SlideShare uma empresa Scribd logo
Daniel Nunes,
 Tiago Costa
 Socialização é o processo através do qual o indivíduo aprende e
  interioriza o sistema de valores, de normas e comportamentos de
  uma determinada cultura, onde intervém um conjunto
  de agentes de socialização.
 A criança quando nasce, apesar de já trazer os genes necessários
  ao ser humano, é um ser culturalmente em branco e através da
  socialização, os indivíduos vão interiorizar as normas e os valores
  da sociedade em que estão inseridos.
 Trata-se ,portanto, de um processo de aprendizagem que permite
  a integração dos indivíduos na sociedade.
 Aprendem os modelos culturais vigentes, assimilam-nos e
  adotam-nos como seus, tornando-se seres sociais.
 Ou seja, a socialização acontece ao longo de toda a vida, embora
  com intensidades e contextos diferentes.
 A socialização primária ocorre durante a infância do indivíduo.
  Nesta fase, a criança é sobretudo pela família, sendo as
  aprendizagens mais intensas, mais marcantes , porque a criança
  está geneticamente preparada para receber e assimilar grandes
  doses de informação e porque existe uma forte ligação emocional
  e afetiva com os seus agentes socializadores.
 Ao longo deste período, são aprendidas e interiorizadas coisas
  tão determinantes quanto a linguagem, as regras básicas da
  sociedade ou os modelos comportamentais do grupo a que
  pertence.
 A socialização secundária é qualquer processo subsequente que
  introduz um indivíduo já socializado em novos sectores do
  mundo objetivo da sua sociedade.
 Acontece em cada nova situação com que nos deparamos ao
  longo da vida: na escola, nos grupos de amigos, no trabalho, em
  lazer ou nas viagens que realizamos.
 Em cada novo papel que assumimos, existe uma aprendizagem
  das expectativas que a sociedade ou grupo depositam em nós
  relativamente ao nosso desempenho.
 Como o próprio nome indica, aprendemos desde cedo, os valores
  e as regras sociais considerados corretos e os modelos de
  comportamento do grupo a que pertencemos: o que podemos e o
  que não podemos fazer, o certo e o errado.
 Aprendemos igualmente a ler, a escrever a raciocinar dentro de
  determinados moldes e toda uma série de competências, das
  mais básicas ás mais elaboradas.
 A aprendizagem pressupõe a interiorização de determinadas
  reações perante as situações sociais, ou seja, a aquisição de
  automatismos de comportamentos variados.
 Todos nós aprendemos observando e imitando os outros:
  quando isto acontece estamos perante um mecanismo de
  socialização chamado imitação.
 Muitas das atitudes e comportamentos que vemos nas
  crianças são fruto das suas observações e posterior
  imitação.
 O processo de socialização passa então, necessariamente,
  pela observação e imitação dos modelos sociais.
 Por exemplo a imitação de um comportamento socialmente
  correcto é elogiado, o que leva a que repitamos esse
  comportamento no futuro.
 Ao longo de toda a vida temos tendência para nos
  indentificarmos com pessoas que desempanham um
  determinado papel no nosso quotidiano.
 Esse processo de identificação faz com que
  progressivamente     adquiremos     comportamentos
  semelhantes a essas pessoas.
 Uma criança por se identificar com o pai, com a mãe,
  com um professor ou até com uma estrela de cinema
  pode de certa forma ser influenciada na sua maneria
  de se comportar em diferentes situações, uma vez que
  interioriza comportamentos associados a essas
  mesmas pessoas.
 Todos os grupos a que pertencemos são agentes da
    socialização, na medida em que nos obrigam a
    interiozar um determinado papel social, seja por
    aprendizagem, seja por imitação ou por identificação.
   De entre os vários agentes de socialização podemos
    destacar:
   A Família;
   A Escola;
   Os Amigos;
   Meios de comunicação;
   Empresa.
 A família tem um papel imprescindível no processo de
 Socialização de uma criança: é a família que transmite
 traços culturais e valores próprios do grupo social, bem
 como modelos de comportamento.

