Inforcesj 1 fase

21.981 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
21.981
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20.058
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Inforcesj 1 fase

  1. 1. Colégio Estadual São José Laboratório Escolar de Informática - LEI Projeto InforCESJ: Desvelando a Realidade Granja/CE 2010
  2. 2. Público Alvo: Corpo docente e discente do Colégio Estadual São José Período de Realização: 1ª Fase: Fevereiro/2010 2ª Fase: Agosto/2010 3ª Fase: Novembro/2010 Responsáveis pela Execução Profs. Coords. do LEI: Fca Cláudia F. Fontenele e Silvana Maria F. de Moraes
  3. 3. Introdução A Informática vem adquirindo cada vez mais relevância dentro das escolas. Sua utilização como instrumento de aprendizagem e sua ação no meio social vem aumentando de forma rápida entre nós. Nesse sentido, a educação vem passando por mudanças estruturais e funcionais frente a essa nova tecnologia. Houve época em que era necessário justificar a introdução da Informática na escola. Hoje já existe unanimidade quanto à sua importância. Entretanto, o que vem sendo questionado é a forma com que essa introdução vem ocorrendo e as dificuldades para que esta aconteça de maneira satisfatória.
  4. 4. Introdução Essa pesquisa pretendeu questionar alguns pontos para conhecermos a realidade da nossa escola quanto aos conhecimentos de informática, para de forma consciente intervir nas possíveis lacunas encontradas, visto que por experiência e depoimentos de professores, várias foram as dificuldades encontradas no ano de 2009 em decorrência do baixo nível de habilidades no manuseio do computador.
  5. 5. Metodologia A execução deste trabalho se dará em três fases, a primeira ocorreu em fevereiro de 2010, a segunda em agosto de 2010 e a última em novembro de 2010. 1ª Fase: Realização de pesquisa com todos os alunos da escola na sede; 2ª Fase: Realização da pesquisa com os discentes e docentes das extensões: Ibuguaçu, Adrianópolis, Timonha, Santa Terezinha e Parazinho. 3ª Fase: Nova aplicação dos questionários com os alunos da sede.
  6. 6. Metodologia O instrumento para a coleta de dados é um questionário com perguntas que verificam de forma clara e objetiva como estão os conhecimentos e habilidades dos alunos e professores quanto ao uso do computador e da internet. Após a coleta, os dados serão tabulados e analisados por turma, em seguida serão arquivados, para posterior análise comparativa com os resultados da 3ª Fase.
  7. 7. Nº de Alunos Entrevistados: 687 Nº de Alunos na sede: 750
  8. 8. Questões Abordadas 1. Sabe ligar e desligar o computador 2. Sabe pesquisar na internet 3. Tem conta de e-mail 4. Envia e recebe e-mails regularmente 5. Tem orkut 6. Tem msn (messenger)‏ 7. Sabe digitar e salvar textos 8. Sabe criar pastas e subpastas 9. Sabe formatar textos 10. Sabe criar apresentações em slides 11. Sabe pesquisar e baixar arquivos 12. Sabe procurar vídeos 13. Sabe pesquisar e baixar vídeos 14. Tem computador
  9. 9. Vale ressaltar que consideramos como conhecimento mínimo necessário para acompanhar o ritmo de uma aula com uso do computador, os itens: 01. Ligar e desligar o computador; 02. Realizar pesquisas na internet; 07. Digitar e salvar textos. Assim sendo serão consideradas como turmas críticas aquelas que apresentarem os menores indíces nos itens 01, 02 e 07 . Os demais itens são “complementos” não obrigatórios, pois dependem destes para serem assimilados e ainda não são requisitos para acompanhar uma aula no LEI.
  10. 10. Resultados Gráficos da 1ª Etapa (Por Turma)‏
  11. 11. 1º Ano
  12. 12. 1º Ano
  13. 13. 2º Ano
  14. 14. 3º Ano
  15. 15. Através dos gráficos podemos identificar claramente quais turmas requerem maior atenção de nossa parte. Observamos também que as turmas que apresentaram menor índice de conhecimento em informática, são aquelas cuja maioria dos alunos são do interior, e há ainda aquelas cujos alunos conseguem ligar/desligar e navegar na internet, mas não apresentam domínio quanto a digitação de textos. Podemos então destacar como turmas críticas: 1º Ano: C, D, E, F, G, H e I; 2º Ano: B, D e F; 3º Ano: B, C e D e E
  16. 16. Nossas Ações Diante dos resultados, nosso objetivo agora é minimizar esse quadro, através de ações que proporcionem aos alunos momentos no laboratório de informática, afim de que possam conhecer as principais ferramentas do computador. Tais ações devem estar presentes em projetos e aulas com apoio do professor.
  17. 17. Algumas Ações e Projetos <ul><li>Projeto Aluno-Monitor; </li></ul><ul><li>Projeto Primeiros Clicks; </li></ul><ul><li>Projeto Aluno Integrado; </li></ul><ul><li>Curso “O povo no ENEM”; </li></ul>
  18. 18. Algumas Ações e Projetos <ul><li>Conscientizar o professor da importância do uso das TIC em suas aulas, bem como da inclusão digital que a mesma pode proporcionar através do e-mail e outros recursos da web; </li></ul><ul><li>Trabalhar os demais projetos da escola, utilizando a criação de slides e pesquisas na internet. </li></ul>

×