SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
AULA 2 – ARTE
2º E.M
Professora Vivian Trombini
CONTEÚDO - PAS
 Definições da arte e suas funções - (ponto, linha,
belo, abstrato e figurativo.)
 Estética nas Artes Visuais: a relatividade do
gosto e do belo. (Sócrates, Platão, Aristóteles –
poética) (Kant, Hegel – Estética)
 Elementos fundamentais da linguagem artística.
(Harmonia, simetria, linearidade, perspectiva,
estilos)
Estética
 Etimologicamente , a palavra Estética vem do grego
aisthesis com significado “faculdade de sentir”.
 Ramo da filosofia que discute as compreensões de
Beleza ao longo dos tempos. Em artes designa um
conjunto de características formais de um
determinado período e poderia também ser
chamado de estilo.
Poética X Estética
 Do ponto de vista filosófico, pode-se dizer que há
dois grandes momentos de teorização da Arte: no
primeiro, iniciado com Platão e Aristóteles, a filosofia
trata a Arte do ponto de vista da poética; no
segundo, a partir do século XVIII, trata a Arte do
ponto de vista da estética.
Poética
 É um ramo da filosofia da arte que estuda a
qualidade das obras artísticas em função de como
são produzidas, o que expressam e o que provocam
na sociedade.
 A poética representa as ideias do artista, o que ele
pretende transmitir ao espectador.
Os gregos
 Para Sócrates, o belo é útil.
 O belo em Platão serviria para conduzir o homem à
perfeição, ao qual restaria a cópia fiel e a simulação.
(mimesis – imitação – mundo das ideias)
 Aristóteles concebeu o belo a partir da realidade
sensível, deixando este de ser algo abstrato para se
tornar concreto, o belo materializa-se, a beleza no
pensamento aristotélico já não era imutável, nem eterna,
podendo evoluir. É belo o que provoca catarse. (mimesis
– teatro – tragédia grega)
 Muitos períodos artísticos foram influenciados pelo ideal de
belo sublimado. A arte como função poética é estudada desde
a Grécia Antiga até os dias atuais, em razão de compreender
o que é arte e por que a fazemos.
A Arte além das aparências - Estética
 A noção de Estética, formulada e desenvolvida
nos séculos XVIII e XIX, concebia a Arte como
belas artes e pressupunha, entre outras coisas,
que a Arte é produto da sensibilidade, da
imaginação e da inspiração do artista.
 Para Kant, o belo é subjetivo, está associado a
sensações.
 Para Hegel, o belo é espiritual, é um conceito,
apenas. Estudou apenas o belo artístico.
 “A Estética, enquanto reflexão filosófica, busca
compreender, num primeiro momento, o que é
beleza, o que é belo. A preocupação com o belo,
com a arte e com a sensibilidade” é própria da
reflexão estética. Não se trata de “uma discussão de
preferências, simplesmente com o fim de uniformizar
os gostos. Então, ela não poderá ser normativa,
determinando o que deve ser, obrigatoriamente,
apreciado por todos.” (Filosofia. Vários autores. Curitiba:
SEED-PR, 2006, p. 272).
Conceito de Belo
 Belo- capacidade de expressar sentimentos e
emoções.
 Forma plástica dos sentimentos.
Noite estrelada – Van Gogh. A persistência da memória - Dalí.
Conceito de beleza
 Beleza – o que dá prazer.
Madona – Rafael Sanzio. Renascimento
 Beleza – Exercício da intuição do Artista
La ville – Fernand Léger. Abstracionismo.
Padrões evolutivos de beleza
Antiguidade - Egípcios e Gregos: Idealização da natureza e do
homem.
Venus de Milo. Grécia Clássica.
Padrões evolutivos de beleza
Mosaico Bizantino.
Idade Média - Ideal divino de sociedade e natureza
Padrões
evolutivos de
beleza
Modernidade - Libertação dos
padrões estéticos.
Retirantes – Candido Portinari.
Padrões evolutivos de beleza
Arte mulçumana. Afresco.
Sociedade Oriental - Ideal de beleza instintivo e
abstrato.
Elementos de observação nas artes plásticas
(Como analisar um objeto artístico?)
 Harmonia – Arranjo das formas e cores no espaço.
Anunciação – Leonardo da Vinci.
Elementos de observação nas artes plásticas
(Como analisar um objeto artístico?)
 Linearidade e simetria – rigor na disposição dos
volumes e das massas.
Catedral de Brasília – Oscar Niemeyer
Elementos de observação nas artes plásticas
(Como analisar um objeto artístico?)
 Perspectiva – divisão das formas nos planos de
visão.
Madona – Giotto.
Mona Lisa – Leonardo da Vinci
Elementos de observação nas artes plásticas
(Como analisar um objeto artístico?)
 Luz e sombra – volume, movimento,
profundidade.
Narciso – Caravaggio.
Seja curioso!
Pesquise mais sobre esses termos em:
http://enciclopedia.itaucultural.org.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 o que é arte- Texto-
1 o que é arte- Texto-1 o que é arte- Texto-
1 o que é arte- Texto-
ArtesElisa
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
dpport
 
