Melhoramento genético do cefeeiro

3.059 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Melhoramento genético do cefeeiro

  1. 1. Melhoramento Genético do CafeeiroComponentes:Haertton TonKaique PicoliMariana Pinetti
  2. 2. Objetivos O melhoramento genético do café, visa o desenvolvimento de cultivares que atendam as novas exigências do mercado consumidor, através das tecnologias desenvolvidas. Cultivares Selecionados:Resistência a pragas e doenças, tolerância a seca, solos pobres emnutrientes e melhor qualidade de bebida, entre outras.
  3. 3. Banco de Germoplasma - BAG São unidades conservadoras de material genético de uso imediato ou com potencial de uso futuro. É através dele, que se chega aos clones melhorados e com alto potencial produtivo.
  4. 4.  Os BAGs guardam e preservam uma extensa coleção de recursos genéticos utilizados nas pesquisas de melhoramento e na biotecnologia para obtenção de cultivares cada vez mais adaptadas e produtivas. O trabalho de caracterização morfológica, agronômica, química e molecular dos materiais genéticos são feitos nos Bancos de Germoplasma. Nesta etapa ocorre a definição e a seleção dos materiais mais resistentes, com melhor produtividade e demais características consideradas necessárias de acordo com cada pesquisa.
  5. 5.  Um trabalho de longo prazo, avançando de geração em geração, mas que permite chegar a resultados efetivos, com precisão quanto à cultivar de café desejada. É a partir disso, que se chegam à cultivares melhorados geneticamente.
  6. 6. O Banco de Germoplasma do Incaper emMarilândia - ES Tem por finalidade a conservação e avaliação de materiais genéticos superiores de C. canephora, esses materiais, foram selecionados em lavouras de diferentes municípios do Norte do Espírito Santo e possuem características de interesse para futuros trabalhos de melhoramento. O programa de melhoramento genético com a espécie foi iniciado em 1985, utilizando como estratégia inicial a seleção de plantas com características fenotípicas desejáveis em vários municípios da região norte do Estado.
  7. 7.  Com base nos resultados experimentais e testes de compatibilidade genética foram desenvolvidas e recomendadas a partir de 1985 cinco variedades clonais e uma de propagação por sementes.
  8. 8. 1985 - 20096 variedades Emcapa 8111 – precoce Emcapa 8121 – intermediária Emcapa 8131 – tardia Emcapa 8141 – Robustão Capixaba Emcaper 8151 – Robusta Tropical (Semente) Incaper 8142 – Conilon Vitória
  9. 9. CARACTERÍSTICAS DAS VARIEDADES Tolerância à seca Arquitetura Tolerância à doenças Produtividade Estabilidade Uniformidade de maturação Grãos grandes
  10. 10. Incaper 8142 – Conilon Vitória
  11. 11.  Alta produtividade e Tolerância à estabilidade seca CONILON VITÓRIAGrãos grandes Tolerância àUniformidade de ferrugemMaturação
  12. 12. ProdutividadeProdutividade média (Sc benef./ha)) 80 70.4 70 60 50.3 54 50 40 30 20 10 0 Robusta Tropical Robustão Capixaba Conilon Vitória Produtividade média das cultivares em condições não irrigadas, em oito safras, Incaper, 2004.
  13. 13. Cruzamentos entre Conilon e Arábica Por ser de reprodução autógama, o Coffea arabica possui base genética estreita, precisa-se de cruzamento de genes de outras espécies, como usado comumente com C. canephora, a segunda espécie mais cultivada do mundo. Nas últimas décadas tem sido explorado com sucesso os genes de C. canephora para os principais problemas como resistência à ferrugem e nematóides, através de transferência bem sucedida de genes por cruzamento interespecífico seguido de retrocruzamentos e seleção.
  14. 14.  Nos programas de melhoramento genético entre conilon e arábica, o principal objetivo é manter a liderança nacional na produção e exportação, além de aumentar a quantidade de café brasileiro de qualidade no mercado internacional e buscar novos nichos de mercado. Nos cruzamentos, seleciona-se materiais com maior vigor vegetativo para aumentar a produtividade de cultivares, pois indica maior eficiência em absorver nutrientes e é menos vulnerável às condições edafoclimáticas desfavoráveis. Outra característica observada na hora de realizar os cruzamentos, é o tamanho dos grãos, que proporciona maior rendimento na secagem e no beneficiamento.
  15. 15. Obrigado pela atenção!

×