SlideShare uma empresa Scribd logo
ÉTICA E FORMAÇÃO
PROFISSIONAL
Prof. Esp. Darlan Campos
Historiador (UFES), Professor Universitário e
Consultor em Marketing Político
Não há saber mais ou
saber menos. Há
saberes diferentes.
Paulo Freire
 Por que a Ética está em evidência?
 A crise Ética
 O que é Ética?
 Por que Ética nos Negócios?
 Ética e Educação
 A escola pode propiciar condições para o
desenvolvimento moral de crianças e
adolescentes?
 Qual o papel das regras no desenvolvimento
da ética?
Questões a serem
respondidas
 Desencanto: não cremos naquilo que gostaríamos
de crer [religião, tradição, horóscopo]
 Democratização: transparência & evidenciação
 Descrédito dos políticos e governantes
 Desrespeito à leis
 Novos relacionamentos: globalização, novas
formas de organização, novas formas de trabalho
 Combate à corrupção (atos moralmente
condenáveis associados ao uso indevido do poder)
Por que a Ética está em
evidência?
 Relações Familiares enfraquecidas
 Perda dos Valores honestidade, humildade,
humanidade, sabedoria, sensibilidade, semelhança e
alteridade
 Combate ao nepotismo
 Insensibilidade e indiferença pelo semelhante
 Devastação do Meio Ambiente
 Aumento da Fome e da Miséria
 Aumento da criminalidade e da violência
Por que a Ética está em
evidência?
A Crise Ética
 Não sabemos o que é CERTO ou ERRADO
 A sociedade:
 Vive cada vez mais insegurança
 Permanente tensão nas relações sociais
 Se organiza em prol dos interesses particulares do
que do direito e da justiça
Qual a nossa resposta criativa para este problema?
O que é Ética?
ETHOS: Modo de ser, caráter, costume.
http://www.panoramablogmario.blogger.com.br/
O que é Ética?
 Princípios morais que governam as ações
e decisões de um indivíduo ou grupo e que
servem de diretrizes para orientar a prática
e para se agir com correção e equidade ao
se defrontar com dilemas morais.
 É uma tentativa de separar o certo do
errado; um estudo dos juízos para apreciar
a conduta humana do ponto de vista do
bem e do mal.
 É uma postura de vida relacionada com
princípios gerais e universais presentes na
consciência do indivíduo.
 É a investigação geral sobre aquilo que é
bom.
O que é Ética?
 Como devo agir em relação aos outros?
Questão Central da Ética
O que é Moral?
 A palavra Moral tem origem no latim - morus
- significando os usos e costumes.
 Moral é o conjunto das normas para o agir
específico ou concreto. A Moral está contida
nos códigos, que tendem a regulamentar o agir
das pessoas.
 Instrumento fundamental para a instauração
de um viver em conjunto.
O que é Moral?
 Condição necessária para a sobrevivência
da espécie humana
 Base para a construção do mundo político
Moral: Não existem normas acabadas
 A moral muda de acordo com as
sociedades, a história, a cultura.
Ética x Moral
 A ética é um estudo, uma reflexão sobre o bem,
a justiça, o que é certo e errado.
http://kobason.spaces.live.com
 A moral refere-se às
nossas ações e
condutas no mundo.
Mundo dos Valores
Ética Moral
Reflexão Ação
Valores e Integridade
VALORESPressão
Pressão
Pressão
Pressão
Integridade
Quebra da Integridade
Comportamento
Percepção
Problemas do dia-a-dia!
 Devo avisar ao meu chefe que seu subordinado,
meu amigo, usa o tempo do expediente para vender
trabalhos artesanais aos colegas?
 Devo dizer sempre a verdade? Há ocasiões em que
é preferível mentir? Quais?
 Devo cumprir uma ordem que não me parece
eticamente correta, ou é preferível arriscar meu
conceito na empresa, ou mesmo meu emprego?
 Posso usar o tempo de expediente na empresa
numa situação de emergência para obter ganhos
monetários adicionais?
 Devo avisar ao chefe que meu colega e amigo não é
competente ou “não veste a camisa” da empresa?
 Posso empregar um amigo na empresa, mesmo
sendo ele competente, mas não o mais competente
para a posição?
Problemas do dia-a-dia!
Ações Não-Éticas na Empresa
 Apossar-se de coisas que não lhe pertence
 Dizer coisas que sabe que não é verdade
 Dar ou permitir impressões falsas
 Comprar influência ou enganar-se em conflitos de
interesse
 Esconder ou divulgar informação verdadeira
 Tomar vantagem que não lhe pertence
 Cometer comportamento pessoal impróprio
 Abusar de outra pessoa
 Permitir abuso da organização
 Violar regras.
Importância da Ética
Nenhuma sociedade pode sobreviver e
progredir sem um conjunto de
princípios e normas que defina o tipo de
comportamento socialmente aceito
como ético.
“Nenhuma sociedade pode sobreviver
sem um código moral fundado sobre
valores compreendidos, aceitos e
respeitados pela maioria dos seus
membros(Jacques Monod).
Ética e Educação
“Toda educação é uma ação interativa:
faz-se mediante informações,
comunicação, diálogo entre seres
humanos. Em toda educação há um outro
em relação. Em toda educação, por tudo
isso, a ética está implicada”.
Ética e Educação
“Aprender a ser cidadão é, entre outras
coisas, aprender a agir com respeito,
solidariedade, responsabilidade, justiça,
não violência; aprender a usar o diálogo
nas mais diferentes situações e
comprometer-se com o que acontece na
vida coletiva da comunidade e do país.
Esses valores e essas atitudes precisam
ser aprendidos e desenvolvidos pelos
alunos e, portanto, podem e devem ser
ensinados na escola.” *
*(BRASIL, Ministério da Educação - Secretaria de Educação Fundamental. Ética e
Cidadania no convívio escolar. Brasília: 2001, pg 13)
Ética e Educação
• A Escola é co-responsável na formação
do indivíduo: reforça os valores necessários
para a boa formação ética e moral.
• Educa a vontade para que os alunos
desenvolvam virtudes.
Ética e Educação
http://pereirabel.blogs.sapo.pt
A educação está na base do esforço para fazer do
indivíduo um homem bom e do sujeito, um cidadão
exemplar.
A formação moral dos indivíduos serve também de
auxílio à formação do cidadão em sua dimensão
política.
Ética e Educação
Por que ética e ética na escola?
 É preciso compreender os fundamentos da ética e
da moralidade e como seus princípios e normas
podem ser trabalhados na escola e na
comunidade
 Introduzir no planejamento escolar o trabalho
sistemático e intencional sobre os valores
desejados pela nossa sociedade
Ética e Educação*
Valores a serem trabalhados
 Respeito mútuo
 Dignidade
 Justiça
 Diálogo
 Solidariedade
 Igualdade
 Convívio democrático
*PCN/Temas transversais
Ética e Educação*
Exemplos da prática dos valores na escola:
 Respeito mútuo (ex.: repúdio a toda a forma
de humilhação e violência
 Diálogo (Ex.: A coordenação das ações entre
alunos, mediante o trabalho em grupo. / A
disposição para ouvir idéias, opiniões e
argumentos alheios e rever pontos de vista
quando necessário.
*PCN/Temas transversais
Ética e Educação*
Exemplos da prática dos valores na escola:
 Solidariedade (ex.: Nas brincadeiras privilegiar a
solidariedade e não a competição / Privilegiar
ações estruturantes e não pontuais)
 Justiça (ex.: A identificação de formas de ação
diante de situações em que os direitos do aluno
não estiverem sendo respeitados)
*PCN/Temas transversais
Ética e Educação*
“Na hora do recreio, ao montar os
times de futebol, Eduardo humilhou Pedro
dizendo que ele era perna-de-pau e não
deveria participar do jogo. Pedro,
inicialmente, ficou meio sem reação, mas
depois tentou conversar, enquanto Eduardo
seguiu com sua postura inicial”
*PCN/Temas transversais
Como sair desta situação hipotética? Que
valores estão em jogo?
A Ética, a Escola e o
Professor
 Preparar o aluno para o pluralismo
 aceitação de si mesmo
 comunicação eficiente
 solução de conflitos
 compreensão das diferenças intelectuais
 base de educação ética
 definição de regras coletivas e individuais
 análise de acontecimentos compreendendo os
motivos
 pesquisa de conteúdos
 criação de um código de ética institucional
O Professor e o Código de
Ética
O professor deve:
 Aceitar-se e entender-se como modelo
 Ser mediador
 Ser capaz de explicitar sua visão ética
 Saber pensar dilemas éticos
 Promover relação de empatia entre e com os
alunos
 Ser capaz de mobilizar os alunos para a boa
ação
Comportamentos Éticos na
Escola
 Comportamento profissional e relações humanas:
Moral de atitudes e não atos morais
 Relação entre alunos, professores,
funcionários, técnico-administrativos,
externos (fornecedores, etc)
 Coerência entre teoria e prática: o que se faz não
pode ser diferente do que se vive (walk the
talk)
 Ação mecânica x liberdade
 Preservação do meio ambiente: reciclagem de
resíduos, economia de energia elétrica, etc)
Para reflexão!
 Como são e como deveriam ser nossas atitudes
diante dos alunos e meus colegas de trabalho?
 Qual nosso nível de envolvimento na construção
de um comportamento ético?
 Qual o nosso papel no processo de educação
moral?
 Qual nosso nível de envolvimento em relação à
preservação do meio ambiente?
ASHLEY, Patricia Almeida (coord.). Ética e responsabilidade social nos negócios. 2ª ed.
São Paulo: Saraiva, 2005.
BARBIERI, J. C e CAJAZEIRAS, Jorge E. R. Responsabilidade social empresarial e
empresa sustentável: da teoria a prática. São Paulo: Saraiva, 2009.