Função da arte
Função da arteFunção da arte
Função da arte
CEF16
 
Teatro - definição, história e reflexões
Teatro - definição, história e reflexõesTeatro - definição, história e reflexões
Teatro - definição, história e reflexões
Rosalina Simão Nunes
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
annaartes
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da Arte
Jesrayne Nascimento
 

Mais procurados (20)

1 o que é arte- Texto-
1 o que é arte- Texto-1 o que é arte- Texto-
1 o que é arte- Texto-
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
 
História da arte no Brasil
História da arte no BrasilHistória da arte no Brasil
História da arte no Brasil
 
Arte aula inicial Ensino Médio
Arte aula inicial Ensino MédioArte aula inicial Ensino Médio
Arte aula inicial Ensino Médio
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!
 
DEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTEDEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTE
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
 
Função da arte
Função da arteFunção da arte
Função da arte
 
ARTE BRASILEIRA
ARTE BRASILEIRAARTE BRASILEIRA
ARTE BRASILEIRA
 
Arte o que é
Arte   o que éArte   o que é
Arte o que é
 
Cultura e arte
Cultura e arteCultura e arte
Cultura e arte
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
 
Teatro - definição, história e reflexões
Teatro - definição, história e reflexõesTeatro - definição, história e reflexões
Teatro - definição, história e reflexões
 
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
 
Arte na antiguidade
Arte na antiguidadeArte na antiguidade
Arte na antiguidade
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da Arte
 

Destaque

Arte e Meio Ambiente 2º ano
Arte e Meio Ambiente 2º anoArte e Meio Ambiente 2º ano
Arte e Meio Ambiente 2º ano
teresavalse
 
Dois irmãos - Milton Hatoum
Dois irmãos - Milton HatoumDois irmãos - Milton Hatoum
Dois irmãos - Milton Hatoum
VIVIAN TROMBINI
 
2º ano. historia da arte pdf
2º ano. historia da arte   pdf2º ano. historia da arte   pdf
2º ano. historia da arte pdf
Mariam Jenani
 
Introdução ao estudo da literatura - Professora Vivian Trombini
Introdução ao estudo da literatura - Professora Vivian TrombiniIntrodução ao estudo da literatura - Professora Vivian Trombini
Introdução ao estudo da literatura - Professora Vivian Trombini
VIVIAN TROMBINI
 
Naturalismo - Professora Vivian Trombini
Naturalismo - Professora Vivian TrombiniNaturalismo - Professora Vivian Trombini
Naturalismo - Professora Vivian Trombini
VIVIAN TROMBINI
 
O Realismo - Professora Vivian Trombini
O Realismo - Professora Vivian TrombiniO Realismo - Professora Vivian Trombini
O Realismo - Professora Vivian Trombini
VIVIAN TROMBINI
 

Destaque (20)

Aula 3 arte - 2º ano
Aula 3   arte - 2º anoAula 3   arte - 2º ano
Aula 3 arte - 2º ano
 
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.MAULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
 
Arte e Meio Ambiente 2º ano
Arte e Meio Ambiente 2º anoArte e Meio Ambiente 2º ano
Arte e Meio Ambiente 2º ano
 
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.MAULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
 
Estética e poética
Estética e poéticaEstética e poética
Estética e poética
 
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.MAULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
 
Dois irmãos - Milton Hatoum
Dois irmãos - Milton HatoumDois irmãos - Milton Hatoum
Dois irmãos - Milton Hatoum
 
AULA 5 - ARTE - 3º E.M
AULA 5 - ARTE - 3º E.MAULA 5 - ARTE - 3º E.M
AULA 5 - ARTE - 3º E.M
 
Aula 1 - Arte - 2º e.m
Aula 1 - Arte - 2º e.mAula 1 - Arte - 2º e.m
Aula 1 - Arte - 2º e.m
 
AULA 4 - 2º E.M
AULA 4 - 2º E.MAULA 4 - 2º E.M
AULA 4 - 2º E.M
 
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.MAULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 4 - ARTE - 3º E.M
AULA 4 - ARTE - 3º E.MAULA 4 - ARTE - 3º E.M
AULA 4 - ARTE - 3º E.M
 
GÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOSGÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOS
 
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAISARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
 
Aula 3 arte - 3º ano
Aula 3   arte - 3º anoAula 3   arte - 3º ano
Aula 3 arte - 3º ano
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 
2º ano. historia da arte pdf
2º ano. historia da arte   pdf2º ano. historia da arte   pdf
2º ano. historia da arte pdf
 
