SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Cultura
Conceitosociológicode cultura
Todos nós somos seres sociais integrados numa sociedade onde partilhamos
todo o conjunto de princípios que garante a nossa coesão e unanimidade em torno de
diferentes situações com que nos confrontamos.
A cultura separa-nos da natureza, afastando-nos dos restantes animais. Somos
seres dotados de cultura e não simples animais com cultura. A cultura contribui para a
satisfação das nossas necessidades, afastando-nos do estado animalesco, ela reúne
normas, princípios, crenças e valores que nos ajudam a solucionar cada situação que
enfrentamos; a vida em grupo exige partilha de uma cultura, é pela cultura que o
grupo se exprime e realiza é ela que identifica e distingue as sociedades.
Em sentido Sociológico a cultura traduz “Tudo aquilo que o Homem acrescenta
à natureza ou tudo aquilo que é apreendido e partilhado por todos os membros de
uma comunidade”. Por isso todas as sociedades humanas produzem-na e vivem-na
(não há Homem nem sociedade com cultura). Esta definição de cultura difere da
definição popular como “erudição que é adquirida pela educação”. Este modo será
apenas característico de uma minoria social. Ser culto é ter uma educação apropriada
para resolver deferentes situações.
Culturae Subcultura:
No seio das culturas dominantes encontramos grupos restritos (ciganos,
emigrantes e jovens) que comungam traços culturais destintos do da cultura
dominante (gostos, estilos e tipos de linguagem…) Estes não entram em conflitos com
a cultura dominante sendo aceites e toleradas por esta. Este fenómeno designa-se por
Subcultura. Este fenómeno distingue-se da contracultura enquanto fenómeno cultural
em permanente conflito com a cultura dominante.
Elementos dacultura:
De qualquer cultura fazem parte dois traços fundamentais: material e
espiritual.
Os elementos materiais dizem respeitos aos utensíliosinstrumentos de
trabalho, obras realizadas e técnicas com as quais o homem domina a natureza e
satisfaz as suas necessidades. Estes elementos estão diretamente relacionados com o
meio ambiente, adaptando-se á natureza para podermos moldar em nosso proveito.
Podem ser variáveis de grupo para grupo ou de uma região para a outra.
Os elementos espirituais abrangem as normas, os valores, as crenças, os
costumes, as ideias, a moral e a religião que moldam a nossa existência e lhe confere
um sentido. Toda a nossa vivência social seguia por esses princípios normativos.
Estes dois elementos de uma cultura correlacionam-se, interagindo
dialeticamente um com outro, não são autónomos, condicionam-se reciprocamente.
Os elementos espirituais e materiais formam um todo com sentido. A desarticulação
entre estes dois elementos pode conduzir à destruição de uma cultura.
Valores, normas e comportamentos comoexclusivos de umgrupo
A coexistência social só é possível dentro de uma certa ordem Social. Esta
ordem permite a cada um de nós a satisfação das suas necessidades. Assimnós não
agimos apenas em função dos nossos impulsos ou motivações, agimos sim, de acordo
com um conjunto de regras, valores, normas e comportamentos que garantem a
manutenção de uma ordem social e a preservação da nossa cultura.
Os nossos comportamentos são padronizados, isto é, obedecer a um padrão
que dá sentido a tudo o que fazemos.
Folkway (padrão) é uma maneira normal, habitual, tradicional, de um grupo
fazer as coisas, são maneiras práticas de resolvermos os nossos problemas, cada grupo
social tem os seus folkways.
Nós somos como que obrigados a reger o nosso comportamento pelos folkways
típicos da nossa sociedade, estes refletem os valores aceites pelo grupo social em que
vivemos.
O que se entende por valor?
Os valores são maneiras de ser ou agir que uma pessoa ou coletividade reconhece
como ideal, tornando os seres ou as condutas a eles associados como desejáveis.
Que funções desempenhamos valores?
1º Os valores definem os objetos que as pessoas devem procurar atingir.
2º Os valores são suporte de coesão social porque ao serem compartilhados por
todos levam-nos agir da mesma maneira.