BRASIL. Ética. Módulo 1 (programa de desenvolvimento profissional continuado). Brasília:
MEC/SEIF, 2004. Disponível em <
http://mecsrv04.mec.gov.br/seif/eticaecidadania/arquivos/etica.pdf> . Acesso em 20 de
janeiro de 2009.
CALMON, Joana. Conduta exemplar. Revista Exame. São Paulo: Editora Abril, Ed. 1.699, 9
mai 2001.
CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. 13a.ed. São Paulo: Ática, 2003.
CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA. Responsabilidade social empresarial.
Brasília: CNI, 2006.
Ética e Governo. Disponível em <www.tce.ba.gov.br/eventos/etica_serv_pub_instrut_.ppt
>. Acesso em 20 de julho de 2006.
Ética no serviço público: alguns pontos fundamentais. Disponível em;: <
www.planalto.gov.br/.../Cursos%20CEP/Multiplicadores/2005/Transparências%20do%20curso%2
>Acesso em 20 de julho de 2006.
Referências
FERREL, O.C. Ética Empresarial: dilemas, decisões e casos / O.C. Ferrel, John Fraedrich,.
Linda Ferrel Rio de Janeiro: Ed. Reichmann & Affonso, 2004.
LACOMBE, F. Administração – Princípios e Tendências. (suplementos – cap. 03). São
Paulo: Saraiva, 2005.
MAXIMIANO, A. C. A. Teoria Geral da Administração: da revolução urbana à revolução
digital. 4ª ed. rev. e atualiz. São Paulo: Atlas, 2004.
MIRANDA, Lossian B. B. Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do
Poder Executivo Federal. Disponível em
<www.cefetpi.br/noticias/encontro_educacional2005/Codigo_de_Etica_Prof_do_Servidor_Pu
blico.ppt > . Acesso em 10 de julho, 2006.
PASSOS, Elizete. Éticas nas Organizações. São Paulo: Atlas, 2004.
PEQUENO, Marconi. Ética, educação e cidadania. Disponível em
<http://www.redhbrasil.net> Acesso em 10 de março, 2009.
RAMOS, Luiz F. M. e LEIBI, Susan (orgs). Virando o jogo da educação: moral e ética em
ação na escola. São Paulo: All Print Editora, 2007
THIRY-CHERQUES, Hermano Roberto, Estratégia empresarial e dilemas éticos. Rio de
Janeiro: FGV, 1997.
Referências
Obrigado pela atenção de todos!
gerisval@terra.com.br
+ 55 98 3246 2005
+ 55 98 9114 4699
Dois são os principais documentos
norteadores da Educação Básica:
Lei de Diretrizes e Bases da Educação
Nacional - LDB, Lei nº 9.394, de 20 de
dezembro de 1996
Plano Nacional de Educação - PNE, Lei nº
10.172/2001, regidos, naturalmente,
pela Constituição da República
Federativa do Brasil.
Conselho Nacional de
Educação
CNE atua no desempenho das funções e atribuições do
poder público federal em matéria de educação. Suas
ações são normativas, deliberativas e de
assessoramento ao Ministro de Estado da Educação.
Compete ao Conselho e às Câmaras de Educação Básica
e de Educação Superior exercerem as atribuições
conferidas pela lei. A Câmara de Educação Básica tem
como atribuições analisar e emitir pareceres sobre
procedimentos e resultados de processos de avaliação da
educação infantil, fundamental, médio, profissional e
especial, deliberar sobre diretrizes curriculares propostas
pelo Ministério da Educação; e acompanhar a execução
do Plano Nacional de Educação.
A Lei de Diretrizes e Bases da
Educação Nacional
A LDB regulariza em âmbito nacional, a
base comum do currículo, a carga
horária e presença mínima em aula e as
formas de promoção de série, cabendo
aos estados, municípios e até mesmo às
escolas a normatização das
peculiaridades regionais e locais,
curriculares e de calendário, de
promoção de série e a expedição da
documentação escolar de cada aluno da
educação básica.
Plano Nacional de Educação
Estabelece metas decenais para todos os níveis
e etapas da educação, apontando para que
estados e municípios criem e estabeleçam
planos semelhantes compatíveis com as metas
nacionais. A SEB conta com o Programa de
Avaliação e Acompanhamento do PNE e dos
Planos Decenais Correspondentes, que realiza a
avaliação do PNE e estimula estados e
municípios a criarem seus planos
correspondentes e avaliarem-no a cada cinco
anos, de acordo com a própria lei. Todas as
ações e programas da SEB (secretaria de educação
básica) visam o alcance das metas do PNE (plano
nacional de educação).
Atuais Políticas e Programas da SEB
O Plano de Metas Compromisso
Todos pela Educação, lançado em 24
de abril de 2007, pela União Federal, em
regime de colaboração com Municípios,
Distrito Federal e Estados, conta com a
participação das famílias e da
comunidade, mediante programas e
ações de assistência técnica e financeira,
visando a mobilização social pela
melhoria da qualidade da educação
básica.
Plano de Desenvolvimento da
Educação
PDE Educação básica de qualidade. Essa
é a prioridade do Plano de
Desenvolvimento da Educação. Investir
na educação básica significa envolver
todos, pais, alunos, professores e
gestores, em iniciativas que busquem o
sucesso e a permanência do aluno na
escola. Significa também investir na
educação profissional e na educação
superior, porque elas estão ligadas,
direta ou indiretamente.
Estatísticas, Censos e Avaliação
sobre a Educação Básica
As Estatísticas, Censos e
Avaliações sobre a Educação
Básica são realizadas pelo Instituto
Nacional de Estudos e Pesquisas
Educacionais Anísio Teixeira - INEP,
órgão do MEC.
EDUCAÇÃO INFANTIL
A “educação infantil, primeira etapa da
educação básica tem como finalidade o
desenvolvimento integral da criança
até cinco anos de idade, em seus
aspectos físico, psicológico, intelectual
e social, complementando a ação da
família e da comunidade. A educação
infantil será oferecida em: creches, ou
entidades equivalentes, para crianças
de até três anos de idade; pré-escolas,
para crianças de quatro a cinco anos de
idade.”
Gestão democrática
A gestão democrática da escola, os
materiais didático-pedagógicos e a
formação do professor são fatores
determinantes para a qualidade social
da educação, que forma indivíduos
críticos e criativos, preparados para o
pleno exercício da cidadania. É com esse
objetivo que o Departamento de
Políticas de Educação Infantil e Ensino
Fundamental formula políticas
educacionais, propõe e coordena suas
ações.
Subsidiar a Ação Pedagógica
de Creches e Pré-Escolas
A Coordenação-Geral de Educação Infantil
busca subsidiar os sistemas de ensino na
elaboração de normas e ações político-
pedagógicas respeitando peculiaridades desta
etapa da educação básica. Sua meta é a
melhoria da qualidade da educação da criança
de 0 a 6 anos.
Com esta finalidade, foram criados e
disponibilizados programas e materiais que
vêm contribuindo para aumentar o
atendimento e a qualidade na área de
educação infantil.
ENSINO FUNDAMENTAL
A LDB em seu Art.5º afirma que "o
acesso ao ensino fundamental é direito
público subjetivo, podendo qualquer
cidadão, grupo de cidadãos, associação
comunitária, organização sindical,
entidade de classe ou outra legalmente
constituída, e, ainda, o Ministério
Público, acionar o Poder Público para
exigi-lo".
ENSINO FUNDAMENTAL
Já o Art. 32 afirma que "o ensino fundamental
obrigatório, com duração de 9 (nove) anos,
gratuito na escola pública, iniciando-se aos 5
(cinco) anos de idade, terá por objetivo a
formação básica do cidadão, mediante:
I - o desenvolvimento da capacidade de aprender,
tendo como meios básicos o pleno domínio da
leitura, da escrita e do cálculo;
II - a compreensão do ambiente natural e social,
do sistema político, da tecnologia, das artes e
dos valores em que se fundamenta a
sociedade;
ENSINO FUNDAMENTAL
Já o Art. 32 afirma que "o ensino fundamental
obrigatório, com duração de 9 (nove) anos,
gratuito na escola pública, iniciando-se aos 5
(cinco) anos de idade, terá por objetivo a
formação básica do cidadão, mediante:
III - o desenvolvimento da capacidade de
aprendizagem, tendo em vista a aquisição de
conhecimentos e habilidades e a formação de
atitudes e valores;
IV - o fortalecimento dos vínculos de família, dos
laços de solidariedade humana e de tolerância
recíproca em que se assenta a vida social."
ENSINO MÉDIO
A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional –
LDB, Lei nº 9.394/97, estabeleceu como sendo
dever do Estado a progressiva extensão da
obrigatoriedade do Ensino Médio.
O Plano Nacional de Educação, Lei nº 10.172/2001,
sancionado pelo Congresso Nacional em 2001,
estabeleceu metas para a educação no Brasil com
duração de dez anos que garantisse, entre muitos
outros avanços, a elevação global do nível de
escolaridade da população, a melhoria da
qualidade do ensino em todos os níveis, a redução
das desigualdades sociais e regionais, a ampliação
do atendimento na Educação Infantil, no Ensino
Médio e no Superior.
ENSINO MÉDIO
O Plano Nacional de Educação, tal como foi
concebido, previu uma reavaliação de suas
metas em cinco anos. Uma das mais
importantes metas do Plano Nacional de
Educação no que tange o Ensino Médio é a
garantia do acesso a todos aqueles que
concluam o Ensino Fundamental em idade
regular no prazo de três anos, a partir do
ano de sua promulgação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...
Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...
Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...
francisleide
 
