SlideShare uma empresa Scribd logo
Boa noite, sejam todos muito benvindos a nossa casa espírita,
para continuarmos o nosso estudo dos ensinamentos de Jesus Cristo!
Hoje vamos falar sobre o tema “Perdão das ofensas”,
retirado do cap. 10: Bem-aventurados os misericordiosos;
do livro ESE de Allan Kardec.
São Paulo, 14 de Junho de 2016 – SEAC/CEEAK
Palestrante: Tiburcio Santos
Nossa Casa Espírita: assistência social e espiritual
S.E.A.C. = Sopa, Esperança, Amor e Caridade
 Assistência Social: sopa, cestas Natal, Dia das crianças, etc...
 Assistência Espiritual: passes e vibrações positivas
Alimento para o corpo e para a alma!
Nossa Casa Espírita: estudos espíritas
C.E.E.A.K. = Centro de Estudos Espíritas Allan Kardec
 Estudos: diversos cursos de evangelização
Sem fins lucrativos... 100% trabalho voluntário!
Sintonia com o plano espiritual
 Vamos RESPIRAR profundamente,
desligando dos sentidos materiais,
para uma ligação mais rápida e verdadeira com o plano espiritual,
fechando levemente nossos olhos,
e elevando nosso pensamento à Jesus.
Prece de abertura
 Pedimos ao nosso irmão maior e modelo que,
juntamente com os mensageiros, espíritos simpatizantes e protetores,
nos leve até a PRESENÇA DE DEUS; e juntos oremos:
 “Amado Deus, pedimos que nos ajude a compreender
as mensagens de hoje e receber os benefícios desta assistência
criando as melhores condições no meu corpo, mente e espírito.
 Que assim seja, graças a Deus!!
Caridade: a decisão de vir ao SEAC
 É com muita alegria que convido vcs para estudarmos o ESE,
junto com os amigos espirituais aqui presentes;
pois desde a nossa decisão de vir ao SEAC hoje, já estamos
sendo acompanhados dos nossos anjos protetores e espíritos
simpatizantes, que atraímos segundo nossos pensamentos e ações.
A palestra e a assistência espiritual
 A partir da entrada no salão, já estamos sendo assistidos;
esta palestra é parte integrante do passe,
e foi desenvolvida a partir do Evangelho de Jesus,
sob a interpretação espírita.
 Convido a todos para RETORNAR AO SALÃO, após o passe.
O espiritismo e as Leis Divinas ou Naturais
 Avançamos rumo a integração com à Consciência Divina
(Deus) e à planos mais evoluídos, a cada encarnação,
através do conhecimento das verdades universais
que hoje já estão ao alcance da nossa compreensão.
Espírito – Perispírito – Corpo Físico
Perispírito: as três partes do ser
 Um dos conceitos que diferencia o Espiritismo das demais religiões
é um corpo fluídico denominado perispírito,
responsável pelos principais fenômenos mediúnicos.
Plexos e chacras ou centros de força
 A cada plexo ou feixe de pequenos nervos – no corpo físico,
corresponde um centro de força (ou chacra) - no perispírito,
responsáveis por um sistema ou região de nosso organismo.
 É muito importante ter sempre em mente que os centros de força
captam energias, transferindo-as ao corpo físico.
Corpo Físico Perispírito
Centros de força
 Os centros de força são verdadeiros vórtices, por onde os dinâmicos
campos magnéticos da personalidade espiritual se ligam ao físico.
 Todos eles encontram-se em constante permuta energética entre si,
fazendo com que qualquer desequilíbrio em um deles reflita-se em todo
o conjunto e, por consequência, em todo o corpo físico.
O passe espírita: colaboração entre os dois planos
 O fluido cósmico universal é captado pelo passista,
e transformado em fluido vital. Este é disponibilizado aos
trabalhadores espirituais que, conhecedores das nossas necessidades,
harmonizam os chacras e o períspirito do assistido,
refletindo na saúde física, psíquica e mental.
Reforma moral
 São os passes e a prece veículos intercessórios,
MEDICAMENTOS reparativos complementares,
que embora dos mais úteis e, diríamos indispensáveis,
não é a base real do reequilíbrio e da re-harmonização
dos centros de força, a qual se estriba na reforma moral.
Doenças do Corpo e do Espírito
 O Espiritismo dá a chave das relações que existem entre a alma e o corpo,
e prova que há REAÇÃO INCESSANTE de um sobre o outro.
 Ele abre, assim, novo caminho à ciência e, em lhe mostrando a
verdadeira causa de certas doenças, lhe dá os meios de combatê-las.
Outras práticas saudáveis e recomendadas
 Oração noturna e matinal
 Agradecimento pelo dia e pedindo proteção para o sono.
 Pedir para fluidificar a água!
 Agradecimento pela vida e pedindo proteção para o novo dia.
 Beber a água fluidificada!
 Evangelho no lar (semanalmente)
 Leitura e comentários de curto trecho de livro espírita
 Higiene da casa e dos moradores (encarnados e desencarnados)!
Divaldo
A Doutrina Espírita: o Pentateuco
 AK elaborou muitos livros, reunindo revelações do mundo todo,
principalmente os cinco livros básicos que compõem a
