SlideShare uma empresa Scribd logo
CONCEITUANDO POLÍTICAS
EDUCACIONAIS
Prof. Esp. Darlan Campos
Historiador (UFES), Professor Universitário e
Consultor em Marketing Político
O que é política?
 Que imagem vem a sua cabeça quando você ouve a
palavra “política”?
 Para muitas pessoas, essa palavra evoca imagens de
campanhas eleitorais, partidos, propagandas, poluição
visual às vésperas de eleição.
 Outros podem lembrar-se da atuação de políticos
profissionais, na maioria das vezes, de maus políticos.
 Isto faz com que as pessoas tomem aversão a tudo o que
diz respeito à política.

Será que política é isso mesmo?
Ou melhor, será que política
é só isso?
O que é política?
 Em sua definição clássica, o termo política emana do
adjetivo politikós, originado de polis, que se refere a
tudo que se relaciona com a cidade, portanto ao
urbano, público, civil.
 Polis - Termo grego que se refere à cidade,
compreendida como a comunidade organizada,
formada pelos cidadãos, isto é, pelos homens
nascidos no solo da Cidade, livres e iguais.
 Com o decorrer do tempo, política passou a designar
“um campo dedicado ao estudo da esfera de
atividades humanas articulada às coisas do Estado”.
 Neste sentido, refere-se, hoje, principalmente ao
conjunto de atividades, que, de alguma maneira são
atribuídas ao Estado moderno, ou que dele emanam.
O que é Estado? Qual sua função?
Como surgiu?
 Teorias com enfoque liberal: baseam-se numa interpretação
feita pela burguesia nos diferentes momentos da história do
capitalismo.
 Consideram que o Estado é neutro e está acima dos interesses
das classes sociais
 Objetivo do Estado: a realização do bem comum e o
aperfeiçoamento do organismo social no seu conjunto.
 Teorias com enfoque marxista: fundamentam-se em uma
concepção de sociedade dividida em classes antagônicas, com
interesses divergentes.
 Negam a idéia de um Estado neutro, voltado para o bem
comum.
 Estado: instituição política que representa os interesses da
classe social dominante, que prevalece sobre o conjunto da
sociedade.
 Apenas no nível aparente, estes interesses apresentam-se como
interesses universais, de todo o corpo social.
 Esse enfoque constituí-se, deste modo, uma crítica ao enfoque
liberal de Estado.
Estado para Hobbes
(1588-1651)
 Estado soberano - a realização máxima de uma
sociedade civilizada e racional.
 No estado natural, sem o jugo político do
Estado, os homens viveriam em liberdade e
igualdade segundo seus instintos.
 Homem: lobo do outro homem
 O egoísmo, a crueldade,a ambição, naturais dos
indivíduos, gerariam uma luta sem tréguas,
levando-os à ruína.
 Somente o Estado, um poder acima das
individualidades, garantiria segurança a todos.
 Para evitar seu fim e promover o bem comum,
os homens selariam um pacto, um contrato,
que evita a sua destruição.
 Hobbes atribui a este contrato social a criação
do Estado, de poder absoluto.
O Estado para John Locke
(1632-1704)
 O homem seria livre no seu estado natural.
 Para evitar que um homem pudesse
subjulgar o outro a seu poder absoluto, os
homens, por meio de um contrato social,
delegaram poderes ao Estado, que deveria
ter o papel de assegurar seus direitos
naturais, assim como, a sua propriedade.
 Noção de governo:o consentimento dos
governados diante da autoridade constituída.
 Enquanto que para Hobbes, o contrato
resulta num Estado Absoluto, para Locke, o
Estado poderia ser feito e desfeito, como
qualquer contrato, caso o Estado ou o
Governo não o respeitarem.
O Estado para Jean-Jacques
Rousseau (1712-1778)
 A sociedade civil nasce por meio de um
contrato social.
 Os homens são naturalmente bons,
sendo a sociabilização a culpada pela
sua "degeneração".
 O Contrato Social para Rousseau é um
acordo entre indivíduos para se criar
uma Sociedade, e, só então, um
Estado, isto é, o Contrato é um Pacto
de associação, não de submissão.
 Os homens não podem renunciar aos
princípios da liberdade e igualdade, pois
ao povo pertence a soberania.
 Ele enfatizava que não há liberdade
onde não existe igualdade.
O Estado para Karl Marx
(1818-1883)
Rejeição categórica à concepção de Estado como
agente da "sociedade como um todo", bem como da
possibilidade da existência de um "interesse
nacional".
base da sociedade, da sua formação, das
instituições e regras de funcionamento, das idéias e
dos valores são as condições materiais, ou seja, as
relações sociais de produção.
Estado -compreendido como uma estrutura de
poder que aglutina, sintetiza e coloca em
movimento a força política da classe dominante.
 Estado moderno: um comitê para administrar os
assuntos comuns da burguesia, o que o torna um
mecanismo destinado a reprimir a classe oprimida e
explorada.
O Estado para Karl Marx (18181883)
 O Estado consiste, também, numa organização
burocrática, isto é, um conjunto de instituições e
organismos, ramos e sub-ramos, com suas respectivas
burocracias, que exerce a dominação das classes
exploradas, por meio do jogo institucional de seus
aparelhos.
 Deste modo, em condições historicamente
determinadas, o Estado desempenha a função de
reprodutor das relações econômicas e políticas de classe.
 No pensamento marxista, o Estado molda a sociedade.
 Visto que não existe organização social sem Estado, pelo
menos após a divisão da sociedade em classes
antagônicas, esse Estado é sempre aquele que traduz o
pensamento dos dominantes, ou seja, aquele que
constrói as condições para o máximo desenvolvimento
daquelas classes.
Estado para Antonio
Gramsci (1891-1937)
 Impossibilidade, exceto nas ditaduras,
da existência do domínio bruto de uma
classe social sobre a outra, por meio,
apenas, do Estado-coerção.
 Uma classe dominante, para assegurarse como dirigente, deve construir um
conjunto de alianças e obter o
consenso passivo das classes e
camadas dirigidas.
 A classe dominante, muitas vezes,
sacrifica parte dos seus interesses
imediatos e supera o horizonte
corporativo, na busca de articular
alianças e construir uma hegemonia
ética e política.
Para Antonio Gramsci (18911937)
 Conceito de Estado ampliado: composto por dois
segmentos distintos, a sociedade política e a
sociedade civil.
 Ambos atuam com a mesma finalidade: manter e
reproduzir a dominação da classe hegemônica.
 O conceito de sociedade civil e sociedade política é
fundamental para compreendermos o que vem a
ser políticas educacionais e para situá-las interior
das políticas públicas
 Nas sociedades de tipo ocidental, a hegemonia (que
se realiza nas diversas instâncias da sociedade civil)
não pode ser negligenciada pelos grupos sociais
dominados, que pretendem modificar sua condição
e a assumir o comando do conjunto da sociedade.
Para Antonio Gramsci (18911937)
 É importante para as classes subalternas construir uma
contra hegemonia, articulando-se para interferir nos
sindicatos, partidos políticos, meios de comunicação,
escolas e demais instituições que constroem a
hegemonia ética e política.
 É neste processo que as políticas educacionais são
produzidas.
 As políticas educacionais situam-se no âmbito das
políticas públicas de caráter social e, como tal, não são
estáticas, mas dinâmicas, ou seja, estão em constante
transformação.
 Para compreendê-las, é necessário entender o projeto
político do Estado, em seu conjunto, e as contradições do
momento histórico em questão.
Políticas públicas










