SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
PROJETO HORTA ESCOLAR
Responsáveis:
 Diretora: Wilma Maria
 Vice: Roseane
 Coordenadora: Sandra Maria
 Profª: Iva Cruz
Colaboradores;
 Valdenizia Maria Teixeira Carneiro (Aposentada)
 Ialyne Evaristo Carneiro (Monitora do Mais Educação)
Natal, 10/02/2012
Introdução
O Projeto Horta Escolar parte do entendimento de que, por meio da promoção da
ação escolar e de uma educação integral dos educandos, é possível gerar mudanças na
cultura da comunidade no que se refere à alimentação, à nutrição, à saúde e à qualidade
de vida de todos, sobretudo, tendo a horta escolar como eixo gerador dessas dinâmicas.
Neste sentido, é importante ressaltar que a integração da educação/currículo
caracteriza a amplitude do projeto e lhe garante a sustentabilidade dentro da escola. Falar
de educação, sem falar em qualidade de vida, torna-a insípida, partindo do princípio que
a escola lida diretamente com a vida de pessoas que estão em formação e precisa ser
orientadas quanto à sua existência como ser, como cidadão, como alguém responsável
pelo cuidado com a terra e com a vida do planeta.
A área de meio ambiente e hortas escolares entende que é preciso incentivar à
produção de hortas como instrumento pedagógico capaz de levar os alunos a refletirem
sua relação com o ambiente em que vivem, estimulando-os a construção dos princípios
de responsabilidade e comprometimento com a natureza, com o ambiente escolar, com a
vida comum da comunidade, com a sustentabilidade do planeta e com a valorização das
relações com a sua e com as outras espécies.
Segundo MORGADO & SANTOS (2008) a horta inserida no ambiente escolar
torna-se um laboratório vivo que possibilita o desenvolvimento de diversas atividades
pedagógicas em educação ambiental e alimentar, unindo teoria e prática de forma
contextualizada, auxiliando no processo de ensino-aprendizagem e estreitando relações
através da promoção do trabalho coletivo e cooperado entre os agentes sociais envolvidos.
Assim sendo, a horta, como estratégia de aprendizagem, propicia que os
educandos construam conhecimentos e habilidades que lhes permitem produzir,
descobrir, selecionar e consumir os alimentos de forma adequada, saudável e segura,
contribuindo com a inserção de mais legumes e verduras na alimentação escolar e
familiar.
Justificativa:
A escola apresenta um enorme espaço ocioso, os alunos que frequentam a escola, na
sua maioria, são carentes residindo em espaços precários e com carências alimentares,
necessitando de complemento alimentar para obter um melhor rendimento escolar. Baseado na
realidade sócia econômica dos estudantes e na disponibilidade de espaço físico da escola, a
direção e equipe técnica propõe a construção da horta escolar, com o objetivo não só de
contribuir para a complementação financeira e enriquecimento nutricional da merenda escolar,
mas principalmente para conscientizar sobre a importância do meio ambiente e incentivar a
formação de bons hábitos alimentares em nossos alunos.
Através da Horta Escolar é possível levar o aluno a consumir mais hortaliças, fonte de
vitaminas, fibras e sais minerais; a obter noções sobre Educação Alimentar, Ambiental e Sanitária
e a servir-se dela como instrumento prático do processo ensino/aprendizagem.
Magalhães (2003) afirma que utilizar a horta escolar como estratégia, visando estimular
o consumo de hortaliças, torna possível reeducar a alimentação das crianças. Outro fator
interessante é que a hortaliça cultivada na horta escolar faz muito sucesso quando se tornam
presentes na alimentação diária na merenda escolar, pois elas representam o fruto do trabalho
deles próprios.
Sendo assim, além de oferecer merenda de qualidade, estamos formando cidadãos
conscientes, responsáveis e atuantes na comunidade em que vivem e ao mesmo tempo
difundindo, incentivando o trabalho voluntário, contribuindo para o fortalecimento das atividades
de cooperação na escola.
A Horta Escolar é uma das ações locais, que consegue envolver a comunidade escolar
e local, segurança alimentar e nutricional, também construir um laboratório vivo na medida em
que envolve os conteúdos programáticos das diferentes disciplinas em teoria e prática usando
como referencia laboratorial de ações concretas.
Considerando que o professor é um ser contextualizado, cujos saberes da apropriação
que fez da prática e dos saberes histórico-sociais é preciso envolvê-los em todos os projetos da
instituição bem como diretamente aos que pertencem especificamente á unidade a qual estão
inseridos. Estamos evidenciando neste Projeto, ações possíveis de serem desenvolvidos no ato
pedagógico das relações discentes, docentes e comunitárias. O sucesso depende da mudança
cultural no processo de ensino, e a aprendizagem resulta do sucesso do aluno em aprender.
Em relação, ao terreno disponível para o plantio, que será numa área de
____________que já foi uma horta e possivelmente ainda é uma terra fértil, está com bastante
mato que precisa ser desmatado. A mão de obras de pessoas adultas vai ser necessária para a
limpeza do terreno. Após a limpeza será feito um pequeno viveiro de mudas que no tempo
adequado serão transplantadas pelos alunos e acompanhado pelos professores.
Os produtos cultivados na horta terão destino inicial para a merenda escolar, havendo
excedentes os alunos participantes poderão levar para suas casas, como também se for possível
ser doada para instituição de caridade próxima da comunidade. Os alunos levarão, ainda, mudas
excedentes do viveiro para horta familiar, isto, se tiver.
No viveiro e horta serão cultivados: verduras, legumes, mudas de flores para jardim e
plantas medicinais.
Portanto, serão necessários que no decorrer das atividades desenvolvidas pelos os
alunos sejam tiradas fotos, filmagens etc. no sentido de que sejam registradas em blogs/ou
apresentação do projeto da Horta na escola.
Pessoas envolvidas:
Participarão do projeto os estudantes do turno matutino, vespertino e noturno bem como
os pais destes estudantes, alunos do Mais Educação e todos orientados pelos professores, ou
seja, por toda comunidade escolar.
Objetivo:
O principal objetivo de se criar a Horta Escolar foi permitir a relação entre a teoria da sala
com a prática sobre a importância do relacionamento entre homem-natureza. Incentivar os
alunos a terem uma visão crítica sobre a importância do alimento saudável cultivado em um
ambiente natura
Objetivo específico:
 Despertar o interesse da criança para a implantação da horta reconhecendo as
relações da horta com o meio-ambiente e a interação do ambiente com a sobrevivência
de espécie humana. Compreender a importância da alimentação para a saúde
humana estimulando hábitos saudáveis de alimentação.
 Despertar a importância da vida coletiva na construção da sociedade respeitando valores
culturais, éticos, sociais, políticos, econômico da região.
 Dialogar de forma didática a questão ambiental na escola, família e
sociedade. Refletindo a importância da água e da vegetação para a preservação da vida e
a relação das estações do ano e sua importância no plantio e colheita dos alimentos. (Clico da
vida).
 Relacionar hábitos saudáveis de alimentação e exercícios físicos regulares discutindo
problemas como sobrepeso e obesidade, produtos artificiais e naturais e suas respectivas
contribuições.
Desenvolvimento:
1º Momento – Sensibilização
A sensibilização do professor será feita através de reuniões que acontecerão desde o
início do ano letivo para o planejamento pedagógico da escola.
Inicia-se a fase de sensibilização dos alunos com o objetivo de que todos os
alunos conheçam o projeto e sua importância. É preciso convencer a todos que a horta é
importante. Isto fará com que os alunos diretamente envolvidos no plantio, responsabilizem pela
preservação e cuidado da horta, entre elas o aguar.
Ainda nesse primeiro momento escolherão o que deverá ser plantado e definirá
as atividades a serem realizadas dentro da sala de aula, juntamente com a parte prática que será
a preparação da horta.
2º Momento – Preparação do Terreno
Mutirão da limpeza, onde será definido o tamanho dos canteiros e o preparo do canteiro.
3º Momento – Plantio
Durante o plantio a turma irá para a horta juntamente com o professor. Os alunos
Poderão ser divididos em dois grupos para facilitar o aprendizado.
Cada grupo ficará na horta 40 minutos aproximadamente e será responsável por um dois
canteiros (os canteiros serão identificados com o nome escolhido pelo grupo). Ao retornarem
para a sala de aula fará relatórios do que foi feito na horta e durante a semana também terão
outras atividades relacionadas com a horta.
4º Momento – Limpeza
As atividades na horta serão semanais, onde cada grupo fará a limpeza dos
seus canteiros e irrigação.
5º Momento-Colheita
Será o dia da colheita, onde os alunos participarão e darão sugestões do
cardápio realizando uma alimentação saudável com as hortaliças cultivada por eles.
Recursos:
 Recursos audiovisuais, computador e outras mídias;
 Atividades escritas explorando leitura e cálculos, bem como produções de textos;
 Ferramentas: enxada, ancinho, picareta, regador, mangueira;
 Vestimentas: botas e luvas
 Sementes: flores, hortaliças e verduras (doação)
 Adubo orgânico
 Sala para guardar os materiais
Cronograma
Atividades a ser realizadas
Ações Data Objetivo
Limpeza do terreno Março Reunir os pais da comunidade
Construção dos canteiros Março Envolver os pais na atividade escolar
como forma de incluí-los na construção e
manutenção de uma escola melhor, junto
com os alunos
Adubação do solo Abril Preparar os canteiros para semear
sementes de, alface, cebola, cenoura e
beterraba, tomate, pimentão e outros
Plantio dos canteiros das
verduras
Abril Sondar conhecimentos e habilidades no
manejo com mudas e ferramentas.
Plantio de sementes de
flores
Maio Criar um viveiro de mudas de jardim
para a escola, noções básicas das
necessidades da planta para germinação.
Plantio de sementes das
ervas
Julho Criar um viveiro de mudas de ervas
medicinais.
Colheita Unir os alunos neste momento.
Segue: Algumas sugestões para
trabalhar interdiciplinarmente a horta escolar:
História: alterações dos meios de produção agrícola, revolução agrícola,
agricultura familiar.
Geografia: alterações do ambiente pelas ações antrópicas; tipos de solo,
desertificação; impactos das culturas.
Artes: sugerir pesquisa sobre artistas que expressaram os acontecimentos
agrícolas ou a natureza por meios de seus trabalhos (Arcimboldo, Van Gogh, por
exemplo).
Matemática: Geometria, consumo de água (pegada ecológica), produtividade
(pesos e medidas), proporções utilizando as receitas culinárias.
Educação Religiosa: religiões que cultuam a natureza.
Língua Portuguesa: realização de um portfólio com dados contendo: nome do
vegetal,tempode germinação,hábitosdovegetal(sol,sombra,trepadeira, rasteira,aérea
etc), utilização medicinal e culinária, e receitas.
Ciências: Ecologia Geral, estudos das plantas, impactos da agricultura,
desertificação, e classificação dos reinos.
Avaliação:
Todas as atividades práticas, serão motivos de análise da sua viabilidade e
aproveitamento, serão observadas o envolvimento dos alunos, o índice de freqüência nas aulas,
a melhora ou não na aprendizagem e a participação dos pais.
Será considerado satisfatório se na execução das atividades os estudantes
demonstraram empenho e gosto pela atividade relatando novas aprendizagens.
Referências:
MAGALHÃES, A. M. A horta como estratégia de educação alimentar em creche. 2003.
120 f. Dissertação (Mestrado em Agrossistemas) – Universidade Federal de Santa Catarina,
Florianópolis, 2003.
MORGADO, F. S. & SANTOS, M. A. A. A Horta Escolar Na Educação Ambiental E
Alimentar: Experiência Do Projeto Horta Viva Nas Escolas Municipais De Florianópolis. Revista
Eletrônica de Extensão, n6, 2008, 10 p.
TURANO, W. A didática na educação nutricional. In: GOLVEIA, E. Nutrição Saúde e
Comunidade. São Paulo: Revinter, 1990. 246 p.
Foto da horta escolar
OBSERVAÇÃO: A HORTA ESCOLAR COMO A FOTO ESTAR MOSTRANDO
ACONTECEU DE ACORDO COM O CRONOGRAMA, JÁ ESTAR SENDO COLHIDO
ALFACE, CHEIRO VERDE E CEBOLA. ATÉ AGORA NÃO FOI FEITO O PLANTIO DAS
ROSEIRAS.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Projeto Meio Ambiente
Projeto Meio AmbienteProjeto Meio Ambiente
Projeto Meio Ambiente
 