Doutrina Espírita, chamados de Pentateuco Espírita:
 1857 - Livro dos Espíritos
 1861 - Livro dos Médiuns
 1864 - O Evangelho segundo o Espiritismo (ESE)
 1865 - O Céu e o Inferno
 1868 - A Gênese
 O que é o Espiritismo?
 Obras póstumas
Educação Espírita
 A Educação Espírita é inerente à doutrina:
quem estuda as obras básicas da Codificação
e complementares estará recebendo esta educação.
 Por isso meus amigos, recomendamos: LEIAM, leiam e releiam
as obras básicas espíritas e grandes escritores com FCX, DPF, etc.
O estudo do ESE
 O ESE é uma seleção de passagens da Bíblia,
organizadas de acordo com temas retirados dos 4 evangelhos,
e contendo a explicação das máximas morais do Cristo,
sua concordância com o Espiritismo e
sua aplicação às diversas situações da vida.
 Hoje abordaremos os tópicos das Instruções dos Espíritos:
 Perdão das ofensas A indulgência
 É permitido repreender os outros?
As Bem-aventuranças
 Bem-aventurado é um adjetivo que significa muito feliz.
 As bem-aventuranças apresentam um novo conjunto de ideias,
com foco no amor e humildade, ecoando ensinamentos de
espiritualidade e compaixão.
 Sabemos que quando Jesus declarou: "Bem-aventurados os aflitos,
os pobres e os misericordiosos, ...", não estava exaltando as aflições,
mas sim as pessoas que sabem sofrer sem revolta, sem lamentações
inúteis, sem culpar outros ou situações pelos seus males.
As Bem-aventuranças
 Cada bem-aventurança consiste de duas partes:
uma condição e um resultado:
 Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus;
 Felizes os mansos porque herdarão a terra;
 Felizes os aflitos porque serão consolados;
 Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados;
 Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia;
 Felizes os puros de coração, porque verão a Deus;
 Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados Filhos de Deus;
 Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o
Reino dos Céus.
O Perdão
 Jesus mostra a importância da aplicação da Lei de Causa e Efeito nos
nossos atos diários: tudo o que fizermos, voltará para nós mesmos.
 Ensina que temos que compreender o nosso companheiro mais
problemático, causador de contrariedades,
pois também nós muitas vezes necessitamos de compreensão.
 Esse é o sentido do perdão:
perdoar porque todos também precisaremos ser perdoados.
O Perdão
 Uma palavra importante de analisarmos é Perdão,
que segundo o dicionário, significa "desculpar, absolver, evitar"..
 Segundo o Espiritismo, Perdão é:
“Concessão indefinida de oportunidades
para que o ofensor se arrependa, o pecador se recomponha,
o criminoso se libere do mal e se erga, redimido,
para a ascensão luminosa. ” (Equipe FEB, 1995)
Duas formas de perdoar
 As pessoas dizem perdoar,
mas sua postura revela formas variadas de revide:
 Condenação: Perdoo, mas não quero vê-lo nunca mais.
 Pretensão: Perdoo, mas vou dizer-lhe umas verdades.
 Menosprezo: Perdoo, porque ele é um pobre coitado, um infeliz.
 Rancor: Perdoo, mas não esqueço.
 Maldição: Perdoo, porque Deus há de castigá-lo.
 Devemos lembrar que não há perdão total sem compreensão.
 E compreensão significa conhecer as necessidades e limitações do
próximo; fazer para o próximo o que gostaríamos que nos fizessem.
Duas formas de perdoar
 Segundo o Evangelho (ESE cap X, item 4):
 Há duas maneiras bem diferentes de perdoar.
 Uma é grande, nobre, verdadeiramente generosa,
sem segunda intenção, tratando com delicadeza
o amor próprio e a suscetibilidade do adversário,
mesmo quando a culpa foi inteiramente dele.
 A outra é quando o ofendido, ou aquele que assim se julga,
impõe condições humilhantes ao adversário,
fazendo-o sentir o peso de um perdão que irrita, em vez de acalmar.
Aprendendo a perdoar
 Por que perdoar é tão difícil e ao mesmo tempo uma necessidade?
 Porque somos imperfeitos (orgulho e egoísmo),
temos dificuldade em nos colocarmos no lugar do outro;
 Temos o mal hábito de julgar; associamos o perdão à fraqueza;
e somos suscetíveis à fáceis melindres.
 E quem precisa de perdão?
 Todos nós, espíritos eternos, imperfeitos ainda; como demonstram a
complexidade de sentimentos e emoções contraditórios
que se agitam dentro nós, levando-nos a erros e enganos.
 Lembrando que perdão é caridade que deve ser cultivada!
Aprendendo a perdoar
 Questão 886 do LE: Qual é o verdadeiro sentido da palavra caridade
como a entendia Jesus?
 Benevolência com todos,
indulgência com as imperfeições dos outros,
PERDÃO das ofensas.
 Perdoar é desculpar, não valorizando a ofensa, minimizando-a.
 Não sentir no ofensor um inimigo,
mas uma pessoa com dificuldades pessoais.
Alguns benefícios do perdão
 Cura acelerada, tanto emocional