 É com a família que aprendemos, por exemplo, as
 regras básicas da boa educação, os hábitos de higiene e
 de alimentação, a falar, a exprimirmo-nos, a ouvir
 musica e a ler um determinado livro.
 Depois da família, surge como agente de socialização
 mais importante a escola. Na escola existe todo um
 conjunto complexo de aprendizagens que são
 acrescentadas à socialização feita pela família.

 Na escola as crianças aprendem a comportar-se na sala
 de aula, a ser pontuais, a cumprir determinadas regras
 de disciplina e a respeitar o professor e os colegas.
 No meio social é comum confundir-se o conceito de
 educação com o conceito de socialização.

 O conceito de educação abrange um universo mais
  alargado, na medida em que excede o limite escolar,
  prolongado a sua influencia em todos os domínios da
  vida pessoal.
 Podemos distinguir dois tipos de educação:
 A Educação formal;
 A Educação Informal.
 É a educação dada pelas escolas;
 É   organizada numa sequência pré-estabelecida,
  orientada por um professor;
 É um sistema educativo altamente institucionado,
  cronologicamente graduado, e que se estende do
  ensino primário até a universidade
 Pode se definir educação informal com um processo
 pelo qual durante toda a vida, as pessoas aquirem e
 acumulam conhecimentos e habilidades, atitudes e
 comportamentos atraves das suas experiências diárias
 e na sua relação com o meio ambiente.

 Abrange todas as possiblidades educativas no decurso
 das nossas vidas.
 Links:
 http://filotestes.no.sapo.pt/psicAprendizagem.html
 http://psike-ana.blogspot.pt/2010/03/aprendizagem-
  por-observacao-e-imitacao.html
 http://www.slideshare.net/nfraga/educao-formal-
  noformal-e-informal
 Porto Editora, Sociologia em AçãoSociologia 12º Ano,
  António Pedro Pombo, Filipe César, João Teixeira
  Lopes, Maria Helena Alves.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Programa de área de integração
Programa de área de integraçãoPrograma de área de integração
Programa de área de integração
Joana
 
Socialização e cultura
Socialização e culturaSocialização e cultura
Socialização e cultura
Sergio Grunbaum
 
Socialização.
Socialização.Socialização.
Socialização.
Nuno Cunha
 
Multiculturalismo
MulticulturalismoMulticulturalismo
Multiculturalismo
ProfMario De Mori
 
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Paula Pereira
 
Interação social e papéis sociais
Interação social e papéis sociaisInteração social e papéis sociais
Interação social e papéis sociais
turma12c
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Susana Simões
 
Psicologia-Genética
Psicologia-GenéticaPsicologia-Genética
Psicologia-Genética
norberto faria
 
Métodos e técnicas de investigaçao sociológica
Métodos e técnicas de investigaçao sociológicaMétodos e técnicas de investigaçao sociológica
Métodos e técnicas de investigaçao sociológica
Ana Antunes
 
Módulo 1 1.2.
Módulo 1   1.2.Módulo 1   1.2.
Módulo 1 1.2.
cattonia
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
Escoladocs
 
Características poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo ReisCaracterísticas poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo Reis
Dina Baptista
 
A socialização e os seus agentes e mecanismos
A socialização e os seus agentes e mecanismosA socialização e os seus agentes e mecanismos
A socialização e os seus agentes e mecanismos
turma12c1617
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
MiguelavRodrigues
 
Reprodução e Mudança Social
Reprodução e Mudança SocialReprodução e Mudança Social
Reprodução e Mudança Social
Alfredo Garcia
 
Cultura
CulturaCultura
305626475 sociologia-12 (1)
305626475 sociologia-12 (1)305626475 sociologia-12 (1)
305626475 sociologia-12 (1)
RenataArteiro1
 
A Construção do Social
A Construção do SocialA Construção do Social
A Construção do Social
Jorge Barbosa
 
Guia do professor sentidos12
Guia do professor sentidos12Guia do professor sentidos12
Guia do professor sentidos12
Maria José Silva
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
home
 

Mais procurados (20)

Programa de área de integração
Programa de área de integraçãoPrograma de área de integração
Programa de área de integração
 
Socialização e cultura
Socialização e culturaSocialização e cultura
Socialização e cultura
 
Socialização.
Socialização.Socialização.
Socialização.
 