Mini Projeto Horta Escolar
Mini Projeto Horta EscolarMini Projeto Horta Escolar
Mini Projeto Horta Escolar
 
Projeto de Jardinagem
Projeto de JardinagemProjeto de Jardinagem
Projeto de Jardinagem
 
Projeto horta
Projeto hortaProjeto horta
Projeto horta
 
Projeto horta medicinal
Projeto horta medicinalProjeto horta medicinal
Projeto horta medicinal
 
Horta didática na escola 01
Horta didática na escola 01Horta didática na escola 01
Horta didática na escola 01
 
PROJETO HORTA.docx
PROJETO HORTA.docxPROJETO HORTA.docx
PROJETO HORTA.docx
 
Projetohorta
ProjetohortaProjetohorta
Projetohorta
 
Hortas: 500 perguntas, 500 respostas
Hortas: 500 perguntas, 500 respostasHortas: 500 perguntas, 500 respostas
Hortas: 500 perguntas, 500 respostas
 
Projeto Pé de Milho
Projeto Pé de MilhoProjeto Pé de Milho
Projeto Pé de Milho
 
Projeto Horta
Projeto HortaProjeto Horta
Projeto Horta
 
Horta bio pedagogica
Horta bio pedagogicaHorta bio pedagogica
Horta bio pedagogica
 
Plano intervenção
Plano intervençãoPlano intervenção
Plano intervenção
 
Projeto brincando com reciclados
Projeto brincando com recicladosProjeto brincando com reciclados
Projeto brincando com reciclados
 
