Qualidade De Vida Na Maturidade

30.009 visualizações

Publicada em

13 comentários
69 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
30.009
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
156
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
13
Gostaram
69
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Qualidade De Vida Na Maturidade

    1. 1. QUALIDADE DE VIDA NA MATURIDADE RUBENS DE FRAGA JÚNIOR [email_address]
    2. 2. Envelhecimento
    3. 3. O que é envelhecimento? <ul><li>Conceito Simplista </li></ul><ul><li>“ é o processo pelo qual o jovem se transforma em idoso” </li></ul>
    4. 4. O que é envelhecimento? <ul><li>Conceito Biológico </li></ul><ul><li>“ fenômenos que levam à redução da capacidade de adaptação a sobrecargas </li></ul><ul><li>funcionais” </li></ul><ul><li>Homeostenose </li></ul>
    5. 5. Mais sobre nomenclatura? <ul><ul><li>senescência = envelhecimento normal </li></ul></ul><ul><ul><li>senilidade = envelhecimento patógico </li></ul></ul><ul><ul><li>gerontologia </li></ul></ul><ul><ul><li>geriatria </li></ul></ul>
    6. 6. Homeostenose: Declínio estimado em algumas funções (100% = 30 anos) % aos 60 % aos 80 V. De condução nervosa 96 88 Gasto metabólico basal 96 84 Índice cardíaco 82 70 Função renal 96 61 Capacidade pulmonar 80 58
    7. 7. <ul><li>Envelhecimento  maior vulnerabilidade a doenças! </li></ul><ul><ul><li>Infecção </li></ul></ul><ul><ul><li>Doenças cardiovasculares </li></ul></ul><ul><ul><li>Neoplasias malignas </li></ul></ul>
    8. 8. Quem é idoso ?
    9. 9. <ul><li>Conceito Cronológico: </li></ul><ul><li>60 ou mais (países em desenvolvimento) </li></ul><ul><li>65 ou mais (países desenvolvidos) </li></ul><ul><li>muito idosos (very old): 80 e 85 ou mais </li></ul>
    10. 10. Envelhecemos todos iguais ? 62 anos 91 anos
    11. 11. Envelhecimento Ativo uma abordagem do Curso da Vida Variação funcional em indivíduos Idade Capacidade funcional Limiar de incapacidade Mudança de condicionamento Infância Crescimento e desenvolvimento Vida Adulta Manter o maior nível funcional possível Terceira Idade Manter independência e prevenir incapacidade Reabilitar e garantir qualidade de vida Suporte ambiental
    12. 12. O Que limita os idosos? O PROCESSO NATURAL DE ENVELHECIMENTO X AS DOENÇAS CRÔNICAS
    13. 13. 1940 Paradoxo da Medicina Atual Avanços na Medicina: Medicamentos Tecnologia Educação Aumento das Doenças Crônicas: Câncer Doenças do coração Doenças articulares Doenças neurológicas A medicina avança e adoecemos mais ! 2000
    14. 14. PERFIL DA MORBIDADE <ul><li>100 milhões de americanos tem pelo menos uma doença crônica (DC). </li></ul><ul><li>50% destes tem mais de uma DC </li></ul>Wagner, EH – Meeting the needs of chronically ill people BMJ 323, 2001
    15. 15. IMPORTÂCIA DAS DOENÇAS PARA O IDOSO <ul><li>Co-morbidade: 3,5 - 4,8 - 6,2 Diag/Pac </li></ul><ul><li>Polifarmácia: nenhum < 20 % </li></ul><ul><li>Limitações decorrentes: físicas </li></ul><ul><li>mentais </li></ul><ul><li>sociais </li></ul>
    16. 16. Que envelhecimento terei? <ul><li>COMPROMETIDO </li></ul><ul><li>ACIDENTAL </li></ul><ul><li>PLANEJADO </li></ul><ul><li>“ BEM SUCEDIDO” </li></ul>
    17. 17. Podemos ser idosos joviais ...