quanto física;
 Alívio de rigidez e dores crônicas;
 Aumento de força física;
 Redução de estresse;
 Ativação positiva do sistema
imunológico;
 Melhor digestão e melhor função
intestinal;
 Sono mais descansado;
 Alívio de depressão e rancor;
 Alívio de auto-sabotagem;
 Mais energia, maior controle
(tanto físico, quanto mental);
 Vida mais longa;
 Visão de mundo mais positiva;
 Maior felicidade;
 Mais amigável, mais tolerante;
 Maior sucesso;
 Inteligência e consciência aumentada;
 Habilidade de estabelecer novos
relacionamentos;
 Paz mental;
 Vida nova!
Atire você a primeira flor
 Pesquisando sobre a passagem de João cap 8: 3-11, citada no ESE
cap 10, item 11 a 13, e que fala sobre a mulher apanhada em adultério
e esclarece sobre o não julgueis para não serdes julgados,
encontrei uma linda mensagem que me surpreendeu:
 Quando tudo for pedra... atire a primeira flor.
 Quando tudo parecer caminhar errado,
seja você a tentar o primeiro passo certo.
 Se tudo parecer escuro, se nada puder ser visto, acenda você a primeira luz.
Traga para a treva, você primeiro, a pequena lâmpada.
 Quando todos estiverem chorando, tente você o primeiro sorriso.
Talvez não na forma de lábios sorridentes,
mas na de um coração que compreenda e de braços que confortem.
 Se a vida inteira for um imenso não, não pare você na busca do primeiro sim,
ao qual tudo de positivo deverá acontecer.
 Quando ninguém souber coisa alguma e você souber um pouquinho,
seja o primeiro a ensinar.
Começando por aprender você mesmo, corrigindo-se a si mesmo.
 Quando alguém estiver angustiado, a procura nem se sabe de que, consulte
bem o que se passa. Talvez seja em busca de você que este seu irmão esteja.
 Daí, portanto, você deve ser o primeiro a aparecer, o primeiro a mostrar que
pode ser o único e mais sério ainda, talvez o último.
Atire você a primeira flor
 Se tiver tempo... Continue:
 Quando a terra estiver seca que sua mão seja a primeira a regá-la.
Quando a flor sufocar no espinho, que sua mão seja primeira a separar
o joio, a arrancar a praga, a afagar a pétala, a acariciar a flor.
 Se a porta estiver fechada, venha de você a primeira chave.
Se o vento soprar frio, que o calor de sua lareira seja a primeira proteção
e o primeiro abrigo.
 Se o pão for apenas massa e não estiver cozido,
seja você o primeiro forno para transformá-lo em alimento.
 Não atire a primeira pedra em quem erra. Nem por outro lado,
aplauda o erro, ofereça sua mão primeiro, para levantar quem caiu.
 Sua atenção primeiro para aquele que foi esquecido,
seja você o primeiro para aquele que não tem ninguém.
 Quando tudo for espinho atire a primeira flor,
seja o primeiro a mostrar que há caminho de volta.
 Compreendendo que o perdão regenera, que a compreensão edifica,
que o auxilio possibilita, que o entendimento reconstrói.
 Atire você, quando tudo for pedra, a primeira e decisiva flor...
(Glácia Daibert - www.azullmarinho.com.br)
Revisão de meio do ano
 Já chegamos ao meio do ano, e finalizando o estudo do 10º
capítulo do ESE; então vamos fazer uma pequena revisão dos
capítulos anteriores para verificar o quanto já conhecemos dos
ensinamentos do Evangelho e das máximas de Jesus.
 Cada capítulo abordou um tema:
 Cap.1: Não vim destruir a lei: Moises, Jesus, Kardec
 Cap. 2: Meu reino não é deste mundo: Vida futura (após a morte)
 Cap. 3: Há muitas moradas na casa do meu Pai: erraticidade e mundos
 Cap. 4: Ninguém pode ver o reino de Deus, se não nascer de novo!
Reencarnação e laços de família
O Sermão da Montanha
 O Sermão da Montanha é um dos mais difíceis de compreensão,
fala sobre as bem-aventuranças, que Jesus pregou para
ensinar e revelar aos homens a verdadeira felicidade.
 Cap. 5: Bem-aventurados os aflitos: justiça e causas das aflições
 Cap. 6: O Cristo consolador: jugo leve e consolador prometido
 Cap. 7: Bem-Av os pobres em espírito: humildade e resignação
 Cap. 8: Bem-Av os puros de coração: crianças e pensamentos
 Cap. 9: Bem-Av os mansos e pacíficos: injúrias e violências
 Cap. 10: Bem-Av os misericordiosos: perdão e reconciliação
A Lei do Amor: o sentimento por excelência
 O capítulo 11 irá abordar um belíssimo tema:
 Cap. 11: Amar o próximo como a si mesmo: O MAIOR MANDAMENTO
 Nas instruções dos espíritos, encontramos uma mensagem de
Lázaro (Paris, 1862) intitulada “A Lei de Amor.”
 O amor resume toda a doutrina de Jesus,
porque é o sentimento por excelência,
e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado.
Pela sua atenção e paciência, meu muito obrigado!
Tenham todos um ótimo final de semana.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A LeiCap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cavalcante Melo Junior Eudes
 
Infortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestraInfortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestra
Débora Homobono
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
gmo1973
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
Leonardo Pereira
 
O sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a DeusO sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a Deus
Izabel Cristina Fonseca
 
Ingratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestadosIngratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestados
Graça Maciel
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Fernando Pinto
 
Palestra espirita escolha das provas
Palestra espirita escolha das provasPalestra espirita escolha das provas
Palestra espirita escolha das provas
Felipe Guedes
 
Causas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshareCausas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshare
Almir Silva
 
O argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhoO argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olho
home
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Palestra_Piedade Filial.pptx
Palestra_Piedade Filial.pptxPalestra_Piedade Filial.pptx
Palestra_Piedade Filial.pptx
JaquelineRossi7
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
Izabel Cristina Fonseca
 
Não vos afadigueis pela posse do ouro
Não vos afadigueis pela posse do ouroNão vos afadigueis pela posse do ouro
Não vos afadigueis pela posse do ouro
Henrique Vieira
 
O argueiro e a trave no olho cap x
O argueiro e a trave no olho cap xO argueiro e a trave no olho cap x
O argueiro e a trave no olho cap x
Mario Emilio do Amaral Coelho
 
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitosPalestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
Tiburcio Santos
 
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios OcultosEvangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
Antonino Silva
 
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueireEvangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
grupodepaisceb
 
Evangeliza - O dever
Evangeliza - O deverEvangeliza - O dever
Evangeliza - O dever
Antonino Silva
 

Mais procurados (20)

Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A LeiCap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
 
Infortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestraInfortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestra
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
O sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a DeusO sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a Deus
 
Ingratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestadosIngratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestados
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
 
Palestra espirita escolha das provas
Palestra espirita escolha das provasPalestra espirita escolha das provas
Palestra espirita escolha das provas
 
Causas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshareCausas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshare
 
O argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhoO argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olho
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
Palestra_Piedade Filial.pptx
Palestra_Piedade Filial.pptxPalestra_Piedade Filial.pptx
Palestra_Piedade Filial.pptx
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
 
Não vos afadigueis pela posse do ouro
Não vos afadigueis pela posse do ouroNão vos afadigueis pela posse do ouro
Não vos afadigueis pela posse do ouro
 
O argueiro e a trave no olho cap x
O argueiro e a trave no olho cap xO argueiro e a trave no olho cap x
O argueiro e a trave no olho cap x
 
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitosPalestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
 
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios OcultosEvangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
 
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueireEvangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
 
Evangeliza - O dever
Evangeliza - O deverEvangeliza - O dever
Evangeliza - O dever
 

Semelhante a Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos

Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Tiburcio Santos
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 11 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 11 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 11 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 11 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 11 doc
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda... Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Tiburcio Santos
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Tiburcio Santos
 
Conduta Espírita
Conduta EspíritaConduta Espírita
Conduta Espírita
Izabel Cristina Fonseca
 
14 essência da luz
14  essência da luz14  essência da luz
14 essência da luz
Nelson Soares
 
A cura e auto cura 2
A cura e auto cura 2A cura e auto cura 2
A cura e auto cura 2
Marcel Jefferson Gonçalves
 
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Eu sou por_jorge_adoum
Eu sou por_jorge_adoumEu sou por_jorge_adoum
Eu sou por_jorge_adoum
Daphne Guedes
 
Eu Sou - Jorge Adoum
Eu Sou - Jorge AdoumEu Sou - Jorge Adoum
Eu Sou - Jorge Adoum
Daniela Petito
 
Bem aventuradososquetemosolhosfechados
Bem aventuradososquetemosolhosfechadosBem aventuradososquetemosolhosfechados
Bem aventuradososquetemosolhosfechados
Magali ..
 