Aula 1 _etica_e_moral
Aula 1 _etica_e_moralAula 1 _etica_e_moral
Aula 1 _etica_e_moral
Adriana Olaya Pradella
 
A organização Escola
A organização EscolaA organização Escola
A organização Escola
viviprof
 
ÉTica No Trabalho
ÉTica No TrabalhoÉTica No Trabalho
ÉTica No Trabalho
aroudus
 
Ética no trabalho
Ética no trabalhoÉtica no trabalho
Ética no trabalho
Josiel Barbosa
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
Marcela Montalvão Teti
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
Fatima Silva
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Marily Oliveira
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Débora Silveira
 
Relações humanas
Relações humanasRelações humanas
Relações humanas
Jose Silvio Damacena Damacena
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
Carlos Caldas
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
Gerdian Teixeira
 
Aula 3 noções de ética profissional
Aula 3   noções de ética profissionalAula 3   noções de ética profissional
Aula 3 noções de ética profissional
Luiz Siles
 
Didática geral aula 1
Didática geral aula 1Didática geral aula 1
Didática geral aula 1
Fernanda Câmara
 
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
Editora Moderna
 
etica no trabalho
 etica no trabalho etica no trabalho
etica no trabalho
Mila Rosa
 
Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
Peedagogia
 
Ética no serviço público
Ética no serviço públicoÉtica no serviço público
Ética no serviço público
Anderson Leite
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Silvia Marina Anaruma
 
Desafios e estratégias da avaliação no processo de ensino aprendizagem
Desafios e estratégias da avaliação no processo de ensino aprendizagemDesafios e estratégias da avaliação no processo de ensino aprendizagem
Desafios e estratégias da avaliação no processo de ensino aprendizagem
Ana Maria Louzada
 

Mais procurados (20)

Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...
Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...
Apresentação em slide para oficina de (In) disciplina e Mediação de Conflitos...
 
Aula 1 _etica_e_moral
Aula 1 _etica_e_moralAula 1 _etica_e_moral
Aula 1 _etica_e_moral
 
A organização Escola
A organização EscolaA organização Escola
A organização Escola
 
ÉTica No Trabalho
ÉTica No TrabalhoÉTica No Trabalho
ÉTica No Trabalho
 
Ética no trabalho
Ética no trabalhoÉtica no trabalho
Ética no trabalho
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Relações humanas
Relações humanasRelações humanas
Relações humanas
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
 
Aula 3 noções de ética profissional
Aula 3   noções de ética profissionalAula 3   noções de ética profissional
Aula 3 noções de ética profissional
 
Didática geral aula 1
Didática geral aula 1Didática geral aula 1
Didática geral aula 1
 
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
 
etica no trabalho
 etica no trabalho etica no trabalho
etica no trabalho
 
Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
 
Ética no serviço público
Ética no serviço públicoÉtica no serviço público
Ética no serviço público
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
 
Desafios e estratégias da avaliação no processo de ensino aprendizagem
Desafios e estratégias da avaliação no processo de ensino aprendizagemDesafios e estratégias da avaliação no processo de ensino aprendizagem
Desafios e estratégias da avaliação no processo de ensino aprendizagem
 

