SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
Em clara manhã de primavera encontraram-se na mesma via, a VAIDADE, o
EVANGELHO e o DISCÍPULO...
Divaldo Franco - Revista o Reformador.
O QUE É VAIDADE ?
 Característica daquilo que é vão, que não possui
conteúdo e se baseia numa aparência falsa, mentirosa,
ideia exageradamente positiva que alguém faz de si
mesmo.
Ela pode ocorrer quando acredito que o outro pode
ser melhor do que eu, porem, NECESSITO que ele me
NOTE, percebendo a minha existência.
A VAIDADE é uma brecha moral que infelicita bastante
a humanidade.
A luta por posições de realce ocupa muito tempo das
criaturas.
Mesmo quem não tem vocação para encargos
elevados, frequentemente o procura. E não o faz por
espírito de serviço, mas para aparecer.
Valoriza-se muito a vitória aparente no mundo, mesmo
quando conquistada a custa da própria paz.
Mas será que isso compensa?
Não valerá mais a pena viver humildemente, mas com
dignidade?
 Desejo contumaz e meramente ilusório de atrair a
atenção e a admiração dos outros, a vaidade é um desvio
de conduta no cenário cristão.
O encarnado, orgulhoso dos seus feitos e proezas, por
vezes iludido que é, crê-se superior aos semelhantes e, por
isso, é vaidoso.
Egoísta por natureza, cultiva a sua melhor imagem, fátuo
que é, para chamar a si o melhor tratamento possível e
reverências de toda espécie.
Nutre-se dessa adulação e provoca em si mesmo um
rompante de triunfo, inócuo e leviano.
Repletas estão as zonas escurecidas de vaidosos Espíritos
que, ao deixar a carne, perdem-se diante da realidade e
não mais conseguem manter o equilíbrio necessário para
não se rebelar contra Deus.
O precário estágio evolutivo da humanidade faz com que a
vaidade seja encarada muitas vezes como virtude.
Cultivada ao lado do materialismo, ela é fonte de ruptura
dos valores cristãos, pois fomenta ainda mais o egoísmo,
o individualismo e a superficialidade das condutas
= Apresentação pessoal exuberante (no vestir, nos
adornos usados, nos gestos afetados);
= Evidência de qualidades intelectuais, não
poupando referências à própria pessoa, ou a algo
que realiza;
= Esforço em realçar dotes físicos, culturais ou
sociais com notória antipatia provocada aos demais;
= Intolerância para com aqueles cuja condição
social ou intelectual é mais humilde, não evitando a
eles referências desairosas;
= Aspiração a cargos ou posições de destaque que
acentuem as referências respeitosas ou elogiosas à
sua pessoa;
= Não reconhecimento de sua própria culpabilidade
nas situações de descontentamento diante de
infortúnios por que passa; sente-se vítima.
= Obstrução mental na capacidade de se
autoanalisar, não aceitando suas possíveis falhas
ou erros, culpando vagamente a sorte, a infelicidade
imerecida, o azar.
A vaidade é prima irmã do
ORGULHO
Algumas características:
AS VARIAS FORMAS DA VAIDADE:
- Sempre tem a última palavra, por relevante que seja o
argumento alheio, o vaidoso não dá o devido valor, pois
se assim o fizer, diminuirá seu próprio brilho.
-Tem dificuldade em admitir que erra, mesmo sendo
evidente – não consegue perceber a grandeza em assumir
um equivoco.
-Tem dificuldade de perdoar, pois considera muito
importante a própria personalidade. Não raro, as ofensas
que lhe fazem são gravíssimas, já os prejuízos que causa
aos outros são pequenos.
- Considera o próximo menos que ele próprio, pois dá-se
