SlideShare uma empresa Scribd logo
Vontade
e
Renovação
Mateus 9: 17
Nem se deita vinho novo em odres
velhos; aliás rompem-se os odres, e
entorna-se o vinho, e os odres estragam-
se; mas deita-se vinho novo em odres
novos, e assim ambos se conservam.
2
Vontade e Renovação.pptx
Vontade e Renovação.pptx
O problema do ser, do destino e
da dor – cap. XX – Leon Denis
Na maior parte dos homens os pensamentos
flutuam sem cessar. Sua mobilidade constante e
sua variedade infinita oferecem limitado acesso
às influências superiores. É preciso saber se
concentrar, colocar o pensamento acorde com
o pensamento divino. Então, a alma humana é
fecundada pelo Espírito divino, que a envolve e
penetra, tornando-a apta a realizar nobres tarefas
(...). É pela vontade que dirigimos nossos
pensamentos para um alvo determinado.
5
O que é a Vontade?
Comparemos a mente humana – espelho vivo da
consciência lúcida – a um grande escritório, subdividido
em diversas seções de serviço. (Pensamento e Vida – cap. 2 -
Emmanuel/Chico Xavier)
6
DESEJO
Propósitos e
aspirações ;
estímulo ao
trabalho
INTELIGÊNCI
A
Patrimônios
da evolução
e da cultura
IMAGINAÇÃ
O
Riquezas do
ideal e da
sensibilidad
e
MEMÓRIA
Súmulas da
experiência
O que é a Vontade?
A Vontade é a gerência esclarecida e vigilante,
governando todos os setores da ação mental.(Pensamento e
Vida – cap.2 – Emmanuel/Chico Xavier)
7
DESEJO INTELIGÊNCIA
IMAGINAÇÃO MEMÓRIA
VONTADE
Ação da Vontade
Sem ela, o Desejo pode comprar ao
engano aflitivos séculos de reparação e
sofrimento, a Inteligência pode aprisionar-
se na enxovia da criminalidade, a
Imaginação pode gerar perigosos
monstros na sombra, e a Memória, não
obstante fiel à sua função de registradora,
conforme a destinação que a Natureza lhe
assinala, pode cair em deplorável
relaxamento. 8
O Problema do Ser, do Destino
e da Dor – cap. XX - Leon
Denis
O QUE É A
VONTADE ?
Vontade x Más inclinações
907. Será substancialmente mau o princípio
originário das paixões, embora esteja na
natureza?
O“Não; a paixão está no excesso de que se
acresceu a vontade, visto que o princípio
que lhe dá origem foi posto no homem
para o bem, tanto que as paixões podem
levá-lo à realização de grandes coisas. O
abuso que delas se faz é que causa o mal.”
10
Vontade x Más inclinações
908. Como se poderá determinar o limite onde as
paixões deixam de ser boas para se tornarem más?
O“As paixões são como um corcel, que só tem
utilidade quando governado e que se torna
perigoso desde que passe a governar. Uma
paixão se torna perigosa a partir do momento em
que deixais de poder governá-la e que dá em
resultado um prejuízo qualquer para vós
mesmos, ou para outrem.”
OExemplos de Paulo de Tarso, água, fogo, vento
11
Vontade x Fé
Se todos os encarnados se achassem bem
persuadidos da força que em si trazem, e se
quisessem pôr a vontade a serviço dessa força,
seriam capazes de realizar o a que, até hoje, eles
chamaram prodígios e que, no entanto, não
passa de um desenvolvimento das faculdades
humanas....
12
ESE – cap.
XIX item 12
Vontade e Renovação.pptx
A FÉ
TRANSPORTA
MONTANHAS.
Internas (hábitos
cristalizados) e
Externas (convenções
sociais)
Evangelho Segundo o Espiritismo – cap. XIX 14
Vontade x Fé
Vontade e Renovação.pptx
Vontade e Reforma Íntima
Querer é poder! O poder da
vontade é ilimitado. O
homem, consciente de si
mesmo, de seus recursos
latentes, sente crescerem
suas forças na razão dos
esforços.
Problema do Ser, do Destino e da Dor – cap. XX – Leon Denis
16
Vontade otimiza a Evolução
121. Por que é que alguns Espíritos seguiram o
caminho do bem e outros o do mal?
“Não têm eles o livre-arbítrio? Deus não os criou maus;
criou-os simples e ignorantes, isto é, tendo tanta
aptidão para o bem quanta para o mal. Os que são