Destaque

Competências comportamentais fabra jan 2014
Competências comportamentais  fabra jan 2014Competências comportamentais  fabra jan 2014
Competências comportamentais fabra jan 2014
Darlan Campos
 
Metodologia científica Aula - Pós Graduação em Educação
Metodologia científica   Aula - Pós Graduação em EducaçãoMetodologia científica   Aula - Pós Graduação em Educação
Metodologia científica Aula - Pós Graduação em Educação
Darlan Campos
 
Liderança motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Liderança   motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014Liderança   motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Liderança motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Darlan Campos
 
Políticas públicas educacionais aula 2
Políticas públicas educacionais   aula   2Políticas públicas educacionais   aula   2
Políticas públicas educacionais aula 2
Darlan Campos
 
Estrutura e funcionamento do ensino
Estrutura e funcionamento do ensino Estrutura e funcionamento do ensino
Estrutura e funcionamento do ensino
Darlan Campos
 
Importancia de los valores de una convivencia social
Importancia de los valores de una convivencia socialImportancia de los valores de una convivencia social
Importancia de los valores de una convivencia social
Liliana Murcia
 
3 etica e profissional da educacao
3 etica e profissional da educacao3 etica e profissional da educacao
3 etica e profissional da educacao
Orientar Consultoria Ltda
 
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandeséTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
Paulo Fernandes
 
Eset curso de Advocacia - Estatuto da Advocacia e da OAB
Eset curso de Advocacia - Estatuto da Advocacia e da OABEset curso de Advocacia - Estatuto da Advocacia e da OAB
Eset curso de Advocacia - Estatuto da Advocacia e da OAB
Eset Universidade Corporativa
 
Aula
AulaAula
Aula
tvf
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
Alessandra Vidigal
 
16. aula de história geral - período napolenico
16. aula de história geral - período napolenico16. aula de história geral - período napolenico
16. aula de história geral - período napolenico
Darlan Campos
 
O governo vargas
O governo vargas O governo vargas
O governo vargas
Tiago Xavier dos Santos
 
Etica deontologia manual formacao
Etica deontologia manual formacaoEtica deontologia manual formacao
Etica deontologia manual formacao
vicassiodsv
 
IMPORTANCIA DE LOS VALORES PARA UNA CONVIVENCIA SOCIAL
IMPORTANCIA DE LOS VALORES PARA UNA CONVIVENCIA SOCIALIMPORTANCIA DE LOS VALORES PARA UNA CONVIVENCIA SOCIAL
IMPORTANCIA DE LOS VALORES PARA UNA CONVIVENCIA SOCIAL
javier andres orozco baquero
 
10. aula de história geral - absolutismo
10. aula de história geral - absolutismo10. aula de história geral - absolutismo
10. aula de história geral - absolutismo
Darlan Campos
 
Introdução à educação digital valores éticos na escola
Introdução à educação digital   valores éticos na escolaIntrodução à educação digital   valores éticos na escola
Introdução à educação digital valores éticos na escola
Brazilian Public School
 
Esa.2013.01(deontologia jurã­dica)
Esa.2013.01(deontologia jurã­dica)Esa.2013.01(deontologia jurã­dica)
Esa.2013.01(deontologia jurã­dica)
Ítalo Melo de Farias
 
150 etica e-moral_no_cotidiano_da_atuacao_profissional
150 etica e-moral_no_cotidiano_da_atuacao_profissional150 etica e-moral_no_cotidiano_da_atuacao_profissional
150 etica e-moral_no_cotidiano_da_atuacao_profissional
jose rodrigo machado alves
 
Ética e Deontologia em Engenharia de Software
Ética e Deontologia em Engenharia de SoftwareÉtica e Deontologia em Engenharia de Software
Ética e Deontologia em Engenharia de Software
Pedro Monteiro
 

Destaque (20)

Competências comportamentais fabra jan 2014
Competências comportamentais  fabra jan 2014Competências comportamentais  fabra jan 2014
Competências comportamentais fabra jan 2014
 
Metodologia científica Aula - Pós Graduação em Educação
Metodologia científica   Aula - Pós Graduação em EducaçãoMetodologia científica   Aula - Pós Graduação em Educação
Metodologia científica Aula - Pós Graduação em Educação
 
Liderança motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Liderança   motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014Liderança   motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Liderança motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
 
Políticas públicas educacionais aula 2
Políticas públicas educacionais   aula   2Políticas públicas educacionais   aula   2
Políticas públicas educacionais aula 2
 
Estrutura e funcionamento do ensino
Estrutura e funcionamento do ensino Estrutura e funcionamento do ensino
Estrutura e funcionamento do ensino
 
Importancia de los valores de una convivencia social
Importancia de los valores de una convivencia socialImportancia de los valores de una convivencia social
Importancia de los valores de una convivencia social
 
3 etica e profissional da educacao
3 etica e profissional da educacao3 etica e profissional da educacao
3 etica e profissional da educacao
 
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandeséTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
éTica+de+maquiavel+ +paulo+alexandre+roxo+fernandes
 
Eset curso de Advocacia - Estatuto da Advocacia e da OAB
Eset curso de Advocacia - Estatuto da Advocacia e da OABEset curso de Advocacia - Estatuto da Advocacia e da OAB
Eset curso de Advocacia - Estatuto da Advocacia e da OAB
 
Aula
AulaAula
Aula
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
 
16. aula de história geral - período napolenico
16. aula de história geral - período napolenico16. aula de história geral - período napolenico
16. aula de história geral - período napolenico
 
O governo vargas
O governo vargas O governo vargas
O governo vargas
 
Etica deontologia manual formacao
Etica deontologia manual formacaoEtica deontologia manual formacao
Etica deontologia manual formacao
 
IMPORTANCIA DE LOS VALORES PARA UNA CONVIVENCIA SOCIAL
IMPORTANCIA DE LOS VALORES PARA UNA CONVIVENCIA SOCIALIMPORTANCIA DE LOS VALORES PARA UNA CONVIVENCIA SOCIAL
IMPORTANCIA DE LOS VALORES PARA UNA CONVIVENCIA SOCIAL
 
10. aula de história geral - absolutismo
10. aula de história geral - absolutismo10. aula de história geral - absolutismo
10. aula de história geral - absolutismo
 
Introdução à educação digital valores éticos na escola
Introdução à educação digital   valores éticos na escolaIntrodução à educação digital   valores éticos na escola
Introdução à educação digital valores éticos na escola
 
Esa.2013.01(deontologia jurã­dica)
Esa.2013.01(deontologia jurã­dica)Esa.2013.01(deontologia jurã­dica)
Esa.2013.01(deontologia jurã­dica)
 
150 etica e-moral_no_cotidiano_da_atuacao_profissional
150 etica e-moral_no_cotidiano_da_atuacao_profissional150 etica e-moral_no_cotidiano_da_atuacao_profissional
150 etica e-moral_no_cotidiano_da_atuacao_profissional
 
Ética e Deontologia em Engenharia de Software
Ética e Deontologia em Engenharia de SoftwareÉtica e Deontologia em Engenharia de Software
Ética e Deontologia em Engenharia de Software
 

Semelhante a éTica e formação profissional

tica-141014092411-conversion-gate02.pptx
tica-141014092411-conversion-gate02.pptxtica-141014092411-conversion-gate02.pptx
tica-141014092411-conversion-gate02.pptx
DeboraCaroline16
 