3º Os valores comuns criam sentimentos de solidariedade entre as pessoas
atenuando conflitos que possam existir entre elas.
4º Os valores determinam e legitimam as condutas desempenhando uma função
explicativa e uma função normativa. As normas por que nos regemos dependem dos
valores aceites pela nossa comunidade, elas corporizam valores.
Os modelos de comportamento alicerçados em valores são por nós interiorizados
através do processo de socialização desde que nascemos tornando difícil cometer
desvios. O comportamento humano é por este modo significativo e condicionado pelos
modelos de comportamento característicos da nossa altura.
Somos seres sociais e culturais que organizamos a nossa vida em função desses
valores e dessas normas, esta forma de organização, é transmitida quase
inconscientemente de geração em geração.
Diversidade cultural - padrões de culturae etnocentrismocultural:
Se a cultura é específica de cada grupo, então cada sociedade possui padrões
culturais diferentes que dão sentido á forma de agir, pensar e sentir de um grupo. Para
compreender o porquê de um comportamento humano eu tenho que conhecer os
padrões de cultura que modelaram. Só assimpercebemos que não há
comportamentos selvagens, esquisitos e anormais.
Cada cultura tem os seus próprios padrões de cultura, então não há uma
cultura mas simculturas.
O que entendemos por padrões de cultura?
Padrão de cultura é um modelo de comportamento, um modo típico e habitual
de fazer as coisas característico de uma cultura ou de uma sociedade e que são
adaptados pelos indivíduos para resolver os problemas do seu quotidiano. Podemos
ainda dizer que se trata de uma feição típica de cada cultura, uma forma normativa de
comportamento estabelecida por consenso entre todos os membros de uma
comunidade. Os padrões de cultura só fazem sentido nos contextos culturais em que
ocorrem, daí que seja incorreto interpretar um comportamento à luz de outras
culturas, se o fizermos estamos a cair no etnocentrismo. Como vimos, o etnocentrismo
é um obstáculo epistemológico que impede a visão objetiva, neutral e imparcial da
realidade.
Podemos falar em duas formas de etnocentrismo:
a) Forma geral: Que abrange toda a cultura de um povo;
b) Forma contextualizada: Que incide sobre uma classe social, umgrupo étnico, um
clube, uma profissão ou no sexo.
De positivo, no etnocentrismo, podemos apenas salientar o seu contributo para a
preservação/coesão de uma cultura reforçando a identidade do “nós” porque une os
indivíduos em torno de valores e princípios que consideram ser os ideais.
De negativo, nesta atitude etnocêntrica temos o facto de impedir a objetividade e
a imparcialidade científica e eliminar a diversidade e o relativismo cultural conduzindo
a comportamentos discriminatórios. Tal tem contribuído para que alguns grupos não
aceitem outros grupos ou algumas culturas não aceitem outras culturas, só porque
têm formas de ser e de estar diferentes.
Quanto mais fechada for uma cultura, mais etnocêntrica será, a globalização e os
intercâmbios interculturais têm diluído este fenómeno.
O homem como produto/produtor de cultura
Não nascemos dotados de cultura, tornamo-nos seres culturais através do
processo de socialização. À medida que crescemos pomos de parte a nossa natureza
dada e transformamo-nos em seres culturais condicionados pelos padrões de cultura
do nosso grupo. É por isso que dizemos ser produto de uma cultura. Ela encontra-se
espelhada em tudo aquilo que nós somos, é por ela que nos integramos numa
organização social, é pela socialização e prática social que a cultura se adquire, ela não
é hereditária mas uma conquista contínua em interação com os outros.
Contudo, dizemos também ser produtores de cultura porque nela participamos
integrados num grupo, e a ela samos um contributo para crescer para se modificar e
para poder satisfazer as nossas necessidades (inventando novos valores,
aperfeiçoando técnicas…). Daí que a cultura não seja um fenómeno estático, mas
dinâmico. A cultura é uma realidade viva em permanente evolução, graças ao nosso
contributo, ela é assimcumulativa “cada geração recebe-a como um património que
