Herbívoros (tartarugas, alguns lagartos).  Onívoros (lagartos, tartarugas)
  44. 44. RÉPTEIS Habitat  Praticamente todos os ambientes terrestres.  Em regiões muito frias, são raros.  Podem aparecer lagartixas de parede nas habitações.
  45. 45. RÉPTEIS Hábito de vida  Aquático (tartarugas e algumas cobras).  Aquático-terrestre (jacaré, crocodilos).  Terrestre (cobra-de-duas-cabeças, lagartos, cobras).
  46. 46. Referência bibliográfica Ensino Fundamental – Manual do professor (Ciências) – 7º Ano

×