SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Trabalho: mediação entre o homem e a natureza
Sociologia – 2ª Série – Ensino Médio
Professoras Jenifer Souza e Fabiana Wharton
Habilidade
Identificar o trabalho como mediação entre o homem e a natureza.
Pergunta
Qual é a diferença entre o trabalho humano e o “trabalho”
dos animais?
©Pixabay
©Pixabay
Qual é a diferença?
Ao se referir à diferença entre o trabalho humano e as atividades
construtoras de outros animais, Karl Marx, importante sociólogo
da teoria do trabalho, apresenta que “uma aranha executa
operações que se assemelham às de um tecelão, e a abelha, na
construção de suas colmeias, deixa envergonhado mais de um
arquiteto. Mas o que distingue o pior arquiteto da melhor das
abelhas é isto: o arquiteto projeta sua obra antes de construí-la
na realidade. No final de todo processo de trabalho, temos um
resultado que já existia na imaginação do trabalhador desde o
seu começo”.
Hoje, falaremos sobre o trabalho humano, inclusive como
característica fundamental que distingue os humanos das outras
espécies de animais.
MARX, Karl. Capital: A Critique of Political Economy. The labour-process and the process of producing surplus-value.
Vol. 1, Part III, Section 1, cap. VII. Tradução Heloísa Helena Teixeira de Souza Martins.
São Paulo Faz Escola, 2014-2017, Caderno do Professor, Sociologia, 2ª série, vol. 2, p. 11.
©Pixabay
Trabalho planejado
Trecho do filme 2001: uma odisseia no espaço.
https://www.youtube.com/watch?v=EGrKMF5OgfE
Etimologia
Conhecer a etimologia das palavras revela sentidos, por vezes,
surpreendentes. O conceito de trabalho, tão importante na Sociologia,
carrega a raiz latina tripalium, proveniente da Antiguidade Romana, que
significa instrumento de tortura, um tipo de tripé encravado no chão, onde
os escravos eram torturados.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Trip%C3%A1lio#/media/Ficheiro:TripaliumCropped.png
A palavra “trabalho” surge em um
momento histórico específico e
carrega as interpretações culturais
desse momento. Mas ela atravessou
os tempos históricos e tem diferentes
interpretações que nós podemos ver
até hoje.
Tripalium
Trabalho: escravo, servil e assalariado
O filósofo grego Aristóteles assim definia o trabalho: “Todos aqueles que nada têm de
melhor para nos oferecer que o uso de seu corpo e dos seus membros são
condenados pela natureza à escravidão [...] “ (RIBEIRO, L. p. 196).
Na sociedade grega da Antiguidade Clássica, ao escravo era destinado o trabalho
braçal, considerado uma atividade de qualidade inferior.
Somente aqueles, considerados cidadãos, exerciam atividades
de comando na organização social e política da Polis. A mesma
segregação pode ser identificada na Roma Antiga, em que os
trabalhos braçais eram considerados degradantes e, portanto,
destinados aos escravos.
Mais adiante, cronologicamente, na Idade Média, o princípio de
servidão e subordinação era advindo da necessidade do
campesinato utilizar a terra, propriedade de um senhor feudal.
Os clássicos e o trabalho no capitalismo
Pensadores da sociologia moderna buscaram definir o conceito de trabalho.
Para Emile Durkheim, o trabalho é inerente à condição humana e, de certa
forma, a dinâmica social é proporcionada pelas relações de trabalho, que
promovem a organização social. Para Durkheim, o trabalho é um fato social
cujo sentido pode ser considerado moral.
Outro pensador, Max Weber, define o trabalho como
produto das condições materiais, históricas e culturais
específicas de uma sociedade. Segundo ele, no
capitalismo, o trabalho está relacionado à ética
protestante, na medida em que vincula a ideia de
vocação e esforço individual, como meio para a obtenção
do sucesso material do indivíduo.
Os clássicos e o trabalho no capitalismo
Para Karl Marx, o trabalho é a capacidade que os seres humanos possuem
de transformar a natureza e, consequentemente, a si e à sociedade. Esse
autor entendeu que, na época dele, a sociedade era dividida em duas
grandes classes – burguesia e proletariado –, e tomou o trabalho assalariado
como base da exploração na sociedade capitalista.
Pergunta
Qual é a diferença entre trabalho e emprego?
unsplash
©Pixabay
Trabalho e emprego
Trabalho é inerente à condição humana, pois é a transformação da natureza que
possibilita a existência do homem, que organiza a vida em sociedade e as relações
políticas, sociais e econômicas. É por meio do trabalho que o homem, desde a pré-
história, estabelece sua interação com a natureza que o cerca.
Emprego é a forma histórica do trabalho no sistema capitalista.
A inserção dos indivíduos, no sistema capitalista, se dá por meio
das relações sociais de trabalho. O trabalho, seja ele formal ou
informal, é a base de organização do sistema, que tem como
princípio fundante a separação do trabalhador dos meios de
produção. Nessa condição, o que lhe resta é comercializar a sua
capacidade de trabalhar para outro homem, que passa a deter
os meios de produção. As diferenças de interesses entre as
partes descritas impulsiona a luta de classes.
O trabalho no sistema capitalista: assalariado
• No capitalismo, surge a forma do trabalho assalariado,
regulamentada por um contrato.
• Nesse contexto, o trabalhador, por não possuir os meios
de produção, vende sua força de trabalho em troca do
salário.
• O produto do trabalho pertence ao capitalista, que se
baseia no lucro e na mais-valia, ou seja, na exploração da
força de trabalho, no excedente do trabalho humano, que
não é repassado ao trabalhador.
• Desse modo, podemos afirmar que o fundamento do
sistema capitalista se encontra na separação entre o
capital e o trabalho.
©Pixabay
Tudo no capitalismo vira mercadoria
• Quando o trabalhador está numa relação assalariada no sistema
capitalista, ele vende o seu tempo e força de trabalho em troca de salário
para ele e a família sobreviver.
• A própria força de trabalho que é a capacidade de
trabalhar em dado tempo torna-se uma mercadoria
que o trabalhador vende para sobreviver.
• A alienação acontece em três momentos:
1. separado dos instrumentos e dos meios de produção;
2. separado do produto do trabalho;
3. separado da sua própria condição enquanto sujeito
transformador.
Pergunta
Qual é a sua experiência ou a dos seus familiares com
o trabalho? Vocês recebem um pagamento suficiente
considerando o tempo que passam no trabalho?
©Pixabay
Trecho do filme Tempos modernos.
https://www.youtube.com/watch?v=Gi9zUU3FsdU (até 3´45´´)
Tempos modernos
© Pixabay
Pergunta
A uberização é uma forma de trabalho? Caracteriza-se
por uma forma de emprego formal ou informal?
2 min
©Pixabay
Na sociedade atual, o que está em risco é o fim
do trabalho ou o fim do emprego formal?
Pergunta
2 min
©Pixabay
Avalie
E aí, como foi a aula?
Lembrando que, como nosso tempo aqui é curto, leve
suas dúvidas e seus debates para além desse espaço!
Obrigada por participar! ;D
Até a próxima!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Educação São Paulo centro de mídias da SP