Se política fosse a arte de administrar o bem público, toda política
deveria ser considrada pública ou social.
Entretanto, nas sociedades em que os meios de produção são
apropriados por uma determinada classe social, o Estado acaba por
ser apropriado, também, por esta classe, a fim de gerir seus interesse
econômicos.
Na sociedade capitalista, o Estado assume a função de impulsionar a
política econômica, tendo em vista a consolidação e a expansão do
capital, favorecendo, assim, interesses privados, em detrimento dos
interesses da coletividade.
O que carateriza a política econômica é seu carater anti-social.
Os efeitos gerados por esta polítca econômica concentradora de
riqueza, contraditoriamente, ameçam a continuidade do sitema
econômico capitalista.
Para contrabalancear estes efeitos, o Estado precisa promover
políticas públicas ou políticas sociais, nas áreas de saúde, habitação,
assitência e previdência social, cultura e educação.
Políticas educacionais
 São emanadas do Estado, como qualquer outra política
pública.
 Implicam em escolhas e decisões, que envolvem indivíduos,
grupos e instituições.
 Não são fruto de iniciativas abstratas, mas constroem-se na
correlação entre as forças sociais, que se articulam para
defender seus interesses.
 Para entender como se elaboram as políticas públicas, em
uma determinada sociedade, é preciso analisar seus
significados históricos.
 Embora, nas sociedades capitalistas, o Estado esteja
submetido aos interesses do capital, na organização e na
administração do público, as políticas públicas são produto das
lutas, pressões e conflitos entre os grupos e classes que
constituem a sociedade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacionalAula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacional
Fernando Palácios
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Gestão democrática
Gestão democráticaGestão democrática
Gestão democrática
guestba32bfa
 
Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
Teorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLARTeorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLAR
Andrea Lima
 
Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
Messias Mota Vieira
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
Estrutura e funcionamento do ensino
Estrutura e funcionamento do ensino Estrutura e funcionamento do ensino
Estrutura e funcionamento do ensino
Darlan Campos
 
Políticas públicas educacionais aula 2
Políticas públicas educacionais   aula   2Políticas públicas educacionais   aula   2
Políticas públicas educacionais aula 2
Darlan Campos
 