uma importância desmedida, imaginando que os outros
gastam horas refletindo sobre seus feitos. Por conta disto
se sente compelido a parecer cada vez mais evidente.
- Como todo VICIO MORAL, a VAIDADE impede uma
apreciação precisa da realidade.
Quem porta este defeito não percebe que apenas se
complica, ao cultivá-lo ; que seria muito mais feliz se
vivesse com simplicidade;
Que ninguém lhe dá assim tanta importância ou se
preocupa muito com eles.
- Que ao tentar brilhar cada vez mais, frequentemente caí
no ridículo, tornando-se alvo de chacota.
A VAIDADE
Esta quase sempre dentro de nós e dela os espiritos
inferiores se servem para abrir caminhos às mais
variadas formas de perturbação entre próprios
amigos e familiares.
A vaidade, quando se manifesta seja através de uma
postura física, gestos estudados, retorica no falar,
atitudes intempestivas, reações arrogantes, reflete
geralmente, uma DEFORMAÇÃO de colocação da
pessoa, face aos valores pessoais que a sociedade
estabeleceu.
A aparência, os gestos, o palavreado quanto mais
artificiais e exuberantes mais chamam a atenção e
isso agrada quem quer ser NOTADO, satisfazendo
sua necessidade pessoal de ser observado,
comentado, badalado.
No intimo a pessoa que assim se mostra, reflete
grande INSEGURANÇA e acentuada CARENCIA de
AFETO, geralmente, oriundos de fatores
desencadeados na infância ou adolescência.
FIXAÇÕES de imagens que a criança MODELOU em
algumas maneiras de apresentação dos pais, ou
professores..
- O vaidoso muitas vezes, acaba
sem perceber desempenhando
um personagem que escolheu.
No seu íntimo é sempre bem diferente daquele que
aparenta, e, de alguma forma, essa dualidade lhe
causa conflitos, pois sofre com tudo isso, sentindo
necessidade de encontrar-se a si mesmo, embora às
vezes sem saber como.
O mais prejudicial nisso tudo é que as fixações
mentais nos personagens selecionados podem
estabelecer e conduzir a enormes bloqueios do
sentimento, levando as criaturas a assumirem um
caráter endurecido, insensível, de atitudes frias e
grosseiras.
O Aprendiz do Evangelho terá aí um extraordinário
campo de reflexão, de análise tranqüila, para
aprofundar-se até as raízes que geraram aquelas
deformações, ao mesmo tempo que precisa identificar
suas características autênticas, o seu verdadeiro
modo de ser, para então despir a roupagem teatral que
utilizava e colocar-se amadurecidamente, assumindo
todo o seu íntimo, com disposição de melhorar
sempre.
Artigo – O orgulho e a vaidade - Manual Prático do
Espírita – Ney Prieto Peres.
“NÃO CONFIE NA
VAIDADE,
ENGANANDO-SE A
SI MESMO,PORQUE
A VAIDADE SERÁ A
SUA
RECOMPENSA”.
(Lv.JÔ-cap.15.vs.13)
AUTOESTIMA
 refere a capacidade que temos
de ESTIMAR a nós mesmos e,
ESTIMAR é CUIDAR. Tem a ver
com a imagem que fazemos de
nós mesmos, estando
relacionada com a nossa
autovalorização, auto apreciação
e auto amor.
VAIDADE
 Esta relacionada a uma
pessoa que faz as coisas
pensando em se mostrar para as
pessoas, em ser notado, uma
forma de auto afirmação.
Qualquer excesso ou intenção de atrair admiração passa
ao campo da vaidade, por isso, esse desvio é muito mais
interno do que externo.
Quando nos esforçamos para passar uma imagem de:
bonzinhos, caridosos, humildes, usando uma mascara, na
verdade estamos expressando nossa vaidade, talvez, mais
vaidoso do que aquele preocupado com sua aparência
externa.
O ponto crucial consiste em como o indivíduo deseja ser
