Educadores a questao_do_trabalho

505 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
505
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educadores a questao_do_trabalho

  1. 1. A QUESTÃO DO TRABALHO NA PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA E SOCIOLÓGICA Ivy Ramirez
  2. 2. Trabalho A palavra “trabalho” deriva do termo latino tripalium, nome dado a um instrumento feito de três paus aguçados, algumas vezes ainda munidos de pontas de ferro, com o qual os agricultores batiam nas espigas de milho e no trigo para amassá-los e esfiapá-los. Um outro registro comum em dicionários define o termo como sendo um “instrumento de tortura”, pois, no latim popular, tripalium está relacionado ao verbo tripaliare, que significa “torturar”.
  3. 3. Assim, uma forma de definir o trabalho é associá-lo à dureza, à fadiga, e no repertório simbólico, em diversas culturas, considerá-lo como um castigo.
  4. 4. O trabalho é uma realização exclusiva do ser humano, e é determinado também por sua criatividade.
  5. 5. Na antiga Grécia, a ênfase era dada à razão, às reflexões, havendo um desprezo pelo trabalho; cultuava-se o ócio dos filósofos.
  6. 6. Ao contrário do que ocorre nos tempos modernos, a instituição da escravidão na Antiguidade não foi uma forma de obter mão de obra barata nem instrumento de exploração para fins de lucro, mas sim a tentativa de excluir o labor das condições da vida humana.  Tudo o que os homens tinham em comum com as outras formas de vida animal era considerado inumano. Essa era também, por sinal, a razão da teoria grega, tão mal interpretada, acerca da natureza inumana do escravo. 
  7. 7. Aristóteles, que sustentou tão explicitamente a sua teoria para, depois, no leito de morte, alforriar seus escravos, talvez não fosse tão incoerente como tendem a pensar os modernos. Não negava que os escravos pudessem ser humanos; negava somente o emprego da palavra “homem” para designar membros da espécie humana totalmente sujeitos à necessidade. E a verdade é que o emprego da palavra “animal” no conceito de animal laborans, ao contrário do outro uso, muito discutível, da mesma palavra na expressão animal rationale, é inteiramente justificado. O animal laborans é, realmente, apenas uma das espécies animais que vivem na Terra – na melhor das hipóteses, a mais desenvolvida.
  8. 8. A justificativa da escravidão, dada por Aristóteles em sua obra Política, aponta a percepção de uma contradição que perpassa todas as dimensões da vida, apresentando o trabalho como sendo uma forma de desafio entre liberdade e necessidade.
  9. 9. Na Idade Média, o trabalho adquire uma nova dimensão, sob a forma de servidão, ou seja, há uma relação de fidelidade do servo para com o senhor feudal.
  10. 10.   Durante a Antiguidade grega, a preocupação era reafirmar a liberdade do homem no âmbito da necessidade, levando a uma visão que considerava o trabalho indigno e servil. São Tomás de Aquino considerou o trabalho um bem, embora árduo.
  11. 11. O Renascimento adveio com o fim da Idade Média, e o trabalho foi glorificado, adquirindo uma nova concepção, chegando à dimensão técnicocientífica. São Jerônimo escritor Caravaggio (1571-1610)
  12. 12. Vários autores passaram a definir o trabalho:  Calvino: segundo ele, o homem se salva através de uma moral rígida, da simplicidade do trabalho e da honestidade.  Adam Smith, David Ricardo: segundo eles, o trabalho deveria ser considerado sob uma forma geral, fosse ele agrícola ou industrial.  Karl Marx: elaborou a teoria da mais valia e identificou o trabalho não só como uma fonte de valor econômico, mas também de caráter social.
  13. 13.  Hegel: atribuiu ao trabalho uma importância capital, um processo pelo qual o homem toma consciência de si mesmo, e essa consciência se desenvolve quando o homem se encontra com os demais no processo de criação do mundo. Tempos modernos, 1936 Charles Chaplin
  14. 14. O trabalho é exploração ou libertação? Quem mais gerou polêmica acerca do tema foi Marx, que, ao analisar o modo de produção capitalista, encontrou na alienação do trabalho, relacionada à propriedade privada, um dos seus fundamentos. Fala sobre o fetichismo da mercadoria e o distanciamento do homem em relação ao que produz. As relações sociais ocorrem como relações materiais (entre
  15. 15. A humanidade encontra-se hoje diante de uma crise, devido ao estabelecimento de uma contradição: a ameaça do desemprego estrutural e a redução da fadiga, do esforço e dos postos de trabalho, mediante o crescimento da automação, da robotização e da informatização. Tal situação merece uma busca pela forma adequada de ordenamento de vida, de trabalho e a apropriação dos
  16. 16. No que se refere ao trabalho, é importante lembrarmos dos modelos implementados pelo fordismo (Henry Ford), toyotismo e inovações tayloristas (Taylor), introduzidos nas linhas de montagem, nas quais as esteiras e os sistemas automáticos impõem o ritmo da produção.
  17. 17. O operário seria confundido com a própria máquina. O trabalhador seria reduzido a gestos mecânicos, como no filme Tempos modernos, do cineasta Charles Chaplin, o qual contém uma crítica aos métodos pensados por Taylor e Ford.
  18. 18. Ivy Ramirez Assessora de Coordenação do Departamento de Apoio Pedagógico do Colégio Objetivo de São Paulo Contato pelo telefone 0800 77 01342 (ramal 5886) ou e-mail ivy@objetivo.br

×