Multiculturalismo
MulticulturalismoMulticulturalismo
Multiculturalismo
 
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
 
Interação social e papéis sociais
Interação social e papéis sociaisInteração social e papéis sociais
Interação social e papéis sociais
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Psicologia-Genética
Psicologia-GenéticaPsicologia-Genética
Psicologia-Genética
 
Métodos e técnicas de investigaçao sociológica
Métodos e técnicas de investigaçao sociológicaMétodos e técnicas de investigaçao sociológica
Métodos e técnicas de investigaçao sociológica
 
Módulo 1 1.2.
Módulo 1   1.2.Módulo 1   1.2.
Módulo 1 1.2.
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
Características poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo ReisCaracterísticas poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo Reis
 
A socialização e os seus agentes e mecanismos
A socialização e os seus agentes e mecanismosA socialização e os seus agentes e mecanismos
A socialização e os seus agentes e mecanismos
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
 
Reprodução e Mudança Social
Reprodução e Mudança SocialReprodução e Mudança Social
Reprodução e Mudança Social
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
305626475 sociologia-12 (1)
305626475 sociologia-12 (1)305626475 sociologia-12 (1)
305626475 sociologia-12 (1)
 
A Construção do Social
A Construção do SocialA Construção do Social
A Construção do Social
 
Guia do professor sentidos12
Guia do professor sentidos12Guia do professor sentidos12
Guia do professor sentidos12
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
 

Semelhante a Trabalho de sociologia (1)

Trabalho de sociologia (1)
Trabalho de sociologia (1)Trabalho de sociologia (1)
Trabalho de sociologia (1)
Daniel Nunes
 
Socialização e seus agentes
Socialização e seus agentesSocialização e seus agentes
Socialização e seus agentes
turma12c1617
 
A socialização e os seus agentes
A socialização e os seus agentesA socialização e os seus agentes
A socialização e os seus agentes
turma12c1617
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
joanaanm
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
sashaa2194
 
socialização e seus agentes
socialização e seus agentessocialização e seus agentes
socialização e seus agentes
turma12c1617
 
socialização e seus agentes
socialização e seus agentessocialização e seus agentes
socialização e seus agentes
turma12c1617
 
Socialização e agentes de socialização
Socialização e agentes de socializaçãoSocialização e agentes de socialização
Socialização e agentes de socialização
turma12c1617
 
11178
1117811178
Agentes de socialização
Agentes de socializaçãoAgentes de socialização
Agentes de socialização
turma12c1617
 
Sociologia generico
Sociologia genericoSociologia generico
Sociologia generico
Pedro Oliveira
 
A Socialização e os Agentes de Socialização
A Socialização e os Agentes de SocializaçãoA Socialização e os Agentes de Socialização
A Socialização e os Agentes de Socialização
turma12c1617
 
Portefolio Área De Integração - Módulo 1
Portefolio Área De Integração - Módulo 1Portefolio Área De Integração - Módulo 1
Portefolio Área De Integração - Módulo 1
Patricia Martins
 
A socialização
A socializaçãoA socialização
A socialização
aintazambuja
 
socialização e os seus agentes
socialização e os seus agentes socialização e os seus agentes
socialização e os seus agentes
turma12c1617
 
Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02
Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02
Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02
Rudolf Rotchild Costa Cavalcante
 
Socialização na infância
Socialização na infânciaSocialização na infância
Socialização na infância
Bruno Carrasco
 
Psicologia b
Psicologia bPsicologia b
Psicologia b
Rute1993
 
CULTURA E SOCIALIZAÇÃO
CULTURA E SOCIALIZAÇÃOCULTURA E SOCIALIZAÇÃO
CULTURA E SOCIALIZAÇÃO
catynes
 
Socialização e os agentes de socialização.
Socialização e os agentes de socialização.Socialização e os agentes de socialização.
Socialização e os agentes de socialização.
turma12c1617
 