herda e simultaneamente trabalha-a acrescentando-lhe as suas contribuições”.
Socialização – Processode socialização
O ser humano quando nasce é um ser culturalmente vazio, somo apenas um
ser biológico geneticamente preparados para crescermos como seres culturais.
Contudo à medida que vamos crescendo em contacto com os grupos da nossa
cultura (família, escola e grupo de amigos) tornando-nos seres culturais/socializados.
Lentamente e de forma inconsciente assimilamos valores, normas,
comportamentos, técnicas e práticas que nos tornam membros de uma cultura. É
neste sentido que dizemos que o ser humano é também um animal condicionado uma
vez que o seu comportamento é aprendido através do processo de socialização no seio
dos grupos que integra.
- O que é então a socialização?
É um processo de aprendizagem pelo qual cada um de nós aprende as regras e praticas
da nossa cultura. Todos nós nos socializamos no seio das instituições que integramos
através da aprendizagem, da imitação e identificação. É por ela que nos adaptamos à
sociedade em que vivemos, não há humanidade sem socialização ou aprendizagem
cultural, é a sociedade que torna o Homem humano, sem ela as nossas condutas
seriam puramente animalescas. A socialização é umprocesso contínuo e interminável.
Nada do que fazemos poderá ser visto como um capricho subjetivo, tudo deve ser
analisado dentro do contexto socializante que nos formou culturalmente, há assim
uma previsibilidade nos nossos comportamentos para os restantes membros do grupo.
Socializaçãoe integraçãosocial
Socializamo-nos com a finalidade de nos integrarmos socialmente, de sermos
aceites pelos outros membros da sociedade. Ela possibilita a cooperação e a
solidariedade entre todos os membros do grupo permitindo a sua sobrevivência.
Contudo nem sempre cumprimos as normas e os valores do grupo, dando origem a
comportamentos desviantes. Para os evitar existem sanções sociais, religiosas, físicas
ou económicas. Deste modo nós não somos totalmente livres na medida em que a
necessidade de integração social exige que interiorizemos os modelos formais do
nosso grupo, “A nossa liberdade é então condicionada pelos limites do grupo”.
Mecanismos de socialização: Como é que nos integramos socialmente na
nossa cultura?
1) Aprendizagem  Corresponde à interiorização das normas e modelos de
comportamento através de tentativas, erros e repetições.
2) Imitação  Corresponde à reprodução mecânica de comportamentos e
atitudes observadas nos outros membros do grupo a que pertencemos. Cópia
os comportamentos observados.
3) Identificação  Corresponde à apropriação dos comportamentos dos outros
indivíduos ou grupos próximos de nós. Os comportamentos dos outros passam
também a ser os nossos, fazendo parte da nossa bagagemcomportamental.
Agentes de socialização
A socialização é um, processo contínuo e interminável obrigando-nos
constantemente a adaptarmo-nos a novas regras e situações consoante os grupos que
vamos integrando ao longo da nossa vida.
O primeiro agente de socialização é a família, é nela que damos os primeiros
passos no sentido da nossa integração social num período em que o nosso processo de
socialização é mais intenso. É através dos pais, que adquirimos as primeiras formas de
ser, de estar. Numa altura em que somos mais permeáveis à aquisição de novos
comportamentos. A socialização familiar é também um processo reciproco entre pais e
filhos. Hoje não são só os pais a socializar os filhos, mas também estes a socializar os
pais.
A escola é a seguir à família, um dos agentes mais importantes de socialização.
Ela proporciona-nos instrumentos de trabalho, métodos de reflexão, conhecimentos e
também novas regras de conduta e disciplina. A escola transforma-nos num ser útil à
sociedade.
Os grupos de amigos e os meios de comunicação social desempenham também
um papel muito importante no processo de socialização. O seu papel de sedução acaba
por modelar também comportamentos, atitudes e maneiras de pensar e de agir.
Podemos considera-los importantes de aprendizagem social no domínio das crenças
valores e modelos de conduto.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
Escoladocs
 
