Apostila sistemas operacionais

7.824 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.824
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
267
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila sistemas operacionais

  1. 1. SOFTWARES APLICATIVOS E SISTEMAS OPERACIONAIS EDIÇÃO Nº 1 - 2007 PROF. MARCO ANDRÉ LOPES MENDES___________________________________________________________________ Apoio Gestão e Execução Conteúdo e Tecnologia • •
  2. 2. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 2 APRESENTAÇÃO Parabéns, você está recebendo o livro-texto da disciplina de SoftwaresAplicativos e Sistemas Operacionais do Curso Técnico em Programação paraInternet da Tupy Virtual. Este livro-texto foi construído especialmente para este curso, baseado no seuperfil e nas necessidades da sua formação. Estamos constantemente atualizando emelhorando este material, e você pode nos auxiliar, encaminhando sugestões eapontando melhorias, através do seu monitor, tutor ou professor. Desde jáagradecemos a sua ajuda. Este livro-texto proporcionará a você o estudo dos softwares, incluindoaplicativos, sistemas operacionais e utilitários. Para sua melhor compreensão, o livroestá estruturado em duas partes. Na primeira, que inclui os capítulos de um a três, éfeito um estudo dos softwares aplicativos, e na segunda parte, que engloba oscapítulos de quatro a seis, você estudará os sistemas operacionais e utilitários. Nossa recomendação é que você verifique as datas importantes dentro nocronograma de estudos e elabore um plano de estudos pessoal. Assim você poderáaproveitar o curso ao máximo, garantindo o retorno de todo o esforço investido.Estude as aulas virtuais, faça os exercícios, leia o livro-texto, e faça todas asatividades propostas. Sempre que possível, tire suas dúvidas com o monitortambém. Lembre-se que a sua passagem por esta disciplina será tambémacompanhada pelo Sistema de Ensino Tupy Virtual, seja por correio postal, fax,telefone, e-mail ou Ambiente Virtual de Aprendizagem. Sempre entre em contatoconosco quando surgir alguma dúvida ou dificuldade. Participe dos bate-papos(chats) marcados e envie suas dúvidas pelo Tira-Dúvidas. Toda a equipe está à disposição para atendê-lo. Seu crescimento é o nossomaior objetivo. Acredite no seu sucesso e tenha bons momentos de estudo!Equipe Tupy Virtual. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  3. 3. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 3SUMÁRIOAULA 1 - SOFTWARES APLICATIVOS ................................................................................7AULA 2 - SOFTWARES ORIENTADOS PARA TAREFAS .......................................................24AULA 3 - ÉTICA E SOFTWARE LIVRE ...............................................................................41AULA 4 - SISTEMAS OPERACIONAIS ................................................................................50AULA 5 - CARACTERÍSTICAS DOS SISTEMAS OPERACIONAIS .............................................76AULA 6 - PROGRAMAS UTILITÁRIOS................................................................................86 SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  4. 4. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 4CARTA DO PROFESSOR “Eu anseio por realizar uma grande e nobre tarefa, mas meu principal dever é realizar pequenas tarefas como se fossem grandes e nobres.” Helen Keller Caro aluno, Você já percebeu quantos softwares diferentes existem disponíveispara o uso no seu computador? São editores de texto, planilhas eletrônicas, jogos,navegadores, softwares educativos, sistemas de gestão empresarial e umainfinidade de outras categorias. Quais desses softwares você precisará paradesenvolver suas tarefas? Como eu posso adquiri-los? Essas e outras perguntasserão respondidas nesta disciplina que você está começando a estudar agora. O aprendizado dos conceitos que serão explorados nesta disciplina éfundamental ao futuro programador e servirão de suporte às demais disciplinas docurso. Queremos convidá-lo a se envolver a partir de agora no estudo dos softwaresaplicativos e sistemas operacionais. Bom estudo! Professor Marco André Lopes Mendes SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  5. 5. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 5 CRONOGRAMA DE ESTUDO Acompanhe no cronograma abaixo os conteúdos das aulas, e atualize aspossíveis datas de realização de aprendizagem e avaliações. Semana Carga horária Aula Data/ Avaliação 1 10 Softwares aplicativos _/_ a _/_ 1 10 Softwares orientados para _/_ a _/_ tarefas 2 10 Ética e software livre _/_ a _/_ 2 10 Sistemas operacionais _/_ a _/_ 3 10 Características dos _/_ a _/_ sistemas operacionais 3 10 Programas utilitários _/_ a _/_ SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  6. 6. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 6 PLANO DE ESTUDOBases Tecnológicas Sistema operacional; Gerenciador de arquivos; Ferramentas de Criação eGerenciamento de Softwares; Camadas de Softwares; Princípios de SistemasOperacionais; Instalação e remoção - aplicações.Objetivo Geral • Compreender a função dos softwares aplicativos e dos sistemas operacionais.Específicos • Relacionar as diversas formas através das quais as pessoas e organizações adquirem software; • Relacionar várias categorias de softwares orientados para tarefa; • Discutir questões éticas relacionadas aos softwares; • Descrever as funções de um sistema operacional; • Descrever as diversas características dos sistemas operacionais; • Relacionar diversas funções normalmente executadas por programas utilitários.Carga Horária: 60 horas/aula. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  7. 7. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 7SOFTWARES APLICATIVOS OBJETIVOS DA AULA Compreender que existem softwares específicos para cada necessidade; Distinguir a função do hardware e do software no computador; Descrever um software aplicativo; Identificar as razões que levam as pessoas a adquirirem um computador; Relacionar as diversas formas através das quais as pessoas e organizações adquirem software; Escolher a melhor forma de adquirir softwares para cada situação. CONTEÚDO DA AULAAcompanhe o conteúdo desta aula. Se você preferir, assinaleos conteúdos na medida em que for estudando.Nesta aula, veremos: Um aplicativo para cada necessidade Softwares aplicativos: realizando o trabalho O que é software aplicativo? Para que eu usaria um computador? Adquirindo um software Qual a melhor forma de comprar software comercial? SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  8. 8. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 8 1.1 Um aplicativo para cada necessidade Olá! Seja bem-vindo à nossa primeira aula de Softwares Aplicativos eSistemas Operacionais. Agora que você já estudou o hardware, a parte física evisível do computador, chegou a hora de estudar o software, a parte invisível, porémfundamental para funcionamento deste fascinante equipamento. Nesta primeira aulavocê vai compreender que existem softwares específicos para cada necessidade, vaidistinguir a função do hardware e do software no computador e entender melhor otermo software aplicativo. Além disto, você vai Identificar as razões que levam aspessoas a adquirirem um computador e vai relacionar as diversas formas atravésdas quais as pessoas e organizações adquirem software. Por fim, você vai aprendera escolher a melhor forma de adquirir softwares para cada situação. Como vocêpode ver, temos muito que aprender. Boa aula! Vamos começar esta aula com a história de Carla. Ela está no primeiroano da faculdade de Administração, e resolveu arrumar um emprego nas férias,trabalhando como garçonete numa Pousada em Bombinhas, no litoral de SantaCatarina. Seu objetivo é juntar algum dinheiro para ajudar a adquirir os livros para opróximo semestre da faculdade. Além do seu salário, Carla recebia gorjetas dosturistas, muitos deles estrangeiros. Carla preferia ter conseguido um emprego numescritório, mas no momento, a sua maior preocupação era fazer uma boa poupançapara quando as aulas iniciassem. As coisas, no entanto, acabaram ficando mais interessantes do que Carlapoderia ter imaginado. Os proprietários da Pousada descobriram que Carla haviatido aulas de Informática e que tinha certa habilidade com computadores, além deter tido aulas básicas de contabilidade. Propuseram então que ela os auxiliassedurante algumas manhãs no escritório da Pousada. Carla aceitou imediatamente,percebendo ali uma oportunidade de adquirir um pouco mais de experiênciaprofissional, melhorando o seu currículo. Sua primeira missão foi refazer os cartazes informativos espalhados pelapousada. Ela estudou os softwares, lendo manuais e a ajuda on-line, e aprendeu aacrescentar gráficos, ilustrações e diversos tipos de fontes e cores atraentes, dando SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  9. 9. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 9um toque profissional e com muita classe aos cartazes. Agora era muito mais fácilalterar os cartazes, conforme a necessidade, e reimprimi-los na impressora a jato detinta da pousada. Logo os hóspedes perceberam a mudança e comentaram com osdonos, o que os estimulou a passarem outras atividades a Carla. Carla desenvolveu outras atividades ao longo da temporada em que esteve lá,como crachás de identificação para os funcionários, menus para o restaurante, euma lista de telefones úteis para o pessoal da recepção. Um de seus trabalhos maisgratificantes foi o desenvolvimento de uma planilha de custos a ser utilizada naconfecção do cardápio semanal da pousada. Utilizando um software de planilhaeletrônica, ela levantou o custo de cada item que poderia compor um almoço,separando-os entre carnes, pratos quentes, saladas e sobremesas. Verificoutambém quanto, em média, cada pessoa consumia num almoço. Desta forma ficoumuito mais simples montar o cardápio, de forma balanceada e sem estourar oorçamento. Sabendo quantos hóspedes havia num determinado período, era possível atéfazer a previsão de compra dos produtos, e calcular a margem de lucro. Gráficosfeitos com os dados fornecidos na planilha permitiram uma análise visual, ealterações nos preços dos insumos, podiam agora ser inseridas imediatamente nosoftware, que refazia automaticamente os cálculos e os gráficos. No estudo de caso acima, pudemos ver vários exemplos de uso de softwaresaplicativos auxiliando na realização de tarefas do cotidiano das pessoas. Vamosentender um pouco melhor o que são estes aplicativos e como podemos classificá-los.1.2 Softwares aplicativos: Realizando o trabalho Quando as pessoas pensam num computador, a primeira coisa que vem asua mente é a máquina, ou seja, o hardware. Monitores modernos mostrando corese muita ação, gabinetes com linhas elegantes, o som contínuo das teclas, as luzespiscando. No entanto, é o software – o conjunto de instruções logicamenteordenadas, necessárias para transformar dado em informação – que torna o plástico,metal e silício do computador em algo útil. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  10. 10. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 10 Podemos comparar o computador a um carro de corrida, que necessitade um piloto a altura para que se veja o seu potencial. Da mesma forma, de nadaadianta ter um fogão moderno e um jogo completo de panelas se não houver umacozinheira habilidosa para utilizá-los na preparação de uma gostosa refeição. Sãoduas analogias para tentar comparar a importância do software em relação aohardware quando se trata de computadores. Agora vamos adiante, por que este papo de comida acaba deixando a gentecom fome.1.3 O que é software aplicativo? Segundo Capron e Johnson (2004), os softwares aplicativos podem serpersonalizados ou oferecidos em pacotes. Algumas organizações preferemcontratar programadores de software – pessoas que projetam, desenvolvem,testam e implementam software. Estes programadores desenvolvem um softwarepersonalizado, feito sob medida às necessidades específicas de uma organização.Softwares deste tipo podem levar anos para serem desenvolvidos e implantados,devido à sua complexidade e às particularidades de cada organização. Podemos comparar o desenvolvimento de um software personalizado auma roupa desenhada, cortada e costurada por um alfaiate. Ela é feita com asmedidas exatas da pessoa, portanto se ajusta perfeitamente ao seu corpo. A maioria dos usuários comuns utiliza softwares genéricos conhecidos comosoftwares comerciais ou pacotes de software. Estes softwares, muitas vezescomercializados em caixas coloridas, contêm as mídias, como CD ou DVD e umconjunto de manuais de instrução impressos. Eles podem ser encontrados em lojasespecializadas, livrarias, hipermercados e lojas de departamento. Devido a este fatoeles são muitas vezes chamados informalmente de software de prateleira. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  11. 11. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 11 Os manuais são muitas vezes chamados de documentação, e podem virimpressos, ou em meio eletrônico. É cada vez mais comum também adocumentação estar disponível on-line, na Internet (Figura 1). Você pode ver um exemplo de documentação on-line acessando a Ajudado Microsoft Office, disponível em: http://office.microsoft.com/pt-br/help/default.aspx. Figura 1 - Site de ajuda on-line do Microsoft Office Podemos comparar um pacote de software a uma roupa que é vendidanuma grande loja de departamentos. Ela procura atender ao gosto da maioria daspessoas. Você procura uma dentro do seu estilo e tamanho e a prova. A vantagemé que se gostar, o usuário pode levar na hora e usá-la imediatamente. Da mesma forma que organizações menores e você em seu computador, asgrandes organizações também compram e usam uma série de softwarescomerciais. Muitos dos softwares que elas utilizam são os mesmos que você utilizaem seu computador. A diferença talvez seja que estas grandes organizaçõescompram seus softwares de um distribuidor ou mesmo diretamente do próprio SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  12. 12. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 12fabricante. É muito provável que elas também comprem softwares para auxiliar nagestão do seu negócio, como gestão da produção e de recursos humanos. Estessoftwares são comprados diretamente dos fabricantes ou de empresas deconsultoria por dezenas, ou até centenas de milhares de reais. Para cada software existe uma forma específica de uso, embora a maioriadeles acabe seguindo certos padrões que os torna muito semelhantes na forma deutilização. De qualquer forma, a primeira coisa que deve ser feita após a aquisiçãode um software é a sua instalação. Na maioria das vezes, basta colocar o CD ouDVD na unidade e aguardar alguns segundos, ou executar o programa baixado daInternet, através de um duplo clique no mesmo. Os programas de instalação permitem que sejam feitas várias configuraçõesdurante o processo de instalação dos softwares. Estas configurações sãoespecialmente úteis para usuários avançados. Para os iniciantes, no entanto,normalmente são fornecidas opções padrão de instalação, livrando-os de ter queconhecer uma série de detalhes técnicos. Este processo de instalação é muitasvezes chamado ironicamente de “Next-Next-Finish” ou “Próximo-Próximo-Concluído”, devido às telas que são mostradas durante o processo de instalação. Alguns softwares são completamente instalados no disco rígido docomputador durante o processo de instalação, enquanto outros exigem que a mídiaoriginal esteja na unidade sempre que o programa for executado. Depois deinstalados, os softwares criam ícones (imagens que representam os programas), naárea de trabalho ou opções em menus de programas. Para executar o programa,basta clicar no seu ícone ou opção de menu correspondente. Em alguns casos,também é possível executar os softwares digitando o nome do aplicativo numa linhade comando. Podemos afirmar que, atualmente, existem softwares para quase tudo o queum usuário doméstico ou profissional tenha necessidade. Desde a edição de textos,preparação de orçamentos, manipulação de fotos, imagens e vídeos até jogos ecomunicação remota, tudo pode ser feito com um computador e o software certo. Épor isso que podemos afirmar que os softwares tornam os computadores tão úteis. Para saber a quantidade de softwares que você pode baixar e instalarem seu computador, acesse o site Superdownloads (Figura 2), disponível em SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  13. 13. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 13http://superdownloads.uol.com.br/windows/index.html. Navegue por suascategorias e se surpreenda com a diversidade de áreas diferentes em que vocêpode encontrar softwares. Você vai ficar maravilhado! Figura 2 – Site superdownloads.com O objetivo da maioria dos desenvolvedores de software é que seus produtossejam amigáveis e simples de utilizar. O termo amigável ao usuário (user-friendly)acabou se popularizando e hoje é utilizado de forma geral. O que se espera de umsoftware deste tipo é que ele seja fácil e simples de operar, mesmo para um usuárioiniciante e que seja intuitivo, necessitando de um mínimo de treinamento,documentação e suporte. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  14. 14. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 141.4 Para que eu usaria um computador? É comum vermos alguém interessado em comprar um computador verificandodiferentes configurações e opcionais até decidir o que comprar. A surpresa, muitasvezes, surge quando esta pessoa descobre que não basta ligar o computador parapoder fazer tudo o que deseja. Os computadores são vendidos normalmente comum conjunto básico de softwares, composto de um sistema operacional e maisalguns aplicativos. Para utilizá-lo no máximo do seu potencial, é necessário que setenham os softwares certos para cada atividade. Cada pessoa ou perfil profissionalterá provavelmente um conjunto de softwares necessário para as suas atividades.As dúvidas surgem na hora de escolher, adquirir e instalar estes softwares. Vamosver alguns casos que exemplificam esta situação. Lucia Ramos é uma advogada que possui um pequeno escritório emsua casa e utiliza um computador para dirigir seu negócio. Junto com seucomputador ela recebeu um pacote de automação de escritório cujo principalsoftware que ela utiliza é um processador de textos. Ela adquiriu também umconjunto de CD-ROMs contendo a legislação brasileira e um outro CD-ROM comum aplicativo para auxiliá-la a controlar os exercícios físicos que ela fazsemanalmente. Para acessar à Internet, ela contratou os serviços de Internet BandaLarga de um Provedor de Serviços de Internet. Feito isto, baixou diretamente do siteda Receita Federal o programa para fazer a declaração do seu Imposto de Renda.Depois disto, comprou um software diretamente pela Internet para auxiliar osestudos de matemática do seu filho de 8 anos. Algum tempo depois, ela comprouum conjunto de softwares didáticos para sua filha de 6 anos e baixou da Internet umsoftware que permite ver imagens de satélite do mundo todo. Para auxiliá-la no seutrabalho, comprou um Dicionário Eletrônico e está agora estudando a aquisição deum sistema de gerenciamento de escritórios de advocacia. Veja agora outro exemplo: Outro exemplo é o de Josué Moreira, que trabalha como representantecomercial, visitando seus clientes e anotando os seus pedidos. Mesmo sem ter SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  15. 15. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 15grandes necessidades de computador no início do seu trabalho, ele comprou um,assim que recebeu as primeiras comissões de vendas. Ele começou comprandosoftwares para o seu lazer: um simulador de vôo e um jogo de corridas de carros.Depois assinou um serviço gratuito de Internet pela linha telefônica discada, quetem lhe atendido bem até o momento. Baixou e instalou um programa simples parafazer pequenos retoques e visualizar as fotos tiradas com sua câmera digital. Nomomento, está aprendendo com outros colegas a utilizar um software de planilhaeletrônica que faz parte do pacote de automação de escritórios que veio junto com ocomputador. Ele também está verificando a possibilidade de passar seus relatóriospor através de correio eletrônico, em vez de passar fax, como é feito hoje. Seupróximo objetivo é catalogar todos os seus clientes e agendar as visitas numsoftware de gerenciamento pessoal. Figura 3 - Site da Brasoftware SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  16. 16. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 16 O que você pode perceber através destes exemplos é que existem softwaresdiferentes para cada tipo de aplicação. Observando as prateleiras de uma revendade softwares ou visitando um site especializado como o da Brasoftware (Figura 3),você poderá perceber a quantidade de softwares diferentes disponíveis para avenda. Quer seja para aprender digitação, fazer partituras de música, guardarreceitas de comida, organizar fotos (Figura 4) ou qualquer outra tarefa, por maisestranho ou incomum que você possa considerar, existe um software que pode lheauxiliar. Figura 4 - Picasa, um aplicativo de gerenciamento de fotos1.5 Adquirindo um software Uma vez que você já sabe que os softwares são necessários para arealização das tarefas, é importante saber as diversas formas pelas quais ossoftwares são fornecidos. Em alguns casos, os softwares são conhecidos como freewares. Nestescasos, o autor do software optou por distribuí-lo de forma gratuita, porém mantendoos direitos autorais. Isto significa que o autor pode impor restrições ao uso do SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  17. 17. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 17software. Normalmente estes softwares são liberados sem o código-fonte, quepermitiria serem feitas alterações no software. O “software freeware pode serutilizado por período indeterminado (não deixa de funcionar nem perde parcialmentesua funcionalidade após transcorrido certo período).” (Wikipédia:2007) Um exemplobastante conhecido de software freeware é o Acrobat Reader da Adobe, utilizadopara a leitura de documentos no formato PDF (Figura 5). Figura 5 - Leitor de PDFs Adobe Acrobat Reader Existem também softwares que não são protegidos por direito autoral, umavez que o autor relega a propriedade do software e este se torna bem comum. Elessão conhecidos como softwares de domínio público. (WIKIPEDIA:2007) Capron eJohnson (2004) ainda explica que, nestes casos, o software pode ser usado,alterado e incorporado a outros softwares sem restrição alguma. Software aberto (open-source software) é uma variação do softwarefreeware. Normalmente um software freeware é distribuído em um formato legívelapenas pelo computador, chamado de código de máquina ou código executável.Para que ele pudesse ser modificado e novamente utilizado, seria necessário que o SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  18. 18. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 18código-fonte dele, isto é, as instruções escritas em uma linguagem de programaçãoe compreensíveis por um programador, estivessem também disponíveis. Não tendoacesso ao código-fonte, um desenvolvedor não consegue alterar um programa,mesmo que ele encontre um erro e saiba como consertá-lo. Um software aberto éaquele que os desenvolvedores optam por disponibilizar o código-fonte juntamentecom o código de máquina, permitindo que qualquer desenvolvedor possa ler,compreender, copiar, modificar e redistribuir este software. Quando diversosdesenvolvedores de software podem ter acesso ao mesmo código-fonte, erros(conhecidos como bugs) podem ser mais rapidamente encontrados e corrigidos e oprograma pode ser aperfeiçoado. Softwares abertos de nível profissional são cadavez mais comuns, como o Open Office, o Firefox e o Linux. O software aberto émuitas vezes chamado de software livre. Devido ao crescimento deste tipo desoftware e às freqüentes dúvidas que surgem na discussão deste termo, vamosexplorar melhor o tema em um capítulo específico mais à frente. Shareware é uma categoria de software muitas vezes confundida com osoftware freeware. Como o software freeware, ele também é distribuídogratuitamente, porém apenas por um período de tempo, suficiente para ser instaladoe testado. Após este período, entende-se que existe um compromisso moral dousuário em pagar uma taxa para continuar utilizando-o. Normalmente o custo de umsoftware shareware é inferior ao de outros softwares proprietários. Segundo aWIKIPEDIA, “passado o tempo de avaliação, o software pode parar de funcionar,perder algumas funções ou ficar emitindo mensagens incômodas de aviso de prazode avaliação expirado.” Conforme Capron e Johnson (2004), “muitos autoresoferecem incentivos, como documentação gratuita, suporte e atualizações para aspessoas que optem por registrá-lo.” Existem muitos exemplos famosos de softwareshareware, como WinZip, WinRar, e GetRight. Para conhecer a quantidade e variedade de softwares sharewaredisponíveis, bem como os preços e tipos de restrições impostas após o período deexpiração, acesse um site de downloads de software, como o Superdownloads.Pesquise por softwares do tipo shareware e ordene a pesquisa pela quantidade dedownloads. Você ficará surpreso com a quantidade de softwares e a variedade de SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  19. 19. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 19áreas que eles cobrem. Um exemplo de link para consulta é este:http://superdownloads.uol.com.br/search.cfm?licenca=2&ordem=3. Por fim, software comercial é aquele que o desenvolvedor ou organizaçãoespera lucrar com a sua utilização. O Portal Software Livre (2006) alerta quesoftware comercial e software proprietário não são o mesmo. Normalmente osoftware comercial é software proprietário, ou seja, o autor não libera os fontes enem permite qualquer tipo de cópia ou alteração do seu software. No entanto,existem softwares proprietários não-comerciais, bem como software abertoscomerciais. Exemplos de softwares comerciais, são o pacote de automação deescritório Microsoft Office, o editor de imagens vetoriais Corel Draw e a ferramentade engenharia AutoCAD. Os jogos que dominam os computadores das LAN Houses,como o Age of Empires, Counter Strike e o Need For Speed também são softwarescomerciais proprietários. O software comercial é protegido por direito autoral e custageralmente mais que o software shareware. Muitas vezes ele vem em belas ecoloridas caixas, contendo as mídias de instalação (CDs ou DVDS normalmente),manuais e uma cópia da licença de uso. Você não deve copiar um softwarecomercial sem a autorização do fabricante. As empresas de software chamam acópia ilegal de software comercial de pirataria. Este é um ato ilegal, sujeito a penasduras ao responsável pela infração e multas à organização que comete o crime. A ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) possui nasua página uma seção chamada “Denuncie a pirataria, acessível emhttp://www.abes.org.br/templ2.aspx?id=224&sub=224. Nela é possível fazerdenúncias anônimas por meio eletrônico ou telefone de pessoas ou empresas queestejam utilizando de forma ilegal software comercial.1.6 Qual a melhor forma de comprar software comercial? Pequenas lojas especializadas em software praticamente não existem mais,devido às pequenas margens de lucro oferecidas. Desta forma, o mais comum éencontrá-los em lojas que misturam a venda de softwares, computadores eacessórios ou em grandes lojas de departamento e em livrarias. A venda pela SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  20. 20. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 20Internet, feita por grandes portais de comércio eletrônico, com milhares de títulos,também é uma forma bastante comum. Um exemplo de portal especializado em software é o da Brasoftware, emhttp://www.brasoftware.com.br/. Sites de comércio eletrônico também possuemseções de software, como o caso do Amercianas.com emhttp://www.americanas.com.br/cat/19026/Catalogo?i=1 (Figura 6). Figura 6 - Seção de softwares de Americanas.com Para que os estudantes se familiarizem com seus softwares, muitosfabricantes oferecem seus produtos a preços mais populares a instituições de ensinoe seus alunos e professores. Desta forma alunos e professores podem utilizar estessoftwares no campus e até mesmo em seus computadores pessoais em algunscasos. Agindo assim, estas empresas criam uma massa de pessoas que conheceme eventualmente indicam os seus softwares a outras organizações, aumentando suacolocação no mercado. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  21. 21. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 21 Exemplos deste tipo de promoção feita pelos fabricantes são o MSDNAcademic Alliance (MSDN AA) da Microsoft, disponívelhttp://msdn.microsoft.com/academic/ e a IBM Academic Initiative, da IBM, disponívelem http://www.ibm.com/br/university/. Uma organização também precisa adquirir softwares para todos os seuscomputadores. Seja um pequeno escritório, um órgão público, uma multinacional ouuma organização sem fins lucrativos, todos precisam de softwares e podem ter anecessidade de utilizar softwares comerciais. A aquisição de softwares destasorganizações varia um pouco em relação à utilizada pelo usuário doméstico, e émuitas vezes feita diretamente com o fabricante ou através de distribuidoresautorizados. É comum os fabricantes oferecem preços diferenciados para aaquisição de grandes quantidades de licenças, ou mesmo a possibilidade depagamento de uma única taxa para uso irrestrito de um software em todos oscomputadores da organização. Alguns permitem até mesmo que os funcionários daorganização utilizem este mesmo software em seu computador doméstico ou móvel. Com a disseminação das redes de computadores locais (LANs) é cada vezmais comum a aquisição de versões para rede dos softwares, que permitem o seuuso simultâneo por diversos usuários na rede, até o limite estabelecido na aquisiçãodo software. Para permitir que mais usuários utilizem o software ao mesmo tempo,basta instalar, adquirir mais licenças e instalá-las no servidor de licenças. Vendo a quantidade de downloads feitos em portais especializados emdistribuição de softwares, muitos fabricantes têm optado pela distribuição eletrônicade software. O interessado pode baixar o software gratuitamente do site dofabricante e utilizá-lo por um período experimental. Passado este período, o usuárioé convidado a registrá-lo, normalmente através do pagamento por cartão de crédito,transferência direta ou boleto bancário. Os softwares não registrados no períodoestipulado podem deixar de funcionar, ter seus recursos reduzidos ou mostrarmensagens pedindo o seu registro. Os provedores de aplicativos (Application Service Provider – ASP) sãooutra forma de distribuição de software através da Internet. O provedor de aplicativosé uma empresa que configura e mantém os softwares aplicativos em seus própriossistemas de computação, ou ainda terceiriza em grandes centros de dados SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  22. 22. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 22(datacenters) e os torna disponíveis através da Internet ou de uma rede privada. Aoutilizar um ASP para aplicações complexas, uma empresa pode evitar os custos deinstalação e manutenção desses aplicativos em seu próprio sistema de computação.Ela também não precisa adquirir os servidores, nem se preocupar com questõescomo cópia de segurança ou disponibilidade do sistema. Simplificando, podemosdizer que a empresa para um aluguel pelo uso do sistema, e que o serviço égarantido pelo provedor de aplicação. Grandes produtores de software de gestão empresarial, como a Datasultêm oferecido o serviço de provedor de aplicação. Acessehttp://www3.datasul.com.br/html/servicos.asp e saiba mais a respeito. Uma tendência que tem se firmado cada vez mais é o uso de aplicaçõesweb, softwares que são executados diretamente da Internet, sem a necessidade dasua instalação no computador do usuário. Tudo o que o usuário precisa é de umnavegador e de uma conexão com a Internet. Você provavelmente já ouviu falar de algumas destas aplicações: Gmail,Google Calendar, Google Chat, del.icio.us, Google Docs and Spreadsheets e tantosoutros. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  23. 23. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 23 EXERCÍCIOS PROPOSTOS1) Cite pelo menos três tipos de softwares que você tem interesse em utilizar._________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________2) Com relação à forma de licenciamento, quais as categorias de softwares queestudamos?