maus, assim se tornaram por vontade própria.”
124. Pois que há Espíritos que desde o princípio
seguem o caminho do bem absoluto e outros o do mal
absoluto, deve haver, sem dúvida, gradações entre esses
dois extremos. Não?
“Sim, certamente, e os que se acham nos graus
intermédios constituem a maioria.” 17
JESUS - GUIA E MODELO
“Eu e o Pai somos um”
“243 –Todos os Espíritos que passaram pela Terra
tiveram as mesmas características evolutivas, no que se
refere ao problema da dor?
Todas as entidades espirituais encarnadas no orbe
terrestre são Espíritos que se resgatam ou aprendem
nas experiências humanas, após as quedas do passado,
com exceção de Jesus-Cristo, fundamento de toda a
verdade neste mundo, cuja evolução se verificou em
linha reta para Deus, e em cujas mãos angélicas
repousa o governo espiritual do planeta, desde os seus
primórdios. (O Consolador – Emmanuel) 18
Reforma íntima x Ego x SER
Há em toda alma humana dois centros ou, melhor,
duas esferas de ação e expressão. Uma delas, a
exterior, manifesta a personalidade, o “eu”, com
suas paixões, suas fraquezas, sua mobilidade,
sua insuficiência. Enquanto ela for a reguladora
de nosso proceder, teremos a vida inferior,
semeada de provações e males. A outra, interna,
profunda, imutável, é, ao mesmo tempo, a sede da
consciência, a fonte da vida espiritual, o templo
de Deus em nós. É somente quando esse centro
de ação domina o outro, quando suas impulsões
nos dirigem, que se revelam nossas potências
ocultas e que o Espírito se afirma em seu brilho e
beleza.
O Problema do Ser, do Destino e da Dor – cap. XX
19
Vontade e Renovação.pptx
Reforma Íntima:
Amai-vos e instrui-vos
Espirito de Verdade (ESE)
O O hábito é uma esteira de reflexos mentais
acumulados, operando constante indução à
rotina. (Pensamento e Vida – cap. 20)
OCultura é a soma de lições infinitamente
repetitivas no tempo.
OVirtude é o resultado de experiências
incomensuravelmente recapituladas na vida.
(Rumo Certo – lição 23 – Emmanuel)
22
EQUAÇÃO DA VIDA
Reforma íntima na prática
Sentir
Pensar
Fazer
• O reflexo esboça a
emotividade.
• A emotividade plasma a
ideia.
• A ideia determina a
atitude e a palavra que
comandam as ações.
Emmanuel – Pensamento e Vida – Cap. 01
Compromisso com a Vontade
Não é consolador e belo poder dizer: “Sou uma
inteligência e uma vontade livres; a mim mesmo me
fiz, inconscientemente, através das idades; edifiquei
lentamente minha individualidade e liberdade e agora
conheço a grandeza e a força que há em mim.
Amparar-me-ei nelas; não deixarei que uma simples
dúvida as empane por um instante sequer e, fazendo
uso delas com o auxílio de Deus e de meus irmãos do
espaço, elevar-me-ei acima de todas as dificuldades;
vencerei o mal em mim; desapegar-me-ei de tudo o
que me acorrenta às coisas grosseiras para levantar o
voo para os mundos felizes!”
O Problema do Ser, do Destino e da Dor – cap. XX 23
Convite da Vontade
Minha vontade chama-me: “Para frente, sempre para
frente, cada vez mais conhecimento, mais vida, vida
divina!” E com ela conquistarei a plenitude da existência,
construirei para mim uma personalidade melhor, mais
radiosa e amante. Saí para sempre do estado inferior do ser
ignorante, inconsciente de seu valor e poder; afirmo-me na
independência e dignidade de minha consciência e estendo
a mão a todos os meus irmãos, dizendo-lhes: Despertai de
vosso pesado sono; rasgai o véu material que vos envolve,
aprendei a conhecer-vos, a conhecer as potências de vossa
alma e a utilizá-las. Todas as vozes da Natureza, todas as
vozes do espaço vos bradam: “Levantai-vos e marchai!
Apressai-vos para a conquista de vossos destinos!”
O Problema do Ser, do Destino e da Dor – cap. XX 24
25
SEDE PERFEITOS!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
Leonardo Pereira
 