Projeto De Jardinagem
Projeto De JardinagemProjeto De Jardinagem
Projeto De Jardinagem
 
Horta caderno 4-1
Horta caderno 4-1Horta caderno 4-1
Horta caderno 4-1
 
Horta Pedagógica
Horta PedagógicaHorta Pedagógica
Horta Pedagógica
 
Plano de ação 2014 escola
Plano de ação 2014 escolaPlano de ação 2014 escola
Plano de ação 2014 escola
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Encontro pedagógico
Encontro pedagógicoEncontro pedagógico
Encontro pedagógico
 

Destaque

Revista Gestão Agroecológica do Camping do PAERVE
Revista Gestão Agroecológica do Camping do PAERVE Revista Gestão Agroecológica do Camping do PAERVE
Revista Gestão Agroecológica do Camping do PAERVE Camping PAERVE
 
Projeto Rui Em Ação - EMEF Rui Barbosa - 2015
Projeto Rui Em Ação - EMEF Rui Barbosa - 2015Projeto Rui Em Ação - EMEF Rui Barbosa - 2015
Projeto Rui Em Ação - EMEF Rui Barbosa - 2015Haíssa Martins
 
Projeto vamos reflorestar
Projeto vamos reflorestarProjeto vamos reflorestar
Projeto vamos reflorestaramourasantos
 
Reflorestamento no Brasil
Reflorestamento no Brasil Reflorestamento no Brasil
Reflorestamento no Brasil Atkinson Junior
 
148557382 horta-garrafas-pet
148557382 horta-garrafas-pet148557382 horta-garrafas-pet
148557382 horta-garrafas-petEster Florea
 
Apostila horta-vertical
Apostila horta-verticalApostila horta-vertical
Apostila horta-verticalEmily Silva
 
Relatório de atividades projeto alimentação saudável na escola
Relatório de atividades projeto alimentação saudável na escolaRelatório de atividades projeto alimentação saudável na escola
Relatório de atividades projeto alimentação saudável na escolaDecilene
 

Destaque (11)

Revista Gestão Agroecológica do Camping do PAERVE
Revista Gestão Agroecológica do Camping do PAERVE Revista Gestão Agroecológica do Camping do PAERVE
Revista Gestão Agroecológica do Camping do PAERVE
 
Projeto Rui Em Ação - EMEF Rui Barbosa - 2015
Projeto Rui Em Ação - EMEF Rui Barbosa - 2015Projeto Rui Em Ação - EMEF Rui Barbosa - 2015
Projeto Rui Em Ação - EMEF Rui Barbosa - 2015
 
Reflorestamento
ReflorestamentoReflorestamento
Reflorestamento
 
Projeto vamos reflorestar
Projeto vamos reflorestarProjeto vamos reflorestar
Projeto vamos reflorestar
 
Reflorestamento no Brasil
Reflorestamento no Brasil Reflorestamento no Brasil
Reflorestamento no Brasil
 
148557382 horta-garrafas-pet
148557382 horta-garrafas-pet148557382 horta-garrafas-pet
148557382 horta-garrafas-pet
 
Apostila horta-vertical
Apostila horta-verticalApostila horta-vertical
Apostila horta-vertical
 
Horta escolar
Horta escolarHorta escolar
Horta escolar
 
Apostila generos textuais
Apostila generos textuaisApostila generos textuais
Apostila generos textuais
 
Viviana a rainha do pijama
Viviana a rainha do pijamaViviana a rainha do pijama
Viviana a rainha do pijama
 
Relatório de atividades projeto alimentação saudável na escola
Relatório de atividades projeto alimentação saudável na escolaRelatório de atividades projeto alimentação saudável na escola
Relatório de atividades projeto alimentação saudável na escola
 

Semelhante a Projeto Horta Escolar

Projeto O Grande Rabanete
Projeto O Grande RabaneteProjeto O Grande Rabanete
Projeto O Grande RabaneteLakalondres
 
Portifólio 1º semestre 2014
Portifólio 1º semestre 2014Portifólio 1º semestre 2014
Portifólio 1º semestre 2014Sirlei Neto
 
Portifólio 1º semestre 2014 EM JOSE DO PATROCINIO
Portifólio 1º semestre 2014 EM JOSE DO PATROCINIOPortifólio 1º semestre 2014 EM JOSE DO PATROCINIO
Portifólio 1º semestre 2014 EM JOSE DO PATROCINIOSirlei Neto
 
Projeto alimentação 2012 ji 304 norte
Projeto alimentação 2012   ji 304 norteProjeto alimentação 2012   ji 304 norte
Projeto alimentação 2012 ji 304 norteSUZANASALOMAO
 
