Fundamentos de econômia

18.282 visualizações

Publicada em

0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.282
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
337
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
399
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fundamentos de econômia

  1. 1. FUNDAMENTOS DE ECONOMIA<br />Conceitos Econômicos Básicos<br />Prof. Vlademir Rodrigues<br />
  2. 2. Adam Smith (1723 – 1790)<br /> Foi um economista e filósofo escocês. Teve como cenário para a sua vida o atribulado século das Luzes, o século XVIII. É o pai da economia moderna, e é considerado o mais importante teórico do liberalismo econômico. Autor de "Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações", a sua obra mais conhecida, e que continua sendo como referência para gerações de economistas, na qual procurou demonstrar que a riqueza das nações resultava da atuação de indivíduos que, movidos apenas pelo seu próprio interesse, promoviam o crescimento econômico e a inovação tecnológica.<br />Pais da Economia<br />
  3. 3. David Ricardo(1772 – 1823)<br /> Considerado como um dos fundadores da escola clássica inglesa da economia política, juntamente com Adam Smith e Thomas Malthus, as suas obras mais destacadas incluem:<br /><ul><li>O alto preço do ouro, uma prova da depreciação das notas bancárias (Thehighpriceofbullion, a proofofthedepreciationofbank notes), em 1810;
  4. 4. Ensaio sobre a influência de um baixo preço do cereal sobre os lucros do capital (Essayontheinfluenceof a lowpriceofcornontheprofitsof stock), em 1815;
  5. 5. Princípios da economia política e tributação (Principlesofpoliticaleconomyandtaxation), em 1817 (reeditado em 1819 e 1821).</li></ul>Pais da Economia<br />
  6. 6. John Stuart Mill (1806 – 1873)<br /> Foi um filósofo e economista inglês, e um dos pensadores liberais mais influentes do século XIX. Foi um defensor do utilitarismo, a teoria ética proposta inicialmente por seu padrinho Jeremy Bentham.<br /> Mill trabalhou na Companhia Inglesa das Índias Orientais, lidando com a correspondência rotineira referente à atuação do governo inglês na Índia. Aos 25 anos, apaixonou-se por Harriet Taylor, uma mulher linda e inteligente, porém casada, que veio exercer grande influência no trabalho de Mill. Cerca de vinte anos depois, quando seu marido faleceu, Harriet Taylor se casou com John Stuart Mill. Ele se referia a ela como "dádiva-mor da minha existência" e ficou inconsolável quando ela morreu sete anos depois.<br />Pais da Economia<br />
  7. 7. Joseph AloisSchumpeter (1883 – 1950)<br /> Foi um dos mais importantes economistas da primeira metade do século XX.<br /> Sempre foi um entusiasta da integração com a Sociologia para o melhor entendimento de suas teorias econômicas. Atualmente considera-se que as idéias de Schumpeter sobre ciclos econômicos e desenvolvimento não podiam ser assimiladas através do instrumental matemático disponível em sua época.<br />Pais da Economia<br />
  8. 8. Robert Alexander Mundell(1931)<br /> Com a proposta de unir economias numa única moeda, o canadense Robert Mundell recebeu um Prêmio Nobel de Economia. É dele a autoria de um dos primeiros planos de moeda comum, um trabalho realizado no começo da década de 70 que resultou na criação do Euro, anos mais tarde.<br /> Robert Mundell é autor de inúmeros trabalhos e artigos sobre a teoria econômica, pioneiro da teoria mista de política fiscal e monetária e contribuiu para reformular a teoria da inflação e juros.<br />Economistas atuais<br />
  9. 9. <ul><li>James Heckman - "Pelo desenvolvimento de teorias e de métodos para análise de amostras seletivas“
  10. 10. Daniel McFadden - "Pelo desenvolvimento de teorias e métodos para análise de escolha discreta“
  11. 11. Edward Prescott - "Por suas contribuições à macroeconomia dinâmica: a consistência temporal da política económicas e das forças motrizes ciclos de negócios“
  12. 12. Christopher Pissarides - Pela sua análise dos mercados com fricções de procura.</li></ul>A lista ainda conta com:<br />
  13. 13. VASCONCELOS, Marco Antônio; GARCIA, M. E. Fundamentos de Economia. São Paulo: Atlas.<br />ROSSETTI, José Paschoal. Introdução à Economia. São Paulo: Atlas.<br />TROSTER, R. Luiz. Economia Básica. São Paulo: Atlas.<br />Principais Bibliografias<br />
  14. 14. A economia pode ser definida assim: o estudo de como as pessoas e a sociedade decidem empregar recursos escassos, que poderiam ter utilizações alternativas, para produzir bens variados.Pode-se fazer a seguinte divisão no estudo econômico:- Macroeconomia- analisa o comportamento da economia como um todo, por meio de preços e quantidades absolutos. Faz parte dela os movimentos globais nos preços, na produção ou no emprego.- Microeconomia- estuda o comportamento de cada “molécula econômica” do sistema, por meio de preços e quantidades relativas. Para exemplificar, pode-se citar a análise do funcionamento de empresas.<br />Conceitos de Economia<br />
  15. 15. Conceitos de Economia<br /> Enquanto a economia positiva ocupa-se da descrição de fatos, circunstâncias e relações econômicas, a economia normativa expressa julgamentos éticos e valorativos. As grandes divergências entre os economistas aparecem nas discussões de caráter normativo, como por exemplo o da dimensão do Estado e o poder dos sindicatos.<br />
  16. 16.