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
Jorge Luiz dos Santos
 
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Tiburcio Santos
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Divulgador do Espiritismo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 17 - Intercessão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 17 - IntercessãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 17 - Intercessão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 17 - Intercessão
Ricardo Azevedo
 
As bases do transformar se
As bases do transformar seAs bases do transformar se
As bases do transformar se
paikachambi
 
Capitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Capitulo VI - Evangelho Segundo EspiritismoCapitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Capitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Jean Dias
 
Jesus ontem, hoje e sempre
Jesus ontem, hoje e sempreJesus ontem, hoje e sempre
Jesus ontem, hoje e sempre
Gorete Ferreira
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
Leonardo Pereira
 
Jesus e o templo - n.16
Jesus e o templo - n.16Jesus e o templo - n.16
Jesus e o templo - n.16
Graça Maciel
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
gmo1973
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Ansiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismoAnsiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismo
Welington Ernane Porfírio
 
O bem e o mal esde - leis divinas
O bem e o mal  esde - leis divinasO bem e o mal  esde - leis divinas
O bem e o mal esde - leis divinas
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Divulgador do Espiritismo
 
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismoOração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Deixai vir a mim as criançinhas
Deixai vir a mim as criançinhasDeixai vir a mim as criançinhas
Deixai vir a mim as criançinhas
Luciane Belchior
 
Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador
Wellington Sammuel M. da Silva
 
Alegria de Viver
Alegria de Viver Alegria de Viver
Alegria de Viver
Ricardo Azevedo
 
Aula 104 regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Aula 104   regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...Aula 104   regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Aula 104 regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Denise Tofoli
 

Mais procurados (20)

O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
 
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
 
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 17 - Intercessão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 17 - IntercessãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 17 - Intercessão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 17 - Intercessão
 
As bases do transformar se
As bases do transformar seAs bases do transformar se
As bases do transformar se
 
Capitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Capitulo VI - Evangelho Segundo EspiritismoCapitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
Capitulo VI - Evangelho Segundo Espiritismo
 
Jesus ontem, hoje e sempre
Jesus ontem, hoje e sempreJesus ontem, hoje e sempre
Jesus ontem, hoje e sempre
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
 
Jesus e o templo - n.16
Jesus e o templo - n.16Jesus e o templo - n.16
Jesus e o templo - n.16
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
Ansiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismoAnsiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismo
 
O bem e o mal esde - leis divinas
O bem e o mal  esde - leis divinasO bem e o mal  esde - leis divinas
O bem e o mal esde - leis divinas
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
 
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismoOração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
 
Deixai vir a mim as criançinhas
Deixai vir a mim as criançinhasDeixai vir a mim as criançinhas
Deixai vir a mim as criançinhas
 
Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador
 
Alegria de Viver
Alegria de Viver Alegria de Viver
Alegria de Viver
 
Aula 104 regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Aula 104   regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...Aula 104   regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Aula 104 regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
 

Semelhante a Vontade e Renovação.pptx

Reforma íntima: uma abordagem espírita
Reforma íntima:   uma abordagem espíritaReforma íntima:   uma abordagem espírita
Reforma íntima: uma abordagem espírita
EmmanuelSales4
 
Livro dos espiritos Q.459 e ESE cap3 item6
Livro dos espiritos Q.459 e ESE cap3 item6Livro dos espiritos Q.459 e ESE cap3 item6
Livro dos espiritos Q.459 e ESE cap3 item6
Patricia Farias
 