Aula - trabalho (conceito e texto apostila).ppt
Aula - trabalho (conceito e texto apostila).pptAula - trabalho (conceito e texto apostila).ppt
Aula - trabalho (conceito e texto apostila).pptMarceloCardosodaCost
 
KARL MARX E AS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
KARL MARX E AS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptxKARL MARX E AS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
KARL MARX E AS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptxRodrigo Cardoso
 
As (des)realizações dos sujeitos que-vivem-do-trabalho
As (des)realizações dos sujeitos que-vivem-do-trabalhoAs (des)realizações dos sujeitos que-vivem-do-trabalho
As (des)realizações dos sujeitos que-vivem-do-trabalhoFelizardo Costa
 
Ficha de Trabalho Nº 1 - 369663947-Ficha-de-Trabalho-Nº-1.pdf
Ficha de Trabalho Nº 1 - 369663947-Ficha-de-Trabalho-Nº-1.pdfFicha de Trabalho Nº 1 - 369663947-Ficha-de-Trabalho-Nº-1.pdf
Ficha de Trabalho Nº 1 - 369663947-Ficha-de-Trabalho-Nº-1.pdfAlcinda Carmelino
 
Trabalho enquanto categoria sociológica
Trabalho enquanto categoria sociológicaTrabalho enquanto categoria sociológica
Trabalho enquanto categoria sociológicaMatheus Rodrigues
 
O exílio em Londres, a Economia Política e O Capital
O exílio em Londres, a Economia Política e O CapitalO exílio em Londres, a Economia Política e O Capital
O exílio em Londres, a Economia Política e O CapitalLílian Reis
 
Sociologia - O que é o trabalho
Sociologia - O que é o trabalho Sociologia - O que é o trabalho
Sociologia - O que é o trabalho Jeane Santos
 