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e ProgressoO Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
Ceile Bernardo
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Tiburcio Santos
 
Esclarecedores de Reunião Mediúnica
Esclarecedores de Reunião MediúnicaEsclarecedores de Reunião Mediúnica
Esclarecedores de Reunião Mediúnica
M.R.L
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
apqbarros
 
Passe suas técnicas e aplicações - Por Leonardo Pereira
Passe suas técnicas e aplicações  - Por Leonardo PereiraPasse suas técnicas e aplicações  - Por Leonardo Pereira
Passe suas técnicas e aplicações - Por Leonardo Pereira
Leonardo Pereira
 
Boletim informativo setembro 2013
Boletim informativo   setembro 2013Boletim informativo   setembro 2013
Boletim informativo setembro 2013
fespiritacrista
 
EAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoEAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do Cristão
PatiSousa1
 
Traumas emocionais benne den
Traumas emocionais   benne denTraumas emocionais   benne den
Traumas emocionais benne den
Gabriela Villar
 

Semelhante a Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos (20)

Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 11 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 11 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 11 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 11 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 11 doc
 
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda... Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
 
Conduta Espírita
Conduta EspíritaConduta Espírita
Conduta Espírita
 
14 essência da luz
14  essência da luz14  essência da luz
14 essência da luz
 
A cura e auto cura 2
A cura e auto cura 2A cura e auto cura 2
A cura e auto cura 2
 
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
 
Eu sou por_jorge_adoum
Eu sou por_jorge_adoumEu sou por_jorge_adoum
Eu sou por_jorge_adoum
 
Eu Sou - Jorge Adoum
Eu Sou - Jorge AdoumEu Sou - Jorge Adoum
Eu Sou - Jorge Adoum
 
Bem aventuradososquetemosolhosfechados
Bem aventuradososquetemosolhosfechadosBem aventuradososquetemosolhosfechados
Bem aventuradososquetemosolhosfechados
 
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e ProgressoO Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
 
Esclarecedores de Reunião Mediúnica
Esclarecedores de Reunião MediúnicaEsclarecedores de Reunião Mediúnica
Esclarecedores de Reunião Mediúnica
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
 
Passe suas técnicas e aplicações - Por Leonardo Pereira
Passe suas técnicas e aplicações  - Por Leonardo PereiraPasse suas técnicas e aplicações  - Por Leonardo Pereira
Passe suas técnicas e aplicações - Por Leonardo Pereira
 
Boletim informativo setembro 2013
Boletim informativo   setembro 2013Boletim informativo   setembro 2013
Boletim informativo setembro 2013
 
EAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoEAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do Cristão
 
Traumas emocionais benne den
Traumas emocionais   benne denTraumas emocionais   benne den
Traumas emocionais benne den
 

Mais de Tiburcio Santos

Palestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 SemeadoresPalestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 Semeadores
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE25 buscai e achareis
Palestra ESE25   buscai e achareis Palestra ESE25   buscai e achareis
Palestra ESE25 buscai e achareis
Tiburcio Santos
 
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
Tiburcio Santos
 
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Tiburcio Santos
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consoladorPalestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
Tiburcio Santos
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Tiburcio Santos
 
Curso de passe centro de força 2011113 v1
Curso de passe   centro de força 2011113 v1Curso de passe   centro de força 2011113 v1
Curso de passe centro de força 2011113 v1
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Tiburcio Santos
 

Mais de Tiburcio Santos (9)

Palestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 SemeadoresPalestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 Semeadores
 
Palestra ESE25 buscai e achareis
Palestra ESE25   buscai e achareis Palestra ESE25   buscai e achareis
Palestra ESE25 buscai e achareis
 
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
 
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
 
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consoladorPalestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
 
Curso de passe centro de força 2011113 v1
Curso de passe   centro de força 2011113 v1Curso de passe   centro de força 2011113 v1
Curso de passe centro de força 2011113 v1
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
 

Último

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 

Último (18)