Semelhante a Trabalho de sociologia (1) (20)

Trabalho de sociologia (1)
Trabalho de sociologia (1)Trabalho de sociologia (1)
Trabalho de sociologia (1)
 
Socialização e seus agentes
Socialização e seus agentesSocialização e seus agentes
Socialização e seus agentes
 
A socialização e os seus agentes
A socialização e os seus agentesA socialização e os seus agentes
A socialização e os seus agentes
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
socialização e seus agentes
socialização e seus agentessocialização e seus agentes
socialização e seus agentes
 
socialização e seus agentes
socialização e seus agentessocialização e seus agentes
socialização e seus agentes
 
Socialização e agentes de socialização
Socialização e agentes de socializaçãoSocialização e agentes de socialização
Socialização e agentes de socialização
 
11178
1117811178
11178
 
Agentes de socialização
Agentes de socializaçãoAgentes de socialização
Agentes de socialização
 
Sociologia generico
Sociologia genericoSociologia generico
Sociologia generico
 
A Socialização e os Agentes de Socialização
A Socialização e os Agentes de SocializaçãoA Socialização e os Agentes de Socialização
A Socialização e os Agentes de Socialização
 
Portefolio Área De Integração - Módulo 1
Portefolio Área De Integração - Módulo 1Portefolio Área De Integração - Módulo 1
Portefolio Área De Integração - Módulo 1
 
A socialização
A socializaçãoA socialização
A socialização
 
socialização e os seus agentes
socialização e os seus agentes socialização e os seus agentes
socialização e os seus agentes
 
Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02
Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02
Aulastemaiiiculturaesocializao 110305134647-phpapp02
 
Socialização na infância
Socialização na infânciaSocialização na infância
Socialização na infância
 
Psicologia b
Psicologia bPsicologia b
Psicologia b
 
CULTURA E SOCIALIZAÇÃO
CULTURA E SOCIALIZAÇÃOCULTURA E SOCIALIZAÇÃO
CULTURA E SOCIALIZAÇÃO
 
Socialização e os agentes de socialização.
Socialização e os agentes de socialização.Socialização e os agentes de socialização.
Socialização e os agentes de socialização.
 

Último

Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 

Último (20)

Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 

Trabalho de sociologia (1)