LE 907 ESE_cap13_item14
LE 907 ESE_cap13_item14LE 907 ESE_cap13_item14
LE 907 ESE_cap13_item14
Patricia Farias
 
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8 Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Patricia Farias
 
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
cak_sacramento
 
Evangeliza - Problema do Ser
Evangeliza - Problema do SerEvangeliza - Problema do Ser
Evangeliza - Problema do Ser
Antonino Silva
 
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Euzebio Raimundo da Silva
 
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Mediunidade Missao de amor e o evangellho do Cristo
Mediunidade Missao de amor e o  evangellho do Cristo Mediunidade Missao de amor e o  evangellho do Cristo
Mediunidade Missao de amor e o evangellho do Cristo
Claudio Macedo
 
VONTADE
VONTADEVONTADE
VONTADE
Marina Sahium
 
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráterEvangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
Antonino Silva
 
A Vontade
A VontadeA Vontade
A Vontade
Ceile Bernardo
 
Disciplina dos desejos
Disciplina dos desejosDisciplina dos desejos
Disciplina dos desejos
Antonino Silva
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Henrique Vieira
 
O Poder da Boa Vontade
O Poder da Boa VontadeO Poder da Boa Vontade
O Poder da Boa Vontade
Andrea Oliveira
 
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
OrdineGesu
 
A Mediunidade com Jesus
A Mediunidade com JesusA Mediunidade com Jesus
A Mediunidade com Jesus
Eduardo Henrique Marçal
 
A virtude
A virtudeA virtude
A virtude
Henrique Vieira
 
Pureza
PurezaPureza
Conquiste o inimigo venca a obsessao
Conquiste o inimigo   venca a obsessaoConquiste o inimigo   venca a obsessao
Conquiste o inimigo venca a obsessao
Henrique Vieira
 

Semelhante a Vontade e Renovação.pptx (20)

Reforma íntima: uma abordagem espírita
Reforma íntima:   uma abordagem espíritaReforma íntima:   uma abordagem espírita
Reforma íntima: uma abordagem espírita
 
Livro dos espiritos Q.459 e ESE cap3 item6
Livro dos espiritos Q.459 e ESE cap3 item6Livro dos espiritos Q.459 e ESE cap3 item6
Livro dos espiritos Q.459 e ESE cap3 item6
 
LE 907 ESE_cap13_item14
LE 907 ESE_cap13_item14LE 907 ESE_cap13_item14
LE 907 ESE_cap13_item14
 
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8 Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
 
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
 
Evangeliza - Problema do Ser
Evangeliza - Problema do SerEvangeliza - Problema do Ser
Evangeliza - Problema do Ser
 
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
 
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
 
Mediunidade Missao de amor e o evangellho do Cristo
Mediunidade Missao de amor e o  evangellho do Cristo Mediunidade Missao de amor e o  evangellho do Cristo
Mediunidade Missao de amor e o evangellho do Cristo
 
VONTADE
VONTADEVONTADE
VONTADE
 
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráterEvangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
 
A Vontade
A VontadeA Vontade
A Vontade
 
Disciplina dos desejos
Disciplina dos desejosDisciplina dos desejos
Disciplina dos desejos
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
O Poder da Boa Vontade
O Poder da Boa VontadeO Poder da Boa Vontade
O Poder da Boa Vontade
 
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
028c - A consciência, a vida dos homens e o continuo aiuxilio che vem do Céu
 
A Mediunidade com Jesus
A Mediunidade com JesusA Mediunidade com Jesus
A Mediunidade com Jesus
 
A virtude
A virtudeA virtude
A virtude
 
Pureza
PurezaPureza
Pureza
 
Conquiste o inimigo venca a obsessao
Conquiste o inimigo   venca a obsessaoConquiste o inimigo   venca a obsessao
Conquiste o inimigo venca a obsessao
 

Último

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
OBrasilParaCristoRad
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 

Último (20)