visto e admirado. Pode haver uma pessoa muito bem
trajada que mal tenha noção disso, pois natural e
irrelevante para seu âmago.
Outra, no entanto, ainda que mal arrumada, pode sentir-se
no ápice da sua forma e da sua aparência, julgando
conquistar a todos ao seu redor. Estará sendo vaidosa.
Lutar contra o materialismo é o primeiro ponto alto desse
embate.
Praticar a caridade com constância, um segundo elemento
indispensável.
Finalmente, como terceiro, mas não último ponto, está o
exercício da humildade e da REFORMA ÍNTIMA.
AUTOESTIMA OU VAIDADE ?
TESTE SEU CARÁTER REFLETINDO SE NÃO
POSSUI EXCESSO DE VAIDADE:
a) Você reconhece facilmente seus erros?
b) Elogia as virtudes e os sucessos alheios?
c) Quando se filia a uma causa, o faz por ideal ou para
aparecer?
d) Admite quando a razão está com os outros?
e) Tem tendência a se comparar com os outros? Achar-se
mais bonito, inteligente ou, com mais virtudes do que o
próximo?
Caso se reconheça VAIDOSO(a), tome cuidado com seus
atos, esforçando-se para perceber seu real papel no mundo.
REFLITA que a VAIDADE é um peso a ser carregado ao longo
do tempo.
Simplifique sua vida, valorize os outros, admita seus
equívocos.
Ao abrir mão da VAIDADE, seu viver se tornara muito mais
leve e prazeroso.
a) Pesar as consequências dos atos.
b) Evitar comentários que provoquem
separação, intriga e desentendimento.
c) Afastar-se de situações que levem a
erros.
d) Renunciar a desejos caprichosos.
e) Pesar ideias, pensamentos,
impressões, antes de falar, evitando a
má informação.
f) Agir com discrição.
g) Controlar hábitos e costumes que
levem ao desequilíbrio físico e
emocional.
i) Utilizar talentos em prol do bem
comum com circunspecção e modéstia.
O OPOSTO DA VAIDADE
- Modéstia – sobriedade –
discrição – recato –
simplicidade – despojamento –
humildade – naturalidade –
despretensão.
Superar a vaidade é um impositivo para ser mais feliz.
Quanto menos preocupado estiver o homem com a
aparência e mais se ligar ao conteúdo do que é e do que
faz, melhores condições terá de conquistar tranquilidade e
paz de espírito.
Não é processo fácil deixar de ser vaidoso.
Trata-se de uma luta complexa, dentro do contexto de
reforma íntima.
O primeiro passo é pensar menos em si e mais no
semelhante.
Querer mudar é outro fator indispensável.
Sem tal ingrediente o encarnado continuará atrelado à
fatuidade.
Ser simples, humilde e modesto, elementos do homem
cristão, faz parte da luta contra a vaidade.
Quando o ser humano conseguir progresso nesse campo
dos seus desvios de conduta, sentir-se-á mais leve,
menos afogado pela pressão de ser o que não é.
Por que não tentar para sentir a diferença?
“A virtude, no mais alto grau, é o conjunto de todas as
qualidades essenciais que constituem o homem de
bem. (...) aquele que faz alarde de sua virtude não é
virtuoso, pois lhe falta a principal qualidade: a
modéstia.
E sobra-lhe o vício mais oposto: o orgulho.
A virtude realmente digna desse nome não gosta de exibir-se. (....)
É para essa virtude, assim compreendida e praticada, que eu vos
convido , a consagrar-vos.
Mas afastai de vossos corações o sentimento do
orgulho, da vaidade, do amor-próprio, que deslustram
sempre as mais belas qualidades. (....) Mais vale menos
virtudes na modéstia, do que muitas no orgulho.
Foi pelo orgulho que as humanidades se perderam
sucessivamente
É pela humildade que elas um dia deverão redimir-se”
Evangelho AK – Cap.XVII