    18. 18. Afeganistão, 1988 – 2002. Ou jovens envelhecidos ... 17a 31a
    19. 19. 2.1 6.2 31.8 15.1 1950 1975 2000 2020 ‘ BOOM’ de Idosos no Brasil [em milhões de habitantes]
    20. 20. Objetivos da Geriatria <ul><li>Manutenção da Saúde em idades avançadas </li></ul><ul><li>Manutenção da funcionalidade </li></ul><ul><li>Prevenção de doenças </li></ul>
    21. 21. Objetivos da Geriatria <ul><li>Detecção e tratamento precoce </li></ul><ul><li>Máximo grau de independência </li></ul><ul><li>Tratamentos seguros </li></ul>
    22. 22. Doenças no Idoso: Manifestações… <ul><li>Atípicas </li></ul><ul><li>Sintomas Inespecíficos </li></ul><ul><li>Início insidioso </li></ul><ul><li>Sintomas não relatados </li></ul><ul><li> </li></ul>
    23. 23. Os 5 “Is” Imobilidade Insuficiência cognitiva Instabilidade & quedas Incontinência Iatrogenia
    24. 24. Os “3 Ds” <ul><li>Delirium </li></ul><ul><li>Demência </li></ul><ul><li>Depressão </li></ul>
    25. 25. O QUE É SAÚDE ? “ Saúde é o estado de pleno bem estar físico, psíquico e social e não a ausência de doença ” OMS, 1947
    26. 26. Promoção da Saúde <ul><li>“ Ações que se manifestam por alterações no estilo de vida e que resultam em uma redução do risco de adoecer e/ou morrer” </li></ul><ul><li>OPAS, 1992 </li></ul>
    27. 27. SENECULTURA <ul><li>“ Conjunto de ações interdisciplinares cujo resultado contribui, efetivamente, para a Promoção da Saúde do Idoso” </li></ul><ul><li>Jacob Filho,W. </li></ul>
    28. 28. Possibilidades de Intervenção Adaptativas Educacionais Preventivas Diagnósticas Terapêuticas No indivíduo No ambiente
    29. 29. PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO <ul><li>Corrigir os hábitos deletérios </li></ul><ul><li>Postergar doenças </li></ul><ul><li>Usar medicamentos racionalmente </li></ul><ul><li>Equilibrar os ambientes emocionais </li></ul><ul><li>Ampliar a rede de suporte social </li></ul>
    30. 30. <ul><li>ALIMENTAÇÃO </li></ul><ul><li>ATIVIDADE FÍSICA </li></ul><ul><li>TABAGISMO </li></ul><ul><li>OBESIDADE </li></ul><ul><li>REDUÇÃO DO ESTRESSE </li></ul>Corrigir os hábitos deletérios
    31. 31. Compressão da Morbidade Fries, 1985 HAS IAM ICC DPOC FA AVC IRC CA 28 44 52 55 56 58 62 70 HAS IAM ICC CA 28 56 67 68 70 AVC FA
    32. 32. <ul><li>A proposta-chave é postergar, ao máximo possível, o início da doença , pois elas, em sua imensa maioria, são crônicas e, uma vez instaladas, não mais regridem, restringindo a atuação médica ao controle de seu tempo de progressão. </li></ul>
    33. 33. <ul><li>USO RACIONAL DOS MEDICAMENTOS </li></ul><ul><li>Prescrição consciente </li></ul><ul><li>Início e término </li></ul><ul><li>Respeito à orientação </li></ul><ul><li>Auto-medicação </li></ul><ul><li>Efeitos “mágicos” </li></ul>
    34. 34. Rejeitar a fantasia do “rejuvenescimento ou da eterna juventude” EXPECTATIVAS
    35. 35. Qual é o maior medo dos idosos ? <ul><li>Doença ? </li></ul><ul><li>Dor ? </li></ul><ul><li>Morte ? </li></ul>
    36. 36. Qual? <ul><li>Perda da Independência </li></ul><ul><li>Tornar-se um peso para outros </li></ul>
    37. 37. Funcionalidade Resumindo… <ul><li>Função é o que é importante para a qualidade de vida </li></ul><ul><li>O maior medo não é morrer, mas perder independência e virar um peso para a família </li></ul><ul><li>Perder função impacta em mortalidade hospitalar, asilamento, qualidade de vida e custo de saúde </li></ul>
    38. 38. Jeanne Louise Calment <ul><li>Jeanne Louise Calment nasceu em Arles, França em 21 de fevereiro de 1875, </li></ul><ul><li>e morreu em 4 de agosto de 1997, com a idade de 122 anos. Tornou –se a pessoa mais velha do mundo </li></ul>
    39. 39. Pessoas com mais de 100 anos <ul><li>São 25.787 idosos </li></ul><ul><li>2.948 homens </li></ul><ul><li>22.839 mulheres </li></ul><ul><li>Fonte : Censo demográfico de 2000 IBGE </li></ul>
    40. 40. O Envelhecer <ul><li>“ Meu espírito não permanecerá para sempre no homem, porque todo ele é carne , e a duração de sua vida será só de 120 anos .” (Gen.6,3) </li></ul>
    41. 41. O que é Envelhecer ? “Crescer em Idade e Plenitude”
    42. 42. Componentes da Vida longa 50% 30% 20% O que faz com que vivamos mais ou menos? O que faz com que vivamos com qualidade?