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 

Vontade e Renovação.pptx

  • 2. Mateus 9: 17 Nem se deita vinho novo em odres velhos; aliás rompem-se os odres, e entorna-se o vinho, e os odres estragam- se; mas deita-se vinho novo em odres novos, e assim ambos se conservam. 2
  • 5. O problema do ser, do destino e da dor – cap. XX – Leon Denis Na maior parte dos homens os pensamentos flutuam sem cessar. Sua mobilidade constante e sua variedade infinita oferecem limitado acesso às influências superiores. É preciso saber se concentrar, colocar o pensamento acorde com o pensamento divino. Então, a alma humana é fecundada pelo Espírito divino, que a envolve e penetra, tornando-a apta a realizar nobres tarefas (...). É pela vontade que dirigimos nossos pensamentos para um alvo determinado. 5
  • 6. O que é a Vontade? Comparemos a mente humana – espelho vivo da consciência lúcida – a um grande escritório, subdividido em diversas seções de serviço. (Pensamento e Vida – cap. 2 - Emmanuel/Chico Xavier) 6 DESEJO Propósitos e aspirações ; estímulo ao trabalho INTELIGÊNCI A Patrimônios da evolução e da cultura IMAGINAÇÃ O Riquezas do ideal e da sensibilidad e MEMÓRIA Súmulas da experiência
  • 7. O que é a Vontade? A Vontade é a gerência esclarecida e vigilante, governando todos os setores da ação mental.(Pensamento e Vida – cap.2 – Emmanuel/Chico Xavier) 7 DESEJO INTELIGÊNCIA IMAGINAÇÃO MEMÓRIA VONTADE
  • 8. Ação da Vontade Sem ela, o Desejo pode comprar ao engano aflitivos séculos de reparação e sofrimento, a Inteligência pode aprisionar- se na enxovia da criminalidade, a Imaginação pode gerar perigosos monstros na sombra, e a Memória, não obstante fiel à sua função de registradora, conforme a destinação que a Natureza lhe assinala, pode cair em deplorável relaxamento. 8
  • 9. O Problema do Ser, do Destino e da Dor – cap. XX - Leon Denis O QUE É A VONTADE ?
  • 10. Vontade x Más inclinações 907. Será substancialmente mau o princípio originário das paixões, embora esteja na natureza? O“Não; a paixão está no excesso de que se acresceu a vontade, visto que o princípio que lhe dá origem foi posto no homem para o bem, tanto que as paixões podem levá-lo à realização de grandes coisas. O abuso que delas se faz é que causa o mal.” 10
  • 11. Vontade x Más inclinações 908. Como se poderá determinar o limite onde as paixões deixam de ser boas para se tornarem más? O“As paixões são como um corcel, que só tem utilidade quando governado e que se torna perigoso desde que passe a governar. Uma paixão se torna perigosa a partir do momento em que deixais de poder governá-la e que dá em resultado um prejuízo qualquer para vós mesmos, ou para outrem.” OExemplos de Paulo de Tarso, água, fogo, vento 11
  • 12. Vontade x Fé Se todos os encarnados se achassem bem persuadidos da força que em si trazem, e se quisessem pôr a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar o a que, até hoje, eles chamaram prodígios e que, no entanto, não passa de um desenvolvimento das faculdades humanas.... 12 ESE – cap. XIX item 12
  • 14. A FÉ TRANSPORTA MONTANHAS. Internas (hábitos cristalizados) e Externas (convenções sociais) Evangelho Segundo o Espiritismo – cap. XIX 14 Vontade x Fé
  • 16. Vontade e Reforma Íntima Querer é poder! O poder da vontade é ilimitado. O homem, consciente de si mesmo, de seus recursos latentes, sente crescerem suas forças na razão dos esforços. Problema do Ser, do Destino e da Dor – cap. XX – Leon Denis 16