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososDivulgador do Espiritismo
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitóriosigmateus
 
Influência dos espíritos em nossas vidas 1,5h
Influência dos espíritos em nossas vidas   1,5hInfluência dos espíritos em nossas vidas   1,5h
Influência dos espíritos em nossas vidas 1,5hhome
 
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educaçãoPalestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educaçãoDivulgador do Espiritismo
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososEduardo Ottonelli Pithan
 
Há muitas moradas na casa do pai
Há muitas moradas na casa do paiHá muitas moradas na casa do pai
Há muitas moradas na casa do paiGianete Rocha
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãohome
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Clair Bianchini
 
O argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhoO argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhohome
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliRoseli Lemes
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIgrupodepaisceb
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardecmarjoriestavismeyer
 

Mais procurados (20)

O Auto Perdão - Espiritismo
O Auto Perdão - EspiritismoO Auto Perdão - Espiritismo
O Auto Perdão - Espiritismo
 
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMOMEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
 
ÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão EspíritaÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão Espírita
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitórios
 
Influência dos espíritos em nossas vidas 1,5h
Influência dos espíritos em nossas vidas   1,5hInfluência dos espíritos em nossas vidas   1,5h
Influência dos espíritos em nossas vidas 1,5h
 
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educaçãoPalestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
 
Aula espiritos errantes
Aula espiritos errantesAula espiritos errantes
Aula espiritos errantes
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
 
Há muitas moradas na casa do pai
Há muitas moradas na casa do paiHá muitas moradas na casa do pai
Há muitas moradas na casa do pai
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
O argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhoO argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olho
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 

Semelhante a Desmascarando a VAIDADE

Semelhante a Desmascarando a VAIDADE (20)

Nossos Defeitos e o ORGULHO
Nossos Defeitos e o ORGULHONossos Defeitos e o ORGULHO
Nossos Defeitos e o ORGULHO
 
VAIDADE - PEDRA DO SOL
VAIDADE - PEDRA DO SOLVAIDADE - PEDRA DO SOL
VAIDADE - PEDRA DO SOL
 
Parábola do Últimos Lugares
Parábola do Últimos LugaresParábola do Últimos Lugares
Parábola do Últimos Lugares
 
Amadurecimento psicológico
Amadurecimento psicológicoAmadurecimento psicológico
Amadurecimento psicológico
 
O Homem Integral - Capítulo 3
O Homem Integral - Capítulo 3O Homem Integral - Capítulo 3
O Homem Integral - Capítulo 3
 
Apresentação3
Apresentação3Apresentação3
Apresentação3
 
Resenha espirita on line 129
Resenha espirita on line 129Resenha espirita on line 129
Resenha espirita on line 129
 
Críticos impiedosos
Críticos impiedososCríticos impiedosos
Críticos impiedosos
 
aautoestima_Anderson.pdf
aautoestima_Anderson.pdfaautoestima_Anderson.pdf
aautoestima_Anderson.pdf
 
A autoestima
A autoestimaA autoestima
A autoestima
 
ESTUDANDO A ARROGÂNCIA.pptx
ESTUDANDO A ARROGÂNCIA.pptxESTUDANDO A ARROGÂNCIA.pptx
ESTUDANDO A ARROGÂNCIA.pptx
 
Auto encontro - O ser humano diante de si
Auto encontro - O ser humano diante de siAuto encontro - O ser humano diante de si
Auto encontro - O ser humano diante de si
 
Estudo do evangelho
Estudo do evangelhoEstudo do evangelho
Estudo do evangelho
 
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"
 
Abnegação e humildade 1
Abnegação e humildade 1Abnegação e humildade 1
Abnegação e humildade 1
 
Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
 
COMO ANDA SUA AUTOESTIMA na visão Espiritualistalideshare.pptx
COMO ANDA SUA AUTOESTIMA  na visão Espiritualistalideshare.pptxCOMO ANDA SUA AUTOESTIMA  na visão Espiritualistalideshare.pptx
COMO ANDA SUA AUTOESTIMA na visão Espiritualistalideshare.pptx
 
Raiva
RaivaRaiva
Raiva
 
Auto Conhecer-se !
Auto Conhecer-se !Auto Conhecer-se !
Auto Conhecer-se !
 