    43. 43. Determinantes do Envelhecer Impacto direto sobre a saúde Determina Qualifica Psicossocial NUTRIÇÃO Atividade Física ( Genética )
    44. 44. Qualidade de vida <ul><li>Pré-requisito a </li></ul><ul><li>Vida longa e </li></ul><ul><li>saudável </li></ul>
    45. 45. O que buscamos? “ Envelhecimento Ativo” envelhecimento com saúde e qualidade de vida Saúde física : dieta, exercício e repouso Saúde mental : memória e redução do estresse Saúde social : valorização do papel no circuito familiar
    46. 46. Saúde física Nutrição Alimentação saudável : pouca gordura (ideal <25%) evitar frituras, preferir grelhados retirar a gordura visível das carnes evitar pele de aves (frango, peru) evitar embutidos evitar usar banha, nata, manteiga
    47. 48. Saúde física Nutrição Alimentação saudável : sem excesso de sal sal em excesso aumenta a pressão Ideal: < 6 g/dia (< 1 colher de chá) ingerir alimentos com cálcio leite desnatado ( 2 copos/dia), queijo branco (Minas, ricota).
    48. 50. Saúde física Nutrição Alimentação saudável : muita verdura, legumes e frutas Fibras solúveis e insolúveis deve ser a base da alimentação Folhas verde escuras e alaranjadas Grãos integrais Pães integrais
    49. 51. O PRATO SAÚDAVEL
    50. 53. Atividade Física <ul><li>Alguma é melhor que nenhuma </li></ul><ul><ul><li>Jardinagem </li></ul></ul><ul><ul><li>Caminhadas…. </li></ul></ul><ul><li>Aeróbicos </li></ul><ul><li>Resistivos </li></ul><ul><li>Alongamento </li></ul><ul><li>Equilibrio </li></ul>
    51. 54. Saúde física Atividade física Atividade física adequada : melhor exercício = caminhadas F reqüência : pelo menos 5 dias/semana I ntensidade : moderada T empo : 40-60 minutos/dia
    52. 56. Saúde física Repouso Repouso adequado: manter a rotina diária repousar 7 a 9 horas por noite não dormir demais ou de menos sesta após o almoço (< 1 hora)
    53. 58. Saúde Mental Memória <ul><li>Concentração : é a chave para a memorização </li></ul><ul><li>Imagem : Crie uma imagem mental. Associe imagens </li></ul><ul><li>Atenção : é preciso focar a atenção naquilo que desejamos memorizar e dispender o tempo de 4 a 8 segundos </li></ul>
    54. 59. José Marta Raquel Sonia Rafael Manoel
    55. 60. Saúde Mental Memória <ul><li>Pratique o processo CIA </li></ul><ul><li>Quanto maior a clareza do processo de retenção da informação , mais fácil relembrá-la </li></ul>
    56. 62. Estresse Eustress Distress Agudos Crônicos
    57. 63. Estresse Alarme- (estímulo) Resposta (adaptação) NEGATIVA POSITIVA Recuperação DOENÇA
    58. 64. Saúde Mental Estresse Fase de resistência Reação de alarme Fase de esgotamento Nível de adaptação normal
    59. 65. Relaxamento descanso contraturas hiperexitabilidade ansiedade instabilidade rigidez
    60. 66. RELAXAMENTO
    61. 67. RELAXAMENTO
    62. 68. Saúde Social Valorização social: “ Sentir-se útil” (motivação para viver) Ter um papel na família e na sociedade Manutenção da atividade produtiva Desenvolver redes sociais Atividades com amigos e familiares
    63. 69. Unir os benefícios físicos aos sociais
    64. 71. SEXUALIDADE <ul><li>“ A sexualidade do idoso é um ‘continente oculto’ que muitas pessoas, inclusive os médicos, preferem não falar.” </li></ul><ul><li>J. LoPiccolo </li></ul>
