SlideShare uma empresa Scribd logo
A Manicura desde a antiguidade até aos nossos dias:

      O conceito de embelezar as unhas já vem de há muitos anos
atrás. No antigo Egipto, apenas os representantes da classe alta eram
autorizados a ter unhas compridas e estas eram símbolo de
sabedoria.

       As esposas dos nobres, com longas unhas tocavam
instrumentos de cordas. Elas também pintavam as unhas com cores
brilhantes, ao contrário das classes mais baixas que apenas eram
permitidos os tons pastel.

      Nesta época eram utilizados alguns pigmentos extraídos
diretamente da natureza, como a henna de cor castanho
avermelhado era proveniente de uma planta (casca e folhas), goma
arábica de cor amarelada, esta era proveniente da árvore Acácia sob
a forma de resina, gema de ovo e o Ocre vermelho, este era um
minério extraído do solo e lavado para separar da areia e por fim
seco ao sol.

      Foi no reinado de Cleópatra, que esta mesma instaurou uma lei.
Só ela poderia pintar as unhas de vermelho, caso alguém infringisse
essa lei poderia até ser executada.

      O verniz mais parecido com o mais atual foi criado na china no
séc. III a.C. Os reis nesta altura pintavam as unhas de vermelho ou
preto como símbolo de poder.

      No Imperio Romano começa a ser valorizado o polimento das
unhas, que era geralmente feito com materiais abrasivos. A cotícula
era geralmente empurrada e cortada com instrumentos rudimentares
de metal.

      Mais tarde, em 1800 as unhas femininas apresentavam-se
curtas, moldadas com lima, levemente arredondadas e por vezes
eram perfumadas com óleo vermelho e polidas com couro macio.
Poucos anos mais tarde aparecem os instrumentos para empurrar a
cotícula em marfim, que eram mais suaves do que os anteriores.

     Desde então a preocupação com as mãos é uma prioridade que
tem vindo a aumentar ao longo dos anos.




                                                                        1
As mãos são bastantes vulneráveis, sofrem agressões diárias
devido a sua exposição constante com o meio ambiente, tais como
contacto com águas alcalinas, detergentes, frio, calor, humidade,
raios solares, entre muitos outros. Todas estas agressões promovem
o envelhecimento prematuro, a desidratação, o aparecimento de
manchas na pele e a deformação da estrutura óssea da mão.

     A evolução da manicura tem sido grande ate aos nossos dias,
desde o banho de água quente para amolecer a cutícula, a
manicura a seco com removedor de cutículas e a manicura a
quente utilizando loções específicas como emoliente e hidratante de
mãos e cutículas.



     Como definimos a manicura?

      A manicura consiste num tratamento que embeleza e cuida as
unhas e mãos. Este tratamento é constituído pela limagem da unha,
o corte da cutícula, é geralmente é acompanhado de banho de água
quente, aplicação de esfoliantes, mascaras e creme hidratante.




                                                                      2
Morfologia da Mão

      A mão é composta por um conjunto de ossos e músculos,
tendões, artérias, veias e é ainda revestida pela pele. Os músculos
estão ligados aos ossos por tendões que permitem o movimento da
mão.

      A pele sendo o órgão que reveste a mão protege-a do meio
ambiente e promove a respiração. A pele (cútis ou tez) tem como
principais funções a proteção do corpo humano, a regulação da
temperatura corporal, contem ainda uma reserva de nutrientes e
terminações nervosas sensitivas. A pele é formada por três camadas
principais: epiderme, derme, hipoderme.



                         Esquema da Pele




Epiderme




 Derme




                                                          Hipoderme ou Tecido
                                                          subcutâneo adiposo




                                                                                3
Epiderme é um estrato epitelial, que reveste exteriormente a
superfície do corpo. Esta camada é formada por várias camadas de
células mais finas, sobrepostas e organizadas em estratos. A sua
superfície é composta por células queratinizadas.

As células queratinizadas, são células mortas que se encontram neste
caso numa camada superficial da pele, estas células perderam o
núcleo e encheram-se de queratina, uma proteína resistente à água e
que forma uma barreira protetora contra as agressões do meio
ambiente, protegendo assim as células vivas que se encontram por
baixo.

Derme é a parte mais profunda da pele situada entre a epiderme e a
hipoderme. É um tecido bastante irrigado por vasos sanguíneos e
contem terminações nervosas sensitivas. A derme é constituída por
tecido conjuntivo, é onde existem as glândulas sebáceas, as
glândulas sudoríparas e se formam os pelos.

Hipoderme está situada abaixo da derme e é formado pelo tecido
adiposo ou tecido conjuntivo laxo contendo as células adiposas
(gordura).



Anexos da pele:
  1. O pêlo
  2. As unhas
  3. Glândulas sudoríparas
  4. Glândulas sebáceas


Existem dois tipos de glândulas sudoríparas:

        -   Apócrinas: situadas em zonas pilosas (axilas, zona axial,
            virilhas, zona inguinal e zona ano genital).

        -   Écrinas: distribuídas por todo nosso corpo mais
            especificamente na zona da planta dos pés e na palma da
            mão.




                                                                        4
Curiosidade!

     A pele das costas e das mãos é muito fina e macia, com
numerosas glândulas sebáceas (glândulas que produzem sebo, uma
gordura de proteção da pele), poros e glândulas sudoríparas.

      A pele da palma da mão é mais grossa e resistente. Esta é
também constituída por glândulas sudoríparas, mas ao contrário de
todas as outras partes do corpo não tem glândulas sebáceas, por
essa razão a palma da mão seca e desidrata constantemente, sendo
necessário recorrer com frequência a cremes hidratantes.




                                Músculos da Mão



      Adutor curto do Polegar                 Adutor do Mindinho ou Mínimo
      Estende o Polegar para fora             Estende o Mindinho para fora

      Flexor do curto Polegar                     Flexor do Mindinho ou Mínimo
      Flexiona o Polegar                          Flexiona o Mindinho
          Fibras Musculares                       Lombricais
                                                  Músculos que estendem
                                                  e fletem os dedos
                                                  indicador, médio, anelar e
                                                  mindinho
                     Tendão




                                                                     Fig. 1




                                                                                 5
Ossos da Mão




                                                         Fig. 2




      Os ossos do carpo são um conjunto de oito pequenos ossos
com a seguinte descrição: dispostos em duas fileiras, a primeira,
mais próxima do antebraço, constituída, pelos seguintes ossos:
escafóide; semilunar; piramidal; pisiforme, a segunda fileira é
constituída, pelos seguintes ossos: trapézio; trapezóide; capitado;
hamato.




                                                                      6
Esquema dos ossos da mão:
                                                              Fig.3




                                                 Cúbito
                  Rádio
                                                  Semilunar
            Escafóide
                                                 Piramidal
            Trapézio                             Pisiforme
                                                  Capitato
     Trapezóide                                   Hamato




O metacarpo é constituído por cinco ossos metacárpicos.



As falanges: Falange proximal ou primeira falange, falange média ou
segunda falange e falange distal ou terceira falange. O polegar tem
apenas duas falanges, a falange proximal e a falange distal.



As articulações são conexões entre duas ou mais peças esqueléticas
(ossos) ligadas entre elas por um complexo sistema de ligamentos.

As células nervosas trazem do encéfalo ordens para os músculos
executarem os movimentos e levam para o mesmo, impressões de
sensibilidade recebidas ao nível da pele, como por exemplo: dor,
calor, frio.




                                                                      7
As células responsáveis pela sensibilidade são as
terminações nervosas que se encontram ao longo de todo o nosso
corpo particularmente em número elevado na ponta dos dedos.

As artérias trazem alimento e oxigénio entre outras substâncias
dando assim energia.

As veias levam as toxinas e produtos nocivos que se acumulam
naturalmente.

      Os ligamentos são estruturas fibrosas de colagénio (tonicidade
e firmeza) flexíveis e resistentes que permitem estabelecer uma
ligação entre os ossos e os músculos.




                                                                       8
Ficha Formativ

Nome:___________________________________ Data: ________


1 – Faça a legenda correta da seguinte imagem.



                                                 1–

                                                 2–

                                                 3–

                                                 4–

                                                 5–

                                                 6–

                                                 7–

                                                 8–

                                                 9–

                                                 10 –

                                                 11 –

                                                 12 –

                                                 13 –

                                                 14 –

                                                 15 –

                                                 16 –

                                                 17 –




                                                          9
Tipos de Mão



Existem cinco tipos de mão diferentes, cada tipo de mão depende da
estrutura que ela apresenta, a nível ósseo e muscular. Pode também
dizer algumas características básicas da personalidade de cada um:


MÃO ELEMENTAR - Apresenta dedos curtos e
achatados e a palma tem um formato retangular.
A pessoa com esse tipo de mão possui raciocínio
aguçado, muita força de vontade e tem grande
capacidade para liderar nas mais variadas
situações.




MÃO QUADRADA - Possui a palma e as pontas dos
dedos retangulares. Caracterizada por uma
estrutura óssea bastante desenvolvida, aparenta
uma mão mais masculina. (É o tipo mais fácil de ser
identificado, indicando que a pessoa é um tanto
teimosa e não aceita opiniões alheias ou novidades
facilmente).




Tanto a mão Elementar como a Quadrada, a unha deve ser
limada de forma redonda ou pontiaguda para dar um efeito de
alongamento à mão. Pode usar-se verniz escuro mas com
pintura americana / italiana, para dar um efeito unha
alongada.




                                                                     10
MÃO INTUITIVA - Formato delicado,
dedos finos e longos, palma estreita. Este
tipo de mão indica uma pessoa tímida e
bastante idealista, que sonha com uma vida
melhor e pode, às vezes, distanciar-se da
realidade. Sua forte sensibilidade pode ser
útil em profissões ligadas às artes visuais,
como arquitetura, fotografia e desenho.




MÃO FILOSÓFICA - Dedos longos, de juntas
marcantes e irregulares, palma retangular e
de ossos grandes. Esta mão revela uma
pessoa sábia e que se interessa em conhecer
a fundo os mais variados assuntos: religião,
política, o sentido da vida.




MÃO CÔNICA - Levemente arredondada, de
dedos finos de pontas também arredondadas,
esta mão demonstra uma pessoa muito hábil
para as artes em geral, e também muito
comunicativa.