Causas da obsessão pedro vieira
Causas da obsessão   pedro vieiraCausas da obsessão   pedro vieira
Causas da obsessão pedro vieira
 

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ (20)

ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
 
AS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMAAS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMA
 
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdfAUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
 
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docxA PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
 
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITASONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
 
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docxIMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
 
DROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITADROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITA
 
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 BUDA  - HERMANN HESSE.pptx BUDA  - HERMANN HESSE.pptx
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃOO FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
 
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docxNOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
 
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO . PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
 
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMADEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
 
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
 
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptxNIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
 
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptxREFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
 
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADEAUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
 
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um  uma pedra preciosa adormecida. Somos como um  uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
 
REFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIORREFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIOR
 
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTADEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
 

Último

Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoInsituto Propósitos de Ensino
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoInsituto Propósitos de Ensino
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiamaysa997520
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 

Último (11)

Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 

Desmascarando a VAIDADE

  • 1. Em clara manhã de primavera encontraram-se na mesma via, a VAIDADE, o EVANGELHO e o DISCÍPULO... Divaldo Franco - Revista o Reformador.
  • 2.
  • 3. O QUE É VAIDADE ?  Característica daquilo que é vão, que não possui conteúdo e se baseia numa aparência falsa, mentirosa, ideia exageradamente positiva que alguém faz de si mesmo. Ela pode ocorrer quando acredito que o outro pode ser melhor do que eu, porem, NECESSITO que ele me NOTE, percebendo a minha existência. A VAIDADE é uma brecha moral que infelicita bastante a humanidade. A luta por posições de realce ocupa muito tempo das criaturas. Mesmo quem não tem vocação para encargos elevados, frequentemente o procura. E não o faz por espírito de serviço, mas para aparecer. Valoriza-se muito a vitória aparente no mundo, mesmo quando conquistada a custa da própria paz. Mas será que isso compensa? Não valerá mais a pena viver humildemente, mas com dignidade?
  • 4.  Desejo contumaz e meramente ilusório de atrair a atenção e a admiração dos outros, a vaidade é um desvio de conduta no cenário cristão. O encarnado, orgulhoso dos seus feitos e proezas, por vezes iludido que é, crê-se superior aos semelhantes e, por isso, é vaidoso. Egoísta por natureza, cultiva a sua melhor imagem, fátuo que é, para chamar a si o melhor tratamento possível e reverências de toda espécie. Nutre-se dessa adulação e provoca em si mesmo um rompante de triunfo, inócuo e leviano. Repletas estão as zonas escurecidas de vaidosos Espíritos que, ao deixar a carne, perdem-se diante da realidade e não mais conseguem manter o equilíbrio necessário para não se rebelar contra Deus. O precário estágio evolutivo da humanidade faz com que a vaidade seja encarada muitas vezes como virtude. Cultivada ao lado do materialismo, ela é fonte de ruptura dos valores cristãos, pois fomenta ainda mais o egoísmo, o individualismo e a superficialidade das condutas