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na CulturaMutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
gofontoura
 
Papéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociaisPapéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociais
Núriaa Gourgel
 
Miguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasMiguel Torga - Poemas
Miguel Torga - Poemas
Ana Tapadas
 
resumo 12º ano economia c 1º período
resumo 12º ano economia c 1º períodoresumo 12º ano economia c 1º período
resumo 12º ano economia c 1º período
Lia Treacy
 

Mais procurados (20)

Psicologia: a cultura
Psicologia: a culturaPsicologia: a cultura
Psicologia: a cultura
 
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conaçãoPsicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
Psicologia 12º
Psicologia 12ºPsicologia 12º
Psicologia 12º
 
Socialização e cultura - Resumos 12ºano
Socialização e cultura - Resumos 12ºanoSocialização e cultura - Resumos 12ºano
Socialização e cultura - Resumos 12ºano
 
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na CulturaMutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
 
A regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismoA regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismo
 
Direito, 12º ano
Direito, 12º anoDireito, 12º ano
Direito, 12º ano
 
A dimensão biossociocultural da mente
A dimensão biossociocultural da menteA dimensão biossociocultural da mente
A dimensão biossociocultural da mente
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
 
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
 
Sociogia o ambiente-riscos e incertezas.
Sociogia o ambiente-riscos e incertezas.Sociogia o ambiente-riscos e incertezas.
Sociogia o ambiente-riscos e incertezas.
 
12º o reforço da globalização
12º o reforço da globalização12º o reforço da globalização
12º o reforço da globalização
 
Papéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociaisPapéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociais
 
A socialização e os seus agentes e mecanismos
A socialização e os seus agentes e mecanismosA socialização e os seus agentes e mecanismos
A socialização e os seus agentes e mecanismos
 
Miguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasMiguel Torga - Poemas
Miguel Torga - Poemas
 
resumo 12º ano economia c 1º período
resumo 12º ano economia c 1º períodoresumo 12º ano economia c 1º período
resumo 12º ano economia c 1º período
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
Perceção e cultura
Perceção e culturaPerceção e cultura
Perceção e cultura
 
Fernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-OrtónimoFernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-Ortónimo
 

Semelhante a Socialização e cultura - SOCIOLOGIA 12º ANO

Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º anoAula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
roberto mosca junior
 

Semelhante a Socialização e cultura - SOCIOLOGIA 12º ANO (20)

O que é cultura para a sociologia
O que é cultura para a sociologiaO que é cultura para a sociologia
O que é cultura para a sociologia
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Sociologia.pdf
Sociologia.pdfSociologia.pdf
Sociologia.pdf
 
Cultura, os símbolos e a sociedade
Cultura, os símbolos e a sociedadeCultura, os símbolos e a sociedade
Cultura, os símbolos e a sociedade
 
Antropologia Cultural a ficha por edsonzefoguane😎😈😒😉👈👉💃
Antropologia Cultural a ficha por edsonzefoguane😎😈😒😉👈👉💃Antropologia Cultural a ficha por edsonzefoguane😎😈😒😉👈👉💃
Antropologia Cultural a ficha por edsonzefoguane😎😈😒😉👈👉💃
 
7º ano - Socialização e cultura
7º ano - Socialização e cultura7º ano - Socialização e cultura
7º ano - Socialização e cultura
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e SociedadetxSociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
 
Aula 3 normas e regras
Aula 3   normas e regrasAula 3   normas e regras
Aula 3 normas e regras
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Homem e sociedade unip
Homem e sociedade unipHomem e sociedade unip
Homem e sociedade unip
 
Cultura.ppt
Cultura.pptCultura.ppt
Cultura.ppt
 
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3Objetivos Psicologia - Teste Nº3
Objetivos Psicologia - Teste Nº3
 
Cultura e a dimensão axiológica da convivência
Cultura e a dimensão axiológica da convivência Cultura e a dimensão axiológica da convivência
Cultura e a dimensão axiológica da convivência
 