Nas mãos finas e compridas: as unhas não
devem ser pontiagudas, a limagem de formato
quadrado ou redondo dá-lhes um efeito de
unha menos estreita. Pode optar por uma maquilhagem normal com
vernizes te tons vivos ou manicura francesa.




                                                                 11
Anatomia e estrutura da unha



      A unha é uma estrutura composta por queratina e encontra-se
na ponta dos dedos dos primatas. A unha é produzida por glândulas
existentes na sua base que produzem camadas de queratina, que se
mantêm fixadas à pele até a sua extremidade. A queratina é uma
proteína composta por aminoácidos como metionina e cisteína.

      Nos humanos, as unhas protegem as extremidades dos dedos,
são reduzidas, arredondadas e quadradas, o que favorece a precisão
na manipulação de objetos com a ponta dos dedos.



                         Esquema da Unha


                                                           5
                                 1
                                                  4


                                     2


                             3




1 – Borda Livre – é a margem livre ou limite externo da unha, é a
parte da unha que se estende além do dedo. Nesta parte da unha não
existem terminações nervosas, logo não sentimos dor ao cortá-la.

2 – Corpo da Unha - ou lâmina ungueal é a parte que nós chamamos
de unha, a porção rígida e translúcida, composta de queratina.

3 – Lúnula – é a meia-lua de cor branca, a lúnula é o resultado da
queratinização parcial das células nesta zona.

4 e 5 – Raiz da Unha ou matriz – é a porção da unha que fica
debaixo de uma dobra de pele junto á cutícula.




                                                                     12
hiponíquio




eponíquio




                         13
O leito da unha divide-se em duas partes: a posterior ou matriz e a
anterior ou distal.



Matriz da unha: É a parte mais interna, cuja função é renovar as
células, contribuindo assim, para o crescimento, saúde e beleza da
unha.

As células da matriz dividem-se e migram para a raiz da unha, lá
diferenciam-se e produzem a queratina da unha. A constante adição
de novas células e a sua produção de queratina são responsáveis pelo
crescimento da unha. Esta, à medida que vai crescendo, “desliza”
sobre o leito ungueal.

Leito Ungueal: É a superfície epidérmica que serve de suporte e
sobre a qual assenta a lâmina. A lâmina e o leito ungueal envolvem-
se um no outro e crescem juntos.

Vale da unha: É o sulco formado entre as laterais da unha e a pele
do dedo.

Corpo da unha ou lâmina: É a unha propriamente dita, ou a parte
aderida, através da sua transparência visualizamos o leito ungueal.

Raiz da unha: É a porção da unha que fica incluída debaixo de uma
dobra de pele. As células do leito ungueal situam-se sob a raiz da
unha.

Lúnula ou meia-lua: É a coloração branca de forma semicircular, a
qual é desprovida de vasos capilares. É a linha de divisão entre os
tecidos celulares e a unha.

Margem oculta: É a borda ou limite da unha onde se encontra a
raiz.

Margem lateral: são as bordas ou limites laterais da unha, e que
“mergulham” na pele do dedo, formando os vales das unhas. A
margem lateral é fortemente aderida sob a dobra de pele, à
semelhança da raiz da unha.

Margem livre: É ponta ou limite externo da unha, é a parte que
costumamos cortar, limar ou polir.




                                                                       14
Perioníquio: É o espessamento da epiderme na margem lateral das
unhas.

Eponíquio: É a borda da dobra cutânea que cobre a raiz da unha-
também conhecida por cutícula. Previne a raiz da unha de infeções.

Hiponíquio: É o espessamento da epiderme que se une à borda livre
da placa ungueal, sob a sua superfície inferior.



Velocidade de crescimento da unha:

      O crescimento da unha é continuo, faz-se a partir da matriz em
direção ao bordo livre.
O tempo normal de crescimento de uma unha desde a matriz ao
bordo livre é de 125 a 180 dias, este período pode estar sujeito a
algumas alterações como a idade e o clima.
Em média, as unhas crescem 0.1 mm ao dia, sendo o crescimento
mais rápido no verão do que no Inverno. O crescimento das unhas
das mãos é mais rápido do que nas unhas dos pés.



Tipos de unha:

      A unha pode ser normal rosada, pouco brilhante, com ligeira
curvatura, côncava ou muito curvada no corpo da unha.
O crescimento da unha varia, de pessoa para pessoa, mas é sempre
contínuo. É determinado por vários fatores: idade, hereditariedade,
meio ambiente, condições de saúde e regime alimentar.

Normal - Apresenta-se lisa, rosada, pouco brilhante e com ligeira
curvatura.

Côncava - Apresenta uma exagerada curvatura na zona do corpo da
  unha.

Achatada - Não apresenta curvatura, é direita e encontra-se mais
            frequentemente numa mão larga e quadrada.

Hipocrática - Apresenta deformações, geralmente em forma de bico.
               Assenta geralmente num dedo grosso e largo.




                                                                       15
As anomalias das unhas revelam-se em lesões de intensidade
variável. Exprimem frequentemente aspetos significativos da vida
profissional, ocupações, hábitos e condições de saúde do indivíduo.



Consistência e anomalia da unha:


Uma unha normal é de consistência sólida sem ser muita dura.
Representa um perfeito equilíbrio orgânico.
Unhas moles: São finas e moles, muito frágeis, dobram como folha
de papel.

Unhas secas: São as que lascam ao menor contacto e a sua superfície
pode ser rugosa.

Unhas duras: Nesta situação a queratina encontra-se impregnada de
calcário.

Unhas friáveis: Estas são capazes de se reduzirem em pó. Aparecem
frequentemente a par de problemas do sistema nervoso podendo ter
origem num mau funcionamento glandular.

Unhas frágeis, quebradiças: Pode ser causado por dissolventes
orgânicos ou uma exposição a produtos agressivos tal como os de
cabeleireiro e de limpeza.



A nutrição do nosso organismo revela-se nos ossos e nas
unhas:

- Alimentos ricos em cálcio: peixe, bacalhau, moluscos, leite, legumes e
frutos secos, azeitonas, chocolate, gelatina, sardinhas, mariscos, repolho
fresco e nabiças.

- Alimentos ricos em fósforo: carnes, fígado, peixe, crustáceos, ovos, leite,
queijos, legumes, frutos secos, aves, cereais de trigo integral e castanhas.

- Alimentos ricos em magnésio: cereais de trigo integral, castanhas, carnes,
leite, vegetais verdes e legumes.

- Alimentos ricos em sódio: sal da cozinha (comum), alimentos do mar,
alimentos de carne animal, leite e ovos.




                                                                                16
Unhas e Dietética

Cálcio- Indispensável para a consistência da unha

Iodo- Importante no crescimento da unha.

Ferro- Importante para a oxigenação dos tecidos.

Cobre- Importante na consistência da unha.

Silício- Importante na consistência da unha.

Vitamina A- Torna a unha mais sólida e ajuda no crescimento.

Vitamina B- Evita afeções na pele e seus anexos.

Vitamina C- aumenta a resistência do organismo às afeções. Ajuda na
formação dos ossos, dentes e tecido conjuntivo geral.

Vitamina D- Muito importante, porque permite a fixação do cálcio nos
ossos.




                                                                       17
Patologias da Unha

      As unhas pela sua particular localização estão sujeitas a
influências exteriores e interiores, às quais adicionamos os
traumatismos habituais do dia-dia. As unhas amortecem estes
traumatismos em virtude da sua função específica, a proteção. Mas a
proteção depende muito da sua vitalidade, do sistema cardiovascular
e da nutrição tecidual da ponta dos dedos.

      As alterações das unhas revelam-se em lesões de intensidade
variável e exprimem frequentemente os aspetos significativos da vida
profissional, ocupações, hábitos e condições de saúde.




O que são Micoses superficiais da pele?

As micoses superficiais da pele, também chamadas de “tíneas” são
infeções causadas por fungos que atingem a pele, as unhas e os
cabelos. Os fungos estão em toda a parte podendo ser encontrados
no solo e em animais. Até mesmo na nossa pele existem fungos
convivendo pacificamente connosco, sem causar doenças. A
queratina, substancia encontrada na superfície cutânea, unhas e
cabelo é o seu alimento. Quando encontram condições favoráveis ao
seu crescimento, como o calor, humidade, baixa de imunidade ou o
uso de antibióticos sistémicos por longo prazo (alteram o equilíbrio da
pele), estes fungos reproduzem-se e passam a causar doenças.




                                                                          18
Manifestações Clinicas:

Existem, varias formas de manifestação das micoses cutâneas
superficiais, dependendo do local afetado e do tipo de fungo causador
da micose.

Tínea das unhas (onicomicose) – Apresentam-se várias formas:



     Descolamento do bordo livre (geralmente inicia-se pelos
      cantos e fica ôca).




     Espessamento das unhas, estas ficam endurecidas e grossas,
      pode ser acompanhado de dor e levar ao aspeto tipo “telha”.




                                                                        19
   Leuconíquia, manchas brancas na superfície.
     Deformação da unha, esta fica frágil, quebradiça, parte-se nas
    porções anteriores, ficando deformada.




   Quando a micose atinge a pele em redor da unha causa a
    paroníquia (unheiro). O contorno ungueal fica inflamado,
    dolorido, inchado e avermelhado e por consequência altera o
    crescimento da unha que cresce ondulada.




                                                                      20
   Pé de atleta é considerado uma “tínea” dos pés causa
       descamação e comichão na planta dos pés sobe pelas laterais
       para a pele mais fina. Pode aparecer nas mãos também, mas é
       mais comum nos pés devido às boas condições para gerar
       fungos (calor e humidade).




As unhas devem ser inspecionadas e palpadas através da compressão
do bordo livre, verificando:
   a) Cor
   b) Forma
   c) Resistência e espessura
   d) Cutícula



                             Tratamento
       Os medicamentos utilizados para tratamento podem ser de uso
local, sob a forma de cremes, solução ou vernizes. Os casos mais
avançados podem necessitar de tratamento via oral, sob a forma de
comprimidos. Os sinais de melhora demoram a aparecer, pois
dependem do crescimento da unha que pode ser muito lento. A unha
estando doente pode levas até 12 meses para se renovar totalmente
e o tratamento deve ser mantido durante todo este tempo. A
persistência é fundamental para o sucesso do tratamento.