Vídeo aula 7
Vídeo aula 7Vídeo aula 7
Vídeo aula 7
giovannimusetti
 
éTica e educação empresarial e profissional ii
éTica e educação empresarial e profissional iiéTica e educação empresarial e profissional ii
éTica e educação empresarial e profissional ii
R Gómez
 
etica profissional em Servico Social 2023.pptx
etica profissional em Servico Social 2023.pptxetica profissional em Servico Social 2023.pptx
etica profissional em Servico Social 2023.pptx
ArmandoPedroJonas
 
Ética e o Profissional da Educação.ppt
Ética e o Profissional da Educação.pptÉtica e o Profissional da Educação.ppt
Ética e o Profissional da Educação.ppt
ShayrAlfHariAbdullah
 
Ética, comprometimento e comportamento
Ética, comprometimento e comportamentoÉtica, comprometimento e comportamento
Ética, comprometimento e comportamento
psiandreasantos
 
Aula ética ambiental.pptx
Aula ética ambiental.pptxAula ética ambiental.pptx
Aula ética ambiental.pptx
daniel936004
 
Etica Pro[1]..
Etica Pro[1]..Etica Pro[1]..
Etica Pro[1]..
Julio Costa
 
Aula 1 definio e.c.o
Aula 1   definio e.c.oAula 1   definio e.c.o
Aula 1 definio e.c.o
Lucas Dalben
 
Trabalho final etica
Trabalho final eticaTrabalho final etica
Trabalho final etica
Patrícia Soares Souza
 
BICASTIRADENTES_ETICAI
BICASTIRADENTES_ETICAIBICASTIRADENTES_ETICAI
BICASTIRADENTES_ETICAI
temastransversais
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
Suzana Duraes
 
Ética_nas_organizações
Ética_nas_organizaçõesÉtica_nas_organizações
Ética_nas_organizações
Jordanio Silva Santos
 
Módulo IV Aula 8
Módulo IV Aula 8Módulo IV Aula 8
Módulo IV Aula 8
CETUR
 
BICASTIRADENTES_ETICA_2
BICASTIRADENTES_ETICA_2BICASTIRADENTES_ETICA_2
BICASTIRADENTES_ETICA_2
temastransversais
 
Aula Ética
Aula ÉticaAula Ética
A ética nas relações
A ética nas relaçõesA ética nas relações
A ética nas relações
Vera Lúcia Rodrigues Maia
 
Palestras
PalestrasPalestras
Conduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Conduta Ética - Prof. Reinaldo BulgarelliConduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Conduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Sustentare Escola de Negócios
 

Semelhante a éTica e formação profissional (20)

tica-141014092411-conversion-gate02.pptx
tica-141014092411-conversion-gate02.pptxtica-141014092411-conversion-gate02.pptx
tica-141014092411-conversion-gate02.pptx
 
Vídeo aula 7
Vídeo aula 7Vídeo aula 7
Vídeo aula 7
 
éTica e educação empresarial e profissional ii
éTica e educação empresarial e profissional iiéTica e educação empresarial e profissional ii
éTica e educação empresarial e profissional ii
 
etica profissional em Servico Social 2023.pptx
etica profissional em Servico Social 2023.pptxetica profissional em Servico Social 2023.pptx
etica profissional em Servico Social 2023.pptx
 
Ética e o Profissional da Educação.ppt
Ética e o Profissional da Educação.pptÉtica e o Profissional da Educação.ppt
Ética e o Profissional da Educação.ppt
 
Ética, comprometimento e comportamento
Ética, comprometimento e comportamentoÉtica, comprometimento e comportamento
Ética, comprometimento e comportamento
 
Aula ética ambiental.pptx
Aula ética ambiental.pptxAula ética ambiental.pptx
Aula ética ambiental.pptx
 
Etica Pro[1]..
Etica Pro[1]..Etica Pro[1]..
Etica Pro[1]..
 
Aula 1 definio e.c.o
Aula 1   definio e.c.oAula 1   definio e.c.o
Aula 1 definio e.c.o
 
Trabalho final etica
Trabalho final eticaTrabalho final etica
Trabalho final etica
 
BICASTIRADENTES_ETICAI
BICASTIRADENTES_ETICAIBICASTIRADENTES_ETICAI
BICASTIRADENTES_ETICAI
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
 
Ética_nas_organizações
Ética_nas_organizaçõesÉtica_nas_organizações
Ética_nas_organizações
 
Módulo IV Aula 8
Módulo IV Aula 8Módulo IV Aula 8
Módulo IV Aula 8
 
BICASTIRADENTES_ETICA_2
BICASTIRADENTES_ETICA_2BICASTIRADENTES_ETICA_2
BICASTIRADENTES_ETICA_2
 
Aula Ética
Aula ÉticaAula Ética
Aula Ética
 
A ética nas relações
A ética nas relaçõesA ética nas relações
A ética nas relações
 
Palestras
PalestrasPalestras
Palestras
 
Conduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Conduta Ética - Prof. Reinaldo BulgarelliConduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Conduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
 

Mais de Darlan Campos

Marketing Político Estratégico
Marketing Político Estratégico Marketing Político Estratégico
Marketing Político Estratégico
Darlan Campos
 
O posicionamento digital e o impacto na carreira -
O posicionamento digital e o impacto na carreira - O posicionamento digital e o impacto na carreira -
O posicionamento digital e o impacto na carreira -
Darlan Campos
 
Palestra em busca da reeleição
Palestra   em busca da reeleiçãoPalestra   em busca da reeleição
Palestra em busca da reeleição
Darlan Campos
 
Universidade e a formação profisisonal dos docentes novos questionamentos
Universidade e a formação profisisonal dos docentes   novos questionamentosUniversidade e a formação profisisonal dos docentes   novos questionamentos
Universidade e a formação profisisonal dos docentes novos questionamentos
Darlan Campos
 
éTica na formação profissional uma reflexão
éTica na formação profissional   uma reflexãoéTica na formação profissional   uma reflexão
éTica na formação profissional uma reflexão
Darlan Campos
 
A formação profissional no século xxi desafios e dilemas
A formação profissional no século xxi   desafios e dilemasA formação profissional no século xxi   desafios e dilemas
A formação profissional no século xxi desafios e dilemas
Darlan Campos
 
ética profissional e formação em educação
ética profissional e formação em educaçãoética profissional e formação em educação
ética profissional e formação em educação
Darlan Campos
 
Um salto para o presente a educação básica no brasil
Um salto para o presente   a educação básica no brasilUm salto para o presente   a educação básica no brasil
Um salto para o presente a educação básica no brasil
Darlan Campos
 
Educacão basica no brasil na decada de 90 a lógica do mercado
Educacão basica no brasil na decada de 90   a lógica do mercadoEducacão basica no brasil na decada de 90   a lógica do mercado
Educacão basica no brasil na decada de 90 a lógica do mercado
Darlan Campos
 
Educação básica no brasil agenda da modernidade
Educação básica no brasil   agenda da modernidade Educação básica no brasil   agenda da modernidade
Educação básica no brasil agenda da modernidade
Darlan Campos
 
Educação básica no brasil
Educação básica no brasil Educação básica no brasil
Educação básica no brasil
Darlan Campos
 
Políticas públicas educacionais aula 1
Políticas públicas educacionais   aula   1Políticas públicas educacionais   aula   1
Políticas públicas educacionais aula 1
Darlan Campos
 
Professor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educarProfessor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educar
Darlan Campos
 