Projeto alimentação 2012 ji 304 norte
Projeto alimentação 2012   ji 304 norteProjeto alimentação 2012   ji 304 norte
Projeto alimentação 2012 ji 304 norteSUZANASALOMAO
 
PROJETO CANTINHO VERDE ediane e ruth.docx
PROJETO  CANTINHO VERDE ediane e ruth.docxPROJETO  CANTINHO VERDE ediane e ruth.docx
PROJETO CANTINHO VERDE ediane e ruth.docxElaineFontoura
 
Projeto de trabalho aproveitamento integral dos alimentos
Projeto de trabalho aproveitamento integral dos alimentosProjeto de trabalho aproveitamento integral dos alimentos
Projeto de trabalho aproveitamento integral dos alimentosOlavo Bilac
 
A horta como estrategia de educação alimentar e nutricional em creche
A horta como estrategia de educação alimentar e nutricional em crecheA horta como estrategia de educação alimentar e nutricional em creche
A horta como estrategia de educação alimentar e nutricional em crecheMaria Helena Lima
 
Proj.cultivando saberes
Proj.cultivando saberesProj.cultivando saberes
Proj.cultivando saberesEscolaMAAF
 
Resumo FENERC 2012 - Governador Celso Ramos
Resumo FENERC 2012 - Governador Celso RamosResumo FENERC 2012 - Governador Celso Ramos
Resumo FENERC 2012 - Governador Celso Ramosforumdealimetacao
 
Manual para escolas_horta_escolar
Manual para escolas_horta_escolarManual para escolas_horta_escolar
Manual para escolas_horta_escolarBruna Rodrigues
 
Batista2017.pdf
Batista2017.pdfBatista2017.pdf
Batista2017.pdfVeryTrue1
 
Educação Ambiental: uma experiência de escola sustentável e Com-Vida
Educação Ambiental: uma experiência de escola sustentável e Com-VidaEducação Ambiental: uma experiência de escola sustentável e Com-Vida
Educação Ambiental: uma experiência de escola sustentável e Com-VidaADILSON RIBEIRO DE ARAUJO
 
Projeto Transformar - Sócio Ambiental
Projeto Transformar - Sócio AmbientalProjeto Transformar - Sócio Ambiental
Projeto Transformar - Sócio AmbientalMarcio José Selaibe
 
Aula 4_Horta_como_ferramenta_integradora_entre_aluno-PIBID-Escola.pdf
Aula 4_Horta_como_ferramenta_integradora_entre_aluno-PIBID-Escola.pdfAula 4_Horta_como_ferramenta_integradora_entre_aluno-PIBID-Escola.pdf
Aula 4_Horta_como_ferramenta_integradora_entre_aluno-PIBID-Escola.pdfErica Dos Anjos
 
Projecto fevereiro 2016_aprovado
Projecto fevereiro 2016_aprovadoProjecto fevereiro 2016_aprovado
Projecto fevereiro 2016_aprovadofernandaataide55
 

Semelhante a Projeto Horta Escolar (20)

Horta e ervas
Horta e ervas Horta e ervas
Horta e ervas
 
Projeto O Grande Rabanete
Projeto O Grande RabaneteProjeto O Grande Rabanete
Projeto O Grande Rabanete
 
Projetohorta
ProjetohortaProjetohorta
Projetohorta
 
Portifólio 1º semestre 2014
Portifólio 1º semestre 2014Portifólio 1º semestre 2014
Portifólio 1º semestre 2014
 
Portifólio 1º semestre 2014 EM JOSE DO PATROCINIO
Portifólio 1º semestre 2014 EM JOSE DO PATROCINIOPortifólio 1º semestre 2014 EM JOSE DO PATROCINIO
Portifólio 1º semestre 2014 EM JOSE DO PATROCINIO
 
Projeto alimentação 2012 ji 304 norte
Projeto alimentação 2012   ji 304 norteProjeto alimentação 2012   ji 304 norte
Projeto alimentação 2012 ji 304 norte
 
Projeto alimentação 2012 ji 304 norte
Projeto alimentação 2012   ji 304 norteProjeto alimentação 2012   ji 304 norte
Projeto alimentação 2012 ji 304 norte
 
PROJETO CANTINHO VERDE ediane e ruth.docx
PROJETO  CANTINHO VERDE ediane e ruth.docxPROJETO  CANTINHO VERDE ediane e ruth.docx
PROJETO CANTINHO VERDE ediane e ruth.docx
 
Projeto de trabalho aproveitamento integral dos alimentos
Projeto de trabalho aproveitamento integral dos alimentosProjeto de trabalho aproveitamento integral dos alimentos
Projeto de trabalho aproveitamento integral dos alimentos
 
A horta como estrategia de educação alimentar e nutricional em creche
A horta como estrategia de educação alimentar e nutricional em crecheA horta como estrategia de educação alimentar e nutricional em creche
A horta como estrategia de educação alimentar e nutricional em creche
 