     O tipo de tratamento vai depender da extensão da micose e
deve ser determinado por um médico dermatologista. Evitar usar
medicamentos aconselhados por outras pessoas, pois podem
camuflar as características importantes do diagnóstico, dificultando
assim o tratamento.




                                                                       21
Higiene

Higiene – “Higiene é um conjunto de conhecimentos e técnicas para
evitar doenças infecciosas usando desinfecção, esterilização e outros
métodos de limpeza com o objectivo de conservar e fortificar a
saúde. De origem grega (υγιεινή [τέχνη] (hygieiné [téchne])) que
significa hygeinos, ou o que é saudável. É derivada da deusa grega
da saúde, limpeza e sanitariedade, Hígia.”
                                        Wikipédia, a enciclopédia livre



Princípios indispensáveis na higiene das mãos:

      A falta de higiene das mãos é um meio muito eficaz para a
       propagação de uma infeção, por essa razão não podemos
       descuidar a lavagem e desinfeção das mãos.

      Manter as unhas curtas e limpas, evita que as bactérias se
       desenvolvam debaixo da unha. A maior parte das bactérias que
       colonizam as mãos, encontram-se debaixo das unhas e das
       cutículas.

      Lavar, desinfetar e fazer sempre penso nas pequenas feridas é
       uma obrigação. As lesões da pele são perigosas para a
       profissional e para o cliente.

      Utilizar sempre um antissético para desinfetar as mãos antes e
       depois de qualquer trabalho.

      Secar sempre bem as mãos com uma toalha limpa e bem seca
       ou uma toalha descartável. As mãos húmidas favorecem o
       desenvolvimento de bactérias.

      As luvas são utilizadas uma única vez, não havendo qualquer
       tipo de reutilização.




                                                                          22
Como devemos lavar as mãos!




                              23
Riscos de contágio em estética:
- A cliente pode ser portadora de bactérias patogénicas.

- A cliente pode ser portadora de vírus e não saber ou não querer dizer
ignorando o perigo de transmissão.

- O profissional também pode ser a causa da transmissão de bactérias ou
vírus.



A contaminação pode ser:

Direta - Uma cliente pode contaminar a profissional pelo contacto da pele,
de uma lesão, de um instrumento ou uma superfície contaminada.

Cruzada – A profissional utiliza numa cliente, um instrumento contaminado
por outra cliente. A profissional não é contaminada mas é responsável pela
transmissão dos germes entre duas pessoas. Os instrumentos podem estar
contaminados com fungos, sangue ou outros líquidos biológicos.



Microrganismos que podem ser transmitidos:

Hepatite (vírus) – Transmissão por sangue ou saliva – Transmitido por
utensílios ou lesões.

Herpes (vírus) - Transmissão por pele e feridas – Transmitidos por
utensílios, contacto com feridas e saliva.

HIV (SIDA) (vírus) - Transmissão por sangue e contacto com lesões -
Transmitido por utensílios, sangue ou linfa.

Pé de Atleta (fungo ou micose) – Transmissão por pele




                                                                             24
HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO
      O material utilizado durante o trabalho, deve estar
sempre devidamente desinfetado e esterilizado antes de cada
utilização.

A profissional deve usar sempre luvas para proteção, desta
forma protege-se e protege também a cliente, dos micróbios
ou microrganismos patogénicos que se transmitem aos outros
(pacientes ou clientes) através das mãos. Algumas destas
bactérias são os Estafilococos, Bacilos Gram-negativos,
Dermatófitos e Fungos e os Vírus.



Riscos de contaminação em Estética:

- A cliente pode ser portadora de germes patogénicos.

- A cliente pode saber mas não o dizer, pode ignorar o perigo de
transmissão.

- O próprio profissional pode ser a causa da transmissão de germes
patológicos.

A contaminação pode ter duas origens:

Direta- uma cliente pode contaminar a profissional pelo contacto da
pele, de uma lesão, de um instrumento ou através de uma superfície
contaminada.

Cruzada- o profissional utiliza numa cliente um instrumento
contaminado por outra cliente; o profissional não foi atingido, mas é
diretamente responsável pela transmissão dos germes entre duas
pessoas.

Os meios para a contaminação podem ser:

- As mãos e a pele,

- Os utensílios a utilizarem

- As superfícies

- O sangue e outros líquidos biológicos.



                                                                        25
Aparelhos de desinfeção e esterilização

Desinfetar: Evitar a infeção suprimindo a causa.

Esterilização: Ação ou efeito de esterilizar. É o meio pelo qual se
priva qualquer objeto dos germes que contém. Os principais meios de
que nos servimos são o calor húmido, e os anti sépticos.



Autoclave

É o aparelho utilizado para esterilizar material metálico, através de
calor húmido sob pressão. Mediante a aplicação de calor húmido a
esterilização é possível, a uma temperatura de 130 graus durante 15
minutos. No fim de esterilizado o material deve ser colocados em
mangas próprias e embalado.



Esterilizador de calor seco ou Forno

Implica a utilização do forno de Pasteur que funciona com ar quente e
que serve basicamente para esterilizar objetos de metal ou de vidro,
previamente limpos, e secos. De uma maneira geral a esterilização é
possível mediante a aplicação de calor seco, a uma temperatura de
170 C durante uma hora.



Germicidas

Líquidos antissépticos que são diluídos em água, estes líquidos são
utilizados para objetos não metálicos.



Atenção!

Todos os objetos que se utilizem com o paciente/cliente,
devem ser descartáveis ou esterilizados.




                                                                        26
Preenchimento da ficha de cliente de Manicura
      Nesta fiche de cliente devem constar dados importantes sobre a
cliente para que, possamos fazer uma análise detalhada de alguns
possíveis problemas de saúde e guardar os seus dados pessoais, para
possível envio de correspondência, oferta de vouchers no seu
aniversário, entre outros.

Dados pessoais:

Nome: _________________________________________________

Morada: ________________________________________________

Código – Postal: _______-____

Tlm: ___________________ Tel.: _________________

e-mail:_______________________

Data de nascimento: ____ -____ -____

Profissão: ______________________



Dados Clínicos:

Problemas de tiróide: ______________

Diabetes: _____________

Hemofilia: ____________

Cardiopatias: __________

H.I.V: __________

Hepatites: __________ Qual? __________ Desde: __________

Epilepsia: __________

Particularidades especificas: __________

Intervenções cirúrgicas: __________

Alergias: _________

Implante cardíaco: ____________

Implante metálico: ____________




                                                                       27
Hábitos alimentares: ______________________________________

Medicamentos: __________________________________________
Quais? __________________________________



Objetivo do tratamento:

_______________________________________________________

Tipo de pele: ____________________________________________

Manicura: _______________________________________________

Alteração da unha: ________________________________________

Patologias da unha: _______________________________________

_______________________________________________________



Técnica especializada: _______________ Data: _____/_____/_____



Cliente: _____________________________




                                                                 28
Manicura

Posto de Trabalho:

O posto de trabalho deve-se encontrar perfeitamente organizado,
tendo em conta a higiene e separando o material necessário para
realizar o tratamento.
Higienizar o material, tendo como prioridade a assepsia e a
esterilização.



Competências da Manicura:

- Receção da cliente;
- Instalação da cliente;
- Preenchimento da ficha de cliente com os dados pessoais e dados
de saúde;
- Questionar sobre a manicura, tipo de tratamento a realizar;
- Higienização do material previamente esterilizado;
- Realização do tratamento;
- Aconselhamento da cliente sobre os produtos que deve usar.



O que deve conter o posto de trabalho?

-   Todos os utensílios respetivamente esterilizados ou descartáveis;
-   Recipiente com água morna ou removedor de cutículas;
-   Creme hidratante
-   Removedor de verniz
-   Algodão
-   Tissues
-   Verniz a utilizar
-   Tesoura de unhas
-   Alicate de cutículas
-   Lima de cartão ou de metal
-   Pau de laranjeira
-   Toalha




                                                                        29
Tipos de Manicura

Manicura tradicional – No tratamento de manicura tradicional é
utilizada água morna, com o objetivo de amolecer as cutículas, bem
como creme gordo à volta destas, para maximizar esse efeito.



Manicura com removedor de cutículas – Neste tratamento não se
utiliza água com o objetivo de amolecer as cutículas, mas sim
removedor de cutículas que pode ter textura de creme, fluido, gel ou
aquoso. A aplicação é feita diretamente na cutícula ou embebendo
algodão em removedor e colocando sobre a cutícula.


Manicura a quente – Neste tipo de manicura, as pontas dos dedos são
mergulhados numa loção hidratante que é aquecida na taça de
manicura, a taça de manicura é elétrica e aquece a loção. As
cutículas são empurradas e removidas da mesma forma que na
manicura tradicional.




                                                                       30
Cosméticos para Unhas

Endurecedores- São usados para aumentar a resistência de unhas
quebradiças e permitir que a unha alcance um comprimento maior
antes de quebrar.

Base- Serve de protetor da unha contra os corantes (pigmentos) que
contém os vernizes.

Removedor de verniz- Utiliza-se para retirar o verniz da unha.

Removedor de cutículas- Dissolvem o excesso de pele na cutícula
da unha.

Vernizes- São produtos de utilização tópica (superficial) para cobrir
ou proteger a lâmina ungueal ou veicular medicamentos. Os vernizes
impermeabilizam a unha da água e consequentemente também a
transpiração cutânea, assim, os vernizes oferecem boas condições
para penetração de medicamentos na pele, quando neles estejam
incorporados.



A manicura deve ser sempre realizada segundo alguns
critérios:
    O tipo de mão da cliente
    Estado de saúde da unha
    Formato da unha
    Gosto pessoal da cliente.