Apresentação gestão educacional
Apresentação gestão  educacionalApresentação gestão  educacional
Apresentação gestão educacional
Cidinha Professora FALC
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
Ulisses Vakirtzis
 
Financiamento da educação
Financiamento da educaçãoFinanciamento da educação
Financiamento da educação
Martha Liza
 
Antropologia e educação2223
Antropologia e educação2223Antropologia e educação2223
Antropologia e educação2223
Ricardo Castro
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
Ulisses Vakirtzis
 
Histórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialHistórico da Educação Especial
Histórico da Educação Especial
Vera Zacharias
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
gadea
 
Organização do sistema de educação brasileiro
Organização do sistema de educação brasileiroOrganização do sistema de educação brasileiro
Organização do sistema de educação brasileiro
Jaqueline Lira
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
Renata Peruce
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
Marcelo Assis
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
Profissão Professor
 

Mais procurados (20)

Aula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacionalAula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacional
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
Gestão democrática
Gestão democráticaGestão democrática
Gestão democrática
 
Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
Currículo escolar
 
Teorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLARTeorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLAR
 
Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Estrutura e funcionamento do ensino
Estrutura e funcionamento do ensino Estrutura e funcionamento do ensino
Estrutura e funcionamento do ensino
 
Políticas públicas educacionais aula 2
Políticas públicas educacionais   aula   2Políticas públicas educacionais   aula   2
Políticas públicas educacionais aula 2
 
Apresentação gestão educacional
Apresentação gestão  educacionalApresentação gestão  educacional
Apresentação gestão educacional
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
 
Financiamento da educação
Financiamento da educaçãoFinanciamento da educação
Financiamento da educação
 
Antropologia e educação2223
Antropologia e educação2223Antropologia e educação2223
Antropologia e educação2223
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
 
Histórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialHistórico da Educação Especial
Histórico da Educação Especial
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
 
Organização do sistema de educação brasileiro
Organização do sistema de educação brasileiroOrganização do sistema de educação brasileiro
Organização do sistema de educação brasileiro
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
 

Destaque

Financiamento e Gestão da Educação Publíca
Financiamento e Gestão da Educação PublícaFinanciamento e Gestão da Educação Publíca
Financiamento e Gestão da Educação Publíca
Iasmin Marinho
 
Para entender o financiamento da educação no brasil
Para entender o financiamento da educação no brasilPara entender o financiamento da educação no brasil
Para entender o financiamento da educação no brasil
AlessandroRubens
 
O financiamento da educação e o novo Plano Nacional
O  financiamento da educação  e o novo Plano NacionalO  financiamento da educação  e o novo Plano Nacional
O financiamento da educação e o novo Plano Nacional
Deputado Paulo Rubem - PDT
 
2. Financiamento da Educação.
2. Financiamento da Educação.2. Financiamento da Educação.
2. Financiamento da Educação.
Sandra Luccas
 
Questão Social
Questão SocialQuestão Social
Questão Social
Carol Alves
 
política social e políticas públicas
política social e políticas públicaspolítica social e políticas públicas
política social e políticas públicas
Leonardo Rocha
 
Terceiro Setor Aula 01
Terceiro Setor Aula 01Terceiro Setor Aula 01
Terceiro Setor Aula 01
pascotto
 
Questao social e Politicas Sociais
Questao social e Politicas Sociais Questao social e Politicas Sociais
Questao social e Politicas Sociais
GlauciaAS
 
Políticas públicas sefaz
Políticas públicas sefazPolíticas públicas sefaz
Políticas públicas sefaz
Fábio Maia
 
RELIGIÃO E POLÍTICAS SOCIAIS - SERVIÇO SOCIAL
RELIGIÃO E POLÍTICAS SOCIAIS - SERVIÇO SOCIALRELIGIÃO E POLÍTICAS SOCIAIS - SERVIÇO SOCIAL
RELIGIÃO E POLÍTICAS SOCIAIS - SERVIÇO SOCIAL
Rosane Domingues
 
Trabalho de questao social! seminári!
Trabalho de questao social! seminári!Trabalho de questao social! seminári!
Trabalho de questao social! seminári!
Mony Lima
 
Questão Social no Brasil
Questão Social no BrasilQuestão Social no Brasil
Formação da questão social no brasil
Formação da questão social no brasilFormação da questão social no brasil
Formação da questão social no brasil
Arare Carvalho Júnior
 
Apresentação politica de assistencia social 2
Apresentação politica de assistencia social 2Apresentação politica de assistencia social 2
Apresentação politica de assistencia social 2
Alinebrauna Brauna
 
política social - fundamentos e história
política social - fundamentos e históriapolítica social - fundamentos e história
política social - fundamentos e história
Rafael Dionisio
 
Políticas públicas
Políticas públicasPolíticas públicas
Políticas públicas
jorge luiz dos santos de souza
 
