2º ANO: APOSTILA 03 / AULA 13
Professor Claudio Henrique Ramos Sales
FILOSOFIA
KARL MARX
(1818-1883)
1861
 Nasceu em Trier, Alemanha.
 Pais judeus convertidos.
 Na adolescência militante antirreligioso;
“A crítica da religião...
 Pensamento profundamente influenciado por
Hegel;
 Foi expulso de vários países;
 Os últimos 34 anos de sua vida, vai p...
Tumba de Marx no Cemitério
Highgate em Londres
 Filosofia alemã (Hegel);
 Teoria política francesa (socialistas utópicos
como Saint Simon, Louis Blanc e Proudhon);
 E...
 Costumamos chamar de “real” aquelas coisas concretas,
materiais, com as quais lidamos todos os dias;
 Ao mesmo tempo ch...
 Hegel tem uma visão da história como um
processo de mudança permanente (constante
transformação);
 Entender a realidade...
 O que mantém o processo em constante
mudança são as suas contradições internas;
 - Tese (ex. tirania)
 - Antítese (ex....
 Para Hegel, o motor da transformação é a
razão em um processo que caminha para a
Ideia Absoluta, em que se realiza a ple...
 ETIMOLOGICAMENTE A PALAVRA ALIENAÇÃO
VEM DO LATIM ALIENARE, ALIENUS, QUE
SIGNIFICA “QUE PERTENCE A UM OUTRO”.
ASSIM, ALI...
Conceito hegeliano de alienação: tratar como
estranho algo com o qual devíamos nos
identificar.
Hegel considerava que os i...
 Marx analisa a alienação dos trabalhadores
industriais em Manuscritos Econômicos e
Filosóficos (1848). A propriedade pri...
 PARA KARL MARX, A ORIGEM DA
ALIENAÇÃO ESTÁ NA DIVISÃO SOCIAL
DO TRABALHO, QUE FAZ COM QUE O
PRODUTO DO TRABALHO HUMANO
D...
- Todo ser humano tem de obter os meios de
subsistência: alimento, abrigo, etc...
- O desenvolvimento dos meios de produçã...
 O que define cada indivíduo é sua relação
com os meios de produção;
 Esta relação determina quem mais tem os
mesmos int...
 É um reflexo abstrato da infraestrutura
econômica. Corresponde às instituições
sociais e políticas, religiões, filosofia...
 No capitalismo, a concorrência gera o
dinamismo econômico, mas, por outro lado,
este estado de coisas facilmente descamb...
 Até o momento em que a imensa quantidade
de pessoas alienadas e empobrecidas se
levantaria contra os capitalistas e fari...
 Marx acreditava que a sua teoria era
científica, da mesma forma que a física de
Newton era científica.
 Com tal conheci...
 Ora, já que o marxismo era científico, as
coisas necessariamente aconteceriam de
acordo com as suas ideias, a despeito d...
 Teorias científicas são refutáveis por
definição.
 Ao contrário do que Marx previra, a
tecnologia não aumentou indefini...
 Nos países em que o marxismo alcançou o
poder, quase sem exceção (talvez a China), a
economia fracassou e instalou-se um...
Professor Claudio Henrique (Henry)
blogdoprofessorhenry.blogspot.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 14 Liberdade e política - Karl Marx

1.769 visualizações

Publicada em

Aula 14 Liberdade e política - Karl Marx

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.769
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 14 Liberdade e política - Karl Marx

