Trabalho e Alienação
História do trabalho: a tradição judaica-cristã <ul><li>Na Bíblia, o trabalho é uma conseqüência da desobediência aos desí...
História do trabalho: Antiguidade clássica <ul><li>Na Grécia e em Roma, o trabalho é realizado pelos escravos, enquanto a ...
História do trabalho: Antiguidade clássica <ul><li>A etimologia de algumas palavras ilustram o caráter negativo que o trab...
Tripalium – Acrílico sobre tela. Alexios Tjoyas: Le monde
História do trabalho: Idade Moderna <ul><li>Com o surgimento e ascensão da burguesia, a visão sobre o trabalho é alterada....
O surgimento das fábricas, o taylorismo e o fordismo <ul><li>O capital acumulado a partir da atividade mercantil e o aprim...
A produção industrial nos anos 70 e 80   <ul><li>Nas décadas de 1970 e 1980, a rigidez do taylorismo e do fordismo foi que...
O trabalho no mundo pós-industrial. <ul><li>A partir da segunda metade do século passado surge a sociedade pós-industrial....
Algumas idéias de Marx <ul><li>O fetichismo da mercadoria – Processo pelo qual o valor de troca excede o valor de uso. Ess...
A Alienação   <ul><li>Hegel e a dialética do senhor e do escravo: senhor e escravo compõe um conjunto interdependentes. O ...
Tempos modernos: uma crítica a alienação
Tempos modernos: uma crítica a alienação
Tempos modernos: uma crítica a alienação
Boa parte das idéias vistas tem origem em Marx e Engels Marx e   Engels São os idealizadores do materialismo histórico. Su...
A religião é o ópio do povo Máximas marxistas
Trabalhadores do mundo, uni-vos. Máximas marxistas
Até hoje, a filosofia tem contemplado o mundo. Isto foi seu erro. A verdadeira missão da filosofia é transformar a realida...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula trabalho-e_lazer

2.297 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.297
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula trabalho-e_lazer