POLÍTICAS PÚBLICAS: Princípios, Propósitos e Processos
POLÍTICAS PÚBLICAS: Princípios, Propósitos e ProcessosPOLÍTICAS PÚBLICAS: Princípios, Propósitos e Processos
POLÍTICAS PÚBLICAS: Princípios, Propósitos e Processos
fcmatosbh
 
Apostila 04 questão social
Apostila 04   questão socialApostila 04   questão social
Apostila 04 questão social
Marilda Cardoso
 
Aula de pós graduação polítca social e questão social1
Aula de pós graduação   polítca social e questão social1Aula de pós graduação   polítca social e questão social1
Aula de pós graduação polítca social e questão social1
Estevam Cesar
 
Democratizar a gestão das políticas sociais – um desafio a ser enfrentado pel...
Democratizar a gestão das políticas sociais – um desafio a ser enfrentado pel...Democratizar a gestão das políticas sociais – um desafio a ser enfrentado pel...
Democratizar a gestão das políticas sociais – um desafio a ser enfrentado pel...
Isabel Amaral
 

Destaque (20)

Financiamento e Gestão da Educação Publíca
Financiamento e Gestão da Educação PublícaFinanciamento e Gestão da Educação Publíca
Financiamento e Gestão da Educação Publíca
 
Para entender o financiamento da educação no brasil
Para entender o financiamento da educação no brasilPara entender o financiamento da educação no brasil
Para entender o financiamento da educação no brasil
 
O financiamento da educação e o novo Plano Nacional
O  financiamento da educação  e o novo Plano NacionalO  financiamento da educação  e o novo Plano Nacional
O financiamento da educação e o novo Plano Nacional
 
2. Financiamento da Educação.
2. Financiamento da Educação.2. Financiamento da Educação.
2. Financiamento da Educação.
 
Questão Social
Questão SocialQuestão Social
Questão Social
 
política social e políticas públicas
política social e políticas públicaspolítica social e políticas públicas
política social e políticas públicas
 
Terceiro Setor Aula 01
Terceiro Setor Aula 01Terceiro Setor Aula 01
Terceiro Setor Aula 01
 
Questao social e Politicas Sociais
Questao social e Politicas Sociais Questao social e Politicas Sociais
Questao social e Politicas Sociais
 
Políticas públicas sefaz
Políticas públicas sefazPolíticas públicas sefaz
Políticas públicas sefaz
 
RELIGIÃO E POLÍTICAS SOCIAIS - SERVIÇO SOCIAL
RELIGIÃO E POLÍTICAS SOCIAIS - SERVIÇO SOCIALRELIGIÃO E POLÍTICAS SOCIAIS - SERVIÇO SOCIAL
RELIGIÃO E POLÍTICAS SOCIAIS - SERVIÇO SOCIAL
 
Trabalho de questao social! seminári!
Trabalho de questao social! seminári!Trabalho de questao social! seminári!
Trabalho de questao social! seminári!
 
Questão Social no Brasil
Questão Social no BrasilQuestão Social no Brasil
Questão Social no Brasil
 
Formação da questão social no brasil
Formação da questão social no brasilFormação da questão social no brasil
Formação da questão social no brasil
 
Apresentação politica de assistencia social 2
Apresentação politica de assistencia social 2Apresentação politica de assistencia social 2
Apresentação politica de assistencia social 2
 
política social - fundamentos e história
política social - fundamentos e históriapolítica social - fundamentos e história
política social - fundamentos e história
 
Políticas públicas
Políticas públicasPolíticas públicas
Políticas públicas
 
POLÍTICAS PÚBLICAS: Princípios, Propósitos e Processos
POLÍTICAS PÚBLICAS: Princípios, Propósitos e ProcessosPOLÍTICAS PÚBLICAS: Princípios, Propósitos e Processos
POLÍTICAS PÚBLICAS: Princípios, Propósitos e Processos
 
Apostila 04 questão social
Apostila 04   questão socialApostila 04   questão social
Apostila 04 questão social
 
Aula de pós graduação polítca social e questão social1
Aula de pós graduação   polítca social e questão social1Aula de pós graduação   polítca social e questão social1
Aula de pós graduação polítca social e questão social1
 
Democratizar a gestão das políticas sociais – um desafio a ser enfrentado pel...
Democratizar a gestão das políticas sociais – um desafio a ser enfrentado pel...Democratizar a gestão das políticas sociais – um desafio a ser enfrentado pel...
Democratizar a gestão das políticas sociais – um desafio a ser enfrentado pel...
 