Introdução ao estudo da literatura - Professora Vivian Trombini
Introdução ao estudo da literatura - Professora Vivian TrombiniIntrodução ao estudo da literatura - Professora Vivian Trombini
Introdução ao estudo da literatura - Professora Vivian Trombini
 
Naturalismo - Professora Vivian Trombini
Naturalismo - Professora Vivian TrombiniNaturalismo - Professora Vivian Trombini
Naturalismo - Professora Vivian Trombini
 
O Realismo - Professora Vivian Trombini
O Realismo - Professora Vivian TrombiniO Realismo - Professora Vivian Trombini
O Realismo - Professora Vivian Trombini
 

Semelhante a Aula 2 arte - 2º ano

Apostila do 2º ano 3º e 4º bi
Apostila do 2º ano   3º e 4º biApostila do 2º ano   3º e 4º bi
Apostila do 2º ano 3º e 4º bi
Duzg
 
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdfaestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
JessicaAlineTardivoA
 
Vamos falar de arte(1)
Vamos falar de arte(1)Vamos falar de arte(1)
Vamos falar de arte(1)
Luis Silva
 
Estética conceito de arte e obra de arte
Estética conceito de arte e obra de arteEstética conceito de arte e obra de arte
Estética conceito de arte e obra de arte
Julia Martins
 

Semelhante a Aula 2 arte - 2º ano (20)

Apostila do 2º ano 3º e 4º bi
Apostila do 2º ano   3º e 4º biApostila do 2º ano   3º e 4º bi
Apostila do 2º ano 3º e 4º bi
 
Kathrin Rosenfield Resumão
Kathrin Rosenfield ResumãoKathrin Rosenfield Resumão
Kathrin Rosenfield Resumão
 
Artes
ArtesArtes
Artes
 
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdfaestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
 
A estética do belo
A estética do beloA estética do belo
A estética do belo
 
Alexsandro Junior da Silva
Alexsandro Junior da Silva Alexsandro Junior da Silva
Alexsandro Junior da Silva
 
Aula iv estética
Aula iv   estéticaAula iv   estética
Aula iv estética
 
Estética
Estética Estética
Estética
 
Arte
ArteArte
Arte
 
O universo das artes
O universo das artes   O universo das artes
O universo das artes
 
ENTREVISTA Prof. Dr. Uta Kösser
ENTREVISTA Prof. Dr. Uta KösserENTREVISTA Prof. Dr. Uta Kösser
ENTREVISTA Prof. Dr. Uta Kösser
 
Historia da beleza 02
Historia da beleza 02Historia da beleza 02
Historia da beleza 02
 
Arte e Estética na Filosofia.docx
Arte e Estética na Filosofia.docxArte e Estética na Filosofia.docx
Arte e Estética na Filosofia.docx
 
Estética na filosofia laura 31 m
Estética na filosofia laura 31 mEstética na filosofia laura 31 m
Estética na filosofia laura 31 m
 
Vamos falar de arte(1)
Vamos falar de arte(1)Vamos falar de arte(1)
Vamos falar de arte(1)
 
Estética conceito de arte e obra de arte
Estética conceito de arte e obra de arteEstética conceito de arte e obra de arte
Estética conceito de arte e obra de arte
 
Entendendo a arte
Entendendo a arteEntendendo a arte
Entendendo a arte
 
Ensaio estética
Ensaio estéticaEnsaio estética
Ensaio estética
 
A Estética
A EstéticaA Estética
A Estética
 
4. conceitos arte medieval
4. conceitos arte medieval4. conceitos arte medieval
4. conceitos arte medieval
 

Mais de VIVIAN TROMBINI

Mais de VIVIAN TROMBINI (20)

PAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANOPAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANO
 
CARTAS - UEM - PAS 2
CARTAS - UEM - PAS 2CARTAS - UEM - PAS 2
CARTAS - UEM - PAS 2
 
CARTAS - UEM - PAS
CARTAS - UEM  - PASCARTAS - UEM  - PAS
CARTAS - UEM - PAS
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017
 
VANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIASVANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIAS
 
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEADANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
 
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃODANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
Redação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - invernoRedação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - inverno
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Musica brasileira
Musica brasileiraMusica brasileira
Musica brasileira
 
Revisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMRevisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEM
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Memórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubasMemórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubas
 
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.MAULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
 
AULA 7 - 3º ANO - TEATRO - aula 2
AULA 7 - 3º  ANO  - TEATRO - aula 2AULA 7 - 3º  ANO  - TEATRO - aula 2
AULA 7 - 3º ANO - TEATRO - aula 2
 
AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1
AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1
AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1
 