                                                                        31
SEQUÊNCIA DE TRABALHO DE MANICURA TRADICIONAL
  1-  Analisar as mãos da cliente
  2-  Desinfetar as mãos da cliente
  3-  Retirar o verniz (se necessário) com removedor de verniz
  4-  Questionar cliente sobre o comprimento das unhas e a limagem das unhas, tipo
      de maquilhagem
  5- Cortar as unhas se necessário
  6- Limar as unhas (inicia-se sempre pela mão esquerda, e pelo 5º dedo -
      mindinho)
  7- Colocar a mão esquerda em água quente contendo líquido antibacteriano, com
      o creme à volta das cutículas
  8- Cortar (se necessário) e limar as unhas da mão direita
  9- Retirar a mão esquerda de molho e enxaguá-la com um toalhete limpo
  10- Proceder ao afastamento das cutículas com, o empurra peles metálico ou pau
      de laranjeira

  11- Com ajuda de um alicate previamente higienizado, cortar o excesso de cutícula
      – “ espigões” ao nível da lateral da unha, junto da prega ungueal se necessário;

  12- Polir a unha (se necessário) para homogeneizar as suas irregularidades
  13- Aplicar exfoliante e massajar suavemente para remover as células mortas.
  14- Aplica-se um pouco de óleo em cima de cada unha à volta das cutículas e nas
      costas das mãos um creme hidratante
  15- Faz-se a massagem na mão que vai até ao antebraço, esta é importante para
      ativar toda a região linfática e circulação sanguínea, assim como para o
      relaxamento da cliente
  16- Procede-se da mesma forma com a mão direita
  17- Podemos nesta faze aplicar uma mascara de alginatos, parafina ou outras de
      acordo com as necessidades da pele da cliente.




                                                                                         32
18- Com um toalhete limpo retira-se o excesso de creme na unha e procede-se à
    maquilhagem da mesma:

       a. Aplicação do endurecedor (se se justificar)
       b. Aplicação da base
       c. Aplicação do verniz, tendo em conta o tipo de unha e gosto da cliente
          Aplicar sempre 1a e 2a camada

       d. Terminar com secante em verniz, óleo ou em spray

19- Aplica-se o verniz, pincela-se a parte central da unha e depois de um lado e do
    outro, sem excesso para não formar grumos.
20- Nota: A aplicação da base e do verniz é sempre iniciada pelo dedo mindinho (5º
    dedo), terminando no dedo polegar (1º dedo).
21- Caso se tenha pintado em volta da unha, deve-se proceder á sua remoção com
    um pau de laranjeira envolvido em algodão, que esteja embebido em
    dissolvente.




                                                                                      33
Massagem da mão e antebraço

Afloramento geral – Mão e antebraço 3x

Afloramento do antebraço 1x

Bombeamento no antebraço 3x

Fricção digital no antebraço 3x

Movimento nodular no antebraço 3x

Deslizamento nodular 3x

Abertura palmar da mão 3x

Movimento nodular na mão 3x

Fricção palmar 3x

Abertura dorsal da mão 3x

Fricção dos interósseos 3x em cada interósseo

Rotação e estiramento dos dedos - 1 rotação para a esquerda, 1 para a
direita e estiramento do dedo – 1x em cada dedo

Afloramento geral – Mão e antebraço

Rotação do pulso




                                                                        34

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual estética revisado 11set13
Manual estética revisado 11set13Manual estética revisado 11set13
Manual estética revisado 11set13
DAYANE SANTOS
 
Fisioterapia Dermato Funcional
Fisioterapia Dermato FuncionalFisioterapia Dermato Funcional
Fisioterapia Dermato Funcional
Welisson Porto
 
Apostila depilação
Apostila depilaçãoApostila depilação
Apostila depilação
Apostila-Depilacao
 
Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno
Amanda Hamaue
 
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexosAula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Hamilton Nobrega
 
62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Aula cosmetologia pele
Aula cosmetologia   peleAula cosmetologia   pele
Aula cosmetologia pele
Lucia Flegler
 
depilacao
depilacaodepilacao
depilacao
Gracy Normandia
 
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologiaAula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
Romeu Abdala
 
Apostila tricologia
Apostila tricologiaApostila tricologia
Apostila tricologia
Norocha
 
O alta freqüência.
O alta freqüência.O alta freqüência.
O alta freqüência.
Míriam Ferreira
 
Pedras bambu e argila
Pedras bambu e argilaPedras bambu e argila
Pedras bambu e argila
Super Senha Amanda Paz
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
Bosco Magalhaex
 
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEALESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
Dermato funcional
Dermato funcional Dermato funcional
Dermato funcional
Breno Luan
 
247024699 depilacao-apostila-de-depilacao-faetec
247024699 depilacao-apostila-de-depilacao-faetec247024699 depilacao-apostila-de-depilacao-faetec
247024699 depilacao-apostila-de-depilacao-faetec
Marina Leal
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
Marciomimoto
 
Introducao.dermato funcional
Introducao.dermato funcionalIntroducao.dermato funcional
Introducao.dermato funcional
Nathanael Amparo
 
Seminário 04: Envelhecimento cutâneo
Seminário 04: Envelhecimento cutâneoSeminário 04: Envelhecimento cutâneo
Seminário 04: Envelhecimento cutâneo
Alexandre H.P. Ferreira
 
Pele
PelePele

Mais procurados (20)

Manual estética revisado 11set13
Manual estética revisado 11set13Manual estética revisado 11set13
Manual estética revisado 11set13
 
Fisioterapia Dermato Funcional
Fisioterapia Dermato FuncionalFisioterapia Dermato Funcional
Fisioterapia Dermato Funcional
 
Apostila depilação
Apostila depilaçãoApostila depilação
Apostila depilação
 
Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno
 
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexosAula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
 
62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia
 
Aula cosmetologia pele
Aula cosmetologia   peleAula cosmetologia   pele
Aula cosmetologia pele
 
depilacao
depilacaodepilacao
depilacao
 
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologiaAula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
 
Apostila tricologia
Apostila tricologiaApostila tricologia
Apostila tricologia
 
O alta freqüência.
O alta freqüência.O alta freqüência.
O alta freqüência.
 
Pedras bambu e argila
Pedras bambu e argilaPedras bambu e argila
Pedras bambu e argila
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
 
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEALESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
ESTRUTURA DA LÂMINA UNGUEAL
 
Dermato funcional
Dermato funcional Dermato funcional
Dermato funcional
 
247024699 depilacao-apostila-de-depilacao-faetec
247024699 depilacao-apostila-de-depilacao-faetec247024699 depilacao-apostila-de-depilacao-faetec
247024699 depilacao-apostila-de-depilacao-faetec
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
 
Introducao.dermato funcional
Introducao.dermato funcionalIntroducao.dermato funcional
Introducao.dermato funcional
 
Seminário 04: Envelhecimento cutâneo
Seminário 04: Envelhecimento cutâneoSeminário 04: Envelhecimento cutâneo
Seminário 04: Envelhecimento cutâneo
 
Pele
PelePele
Pele
 

Destaque

Anaminese
AnamineseAnaminese
Anaminese
Ana Cunha
 
Unhas de Gel
Unhas de GelUnhas de Gel
Unhas de Gel
complementoindirecto
 
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
adrianapolonio
 
Ficha de anamnese corporal
Ficha de anamnese corporalFicha de anamnese corporal
Ficha de anamnese corporal
luiz1964
 
Unhas de gel
Unhas de gelUnhas de gel
Unhas de gel
Srsecretnails Sonia
 
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESETRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
Silvio Araújo
 
Ficha de anamnese facial
Ficha de anamnese facialFicha de anamnese facial
Ficha de anamnese facial
Ga2013
 
11 treinamento - anamnese
11   treinamento - anamnese11   treinamento - anamnese
11 treinamento - anamnese
Federação Cearense De Ciclismo
 
Kit equipamentos
Kit equipamentosKit equipamentos
Tabela 2012 pequenos sevicos estetica40%
Tabela 2012 pequenos sevicos estetica40%Tabela 2012 pequenos sevicos estetica40%
Tabela 2012 pequenos sevicos estetica40%
Tecnitalentos Academia de Cabeleireiro e Estética
 
Calendário formação 2013
Calendário formação 2013Calendário formação 2013
Manicure e pedicure
Manicure e pedicureManicure e pedicure
Manicure e pedicure
Camila Macedo
 
Tabela precos
Tabela precosTabela precos
Packs formação co-financiada
Packs formação co-financiadaPacks formação co-financiada
Kit epilação
Kit epilaçãoKit epilação
Atendimento estetica 2012
Atendimento estetica 2012Atendimento estetica 2012
Novas tecnologias no contexto profissional
Novas tecnologias no contexto profissionalNovas tecnologias no contexto profissional
Novas tecnologias no contexto profissional
Isabel Lemos Lemos
 
Trabalho de Manicura e pedicura
Trabalho de Manicura e pedicuraTrabalho de Manicura e pedicura
Trabalho de Manicura e pedicura
sofia208c
 
Manicure classificação unhas e mãos
Manicure   classificação unhas e mãosManicure   classificação unhas e mãos
Manicure classificação unhas e mãos
Paula Rachado
 

Destaque (20)

Anaminese
AnamineseAnaminese
Anaminese
 
Unhas de Gel
Unhas de GelUnhas de Gel
Unhas de Gel
 
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
 
Ficha de anamnese corporal
Ficha de anamnese corporalFicha de anamnese corporal
Ficha de anamnese corporal
 
Unhas de gel
Unhas de gelUnhas de gel
Unhas de gel
 
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESETRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
 
Ficha de anamnese facial
Ficha de anamnese facialFicha de anamnese facial
Ficha de anamnese facial
 
11 treinamento - anamnese
11   treinamento - anamnese11   treinamento - anamnese
11 treinamento - anamnese
 
Kit equipamentos
Kit equipamentosKit equipamentos
Kit equipamentos
 
Tabela 2012 pequenos sevicos estetica40%
Tabela 2012 pequenos sevicos estetica40%Tabela 2012 pequenos sevicos estetica40%
Tabela 2012 pequenos sevicos estetica40%
 
Calendário formação 2013
Calendário formação 2013Calendário formação 2013
Calendário formação 2013
 
Manicure e pedicure
Manicure e pedicureManicure e pedicure
Manicure e pedicure
 
Tabela precos
Tabela precosTabela precos
Tabela precos
 
Regulamento Interno de Funcionamento
Regulamento Interno de FuncionamentoRegulamento Interno de Funcionamento
Regulamento Interno de Funcionamento
 
Packs formação co-financiada
Packs formação co-financiadaPacks formação co-financiada
Packs formação co-financiada
 