    65. 72. O que a sociedade faz com a Sexualidade do Idoso <ul><li>País de Jovem : enfatiza o belo </li></ul><ul><li>O papel da mídia </li></ul><ul><li>Mitos e Preconceitos </li></ul><ul><li>Mito da Velhice Assexuada </li></ul>
    66. 73. Sexualidade <ul><li>Intimidade : qualidade de íntimo </li></ul><ul><li>íntimo : cordial e afetuoso; Estreitamente ligado a afeição e confiança </li></ul>
    67. 74. Sexualidade: Ela é importante? sexualidade Identidade pessoal Saúde Senso de bem-estar
    68. 75. MITOS Mito 1 : o idoso não está interessado em sexo ou na sexualidade.Sexo é só para jovens. Mito 2 : Modificações dos níveis hormonais que ocorrem durante e após a menopausa criam uma ‘doença de deficiência’ tornando o sexo desconfortável na mulher. Mito 3 : para se ter uma vida sexual completa, uma mulher deve ter um parceiro sexual. Mito 4 : O único sexo verdadeiro é através do intercurso culminando com orgasmo mútuo. (Shapiro 1989)
    69. 76. FATOS Kinsey (reflete atitudes sexuais) 95% dos homens com 60 anos eram ativos sexualmente 70% dos homens com 70 anos eram ativos sexualmente 70% das mulheres casadas de 60 anos eram ativas 55% das mulheres casadas de 65 anos eram ativas Starr & Weiner (1982) estudou 800 idosos 92% dos homens entre 60-69 eram ativos 88% das mulheres entre 60-69 eram ativas 90% dos idosos entre 70-79 eram ativos
    70. 78. APRENDENDO A ENVELHECER
    71. 79. SEJA ATIVO COMO UM FILHOTE. DESPERTE SUA CURIOSIDADE. SEJA LÚDICO, BRINQUE.
    72. 80. ALIMENTE-SE COMO UM MACACO. COMA FRUTAS E VEGETAIS EM ABUNDÂNCIA. NADA DE FAST FOOD.
    73. 81. DESCANSE COMO UM GATO. DURMA BEM. APRENDA A DESCANSAR A MENTE.
    74. 82. TENHA A DISCIPLINA DE UM CAMELO. SEJA DISCIPLINADO NA ALIMENTAÇÃO E NAS ATIVIDADES FISICAS.
    75. 83. TENHA A AUTONOMIA DE UM PASSARO. VIVA EM GRUPO, MAS PRESERVE A CAPACIDADE DE ESCOLHER.
    76. 84. SEJA ALEGRE COMO UM GOLFINHO. BOM HUMOR FAZ BEM. RIA SEMPRE QUE PUDER.
    77. 85. SEJA FIEL COMO UM CÃO. SEJA FIEL AQUELES QUE AMA.
    78. 86. TENHA MÚSCULOS DE LEÃO. FAÇA EXERCÍCIOS REGULARMENTE.
    79. 87. NÃO SEJA COMO A PREGUIÇA. NÃO DEIXE O DESANIMO TOMAR CONTA DE SUA VIDA.
    80. 88. NÃO SEJA CORUJA. FUJA DA ESCURIDÃO. PARTICIPE, TORNE-SE NECESSÁRIO.
    81. 89. Envelhecimento
    82. 90. A Prevenção traz mais benefícios Benefício Benefício Benefício Detecção precoce Tratamento Prevenção
    83. 91. Matemática da vida longa e saudável 5+5+5 = +saúde
    84. 92. Matemática da vida longa... <ul><li>FIBRAS </li></ul><ul><li>VITAMINAS E MINERAIS </li></ul><ul><li>MUITO nutriente e POUCA caloria </li></ul><ul><li>BARATO E SABOROSO </li></ul>5 porções de Frutas e Verduras / dia
    85. 93. Matemática da vida longa... <ul><li>Maior DISPOSIÇÃO </li></ul><ul><li>MENOR RISCO de doenças </li></ul><ul><li>Ajuda no controle do peso corporal </li></ul><ul><li>Sensação de BEM ESTAR </li></ul>5 sessões de 30 min de ATIVIDADE FÍSICA MODERADA por semana
    86. 94. Matemática da vida longa... <ul><li>REDUÇÃO DA TENSÃO DIÁRIA </li></ul><ul><li>Momento de PAZ </li></ul><ul><li>EQUILÍBRIO ORGÂNICO </li></ul><ul><li>Sensação de BEM ESTAR </li></ul>5 minutos por dia para RELAXAMENTO
    87. 95. Nosso MODELO DE SAÚDE é a do especialista e da fragmentação do cuidado. Porque não EXPERIMENTAR NOVOS MODELOS!
    88. 96. MUITO OBRIGADO!

    ×