SlideShare uma empresa Scribd logo
TREINO DESPORTIVO
TRABALHO REALIZADO POR:

ANDRÉ LOPES - 2873
FRANCISCO VITORINO - 3027
MANUEL ALCÂNTARA - 2999
MAURO BRANCO - 3034

Escola Profissional Val do Rio
ÍNDICE
▪ Introdução
▪ Treino Geral
▪ Objetivos do treino desportivo
▪ Regras de Treino
▪ Competição
▪ Sobrecarga
▪ Conclusão
▪ Vídeo
▪ Referencias bibliográficas
INTRODUÇÃO
Neste trabalho vamos falar sobre o treino
desportivo, os objetivos de treino, regras de treino
básicas e o treino desportivo a nível competitivo.
Como devemos lidar com o corpo humano quando
se faz exercício físico, cuidados a ter etc...
TREINO GERAL
▪ É um atividade de longa duração que consiste
em graduar de forma progressiva,
individualizada, atuando só nas funções no
corpo humano, físicas e psicológicas.
▪ O treino desportivo, quando aplicado
adequadamente, provoca no organismo
humano, adaptações elevando a forma física
do individuo. Nunca se deve fazer treino
desportivo estando com problemas no
organismo como cansaço ou sono, meio
ambiente poluído, estando doente, não estar
motivado a nível psicológico.
TREINO GERAL
▪ Todos nós temos limitações, e como tal
temos de nos adaptar às nossas
capacidades, fraquezas e arranjar maneira
de obter o sucesso na competição
pretendida, desenvolvendo a capacidade
de entrega, espirito de equipa, a aptidão
de cooperação e a vontade de superação.
OBJETIVOS DO TREINO DESPORTIVO
 GANHAR E AUMENTAR O DESENVOLVIMENTO MULTILATERAL E FÍSICO

 ASSEGURAR E MELHORAR OS DESENVOLVIMENTOS FÍSICOS ESPECÍFICOS DETERMINADOS
PELAS NECESSIDADES DE CADA DESPORTO
 REALIZAR E APERFEIÇOAR AS TÉCNICAS DO DESPORTO ESCOLHIDO
 MELHORAR E APERFEIÇOAR AS ESTRATÉGIAS NECESSÁRIAS
 ASSEGURAR E PROCURAR UMA PREPARAÇÃO ÓTIMA PARA A EQUIPA
 FORTALECER O ESTADO DE SAÚDE DE CADA ATLETA
 PREVENIR LESÕES
 AUMENTAR O CONHECIMENTO TEÓRICO DO ATLETA
Progressivo

Regularidade

Repouso

O corpo é constituído por
músculos, por isso o corpo só
desenvolve se o treino for
progressivo, ou seja, não basta
fazer exercício de vez em quando,
mas sim regularmente e com um
plano definido.
O corpo só irá apresentar
resultados pretendidos quando o
corpo se adapta ao esforço que
lhe é submetido e assim
aumentar progressivamente a
carga do treino.

O melhor é treinar de 2 a 3 vezes por
semana, no decorrer do ano, do que
todos os dias durante 2 meses

Os benefícios do treino só aparecem
com as fases de repouso. Não evite
o repouso, estar dorido é bom sinal,
significa que o músculo está a
progredir como pretendido, mas um
grupo muscular precisa de 48h a
72h para recuperar completamente.

REGRAS DE TREINO
COMPETIÇÃO
▪ Hoje em dia o que “obriga” os jovens a fazer
exercício físico é a prática da mesma em
ensinos educativos.
▪ Os jovens têm tendência para estar mais
sedentários e têm vindo a engordar nos
últimos anos.
▪ A prática de desporto competitivo
interescolares incentiva os alunos a se
esforçarem e a terem atividades extra
curriculares para se concentrarem no
desporto.
▪ Só traz vantagens e contribui para o alcance
de objetivos como: melhoria da saúde,
aperfeiçoamento da função do organismo em
crescimento, desenvolvimento das qualidades
físicas
ALTA COMPETIÇÃO
▪ O desempenho desportivo é o que se chama hoje
em dia por “performance”, ou seja, o resultado
obtido em competição, que são as capacidades
máximas individuais do atleta numa determinada
disciplina desportiva.
▪ A nível competitivo estamos a falar de uma
preparação cuidada e que exige todos os dias o
treino do corpo para atingir níveis olímpicos.
▪ A preparação para a competição desportiva
profissional é um processo que tem de ser
percorrido a longo prazo, e tem que haver respeito
pelas características individuais, motivação e
integridade do estado de saúde do praticante.
SOBRECARGA
A SOBRECARGA CORPORAL É A APLICAÇÃO DE UM ESFORÇO ESPECÍFICO ACUMULADO.
NOS PRIMEIROS ANOS DE TREINO, O VOLUME DEVE IR AUMENTANDO PROGRESSIVAMENTE E
ESTANDO ATENTO AO FATOR INTENSIDADE.