Willian costa rodrigues metodologia cientifica
Willian costa rodrigues metodologia cientificaWillian costa rodrigues metodologia cientifica
Willian costa rodrigues metodologia cientifica
Darlan Campos
 
Pesquisa em educação buscando rigor e qualidade
Pesquisa em educação   buscando rigor e qualidadePesquisa em educação   buscando rigor e qualidade
Pesquisa em educação buscando rigor e qualidade
Darlan Campos
 
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasilAs crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
Darlan Campos
 
18. aula de história geral - américa no século XIX
18. aula de história geral - américa no século XIX18. aula de história geral - américa no século XIX
18. aula de história geral - américa no século XIX
Darlan Campos
 
17. aula de história geral - revoluções liberais
17. aula de história geral - revoluções liberais17. aula de história geral - revoluções liberais
17. aula de história geral - revoluções liberais
Darlan Campos
 
15. aula sobre revolução francesa
15. aula sobre revolução francesa15. aula sobre revolução francesa
15. aula sobre revolução francesa
Darlan Campos
 
14. aula de história geral - independencia dos estados unidos
14. aula de história geral - independencia dos estados unidos14. aula de história geral - independencia dos estados unidos
14. aula de história geral - independencia dos estados unidos
Darlan Campos
 

Mais de Darlan Campos (20)

Marketing Político Estratégico
Marketing Político Estratégico Marketing Político Estratégico
Marketing Político Estratégico
 
O posicionamento digital e o impacto na carreira -
O posicionamento digital e o impacto na carreira - O posicionamento digital e o impacto na carreira -
O posicionamento digital e o impacto na carreira -
 
Palestra em busca da reeleição
Palestra   em busca da reeleiçãoPalestra   em busca da reeleição
Palestra em busca da reeleição
 
Universidade e a formação profisisonal dos docentes novos questionamentos
Universidade e a formação profisisonal dos docentes   novos questionamentosUniversidade e a formação profisisonal dos docentes   novos questionamentos
Universidade e a formação profisisonal dos docentes novos questionamentos
 
éTica na formação profissional uma reflexão
éTica na formação profissional   uma reflexãoéTica na formação profissional   uma reflexão
éTica na formação profissional uma reflexão
 
A formação profissional no século xxi desafios e dilemas
A formação profissional no século xxi   desafios e dilemasA formação profissional no século xxi   desafios e dilemas
A formação profissional no século xxi desafios e dilemas
 
ética profissional e formação em educação
ética profissional e formação em educaçãoética profissional e formação em educação
ética profissional e formação em educação
 
Um salto para o presente a educação básica no brasil
Um salto para o presente   a educação básica no brasilUm salto para o presente   a educação básica no brasil
Um salto para o presente a educação básica no brasil
 
Educacão basica no brasil na decada de 90 a lógica do mercado
Educacão basica no brasil na decada de 90   a lógica do mercadoEducacão basica no brasil na decada de 90   a lógica do mercado
Educacão basica no brasil na decada de 90 a lógica do mercado
 
Educação básica no brasil agenda da modernidade
Educação básica no brasil   agenda da modernidade Educação básica no brasil   agenda da modernidade
Educação básica no brasil agenda da modernidade
 
Educação básica no brasil
Educação básica no brasil Educação básica no brasil
Educação básica no brasil
 
Políticas públicas educacionais aula 1
Políticas públicas educacionais   aula   1Políticas públicas educacionais   aula   1
Políticas públicas educacionais aula 1
 
Professor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educarProfessor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educar
 
Willian costa rodrigues metodologia cientifica
Willian costa rodrigues metodologia cientificaWillian costa rodrigues metodologia cientifica
Willian costa rodrigues metodologia cientifica
 
Pesquisa em educação buscando rigor e qualidade
Pesquisa em educação   buscando rigor e qualidadePesquisa em educação   buscando rigor e qualidade
Pesquisa em educação buscando rigor e qualidade
 
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasilAs crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
 
18. aula de história geral - américa no século XIX
18. aula de história geral - américa no século XIX18. aula de história geral - américa no século XIX
18. aula de história geral - américa no século XIX
 
17. aula de história geral - revoluções liberais
17. aula de história geral - revoluções liberais17. aula de história geral - revoluções liberais
17. aula de história geral - revoluções liberais
 
15. aula sobre revolução francesa
15. aula sobre revolução francesa15. aula sobre revolução francesa
15. aula sobre revolução francesa
 
14. aula de história geral - independencia dos estados unidos
14. aula de história geral - independencia dos estados unidos14. aula de história geral - independencia dos estados unidos
14. aula de história geral - independencia dos estados unidos
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 