Semelhante a Políticas públicas educacionais aula 1

Conceituando pol ticas_educacionais
Conceituando pol ticas_educacionaisConceituando pol ticas_educacionais
Conceituando pol ticas_educacionais
Syl Vidal
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
José Ferreira Júnior
 
POLITICA.pptx
POLITICA.pptxPOLITICA.pptx
POLITICA.pptx
ssuser2af87a
 
Vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
VvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvVvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
Vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
rose soratto
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
Edirlene Fraga
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
ricardo13613
 
Mudanças Sociais- Política e Estética
Mudanças Sociais- Política e EstéticaMudanças Sociais- Política e Estética
Mudanças Sociais- Política e Estética
Silvana
 
Ciência Política: Bonavides 3 4 5
Ciência Política: Bonavides 3 4 5Ciência Política: Bonavides 3 4 5
Ciência Política: Bonavides 3 4 5
Israel serique
 
Filosofia política
Filosofia política Filosofia política
Filosofia política
Elson Junior
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
Carson Souza
 
Estado, mercado e sociedade
Estado, mercado e sociedadeEstado, mercado e sociedade
Estado, mercado e sociedade
Davi Islabao
 
Resumo de tge
Resumo de tgeResumo de tge
Resumo de tge
Jose Marcelo Pimenta
 
Política, poder e Estado
Política, poder e EstadoPolítica, poder e Estado
Política, poder e Estado
Mary Alvarenga
 
A perspectiva marxista
A perspectiva marxistaA perspectiva marxista
A perspectiva marxista
bloguerreiro
 
Sociologia e filosofia
Sociologia e filosofiaSociologia e filosofia
Sociologia e filosofia
Silvana
 
Filosofia poltica
Filosofia polticaFilosofia poltica
Filosofia poltica
Valdenes Pereira
 
AULA_4_-_Sociologia_Urbana.pptx
AULA_4_-_Sociologia_Urbana.pptxAULA_4_-_Sociologia_Urbana.pptx
AULA_4_-_Sociologia_Urbana.pptx
marciomjp25
 
IECJ - CAP. 11 - O poder e o Estado
IECJ - CAP. 11 - O poder e o EstadoIECJ - CAP. 11 - O poder e o Estado
IECJ - CAP. 11 - O poder e o Estado
profrodrigoribeiro
 
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
Clesia Moreira
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
Jairo Ramos
 

Semelhante a Políticas públicas educacionais aula 1 (20)

Conceituando pol ticas_educacionais
Conceituando pol ticas_educacionaisConceituando pol ticas_educacionais
Conceituando pol ticas_educacionais
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
POLITICA.pptx
POLITICA.pptxPOLITICA.pptx
POLITICA.pptx
 
Vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
VvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvVvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
Vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
 
Mudanças Sociais- Política e Estética
Mudanças Sociais- Política e EstéticaMudanças Sociais- Política e Estética
Mudanças Sociais- Política e Estética
 
Ciência Política: Bonavides 3 4 5
Ciência Política: Bonavides 3 4 5Ciência Política: Bonavides 3 4 5
Ciência Política: Bonavides 3 4 5
 
Filosofia política
Filosofia política Filosofia política
Filosofia política
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
 
Estado, mercado e sociedade
Estado, mercado e sociedadeEstado, mercado e sociedade
Estado, mercado e sociedade
 
Resumo de tge
Resumo de tgeResumo de tge
Resumo de tge
 
Política, poder e Estado
Política, poder e EstadoPolítica, poder e Estado
Política, poder e Estado
 
A perspectiva marxista
A perspectiva marxistaA perspectiva marxista
A perspectiva marxista
 
Sociologia e filosofia
Sociologia e filosofiaSociologia e filosofia
Sociologia e filosofia
 
Filosofia poltica
Filosofia polticaFilosofia poltica
Filosofia poltica
 
AULA_4_-_Sociologia_Urbana.pptx
AULA_4_-_Sociologia_Urbana.pptxAULA_4_-_Sociologia_Urbana.pptx
AULA_4_-_Sociologia_Urbana.pptx
 
IECJ - CAP. 11 - O poder e o Estado
IECJ - CAP. 11 - O poder e o EstadoIECJ - CAP. 11 - O poder e o Estado
IECJ - CAP. 11 - O poder e o Estado
 
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
 

Mais de Darlan Campos

Marketing Político Estratégico
Marketing Político Estratégico Marketing Político Estratégico
Marketing Político Estratégico
Darlan Campos
 
O posicionamento digital e o impacto na carreira -
O posicionamento digital e o impacto na carreira - O posicionamento digital e o impacto na carreira -
O posicionamento digital e o impacto na carreira -
Darlan Campos
 
Palestra em busca da reeleição
Palestra   em busca da reeleiçãoPalestra   em busca da reeleição
Palestra em busca da reeleição
Darlan Campos
 
éTica e formação profissional
éTica e formação profissional   éTica e formação profissional
éTica e formação profissional
Darlan Campos
 
Universidade e a formação profisisonal dos docentes novos questionamentos
Universidade e a formação profisisonal dos docentes   novos questionamentosUniversidade e a formação profisisonal dos docentes   novos questionamentos
Universidade e a formação profisisonal dos docentes novos questionamentos
Darlan Campos
 
éTica na formação profissional uma reflexão
éTica na formação profissional   uma reflexãoéTica na formação profissional   uma reflexão
éTica na formação profissional uma reflexão
Darlan Campos
 