  • 17. Vontade otimiza a Evolução 121. Por que é que alguns Espíritos seguiram o caminho do bem e outros o do mal? “Não têm eles o livre-arbítrio? Deus não os criou maus; criou-os simples e ignorantes, isto é, tendo tanta aptidão para o bem quanta para o mal. Os que são maus, assim se tornaram por vontade própria.” 124. Pois que há Espíritos que desde o princípio seguem o caminho do bem absoluto e outros o do mal absoluto, deve haver, sem dúvida, gradações entre esses dois extremos. Não? “Sim, certamente, e os que se acham nos graus intermédios constituem a maioria.” 17
  • 18. JESUS - GUIA E MODELO “Eu e o Pai somos um” “243 –Todos os Espíritos que passaram pela Terra tiveram as mesmas características evolutivas, no que se refere ao problema da dor? Todas as entidades espirituais encarnadas no orbe terrestre são Espíritos que se resgatam ou aprendem nas experiências humanas, após as quedas do passado, com exceção de Jesus-Cristo, fundamento de toda a verdade neste mundo, cuja evolução se verificou em linha reta para Deus, e em cujas mãos angélicas repousa o governo espiritual do planeta, desde os seus primórdios. (O Consolador – Emmanuel) 18
  • 19. Reforma íntima x Ego x SER Há em toda alma humana dois centros ou, melhor, duas esferas de ação e expressão. Uma delas, a exterior, manifesta a personalidade, o “eu”, com suas paixões, suas fraquezas, sua mobilidade, sua insuficiência. Enquanto ela for a reguladora de nosso proceder, teremos a vida inferior, semeada de provações e males. A outra, interna, profunda, imutável, é, ao mesmo tempo, a sede da consciência, a fonte da vida espiritual, o templo de Deus em nós. É somente quando esse centro de ação domina o outro, quando suas impulsões nos dirigem, que se revelam nossas potências ocultas e que o Espírito se afirma em seu brilho e beleza. O Problema do Ser, do Destino e da Dor – cap. XX 19
  • 21. Reforma Íntima: Amai-vos e instrui-vos Espirito de Verdade (ESE) O O hábito é uma esteira de reflexos mentais acumulados, operando constante indução à rotina. (Pensamento e Vida – cap. 20) OCultura é a soma de lições infinitamente repetitivas no tempo. OVirtude é o resultado de experiências incomensuravelmente recapituladas na vida. (Rumo Certo – lição 23 – Emmanuel)
  • 22. 22 EQUAÇÃO DA VIDA Reforma íntima na prática Sentir Pensar Fazer • O reflexo esboça a emotividade. • A emotividade plasma a ideia. • A ideia determina a atitude e a palavra que comandam as ações. Emmanuel – Pensamento e Vida – Cap. 01
  • 23. Compromisso com a Vontade Não é consolador e belo poder dizer: “Sou uma inteligência e uma vontade livres; a mim mesmo me fiz, inconscientemente, através das idades; edifiquei lentamente minha individualidade e liberdade e agora conheço a grandeza e a força que há em mim. Amparar-me-ei nelas; não deixarei que uma simples dúvida as empane por um instante sequer e, fazendo uso delas com o auxílio de Deus e de meus irmãos do espaço, elevar-me-ei acima de todas as dificuldades; vencerei o mal em mim; desapegar-me-ei de tudo o que me acorrenta às coisas grosseiras para levantar o voo para os mundos felizes!” O Problema do Ser, do Destino e da Dor – cap. XX 23
  • 24. Convite da Vontade Minha vontade chama-me: “Para frente, sempre para frente, cada vez mais conhecimento, mais vida, vida divina!” E com ela conquistarei a plenitude da existência, construirei para mim uma personalidade melhor, mais radiosa e amante. Saí para sempre do estado inferior do ser ignorante, inconsciente de seu valor e poder; afirmo-me na independência e dignidade de minha consciência e estendo a mão a todos os meus irmãos, dizendo-lhes: Despertai de vosso pesado sono; rasgai o véu material que vos envolve, aprendei a conhecer-vos, a conhecer as potências de vossa alma e a utilizá-las. Todas as vozes da Natureza, todas as vozes do espaço vos bradam: “Levantai-vos e marchai! Apressai-vos para a conquista de vossos destinos!” O Problema do Ser, do Destino e da Dor – cap. XX 24