  • 5. = Apresentação pessoal exuberante (no vestir, nos adornos usados, nos gestos afetados); = Evidência de qualidades intelectuais, não poupando referências à própria pessoa, ou a algo que realiza; = Esforço em realçar dotes físicos, culturais ou sociais com notória antipatia provocada aos demais; = Intolerância para com aqueles cuja condição social ou intelectual é mais humilde, não evitando a eles referências desairosas; = Aspiração a cargos ou posições de destaque que acentuem as referências respeitosas ou elogiosas à sua pessoa; = Não reconhecimento de sua própria culpabilidade nas situações de descontentamento diante de infortúnios por que passa; sente-se vítima. = Obstrução mental na capacidade de se autoanalisar, não aceitando suas possíveis falhas ou erros, culpando vagamente a sorte, a infelicidade imerecida, o azar. A vaidade é prima irmã do ORGULHO Algumas características:
  • 6. AS VARIAS FORMAS DA VAIDADE: - Sempre tem a última palavra, por relevante que seja o argumento alheio, o vaidoso não dá o devido valor, pois se assim o fizer, diminuirá seu próprio brilho. -Tem dificuldade em admitir que erra, mesmo sendo evidente – não consegue perceber a grandeza em assumir um equivoco. -Tem dificuldade de perdoar, pois considera muito importante a própria personalidade. Não raro, as ofensas que lhe fazem são gravíssimas, já os prejuízos que causa aos outros são pequenos. - Considera o próximo menos que ele próprio, pois dá-se uma importância desmedida, imaginando que os outros gastam horas refletindo sobre seus feitos. Por conta disto se sente compelido a parecer cada vez mais evidente. - Como todo VICIO MORAL, a VAIDADE impede uma apreciação precisa da realidade. Quem porta este defeito não percebe que apenas se complica, ao cultivá-lo ; que seria muito mais feliz se vivesse com simplicidade; Que ninguém lhe dá assim tanta importância ou se preocupa muito com eles. - Que ao tentar brilhar cada vez mais, frequentemente caí no ridículo, tornando-se alvo de chacota.
  • 7. A VAIDADE Esta quase sempre dentro de nós e dela os espiritos inferiores se servem para abrir caminhos às mais variadas formas de perturbação entre próprios amigos e familiares. A vaidade, quando se manifesta seja através de uma postura física, gestos estudados, retorica no falar, atitudes intempestivas, reações arrogantes, reflete geralmente, uma DEFORMAÇÃO de colocação da pessoa, face aos valores pessoais que a sociedade estabeleceu. A aparência, os gestos, o palavreado quanto mais artificiais e exuberantes mais chamam a atenção e isso agrada quem quer ser NOTADO, satisfazendo sua necessidade pessoal de ser observado, comentado, badalado. No intimo a pessoa que assim se mostra, reflete grande INSEGURANÇA e acentuada CARENCIA de AFETO, geralmente, oriundos de fatores desencadeados na infância ou adolescência. FIXAÇÕES de imagens que a criança MODELOU em algumas maneiras de apresentação dos pais, ou professores..
  • 8. - O vaidoso muitas vezes, acaba sem perceber desempenhando um personagem que escolheu. No seu íntimo é sempre bem diferente daquele que aparenta, e, de alguma forma, essa dualidade lhe causa conflitos, pois sofre com tudo isso, sentindo necessidade de encontrar-se a si mesmo, embora às vezes sem saber como. O mais prejudicial nisso tudo é que as fixações mentais nos personagens selecionados podem estabelecer e conduzir a enormes bloqueios do sentimento, levando as criaturas a assumirem um caráter endurecido, insensível, de atitudes frias e grosseiras. O Aprendiz do Evangelho terá aí um extraordinário campo de reflexão, de análise tranqüila, para aprofundar-se até as raízes que geraram aquelas deformações, ao mesmo tempo que precisa identificar suas características autênticas, o seu verdadeiro modo de ser, para então despir a roupagem teatral que utilizava e colocar-se amadurecidamente, assumindo todo o seu íntimo, com disposição de melhorar sempre. Artigo – O orgulho e a vaidade - Manual Prático do Espírita – Ney Prieto Peres.