A SOBRECARGA IRÁ RESULTAR A FADIGA:
Alterações na capacidade de rendimento:

Alterações no estado da pessoa:

▪ Diminuição na capacidade de trabalho

▪ Cansaço constante

▪ Aumento do consumo de oxigénio e
aumento da ventilação

▪ Insônias

▪ Diminuição da força
▪ Aumento dos erros técnicos

▪ Perda de apetite, perda de peso
▪ Náuseas, problemas intestinais
▪ Dores musculares
▪ Diminuição de defesas
USAIN BOLT VS 100
ANOS DE 100M NOS
JOGOS OLÍMPICOS

https://www.youtube.com/watch?v=t8FUtYJJzyQ
CONCLUSÃO
NESTE TRABALHO APRENDEMOS E DEMOS A CONHECER MAIS SOBRE O TEMA ABORDADO.
ACHAMOS INTERESSANTE POIS APRENDEMOS FACTOS SOBRE O TREINO, AS SUAS VARIANTES E
TAMBÉM A PARTE MAIS PROFISSIONAL.
BIBLIOGRAFIA
WWW.GOOGLE.PT
WWW.WIKIPEDIA.PT

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
Escola Básica e Secundária Matilde Rosa Araújo
 
Ficha de Aquecimento de Educação Física
Ficha de Aquecimento de Educação FísicaFicha de Aquecimento de Educação Física
Ficha de Aquecimento de Educação Física
713773
 
Capacidades físicas
Capacidades físicasCapacidades físicas
Capacidades físicas
Joana Lima
 
Qualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - ForçaQualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - Força
Filipe Matos
 
Ceifeira
CeifeiraCeifeira
Flexibilidade 01
Flexibilidade 01Flexibilidade 01
Flexibilidade 01
washington carlos vieira
 
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
Irene Semanas
 
Capacidades motoras - Educação Física 11ºano
Capacidades motoras - Educação Física 11ºanoCapacidades motoras - Educação Física 11ºano
Capacidades motoras - Educação Física 11ºano
Maria Rebelo
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão física
sirgmoraes
 
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando PessoaResumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Raffaella Ergün
 
Atividade fisica, aptidão física e saúde
Atividade fisica, aptidão física e saúdeAtividade fisica, aptidão física e saúde
Atividade fisica, aptidão física e saúde
washington carlos vieira
 
Resistência Física
Resistência  FísicaResistência  Física
Resistência Física
guest2875a3
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
Raffaella Ergün
 
Ética Desportiva / Perversões do Desporto
Ética Desportiva / Perversões do DesportoÉtica Desportiva / Perversões do Desporto
Ética Desportiva / Perversões do Desporto
Luisa Figueira
 
Violência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito DesportivoViolência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito Desportivo
713773
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagem
ameliapadrao
 
António Damásio
António DamásioAntónio Damásio
António Damásio
Yanick Santos
 
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicasFatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Soraya Filipa
 
Danças Sociais
Danças SociaisDanças Sociais
Danças Sociais
Diogo Silva
 
Frei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, sínteseFrei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, síntese
Maria Teresa Soveral
 

Mais procurados (20)

As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
 
Ficha de Aquecimento de Educação Física
Ficha de Aquecimento de Educação FísicaFicha de Aquecimento de Educação Física
Ficha de Aquecimento de Educação Física
 
Capacidades físicas
Capacidades físicasCapacidades físicas
Capacidades físicas
 
Qualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - ForçaQualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - Força
 
Ceifeira
CeifeiraCeifeira
Ceifeira
 
Flexibilidade 01
Flexibilidade 01Flexibilidade 01
Flexibilidade 01
 
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
 
Capacidades motoras - Educação Física 11ºano
Capacidades motoras - Educação Física 11ºanoCapacidades motoras - Educação Física 11ºano
Capacidades motoras - Educação Física 11ºano
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão física
 