  1. 1. Trabalho e Alienação
  2. 2. História do trabalho: a tradição judaica-cristã <ul><li>Na Bíblia, o trabalho é uma conseqüência da desobediência aos desígnios de Deus. </li></ul><ul><li>A citação a seguir ilustra esta situação: “ Comestes da árvore de que te ordenei que não comestes?” “Do suor do teu rosto comerás o teu pão”. </li></ul>Criação e Expulsão do Paraíso, 1445. Giovanni di Paolo, Museu Metropolitano de Arte, New York.
  3. 3. História do trabalho: Antiguidade clássica <ul><li>Na Grécia e em Roma, o trabalho é realizado pelos escravos, enquanto a elite dedicava-se ao “ócio digno”. Aos homens livres cabe a reflexão teórica – contemplação teórica das idéias. </li></ul>Escravo etíope domando cavalo – Museu de arqueologia - Atenas
  4. 4. História do trabalho: Antiguidade clássica <ul><li>A etimologia de algumas palavras ilustram o caráter negativo que o trabalho teve ao longo da história ocidental. A palavra scholé (de onde vem escola) significava ócio. A própria palavra trabalho vem do latim, tripalium . O tripalium era um instrumento de tortura usado em Roma. </li></ul><ul><li>O mundo medieval continua inferiorizando o trabalho. A ars mechanica (arte mecânica) é uma ars inferior (arte inferior). </li></ul>
  5. 5. Tripalium – Acrílico sobre tela. Alexios Tjoyas: Le monde
  6. 6. História do trabalho: Idade Moderna <ul><li>Com o surgimento e ascensão da burguesia, a visão sobre o trabalho é alterada. O primeiro momento do capitalismo é marcado pela atividade do comércio – o mercantilismo. </li></ul><ul><li>Na Idade Moderna instrumentos que possibilitam uma maior ação do homem na realidade são criados (bússola, relógio, imprensa, etc.). </li></ul><ul><li>A valorização da técnica vai fazer com que a realidade seja compreendida como uma máquina: o fascínio pela máquina remonta ao pensamento moderno. </li></ul>
  7. 7. O surgimento das fábricas, o taylorismo e o fordismo <ul><li>O capital acumulado a partir da atividade mercantil e o aprimoramento da técnica transforma a realidade sócio-histórica novamente. As antigas corporações de ofício passam a ser fábricas e o trabalhador passa a ser proletário. Nesse primeiro momento do capitalismo industrial, os trabalhadores eram extremamente explorados. Nesse contexto surgem o socialismo e anarquismo. </li></ul><ul><li>Taylor racionaliza o processo produtivo, criando o taylorismo. </li></ul><ul><li>Ford “aprimora” ainda mais o processo quando cria a divisão do trabalho. Cada trabalhador desempenha funções restritas. </li></ul><ul><li>Essas mudanças provocam a produção em série e a produção em massa. </li></ul>
  8. 8. A produção industrial nos anos 70 e 80 <ul><li>Nas décadas de 1970 e 1980, a rigidez do taylorismo e do fordismo foi quebrada. </li></ul><ul><li>A regra agora é a busca por uma maior eficiência. </li></ul><ul><li>O trabalhador passa a ser mais participativo. </li></ul><ul><li>Privilegia-se o trabalho em equipe. </li></ul><ul><li>A busca pela eficiência traz os serviços terceirizados. </li></ul><ul><li>Nesse contexto, os sindicatos são enfraquecidos. </li></ul><ul><li>A racionalização do trabalho traz o medo do desemprego. </li></ul>
  9. 9. O trabalho no mundo pós-industrial. <ul><li>A partir da segunda metade do século passado surge a sociedade pós-industrial. </li></ul><ul><li>Há um aumento dos serviços nos setores da economia. </li></ul><ul><li>A ordem atual é marcada pelo crescente uso da informação e pelo consumismo. </li></ul><ul><li>Surge o tele-trabalho. </li></ul><ul><li>Há uma valorização da ética dentro dos diversos campos profissionais. </li></ul><ul><li>Surgem as organizações não governamentais: as ONGs. </li></ul>
  10. 10. Algumas idéias de Marx <ul><li>O fetichismo da mercadoria – Processo pelo qual o valor de troca excede o valor de uso. Esse processo torna a mercadoria mais importante do que o trabalhador. </li></ul><ul><li>A reificação do trabalhador – No capitalismo, segundo Marx, a “humanização” da mercadoria gera a desumanização da pessoa. O trabalhador passa a ser coisificado. Esse processo é a o que Marx chamou de reificação (do latim res , “coisa”). </li></ul>
  11. 11. A Alienação <ul><li>Hegel e a dialética do senhor e do escravo: senhor e escravo compõe um conjunto interdependentes. O trabalho permite ao escravo retomar de certa forma a liberdade. </li></ul><ul><li>Marx critica a visão otimista de Hegel. Para Marx, o trabalhador não se reconhece no objeto produzido pelo seu trabalho. Esse fenômeno Marx chama alienação. </li></ul><ul><li>Marx valoriza o trabalho e o trabalhador. A crítica marxista é voltada para o trabalho alienado. </li></ul><ul><li>O conceito marxista diz que a alienação ocorre quando o produto do trabalho deixa de pertencer a quem o produziu . </li></ul>
  12. 12. Tempos modernos: uma crítica a alienação
  13. 13. Tempos modernos: uma crítica a alienação
  14. 14. Tempos modernos: uma crítica a alienação
  15. 15. Boa parte das idéias vistas tem origem em Marx e Engels Marx e Engels São os idealizadores do materialismo histórico. Suas idéias alimentaram os regimes de importantes países ao longo do século XX.
  16. 16. A religião é o ópio do povo Máximas marxistas
  17. 17. Trabalhadores do mundo, uni-vos. Máximas marxistas
  18. 18. Até hoje, a filosofia tem contemplado o mundo. Isto foi seu erro. A verdadeira missão da filosofia é transformar a realidade Marx e a tarefa da Filosofia

×