Kit epilação
Kit epilaçãoKit epilação
Kit epilação
 
Atendimento estetica 2012
Atendimento estetica 2012Atendimento estetica 2012
Atendimento estetica 2012
 
Novas tecnologias no contexto profissional
Novas tecnologias no contexto profissionalNovas tecnologias no contexto profissional
Novas tecnologias no contexto profissional
 
Trabalho de Manicura e pedicura
Trabalho de Manicura e pedicuraTrabalho de Manicura e pedicura
Trabalho de Manicura e pedicura
 
Manicure classificação unhas e mãos
Manicure   classificação unhas e mãosManicure   classificação unhas e mãos
Manicure classificação unhas e mãos
 

Semelhante a Tecnicas de Manicura, por Daniela Ramos

UFCD-pele e a sua integridade - ensino profissional.pdf
UFCD-pele e a sua integridade -  ensino profissional.pdfUFCD-pele e a sua integridade -  ensino profissional.pdf
UFCD-pele e a sua integridade - ensino profissional.pdf
Isaura Mourão
 
Siste teg
Siste tegSiste teg
Siste teg
0jorge321
 
aula 2 AFH SO.pdf
aula 2 AFH  SO.pdfaula 2 AFH  SO.pdf
aula 2 AFH SO.pdf
ALBANOJOAQUIM
 
Aula 02 Sistema Tegumentar (1).pp ANATOMIAtx
Aula 02 Sistema Tegumentar (1).pp ANATOMIAtxAula 02 Sistema Tegumentar (1).pp ANATOMIAtx
Aula 02 Sistema Tegumentar (1).pp ANATOMIAtx
JordevBarbosa
 
2.sistema tegumentar
2.sistema tegumentar2.sistema tegumentar
2.sistema tegumentar
Natha Fisioterapia
 
Anatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar.pptx
Anatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar.pptxAnatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar.pptx
Anatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar.pptx
larissamorais90
 
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Jauru Freitas
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
Osmilde Lavigne Gaspar
 
Corpo
CorpoCorpo
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edducApostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
edduc
 
Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4
André Fidelis
 
Sistema tegumentar 2015
Sistema tegumentar 2015Sistema tegumentar 2015
Sistema tegumentar 2015
ReginaReiniger
 
Telecurso 2000 aula 38 por que o sol queima a nossa pele
Telecurso 2000 aula 38   por que o sol queima a nossa peleTelecurso 2000 aula 38   por que o sol queima a nossa pele
Telecurso 2000 aula 38 por que o sol queima a nossa pele
netoalvirubro
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
Maisa Bruna
 
123 gd de entomologia12
123 gd de entomologia12123 gd de entomologia12
123 gd de entomologia12
Alinne Barreto
 
Anatomofisiologia da Pele_Dra. Rossana Magalhães
Anatomofisiologia da Pele_Dra. Rossana MagalhãesAnatomofisiologia da Pele_Dra. Rossana Magalhães
Anatomofisiologia da Pele_Dra. Rossana Magalhães
LAFID PUC-GOIÁS
 
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e UnhasAula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Herbert Cristian de Souza
 
Capítulo 5 sistema tegumentar
Capítulo 5   sistema tegumentarCapítulo 5   sistema tegumentar
Capítulo 5 sistema tegumentar
Ligia Maria Moura
 
apostila2.pdf
apostila2.pdfapostila2.pdf
apostila2.pdf
Gi Lorenzo
 
Apostila Peeling de Verão - Edduc
Apostila Peeling de Verão - EdducApostila Peeling de Verão - Edduc
Apostila Peeling de Verão - Edduc
edduc
 

Semelhante a Tecnicas de Manicura, por Daniela Ramos (20)

UFCD-pele e a sua integridade - ensino profissional.pdf
UFCD-pele e a sua integridade -  ensino profissional.pdfUFCD-pele e a sua integridade -  ensino profissional.pdf
UFCD-pele e a sua integridade - ensino profissional.pdf
 
Siste teg
Siste tegSiste teg
Siste teg
 
aula 2 AFH SO.pdf
aula 2 AFH  SO.pdfaula 2 AFH  SO.pdf
aula 2 AFH SO.pdf
 
Aula 02 Sistema Tegumentar (1).pp ANATOMIAtx
Aula 02 Sistema Tegumentar (1).pp ANATOMIAtxAula 02 Sistema Tegumentar (1).pp ANATOMIAtx
Aula 02 Sistema Tegumentar (1).pp ANATOMIAtx
 
2.sistema tegumentar
2.sistema tegumentar2.sistema tegumentar
2.sistema tegumentar
 
Anatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar.pptx
Anatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar.pptxAnatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar.pptx
Anatomia e Fisiologia do Sistema Tegumentar.pptx
 
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
 
Corpo
CorpoCorpo
Corpo
 
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edducApostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
 
Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4
 
Sistema tegumentar 2015
Sistema tegumentar 2015Sistema tegumentar 2015
Sistema tegumentar 2015
 
Telecurso 2000 aula 38 por que o sol queima a nossa pele
Telecurso 2000 aula 38   por que o sol queima a nossa peleTelecurso 2000 aula 38   por que o sol queima a nossa pele
Telecurso 2000 aula 38 por que o sol queima a nossa pele
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
123 gd de entomologia12
123 gd de entomologia12123 gd de entomologia12
123 gd de entomologia12
 
Anatomofisiologia da Pele_Dra. Rossana Magalhães
Anatomofisiologia da Pele_Dra. Rossana MagalhãesAnatomofisiologia da Pele_Dra. Rossana Magalhães
Anatomofisiologia da Pele_Dra. Rossana Magalhães
 
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e UnhasAula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
 
Capítulo 5 sistema tegumentar
Capítulo 5   sistema tegumentarCapítulo 5   sistema tegumentar
Capítulo 5 sistema tegumentar
 
apostila2.pdf
apostila2.pdfapostila2.pdf
apostila2.pdf
 
Apostila Peeling de Verão - Edduc
Apostila Peeling de Verão - EdducApostila Peeling de Verão - Edduc
Apostila Peeling de Verão - Edduc
 

Mais de Tecnitalentos Academia de Cabeleireiro e Estética

Calendario 2º semestre 2013 2
Calendario 2º semestre 2013 2Calendario 2º semestre 2013 2
Posturas nos cuidados corporais
Posturas nos cuidados corporaisPosturas nos cuidados corporais
Forum pppresentation
Forum pppresentationForum pppresentation
Tabela de Serviços Estetica e Cabeleireiro
Tabela de Serviços Estetica e CabeleireiroTabela de Serviços Estetica e Cabeleireiro
Tabela de Serviços Estetica e Cabeleireiro
Tecnitalentos Academia de Cabeleireiro e Estética
 
Forum pppresentation
Forum pppresentationForum pppresentation
Menu de tratamentos person's fit
Menu de tratamentos person's fitMenu de tratamentos person's fit
Menu de tratamentos person's fit
Tecnitalentos Academia de Cabeleireiro e Estética
 
Kit Manicura Pedicura
Kit Manicura PedicuraKit Manicura Pedicura
Kit manicura
Kit manicuraKit manicura
Atendimento estetica 2012
Atendimento estetica 2012Atendimento estetica 2012
Catálogo de formação 2012
Catálogo de formação 2012Catálogo de formação 2012
Catálogo de formação 2012
Catálogo de formação 2012Catálogo de formação 2012
Ap hair new_talent-1
Ap hair new_talent-1Ap hair new_talent-1
Atendimento estetica 2012
Atendimento estetica 2012Atendimento estetica 2012
Hair Styling
Hair StylingHair Styling
Especializações em Cabeleireiro
Especializações em Cabeleireiro Especializações em Cabeleireiro
Especializações em Cabeleireiro
Tecnitalentos Academia de Cabeleireiro e Estética
 
Catalogo de formação tecnitalentos 2012
Catalogo de formação tecnitalentos 2012Catalogo de formação tecnitalentos 2012
Catalogo de formação tecnitalentos 2012
Tecnitalentos Academia de Cabeleireiro e Estética
 

Mais de Tecnitalentos Academia de Cabeleireiro e Estética (18)

Calendario 2º semestre 2013 2
Calendario 2º semestre 2013 2Calendario 2º semestre 2013 2
Calendario 2º semestre 2013 2
 
Posturas nos cuidados corporais
Posturas nos cuidados corporaisPosturas nos cuidados corporais
Posturas nos cuidados corporais
 
Tecnitalentos brochura spa
Tecnitalentos brochura spaTecnitalentos brochura spa
Tecnitalentos brochura spa
 
Menu SPA
Menu SPAMenu SPA
Menu SPA
 
Forum pppresentation
Forum pppresentationForum pppresentation
Forum pppresentation
 
Tabela de Serviços Estetica e Cabeleireiro
Tabela de Serviços Estetica e CabeleireiroTabela de Serviços Estetica e Cabeleireiro
Tabela de Serviços Estetica e Cabeleireiro
 
Forum pppresentation
Forum pppresentationForum pppresentation
Forum pppresentation
 
Menu de tratamentos person's fit
Menu de tratamentos person's fitMenu de tratamentos person's fit
Menu de tratamentos person's fit
 
Kit Manicura Pedicura
Kit Manicura PedicuraKit Manicura Pedicura
Kit Manicura Pedicura
 
Kit manicura
Kit manicuraKit manicura
Kit manicura
 
Atendimento estetica 2012
Atendimento estetica 2012Atendimento estetica 2012
Atendimento estetica 2012
 
Catálogo de formação 2012
Catálogo de formação 2012Catálogo de formação 2012
Catálogo de formação 2012
 
Catálogo de formação 2012
Catálogo de formação 2012Catálogo de formação 2012
Catálogo de formação 2012
 
Ap hair new_talent-1
Ap hair new_talent-1Ap hair new_talent-1
Ap hair new_talent-1
 
Atendimento estetica 2012
Atendimento estetica 2012Atendimento estetica 2012
Atendimento estetica 2012
 
Hair Styling
Hair StylingHair Styling
Hair Styling
 
Especializações em Cabeleireiro
Especializações em Cabeleireiro Especializações em Cabeleireiro
Especializações em Cabeleireiro
 
Catalogo de formação tecnitalentos 2012
Catalogo de formação tecnitalentos 2012Catalogo de formação tecnitalentos 2012
Catalogo de formação tecnitalentos 2012
 

