Relatório de Reflexão Crítica - Vera Oliveira

428 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
428
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório de Reflexão Crítica - Vera Oliveira

  1. 1. Relatório de Reflexão Crítica Cursos de Formação Contínua de Professores 1 – IDENTIFICAÇÃO AÇÃO Designação da ação “Integração de Ferramentas Digitais no Processo de Aprendizagem Inclusivo” Nome do formador Dr.ª Ana Paula Rocha 2 – IDENTIFICAÇÃO FORMANDO Nome do formando Vera Lúcia Freitas Oliveira Escola Agrupamento de Escolas Amato Lusitano Nível Ensino 3º Ciclo Grupo Recrutamento 420 - Geografia Situação profissional Professora Contratada Email vera.oliveira@portugalmail.pt 3 – REFLEXÃO CRÍTICA 3.1 – MOTIVOS DE INTERESSE NA AÇÃO DE FORMAÇÃO (RAZÕES JUSTIFICATIVAS PARA FREQUENTAREM A FORMAÇÃO) A presente ação de formação foi alvo do meu interesse por duas razões fulcrais, nomeadamente, pelo facto de abordar uma temática da qual eu não tinha um conhecimento aprofundado e ainda por ser de cariz totalmente online. Relativamente à primeira causa, considero que um professor deve acompanhar as mudanças que se operam no sistema educativo mas também as mudanças socias, económicas e culturais, as quais influenciam o nível de desenvolvimento das sociedades, inclusivamente ao nível do referido sistema educativo. Os nossos jovens vivem na “Era do Conhecimento e das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)”, pelo que encaram a utilização das TIC uma prática recorrente do seu dia a dia. Neste âmbito, é fundamental que o professor comece a considerar esta situação com toda a normalidade e enfrente o desafio de modificar algumas das suas práticas pedagógicas, por forma a tornar as mesmas mais dinâmicas e motivantes, permitindo deste modo, que haja um maior empenho e entusiasmo dos alunos na sua aprendizagem. No que concerne à segunda razão pela qual pretendia realizar esta formação, o cariz totalmente online, saliento que é uma grande vantagem, quer em termos de não haver necessidade de efetuar deslocações até um determinado local, quer também pelo facto de permitir que haja uma autogestão do tempo, por parte do próprio formando. Aprecio muito este tipo de modalidade de ensino pois permitiu-me realizar uma ação bastante interessante, apesar de estar a alguns quilómetros de distância do Centro de Formação das Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos. 3 – REFLEXÃO CRÍTICA 3.2 – APRECIAÇÃO CRÍTICA DAS VERTENTES TEÓRICAS E PRÁTICAS DA AÇÃO (IDENTIFICAÇÃO DAS TEMÁTICAS ABORDADAS E DAS METODOLOGIAS UTILIZADAS; REFERÊNCIA CRÍTICA AOS CONTRIBUTOS DA FORMAÇÃO PARA O
  2. 2. Relatório de Reflexão Crítica Cursos de Formação Contínua de Professores DESEMPENHO PROFISSIONAL) Esta ação de formação, cuja temática foi a integração de ferramentas digitais no processo de aprendizagem inclusivo, envolveu o conhecimento sobre diversas ferramentas web 2.0., nomeadamente, Lino, Criador de Livros da Wikipédia, Mind Map, Active Textbook, Powtoon, Blendspace, Screencast-O-Matic, Zaption, Symbaloo Edu, sendo que o formando teve de fazer a exploração em-linha no Think-Tac-Toe, de acordo com as preferências. Do meu ponto de vista, a formadora forneceu diverso material teórico que possibilitou aprofundar os conhecimentos sobre as variadas ferramentas, sendo de salientar as hiperligações para os vídeos, os quais foram muito importantes pois explicavam com alguns detalhes o modo de explorar as mesmas. Achei muito interessante a exploração do Prezi para efetuar a nossa apresentação à formadora e ao restante grupo de formandos, sendo que esta é uma ferramenta mais dinâmica e criativa. A realização do questionário VARK veio consolidar o meu conhecimento sobre a forma mais facilitada que tenho de aprender. De acordo com os meus gostos pessoais e atendendo às minhas necessidades profissionais optei por explorar as ferramentas web 2.0 Mind-Map, Powtoon e Screencast-o-Matic, tentando realizar trabalhos que fossem úteis para a minha prática pedagógica futura. Considero que as metodologias adotadas foram adequadas. Primeiramente tivemos acesso a informação sobre as diversas ferramentas e posteriormente tivemos de optar pela exploração em linha. Inicialmente senti que esta exploração em linha condicionava as minhas escolhas mas acabei por fazê-la e empenhei-me nas tarefas, independentemente de sentir que gostava de explorar outras ferramentas que não se enquadravam na referida exploração em linha. A opção por sessões síncronas e assíncronas também me pareceu muito viável pois assim possibilitou ao formando uma gestão do seu tempo. Apesar