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando PessoaResumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
 
Atividade fisica, aptidão física e saúde
Atividade fisica, aptidão física e saúdeAtividade fisica, aptidão física e saúde
Atividade fisica, aptidão física e saúde
 
Resistência Física
Resistência  FísicaResistência  Física
Resistência Física
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
 
Ética Desportiva / Perversões do Desporto
Ética Desportiva / Perversões do DesportoÉtica Desportiva / Perversões do Desporto
Ética Desportiva / Perversões do Desporto
 
Violência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito DesportivoViolência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito Desportivo
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagem
 
António Damásio
António DamásioAntónio Damásio
António Damásio
 
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicasFatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
 
Danças Sociais
Danças SociaisDanças Sociais
Danças Sociais
 
Frei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, sínteseFrei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, síntese
 

Semelhante a Treino desportivo

Condicionamento físico
Condicionamento físicoCondicionamento físico
Condicionamento físico
NatanaelMoreiraAmori
 
SLIDES DO LIVRO.pptx
SLIDES DO LIVRO.pptxSLIDES DO LIVRO.pptx
SLIDES DO LIVRO.pptx
LeilaLima41
 
Treinamento.blog
Treinamento.blogTreinamento.blog
Treinamento.blog
professoratatiane
 
ginástica laboral
ginástica laboralginástica laboral
ginástica laboral
Ajudar Pessoas
 
Programa De Atividade Física
Programa De Atividade FísicaPrograma De Atividade Física
Programa De Atividade Física
Thaynara Sampaio
 
Os princípios do treino
Os princípios do treinoOs princípios do treino
Os princípios do treino
Historiando
 
Treinamento funcional fiep cg
Treinamento funcional fiep cgTreinamento funcional fiep cg
Treinamento funcional fiep cg
Brunno Elias
 
Ginástica laboral
Ginástica laboralGinástica laboral
Ginástica laboral
Jaqueline de Paulo
 
A base da pirâmide
A base da pirâmideA base da pirâmide
A base da pirâmide
washington carlos vieira
 
Cartilha atividade fisica
Cartilha atividade fisicaCartilha atividade fisica
Cartilha atividade fisica
karol_ribeiro
 
Treinamento fisico 9º ano 2012
Treinamento fisico 9º ano 2012Treinamento fisico 9º ano 2012
Treinamento fisico 9º ano 2012
Marlon Jj
 
CARACTERÍSTICAS DO ESPORTE NO TEMPO E NO ESPAÇO 2 ANO.pptx
CARACTERÍSTICAS DO ESPORTE NO TEMPO E NO ESPAÇO 2 ANO.pptxCARACTERÍSTICAS DO ESPORTE NO TEMPO E NO ESPAÇO 2 ANO.pptx
CARACTERÍSTICAS DO ESPORTE NO TEMPO E NO ESPAÇO 2 ANO.pptx
ArlecioMatos
 
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdfMantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
feliperodrigomelo
 
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdfMantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
feliperodrigomelo
 
Módulo 6 fisiologia - daniela dantas
Módulo 6   fisiologia - daniela dantasMódulo 6   fisiologia - daniela dantas
Módulo 6 fisiologia - daniela dantas
Vera Filipa Silva
 
Conceito de Treinamento Funcional
Conceito de Treinamento FuncionalConceito de Treinamento Funcional
Conceito de Treinamento Funcional
Diego Crespo Drago
 
Exercício físico
Exercício físicoExercício físico
Exercício físico
Rafael_2201
 
Principios do treinamento desportivo
Principios do treinamento desportivoPrincipios do treinamento desportivo
Principios do treinamento desportivo
joaobriant
 
3º ano. prova mensal. 2º bim. fatores que influenciam na ativ.física
3º ano. prova mensal. 2º bim. fatores que influenciam na ativ.física3º ano. prova mensal. 2º bim. fatores que influenciam na ativ.física
3º ano. prova mensal. 2º bim. fatores que influenciam na ativ.física
Tony
 
5 dicas para atletas com mais de 40 anos
5 dicas para atletas com mais de 40 anos5 dicas para atletas com mais de 40 anos
5 dicas para atletas com mais de 40 anos
Rodrigo Langeani
 

Semelhante a Treino desportivo (20)

Condicionamento físico
Condicionamento físicoCondicionamento físico
Condicionamento físico
 