40612_45425d3d13145e7ab43cb9aea33ecb38.pdf
40612_45425d3d13145e7ab43cb9aea33ecb38.pdf40612_45425d3d13145e7ab43cb9aea33ecb38.pdf
40612_45425d3d13145e7ab43cb9aea33ecb38.pdfnagato133
 
Capitalismo e escravidão
Capitalismo e escravidãoCapitalismo e escravidão
Capitalismo e escravidãoMeg Rioko Chan
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marxgray 87
 
Curso de especialização a distancia serviço social - CFESS
Curso de especialização a distancia serviço social - CFESSCurso de especialização a distancia serviço social - CFESS
Curso de especialização a distancia serviço social - CFESSWalter Albuquerque
 
Trabalho alienado e a educação escolar na dinâmica capitalista
Trabalho alienado e a educação escolar na dinâmica capitalistaTrabalho alienado e a educação escolar na dinâmica capitalista
Trabalho alienado e a educação escolar na dinâmica capitalistaMarion Cunha
 
As relações de trabalho e os direitos humanos uma associação possível
As relações de trabalho e os direitos humanos uma associação possívelAs relações de trabalho e os direitos humanos uma associação possível
As relações de trabalho e os direitos humanos uma associação possívelThyeles Strelhow
 
Aula trabalho-e_lazer
Aula  trabalho-e_lazerAula  trabalho-e_lazer
Aula trabalho-e_lazerdmflores21
 
Franco, Augusto - O Fim do Trabalho
Franco, Augusto - O Fim do TrabalhoFranco, Augusto - O Fim do Trabalho
Franco, Augusto - O Fim do TrabalhoFabio Pedrazzi
 

Semelhante a Educação São Paulo centro de mídias da SP (20)

Aula - trabalho (conceito e texto apostila).ppt
Aula - trabalho (conceito e texto apostila).pptAula - trabalho (conceito e texto apostila).ppt
Aula - trabalho (conceito e texto apostila).ppt
 
KARL MARX E AS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
KARL MARX E AS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptxKARL MARX E AS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
KARL MARX E AS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
 
As (des)realizações dos sujeitos que-vivem-do-trabalho
As (des)realizações dos sujeitos que-vivem-do-trabalhoAs (des)realizações dos sujeitos que-vivem-do-trabalho
As (des)realizações dos sujeitos que-vivem-do-trabalho
 
Ficha de Trabalho Nº 1 - 369663947-Ficha-de-Trabalho-Nº-1.pdf
Ficha de Trabalho Nº 1 - 369663947-Ficha-de-Trabalho-Nº-1.pdfFicha de Trabalho Nº 1 - 369663947-Ficha-de-Trabalho-Nº-1.pdf
Ficha de Trabalho Nº 1 - 369663947-Ficha-de-Trabalho-Nº-1.pdf
 
Trabalho enquanto categoria sociológica
Trabalho enquanto categoria sociológicaTrabalho enquanto categoria sociológica
Trabalho enquanto categoria sociológica
 
Emprego aki
Emprego akiEmprego aki
Emprego aki
 
O exílio em Londres, a Economia Política e O Capital
O exílio em Londres, a Economia Política e O CapitalO exílio em Londres, a Economia Política e O Capital
O exílio em Londres, a Economia Política e O Capital
 
O trabalho em marx
O trabalho em marxO trabalho em marx
O trabalho em marx
 
O trabalho em marx
O trabalho em marxO trabalho em marx
O trabalho em marx
 
Sociologia - O que é o trabalho
Sociologia - O que é o trabalho Sociologia - O que é o trabalho
Sociologia - O que é o trabalho
 
40612_45425d3d13145e7ab43cb9aea33ecb38.pdf
40612_45425d3d13145e7ab43cb9aea33ecb38.pdf40612_45425d3d13145e7ab43cb9aea33ecb38.pdf
40612_45425d3d13145e7ab43cb9aea33ecb38.pdf
 
Capitalismo e escravidão
Capitalismo e escravidãoCapitalismo e escravidão
Capitalismo e escravidão
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Curso de especialização a distancia serviço social - CFESS
Curso de especialização a distancia serviço social - CFESSCurso de especialização a distancia serviço social - CFESS
Curso de especialização a distancia serviço social - CFESS
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Trabalho alienado e a educação escolar na dinâmica capitalista
Trabalho alienado e a educação escolar na dinâmica capitalistaTrabalho alienado e a educação escolar na dinâmica capitalista
Trabalho alienado e a educação escolar na dinâmica capitalista
 