Último

Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 

Último (20)

Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 

Tecnicas de Manicura, por Daniela Ramos

  • 1. A Manicura desde a antiguidade até aos nossos dias: O conceito de embelezar as unhas já vem de há muitos anos atrás. No antigo Egipto, apenas os representantes da classe alta eram autorizados a ter unhas compridas e estas eram símbolo de sabedoria. As esposas dos nobres, com longas unhas tocavam instrumentos de cordas. Elas também pintavam as unhas com cores brilhantes, ao contrário das classes mais baixas que apenas eram permitidos os tons pastel. Nesta época eram utilizados alguns pigmentos extraídos diretamente da natureza, como a henna de cor castanho avermelhado era proveniente de uma planta (casca e folhas), goma arábica de cor amarelada, esta era proveniente da árvore Acácia sob a forma de resina, gema de ovo e o Ocre vermelho, este era um minério extraído do solo e lavado para separar da areia e por fim seco ao sol. Foi no reinado de Cleópatra, que esta mesma instaurou uma lei. Só ela poderia pintar as unhas de vermelho, caso alguém infringisse essa lei poderia até ser executada. O verniz mais parecido com o mais atual foi criado na china no séc. III a.C. Os reis nesta altura pintavam as unhas de vermelho ou preto como símbolo de poder. No Imperio Romano começa a ser valorizado o polimento das unhas, que era geralmente feito com materiais abrasivos. A cotícula era geralmente empurrada e cortada com instrumentos rudimentares de metal. Mais tarde, em 1800 as unhas femininas apresentavam-se curtas, moldadas com lima, levemente arredondadas e por vezes eram perfumadas com óleo vermelho e polidas com couro macio. Poucos anos mais tarde aparecem os instrumentos para empurrar a cotícula em marfim, que eram mais suaves do que os anteriores. Desde então a preocupação com as mãos é uma prioridade que tem vindo a aumentar ao longo dos anos. 1
  • 2. As mãos são bastantes vulneráveis, sofrem agressões diárias devido a sua exposição constante com o meio ambiente, tais como contacto com águas alcalinas, detergentes, frio, calor, humidade, raios solares, entre muitos outros. Todas estas agressões promovem o envelhecimento prematuro, a desidratação, o aparecimento de manchas na pele e a deformação da estrutura óssea da mão. A evolução da manicura tem sido grande ate aos nossos dias, desde o banho de água quente para amolecer a cutícula, a manicura a seco com removedor de cutículas e a manicura a quente utilizando loções específicas como emoliente e hidratante de mãos e cutículas. Como definimos a manicura? A manicura consiste num tratamento que embeleza e cuida as unhas e mãos. Este tratamento é constituído pela limagem da unha, o corte da cutícula, é geralmente é acompanhado de banho de água quente, aplicação de esfoliantes, mascaras e creme hidratante. 2
  • 3. Morfologia da Mão A mão é composta por um conjunto de ossos e músculos, tendões, artérias, veias e é ainda revestida pela pele. Os músculos estão ligados aos ossos por tendões que permitem o movimento da mão. A pele sendo o órgão que reveste a mão protege-a do meio ambiente e promove a respiração. A pele (cútis ou tez) tem como principais funções a proteção do corpo humano, a regulação da temperatura corporal, contem ainda uma reserva de nutrientes e terminações nervosas sensitivas. A pele é formada por três camadas principais: epiderme, derme, hipoderme. Esquema da Pele Epiderme Derme Hipoderme ou Tecido subcutâneo adiposo 3
  • 4. Epiderme é um estrato epitelial, que reveste exteriormente a superfície do corpo. Esta camada é formada por várias camadas de células mais finas, sobrepostas e organizadas em estratos. A sua superfície é composta por células queratinizadas. As células queratinizadas, são células mortas que se encontram neste caso numa camada superficial da pele, estas células perderam o núcleo e encheram-se de queratina, uma proteína resistente à água e que forma uma barreira protetora contra as agressões do meio ambiente, protegendo assim as células vivas que se encontram por baixo. Derme é a parte mais profunda da pele situada entre a epiderme e a hipoderme. É um tecido bastante irrigado por vasos sanguíneos e contem terminações nervosas sensitivas. A derme é constituída por tecido conjuntivo, é onde existem as glândulas sebáceas, as glândulas sudoríparas e se formam os pelos. Hipoderme está situada abaixo da derme e é formado pelo tecido adiposo ou tecido conjuntivo laxo contendo as células adiposas (gordura). Anexos da pele: 1. O pêlo 2. As unhas 3. Glândulas sudoríparas 4. Glândulas sebáceas Existem dois tipos de glândulas sudoríparas: - Apócrinas: situadas em zonas pilosas (axilas, zona axial, virilhas, zona inguinal e zona ano genital). - Écrinas: distribuídas por todo nosso corpo mais especificamente na zona da planta dos pés e na palma da mão. 4
  • 5. Curiosidade! A pele das costas e das mãos é muito fina e macia, com numerosas glândulas sebáceas (glândulas que produzem sebo, uma gordura de proteção da pele), poros e glândulas sudoríparas. A pele da palma da mão é mais grossa e resistente. Esta é também constituída por glândulas sudoríparas, mas ao contrário de todas as outras partes do corpo não tem glândulas sebáceas, por essa razão a palma da mão seca e desidrata constantemente, sendo necessário recorrer com frequência a cremes hidratantes. Músculos da Mão Adutor curto do Polegar Adutor do Mindinho ou Mínimo Estende o Polegar para fora Estende o Mindinho para fora Flexor do curto Polegar Flexor do Mindinho ou Mínimo Flexiona o Polegar Flexiona o Mindinho Fibras Musculares Lombricais Músculos que estendem e fletem os dedos indicador, médio, anelar e mindinho Tendão Fig. 1 5
  • 6. Ossos da Mão Fig. 2 Os ossos do carpo são um conjunto de oito pequenos ossos com a seguinte descrição: dispostos em duas fileiras, a primeira, mais próxima do antebraço, constituída, pelos seguintes ossos: escafóide; semilunar; piramidal; pisiforme, a segunda fileira é constituída, pelos seguintes ossos: trapézio; trapezóide; capitado; hamato. 6
  • 7. Esquema dos ossos da mão: Fig.3 Cúbito Rádio Semilunar Escafóide Piramidal Trapézio Pisiforme Capitato Trapezóide Hamato O metacarpo é constituído por cinco ossos metacárpicos. As falanges: Falange proximal ou primeira falange, falange média ou segunda falange e falange distal ou terceira falange. O polegar tem apenas duas falanges, a falange proximal e a falange distal. As articulações são conexões entre duas ou mais peças esqueléticas (ossos) ligadas entre elas por um complexo sistema de ligamentos. As células nervosas trazem do encéfalo ordens para os músculos executarem os movimentos e levam para o mesmo, impressões de sensibilidade recebidas ao nível da pele, como por exemplo: dor, calor, frio. 7
  • 8. As células responsáveis pela sensibilidade são as terminações nervosas que se encontram ao longo de todo o nosso corpo particularmente em número elevado na ponta dos dedos. As artérias trazem alimento e oxigénio entre outras substâncias dando assim energia. As veias levam as toxinas e produtos nocivos que se acumulam naturalmente. Os ligamentos são estruturas fibrosas de colagénio (tonicidade e firmeza) flexíveis e resistentes que permitem estabelecer uma ligação entre os ossos e os músculos. 8
  • 9. Ficha Formativ Nome:___________________________________ Data: ________ 1 – Faça a legenda correta da seguinte imagem. 1– 2– 3– 4– 5– 6– 7– 8– 9– 10 – 11 – 12 – 13 – 14 – 15 – 16 – 17 – 9
  • 10. Tipos de Mão Existem cinco tipos de mão diferentes, cada tipo de mão depende da estrutura que ela apresenta, a nível ósseo e muscular. Pode também dizer algumas características básicas da personalidade de cada um: MÃO ELEMENTAR - Apresenta dedos curtos e achatados e a palma tem um formato retangular. A pessoa com esse tipo de mão possui raciocínio aguçado, muita força de vontade e tem grande capacidade para liderar nas mais variadas situações. MÃO QUADRADA - Possui a palma e as pontas dos dedos retangulares. Caracterizada por uma estrutura óssea bastante desenvolvida, aparenta uma mão mais masculina. (É o tipo mais fácil de ser identificado, indicando que a pessoa é um tanto teimosa e não aceita opiniões alheias ou novidades facilmente). Tanto a mão Elementar como a Quadrada, a unha deve ser limada de forma redonda ou pontiaguda para dar um efeito de alongamento à mão. Pode usar-se verniz escuro mas com pintura americana / italiana, para dar um efeito unha alongada. 10
  • 11. MÃO INTUITIVA - Formato delicado, dedos finos e longos, palma estreita. Este tipo de mão indica uma pessoa tímida e bastante idealista, que sonha com uma vida melhor e pode, às vezes, distanciar-se da realidade. Sua forte sensibilidade pode ser útil em profissões ligadas às artes visuais, como arquitetura, fotografia e desenho. MÃO FILOSÓFICA - Dedos longos, de juntas marcantes e irregulares, palma retangular e de ossos grandes. Esta mão revela uma pessoa sábia e que se interessa em conhecer a fundo os mais variados assuntos: religião, política, o sentido da vida. MÃO CÔNICA - Levemente arredondada, de dedos finos de pontas também arredondadas, esta mão demonstra uma pessoa muito hábil para as artes em geral, e também muito comunicativa. Nas mãos finas e compridas: as unhas não devem ser pontiagudas, a limagem de formato quadrado ou redondo dá-lhes um efeito de unha menos estreita. Pode optar por uma maquilhagem normal com vernizes te tons vivos ou manicura francesa. 11
  • 12. Anatomia e estrutura da unha A unha é uma estrutura composta por queratina e encontra-se na ponta dos dedos dos primatas. A unha é produzida por glândulas existentes na sua base que produzem camadas de queratina, que se mantêm fixadas à pele até a sua extremidade. A queratina é uma proteína composta por aminoácidos como metionina e cisteína. Nos humanos, as unhas protegem as extremidades dos dedos, são reduzidas, arredondadas e quadradas, o que favorece a precisão na manipulação de objetos com a ponta dos dedos. Esquema da Unha 5 1 4 2 3 1 – Borda Livre – é a margem livre ou limite externo da unha, é a parte da unha que se estende além do dedo. Nesta parte da unha não existem terminações nervosas, logo não sentimos dor ao cortá-la. 2 – Corpo da Unha - ou lâmina ungueal é a parte que nós chamamos de unha, a porção rígida e translúcida, composta de queratina. 3 – Lúnula – é a meia-lua de cor branca, a lúnula é o resultado da queratinização parcial das células nesta zona. 4 e 5 – Raiz da Unha ou matriz – é a porção da unha que fica debaixo de uma dobra de pele junto á cutícula. 12