éTica e formação profissional

  • 1. ÉTICA E FORMAÇÃO PROFISSIONAL Prof. Esp. Darlan Campos Historiador (UFES), Professor Universitário e Consultor em Marketing Político
  • 2. Não há saber mais ou saber menos. Há saberes diferentes. Paulo Freire
  • 3.  Por que a Ética está em evidência?  A crise Ética  O que é Ética?  Por que Ética nos Negócios?  Ética e Educação  A escola pode propiciar condições para o desenvolvimento moral de crianças e adolescentes?  Qual o papel das regras no desenvolvimento da ética? Questões a serem respondidas
  • 4.  Desencanto: não cremos naquilo que gostaríamos de crer [religião, tradição, horóscopo]  Democratização: transparência & evidenciação  Descrédito dos políticos e governantes  Desrespeito à leis  Novos relacionamentos: globalização, novas formas de organização, novas formas de trabalho  Combate à corrupção (atos moralmente condenáveis associados ao uso indevido do poder) Por que a Ética está em evidência?
  • 5.  Relações Familiares enfraquecidas  Perda dos Valores honestidade, humildade, humanidade, sabedoria, sensibilidade, semelhança e alteridade  Combate ao nepotismo  Insensibilidade e indiferença pelo semelhante  Devastação do Meio Ambiente  Aumento da Fome e da Miséria  Aumento da criminalidade e da violência Por que a Ética está em evidência?
  • 6. A Crise Ética  Não sabemos o que é CERTO ou ERRADO  A sociedade:  Vive cada vez mais insegurança  Permanente tensão nas relações sociais  Se organiza em prol dos interesses particulares do que do direito e da justiça Qual a nossa resposta criativa para este problema?
  • 7. O que é Ética? ETHOS: Modo de ser, caráter, costume. http://www.panoramablogmario.blogger.com.br/
  • 8. O que é Ética?  Princípios morais que governam as ações e decisões de um indivíduo ou grupo e que servem de diretrizes para orientar a prática e para se agir com correção e equidade ao se defrontar com dilemas morais.  É uma tentativa de separar o certo do errado; um estudo dos juízos para apreciar a conduta humana do ponto de vista do bem e do mal.
  • 9.  É uma postura de vida relacionada com princípios gerais e universais presentes na consciência do indivíduo.  É a investigação geral sobre aquilo que é bom. O que é Ética?
  • 10.  Como devo agir em relação aos outros? Questão Central da Ética
  • 11. O que é Moral?  A palavra Moral tem origem no latim - morus - significando os usos e costumes.  Moral é o conjunto das normas para o agir específico ou concreto. A Moral está contida nos códigos, que tendem a regulamentar o agir das pessoas.  Instrumento fundamental para a instauração de um viver em conjunto.
  • 12. O que é Moral?  Condição necessária para a sobrevivência da espécie humana  Base para a construção do mundo político
  • 13. Moral: Não existem normas acabadas  A moral muda de acordo com as sociedades, a história, a cultura.
  • 14. Ética x Moral  A ética é um estudo, uma reflexão sobre o bem, a justiça, o que é certo e errado. http://kobason.spaces.live.com  A moral refere-se às nossas ações e condutas no mundo.
  • 15. Mundo dos Valores Ética Moral Reflexão Ação
  • 17. Problemas do dia-a-dia!  Devo avisar ao meu chefe que seu subordinado, meu amigo, usa o tempo do expediente para vender trabalhos artesanais aos colegas?  Devo dizer sempre a verdade? Há ocasiões em que é preferível mentir? Quais?  Devo cumprir uma ordem que não me parece eticamente correta, ou é preferível arriscar meu conceito na empresa, ou mesmo meu emprego?
  • 18.  Posso usar o tempo de expediente na empresa numa situação de emergência para obter ganhos monetários adicionais?  Devo avisar ao chefe que meu colega e amigo não é competente ou “não veste a camisa” da empresa?  Posso empregar um amigo na empresa, mesmo sendo ele competente, mas não o mais competente para a posição? Problemas do dia-a-dia!
  • 19. Ações Não-Éticas na Empresa  Apossar-se de coisas que não lhe pertence  Dizer coisas que sabe que não é verdade  Dar ou permitir impressões falsas  Comprar influência ou enganar-se em conflitos de interesse  Esconder ou divulgar informação verdadeira  Tomar vantagem que não lhe pertence  Cometer comportamento pessoal impróprio  Abusar de outra pessoa  Permitir abuso da organização  Violar regras.
  • 20. Importância da Ética Nenhuma sociedade pode sobreviver e progredir sem um conjunto de princípios e normas que defina o tipo de comportamento socialmente aceito como ético. “Nenhuma sociedade pode sobreviver sem um código moral fundado sobre valores compreendidos, aceitos e respeitados pela maioria dos seus membros(Jacques Monod).
  • 21. Ética e Educação “Toda educação é uma ação interativa: faz-se mediante informações, comunicação, diálogo entre seres humanos. Em toda educação há um outro em relação. Em toda educação, por tudo isso, a ética está implicada”.
  • 22. Ética e Educação “Aprender a ser cidadão é, entre outras coisas, aprender a agir com respeito, solidariedade, responsabilidade, justiça, não violência; aprender a usar o diálogo nas mais diferentes situações e comprometer-se com o que acontece na vida coletiva da comunidade e do país. Esses valores e essas atitudes precisam ser aprendidos e desenvolvidos pelos alunos e, portanto, podem e devem ser ensinados na escola.” * *(BRASIL, Ministério da Educação - Secretaria de Educação Fundamental. Ética e Cidadania no convívio escolar. Brasília: 2001, pg 13)
  • 23. Ética e Educação • A Escola é co-responsável na formação do indivíduo: reforça os valores necessários para a boa formação ética e moral. • Educa a vontade para que os alunos desenvolvam virtudes.
  • 24. Ética e Educação http://pereirabel.blogs.sapo.pt A educação está na base do esforço para fazer do indivíduo um homem bom e do sujeito, um cidadão exemplar. A formação moral dos indivíduos serve também de auxílio à formação do cidadão em sua dimensão política.
  • 25. Ética e Educação Por que ética e ética na escola?  É preciso compreender os fundamentos da ética e da moralidade e como seus princípios e normas podem ser trabalhados na escola e na comunidade  Introduzir no planejamento escolar o trabalho sistemático e intencional sobre os valores desejados pela nossa sociedade
  • 26. Ética e Educação* Valores a serem trabalhados  Respeito mútuo  Dignidade  Justiça  Diálogo  Solidariedade  Igualdade  Convívio democrático *PCN/Temas transversais
  • 27. Ética e Educação* Exemplos da prática dos valores na escola:  Respeito mútuo (ex.: repúdio a toda a forma de humilhação e violência  Diálogo (Ex.: A coordenação das ações entre alunos, mediante o trabalho em grupo. / A disposição para ouvir idéias, opiniões e argumentos alheios e rever pontos de vista quando necessário. *PCN/Temas transversais
  • 28. Ética e Educação* Exemplos da prática dos valores na escola:  Solidariedade (ex.: Nas brincadeiras privilegiar a solidariedade e não a competição / Privilegiar ações estruturantes e não pontuais)  Justiça (ex.: A identificação de formas de ação diante de situações em que os direitos do aluno não estiverem sendo respeitados) *PCN/Temas transversais
  • 29. Ética e Educação* “Na hora do recreio, ao montar os times de futebol, Eduardo humilhou Pedro dizendo que ele era perna-de-pau e não deveria participar do jogo. Pedro, inicialmente, ficou meio sem reação, mas depois tentou conversar, enquanto Eduardo seguiu com sua postura inicial” *PCN/Temas transversais Como sair desta situação hipotética? Que valores estão em jogo?
  • 30. A Ética, a Escola e o Professor  Preparar o aluno para o pluralismo  aceitação de si mesmo  comunicação eficiente  solução de conflitos  compreensão das diferenças intelectuais  base de educação ética  definição de regras coletivas e individuais  análise de acontecimentos compreendendo os motivos  pesquisa de conteúdos  criação de um código de ética institucional
  • 31. O Professor e o Código de Ética O professor deve:  Aceitar-se e entender-se como modelo  Ser mediador  Ser capaz de explicitar sua visão ética  Saber pensar dilemas éticos  Promover relação de empatia entre e com os alunos  Ser capaz de mobilizar os alunos para a boa ação
  • 32. Comportamentos Éticos na Escola  Comportamento profissional e relações humanas: Moral de atitudes e não atos morais  Relação entre alunos, professores, funcionários, técnico-administrativos, externos (fornecedores, etc)  Coerência entre teoria e prática: o que se faz não pode ser diferente do que se vive (walk the talk)  Ação mecânica x liberdade  Preservação do meio ambiente: reciclagem de resíduos, economia de energia elétrica, etc)
  • 33. Para reflexão!  Como são e como deveriam ser nossas atitudes diante dos alunos e meus colegas de trabalho?  Qual nosso nível de envolvimento na construção de um comportamento ético?  Qual o nosso papel no processo de educação moral?  Qual nosso nível de envolvimento em relação à preservação do meio ambiente?