Aula 07 Trabalho de produção
Aula 07   Trabalho de produçãoAula 07   Trabalho de produção
Aula 07 Trabalho de produção
 
As relações de trabalho e os direitos humanos uma associação possível
As relações de trabalho e os direitos humanos uma associação possívelAs relações de trabalho e os direitos humanos uma associação possível
As relações de trabalho e os direitos humanos uma associação possível
 
Aula trabalho-e_lazer
Aula  trabalho-e_lazerAula  trabalho-e_lazer
Aula trabalho-e_lazer
 
Franco, Augusto - O Fim do Trabalho
Franco, Augusto - O Fim do TrabalhoFranco, Augusto - O Fim do Trabalho
Franco, Augusto - O Fim do Trabalho
 

Último

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 

Último (20)

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 

Educação São Paulo centro de mídias da SP

  • 1.
  • 2. Trabalho: mediação entre o homem e a natureza Sociologia – 2ª Série – Ensino Médio Professoras Jenifer Souza e Fabiana Wharton
  • 3. Habilidade Identificar o trabalho como mediação entre o homem e a natureza.
  • 4. Pergunta Qual é a diferença entre o trabalho humano e o “trabalho” dos animais? ©Pixabay ©Pixabay
  • 5. Qual é a diferença? Ao se referir à diferença entre o trabalho humano e as atividades construtoras de outros animais, Karl Marx, importante sociólogo da teoria do trabalho, apresenta que “uma aranha executa operações que se assemelham às de um tecelão, e a abelha, na construção de suas colmeias, deixa envergonhado mais de um arquiteto. Mas o que distingue o pior arquiteto da melhor das abelhas é isto: o arquiteto projeta sua obra antes de construí-la na realidade. No final de todo processo de trabalho, temos um resultado que já existia na imaginação do trabalhador desde o seu começo”. Hoje, falaremos sobre o trabalho humano, inclusive como característica fundamental que distingue os humanos das outras espécies de animais. MARX, Karl. Capital: A Critique of Political Economy. The labour-process and the process of producing surplus-value. Vol. 1, Part III, Section 1, cap. VII. Tradução Heloísa Helena Teixeira de Souza Martins. São Paulo Faz Escola, 2014-2017, Caderno do Professor, Sociologia, 2ª série, vol. 2, p. 11. ©Pixabay
  • 6. Trabalho planejado Trecho do filme 2001: uma odisseia no espaço. https://www.youtube.com/watch?v=EGrKMF5OgfE
  • 7. Etimologia Conhecer a etimologia das palavras revela sentidos, por vezes, surpreendentes. O conceito de trabalho, tão importante na Sociologia, carrega a raiz latina tripalium, proveniente da Antiguidade Romana, que significa instrumento de tortura, um tipo de tripé encravado no chão, onde os escravos eram torturados. https://pt.wikipedia.org/wiki/Trip%C3%A1lio#/media/Ficheiro:TripaliumCropped.png A palavra “trabalho” surge em um momento histórico específico e carrega as interpretações culturais desse momento. Mas ela atravessou os tempos históricos e tem diferentes interpretações que nós podemos ver até hoje. Tripalium
  • 8. Trabalho: escravo, servil e assalariado O filósofo grego Aristóteles assim definia o trabalho: “Todos aqueles que nada têm de melhor para nos oferecer que o uso de seu corpo e dos seus membros são condenados pela natureza à escravidão [...] “ (RIBEIRO, L. p. 196). Na sociedade grega da Antiguidade Clássica, ao escravo era destinado o trabalho braçal, considerado uma atividade de qualidade inferior. Somente aqueles, considerados cidadãos, exerciam atividades de comando na organização social e política da Polis. A mesma segregação pode ser identificada na Roma Antiga, em que os trabalhos braçais eram considerados degradantes e, portanto, destinados aos escravos. Mais adiante, cronologicamente, na Idade Média, o princípio de servidão e subordinação era advindo da necessidade do campesinato utilizar a terra, propriedade de um senhor feudal.
  • 9. Os clássicos e o trabalho no capitalismo Pensadores da sociologia moderna buscaram definir o conceito de trabalho. Para Emile Durkheim, o trabalho é inerente à condição humana e, de certa forma, a dinâmica social é proporcionada pelas relações de trabalho, que promovem a organização social. Para Durkheim, o trabalho é um fato social cujo sentido pode ser considerado moral. Outro pensador, Max Weber, define o trabalho como produto das condições materiais, históricas e culturais específicas de uma sociedade. Segundo ele, no capitalismo, o trabalho está relacionado à ética protestante, na medida em que vincula a ideia de vocação e esforço individual, como meio para a obtenção do sucesso material do indivíduo.