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 

Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos

  • 1. Boa noite, sejam todos muito benvindos a nossa casa espírita, para continuarmos o nosso estudo dos ensinamentos de Jesus Cristo! Hoje vamos falar sobre o tema “Perdão das ofensas”, retirado do cap. 10: Bem-aventurados os misericordiosos; do livro ESE de Allan Kardec. São Paulo, 14 de Junho de 2016 – SEAC/CEEAK Palestrante: Tiburcio Santos
  • 2. Nossa Casa Espírita: assistência social e espiritual S.E.A.C. = Sopa, Esperança, Amor e Caridade  Assistência Social: sopa, cestas Natal, Dia das crianças, etc...  Assistência Espiritual: passes e vibrações positivas Alimento para o corpo e para a alma!
  • 3. Nossa Casa Espírita: estudos espíritas C.E.E.A.K. = Centro de Estudos Espíritas Allan Kardec  Estudos: diversos cursos de evangelização Sem fins lucrativos... 100% trabalho voluntário!
  • 4. Sintonia com o plano espiritual  Vamos RESPIRAR profundamente, desligando dos sentidos materiais, para uma ligação mais rápida e verdadeira com o plano espiritual, fechando levemente nossos olhos, e elevando nosso pensamento à Jesus.
  • 5. Prece de abertura  Pedimos ao nosso irmão maior e modelo que, juntamente com os mensageiros, espíritos simpatizantes e protetores, nos leve até a PRESENÇA DE DEUS; e juntos oremos:  “Amado Deus, pedimos que nos ajude a compreender as mensagens de hoje e receber os benefícios desta assistência criando as melhores condições no meu corpo, mente e espírito.  Que assim seja, graças a Deus!!
  • 6. Caridade: a decisão de vir ao SEAC  É com muita alegria que convido vcs para estudarmos o ESE, junto com os amigos espirituais aqui presentes; pois desde a nossa decisão de vir ao SEAC hoje, já estamos sendo acompanhados dos nossos anjos protetores e espíritos simpatizantes, que atraímos segundo nossos pensamentos e ações.
  • 7. A palestra e a assistência espiritual  A partir da entrada no salão, já estamos sendo assistidos; esta palestra é parte integrante do passe, e foi desenvolvida a partir do Evangelho de Jesus, sob a interpretação espírita.  Convido a todos para RETORNAR AO SALÃO, após o passe.
  • 8. O espiritismo e as Leis Divinas ou Naturais  Avançamos rumo a integração com à Consciência Divina (Deus) e à planos mais evoluídos, a cada encarnação, através do conhecimento das verdades universais que hoje já estão ao alcance da nossa compreensão.
  • 9. Espírito – Perispírito – Corpo Físico Perispírito: as três partes do ser  Um dos conceitos que diferencia o Espiritismo das demais religiões é um corpo fluídico denominado perispírito, responsável pelos principais fenômenos mediúnicos.
  • 10. Plexos e chacras ou centros de força  A cada plexo ou feixe de pequenos nervos – no corpo físico, corresponde um centro de força (ou chacra) - no perispírito, responsáveis por um sistema ou região de nosso organismo.  É muito importante ter sempre em mente que os centros de força captam energias, transferindo-as ao corpo físico. Corpo Físico Perispírito
  • 11. Centros de força  Os centros de força são verdadeiros vórtices, por onde os dinâmicos campos magnéticos da personalidade espiritual se ligam ao físico.  Todos eles encontram-se em constante permuta energética entre si, fazendo com que qualquer desequilíbrio em um deles reflita-se em todo o conjunto e, por consequência, em todo o corpo físico.
  • 12. O passe espírita: colaboração entre os dois planos  O fluido cósmico universal é captado pelo passista, e transformado em fluido vital. Este é disponibilizado aos trabalhadores espirituais que, conhecedores das nossas necessidades, harmonizam os chacras e o períspirito do assistido, refletindo na saúde física, psíquica e mental.
  • 13. Reforma moral  São os passes e a prece veículos intercessórios, MEDICAMENTOS reparativos complementares, que embora dos mais úteis e, diríamos indispensáveis, não é a base real do reequilíbrio e da re-harmonização dos centros de força, a qual se estriba na reforma moral.
  • 14. Doenças do Corpo e do Espírito  O Espiritismo dá a chave das relações que existem entre a alma e o corpo, e prova que há REAÇÃO INCESSANTE de um sobre o outro.  Ele abre, assim, novo caminho à ciência e, em lhe mostrando a verdadeira causa de certas doenças, lhe dá os meios de combatê-las.
  • 15. Outras práticas saudáveis e recomendadas  Oração noturna e matinal  Agradecimento pelo dia e pedindo proteção para o sono.  Pedir para fluidificar a água!  Agradecimento pela vida e pedindo proteção para o novo dia.  Beber a água fluidificada!  Evangelho no lar (semanalmente)  Leitura e comentários de curto trecho de livro espírita  Higiene da casa e dos moradores (encarnados e desencarnados)! Divaldo