A formação profissional no século xxi desafios e dilemas
A formação profissional no século xxi   desafios e dilemasA formação profissional no século xxi   desafios e dilemas
A formação profissional no século xxi desafios e dilemas
Darlan Campos
 
ética profissional e formação em educação
ética profissional e formação em educaçãoética profissional e formação em educação
ética profissional e formação em educação
Darlan Campos
 
Um salto para o presente a educação básica no brasil
Um salto para o presente   a educação básica no brasilUm salto para o presente   a educação básica no brasil
Um salto para o presente a educação básica no brasil
Darlan Campos
 
Educacão basica no brasil na decada de 90 a lógica do mercado
Educacão basica no brasil na decada de 90   a lógica do mercadoEducacão basica no brasil na decada de 90   a lógica do mercado
Educacão basica no brasil na decada de 90 a lógica do mercado
Darlan Campos
 
Educação básica no brasil agenda da modernidade
Educação básica no brasil   agenda da modernidade Educação básica no brasil   agenda da modernidade
Educação básica no brasil agenda da modernidade
Darlan Campos
 
Educação básica no brasil
Educação básica no brasil Educação básica no brasil
Educação básica no brasil
Darlan Campos
 
Professor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educarProfessor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educar
Darlan Campos
 
Metodologia científica Aula - Pós Graduação em Educação
Metodologia científica   Aula - Pós Graduação em EducaçãoMetodologia científica   Aula - Pós Graduação em Educação
Metodologia científica Aula - Pós Graduação em Educação
Darlan Campos
 
Willian costa rodrigues metodologia cientifica
Willian costa rodrigues metodologia cientificaWillian costa rodrigues metodologia cientifica
Willian costa rodrigues metodologia cientifica
Darlan Campos
 
Pesquisa em educação buscando rigor e qualidade
Pesquisa em educação   buscando rigor e qualidadePesquisa em educação   buscando rigor e qualidade
Pesquisa em educação buscando rigor e qualidade
Darlan Campos
 
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasilAs crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
Darlan Campos
 
Competências comportamentais fabra jan 2014
Competências comportamentais  fabra jan 2014Competências comportamentais  fabra jan 2014
Competências comportamentais fabra jan 2014
Darlan Campos
 
Liderança motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Liderança   motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014Liderança   motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Liderança motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Darlan Campos
 
18. aula de história geral - américa no século XIX
18. aula de história geral - américa no século XIX18. aula de história geral - américa no século XIX
18. aula de história geral - américa no século XIX
Darlan Campos
 

Mais de Darlan Campos (20)

Marketing Político Estratégico
Marketing Político Estratégico Marketing Político Estratégico
Marketing Político Estratégico
 
O posicionamento digital e o impacto na carreira -
O posicionamento digital e o impacto na carreira - O posicionamento digital e o impacto na carreira -
O posicionamento digital e o impacto na carreira -
 
Palestra em busca da reeleição
Palestra   em busca da reeleiçãoPalestra   em busca da reeleição
Palestra em busca da reeleição
 
éTica e formação profissional
éTica e formação profissional   éTica e formação profissional
éTica e formação profissional
 
Universidade e a formação profisisonal dos docentes novos questionamentos
Universidade e a formação profisisonal dos docentes   novos questionamentosUniversidade e a formação profisisonal dos docentes   novos questionamentos
Universidade e a formação profisisonal dos docentes novos questionamentos
 
éTica na formação profissional uma reflexão
éTica na formação profissional   uma reflexãoéTica na formação profissional   uma reflexão
éTica na formação profissional uma reflexão
 
A formação profissional no século xxi desafios e dilemas
A formação profissional no século xxi   desafios e dilemasA formação profissional no século xxi   desafios e dilemas
A formação profissional no século xxi desafios e dilemas
 
ética profissional e formação em educação
ética profissional e formação em educaçãoética profissional e formação em educação
ética profissional e formação em educação
 
Um salto para o presente a educação básica no brasil
Um salto para o presente   a educação básica no brasilUm salto para o presente   a educação básica no brasil
Um salto para o presente a educação básica no brasil
 
Educacão basica no brasil na decada de 90 a lógica do mercado
Educacão basica no brasil na decada de 90   a lógica do mercadoEducacão basica no brasil na decada de 90   a lógica do mercado
Educacão basica no brasil na decada de 90 a lógica do mercado
 
Educação básica no brasil agenda da modernidade
Educação básica no brasil   agenda da modernidade Educação básica no brasil   agenda da modernidade
Educação básica no brasil agenda da modernidade
 
Educação básica no brasil
Educação básica no brasil Educação básica no brasil
Educação básica no brasil
 
Professor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educarProfessor, um lider na arte de educar
Professor, um lider na arte de educar
 
Metodologia científica Aula - Pós Graduação em Educação
Metodologia científica   Aula - Pós Graduação em EducaçãoMetodologia científica   Aula - Pós Graduação em Educação
Metodologia científica Aula - Pós Graduação em Educação
 