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º anoAula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
 
Cultura e Sociedade
Cultura e SociedadeCultura e Sociedade
Cultura e Sociedade
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 

Último

ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 

Último (20)

UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 

Socialização e cultura - SOCIOLOGIA 12º ANO

  • 1. Cultura Conceitosociológicode cultura Todos nós somos seres sociais integrados numa sociedade onde partilhamos todo o conjunto de princípios que garante a nossa coesão e unanimidade em torno de diferentes situações com que nos confrontamos. A cultura separa-nos da natureza, afastando-nos dos restantes animais. Somos seres dotados de cultura e não simples animais com cultura. A cultura contribui para a satisfação das nossas necessidades, afastando-nos do estado animalesco, ela reúne normas, princípios, crenças e valores que nos ajudam a solucionar cada situação que enfrentamos; a vida em grupo exige partilha de uma cultura, é pela cultura que o grupo se exprime e realiza é ela que identifica e distingue as sociedades. Em sentido Sociológico a cultura traduz “Tudo aquilo que o Homem acrescenta à natureza ou tudo aquilo que é apreendido e partilhado por todos os membros de uma comunidade”. Por isso todas as sociedades humanas produzem-na e vivem-na (não há Homem nem sociedade com cultura). Esta definição de cultura difere da definição popular como “erudição que é adquirida pela educação”. Este modo será apenas característico de uma minoria social. Ser culto é ter uma educação apropriada para resolver deferentes situações. Culturae Subcultura: No seio das culturas dominantes encontramos grupos restritos (ciganos, emigrantes e jovens) que comungam traços culturais destintos do da cultura dominante (gostos, estilos e tipos de linguagem…) Estes não entram em conflitos com a cultura dominante sendo aceites e toleradas por esta. Este fenómeno designa-se por Subcultura. Este fenómeno distingue-se da contracultura enquanto fenómeno cultural em permanente conflito com a cultura dominante. Elementos dacultura: De qualquer cultura fazem parte dois traços fundamentais: material e espiritual. Os elementos materiais dizem respeitos aos utensíliosinstrumentos de trabalho, obras realizadas e técnicas com as quais o homem domina a natureza e satisfaz as suas necessidades. Estes elementos estão diretamente relacionados com o meio ambiente, adaptando-se á natureza para podermos moldar em nosso proveito. Podem ser variáveis de grupo para grupo ou de uma região para a outra. Os elementos espirituais abrangem as normas, os valores, as crenças, os costumes, as ideias, a moral e a religião que moldam a nossa existência e lhe confere um sentido. Toda a nossa vivência social seguia por esses princípios normativos.
  • 2. Estes dois elementos de uma cultura correlacionam-se, interagindo dialeticamente um com outro, não são autónomos, condicionam-se reciprocamente. Os elementos espirituais e materiais formam um todo com sentido. A desarticulação entre estes dois elementos pode conduzir à destruição de uma cultura. Valores, normas e comportamentos comoexclusivos de umgrupo A coexistência social só é possível dentro de uma certa ordem Social. Esta ordem permite a cada um de nós a satisfação das suas necessidades. Assimnós não agimos apenas em função dos nossos impulsos ou motivações, agimos sim, de acordo com um conjunto de regras, valores, normas e comportamentos que garantem a manutenção de uma ordem social e a preservação da nossa cultura. Os nossos comportamentos são padronizados, isto é, obedecer a um padrão que dá sentido a tudo o que fazemos. Folkway (padrão) é uma maneira normal, habitual, tradicional, de um grupo fazer as coisas, são maneiras práticas de resolvermos os nossos problemas, cada grupo social tem os seus folkways. Nós somos como que obrigados a reger o nosso comportamento pelos folkways típicos da nossa sociedade, estes refletem os valores aceites pelo grupo social em que vivemos. O que se entende por valor? Os valores são maneiras de ser ou agir que uma pessoa ou coletividade reconhece como ideal, tornando os seres ou as condutas a eles associados como desejáveis. Que funções desempenhamos valores? 