  • 16. A Doutrina Espírita: o Pentateuco  AK elaborou muitos livros, reunindo revelações do mundo todo, principalmente os cinco livros básicos que compõem a Doutrina Espírita, chamados de Pentateuco Espírita:  1857 - Livro dos Espíritos  1861 - Livro dos Médiuns  1864 - O Evangelho segundo o Espiritismo (ESE)  1865 - O Céu e o Inferno  1868 - A Gênese  O que é o Espiritismo?  Obras póstumas
  • 17. Educação Espírita  A Educação Espírita é inerente à doutrina: quem estuda as obras básicas da Codificação e complementares estará recebendo esta educação.  Por isso meus amigos, recomendamos: LEIAM, leiam e releiam as obras básicas espíritas e grandes escritores com FCX, DPF, etc.
  • 18. O estudo do ESE  O ESE é uma seleção de passagens da Bíblia, organizadas de acordo com temas retirados dos 4 evangelhos, e contendo a explicação das máximas morais do Cristo, sua concordância com o Espiritismo e sua aplicação às diversas situações da vida.  Hoje abordaremos os tópicos das Instruções dos Espíritos:  Perdão das ofensas A indulgência  É permitido repreender os outros?
  • 19. As Bem-aventuranças  Bem-aventurado é um adjetivo que significa muito feliz.  As bem-aventuranças apresentam um novo conjunto de ideias, com foco no amor e humildade, ecoando ensinamentos de espiritualidade e compaixão.  Sabemos que quando Jesus declarou: "Bem-aventurados os aflitos, os pobres e os misericordiosos, ...", não estava exaltando as aflições, mas sim as pessoas que sabem sofrer sem revolta, sem lamentações inúteis, sem culpar outros ou situações pelos seus males.
  • 20. As Bem-aventuranças  Cada bem-aventurança consiste de duas partes: uma condição e um resultado:  Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus;  Felizes os mansos porque herdarão a terra;  Felizes os aflitos porque serão consolados;  Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados;  Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia;  Felizes os puros de coração, porque verão a Deus;  Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados Filhos de Deus;  Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus.
  • 21. O Perdão  Jesus mostra a importância da aplicação da Lei de Causa e Efeito nos nossos atos diários: tudo o que fizermos, voltará para nós mesmos.  Ensina que temos que compreender o nosso companheiro mais problemático, causador de contrariedades, pois também nós muitas vezes necessitamos de compreensão.  Esse é o sentido do perdão: perdoar porque todos também precisaremos ser perdoados.
  • 22. O Perdão  Uma palavra importante de analisarmos é Perdão, que segundo o dicionário, significa "desculpar, absolver, evitar"..  Segundo o Espiritismo, Perdão é: “Concessão indefinida de oportunidades para que o ofensor se arrependa, o pecador se recomponha, o criminoso se libere do mal e se erga, redimido, para a ascensão luminosa. ” (Equipe FEB, 1995)
  • 23. Duas formas de perdoar  As pessoas dizem perdoar, mas sua postura revela formas variadas de revide:  Condenação: Perdoo, mas não quero vê-lo nunca mais.  Pretensão: Perdoo, mas vou dizer-lhe umas verdades.  Menosprezo: Perdoo, porque ele é um pobre coitado, um infeliz.  Rancor: Perdoo, mas não esqueço.  Maldição: Perdoo, porque Deus há de castigá-lo.  Devemos lembrar que não há perdão total sem compreensão.  E compreensão significa conhecer as necessidades e limitações do próximo; fazer para o próximo o que gostaríamos que nos fizessem.
  • 24. Duas formas de perdoar  Segundo o Evangelho (ESE cap X, item 4):  Há duas maneiras bem diferentes de perdoar.  Uma é grande, nobre, verdadeiramente generosa, sem segunda intenção, tratando com delicadeza o amor próprio e a suscetibilidade do adversário, mesmo quando a culpa foi inteiramente dele.  A outra é quando o ofendido, ou aquele que assim se julga, impõe condições humilhantes ao adversário, fazendo-o sentir o peso de um perdão que irrita, em vez de acalmar.
  • 25. Aprendendo a perdoar  Por que perdoar é tão difícil e ao mesmo tempo uma necessidade?  Porque somos imperfeitos (orgulho e egoísmo), temos dificuldade em nos colocarmos no lugar do outro;  Temos o mal hábito de julgar; associamos o perdão à fraqueza; e somos suscetíveis à fáceis melindres.  E quem precisa de perdão?  Todos nós, espíritos eternos, imperfeitos ainda; como demonstram a complexidade de sentimentos e emoções contraditórios que se agitam dentro nós, levando-nos a erros e enganos.  Lembrando que perdão é caridade que deve ser cultivada!
  • 26. Aprendendo a perdoar  Questão 886 do LE: Qual é o verdadeiro sentido da palavra caridade como a entendia Jesus?  Benevolência com todos, indulgência com as imperfeições dos outros, PERDÃO das ofensas.  Perdoar é desculpar, não valorizando a ofensa, minimizando-a.  Não sentir no ofensor um inimigo, mas uma pessoa com dificuldades pessoais.