  • 2.  Socialização é o processo através do qual o indivíduo aprende e interioriza o sistema de valores, de normas e comportamentos de uma determinada cultura, onde intervém um conjunto de agentes de socialização.  A criança quando nasce, apesar de já trazer os genes necessários ao ser humano, é um ser culturalmente em branco e através da socialização, os indivíduos vão interiorizar as normas e os valores da sociedade em que estão inseridos.
  • 3.  Trata-se ,portanto, de um processo de aprendizagem que permite a integração dos indivíduos na sociedade.  Aprendem os modelos culturais vigentes, assimilam-nos e adotam-nos como seus, tornando-se seres sociais.  Ou seja, a socialização acontece ao longo de toda a vida, embora com intensidades e contextos diferentes.
  • 4.  A socialização primária ocorre durante a infância do indivíduo. Nesta fase, a criança é sobretudo pela família, sendo as aprendizagens mais intensas, mais marcantes , porque a criança está geneticamente preparada para receber e assimilar grandes doses de informação e porque existe uma forte ligação emocional e afetiva com os seus agentes socializadores.  Ao longo deste período, são aprendidas e interiorizadas coisas tão determinantes quanto a linguagem, as regras básicas da sociedade ou os modelos comportamentais do grupo a que pertence.
  • 5.  A socialização secundária é qualquer processo subsequente que introduz um indivíduo já socializado em novos sectores do mundo objetivo da sua sociedade.  Acontece em cada nova situação com que nos deparamos ao longo da vida: na escola, nos grupos de amigos, no trabalho, em lazer ou nas viagens que realizamos.  Em cada novo papel que assumimos, existe uma aprendizagem das expectativas que a sociedade ou grupo depositam em nós relativamente ao nosso desempenho.
  • 6.  Como o próprio nome indica, aprendemos desde cedo, os valores e as regras sociais considerados corretos e os modelos de comportamento do grupo a que pertencemos: o que podemos e o que não podemos fazer, o certo e o errado.  Aprendemos igualmente a ler, a escrever a raciocinar dentro de determinados moldes e toda uma série de competências, das mais básicas ás mais elaboradas.  A aprendizagem pressupõe a interiorização de determinadas reações perante as situações sociais, ou seja, a aquisição de automatismos de comportamentos variados.
  • 7.  Todos nós aprendemos observando e imitando os outros: quando isto acontece estamos perante um mecanismo de socialização chamado imitação.  Muitas das atitudes e comportamentos que vemos nas crianças são fruto das suas observações e posterior imitação.  O processo de socialização passa então, necessariamente, pela observação e imitação dos modelos sociais.  Por exemplo a imitação de um comportamento socialmente correcto é elogiado, o que leva a que repitamos esse comportamento no futuro.
  • 8.  Ao longo de toda a vida temos tendência para nos indentificarmos com pessoas que desempanham um determinado papel no nosso quotidiano.  Esse processo de identificação faz com que progressivamente adquiremos comportamentos semelhantes a essas pessoas.  Uma criança por se identificar com o pai, com a mãe, com um professor ou até com uma estrela de cinema pode de certa forma ser influenciada na sua maneria de se comportar em diferentes situações, uma vez que interioriza comportamentos associados a essas mesmas pessoas.
  • 9.  Todos os grupos a que pertencemos são agentes da socialização, na medida em que nos obrigam a interiozar um determinado papel social, seja por aprendizagem, seja por imitação ou por identificação.  De entre os vários agentes de socialização podemos destacar:  A Família;  A Escola;  Os Amigos;  Meios de comunicação;  Empresa.
  • 10.  A família tem um papel imprescindível no processo de Socialização de uma criança: é a família que transmite traços culturais e valores próprios do grupo social, bem como modelos de comportamento.  É com a família que aprendemos, por exemplo, as regras básicas da boa educação, os hábitos de higiene e de alimentação, a falar, a exprimirmo-nos, a ouvir musica e a ler um determinado livro.
  • 11.  Depois da família, surge como agente de socialização mais importante a escola. Na escola existe todo um conjunto complexo de aprendizagens que são acrescentadas à socialização feita pela família.  Na escola as crianças aprendem a comportar-se na sala de aula, a ser pontuais, a cumprir determinadas regras de disciplina e a respeitar o professor e os colegas.
  • 12.  No meio social é comum confundir-se o conceito de educação com o conceito de socialização.  O conceito de educação abrange um universo mais alargado, na medida em que excede o limite escolar, prolongado a sua influencia em todos os domínios da vida pessoal.  Podemos distinguir dois tipos de educação:  A Educação formal;  A Educação Informal.
  • 13.  É a educação dada pelas escolas;  É organizada numa sequência pré-estabelecida, orientada por um professor;  É um sistema educativo altamente institucionado, cronologicamente graduado, e que se estende do ensino primário até a universidade
  • 14.  Pode se definir educação informal com um processo pelo qual durante toda a vida, as pessoas aquirem e acumulam conhecimentos e habilidades, atitudes e comportamentos atraves das suas experiências diárias e na sua relação com o meio ambiente.  Abrange todas as possiblidades educativas no decurso das nossas vidas.
  • 15.  Links:  http://filotestes.no.sapo.pt/psicAprendizagem.html  http://psike-ana.blogspot.pt/2010/03/aprendizagem- por-observacao-e-imitacao.html  http://www.slideshare.net/nfraga/educao-formal- noformal-e-informal  Porto Editora, Sociologia em AçãoSociologia 12º Ano, António Pedro Pombo, Filipe César, João Teixeira Lopes, Maria Helena Alves.