Proj.cultivando saberes
Proj.cultivando saberesProj.cultivando saberes
Proj.cultivando saberes
 
Resumo FENERC 2012 - Governador Celso Ramos
Resumo FENERC 2012 - Governador Celso RamosResumo FENERC 2012 - Governador Celso Ramos
Resumo FENERC 2012 - Governador Celso Ramos
 
Manual para escolas_horta_escolar
Manual para escolas_horta_escolarManual para escolas_horta_escolar
Manual para escolas_horta_escolar
 
Batista2017.pdf
Batista2017.pdfBatista2017.pdf
Batista2017.pdf
 
Educação Ambiental: uma experiência de escola sustentável e Com-Vida
Educação Ambiental: uma experiência de escola sustentável e Com-VidaEducação Ambiental: uma experiência de escola sustentável e Com-Vida
Educação Ambiental: uma experiência de escola sustentável e Com-Vida
 
Horta geométrica
Horta geométricaHorta geométrica
Horta geométrica
 
Alimentação saudável em casa
Alimentação saudável em casaAlimentação saudável em casa
Alimentação saudável em casa
 
Projeto Transformar - Sócio Ambiental
Projeto Transformar - Sócio AmbientalProjeto Transformar - Sócio Ambiental
Projeto Transformar - Sócio Ambiental
 
Aula 4_Horta_como_ferramenta_integradora_entre_aluno-PIBID-Escola.pdf
Aula 4_Horta_como_ferramenta_integradora_entre_aluno-PIBID-Escola.pdfAula 4_Horta_como_ferramenta_integradora_entre_aluno-PIBID-Escola.pdf
Aula 4_Horta_como_ferramenta_integradora_entre_aluno-PIBID-Escola.pdf
 
Projecto fevereiro 2016_aprovado
Projecto fevereiro 2016_aprovadoProjecto fevereiro 2016_aprovado
Projecto fevereiro 2016_aprovado
 

Último

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 

Último (20)