  • 27. Alguns benefícios do perdão  Cura acelerada, tanto emocional quanto física;  Alívio de rigidez e dores crônicas;  Aumento de força física;  Redução de estresse;  Ativação positiva do sistema imunológico;  Melhor digestão e melhor função intestinal;  Sono mais descansado;  Alívio de depressão e rancor;  Alívio de auto-sabotagem;  Mais energia, maior controle (tanto físico, quanto mental);  Vida mais longa;  Visão de mundo mais positiva;  Maior felicidade;  Mais amigável, mais tolerante;  Maior sucesso;  Inteligência e consciência aumentada;  Habilidade de estabelecer novos relacionamentos;  Paz mental;  Vida nova!
  • 28. Atire você a primeira flor  Pesquisando sobre a passagem de João cap 8: 3-11, citada no ESE cap 10, item 11 a 13, e que fala sobre a mulher apanhada em adultério e esclarece sobre o não julgueis para não serdes julgados, encontrei uma linda mensagem que me surpreendeu:  Quando tudo for pedra... atire a primeira flor.  Quando tudo parecer caminhar errado, seja você a tentar o primeiro passo certo.  Se tudo parecer escuro, se nada puder ser visto, acenda você a primeira luz. Traga para a treva, você primeiro, a pequena lâmpada.  Quando todos estiverem chorando, tente você o primeiro sorriso. Talvez não na forma de lábios sorridentes, mas na de um coração que compreenda e de braços que confortem.  Se a vida inteira for um imenso não, não pare você na busca do primeiro sim, ao qual tudo de positivo deverá acontecer.  Quando ninguém souber coisa alguma e você souber um pouquinho, seja o primeiro a ensinar. Começando por aprender você mesmo, corrigindo-se a si mesmo.  Quando alguém estiver angustiado, a procura nem se sabe de que, consulte bem o que se passa. Talvez seja em busca de você que este seu irmão esteja.  Daí, portanto, você deve ser o primeiro a aparecer, o primeiro a mostrar que pode ser o único e mais sério ainda, talvez o último.
  • 29. Atire você a primeira flor  Se tiver tempo... Continue:  Quando a terra estiver seca que sua mão seja a primeira a regá-la. Quando a flor sufocar no espinho, que sua mão seja primeira a separar o joio, a arrancar a praga, a afagar a pétala, a acariciar a flor.  Se a porta estiver fechada, venha de você a primeira chave. Se o vento soprar frio, que o calor de sua lareira seja a primeira proteção e o primeiro abrigo.  Se o pão for apenas massa e não estiver cozido, seja você o primeiro forno para transformá-lo em alimento.  Não atire a primeira pedra em quem erra. Nem por outro lado, aplauda o erro, ofereça sua mão primeiro, para levantar quem caiu.  Sua atenção primeiro para aquele que foi esquecido, seja você o primeiro para aquele que não tem ninguém.  Quando tudo for espinho atire a primeira flor, seja o primeiro a mostrar que há caminho de volta.  Compreendendo que o perdão regenera, que a compreensão edifica, que o auxilio possibilita, que o entendimento reconstrói.  Atire você, quando tudo for pedra, a primeira e decisiva flor... (Glácia Daibert - www.azullmarinho.com.br)
  • 30. Revisão de meio do ano  Já chegamos ao meio do ano, e finalizando o estudo do 10º capítulo do ESE; então vamos fazer uma pequena revisão dos capítulos anteriores para verificar o quanto já conhecemos dos ensinamentos do Evangelho e das máximas de Jesus.  Cada capítulo abordou um tema:  Cap.1: Não vim destruir a lei: Moises, Jesus, Kardec  Cap. 2: Meu reino não é deste mundo: Vida futura (após a morte)  Cap. 3: Há muitas moradas na casa do meu Pai: erraticidade e mundos  Cap. 4: Ninguém pode ver o reino de Deus, se não nascer de novo! Reencarnação e laços de família
  • 31. O Sermão da Montanha  O Sermão da Montanha é um dos mais difíceis de compreensão, fala sobre as bem-aventuranças, que Jesus pregou para ensinar e revelar aos homens a verdadeira felicidade.  Cap. 5: Bem-aventurados os aflitos: justiça e causas das aflições  Cap. 6: O Cristo consolador: jugo leve e consolador prometido  Cap. 7: Bem-Av os pobres em espírito: humildade e resignação  Cap. 8: Bem-Av os puros de coração: crianças e pensamentos  Cap. 9: Bem-Av os mansos e pacíficos: injúrias e violências  Cap. 10: Bem-Av os misericordiosos: perdão e reconciliação
  • 32. A Lei do Amor: o sentimento por excelência  O capítulo 11 irá abordar um belíssimo tema:  Cap. 11: Amar o próximo como a si mesmo: O MAIOR MANDAMENTO  Nas instruções dos espíritos, encontramos uma mensagem de Lázaro (Paris, 1862) intitulada “A Lei de Amor.”  O amor resume toda a doutrina de Jesus, porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado.
  • 33. Pela sua atenção e paciência, meu muito obrigado! Tenham todos um ótimo final de semana.