1º Os valores definem os objetos que as pessoas devem procurar atingir. 2º Os valores são suporte de coesão social porque ao serem compartilhados por todos levam-nos agir da mesma maneira. 3º Os valores comuns criam sentimentos de solidariedade entre as pessoas atenuando conflitos que possam existir entre elas. 4º Os valores determinam e legitimam as condutas desempenhando uma função explicativa e uma função normativa. As normas por que nos regemos dependem dos valores aceites pela nossa comunidade, elas corporizam valores. Os modelos de comportamento alicerçados em valores são por nós interiorizados através do processo de socialização desde que nascemos tornando difícil cometer desvios. O comportamento humano é por este modo significativo e condicionado pelos modelos de comportamento característicos da nossa altura. Somos seres sociais e culturais que organizamos a nossa vida em função desses valores e dessas normas, esta forma de organização, é transmitida quase inconscientemente de geração em geração.
  • 3. Diversidade cultural - padrões de culturae etnocentrismocultural: Se a cultura é específica de cada grupo, então cada sociedade possui padrões culturais diferentes que dão sentido á forma de agir, pensar e sentir de um grupo. Para compreender o porquê de um comportamento humano eu tenho que conhecer os padrões de cultura que modelaram. Só assimpercebemos que não há comportamentos selvagens, esquisitos e anormais. Cada cultura tem os seus próprios padrões de cultura, então não há uma cultura mas simculturas. O que entendemos por padrões de cultura? Padrão de cultura é um modelo de comportamento, um modo típico e habitual de fazer as coisas característico de uma cultura ou de uma sociedade e que são adaptados pelos indivíduos para resolver os problemas do seu quotidiano. Podemos ainda dizer que se trata de uma feição típica de cada cultura, uma forma normativa de comportamento estabelecida por consenso entre todos os membros de uma comunidade. Os padrões de cultura só fazem sentido nos contextos culturais em que ocorrem, daí que seja incorreto interpretar um comportamento à luz de outras culturas, se o fizermos estamos a cair no etnocentrismo. Como vimos, o etnocentrismo é um obstáculo epistemológico que impede a visão objetiva, neutral e imparcial da realidade. Podemos falar em duas formas de etnocentrismo: a) Forma geral: Que abrange toda a cultura de um povo; b) Forma contextualizada: Que incide sobre uma classe social, umgrupo étnico, um clube, uma profissão ou no sexo. De positivo, no etnocentrismo, podemos apenas salientar o seu contributo para a preservação/coesão de uma cultura reforçando a identidade do “nós” porque une os indivíduos em torno de valores e princípios que consideram ser os ideais. De negativo, nesta atitude etnocêntrica temos o facto de impedir a objetividade e a imparcialidade científica e eliminar a diversidade e o relativismo cultural conduzindo a comportamentos discriminatórios. Tal tem contribuído para que alguns grupos não aceitem outros grupos ou algumas culturas não aceitem outras culturas, só porque têm formas de ser e de estar diferentes. Quanto mais fechada for uma cultura, mais etnocêntrica será, a globalização e os intercâmbios interculturais têm diluído este fenómeno.
  • 4. O homem como produto/produtor de cultura Não nascemos dotados de cultura, tornamo-nos seres culturais através do processo de socialização. À medida que crescemos pomos de parte a nossa natureza dada e transformamo-nos em seres culturais condicionados pelos padrões de cultura do nosso grupo. É por isso que dizemos ser produto de uma cultura. Ela encontra-se espelhada em tudo aquilo que nós somos, é por ela que nos integramos numa organização social, é pela socialização e prática social que a cultura se adquire, ela não é hereditária mas uma conquista contínua em interação com os outros. Contudo, dizemos também ser produtores de cultura porque nela participamos integrados num grupo, e a ela samos um contributo para crescer para se modificar e para poder satisfazer as nossas necessidades (inventando novos valores, aperfeiçoando técnicas…). Daí que a cultura não seja um fenómeno estático, mas dinâmico. A