  • 10. Os clássicos e o trabalho no capitalismo Para Karl Marx, o trabalho é a capacidade que os seres humanos possuem de transformar a natureza e, consequentemente, a si e à sociedade. Esse autor entendeu que, na época dele, a sociedade era dividida em duas grandes classes – burguesia e proletariado –, e tomou o trabalho assalariado como base da exploração na sociedade capitalista.
  • 11. Pergunta Qual é a diferença entre trabalho e emprego? unsplash ©Pixabay
  • 12. Trabalho e emprego Trabalho é inerente à condição humana, pois é a transformação da natureza que possibilita a existência do homem, que organiza a vida em sociedade e as relações políticas, sociais e econômicas. É por meio do trabalho que o homem, desde a pré- história, estabelece sua interação com a natureza que o cerca. Emprego é a forma histórica do trabalho no sistema capitalista. A inserção dos indivíduos, no sistema capitalista, se dá por meio das relações sociais de trabalho. O trabalho, seja ele formal ou informal, é a base de organização do sistema, que tem como princípio fundante a separação do trabalhador dos meios de produção. Nessa condição, o que lhe resta é comercializar a sua capacidade de trabalhar para outro homem, que passa a deter os meios de produção. As diferenças de interesses entre as partes descritas impulsiona a luta de classes.
  • 13. O trabalho no sistema capitalista: assalariado • No capitalismo, surge a forma do trabalho assalariado, regulamentada por um contrato. • Nesse contexto, o trabalhador, por não possuir os meios de produção, vende sua força de trabalho em troca do salário. • O produto do trabalho pertence ao capitalista, que se baseia no lucro e na mais-valia, ou seja, na exploração da força de trabalho, no excedente do trabalho humano, que não é repassado ao trabalhador. • Desse modo, podemos afirmar que o fundamento do sistema capitalista se encontra na separação entre o capital e o trabalho. ©Pixabay
  • 14. Tudo no capitalismo vira mercadoria • Quando o trabalhador está numa relação assalariada no sistema capitalista, ele vende o seu tempo e força de trabalho em troca de salário para ele e a família sobreviver. • A própria força de trabalho que é a capacidade de trabalhar em dado tempo torna-se uma mercadoria que o trabalhador vende para sobreviver. • A alienação acontece em três momentos: 1. separado dos instrumentos e dos meios de produção; 2. separado do produto do trabalho; 3. separado da sua própria condição enquanto sujeito transformador.
  • 15. Pergunta Qual é a sua experiência ou a dos seus familiares com o trabalho? Vocês recebem um pagamento suficiente considerando o tempo que passam no trabalho? ©Pixabay
  • 16. Trecho do filme Tempos modernos. https://www.youtube.com/watch?v=Gi9zUU3FsdU (até 3´45´´) Tempos modernos © Pixabay
  • 17. Pergunta A uberização é uma forma de trabalho? Caracteriza-se por uma forma de emprego formal ou informal? 2 min ©Pixabay
  • 18. Na sociedade atual, o que está em risco é o fim do trabalho ou o fim do emprego formal? Pergunta 2 min ©Pixabay
  • 19. Avalie E aí, como foi a aula? Lembrando que, como nosso tempo aqui é curto, leve suas dúvidas e seus debates para além desse espaço! Obrigada por participar! ;D Até a próxima!

Notas do Editor

  1. https://pixabay.com/pt/photos/carpinteiro-plaina-aparas-madeira-4015109/ https://pixabay.com/pt/photos/castor-roedor-animal-vida-selvagem-1378694/
  2. https://pixabay.com/pt/photos/mel-de-abelhas-colm%C3%A9ia-mel-abelhas-326337/
  3. https://pixabay.com/pt/photos/peixes-pescadores-rede-de-pesca-3062034/
  4. https://pixabay.com/fr/illustrations/la-force-de-travail-chronologie-3204420/
  5. https://pixabay.com/pt/photos/turquia-vendedor-laranjas-tenda-161401/
  6. https://pixabay.com/pt/photos/artes-engrenagens-m%C3%A1quina-m%C3%A1quinas-1236578/
  7. https://pixabay.com/pt/photos/trabalho-chin%C3%AAs-industrial-1000618/
  8. https://pixabay.com/pt/photos/trabalho-chin%C3%AAs-industrial-1000618/