Willian costa rodrigues metodologia cientifica
Willian costa rodrigues metodologia cientificaWillian costa rodrigues metodologia cientifica
Willian costa rodrigues metodologia cientifica
 
Pesquisa em educação buscando rigor e qualidade
Pesquisa em educação   buscando rigor e qualidadePesquisa em educação   buscando rigor e qualidade
Pesquisa em educação buscando rigor e qualidade
 
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasilAs crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no brasil
 
Competências comportamentais fabra jan 2014
Competências comportamentais  fabra jan 2014Competências comportamentais  fabra jan 2014
Competências comportamentais fabra jan 2014
 
Liderança motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Liderança   motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014Liderança   motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
Liderança motivação e formaçao de equipes - fabra jan 2014
 
18. aula de história geral - américa no século XIX
18. aula de história geral - américa no século XIX18. aula de história geral - américa no século XIX
18. aula de história geral - américa no século XIX
 

Último

1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 

Políticas públicas educacionais aula 1

  • 1. CONCEITUANDO POLÍTICAS EDUCACIONAIS Prof. Esp. Darlan Campos Historiador (UFES), Professor Universitário e Consultor em Marketing Político
  • 2. O que é política?  Que imagem vem a sua cabeça quando você ouve a palavra “política”?  Para muitas pessoas, essa palavra evoca imagens de campanhas eleitorais, partidos, propagandas, poluição visual às vésperas de eleição.  Outros podem lembrar-se da atuação de políticos profissionais, na maioria das vezes, de maus políticos.  Isto faz com que as pessoas tomem aversão a tudo o que diz respeito à política. Será que política é isso mesmo? Ou melhor, será que política é só isso?
  • 3. O que é política?  Em sua definição clássica, o termo política emana do adjetivo politikós, originado de polis, que se refere a tudo que se relaciona com a cidade, portanto ao urbano, público, civil.  Polis - Termo grego que se refere à cidade, compreendida como a comunidade organizada, formada pelos cidadãos, isto é, pelos homens nascidos no solo da Cidade, livres e iguais.  Com o decorrer do tempo, política passou a designar “um campo dedicado ao estudo da esfera de atividades humanas articulada às coisas do Estado”.  Neste sentido, refere-se, hoje, principalmente ao conjunto de atividades, que, de alguma maneira são atribuídas ao Estado moderno, ou que dele emanam.
  • 4. O que é Estado? Qual sua função? Como surgiu?  Teorias com enfoque liberal: baseam-se numa interpretação feita pela burguesia nos diferentes momentos da história do capitalismo.  Consideram que o Estado é neutro e está acima dos interesses das classes sociais  Objetivo do Estado: a realização do bem comum e o aperfeiçoamento do organismo social no seu conjunto.  Teorias com enfoque marxista: fundamentam-se em uma concepção de sociedade dividida em classes antagônicas, com interesses divergentes.  Negam a idéia de um Estado neutro, voltado para o bem comum.  Estado: instituição política que representa os interesses da classe social dominante, que prevalece sobre o conjunto da sociedade.  Apenas no nível aparente, estes interesses apresentam-se como interesses universais, de todo o corpo social.  Esse enfoque constituí-se, deste modo, uma crítica ao enfoque liberal de Estado.
  • 5. Estado para Hobbes (1588-1651)  Estado soberano - a realização máxima de uma sociedade civilizada e racional.  No estado natural, sem o jugo político do Estado, os homens viveriam em liberdade e igualdade segundo seus instintos.  Homem: lobo do outro homem  O egoísmo, a crueldade,a ambição, naturais dos indivíduos, gerariam uma luta sem tréguas, levando-os à ruína.  Somente o Estado, um poder acima das individualidades, garantiria segurança a todos.  Para evitar seu fim e promover o bem comum, os homens selariam um pacto, um contrato, que evita a sua destruição.  Hobbes atribui a este contrato social a criação do Estado, de poder absoluto.
  • 6. O Estado para John Locke (1632-1704)  O homem seria livre no seu estado natural.  Para evitar que um homem pudesse subjulgar o outro a seu poder absoluto, os homens, por meio de um contrato social, delegaram poderes ao Estado, que deveria ter o papel de assegurar seus direitos naturais, assim como, a sua propriedade.  Noção de governo:o consentimento dos governados diante da autoridade constituída.  Enquanto que para Hobbes, o contrato resulta num Estado Absoluto, para Locke, o Estado poderia ser feito e desfeito, como qualquer contrato, caso o Estado ou o Governo não o respeitarem.
  • 7. O Estado para Jean-Jacques Rousseau (1712-1778)  A sociedade civil nasce por meio de um contrato social.  Os homens são naturalmente bons, sendo a sociabilização a culpada pela sua "degeneração".  O Contrato Social para Rousseau é um acordo entre indivíduos para se criar uma Sociedade, e, só então, um Estado, isto é, o Contrato é um Pacto de associação, não de submissão.  Os homens não podem renunciar aos princípios da liberdade e igualdade, pois ao povo pertence a soberania.  Ele enfatizava que não há liberdade onde não existe igualdade.