dos módulos e os respetivos trabalhos terem um caráter semanal, pareceu-me adequado, na maioria das vezes, mas confesso que, se a periocidade fosse quinzenal, também seria benéfico pois os formandos poderiam ter mais tempo para explorar os trabalhos realizados por todos e, simultaneamente, descobrir mais potencialidades das diversas ferramentas. Ao longo de toda a formação, senti apoio e incentivo por parte da formadora e dos restantes formandos, os quais estiveram sempre à disposição para esclarecer dúvidas e/ou apresentar sugestões de melhoria dos trabalhos e do Blog (evidência do nosso produto final). No contexto da sociedade do conhecimento torna-se cada vez mais necessário apostar numa formação docente que alie o uso das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação à teoria e prática educativas reflexivas, pelo que este constitui um enorme desafio para os professores mas que possibilita aos alunos um papel ativo na sua aprendizagem e fomenta o desenvolvimento de aprendizagens significativas para os mesmos. Em termos profissionais, encaro esta experiência como um desafio à minha prática pedagógica que irei
  3. 3. Relatório de Reflexão Crítica Cursos de Formação Contínua de Professores colocar em ação, uma vez que os Blogs podem ser encarados como espaços formativos que ressaltam oportunidades de compartilhar experiências e práticas sobre a docência, mas simultaneamente, constituem ambientes de aprendizagem dinâmicos e interativos para os alunos. Em suma, esta formação irá contribuir para a melhoria da minha prática profissional e, posso afirmar que, após a conclusão da mesma, sinto-me mais proficiente na utilização das ferramentas web 2.0. 3 – REFLEXÃO CRÍTICA 3.3 – CONCLUSÕES Esta ação de formação ajudou-me a desmistificar a utilização das ferramentas web 2.0 e a utilização educativa dos Blogs, os quais podem ser muito potencializados enquanto recursos didáticos, uma vez que permitem a introdução de conteúdos, de forma dinâmica e criativa, podendo ter acesso imediato a um vídeo que explique os mesmos conteúdos, privilegiando desta forma vários tipos de aprendizagem. Apesar de ter existido uma grande evolução ao nível das Tecnologias de Informação e Comunicação na nossa sociedade e de estas ferramentas web 2.0 apresentarem um papel preponderante no cenário educativo, uma vez que proporcionam uma nova forma de ensinar e aprender, é necessário ter em atenção que podem existir algumas dificuldades em determinadas realidades de algumas escolas, quer ao nível das infraestruturas físicas, quer ao nível da disponibilidade do professor para atualizar os seus conhecimentos sobre estas temáticas e implementar os mesmos. Do meu ponto de vista, eu senti necessidade de aprofundar os meus conhecimentos sobre esta área pois os jovens da atualidade têm um gosto profundo pelas novas Tecnologias de Informação e Comunicação e será mais fácil motivá-los para a aprendizagem por esta via. Assim sendo, é fundamental que estas iniciativas surjam por vontade própria e que os professores constatem a necessidade de investir em novas formas de ensinar e aprender, pelo que é necessário que, cada vez mais, se rompam com os costumes e as tradições, dado que a evolução faz parte do dia-a-dia e primeiramente é crucial que se problematize e reflita para que posteriormente se experiencie e se transforme a informação em conhecimento – processo que traduz o meu percurso ao longo desta formação, nomeadamente a problematização e reflexão sobre estas temáticas e a posterior experiência que integrei em conhecimento após a realização dos trabalhos e a construção do Blog. Em suma, tal como o título do meu Blog sugeriu desde o primeiro passo da sua construção, esta foi uma “Experiência Desafiante” que me dotou de ferramentas dinâmicas, criativas e motivadoras, as quais passarei a utilizar mais frequentemente como uma metodologia diferenciadora da minha prática profissional e do processo de ensino-aprendizagem. Deste modo, o desafio foi superado e as expetativas desta ação de formação foram de encontro ao que idealizava. “O conhecimento dirige a prática; no entanto, a prática aumenta o conhecimento.” ( Fuller, T.)
  4. 4. Relatório de Reflexão Crítica Cursos de Formação Contínua de Professores 4 – BIBLIOGRAFIA Em termos de fontes de consulta, apenas consultei a disponibilizada pela formadora, a qual consistiu na exploração de hiperligações diferenciadas, sendo que as mesmas foram de extrema importância para a aprendizagem acerca das ferramentas web. 2.0 em questão, uma vez que até ao momento desconhecia totalmente a existência das mesmas.

×