  17. 17. Não obstante a história do pensamento econômico registre que a expressão economia política tenha aparecido só no século XVII com a publicação, no ano de 1615, do Traité de l’Économie Politique, do mercantilista francês Antoine de Montchrétien (1575-1621), há autores que a atribuem a Aristóteles (384-322, a.C.).<br /> Na verdade, tenha ou não Aristóteles empregado essa expressão para designar essa complexa ciência que hoje se ocupa do desenvolvimento, da inflação de preços, do desemprego, do nível da renda social, das recessões e da plena utilização dos escassos recursos do sistema econômico, o fato é que esse notável discípulo de Platão "é considerado o fundador de muitas ciências e também — observa J. F. BELL 1 — o primeiro analista econômico". Em sua época, porém, Economia era considerada como a ciência da administração da comunidade doméstica. O núcleo central das Ciências Econômicas, seu campo de ação e sua definição derivariam, então, da própria etimologia da palavra economia (do grego oikonomia, de oikos = casa, nomos = lei). Tratava-se, pois, de um ramo do conhecimento destinado a abranger apenas o campo comunal da atividade econômica, em suas mais simples funções de produção e distribuição. Como a teria definido Aristóteles, a Economia era "a ciência do abastecimento, que trata da arte da aquisição".<br />Definições<br />
  18. 18. Aparentemente menos influenciada por sistemas ideológicos, uma tentativa mais recente (e também mais atraente) de caracterizar os fatos econômicos e de então identificar em que consiste o aspecto propriamente econômico da conduta humana, foi empreendida na primeira metade dos anos 30, por Leonel Robbins, no ensaio An Essay of Nature and Significance of Econoinic Science.<br />Definições<br />
  19. 19.
  20. 20. A Microeconomia é definida como um problema de alocação de recursos escassos em relação a uma série possivel de fins. Os desdobramentos lógicos desses problemas levam ao estudo do comportamento econômico individual de consumidores, e firmas bem como a distribuição da produção e rendimento entre eles. A Microeconomia é considerada a base da moderna teoria econômica, estudando suas relações fundamentais.<br /> As famílias são consideradas fornecedores de trabalho e capital, e demandantes de bens de consumo. As firmas são consideradas demandantes de trabalho e fatores de produção e fornecedoras de produtos.<br /> Os consumidores maximizam a utilidade a partir de um orçamento determinado. As firmas maximizam lucro a partir de custos e receitas possíveis.<br /> A microeconomia procura analisar o mercado e outros tipos de mecanismos que estabelecem preços relativos entre os produtos e serviços, alocando de modos alternativos os recursos dos quais dispõe determinados indivíduos organizados numa sociedade.<br />Microeconomia<br />
  21. 21. É uma das divisões da ciência econômica dedicada ao estudo, medida e observação de uma economia regional ou nacional como um todo. A macroeconomia é um dos dois pilares do estudo da economia, sendo o outro a microeconomia. O estudo macroeconômico surgiu como forma de oposição ao sistema mercantilista vigente na Europa, este movimento foi chamado por Keynes de Revolução Clássica. Os dois dogmas mercantilistas atacados pelos clássicos eram, o metalismo (a crença de que a riqueza e o poder de uma nação estava no acúmulo de metais preciosos), e a crença na necessidade de intervenção estatal para direcionar o desenvolvimento do sistema capitalista. O primeiro trabalho clássico foi A riqueza das nações, 1776 de Adam Smith, sendo considerado a partir desta publicação o início ciência econômica. O termo macroeconomia teve origem na década de 1930 a partir da Grande Depressão iniciada em 1929, onde foram intensificadas a urgência dos estudo das questões macroeconômicas, sendo a primeira grande obra literária macroeconômica o livro Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda, do economista britânico John Maynard Keynes, dando origem a Revolução Keynesiana que se opôs à ortodoxia da Economia Clássica.<br />Macroeconomia<br />
  22. 22. A satisfação das NECESSIDADES psicofisiológicas como alimentos, vestuário, habitação; e, as de caráter coletivo de uma sociedade obriga seus membros a se ocuparem de determinadas atividades produtivas, através das quais geram os bens e serviços necessários à consecução de seus objetivos; e que, posteriormente, se distribuem para seu consumo entre os membros dessa mesma sociedade. <br />BEM é tudo aquilo que é suscetível de satisfazer a uma necessidade humana, seja ela primária, secundária e/ou de caráter coletivo.<br /> Em relação ao consumo as famílias têm que decidir como vão gastar a renda familiar entre os diferentes bens e SERVIÇOS ofertados para satisfazer suas necessidades. Assim, na hora de decidir entre um televisor e uma máquina de lavar, por exemplo, levará em conta suas necessidades, os preços de ambos os bens e suas próprias preferências, de forma que o resultado da escolha seja o mais apropriado.<br />Necessidades, Bens e Serviços<br />
  23. 23. Abraham Maslow foi um psicólogo de grande destaque por causa de seu estudo relacionado às necessidades humanas. Segundo ele, o homem é motivado segundo suas necessidades que se manifestam em graus de importância onde as fisiológicas são as necessidades iniciais e as de realização pessoal são as necessidades finais. Cada necessidade humana influencia na motivação e na realização do indivíduo que o faz prosseguir para outras necessidades que marcam uma pirâmide hierárquica:<br />
  24. 24. Em que sentido se pode dizer que a escassez está presente tanto nos “países ricos” como nos “países pobres”?<br />Que tipo de necessidade se pode satisfazer primeiro? Comente a resposta.<br />Qual a contribuição dos grandes pensadores econômicos para a atualidade?<br />O que é microeconomia?<br />Qual o conceito de macroeconomia?<br />Questões para debate (em trios)<br />

×