Último

ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 

Aula 2 arte - 2º ano

  • 1. AULA 2 – ARTE 2º E.M Professora Vivian Trombini
  • 2. CONTEÚDO - PAS  Definições da arte e suas funções - (ponto, linha, belo, abstrato e figurativo.)  Estética nas Artes Visuais: a relatividade do gosto e do belo. (Sócrates, Platão, Aristóteles – poética) (Kant, Hegel – Estética)  Elementos fundamentais da linguagem artística. (Harmonia, simetria, linearidade, perspectiva, estilos)
  • 3. Estética  Etimologicamente , a palavra Estética vem do grego aisthesis com significado “faculdade de sentir”.  Ramo da filosofia que discute as compreensões de Beleza ao longo dos tempos. Em artes designa um conjunto de características formais de um determinado período e poderia também ser chamado de estilo.
  • 4. Poética X Estética  Do ponto de vista filosófico, pode-se dizer que há dois grandes momentos de teorização da Arte: no primeiro, iniciado com Platão e Aristóteles, a filosofia trata a Arte do ponto de vista da poética; no segundo, a partir do século XVIII, trata a Arte do ponto de vista da estética.
  • 5. Poética  É um ramo da filosofia da arte que estuda a qualidade das obras artísticas em função de como são produzidas, o que expressam e o que provocam na sociedade.  A poética representa as ideias do artista, o que ele pretende transmitir ao espectador.
  • 6. Os gregos  Para Sócrates, o belo é útil.  O belo em Platão serviria para conduzir o homem à perfeição, ao qual restaria a cópia fiel e a simulação. (mimesis – imitação – mundo das ideias)  Aristóteles concebeu o belo a partir da realidade sensível, deixando este de ser algo abstrato para se tornar concreto, o belo materializa-se, a beleza no pensamento aristotélico já não era imutável, nem eterna, podendo evoluir. É belo o que provoca catarse. (mimesis – teatro – tragédia grega)  Muitos períodos artísticos foram influenciados pelo ideal de belo sublimado. A arte como função poética é estudada desde a Grécia Antiga até os dias atuais, em razão de compreender o que é arte e por que a fazemos.
  • 7. A Arte além das aparências - Estética  A noção de Estética, formulada e desenvolvida nos séculos XVIII e XIX, concebia a Arte como belas artes e pressupunha, entre outras coisas, que a Arte é produto da sensibilidade, da imaginação e da inspiração do artista.  Para Kant, o belo é subjetivo, está associado a sensações.  Para Hegel, o belo é espiritual, é um conceito, apenas. Estudou apenas o belo artístico.
  • 8.  “A Estética, enquanto reflexão filosófica, busca compreender, num primeiro momento, o que é beleza, o que é belo. A preocupação com o belo, com a arte e com a sensibilidade” é própria da reflexão estética. Não se trata de “uma discussão de preferências, simplesmente com o fim de uniformizar os gostos. Então, ela não poderá ser normativa, determinando o que deve ser, obrigatoriamente, apreciado por todos.” (Filosofia. Vários autores. Curitiba: SEED-PR, 2006, p. 272).
  • 9. Conceito de Belo  Belo- capacidade de expressar sentimentos e emoções.  Forma plástica dos sentimentos. Noite estrelada – Van Gogh. A persistência da memória - Dalí.
  • 10. Conceito de beleza  Beleza – o que dá prazer. Madona – Rafael Sanzio. Renascimento
  • 11.  Beleza – Exercício da intuição do Artista La ville – Fernand Léger. Abstracionismo.
  • 12. Padrões evolutivos de beleza Antiguidade - Egípcios e Gregos: Idealização da natureza e do homem. Venus de Milo. Grécia Clássica.
  • 13. Padrões evolutivos de beleza Mosaico Bizantino. Idade Média - Ideal divino de sociedade e natureza
  • 14. Padrões evolutivos de beleza Modernidade - Libertação dos padrões estéticos. Retirantes – Candido Portinari.
  • 15. Padrões evolutivos de beleza Arte mulçumana. Afresco. Sociedade Oriental - Ideal de beleza instintivo e abstrato.
  • 16. Elementos de observação nas artes plásticas (Como analisar um objeto artístico?)  Harmonia – Arranjo das formas e cores no espaço. Anunciação – Leonardo da Vinci.
  • 17. Elementos de observação nas artes plásticas (Como analisar um objeto artístico?)  Linearidade e simetria – rigor na disposição dos volumes e das massas. Catedral de Brasília – Oscar Niemeyer
  • 18. Elementos de observação nas artes plásticas (Como analisar um objeto artístico?)  Perspectiva – divisão das formas nos planos de visão. Madona – Giotto. Mona Lisa – Leonardo da Vinci
  • 19. Elementos de observação nas artes plásticas (Como analisar um objeto artístico?)  Luz e sombra – volume, movimento, profundidade. Narciso – Caravaggio.
  • 20. Seja curioso! Pesquise mais sobre esses termos em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br