  • 14. O leito da unha divide-se em duas partes: a posterior ou matriz e a anterior ou distal. Matriz da unha: É a parte mais interna, cuja função é renovar as células, contribuindo assim, para o crescimento, saúde e beleza da unha. As células da matriz dividem-se e migram para a raiz da unha, lá diferenciam-se e produzem a queratina da unha. A constante adição de novas células e a sua produção de queratina são responsáveis pelo crescimento da unha. Esta, à medida que vai crescendo, “desliza” sobre o leito ungueal. Leito Ungueal: É a superfície epidérmica que serve de suporte e sobre a qual assenta a lâmina. A lâmina e o leito ungueal envolvem- se um no outro e crescem juntos. Vale da unha: É o sulco formado entre as laterais da unha e a pele do dedo. Corpo da unha ou lâmina: É a unha propriamente dita, ou a parte aderida, através da sua transparência visualizamos o leito ungueal. Raiz da unha: É a porção da unha que fica incluída debaixo de uma dobra de pele. As células do leito ungueal situam-se sob a raiz da unha. Lúnula ou meia-lua: É a coloração branca de forma semicircular, a qual é desprovida de vasos capilares. É a linha de divisão entre os tecidos celulares e a unha. Margem oculta: É a borda ou limite da unha onde se encontra a raiz. Margem lateral: são as bordas ou limites laterais da unha, e que “mergulham” na pele do dedo, formando os vales das unhas. A margem lateral é fortemente aderida sob a dobra de pele, à semelhança da raiz da unha. Margem livre: É ponta ou limite externo da unha, é a parte que costumamos cortar, limar ou polir. 14
  • 15. Perioníquio: É o espessamento da epiderme na margem lateral das unhas. Eponíquio: É a borda da dobra cutânea que cobre a raiz da unha- também conhecida por cutícula. Previne a raiz da unha de infeções. Hiponíquio: É o espessamento da epiderme que se une à borda livre da placa ungueal, sob a sua superfície inferior. Velocidade de crescimento da unha: O crescimento da unha é continuo, faz-se a partir da matriz em direção ao bordo livre. O tempo normal de crescimento de uma unha desde a matriz ao bordo livre é de 125 a 180 dias, este período pode estar sujeito a algumas alterações como a idade e o clima. Em média, as unhas crescem 0.1 mm ao dia, sendo o crescimento mais rápido no verão do que no Inverno. O crescimento das unhas das mãos é mais rápido do que nas unhas dos pés. Tipos de unha: A unha pode ser normal rosada, pouco brilhante, com ligeira curvatura, côncava ou muito curvada no corpo da unha. O crescimento da unha varia, de pessoa para pessoa, mas é sempre contínuo. É determinado por vários fatores: idade, hereditariedade, meio ambiente, condições de saúde e regime alimentar. Normal - Apresenta-se lisa, rosada, pouco brilhante e com ligeira curvatura. Côncava - Apresenta uma exagerada curvatura na zona do corpo da unha. Achatada - Não apresenta curvatura, é direita e encontra-se mais frequentemente numa mão larga e quadrada. Hipocrática - Apresenta deformações, geralmente em forma de bico. Assenta geralmente num dedo grosso e largo. 15
  • 16. As anomalias das unhas revelam-se em lesões de intensidade variável. Exprimem frequentemente aspetos significativos da vida profissional, ocupações, hábitos e condições de saúde do indivíduo. Consistência e anomalia da unha: Uma unha normal é de consistência sólida sem ser muita dura. Representa um perfeito equilíbrio orgânico. Unhas moles: São finas e moles, muito frágeis, dobram como folha de papel. Unhas secas: São as que lascam ao menor contacto e a sua superfície pode ser rugosa. Unhas duras: Nesta situação a queratina encontra-se impregnada de calcário. Unhas friáveis: Estas são capazes de se reduzirem em pó. Aparecem frequentemente a par de problemas do sistema nervoso podendo ter origem num mau funcionamento glandular. Unhas frágeis, quebradiças: Pode ser causado por dissolventes orgânicos ou uma exposição a produtos agressivos tal como os de cabeleireiro e de limpeza. A nutrição do nosso organismo revela-se nos ossos e nas unhas: - Alimentos ricos em cálcio: peixe, bacalhau, moluscos, leite, legumes e frutos secos, azeitonas, chocolate, gelatina, sardinhas, mariscos, repolho fresco e nabiças. - Alimentos ricos em fósforo: carnes, fígado, peixe, crustáceos, ovos, leite, queijos, legumes, frutos secos, aves, cereais de trigo integral e castanhas. - Alimentos ricos em magnésio: cereais de trigo integral, castanhas, carnes, leite, vegetais verdes e legumes. - Alimentos ricos em sódio: sal da cozinha (comum), alimentos do mar, alimentos de carne animal, leite e ovos. 16
  • 17. Unhas e Dietética Cálcio- Indispensável para a consistência da unha Iodo- Importante no crescimento da unha. Ferro- Importante para a oxigenação dos tecidos. Cobre- Importante na consistência da unha. Silício- Importante na consistência da unha. Vitamina A- Torna a unha mais sólida e ajuda no crescimento. Vitamina B- Evita afeções na pele e seus anexos. Vitamina C- aumenta a resistência do organismo às afeções. Ajuda na formação dos ossos, dentes e tecido conjuntivo geral. Vitamina D- Muito importante, porque permite a fixação do cálcio nos ossos. 17
  • 18. Patologias da Unha As unhas pela sua particular localização estão sujeitas a influências exteriores e interiores, às quais adicionamos os traumatismos habituais do dia-dia. As unhas amortecem estes traumatismos em virtude da sua função específica, a proteção. Mas a proteção depende muito da sua vitalidade, do sistema cardiovascular e da nutrição tecidual da ponta dos dedos. As alterações das unhas revelam-se em lesões de intensidade variável e exprimem frequentemente os aspetos significativos da vida profissional, ocupações, hábitos e condições de saúde. O que são Micoses superficiais da pele? As micoses superficiais da pele, também chamadas de “tíneas” são infeções causadas por fungos que atingem a pele, as unhas e os cabelos. Os fungos estão em toda a parte podendo ser encontrados no solo e em animais. Até mesmo na nossa pele existem fungos convivendo pacificamente connosco, sem causar doenças. A queratina, substancia encontrada na superfície cutânea, unhas e cabelo é o seu alimento. Quando encontram condições favoráveis ao seu crescimento, como o calor, humidade, baixa de imunidade ou o uso de antibióticos sistémicos por longo prazo (alteram o equilíbrio da pele), estes fungos reproduzem-se e passam a causar doenças. 18
  • 19. Manifestações Clinicas: Existem, varias formas de manifestação das micoses cutâneas superficiais, dependendo do local afetado e do tipo de fungo causador da micose. Tínea das unhas (onicomicose) – Apresentam-se várias formas:  Descolamento do bordo livre (geralmente inicia-se pelos cantos e fica ôca).  Espessamento das unhas, estas ficam endurecidas e grossas, pode ser acompanhado de dor e levar ao aspeto tipo “telha”. 19
  • 20. Leuconíquia, manchas brancas na superfície. Deformação da unha, esta fica frágil, quebradiça, parte-se nas porções anteriores, ficando deformada.  Quando a micose atinge a pele em redor da unha causa a paroníquia (unheiro). O contorno ungueal fica inflamado, dolorido, inchado e avermelhado e por consequência altera o crescimento da unha que cresce ondulada. 20
  • 21. Pé de atleta é considerado uma “tínea” dos pés causa descamação e comichão na planta dos pés sobe pelas laterais para a pele mais fina. Pode aparecer nas mãos também, mas é mais comum nos pés devido às boas condições para gerar fungos (calor e humidade). As unhas devem ser inspecionadas e palpadas através da compressão do bordo livre, verificando: a) Cor b) Forma c) Resistência e espessura d) Cutícula Tratamento Os medicamentos utilizados para tratamento podem ser de uso local, sob a forma de cremes, solução ou vernizes. Os casos mais avançados podem necessitar de tratamento via oral, sob a forma de comprimidos. Os sinais de melhora demoram a aparecer, pois dependem do crescimento da unha que pode ser muito lento. A unha estando doente pode levas até 12 meses para se renovar totalmente e o tratamento deve ser mantido durante todo este tempo. A persistência é fundamental para o sucesso do tratamento. O tipo de tratamento vai depender da extensão da micose e deve ser determinado por um médico dermatologista. Evitar usar medicamentos aconselhados por outras pessoas, pois podem camuflar as características importantes do diagnóstico, dificultando assim o tratamento. 21
  • 22. Higiene Higiene – “Higiene é um conjunto de conhecimentos e técnicas para evitar doenças infecciosas usando desinfecção, esterilização e outros métodos de limpeza com o objectivo de conservar e fortificar a saúde. De origem grega (υγιεινή [τέχνη] (hygieiné [téchne])) que significa hygeinos, ou o que é saudável. É derivada da deusa grega da saúde, limpeza e sanitariedade, Hígia.” Wikipédia, a enciclopédia livre Princípios indispensáveis na higiene das mãos:  A falta de higiene das mãos é um meio muito eficaz para a propagação de uma infeção, por essa razão não podemos descuidar a lavagem e desinfeção das mãos.  Manter as unhas curtas e limpas, evita que as bactérias se desenvolvam debaixo da unha. A maior parte das bactérias que colonizam as mãos, encontram-se debaixo das unhas e das cutículas.  Lavar, desinfetar e fazer sempre penso nas pequenas feridas é uma obrigação. As lesões da pele são perigosas para a profissional e para o cliente.  Utilizar sempre um antissético para desinfetar as mãos antes e depois de qualquer trabalho.  Secar sempre bem as mãos com uma toalha limpa e bem seca ou uma toalha descartável. As mãos húmidas favorecem o desenvolvimento de bactérias.  As luvas são utilizadas uma única vez, não havendo qualquer tipo de reutilização. 22