  • 9. “NÃO CONFIE NA VAIDADE, ENGANANDO-SE A SI MESMO,PORQUE A VAIDADE SERÁ A SUA RECOMPENSA”. (Lv.JÔ-cap.15.vs.13)
  • 10. AUTOESTIMA  refere a capacidade que temos de ESTIMAR a nós mesmos e, ESTIMAR é CUIDAR. Tem a ver com a imagem que fazemos de nós mesmos, estando relacionada com a nossa autovalorização, auto apreciação e auto amor. VAIDADE  Esta relacionada a uma pessoa que faz as coisas pensando em se mostrar para as pessoas, em ser notado, uma forma de auto afirmação.
  • 11. Qualquer excesso ou intenção de atrair admiração passa ao campo da vaidade, por isso, esse desvio é muito mais interno do que externo. Quando nos esforçamos para passar uma imagem de: bonzinhos, caridosos, humildes, usando uma mascara, na verdade estamos expressando nossa vaidade, talvez, mais vaidoso do que aquele preocupado com sua aparência externa. O ponto crucial consiste em como o indivíduo deseja ser visto e admirado. Pode haver uma pessoa muito bem trajada que mal tenha noção disso, pois natural e irrelevante para seu âmago. Outra, no entanto, ainda que mal arrumada, pode sentir-se no ápice da sua forma e da sua aparência, julgando conquistar a todos ao seu redor. Estará sendo vaidosa. Lutar contra o materialismo é o primeiro ponto alto desse embate. Praticar a caridade com constância, um segundo elemento indispensável. Finalmente, como terceiro, mas não último ponto, está o exercício da humildade e da REFORMA ÍNTIMA. AUTOESTIMA OU VAIDADE ?
  • 12. TESTE SEU CARÁTER REFLETINDO SE NÃO POSSUI EXCESSO DE VAIDADE: a) Você reconhece facilmente seus erros? b) Elogia as virtudes e os sucessos alheios? c) Quando se filia a uma causa, o faz por ideal ou para aparecer? d) Admite quando a razão está com os outros? e) Tem tendência a se comparar com os outros? Achar-se mais bonito, inteligente ou, com mais virtudes do que o próximo? Caso se reconheça VAIDOSO(a), tome cuidado com seus atos, esforçando-se para perceber seu real papel no mundo. REFLITA que a VAIDADE é um peso a ser carregado ao longo do tempo. Simplifique sua vida, valorize os outros, admita seus equívocos. Ao abrir mão da VAIDADE, seu viver se tornara muito mais leve e prazeroso.
  • 13. a) Pesar as consequências dos atos. b) Evitar comentários que provoquem separação, intriga e desentendimento. c) Afastar-se de situações que levem a erros. d) Renunciar a desejos caprichosos. e) Pesar ideias, pensamentos, impressões, antes de falar, evitando a má informação. f) Agir com discrição. g) Controlar hábitos e costumes que levem ao desequilíbrio físico e emocional. i) Utilizar talentos em prol do bem comum com circunspecção e modéstia. O OPOSTO DA VAIDADE - Modéstia – sobriedade – discrição – recato – simplicidade – despojamento – humildade – naturalidade – despretensão.
  • 14. Superar a vaidade é um impositivo para ser mais feliz. Quanto menos preocupado estiver o homem com a aparência e mais se ligar ao conteúdo do que é e do que faz, melhores condições terá de conquistar tranquilidade e paz de espírito. Não é processo fácil deixar de ser vaidoso. Trata-se de uma luta complexa, dentro do contexto de reforma íntima. O primeiro passo é pensar menos em si e mais no semelhante. Querer mudar é outro fator indispensável. Sem tal ingrediente o encarnado continuará atrelado à fatuidade. Ser simples, humilde e modesto, elementos do homem cristão, faz parte da luta contra a vaidade. Quando o ser humano conseguir progresso nesse campo dos seus desvios de conduta, sentir-se-á mais leve, menos afogado pela pressão de ser o que não é. Por que não tentar para sentir a diferença?
  • 15. “A virtude, no mais alto grau, é o conjunto de todas as qualidades essenciais que constituem o homem de bem. (...) aquele que faz alarde de sua virtude não é virtuoso, pois lhe falta a principal qualidade: a modéstia. E sobra-lhe o vício mais oposto: o orgulho. A virtude realmente digna desse nome não gosta de exibir-se. (....) É para essa virtude, assim compreendida e praticada, que eu vos convido , a consagrar-vos. Mas afastai de vossos corações o sentimento do orgulho, da vaidade, do amor-próprio, que deslustram sempre as mais belas qualidades. (....) Mais vale menos virtudes na modéstia, do que muitas no orgulho. Foi pelo orgulho que as humanidades se perderam sucessivamente É pela humildade que elas um dia deverão redimir-se” Evangelho AK – Cap.XVII