_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ SÍNTESE Nesta aula vimos que existem softwares específicos para cada necessidadee que o hardware adianta muito pouco pra nós se não tivermos o software certo.Compreendemos a função do hardware e do software no computador e entendemosmelhor o termo software aplicativo. Depois verificamos que existem diversas razõesque levam as pessoas a adquirirem um computador e relacionamos diversas formasatravés das quais as pessoas e organizações adquirem software, seja pagando ousimplesmente baixando de sites especializados. Pra finalizar a aula aprendemosque podemos escolher entre diversas formas de se adquirir softwares em cadasituação. Na próxima aula vamos conhecer melhor os softwares orientados atarefas. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  24. 24. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 24SOFTWARES ORIENTADOS PARATAREFAS OBJETIVOS DA AULA Relacionar várias categorias de softwares orientados para tarefa; Descrever brevemente várias categorias de softwares orientados para tarefa; Identificar os diversos tipos de softwares que estão disponíveis tanto para pequenos quanto para grandes negócios. CONTEÚDO DA AULAAcompanhe o conteúdo desta aula. Se você preferir,assinale os conteúdos na medida em que for estudando.Nesta aula, veremos: De que softwares eu preciso? Processador de texto Planilha eletrônica Gerenciador de banco de dados Software de apresentação Suítes de programas de escritório Gerenciadores de informações pessoais Softwares de comunicação Softwares de negócios SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  25. 25. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 25 Olá! Seja bem-vindo à nossa segunda aula de Softwares Aplicativos eSistemas Operacionais. Nesta aula você vai aprender a relacionar várias categoriasde softwares orientados para tarefa, bem como descrever brevemente váriascategorias de softwares orientados para tarefa. Vai ainda conhecer os diversos tiposde softwares que estão disponíveis tanto para pequenos quanto para grandesnegócios. Boa aula!2.1 De que softwares eu preciso? Como você aprendeu na aula anterior, cada perfil profissional ou pessoalnecessita de um conjunto diferente de softwares para realizar suas atividades.Existem, no entanto um conjunto de softwares que são utilizados pela grandemaioria dos usuários de computador para realizar tarefas específicas. Eles sãoconhecidos como softwares orientados a tarefas, ou ainda de softwares deprodutividade. Podemos incluir nesta categoria os processadores de texto eeditoração eletrônica, as planilhas eletrônicas, os gerenciadores de bancos dedados, softwares de apresentação e gráficos e softwares de comunicação. Algunspacotes de automação de escritório oferecem um bom número destes softwaresna forma de um pacote integrado. Alguns sistemas operacionais também têmoferecido alguns destes softwares de forma integrada. A seguir você vai entender oque são estas categorias e que softwares podemos incluir em cada uma.2.2 Processador de texto O processador de textos é um dos softwares mais populares e úteis paraum usuário de computador pessoal. Nas organizações, ele é utilizado para redigircomunicações internas, relatórios, procedimentos, atas de reunião e qualquer outrodocumento que necessite ser digitado. Pode-se também criar formulários, quepodem ser preenchidos no computador ou impressos para serem preenchidos àmão. Você pode utilizá-lo em casa para escrever uma resenha, uma carta, umtrabalho escolar, um livro de receitas e muito mais. Você pode ainda criar cartazes,boletins, e manuais, misturando texto, gráficos, ilustrações e fotos. Um processadorde texto permite criar, editar, formatar, armazenar e imprimir documentos. O SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  26. 26. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 26documento feito fica armazenado em disco no computador, podendo sernovamente editado, alterado e reimpresso quantas vezes forem necessárias. Aspartes já digitadas não precisam ser escritas novamente, você pode fazer alteraçõese imprimir como se fosse um documento novo. Figura 7 - Processador de textos Microsoft Word O Openoffice Writer e o Microsoft Word (Figura 7) são dois exemplos deprocessadores de textos bastante utilizados atualmente. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  27. 27. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 27 Você pode também utilizar o Google Docs & Spreadsheets,se precisade um editor com poucos recursos. Ele fica disponível na web, podendo seracessado de qualquer computador que possua um navegador e acesso à Internet.O endereço é http://docs.google.com/.2.3 Planilha eletrônica As planilhas são tabelas compostas de linhas e colunas e utilizadasprincipalmente como uma ferramenta de negócios há muito tempo. Numa planilhamanual, a cada alteração dos dados, diversos cálculos precisam ser refeitos. Asplanilhas eletrônicas surgiram como uma solução, recalculando os resultadosautomaticamente a cada alteração dos valores. Basta para isto que as fórmulassejam informadas. Além de recalcular os valores, as planilhas eletrônicas podemainda gerar gráficos, facilitando a interpretação dos resultados. É possível criar uma planilha para calcular quanto será gasto decombustível para se realizar uma viagem, informando a quantidade de quilômetros aserem percorridos, o valor do litro do combustível e quantos quilômetros com umlitro o carro faz. De posse destes valores, pode-se fazer simulações, verificandoquanto seria gasto caso o combustível fosse mais barato, o carro fosse maiseconômico, a viagem fosse mais longa e assim por diante. Todas as alterações nosvalores geram alterações imediatas nos resultados, sem necessidade de gastardinheiro ou sair de casa antes de tomar a melhor decisão. Você deve estar se perguntando: e um usuário doméstico, como pode obterbenefícios com uma planilha eletrônica? O controle do orçamento doméstico, praverificar onde está se gastando em excesso, uma simulação de gastos pra saber seserá possível pagar aquele financiamento de uma moto, ou quanto vai sobrar nofinal do ano para as férias, são alguns dos exemplos tarefas que podem serrealizadas com uma planilha eletrônica por qualquer pessoa. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  28. 28. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 28 Figura 8 - Planilha Eletrônica Microsoft Excel O Openoffice Calc e o Microsoft Excel (Figura 8) são dois exemplos deplanilhas eletrônicas bastante utilizados atualmente. Os principais recursosutilizados por um usuário comum estão presentes nas duas ferramentas. Você pode também utilizar o Google Docs & Spreadsheets, se precisarde uma planilha eletrônica e não tiver uma instalada no seu computador. Ele fica SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  29. 29. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 29disponível na web, podendo ser acessado de qualquer computador que possua umnavegador e acesso à Internet. O endereço é http://docs.google.com/.2.4 Gerenciador de banco de dados Um banco de dados é um conjunto de dados relacionados e armazenado deforma estruturada. Um gerenciador de banco de dados é um software que permitearmazenar dados, atualizá-los, manipulá-los, recuperá-los, gerar relatórios e imprimi-los numa grande variedade de formatos. Uma coleção de CDs, um conjunto dereceitas de comidas, um cadastro de clientes ou um conjunto de informações decriminosos são exemplos de bancos de dados que podem ser criados e mantidospor este tipo de software. Perguntas como quais são os clientes com maior númerode pedidos em aberto e que estejam localizados fora da cidade, podem serrapidamente respondidas e relatórios podem ser gerados. O sistema de Imposto de Renda para pessoas físicas da ReceitaFederal é um exemplo de software que possui um gerenciador de banco de dados.Ele é responsável por armazenar todos os dados financeiros de uma pessoa edepois alimenta um sistema maior, contendo as declarações de toda a populaçãobrasileira. De posse destes dados, os técnicos da receita podem analisar asdeclarações individuais e cruzar informações dentre pessoas e organizações àprocura de inconsistências. É a conhecida “malha fina”.2.5 Software de apresentação Os softwares de apresentação permitem que o projeto de apresentaçõesseja em texto ou gráficos. Com eles é possível criar slides, transparências ou ricasapresentações multimídia. Este tipo de software possui um vasto conjunto deferramentas, como a inserção de som, imagens, efeitos automáticos e formatação devários elementos. Um vendedor pode utilizá-lo para criar a apresentação de um novoproduto, contendo gráficos comparativos, planilhas de custos e listas dos benefícios SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  30. 30. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 30que este novo produto traz em relação à concorrência. Um usuário doméstico podejuntar fotos, som e textos para apresentar um poema ou texto comemorativo em umevento da família. Figura 9 - Software de Apresentação Microsoft Powerpoint O Openoffice Impress e o Microsoft Powerpoint (Figura 9) são doisexemplos de softwares de apresentação bastante utilizados no mercado. OPowerpoint se destaca pela grande quantidade de modelos de apresentações jáprontas, que facilitam a criação aos usuários menos experientes. Já o Impresspossui um recurso de exportação das apresentações no formato Macromedia Flash(SWF), permitindo que seja visualizada em qualquer computador com o FlashPlayer instalado. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  31. 31. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 312.6 Suítes de programas de escritório Como este conjunto de software que foi apresentado neste capítulo énecessário à grande maioria dos usuários de computadores, muitos optam por umasuíte – um conjunto de softwares que funciona de forma integrada. Estes softwarestrabalham em conjunto, permitindo que dados possam ser facilmente transferidos deum para outro software do pacote. Muitas vezes você nem percebe quando passa de um software para outro,editando uma planilha eletrônica de dentro de um software de apresentações, porexemplo. Normalmente os softwares de uma suíte possuem aparência e forma defuncionamento semelhantes, facilitando o aprendizado de outros softwares dopacote uma vez que você já conheça um deles. O Openoffice.org e o Microsoft Office e o são dois exemplos de suítesde escritório. O Microsoft Office é utilizado na grande maioria dos computadorespessoais. O Openoffice.org tem se apresentado como um competidor que podeincomodar esta supremacia, uma vez que possui os principais recursos e umainterface semelhante ao software da Microsoft, além de ser gratuito. Já o MS Officepossui um custo alto de licenciamento.2.7 Gerenciadores de informações pessoais Os gerenciadores de informações pessoais (Personal InformationManagers – PIMs) são softwares feitos para auxiliar no controle das atividades depessoas atarefadas. Eles normalmente incluem uma agenda de compromissos, umgerenciador de pessoas de contato, um gerenciador de listas de tarefas e um blocode notas para anotações diversas. Podem ainda incluir uma calculadora, umgerenciador de fotos e outros softwares relacionados. Normalmente eles permitemvárias formas de visualização dos compromissos agendados e tarefas a seremconcluídas, com visões diárias, semanais, mensais e anuais, e a possibilidade defiltrar as informações por categorias, ou ordená-las por data de conclusão. Muitosdestes softwares também permitem configurar um alarme, para avisar o usuário do SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  32. 32. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 32compromisso. A maioria dos computadores de mão, como pdas, handhelds esmart-phones possuem as funções dos PIMs e ainda permitem a sincronizaçãocom o software do computador pessoal para que ambos contenham as mesmasinformações. Figura 10 - Gerenciador de informações pessoais Palm Desktop O Palm Desktop (Figura 10) é um gerenciador de informações pessoaisque permite a sincronização das informações nele armazenadas com palmtops.Mesmo que você não tenha um palmtop, vale a pena utilizar um software deste paraorganizar as sua atividades. O Palm Desktop para Windows pode ser baixado gratuitamente dehttp://www.palm.com/us/support/downloads/windesk414_legal.html. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  33. 33. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 332.8 Softwares de comunicação Uma das maiores motivações para a aquisição de um computador nos dias dehoje é a possibilidade de acessar a Internet, buscar os mais diversos sites, serviçosdisponíveis na web, trocar mensagens através de correio eletrônico, bater papoatravés de softwares de mensagem instantânea e baixar softwares e jogos. Para queum usuário doméstico tenha acesso à Internet, ele necessita de uma conexãoatravés da linha discada ou de um serviço de Internet conhecido com banda larga,normalmente através da linha telefônica ou por rádio. Além da ligação física, énecessário que o usuário assine um serviço de autenticação e que possua umconjunto de softwares que possibilite desfrutar de todos os recursos da Internet. O software mais importante para o acesso à Internet é o navegador web(browser) (Figura 11), utilizado para acessar os sites web e outros serviços. Onavegador pode ser um software independente ou vir junto com outros softwares. O navegador mais utilizado atualmente é o Microsoft Internet Explorer,que vem junto com todas as versões do Windows, desde o Windows 95. Um outronavegador que vem crescendo em uso nos últimos anos é o Firefox, software livremantido pela Fundação Mozilla. O Firefox é pequeno para ser baixado, utilizapoucos recursos do computador e permite a instalação de extensões, aumentandoos recursos disponíveis. As últimas versões do Microsoft Internet Explorer podem ser baixadasdiretamente do site da Microsoft emhttp://www.microsoft.com/brasil/windows/ie/default.mspx. A última versão do Firefoxestá disponível em http://br.mozdev.org/firefox/download.html. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  34. 34. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 34 Figura 11 - Navegador web Firefox Além de navegar pela Internet, é bem provável que você queira criar umaconta de correio eletrônico (se já não possuir uma) para trocar mensagens com aspessoas com quem você tem contato. Você ainda pode querer conversar em temporeal com colegas que estejam conectados à Internet, utilizando sistemas demensagens instantâneas. Embora você possa instalar programas específicos pararealizar estas atividades, é também possível realizá-las através do navegador,utilizando aplicações na web. O estudo de todas as aplicações disponíveis na web e dos softwaresnecessários ao seu uso foge dos objetivos deste curso. Como exemplos deaplicações deste tipo, podemos citar o Gmail (http://mail.google.com/) que é umserviço de correio eletrônico gratuito e possui embutido um cliente de mensagensinstantâneas, chamado Google Talk, e ainda um site de relacionamentos, chamadoOrkut (http://orkut.com/). SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  35. 35. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 352.9 Softwares de negócios Algumas organizações necessitam contratar programadores particulares parao desenvolvimento de softwares personalizados. Veja o caso de uma montadorade veículos como a GM, que precisa de um software para controlar os diversosprocessadores instalados em um automóvel. Ela não encontrará um software destetipo pronto para usar. Por outro lado, nem todos os seus softwares precisam serdesenvolvidos internamente. Muitas empresas utilizam softwares de gestão deterceiros, enquanto desenvolvem internamente aplicações específicas ao negócio.Outras organizações se especializam no desenvolvimento de softwares específicos,para atender a clientes semelhantes, como ferramentarias ou clínicas médicas. Entre as categorias de softwares de negócios mais conhecidos podemos citaros softwares de ERP, CRM, e CMS.2.10 ERP - Planejamento de Recursos Empresariais Um tipo de software de negócios bastante utilizado, sobretudo em médias egrandes organizações é o ERP (Enterprise Resource Planning, Planejamento deRecursos Empresariais). Segundo a wikipédia, o ERP é um sistema de informaçõescuja função é armazenar, processar e organizar as informações geradas nosprocessos organizacionais agregando e estabelecendo relações de informação entretodas as áreas de uma companhia. Os ERPs (Figura 12), em termos gerais, sãouma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentosde uma empresa, possibilitando a automação e o armazenamento de todas asinformações de negócios. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  36. 36. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 36 Figura 12 - Exemplos de telas de um ERP Alguns ERPs conhecidos são: Corpore RM da RM Sistemas, o R/3 daSAP, o Protheus da Microsiga, o EMS da Datasul e o Logix da Logocenter, entreoutros.2.11 CRM - Gerenciamento de Relacionamento com o Cliente Segundo a Wikipédia (2007), CRM (Customer Relationship Management),pode ser traduzido para o português como Gerenciamento de Relacionamento como Cliente. O termo CRM foi criado para definir toda uma classe de ferramentas queautomatizam as funções de contato com o cliente. Essas ferramentas (Figura 13)compreendem sistemas informatizados e fundamentalmente uma mudança deatitude corporativa, que objetiva ajudar as companhias a criarem e manterem umbom relacionamento com seus clientes, armazenando e inter-relacionandoinformações de forma inteligente sobre suas atividades e interações com a empresa. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  37. 37. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 37 Figura 13 – Software de CRM O CRM abrange, de forma geral, três grandes áreas: Automatização da gestão de marketing; Automatização da gestão comercial, dos canais e da força de vendas; Gestão dos serviços ao cliente. Os processos e sistemas de gestão de relacionamento com o clientepermitem que se tenha controle e conhecimento das informações sobre os clientesde maneira integrada, principalmente através do acompanhamento e registro detodas as interações com o cliente. Estas interações podem ser consultadas ecomunicadas a diversas partes da empresa que necessitem dessa informação paraguiar as tomadas de decisões. Uma das atividades do Gerenciamento de Relacionamento com o Clienteimplica em registrar os contatos realizados pelos clientes, de forma centralizada. Osregistros não dependem do canal de comunicação que o cliente utilizou (voz, fax,email, chat, SMS, etc.), e servem para que se tenham informações úteis ecatalogáveis sobre os clientes. Qualquer informação relevante para as tomadas de SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  38. 38. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 38decisões podem ser registradas, analisadas periodicamente, de forma a produzirrelatórios gerenciais dos mais diversos interesses.2.12 CMS - Sistema de Gerenciamento de Conteúdo O CMS (Content Management Systems - Sistema de Gerenciamento deConteúdo) é um gerenciador para websites, portais e intranets. Seu grandediferencial é permitir que o conteúdo de seu website possa ser modificado de formarápida e segura de qualquer computador conectado à Internet. A Wikipédia (2007)afirma que um sistema de gerenciamento de conteúdo web (Figura 14) reduz custose ajuda a suplantar barreiras potenciais à comunicação web reduzindo o custo dacriação, contribuição e manutenção de conteúdo. Tem-se observado que ferramentas como Gerenciadores de Conteúdo podemse tornar excelentes ambientes para o processo de ensino e aprendizado e para aorganização da informação produzida em ambientes com fins educacionais. Sejameles em ambientes acadêmicos, sejam em ambientes empresariais. A própria Wikipédia pode ser considerada um "gerenciador de conteúdo",assim fomentando a busca, localização e criação de conhecimento em um ambientedistribuído e colaborativo. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  39. 39. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 39 Figura 14 – Plone, um exemplo de CMS SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  40. 40. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 40 EXERCÍCIOS PROPOSTOS1) Analise as categorias de softwares orientados a tarefas estudados nessa aula ecite as três categorias que você considera mais importantes para o seu dia-a-dia._________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________2) Que outros exemplos de softwares de comunicação você poderia citar além doslistados nessa aula?_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ SÍNTESE Nesta aula vimos que existem várias categorias de softwares orientadospara as mais diversas tarefas e pudemos estudar as principais categorias,conhecendo alguns exemplos desses softwares. Pudemos também identificar osdiversos tipos de softwares que estão disponíveis tanto para pequenos quanto paragrandes negócios e a forma que cada um deles é desenvolvido e comercializado. Napróxima aula, a última sobre softwares aplicativos, vamos estudar a ética que deveenvolver o uso de softwares e compreender o que é software livre ou software decódigo aberto. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  41. 41. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 41ÉTICA E SOFTWARE LIVRE OBJETIVOS DA AULA Discutir questões éticas relacionadas aos softwares; Compreender o que é software livre; Distinguir entre software livre e código aberto; Relacionar exemplos de softwares livres. CONTEÚDO DA AULA Acompanhe o conteúdo desta aula. Se você preferir,assinale os conteúdos na medida em que for estudando.Nesta aula, veremos: Ética e softwares O que é software livre Software livre X código aberto Exemplos de softwares livres SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  42. 42. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 42 Olá! Seja bem-vindo a nossa terceira aula de Softwares Aplicativos eSistemas Operacionais. Esta é a última aula de softwares aplicativos, antes deestudarmos os sistemas operacionais. Nesta aula vamos discutir as questões éticasrelacionadas aos softwares, e compreender o que é software livre. Vamos tambémdistinguir entre software livre e código aberto e relacionar softwares livres quemerecem destaque. Permaneça firme e tenha uma boa aula!3.1 Ética e softwares Um dos problemas éticos mais visíveis quando se pensa em software,atualmente, é a questão da aquisição e uso de cópias ilegais, conhecida comopirataria de software (Figura 15). Você provavelmente já deve ter feito uma cópiade um CD de músicas ou de um livro. Estas duas ações são ilegais, porém nãocausam tanto impacto quanto a cópia ilegal de software. Um dos motivos é que émuito trabalhoso fazer uma grande quantidade de cópias de livros de formaamadora. Além disto, estas cópias ficarão claramente com uma qualidade inferioraos originais. Quando tratamos com material digital, como um software, o custo dacópia torna-se muito pequeno, e cada cópia é tão perfeita quanto o original. Junte aisto o fato de que muitos softwares custam muitas vezes o valor de uma mídia de CDou DVD, e você começa a entender por que se criou um mercado tão grande emtorno da pirataria de software. Os fabricantes de software não perdem muito tempo tentando processarusuários domésticos, pois um processo judicial custaria muito dinheiro e gastariamuito tempo, além do mais este tipo de usuário dificilmente compraria estessoftwares de qualquer maneira. O que tem preocupado os fabricantes é o uso cadavez mais comum de softwares piratas por empresas de pequeno é médio porte.Muitas destas organizações acabam fazendo isto por desconhecimento das leis, oudevido ao custo alto dos softwares, que impossibilita a aquisição de forma legal. Temos visto no Brasil uma série de campanhas patrocinadas pela ABES e porgrandes fabricantes de software, como a Microsoft, tentando explicar as questõesrelacionadas à pirataria de software, com o objetivo de diminuir esta prática emnosso país. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  43. 43. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 43 Figura 15 - Pirataria de software Vejamos um exemplo comum do que acontece. Gilberto fez um cursotécnico em mecânica na Escola Técnica Tupy, em Joinville, Santa Catarina. Nessainstituição ele aprendeu a utilizar um importante software na área de projetosmecânicos. Na conclusão do curso, tornou-se estagiário em uma pequenaferramentaria, justamente na área de projetos. Quando percebeu que grande partedos projetos era desenvolvida à mão ou em softwares inferiores, não teve dúvida,fez uma cópia dos CDs do software que havia aprendido durante o curso e passou ausá-lo na nova empresa. Quando o professor França, orientador de estágios, foivisitá-lo na empresa, ele mostrou, orgulhoso, as inovações no setor de projeto quehaviam sido feitas por conta do uso do novo software. Sabendo do alto custo dosoftware, o professor lhe perguntou se eles haviam adquirido uma cópia de formalegal. “Claro que não, o custo é muito alto e não teríamos como pagar!”, elerespondeu. O professor então explicou para ele as questões relacionadas à piratariade software e as penas que a empresa poderia sofrer se fossem pega em umafiscalização. Gilberto ficou surpreso, pois nunca tinha sido alertado sobre estasquestões, e se comprometeu a encontrar uma solução rapidamente. O professorFrança relatou o fato à coordenação, que decidiu incluir o tema nas aulas de todas SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  44. 44. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 44as turmas de curso técnico da instituição, para evitar problemas semelhantes nofuturo. A questão da pirataria de software vai muito além da questão ética: é umaquestão legal. A lei Nº 9.609, de 19 de Fevereiro de 1998 dispõe sobre a proteçãoda propriedade intelectual de programa de computador e sua comercialização noPaís. Isto significa que não é apenas uma escolha pessoal escolher entre umsoftware ou outro, mas sim uma opção com conseqüências legais, podendo levaruma organização a ser processada e multada e pessoas a serem presas. A lei Nº 9.609 pode ser lida integralmente a partir do site do GovernoFederal, em http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/LEIS/L9609.htm.3.2 O que é software livre Devido ao alto custo dos softwares proprietários e a impossibilidade demodificar, corrigir ou adaptar estes softwares, muitas organizações têm optado pelouso do software livre, também conhecido como software aberto. Você já deve terouvido estes termos é talvez até mesmo utilize softwares deste tipo sem nemmesmo saber. Vamos nos aprofundar um pouco neste assunto agora. Software Livre, ou Free Software, conforme a definição criada pela FreeSoftware Foundation, é o software que pode ser usado, copiado, estudado,modificado e redistribuído sem restrição. A forma usual de um software serdistribuído livremente é sendo acompanhado por uma licença de software livre(como a GPL ou a BSD), e com a disponibilização do seu código-fonte. Como já vimos anteriormente, software livre é diferente de software emdomínio público. O primeiro, quando utilizado em combinação com licenças típicas(como as licenças GPL e BSD), garante os direitos autorais do programador ou daorganização. O segundo caso acontece quando o autor do software renuncia àpropriedade do programa (e todos os direitos associados) e este se torna bemcomum. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  45. 45. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 45 Figura 16 - Stallman fundador da Free Software Foundation O Software Livre, como movimento organizado teve início em 1983, quandoRichard Stallman (Figura 16) deu início ao Projeto GNU e, posteriormente, à FreeSoftware Foundation. Software Livre se refere à existência simultânea de quatro tipos deliberdades para os usuários do software, definidas pela Free Software Foundation.Veja abaixo uma explicação sobre as 4 liberdades, baseada no texto em portuguêsda Definição de Software Livre publicada pela FSF: As 4 liberdades básicas associadas ao software livre são: 0. A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito (liberdade nº 0) 1. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade nº 1). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade. 2. A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade nº 2). 3. A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade nº 3). Acesso ao código- fonte é um pré-requisito para esta liberdade. Um programa é software livre se os usuários têm todas essas liberdades.Portanto, você deve ser livre para redistribuir cópias, seja com ou sem modificações, SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  46. 46. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 46seja de graça ou cobrando uma taxa pela distribuição, para qualquer um emqualquer lugar. Ser livre para fazer essas coisas significa (entre outras coisas) quevocê não tem que pedir ou pagar pela permissão, uma vez que esteja de posse doprograma. Você deve também ter a liberdade de fazer modificações e usá-lasprivativamente no seu trabalho ou lazer, sem nem mesmo mencionar que elasexistem. Se você publicar as modificações, você não deve ser obrigado a avisar aninguém em particular, ou de nenhum modo em especial. A liberdade de utilizar um programa significa a liberdade para qualquer tipo depessoa física ou jurídica utilizar o software em qualquer tipo de sistemacomputacional, para qualquer tipo de trabalho ou atividade, sem que seja necessáriocomunicar ao desenvolvedor ou a qualquer outra entidade em especial. A liberdade de redistribuir cópias deve incluir formas binárias ou executáveisdo programa, assim como o código-fonte, tanto para as versões originais quantopara as modificadas. De modo que a liberdade de fazer modificações, e de publicarversões aperfeiçoadas, tenha algum significado, deve-se ter acesso ao código-fontedo programa. Portanto, acesso ao código-fonte é uma condição necessária aosoftware livre. Para que essas liberdades sejam reais, elas têm que ser irrevogáveis desdeque você não faça nada errado; caso o desenvolvedor do software tenha o poder derevogar a licença, mesmo que você não tenha dado motivo, o software não é livre.3.3 Software livre X Código aberto Em 1998, um grupo de personalidades da comunidade e do mercado quegravita em torno do software livre, insatisfeitos com a postura filosófica domovimento existente e acreditando que a condenação do uso de softwareproprietário é um instrumento que retarda, ao invés de acelerar, a adoção e o apoioao software livre no ambiente corporativo, criou a Open Source Initiative, que adota otermo Open Source (Código Aberto) para se referir aos softwares livres, e tem umapostura voltada ao pragmatismo visando à adoção do software de código abertocomo uma solução viável, com menos viés ideológico que a Free SoftwareFoundation. De modo geral, as licenças que atendem à já mencionada Definição deSoftware Livre (da Free Software Foundation) também atendem à Definição de SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  47. 47. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 47Código Aberto (da Open Source Initiative), e assim pode-se dizer (na ampla maioriados casos, ao menos) que, se um determinado software é livre, ele também é decódigo aberto, e vice-versa. A diferença prática entre as duas entidades está emseus objetivos, filosofia e modo de agir, e não nos softwares ou licenças.3.4 Exemplos de softwares livres Alguns softwares livres notáveis são o Linux (Figura 17), o ambiente gráficoKDE, o compilador GCC, o servidor web Apache, o OpenOffice.org e o navegadorweb Firefox, entre muitos outros. Figura 17 - Linux e outros softwares livres3.5 Softwares livres notáveis A Wikipédia (2007) traz uma lista bastante completa de softwares livresnotáveis. Abaixo segue um resumo: Automação de escritório: OpenOffice.org. Navegadores Web: Firefox e Konqueror. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  48. 48. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 48 Mensagens instantâneas: gaim, amsn, kopete. Cliente de correio eletrônico: thunderbird, evolution, kmail. Editor de imagens: Gimp. Linguagens de programação e compiladores: C, C++, Java, Perl, PHP, Python, Ruby e Tcl. Ambientes de desenvolvimento: eclipse, cygwin, devcpp, codeblocks. Bancos de dados relacionais: MySQL e PostgreSQL. Programas de interface gráfica: GNOME, KDE e X Window System. Sistemas operacionais: BSD, Darwin (Mac OS) e GNU/Linux. CAD: QCad, Varicad Editores de texto avançados: vi, emacs. Desenho vetorial: Inkscape, Sodipodi Editoração eletrônica: Scribus EaD, Educação à distância: Moodle Servidores de rede: bind(DNS), sendmail, qmail, postfix, apache, samba Modelagem Tridimensional Blender3d Renderização (imagem estática): Yafray, POV-Ray Sistema matemático : Scilab. Sistemas de editoração: TeX e LaTeX. Sistema wiki: sistema wiki da Wikipédia: MediaWiki. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  49. 49. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 49 EXERCÍCIOS PROPOSTOS1) Como a cópia ilegal de softwares pode afetar os usuários e as organizações?_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________2) Liste os softwares abertos que você já teve a oportunidade de utilizar._________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ SÍNTESE Nesta aula discutimos as questões éticas relacionadas aos softwares e comoa cópia ilegal traz problemas a usuários, organizações e fabricantes de software.Compreender o que é software livre e a distinção entre esse e o software de códigoaberto. Por fim, relacionamos vários exemplos de softwares livres notáveis queutilizamos no nosso cotidiano. Esta aula encerra a primeira parte deste módulo, ondeestudamos os softwares aplicativos. Na próxima aula vamos conhecer os sistemasoperacionais. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  50. 50. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 50SISTEMAS OPERACIONAIS OBJETIVOS DA AULA Descrever as funções de um sistema operacional; Estabelecer a diferença entre os principais sistemas operacionais de uso em computadores pessoais; Explicar as diferenças entre Linux, GNU/Linux e núcleo do Linux; Explicar a necessidade dos sistemas operacionais de redes. CONTEÚDO DA AULA Acompanhe o conteúdo desta aula. Se você preferir,assinale os conteúdos na medida em que for estudando.Nesta aula, veremos: Sistemas operacionais: software oculto O que é a plataforma de um sistema? Sistemas Operacionais: o MS-DOS, Microsoft Windows XP e CE, Apple Mac OS, Unix e Linux O que é Linux Linux ou GNU/Linux? O núcleo Linux Download ou aquisição do Linux Linux ou Windows? Sistema operacional para redes SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  51. 51. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 51 Olá! Seja bem-vindo a nossa quarta aula de Softwares Aplicativos eSistemas Operacionais. Nesta aula conheceremos os sistemas operacionais.Vamos aprender a descrever as funções de um sistema operacional e a estabelecera diferença entre os principais sistemas operacionais de uso em computadorespessoais. Você vai saber a diferença entre Linux, GNU/Linux e núcleo do Linux etambém descobrirá a razão da necessidade dos sistemas operacionais de redes. E então, o que estamos esperando? Boa aula! Juliana teve seu primeiro contato com um sistema operacional nafaculdade, nas aulas de metodologia. Foi ali que ela descobriu que o sistemaoperacional é um software que fica em segundo plano e é essencial para ofuncionamento do computador, ainda que você não pense muito a respeito dele. Aosistema, o Microsoft Windows XP, ela tinha que informar um nome de usuário e umasenha e depois disto tinha acesso a uma série de aplicativos, disponíveis através deícones na área de trabalho do computador e também de menus onde ela podianavegar. A partir dali ela conseguia abrir o processador de textos Microsoft Word, eo software de apresentações Microsoft Powerpoint, para desenvolver as atividadesda aula. Foi uma experiência bastante recompensadora para alguém que tinha umcerto receio de utilizar o computador antes de entrar na faculdade. No seu primeiro emprego, como facilitadora da qualidade numa pequenaindústria de transformação de polímeros, Juliana utilizava diariamente planilhaseletrônicas, trocava mensagens de correio eletrônico com clientes e fornecedores eredigia procedimentos no processador de textos. Além das tarefas que ela já haviaaprendido na faculdade, Juliana aprendeu a compactar arquivos antes de enviá-loscomo anexos de mensagens de correio eletrônico, a fazer cópias de segurança emCD-ROM e a organizar todos os documentos em pastas por assunto na sua pastano servidor de arquivos da rede. Passados alguns meses, Juliana foi informada pelo Gerente de TI da empresaque haveria uma migração de todos os computadores para o sistema operacionalLinux, e a suíte de escritórios utilizada passaria a ser o Openoffice.org. Juliana ficouum pouco assustada no início, pois pensou que poderia não se adaptar ao novosistema, uma vez que não o havia visto na faculdade. “Bem agora que estava tãoacostumada com o novo sistema”, ela pensou. No entanto, não comentou nada, e SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  52. 52. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 52procurou pensar que o mundo da informática é assim mesmo, está em constanteevolução. Quando o sistema foi demonstrado e ela teve a oportunidade de utilizá-lo, manipulando seus documentos, viu que todo o temor era infundado. Osprincípios de funcionamento e as funções eram muito semelhantes e, salvo uma ououtra dúvida que a equipe de suporte ajudou a resolver, toda a migração ocorreusem traumas. Passados alguns anos, Juliana recebeu uma proposta para ir trabalhar numagrande multinacional. Um grande ponto a favor da sua contratação foi a suaresposta ao fato da empresa utilizar um sistema operacional ainda pouco utilizadoaqui no Brasil. “Todos os sistemas operacionais seguem um mesmo princípio, edepois de um tempo nos adaptamos ao seu funcionamento. Já passei por este tipode migração antes e não terei problemas desta vez também.” Juliana foi contratadae descobriu que estava certa. O novo sistema foi aprendido rapidamente e elaauxiliou os colegas com mais resistências a se adaptar ao novo sistema.4.1 Sistemas operacionais: software oculto Um computador recém-saído da sua linha de montagem é mais inútil que umabajur quebrado. Para cumprir seu propósito, este hardware precisa de software queo faça funcionar. Os softwares aplicativos, como processadores de textos e planilhaseletrônicas, utilizados para realizar tarefas específicas, são uma parte importantedeste conjunto de softwares necessários. No entanto, falta-lhes uma característicaimportante: a capacidade de interagir diretamente com o hardware. É neste pontoque entra o sistema operacional. Segundo Capron e Johnson (2004), sistema operacional (Figura 18) é umconjunto de programas que se encontra entre o software aplicativo e o hardware; é osoftware fundamental que controla todos os recursos de hardware e software. Para Tanenbaum (1999) e Silberschatz (2005), dois conceituados autores arespeito do assunto, existem dois modos distintos de conceituar um sistemaoperacional. O primeiro, pela perspectiva do usuário (visão "de-cima-a-baixo” ou top-down"), é uma abstração do hardware, fazendo o papel de intermediário entre osoftware aplicativo e os componentes físicos do computador (hardware). No segundomodo, numa visão “de-baixo-a-cima” (“bottom-up”), é um gerenciador de recursos, SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  53. 53. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 53isto é, controla quais aplicações (processos) podem ser executadas e quando, eque recursos do computador (memória, disco, periféricos) podem ser utilizados.Portanto, se não existissem os sistemas operacionais, todo programa desenvolvidodeveria saber como comunicar-se com os dispositivos do computador queprecisasse utilizar. Figura 18 - Diagrama conceitual de um sistema operacional Na época em que os computadores utilizavam o sistema operacionalMS-DOS, a maioria dos programas tinha que fazer grande parte das funções dosistema operacional. Isto incluía conhecer todos os tipos de monitores de vídeos,impressoras e dispositivos de entrada. A interface com o usuário também eradefinida por cada aplicação, principalmente quando se desejava uma interface“gráfica”, Isto tornava muito mais complexa a tarefa de desenvolver softwaresaplicativos, além de dificultar a comunicação entre aplicativos e a troca de dados.Os sistemas se tornavam também muito mais instáveis e sujeitos a travamentos. Você deve ter observado que dissemos que o sistema operacional é umconjunto de programas. O núcleo (kernel) do sistema operacional é a parte maisimportante deste conjunto de programas. Sua função é gerenciar todos os recursosdo computador, controlando o sistema e carregando para a memória outrosprogramas do sistema operacional quando necessário. Em todos os computadores pessoais, o núcleo do sistema operacional écarregado para a memória quando o computador é ligado, tornando-o disponível. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  54. 54. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 54Este processo é chamado de inicialização (booting) do sistema. Quando ocomputador é ligado, um pequeno programa localizado em um chip no computadorrealiza alguns testes de componentes de hardware e depois carrega o núcleo dodisco rígido. Podemos relacionar três funções principais que os sistemas operacionaispossuem: 1. gerenciar os recursos do computador, aí incluindo processador, memória, unidades de disco, impressoras e outros; 2. estabelecer uma interface com o usuário, de forma que este possa utilizar os recursos de hardware e os softwares aplicativos; 3. oferecer recursos e uma interface para que os softwares aplicativos se comuniquem com o hardware e também entre si. Mesmo sendo tão importante ao funcionamento do computador, o sistemaoperacional não é muito notado pelo usuário; muitas tarefas essenciais sãoexecutadas em segundo plano. Mesmo quando um usuário imprime ou salva umarquivo através de um software aplicativo, é na verdade o sistema operacional quemrealiza estas funções. Como um árbitro em um jogo de futebol, o sistema operacional devepassar despercebido a maior parte do tempo. Ambos são importantes, mas devemfazer seu trabalho discretamente. Quando eles são notados, normalmente significaque alguma coisa não saiu conforme o esperado. E normalmente eles são xingadospor isto. Vida dura essa de sistema operacional... Mesmo que um grande número de funções do sistema operacional fiqueoculto ao usuário, este ainda precisa interagir com ele em algumas situações degerenciamento e na execução de softwares aplicativos. Esta interação ocorreuatravés da interface com o usuário, que determina a forma como será feita acomunicação. Uma interface com o usuário pode ser baseada em linha de comando(Figura 19) ou ser gráfica (Figura 20). Na interface por linha de comandos ousuário digita textos e necessita informar os comandos completos e seus parâmetrospara obter o resultado esperado. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  55. 55. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 55 Figura 19 - Interface por linha comandos do Linux O sistema operacional MS-DOS, o Unix e o Linux utilizam a interface porlinha de comando. Nas versões do Microsoft Windows existe um interface decomandos chamada Prompt de Comandos, que permite a execução de algumasoperações neste tipo de interface. As interfaces gráficas com o usuário (GUIs – Graphical User Interfaces)usam imagens que representam os programas, arquivos e outros recursos docomputador, denominadas ícones e também menus para que o usuário informe astarefas que deseja executar. O usuário pode clicar em um ícone de um programapara executá-lo ou arrastar o ícone representando um arquivo para o ícone querepresenta uma lixeira, apagando-o do disco rígido. Esta forma de interação é maisintuitiva e torna o aprendizado mais fácil. O Microsoft Windows e o Apple Mac OS(Figura 20) são exemplos de sistemas operacionais que utilizam interface gráfica.Muitas instalações de Unix e Linux também são configuradas para oferecer umainterface gráfica com o usuário. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  56. 56. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 56 Figura 20 - Interface gráfica do Mac OS X4.2 O que é a plataforma de um sistema? Os softwares aplicativos são normalmente classificados segundo a suaplataforma, que se refere à combinação de sistema operacional e hardware docomputador. A plataforma mais comum para computadores pessoais é composta decomputadores com processadores Intel e o sistema operacional Windows daMicrosoft, chamada muitas vezes de Wintel. Geralmente os softwares aplicativoscomo processadores de texto e jogos só podem ser executados numa plataformaespecífica. Os softwares que podem ser executados em diversas plataformas sãoconhecidos como multiplataforma. Da mesma forma que não é possível colocar um motor de um carro daFord num caminhão da Scania, não é possível executar um programa do Windowsno Linux, ou do Mac OS no Palm OS, a menos que ele tenha uma versão específicapara aquela plataforma. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  57. 57. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 57 A maioria dos usuários recebe o computador com o sistema operacional pré-instalado, seja pelo fabricante do computador, pela revenda ou pela equipe de TInas organizações. Existirão situações, no entanto que exigirão de você a escolha daplataforma operacional onde será desenvolvido e executado um sistema. Para isto,vamos conhecer um pouco os principais sistemas operacionais disponíveis paranosso uso.4.3 MS-DOS O MS-DOS (Figura 21) começou a ser utilizado em 1980 e muitos acreditamque foi ele que decidiu o destino da então minúscula Microsoft. Este sistemaoperacional utiliza uma interface de linha de comando e apresenta ao ser iniciado,uma tela vazia, contendo apenas os caracteres C:> no canto superior esquerdo. OC: refere-se à unidade de disco; o > é o prompt, um símbolo que indica que osistema está à espera de uma instrução. Neste ponto é necessário que vocêinforme um comando ao sistema operacional, para que ele possa interpretá-lo eexecutar a ação correspondente. Se você tentar utilizar o MS-DOS, verá que suainterface não é nada amigável, e os comandos (Tabela 1) não são fáceis de lembrar.É por isto que este tipo de interface foi amplamente substituído pelas interfacesgráficas de usuário. SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  58. 58. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 58 Figura 21 - Microsoft DOSC:>DIR A: /W - Exibe o conteúdo do disquete, em 4 colunas na telaC:>FORMAT A: - Prepara um disquete colocado na unidade A: para ser utilizado. Apagatodo o seu conteúdo,se houver.C:>COPY RELAT01.DOC A: - Copia o arquivo RELAT01.DOC contido na unidade C:para o disquete da unidade A:.C:> RENAME RELAT01.DOC RELAT02.DOC – Renomeia o arquivo RELAT01.DOCcontido na unidade C: para RELAT02.DOCC:> DEL C:REL99.DOC – Exclui o arquivo RELAT99.DOC da unidade C: Tabela 1 - Exemplos de comandos do MS-DOS4.4 Microsoft Windows Existe uma maneira muito mais intuitiva de interagir com um computador doque digitar comandos e receber informações numa tela com texto. O grande sucessodo Windows se deu pela utilização desta interface, denominada interface gráfica como usuário ou GUI (lê-se “gu-i”), que utiliza ícones e menus em vez de comandosdigitados. Mesmo não tendo sido o primeiro sistema operacional com interfacegráfica, podemos afirmar que foi o Windows quem popularizou esse tipo de interface. O Windows (Figura 22) começou como uma interface gráfica para o MS-DOS,fornecendo uma interface gráfica sobre um sistema operacional com interface em SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  59. 59. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 59modo texto. Foi a partir do Windows 95 que o Windows passou a ser um sistemaoperacional independente, que não precisava mais do DOS pré-instalado. Várioscomandos do MS-DOS ainda continuam disponíveis para uso nas diversas versõesdo Windows. Figura 22 - Microsoft Windows XP Embora existam várias versões do Windows, muitas características sãosemelhantes a todos. Em qualquer um deles você clica em ícones e em itens demenu para ativar comandos ou funções. Os menus são chamados de menusdeslizantes, pois deslizam como uma persiana ao serem selecionados. Outrosmenus são chamados de pop-up, pois aparecem na tela quando se utiliza o botãodireito do mouse. O Windows apresenta também um botão Iniciar no canto inferioresquerdo. A partir desse botão pode-se acessar os programas e outros recursos docomputador, como a opção de localizar arquivos. Também é possível executar umprograma dando um clique duplo em um ícone correspondente a ele na área detrabalho, a tela de abertura do Windows. A barra inferior do Windows, onde estálocalizado o botão iniciar, possui ainda um botão correspondente a cada programaem execução no momento. Para alternar entre estes programas, basta clicar no SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  60. 60. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 60botão correspondente. O Windows aceita nomes de arquivos longos, com até 255caracteres; o MS-DOS aceitava apenas 8 caracteres e mais 3 para a extensão doarquivo, identificando o seu tipo. Outra característica muito útil do Windows é a sua capacidade de auto-configuração, quando um novo dispositivo de hardware é instalado. Chama-se aeste recurso de plug-and-play, e para que ele possa ser utilizado, o periférico precisater sido fabricado de acordo com este padrão. Por sorte, a grande maioria dosfabricantes tem adotado este padrão, facilitando em muito a vida dos usuários. O Windows é uma família de sistemas operacionais, com pelo menos trêsramificações históricas, cada uma desenvolvida para um tipo de usuário. Umadestas ramificações praticamente já deixou de existir, e era designada ao públicodoméstico. Aqui se encontram o Windows 95, o Windows 98 e o Windows MilleniumEdition. Atualmente o Windows XP atende a este mercado. Para o mercadocorporativo, a Microsoft desenvolveu o Windows NT, que depois foi sucedido peloWindows 2000 e mais recentemente pelo Windows XP. O Windows XP atende tantoao mercado doméstico quanto ao corporativo. Para o mercado de dispositivosmóveis, como palmtops, handhelds e smartphones foi criado o Windows CE.4.5 Windows XP O Windows XP é a versão mais recente de sistemas operacionais da empresafundada por Bill Gates (Figura 23), e foi projetado para ser utilizado tanto emcomputadores domésticos quanto nos corporativos e notebooks. Ele incorpora asfacilidades de reconhecimento de hardware e compatibilidade das versões anterioresdestinadas ao mercado doméstico, como as versões 95, 8 e Me, e a estabilidade erobustez herdadas das versões corporativas, como o Windows NT e o Windows2000. Dentre os principais recursos que podemos encontrar no Windows XP,destacam-se os seguintes: SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  61. 61. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 61 Figura 23 - Bill Gates – fundador da Microsoft Interface aperfeiçoada: a interface ficou mais limpa, com número reduzidode ícones na área de trabalho, substituídos por opções no menu Iniciar. Além disto,um programa assistente de limpeza da área de trabalho verifica que ícones sãopouco usados e auxilia o usuário na remoção destes, colocando-os numa pastaseparada. Suporte melhorado para multimídia: permite o uso de arquivos no formatoMP3, acesso a câmeras digitais e câmeras de vídeo de forma integrada ao sistemaoperacional, sem a necessidade de softwares de terceiros. Suporte para vários usuários: uma vez que vários usuários podem utilizar omesmo computador, o Windows XP permite que os usuários alternem entre suascontas, mantendo os aplicativos de um usuário em execução, enquanto outro utilizao mesmo computador com a sua conta. No momento em que o outro usuário voltar autilizar o computador, seus aplicativos já estarão abertos, na mesma situação emque ele deixou. Podem ser criadas contas também para crianças, com restrição aoque elas podem utilizar. Suporte a redes e à Internet: O Windows XP permite que várioscomputadores sejam interligados em rede e compartilhem a mesma conexão com aInternet, enquanto oferece um firewall, para melhorar a segurança desta conexão.4.6 Windows CE SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina
  62. 62. Softwares Aplicativos e Sistemas Operacionais 62 O Windows CE (Consumer Electronics – eletrônicos de consumo) é umsistema operacional baseado no Windows XP voltado para o mercado sistemasembutidos (ou embarcados) e dispositivos de Internet. Para funcionar nestescomputadores, o sistema precisa ser reduzido, ocupando menos memória, discorígido menor ou inexistente e necessitando de processadores inferiores em relação aum computador pessoal. As telas desses dispositivos também são menores, e aforma de acessar os programas e entrar com a informação também muda, poisnormalmente eles possuem uma tela sensível ao toque e algumas teclas, ao invésde um teclado completo. Os sistemas embutidos são dispositivos de computação integrados a outrosprodutos, como carros, trens, robôs, câmeras digitais e máquinas industriais. OWindows CE (Figura 24) possui uma interface muito semelhante a do Windows XP oque facilita o aprendizado pelo usuário. Além disto, sua versão mais nova,denominada Windows CE .NET, suporta a plataforma .NET de desenvolvimento deaplicações da Microsoft, tornando o desenvolvimento de softwares aplicativos maissimples. Figura 24 - Microsoft Windows CE4.7 Mac OS SOCIESC - Sociedade Educacional de Santa Catarina

×