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 

Projeto Horta Escolar

  • 1. PROJETO HORTA ESCOLAR Responsáveis:  Diretora: Wilma Maria  Vice: Roseane  Coordenadora: Sandra Maria  Profª: Iva Cruz Colaboradores;  Valdenizia Maria Teixeira Carneiro (Aposentada)  Ialyne Evaristo Carneiro (Monitora do Mais Educação) Natal, 10/02/2012 Introdução O Projeto Horta Escolar parte do entendimento de que, por meio da promoção da ação escolar e de uma educação integral dos educandos, é possível gerar mudanças na cultura da comunidade no que se refere à alimentação, à nutrição, à saúde e à qualidade de vida de todos, sobretudo, tendo a horta escolar como eixo gerador dessas dinâmicas. Neste sentido, é importante ressaltar que a integração da educação/currículo caracteriza a amplitude do projeto e lhe garante a sustentabilidade dentro da escola. Falar de educação, sem falar em qualidade de vida, torna-a insípida, partindo do princípio que a escola lida diretamente com a vida de pessoas que estão em formação e precisa ser orientadas quanto à sua existência como ser, como cidadão, como alguém responsável pelo cuidado com a terra e com a vida do planeta. A área de meio ambiente e hortas escolares entende que é preciso incentivar à produção de hortas como instrumento pedagógico capaz de levar os alunos a refletirem sua relação com o ambiente em que vivem, estimulando-os a construção dos princípios de responsabilidade e comprometimento com a natureza, com o ambiente escolar, com a vida comum da comunidade, com a sustentabilidade do planeta e com a valorização das relações com a sua e com as outras espécies. Segundo MORGADO & SANTOS (2008) a horta inserida no ambiente escolar torna-se um laboratório vivo que possibilita o desenvolvimento de diversas atividades pedagógicas em educação ambiental e alimentar, unindo teoria e prática de forma contextualizada, auxiliando no processo de ensino-aprendizagem e estreitando relações através da promoção do trabalho coletivo e cooperado entre os agentes sociais envolvidos. Assim sendo, a horta, como estratégia de aprendizagem, propicia que os educandos construam conhecimentos e habilidades que lhes permitem produzir, descobrir, selecionar e consumir os alimentos de forma adequada, saudável e segura, contribuindo com a inserção de mais legumes e verduras na alimentação escolar e familiar.
  • 2. Justificativa: A escola apresenta um enorme espaço ocioso, os alunos que frequentam a escola, na sua maioria, são carentes residindo em espaços precários e com carências alimentares, necessitando de complemento alimentar para obter um melhor rendimento escolar. Baseado na realidade sócia econômica dos estudantes e na disponibilidade de espaço físico da escola, a direção e equipe técnica propõe a construção da horta escolar, com o objetivo não só de contribuir para a complementação financeira e enriquecimento nutricional da merenda escolar, mas principalmente para conscientizar sobre a importância do meio ambiente e incentivar a formação de bons hábitos alimentares em nossos alunos. Através da Horta Escolar é possível levar o aluno a consumir mais hortaliças, fonte de vitaminas, fibras e sais minerais; a obter noções sobre Educação Alimentar, Ambiental e Sanitária e a servir-se dela como instrumento prático do processo ensino/aprendizagem. Magalhães (2003) afirma que utilizar a horta escolar como estratégia, visando estimular o consumo de hortaliças, torna possível reeducar a alimentação das crianças. Outro fator interessante é que a hortaliça cultivada na horta escolar faz muito sucesso quando se tornam presentes na alimentação diária na merenda escolar, pois elas representam o fruto do trabalho deles próprios. Sendo assim, além de oferecer merenda de qualidade, estamos formando cidadãos conscientes, responsáveis e atuantes na comunidade em que vivem e ao mesmo tempo difundindo, incentivando o trabalho voluntário, contribuindo para o fortalecimento das atividades de cooperação na escola. A Horta Escolar é uma das ações locais, que consegue envolver a comunidade escolar e local, segurança alimentar e nutricional, também construir um laboratório vivo na medida em que envolve os conteúdos programáticos das diferentes disciplinas em teoria e prática usando como referencia laboratorial de ações concretas. Considerando que o professor é um ser contextualizado, cujos saberes da apropriação que fez da prática e dos saberes histórico-sociais é preciso envolvê-los em todos os projetos da
  • 3. instituição bem como diretamente aos que pertencem especificamente á unidade a qual estão inseridos. Estamos evidenciando neste Projeto, ações possíveis de serem desenvolvidos no ato pedagógico das relações discentes, docentes e comunitárias. O sucesso depende da mudança cultural no processo de ensino, e a aprendizagem resulta do sucesso do aluno em aprender. Em relação, ao terreno disponível para o plantio, que será numa área de ____________que já foi uma horta e possivelmente ainda é uma terra fértil, está com bastante mato que precisa ser desmatado. A mão de obras de pessoas adultas vai ser necessária para a limpeza do terreno. Após a limpeza será feito um pequeno viveiro de mudas que no tempo adequado serão transplantadas pelos alunos e acompanhado pelos professores. Os produtos cultivados na horta terão destino inicial para a merenda escolar, havendo excedentes os alunos participantes poderão levar para suas casas, como também se for possível ser doada para instituição de caridade próxima da comunidade. Os alunos levarão, ainda, mudas excedentes do viveiro para horta familiar, isto, se tiver. No viveiro e horta serão cultivados: verduras, legumes, mudas de flores para jardim e plantas medicinais. Portanto, serão necessários que no decorrer das atividades desenvolvidas pelos os alunos sejam tiradas fotos, filmagens etc. no sentido de que sejam registradas em blogs/ou apresentação do projeto da Horta na escola. Pessoas envolvidas: Participarão do projeto os estudantes do turno matutino, vespertino e noturno bem como os pais destes estudantes, alunos do Mais Educação e todos orientados pelos professores, ou seja, por toda comunidade escolar. Objetivo: O principal objetivo de se criar a Horta Escolar foi permitir a relação entre a teoria da sala com a prática sobre a importância do relacionamento entre homem-natureza. Incentivar os alunos a terem uma visão crítica sobre a importância do alimento saudável cultivado em um ambiente natura
