O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Reflexão crítica fátima pedro

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
Reflexão Final
Reflexão Final
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 2 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Semelhante a Reflexão crítica fátima pedro (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

Anúncio

Reflexão crítica fátima pedro

  1. 1. REFLEXÃO CRÍTICA Quando iniciei esta acção de formação já tinha a ideia (também transmitida por algumas colegas que a realizaram no ano lectivo anterior) de que teria pela frente uma tarefa difícil e exigente. Claro que as inúmeras actividades a que temos de dar resposta nas escolas e os horários que temos de cumprir não nos deixam o tempo e a disponibilidade ideais para dedicarmos à formação que todos sabemos e sentimos ser indispensável. Mesmo assim, e tendo a consciência de que poderia ter feito muito melhor, considero que o balanço desta formação foi muito positivo. A minha reduzida experiência na coordenação de uma biblioteca escolar e nas responsabilidades que esse cargo implica, fizeram-me sentir a necessidade premente de formação nesta área e, sobretudo, no domínio do Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar. Obviamente não posso dizer que estou completamente à vontade para aplicar o modelo, no entanto, não há dúvida de que esta acção me ajudou a conhecê-lo melhor, a reflectir nas práticas que implica e a poder pô-lo em prática (o que nunca conseguiria sozinha). Alguns aspectos que gostaria de destacar: Mais positivos: Oportunidade de realizar uma maior reflexão orientada sobre o modelo; Orientações claras e resposta rápida às dúvidas e solicitações, por parte das formadoras; Aquisição de uma maior consciencialização sobre o papel e as responsabilidades do professor bibliotecário; Interacção entre as colegas formandas que se empenharam em responder às questões colocadas nos fóruns e em dar as suas opiniões sobre os trabalhos, de forma construtiva; Disponibilização, pelas formadoras, de comentários aos trabalhos e de sínteses de todas as sessões; Oportunidade de explorar algumas possibilidades da Web 2.0. Menos positivos: Tempo, geralmente, insuficiente para o cumprimento de todas as tarefas;
  2. 2. A interacção na plataforma, embora tenha muitas vantagens, nem sempre resultou eficazmente (na minha opinião) na discussão de alguns assuntos. Espero, agora, estar melhor preparada para tentar implementar práticas de avaliação do trabalho realizado e acções de melhoria na BE que coordeno, nunca esquecendo a recolha, sistemática, de evidências... ;) Fátima Pedro 08-12-2010

×