SLIDES DO LIVRO.pptx
SLIDES DO LIVRO.pptxSLIDES DO LIVRO.pptx
SLIDES DO LIVRO.pptx
 
Treinamento.blog
Treinamento.blogTreinamento.blog
Treinamento.blog
 
ginástica laboral
ginástica laboralginástica laboral
ginástica laboral
 
Programa De Atividade Física
Programa De Atividade FísicaPrograma De Atividade Física
Programa De Atividade Física
 
Os princípios do treino
Os princípios do treinoOs princípios do treino
Os princípios do treino
 
Treinamento funcional fiep cg
Treinamento funcional fiep cgTreinamento funcional fiep cg
Treinamento funcional fiep cg
 
Ginástica laboral
Ginástica laboralGinástica laboral
Ginástica laboral
 
A base da pirâmide
A base da pirâmideA base da pirâmide
A base da pirâmide
 
Cartilha atividade fisica
Cartilha atividade fisicaCartilha atividade fisica
Cartilha atividade fisica
 
Treinamento fisico 9º ano 2012
Treinamento fisico 9º ano 2012Treinamento fisico 9º ano 2012
Treinamento fisico 9º ano 2012
 
CARACTERÍSTICAS DO ESPORTE NO TEMPO E NO ESPAÇO 2 ANO.pptx
CARACTERÍSTICAS DO ESPORTE NO TEMPO E NO ESPAÇO 2 ANO.pptxCARACTERÍSTICAS DO ESPORTE NO TEMPO E NO ESPAÇO 2 ANO.pptx
CARACTERÍSTICAS DO ESPORTE NO TEMPO E NO ESPAÇO 2 ANO.pptx
 
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdfMantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
 
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdfMantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
 
Módulo 6 fisiologia - daniela dantas
Módulo 6   fisiologia - daniela dantasMódulo 6   fisiologia - daniela dantas
Módulo 6 fisiologia - daniela dantas
 
Conceito de Treinamento Funcional
Conceito de Treinamento FuncionalConceito de Treinamento Funcional
Conceito de Treinamento Funcional
 
Exercício físico
Exercício físicoExercício físico
Exercício físico
 
Principios do treinamento desportivo
Principios do treinamento desportivoPrincipios do treinamento desportivo
Principios do treinamento desportivo
 
3º ano. prova mensal. 2º bim. fatores que influenciam na ativ.física
3º ano. prova mensal. 2º bim. fatores que influenciam na ativ.física3º ano. prova mensal. 2º bim. fatores que influenciam na ativ.física
3º ano. prova mensal. 2º bim. fatores que influenciam na ativ.física
 
5 dicas para atletas com mais de 40 anos
5 dicas para atletas com mais de 40 anos5 dicas para atletas com mais de 40 anos
5 dicas para atletas com mais de 40 anos
 

Mais de Francisco Vitorino

Frank lloyd wright - Biografia
Frank lloyd wright - BiografiaFrank lloyd wright - Biografia
Frank lloyd wright - Biografia
Francisco Vitorino
 
A relíquia capitulo V, Eça de Queiroz - Resumo
A relíquia capitulo V, Eça de Queiroz - ResumoA relíquia capitulo V, Eça de Queiroz - Resumo
A relíquia capitulo V, Eça de Queiroz - Resumo
Francisco Vitorino
 
Greenhouse Effect
Greenhouse EffectGreenhouse Effect
Greenhouse Effect
Francisco Vitorino
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
Francisco Vitorino
 
Jean monnet - Trabalho Integração
Jean monnet - Trabalho IntegraçãoJean monnet - Trabalho Integração
Jean monnet - Trabalho Integração
Francisco Vitorino
 
Inglês - Fox Broadcast Channel
Inglês - Fox Broadcast ChannelInglês - Fox Broadcast Channel
Inglês - Fox Broadcast Channel
Francisco Vitorino
 
Violinos e violoncelos
Violinos e violoncelosViolinos e violoncelos
Violinos e violoncelos
Francisco Vitorino
 
Meios de comunicação
Meios de comunicaçãoMeios de comunicação
Meios de comunicação
Francisco Vitorino
 
Alemanha
AlemanhaAlemanha
Maquina fotográfica comp
Maquina fotográfica compMaquina fotográfica comp
Maquina fotográfica comp
Francisco Vitorino
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Security guard
Security guardSecurity guard
Security guard
Francisco Vitorino
 