  • 34. ASHLEY, Patricia Almeida (coord.). Ética e responsabilidade social nos negócios. 2ª ed. São Paulo: Saraiva, 2005. BARBIERI, J. C e CAJAZEIRAS, Jorge E. R. Responsabilidade social empresarial e empresa sustentável: da teoria a prática. São Paulo: Saraiva, 2009. BRASIL. Ética. Módulo 1 (programa de desenvolvimento profissional continuado). Brasília: MEC/SEIF, 2004. Disponível em < http://mecsrv04.mec.gov.br/seif/eticaecidadania/arquivos/etica.pdf> . Acesso em 20 de janeiro de 2009. CALMON, Joana. Conduta exemplar. Revista Exame. São Paulo: Editora Abril, Ed. 1.699, 9 mai 2001. CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. 13a.ed. São Paulo: Ática, 2003. CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA. Responsabilidade social empresarial. Brasília: CNI, 2006. Ética e Governo. Disponível em <www.tce.ba.gov.br/eventos/etica_serv_pub_instrut_.ppt >. Acesso em 20 de julho de 2006. Ética no serviço público: alguns pontos fundamentais. Disponível em;: < www.planalto.gov.br/.../Cursos%20CEP/Multiplicadores/2005/Transparências%20do%20curso%2 >Acesso em 20 de julho de 2006. Referências
  • 35. FERREL, O.C. Ética Empresarial: dilemas, decisões e casos / O.C. Ferrel, John Fraedrich,. Linda Ferrel Rio de Janeiro: Ed. Reichmann & Affonso, 2004. LACOMBE, F. Administração – Princípios e Tendências. (suplementos – cap. 03). São Paulo: Saraiva, 2005. MAXIMIANO, A. C. A. Teoria Geral da Administração: da revolução urbana à revolução digital. 4ª ed. rev. e atualiz. São Paulo: Atlas, 2004. MIRANDA, Lossian B. B. Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal. Disponível em <www.cefetpi.br/noticias/encontro_educacional2005/Codigo_de_Etica_Prof_do_Servidor_Pu blico.ppt > . Acesso em 10 de julho, 2006. PASSOS, Elizete. Éticas nas Organizações. São Paulo: Atlas, 2004. PEQUENO, Marconi. Ética, educação e cidadania. Disponível em <http://www.redhbrasil.net> Acesso em 10 de março, 2009. RAMOS, Luiz F. M. e LEIBI, Susan (orgs). Virando o jogo da educação: moral e ética em ação na escola. São Paulo: All Print Editora, 2007 THIRY-CHERQUES, Hermano Roberto, Estratégia empresarial e dilemas éticos. Rio de Janeiro: FGV, 1997. Referências
  • 36. Obrigado pela atenção de todos! gerisval@terra.com.br + 55 98 3246 2005 + 55 98 9114 4699
  • 37. Dois são os principais documentos norteadores da Educação Básica: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB, Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 Plano Nacional de Educação - PNE, Lei nº 10.172/2001, regidos, naturalmente, pela Constituição da República Federativa do Brasil.
  • 38. Conselho Nacional de Educação CNE atua no desempenho das funções e atribuições do poder público federal em matéria de educação. Suas ações são normativas, deliberativas e de assessoramento ao Ministro de Estado da Educação. Compete ao Conselho e às Câmaras de Educação Básica e de Educação Superior exercerem as atribuições conferidas pela lei. A Câmara de Educação Básica tem como atribuições analisar e emitir pareceres sobre procedimentos e resultados de processos de avaliação da educação infantil, fundamental, médio, profissional e especial, deliberar sobre diretrizes curriculares propostas pelo Ministério da Educação; e acompanhar a execução do Plano Nacional de Educação.
  • 39. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional A LDB regulariza em âmbito nacional, a base comum do currículo, a carga horária e presença mínima em aula e as formas de promoção de série, cabendo aos estados, municípios e até mesmo às escolas a normatização das peculiaridades regionais e locais, curriculares e de calendário, de promoção de série e a expedição da documentação escolar de cada aluno da educação básica.
  • 40. Plano Nacional de Educação Estabelece metas decenais para todos os níveis e etapas da educação, apontando para que estados e municípios criem e estabeleçam planos semelhantes compatíveis com as metas nacionais. A SEB conta com o Programa de Avaliação e Acompanhamento do PNE e dos Planos Decenais Correspondentes, que realiza a avaliação do PNE e estimula estados e municípios a criarem seus planos correspondentes e avaliarem-no a cada cinco anos, de acordo com a própria lei. Todas as ações e programas da SEB (secretaria de educação básica) visam o alcance das metas do PNE (plano nacional de educação).
  • 41. Atuais Políticas e Programas da SEB O Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, lançado em 24 de abril de 2007, pela União Federal, em regime de colaboração com Municípios, Distrito Federal e Estados, conta com a participação das famílias e da comunidade, mediante programas e ações de assistência técnica e financeira, visando a mobilização social pela melhoria da qualidade da educação básica.
  • 42. Plano de Desenvolvimento da Educação PDE Educação básica de qualidade. Essa é a prioridade do Plano de Desenvolvimento da Educação. Investir na educação básica significa envolver todos, pais, alunos, professores e gestores, em iniciativas que busquem o sucesso e a permanência do aluno na escola. Significa também investir na educação profissional e na educação superior, porque elas estão ligadas, direta ou indiretamente.
  • 43. Estatísticas, Censos e Avaliação sobre a Educação Básica As Estatísticas, Censos e Avaliações sobre a Educação Básica são realizadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP, órgão do MEC.
  • 44. EDUCAÇÃO INFANTIL A “educação infantil, primeira etapa da educação básica tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até cinco anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade. A educação infantil será oferecida em: creches, ou entidades equivalentes, para crianças de até três anos de idade; pré-escolas, para crianças de quatro a cinco anos de idade.”
  • 45. Gestão democrática A gestão democrática da escola, os materiais didático-pedagógicos e a formação do professor são fatores determinantes para a qualidade social da educação, que forma indivíduos críticos e criativos, preparados para o pleno exercício da cidadania. É com esse objetivo que o Departamento de Políticas de Educação Infantil e Ensino Fundamental formula políticas educacionais, propõe e coordena suas ações.
  • 46. Subsidiar a Ação Pedagógica de Creches e Pré-Escolas A Coordenação-Geral de Educação Infantil busca subsidiar os sistemas de ensino na elaboração de normas e ações político- pedagógicas respeitando peculiaridades desta etapa da educação básica. Sua meta é a melhoria da qualidade da educação da criança de 0 a 6 anos. Com esta finalidade, foram criados e disponibilizados programas e materiais que vêm contribuindo para aumentar o atendimento e a qualidade na área de educação infantil.
  • 47. ENSINO FUNDAMENTAL A LDB em seu Art.5º afirma que "o acesso ao ensino fundamental é direito público subjetivo, podendo qualquer cidadão, grupo de cidadãos, associação comunitária, organização sindical, entidade de classe ou outra legalmente constituída, e, ainda, o Ministério Público, acionar o Poder Público para exigi-lo".
  • 48. ENSINO FUNDAMENTAL Já o Art. 32 afirma que "o ensino fundamental obrigatório, com duração de 9 (nove) anos, gratuito na escola pública, iniciando-se aos 5 (cinco) anos de idade, terá por objetivo a formação básica do cidadão, mediante: I - o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; II - a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade;
  • 49. ENSINO FUNDAMENTAL Já o Art. 32 afirma que "o ensino fundamental obrigatório, com duração de 9 (nove) anos, gratuito na escola pública, iniciando-se aos 5 (cinco) anos de idade, terá por objetivo a formação básica do cidadão, mediante: III - o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores; IV - o fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta a vida social."
  • 50. ENSINO MÉDIO A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB, Lei nº 9.394/97, estabeleceu como sendo dever do Estado a progressiva extensão da obrigatoriedade do Ensino Médio. O Plano Nacional de Educação, Lei nº 10.172/2001, sancionado pelo Congresso Nacional em 2001, estabeleceu metas para a educação no Brasil com duração de dez anos que garantisse, entre muitos outros avanços, a elevação global do nível de escolaridade da população, a melhoria da qualidade do ensino em todos os níveis, a redução das desigualdades sociais e regionais, a ampliação do atendimento na Educação Infantil, no Ensino Médio e no Superior.
  • 51. ENSINO MÉDIO O Plano Nacional de Educação, tal como foi concebido, previu uma reavaliação de suas metas em cinco anos. Uma das mais importantes metas do Plano Nacional de Educação no que tange o Ensino Médio é a garantia do acesso a todos aqueles que concluam o Ensino Fundamental em idade regular no prazo de três anos, a partir do ano de sua promulgação.