  • 4. Objetivo específico:  Despertar o interesse da criança para a implantação da horta reconhecendo as relações da horta com o meio-ambiente e a interação do ambiente com a sobrevivência de espécie humana. Compreender a importância da alimentação para a saúde humana estimulando hábitos saudáveis de alimentação.  Despertar a importância da vida coletiva na construção da sociedade respeitando valores culturais, éticos, sociais, políticos, econômico da região.  Dialogar de forma didática a questão ambiental na escola, família e sociedade. Refletindo a importância da água e da vegetação para a preservação da vida e a relação das estações do ano e sua importância no plantio e colheita dos alimentos. (Clico da vida).  Relacionar hábitos saudáveis de alimentação e exercícios físicos regulares discutindo problemas como sobrepeso e obesidade, produtos artificiais e naturais e suas respectivas contribuições. Desenvolvimento: 1º Momento – Sensibilização A sensibilização do professor será feita através de reuniões que acontecerão desde o início do ano letivo para o planejamento pedagógico da escola. Inicia-se a fase de sensibilização dos alunos com o objetivo de que todos os alunos conheçam o projeto e sua importância. É preciso convencer a todos que a horta é importante. Isto fará com que os alunos diretamente envolvidos no plantio, responsabilizem pela preservação e cuidado da horta, entre elas o aguar. Ainda nesse primeiro momento escolherão o que deverá ser plantado e definirá as atividades a serem realizadas dentro da sala de aula, juntamente com a parte prática que será a preparação da horta. 2º Momento – Preparação do Terreno Mutirão da limpeza, onde será definido o tamanho dos canteiros e o preparo do canteiro. 3º Momento – Plantio Durante o plantio a turma irá para a horta juntamente com o professor. Os alunos Poderão ser divididos em dois grupos para facilitar o aprendizado. Cada grupo ficará na horta 40 minutos aproximadamente e será responsável por um dois canteiros (os canteiros serão identificados com o nome escolhido pelo grupo). Ao retornarem para a sala de aula fará relatórios do que foi feito na horta e durante a semana também terão outras atividades relacionadas com a horta. 4º Momento – Limpeza As atividades na horta serão semanais, onde cada grupo fará a limpeza dos seus canteiros e irrigação. 5º Momento-Colheita
  • 5. Será o dia da colheita, onde os alunos participarão e darão sugestões do cardápio realizando uma alimentação saudável com as hortaliças cultivada por eles. Recursos:  Recursos audiovisuais, computador e outras mídias;  Atividades escritas explorando leitura e cálculos, bem como produções de textos;  Ferramentas: enxada, ancinho, picareta, regador, mangueira;  Vestimentas: botas e luvas  Sementes: flores, hortaliças e verduras (doação)  Adubo orgânico  Sala para guardar os materiais Cronograma Atividades a ser realizadas Ações Data Objetivo Limpeza do terreno Março Reunir os pais da comunidade Construção dos canteiros Março Envolver os pais na atividade escolar como forma de incluí-los na construção e manutenção de uma escola melhor, junto com os alunos Adubação do solo Abril Preparar os canteiros para semear sementes de, alface, cebola, cenoura e beterraba, tomate, pimentão e outros Plantio dos canteiros das verduras Abril Sondar conhecimentos e habilidades no manejo com mudas e ferramentas. Plantio de sementes de flores Maio Criar um viveiro de mudas de jardim para a escola, noções básicas das necessidades da planta para germinação. Plantio de sementes das ervas Julho Criar um viveiro de mudas de ervas medicinais. Colheita Unir os alunos neste momento. Segue: Algumas sugestões para trabalhar interdiciplinarmente a horta escolar: História: alterações dos meios de produção agrícola, revolução agrícola, agricultura familiar. Geografia: alterações do ambiente pelas ações antrópicas; tipos de solo, desertificação; impactos das culturas.
  • 6. Artes: sugerir pesquisa sobre artistas que expressaram os acontecimentos agrícolas ou a natureza por meios de seus trabalhos (Arcimboldo, Van Gogh, por exemplo). Matemática: Geometria, consumo de água (pegada ecológica), produtividade (pesos e medidas), proporções utilizando as receitas culinárias. Educação Religiosa: religiões que cultuam a natureza. Língua Portuguesa: realização de um portfólio com dados contendo: nome do vegetal,tempode germinação,hábitosdovegetal(sol,sombra,trepadeira, rasteira,aérea etc), utilização medicinal e culinária, e receitas. Ciências: Ecologia Geral, estudos das plantas, impactos da agricultura, desertificação, e classificação dos reinos. Avaliação: Todas as atividades práticas, serão motivos de análise da sua viabilidade e aproveitamento, serão observadas o envolvimento dos alunos, o índice de freqüência nas aulas, a melhora ou não na aprendizagem e a participação dos pais. Será considerado satisfatório se na execução das atividades os estudantes demonstraram empenho e gosto pela atividade relatando novas aprendizagens. Referências: MAGALHÃES, A. M. A horta como estratégia de educação alimentar em creche. 2003. 120 f. Dissertação (Mestrado em Agrossistemas) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003. MORGADO, F. S. & SANTOS, M. A. A. A Horta Escolar Na Educação Ambiental E Alimentar: Experiência Do Projeto Horta Viva Nas Escolas Municipais De Florianópolis. Revista Eletrônica de Extensão, n6, 2008, 10 p. TURANO, W. A didática na educação nutricional. In: GOLVEIA, E. Nutrição Saúde e Comunidade. São Paulo: Revinter, 1990. 246 p. Foto da horta escolar
  • 7. OBSERVAÇÃO: A HORTA ESCOLAR COMO A FOTO ESTAR MOSTRANDO ACONTECEU DE ACORDO COM O CRONOGRAMA, JÁ ESTAR SENDO COLHIDO ALFACE, CHEIRO VERDE E CEBOLA. ATÉ AGORA NÃO FOI FEITO O PLANTIO DAS ROSEIRAS.