Características de alguns dos realizadores do cinema
Características de alguns dos realizadores do cinemaCaracterísticas de alguns dos realizadores do cinema
Características de alguns dos realizadores do cinema
Francisco Vitorino
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente - Trabalho de Português
Erros meus, má fortuna, amor ardente - Trabalho de PortuguêsErros meus, má fortuna, amor ardente - Trabalho de Português
Erros meus, má fortuna, amor ardente - Trabalho de Português
Francisco Vitorino
 
England
EnglandEngland
Jornal val do rio - Informação
Jornal val do rio - InformaçãoJornal val do rio - Informação
Jornal val do rio - Informação
Francisco Vitorino
 
Caracteristicas do Cinema
Caracteristicas do CinemaCaracteristicas do Cinema
Caracteristicas do Cinema
Francisco Vitorino
 

Mais de Francisco Vitorino (17)

Frank lloyd wright - Biografia
Frank lloyd wright - BiografiaFrank lloyd wright - Biografia
Frank lloyd wright - Biografia
 
A relíquia capitulo V, Eça de Queiroz - Resumo
A relíquia capitulo V, Eça de Queiroz - ResumoA relíquia capitulo V, Eça de Queiroz - Resumo
A relíquia capitulo V, Eça de Queiroz - Resumo
 
Greenhouse Effect
Greenhouse EffectGreenhouse Effect
Greenhouse Effect
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Jean monnet - Trabalho Integração
Jean monnet - Trabalho IntegraçãoJean monnet - Trabalho Integração
Jean monnet - Trabalho Integração
 
Inglês - Fox Broadcast Channel
Inglês - Fox Broadcast ChannelInglês - Fox Broadcast Channel
Inglês - Fox Broadcast Channel
 
Violinos e violoncelos
Violinos e violoncelosViolinos e violoncelos
Violinos e violoncelos
 
Meios de comunicação
Meios de comunicaçãoMeios de comunicação
Meios de comunicação
 
Alemanha
AlemanhaAlemanha
Alemanha
 
Maquina fotográfica comp
Maquina fotográfica compMaquina fotográfica comp
Maquina fotográfica comp
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Security guard
Security guardSecurity guard
Security guard
 
Características de alguns dos realizadores do cinema
Características de alguns dos realizadores do cinemaCaracterísticas de alguns dos realizadores do cinema
Características de alguns dos realizadores do cinema
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente - Trabalho de Português
Erros meus, má fortuna, amor ardente - Trabalho de PortuguêsErros meus, má fortuna, amor ardente - Trabalho de Português
Erros meus, má fortuna, amor ardente - Trabalho de Português
 
England
EnglandEngland
England
 
Jornal val do rio - Informação
Jornal val do rio - InformaçãoJornal val do rio - Informação
Jornal val do rio - Informação
 
Caracteristicas do Cinema
Caracteristicas do CinemaCaracteristicas do Cinema
Caracteristicas do Cinema
 