cultura é uma realidade viva em permanente evolução, graças ao nosso contributo, ela é assimcumulativa “cada geração recebe-a como um património que herda e simultaneamente trabalha-a acrescentando-lhe as suas contribuições”. Socialização – Processode socialização O ser humano quando nasce é um ser culturalmente vazio, somo apenas um ser biológico geneticamente preparados para crescermos como seres culturais. Contudo à medida que vamos crescendo em contacto com os grupos da nossa cultura (família, escola e grupo de amigos) tornando-nos seres culturais/socializados. Lentamente e de forma inconsciente assimilamos valores, normas, comportamentos, técnicas e práticas que nos tornam membros de uma cultura. É neste sentido que dizemos que o ser humano é também um animal condicionado uma vez que o seu comportamento é aprendido através do processo de socialização no seio dos grupos que integra. - O que é então a socialização? É um processo de aprendizagem pelo qual cada um de nós aprende as regras e praticas da nossa cultura. Todos nós nos socializamos no seio das instituições que integramos através da aprendizagem, da imitação e identificação. É por ela que nos adaptamos à sociedade em que vivemos, não há humanidade sem socialização ou aprendizagem cultural, é a sociedade que torna o Homem humano, sem ela as nossas condutas seriam puramente animalescas. A socialização é umprocesso contínuo e interminável. Nada do que fazemos poderá ser visto como um capricho subjetivo, tudo deve ser analisado dentro do contexto socializante que nos formou culturalmente, há assim uma previsibilidade nos nossos comportamentos para os restantes membros do grupo.
  • 5. Socializaçãoe integraçãosocial Socializamo-nos com a finalidade de nos integrarmos socialmente, de sermos aceites pelos outros membros da sociedade. Ela possibilita a cooperação e a solidariedade entre todos os membros do grupo permitindo a sua sobrevivência. Contudo nem sempre cumprimos as normas e os valores do grupo, dando origem a comportamentos desviantes. Para os evitar existem sanções sociais, religiosas, físicas ou económicas. Deste modo nós não somos totalmente livres na medida em que a necessidade de integração social exige que interiorizemos os modelos formais do nosso grupo, “A nossa liberdade é então condicionada pelos limites do grupo”. Mecanismos de socialização: Como é que nos integramos socialmente na nossa cultura? 1) Aprendizagem  Corresponde à interiorização das normas e modelos de comportamento através de tentativas, erros e repetições. 2) Imitação  Corresponde à reprodução mecânica de comportamentos e atitudes observadas nos outros membros do grupo a que pertencemos. Cópia os comportamentos observados. 3) Identificação  Corresponde à apropriação dos comportamentos dos outros indivíduos ou grupos próximos de nós. Os comportamentos dos outros passam também a ser os nossos, fazendo parte da nossa bagagemcomportamental. Agentes de socialização A socialização é um, processo contínuo e interminável obrigando-nos constantemente a adaptarmo-nos a novas regras e situações consoante os grupos que vamos integrando ao longo da nossa vida. O primeiro agente de socialização é a família, é nela que damos os primeiros passos no sentido da nossa integração social num período em que o nosso processo de socialização é mais intenso. É através dos pais, que adquirimos as primeiras formas de ser, de estar. Numa altura em que somos mais permeáveis à aquisição de novos comportamentos. A socialização familiar é também um processo reciproco entre pais e filhos. Hoje não são só os pais a socializar os filhos, mas também estes a socializar os pais. A escola é a seguir à família, um dos agentes mais importantes de socialização. Ela proporciona-nos instrumentos de trabalho, métodos de reflexão, conhecimentos e também novas regras de conduta e disciplina. A escola transforma-nos num ser útil à sociedade. Os grupos de amigos e os meios de comunicação social desempenham também um papel muito importante no processo de socialização. O seu papel de sedução acaba por modelar também comportamentos, atitudes e maneiras de pensar e de agir. Podemos considera-los importantes de aprendizagem social no domínio das crenças valores e modelos de conduto.