  • 8. O Estado para Karl Marx (1818-1883) Rejeição categórica à concepção de Estado como agente da "sociedade como um todo", bem como da possibilidade da existência de um "interesse nacional". base da sociedade, da sua formação, das instituições e regras de funcionamento, das idéias e dos valores são as condições materiais, ou seja, as relações sociais de produção. Estado -compreendido como uma estrutura de poder que aglutina, sintetiza e coloca em movimento a força política da classe dominante.  Estado moderno: um comitê para administrar os assuntos comuns da burguesia, o que o torna um mecanismo destinado a reprimir a classe oprimida e explorada.
  • 9. O Estado para Karl Marx (18181883)  O Estado consiste, também, numa organização burocrática, isto é, um conjunto de instituições e organismos, ramos e sub-ramos, com suas respectivas burocracias, que exerce a dominação das classes exploradas, por meio do jogo institucional de seus aparelhos.  Deste modo, em condições historicamente determinadas, o Estado desempenha a função de reprodutor das relações econômicas e políticas de classe.  No pensamento marxista, o Estado molda a sociedade.  Visto que não existe organização social sem Estado, pelo menos após a divisão da sociedade em classes antagônicas, esse Estado é sempre aquele que traduz o pensamento dos dominantes, ou seja, aquele que constrói as condições para o máximo desenvolvimento daquelas classes.
  • 10. Estado para Antonio Gramsci (1891-1937)  Impossibilidade, exceto nas ditaduras, da existência do domínio bruto de uma classe social sobre a outra, por meio, apenas, do Estado-coerção.  Uma classe dominante, para assegurarse como dirigente, deve construir um conjunto de alianças e obter o consenso passivo das classes e camadas dirigidas.  A classe dominante, muitas vezes, sacrifica parte dos seus interesses imediatos e supera o horizonte corporativo, na busca de articular alianças e construir uma hegemonia ética e política.
  • 11. Para Antonio Gramsci (18911937)  Conceito de Estado ampliado: composto por dois segmentos distintos, a sociedade política e a sociedade civil.  Ambos atuam com a mesma finalidade: manter e reproduzir a dominação da classe hegemônica.  O conceito de sociedade civil e sociedade política é fundamental para compreendermos o que vem a ser políticas educacionais e para situá-las interior das políticas públicas  Nas sociedades de tipo ocidental, a hegemonia (que se realiza nas diversas instâncias da sociedade civil) não pode ser negligenciada pelos grupos sociais dominados, que pretendem modificar sua condição e a assumir o comando do conjunto da sociedade.
  • 12. Para Antonio Gramsci (18911937)  É importante para as classes subalternas construir uma contra hegemonia, articulando-se para interferir nos sindicatos, partidos políticos, meios de comunicação, escolas e demais instituições que constroem a hegemonia ética e política.  É neste processo que as políticas educacionais são produzidas.  As políticas educacionais situam-se no âmbito das políticas públicas de caráter social e, como tal, não são estáticas, mas dinâmicas, ou seja, estão em constante transformação.  Para compreendê-las, é necessário entender o projeto político do Estado, em seu conjunto, e as contradições do momento histórico em questão.
  • 13. Políticas públicas       Se política fosse a arte de administrar o bem público, toda política deveria ser considrada pública ou social. Entretanto, nas sociedades em que os meios de produção são apropriados por uma determinada classe social, o Estado acaba por ser apropriado, também, por esta classe, a fim de gerir seus interesse econômicos. Na sociedade capitalista, o Estado assume a função de impulsionar a política econômica, tendo em vista a consolidação e a expansão do capital, favorecendo, assim, interesses privados, em detrimento dos interesses da coletividade. O que carateriza a política econômica é seu carater anti-social. Os efeitos gerados por esta polítca econômica concentradora de riqueza, contraditoriamente, ameçam a continuidade do sitema econômico capitalista. Para contrabalancear estes efeitos, o Estado precisa promover políticas públicas ou políticas sociais, nas áreas de saúde, habitação, assitência e previdência social, cultura e educação.
  • 14. Políticas educacionais  São emanadas do Estado, como qualquer outra política pública.  Implicam em escolhas e decisões, que envolvem indivíduos, grupos e instituições.  Não são fruto de iniciativas abstratas, mas constroem-se na correlação entre as forças sociais, que se articulam para defender seus interesses.  Para entender como se elaboram as políticas públicas, em uma determinada sociedade, é preciso analisar seus significados históricos.  Embora, nas sociedades capitalistas, o Estado esteja submetido aos interesses do capital, na organização e na administração do público, as políticas públicas são produto das lutas, pressões e conflitos entre os grupos e classes que constituem a sociedade.