Treino desportivo

  • 1. TREINO DESPORTIVO TRABALHO REALIZADO POR: ANDRÉ LOPES - 2873 FRANCISCO VITORINO - 3027 MANUEL ALCÂNTARA - 2999 MAURO BRANCO - 3034 Escola Profissional Val do Rio
  • 2. ÍNDICE ▪ Introdução ▪ Treino Geral ▪ Objetivos do treino desportivo ▪ Regras de Treino ▪ Competição ▪ Sobrecarga ▪ Conclusão ▪ Vídeo ▪ Referencias bibliográficas
  • 3. INTRODUÇÃO Neste trabalho vamos falar sobre o treino desportivo, os objetivos de treino, regras de treino básicas e o treino desportivo a nível competitivo. Como devemos lidar com o corpo humano quando se faz exercício físico, cuidados a ter etc...
  • 4. TREINO GERAL ▪ É um atividade de longa duração que consiste em graduar de forma progressiva, individualizada, atuando só nas funções no corpo humano, físicas e psicológicas. ▪ O treino desportivo, quando aplicado adequadamente, provoca no organismo humano, adaptações elevando a forma física do individuo. Nunca se deve fazer treino desportivo estando com problemas no organismo como cansaço ou sono, meio ambiente poluído, estando doente, não estar motivado a nível psicológico.
  • 5. TREINO GERAL ▪ Todos nós temos limitações, e como tal temos de nos adaptar às nossas capacidades, fraquezas e arranjar maneira de obter o sucesso na competição pretendida, desenvolvendo a capacidade de entrega, espirito de equipa, a aptidão de cooperação e a vontade de superação.
  • 6. OBJETIVOS DO TREINO DESPORTIVO  GANHAR E AUMENTAR O DESENVOLVIMENTO MULTILATERAL E FÍSICO  ASSEGURAR E MELHORAR OS DESENVOLVIMENTOS FÍSICOS ESPECÍFICOS DETERMINADOS PELAS NECESSIDADES DE CADA DESPORTO  REALIZAR E APERFEIÇOAR AS TÉCNICAS DO DESPORTO ESCOLHIDO  MELHORAR E APERFEIÇOAR AS ESTRATÉGIAS NECESSÁRIAS  ASSEGURAR E PROCURAR UMA PREPARAÇÃO ÓTIMA PARA A EQUIPA  FORTALECER O ESTADO DE SAÚDE DE CADA ATLETA  PREVENIR LESÕES  AUMENTAR O CONHECIMENTO TEÓRICO DO ATLETA
  • 7. Progressivo Regularidade Repouso O corpo é constituído por músculos, por isso o corpo só desenvolve se o treino for progressivo, ou seja, não basta fazer exercício de vez em quando, mas sim regularmente e com um plano definido. O corpo só irá apresentar resultados pretendidos quando o corpo se adapta ao esforço que lhe é submetido e assim aumentar progressivamente a carga do treino. O melhor é treinar de 2 a 3 vezes por semana, no decorrer do ano, do que todos os dias durante 2 meses Os benefícios do treino só aparecem com as fases de repouso. Não evite o repouso, estar dorido é bom sinal, significa que o músculo está a progredir como pretendido, mas um grupo muscular precisa de 48h a 72h para recuperar completamente. REGRAS DE TREINO
  • 8. COMPETIÇÃO ▪ Hoje em dia o que “obriga” os jovens a fazer exercício físico é a prática da mesma em ensinos educativos. ▪ Os jovens têm tendência para estar mais sedentários e têm vindo a engordar nos últimos anos. ▪ A prática de desporto competitivo interescolares incentiva os alunos a se esforçarem e a terem atividades extra curriculares para se concentrarem no desporto. ▪ Só traz vantagens e contribui para o alcance de objetivos como: melhoria da saúde, aperfeiçoamento da função do organismo em crescimento, desenvolvimento das qualidades físicas
  • 9. ALTA COMPETIÇÃO ▪ O desempenho desportivo é o que se chama hoje em dia por “performance”, ou seja, o resultado obtido em competição, que são as capacidades máximas individuais do atleta numa determinada disciplina desportiva. ▪ A nível competitivo estamos a falar de uma preparação cuidada e que exige todos os dias o treino do corpo para atingir níveis olímpicos. ▪ A preparação para a competição desportiva profissional é um processo que tem de ser percorrido a longo prazo, e tem que haver respeito pelas características individuais, motivação e integridade do estado de saúde do praticante.
  • 10. SOBRECARGA A SOBRECARGA CORPORAL É A APLICAÇÃO DE UM ESFORÇO ESPECÍFICO ACUMULADO. NOS PRIMEIROS ANOS DE TREINO, O VOLUME DEVE IR AUMENTANDO PROGRESSIVAMENTE E ESTANDO ATENTO AO FATOR INTENSIDADE. A SOBRECARGA IRÁ RESULTAR A FADIGA: Alterações na capacidade de rendimento: Alterações no estado da pessoa: ▪ Diminuição na capacidade de trabalho ▪ Cansaço constante ▪ Aumento do consumo de oxigénio e aumento da ventilação ▪ Insônias ▪ Diminuição da força ▪ Aumento dos erros técnicos ▪ Perda de apetite, perda de peso ▪ Náuseas, problemas intestinais ▪ Dores musculares ▪ Diminuição de defesas
  • 11. USAIN BOLT VS 100 ANOS DE 100M NOS JOGOS OLÍMPICOS https://www.youtube.com/watch?v=t8FUtYJJzyQ
  • 12. CONCLUSÃO NESTE TRABALHO APRENDEMOS E DEMOS A CONHECER MAIS SOBRE O TEMA ABORDADO. ACHAMOS INTERESSANTE POIS APRENDEMOS FACTOS SOBRE O TREINO, AS SUAS VARIANTES E TAMBÉM A PARTE MAIS PROFISSIONAL.