  1. 1. 2º ANO: APOSTILA 03 / AULA 13 Professor Claudio Henrique Ramos Sales FILOSOFIA
  2. 2. KARL MARX (1818-1883) 1861
  3. 3.  Nasceu em Trier, Alemanha.  Pais judeus convertidos.  Na adolescência militante antirreligioso; “A crítica da religião é o fundamento de toda crítica.” Tese de doutorado sobre antiga filosofia grega;
  4. 4.  Pensamento profundamente influenciado por Hegel;  Foi expulso de vários países;  Os últimos 34 anos de sua vida, vai passar na Inglaterra;  Morreu em Londres em 1883.
  5. 5. Tumba de Marx no Cemitério Highgate em Londres
  6. 6.  Filosofia alemã (Hegel);  Teoria política francesa (socialistas utópicos como Saint Simon, Louis Blanc e Proudhon);  Economia Britânica (Adam Smith e David Ricardo);
  7. 7.  Costumamos chamar de “real” aquelas coisas concretas, materiais, com as quais lidamos todos os dias;  Ao mesmo tempo chamamos de “abstrato” tudo aquilo que não tem uma existência palpavel.  Heguel afirmava justamente o contrario: - O conhecimento imediato que temos das coisas é “abstrato”, pois capta somente as aparências; - O conhecimento real é da natureza espiritual e resulta da descrição da forma como uma realidade é produzida.
  8. 8.  Hegel tem uma visão da história como um processo de mudança permanente (constante transformação);  Entender a realidade é entender a natureza deste processo (Se todas as coisas estão mudando, o que chamamos de presente é o resultado de um processo e o conhecimento da História é uma maneira de termos consciência desse processo);  A mudança não é aleatória e obedece a uma lei.
  9. 9.  O que mantém o processo em constante mudança são as suas contradições internas;  - Tese (ex. tirania)  - Antítese (ex. liberdade absoluta)  - Síntese (ex. leis)  Este processo não está sob controle humano e continuará até que as suas contradições sejam resolvidas (fim da alienação);  Isso tornará possível a liberdade e a auto realização dos seres humanos.
  10. 10.  Para Hegel, o motor da transformação é a razão em um processo que caminha para a Ideia Absoluta, em que se realiza a plena identidade do sujeito com o objeto;  Para Marx, o motor da transformação são as forças produtivas e as relações de produção, isto é, a forma como o homem e as forças produtivas se relacionam entre si no processo produtivo.
  11. 11.  ETIMOLOGICAMENTE A PALAVRA ALIENAÇÃO VEM DO LATIM ALIENARE, ALIENUS, QUE SIGNIFICA “QUE PERTENCE A UM OUTRO”. ASSIM, ALIENAR É TORNAR ALHEIO, TRANSFERIR PARA OUTREM O QUE É SEU.
  12. 12. Conceito hegeliano de alienação: tratar como estranho algo com o qual devíamos nos identificar. Hegel considerava que os indivíduos, todos manifestações de um único Espírito, se viam uns aos outros como rivais hostis e não como elementos de uma unidade. «A alienação é o estado no qual as pessoas vêem como exterior algo que, na verdade, é um elemento intrínseco do seu próprio ser.» (Kenny, 1999: 356).
  13. 13.  Marx analisa a alienação dos trabalhadores industriais em Manuscritos Econômicos e Filosóficos (1848). A propriedade privada e o controle da produção por uma elite são causas do trabalho alienado. O trabalho alienado retira a humanidade das pessoas. Para Marx, a alienação residia, sobretudo, no dinheiro. «O dinheiro é o valor universal e autoconstituído de todas as coisas. Despojou, assim, o mundo inteiro, tanto o mundo humano como a natureza, do seu próprio valor. O dinheiro é a essência alienada do trabalho e da vida do homem, e esta essência alienígena domina-o enquanto ele a idolatrar.»
  14. 14.  PARA KARL MARX, A ORIGEM DA ALIENAÇÃO ESTÁ NA DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO, QUE FAZ COM QUE O PRODUTO DO TRABALHO HUMANO DEIXE DE PERTENCER AO TRABALHADOR E PASSE A PERTENCER A OUTREM.
  15. 15. - Todo ser humano tem de obter os meios de subsistência: alimento, abrigo, etc... - O desenvolvimento dos meios de produção leva à especialização; - A especialização torna os indivíduos dependentes um do outro;
  16. 16.  O que define cada indivíduo é sua relação com os meios de produção;  Esta relação determina quem mais tem os mesmos interesses que nós, e quem está em conflito conosco;  Isto origina as classes socioeconômicas e também o conflito entre elas.
  17. 17.  É um reflexo abstrato da infraestrutura econômica. Corresponde às instituições sociais e políticas, religiões, filosofia, artes, ideias. Enfim, é tudo aquilo que é criado culturalmente para dar legitimidade a uma dada infraestrutura econômica.
  18. 18.  No capitalismo, a concorrência gera o dinamismo econômico, mas, por outro lado, este estado de coisas facilmente descamba para o caos. É por isso que no capitalismo as crises são tão frequentes.  O desenvolvimento constante da tecnologia moderna seguiria criando uma massa de desempregados cada vez mais numerosa.
  19. 19.  Até o momento em que a imensa quantidade de pessoas alienadas e empobrecidas se levantaria contra os capitalistas e faria a revolução.  Esta revolução seria o fim da história. A divisão da sociedade em classes teria acabado.  Os meios de produção seriam possuídos por todos e operados no interesse de todos.
  20. 20.  Marx acreditava que a sua teoria era científica, da mesma forma que a física de Newton era científica.  Com tal conhecimento, dizia Marx, era possível prever o inevitável desenvolvimento futuro da sociedade.  Esta ideia deu enorme grau de confiança aos marxistas e tornou-os famosos pela intolerância com todas as visões alternativas que não se coadunavam com as deles.
  21. 21.  Ora, já que o marxismo era científico, as coisas necessariamente aconteceriam de acordo com as suas ideias, a despeito do que qualquer outra pessoa fizesse ou dissesse.  Nas palavras de Trotsky, “ a história está do nosso lado.”
  22. 22.  Teorias científicas são refutáveis por definição.  Ao contrário do que Marx previra, a tecnologia não aumentou indefinidamente o desemprego, surgiu o setor de serviços: educação, turismo, entretenimento, etc...  Além disso, as revoluções aconteceram na periferia do capitalismo, e não nos mais desenvolvidos como Marx acreditava.
  23. 23.  Nos países em que o marxismo alcançou o poder, quase sem exceção (talvez a China), a economia fracassou e instalou-se uma ditadura burocrática. A liberdade também foi asfixiada.  Isto tudo, levou a conclusão de que havia algo de errado com as teorias marxistas.
  24. 24. Professor Claudio Henrique (Henry) blogdoprofessorhenry.blogspot.com

×