  • 23. Como devemos lavar as mãos! 23
  • 24. Riscos de contágio em estética: - A cliente pode ser portadora de bactérias patogénicas. - A cliente pode ser portadora de vírus e não saber ou não querer dizer ignorando o perigo de transmissão. - O profissional também pode ser a causa da transmissão de bactérias ou vírus. A contaminação pode ser: Direta - Uma cliente pode contaminar a profissional pelo contacto da pele, de uma lesão, de um instrumento ou uma superfície contaminada. Cruzada – A profissional utiliza numa cliente, um instrumento contaminado por outra cliente. A profissional não é contaminada mas é responsável pela transmissão dos germes entre duas pessoas. Os instrumentos podem estar contaminados com fungos, sangue ou outros líquidos biológicos. Microrganismos que podem ser transmitidos: Hepatite (vírus) – Transmissão por sangue ou saliva – Transmitido por utensílios ou lesões. Herpes (vírus) - Transmissão por pele e feridas – Transmitidos por utensílios, contacto com feridas e saliva. HIV (SIDA) (vírus) - Transmissão por sangue e contacto com lesões - Transmitido por utensílios, sangue ou linfa. Pé de Atleta (fungo ou micose) – Transmissão por pele 24
  • 25. HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO O material utilizado durante o trabalho, deve estar sempre devidamente desinfetado e esterilizado antes de cada utilização. A profissional deve usar sempre luvas para proteção, desta forma protege-se e protege também a cliente, dos micróbios ou microrganismos patogénicos que se transmitem aos outros (pacientes ou clientes) através das mãos. Algumas destas bactérias são os Estafilococos, Bacilos Gram-negativos, Dermatófitos e Fungos e os Vírus. Riscos de contaminação em Estética: - A cliente pode ser portadora de germes patogénicos. - A cliente pode saber mas não o dizer, pode ignorar o perigo de transmissão. - O próprio profissional pode ser a causa da transmissão de germes patológicos. A contaminação pode ter duas origens: Direta- uma cliente pode contaminar a profissional pelo contacto da pele, de uma lesão, de um instrumento ou através de uma superfície contaminada. Cruzada- o profissional utiliza numa cliente um instrumento contaminado por outra cliente; o profissional não foi atingido, mas é diretamente responsável pela transmissão dos germes entre duas pessoas. Os meios para a contaminação podem ser: - As mãos e a pele, - Os utensílios a utilizarem - As superfícies - O sangue e outros líquidos biológicos. 25
  • 26. Aparelhos de desinfeção e esterilização Desinfetar: Evitar a infeção suprimindo a causa. Esterilização: Ação ou efeito de esterilizar. É o meio pelo qual se priva qualquer objeto dos germes que contém. Os principais meios de que nos servimos são o calor húmido, e os anti sépticos. Autoclave É o aparelho utilizado para esterilizar material metálico, através de calor húmido sob pressão. Mediante a aplicação de calor húmido a esterilização é possível, a uma temperatura de 130 graus durante 15 minutos. No fim de esterilizado o material deve ser colocados em mangas próprias e embalado. Esterilizador de calor seco ou Forno Implica a utilização do forno de Pasteur que funciona com ar quente e que serve basicamente para esterilizar objetos de metal ou de vidro, previamente limpos, e secos. De uma maneira geral a esterilização é possível mediante a aplicação de calor seco, a uma temperatura de 170 C durante uma hora. Germicidas Líquidos antissépticos que são diluídos em água, estes líquidos são utilizados para objetos não metálicos. Atenção! Todos os objetos que se utilizem com o paciente/cliente, devem ser descartáveis ou esterilizados. 26
  • 27. Preenchimento da ficha de cliente de Manicura Nesta fiche de cliente devem constar dados importantes sobre a cliente para que, possamos fazer uma análise detalhada de alguns possíveis problemas de saúde e guardar os seus dados pessoais, para possível envio de correspondência, oferta de vouchers no seu aniversário, entre outros. Dados pessoais: Nome: _________________________________________________ Morada: ________________________________________________ Código – Postal: _______-____ Tlm: ___________________ Tel.: _________________ e-mail:_______________________ Data de nascimento: ____ -____ -____ Profissão: ______________________ Dados Clínicos: Problemas de tiróide: ______________ Diabetes: _____________ Hemofilia: ____________ Cardiopatias: __________ H.I.V: __________ Hepatites: __________ Qual? __________ Desde: __________ Epilepsia: __________ Particularidades especificas: __________ Intervenções cirúrgicas: __________ Alergias: _________ Implante cardíaco: ____________ Implante metálico: ____________ 27
  • 28. Hábitos alimentares: ______________________________________ Medicamentos: __________________________________________ Quais? __________________________________ Objetivo do tratamento: _______________________________________________________ Tipo de pele: ____________________________________________ Manicura: _______________________________________________ Alteração da unha: ________________________________________ Patologias da unha: _______________________________________ _______________________________________________________ Técnica especializada: _______________ Data: _____/_____/_____ Cliente: _____________________________ 28
  • 29. Manicura Posto de Trabalho: O posto de trabalho deve-se encontrar perfeitamente organizado, tendo em conta a higiene e separando o material necessário para realizar o tratamento. Higienizar o material, tendo como prioridade a assepsia e a esterilização. Competências da Manicura: - Receção da cliente; - Instalação da cliente; - Preenchimento da ficha de cliente com os dados pessoais e dados de saúde; - Questionar sobre a manicura, tipo de tratamento a realizar; - Higienização do material previamente esterilizado; - Realização do tratamento; - Aconselhamento da cliente sobre os produtos que deve usar. O que deve conter o posto de trabalho? - Todos os utensílios respetivamente esterilizados ou descartáveis; - Recipiente com água morna ou removedor de cutículas; - Creme hidratante - Removedor de verniz - Algodão - Tissues - Verniz a utilizar - Tesoura de unhas - Alicate de cutículas - Lima de cartão ou de metal - Pau de laranjeira - Toalha 29
  • 30. Tipos de Manicura Manicura tradicional – No tratamento de manicura tradicional é utilizada água morna, com o objetivo de amolecer as cutículas, bem como creme gordo à volta destas, para maximizar esse efeito. Manicura com removedor de cutículas – Neste tratamento não se utiliza água com o objetivo de amolecer as cutículas, mas sim removedor de cutículas que pode ter textura de creme, fluido, gel ou aquoso. A aplicação é feita diretamente na cutícula ou embebendo algodão em removedor e colocando sobre a cutícula. Manicura a quente – Neste tipo de manicura, as pontas dos dedos são mergulhados numa loção hidratante que é aquecida na taça de manicura, a taça de manicura é elétrica e aquece a loção. As cutículas são empurradas e removidas da mesma forma que na manicura tradicional. 30
  • 31. Cosméticos para Unhas Endurecedores- São usados para aumentar a resistência de unhas quebradiças e permitir que a unha alcance um comprimento maior antes de quebrar. Base- Serve de protetor da unha contra os corantes (pigmentos) que contém os vernizes. Removedor de verniz- Utiliza-se para retirar o verniz da unha. Removedor de cutículas- Dissolvem o excesso de pele na cutícula da unha. Vernizes- São produtos de utilização tópica (superficial) para cobrir ou proteger a lâmina ungueal ou veicular medicamentos. Os vernizes impermeabilizam a unha da água e consequentemente também a transpiração cutânea, assim, os vernizes oferecem boas condições para penetração de medicamentos na pele, quando neles estejam incorporados. A manicura deve ser sempre realizada segundo alguns critérios:  O tipo de mão da cliente  Estado de saúde da unha  Formato da unha  Gosto pessoal da cliente. 31
  • 32. SEQUÊNCIA DE TRABALHO DE MANICURA TRADICIONAL 1- Analisar as mãos da cliente 2- Desinfetar as mãos da cliente 3- Retirar o verniz (se necessário) com removedor de verniz 4- Questionar cliente sobre o comprimento das unhas e a limagem das unhas, tipo de maquilhagem 5- Cortar as unhas se necessário 6- Limar as unhas (inicia-se sempre pela mão esquerda, e pelo 5º dedo - mindinho) 7- Colocar a mão esquerda em água quente contendo líquido antibacteriano, com o creme à volta das cutículas 8- Cortar (se necessário) e limar as unhas da mão direita 9- Retirar a mão esquerda de molho e enxaguá-la com um toalhete limpo 10- Proceder ao afastamento das cutículas com, o empurra peles metálico ou pau de laranjeira 11- Com ajuda de um alicate previamente higienizado, cortar o excesso de cutícula – “ espigões” ao nível da lateral da unha, junto da prega ungueal se necessário; 12- Polir a unha (se necessário) para homogeneizar as suas irregularidades 13- Aplicar exfoliante e massajar suavemente para remover as células mortas. 14- Aplica-se um pouco de óleo em cima de cada unha à volta das cutículas e nas costas das mãos um creme hidratante 15- Faz-se a massagem na mão que vai até ao antebraço, esta é importante para ativar toda a região linfática e circulação sanguínea, assim como para o relaxamento da cliente 16- Procede-se da mesma forma com a mão direita 17- Podemos nesta faze aplicar uma mascara de alginatos, parafina ou outras de acordo com as necessidades da pele da cliente. 32
  • 33. 18- Com um toalhete limpo retira-se o excesso de creme na unha e procede-se à maquilhagem da mesma: a. Aplicação do endurecedor (se se justificar) b. Aplicação da base c. Aplicação do verniz, tendo em conta o tipo de unha e gosto da cliente Aplicar sempre 1a e 2a camada d. Terminar com secante em verniz, óleo ou em spray 19- Aplica-se o verniz, pincela-se a parte central da unha e depois de um lado e do outro, sem excesso para não formar grumos. 20- Nota: A aplicação da base e do verniz é sempre iniciada pelo dedo mindinho (5º dedo), terminando no dedo polegar (1º dedo). 21- Caso se tenha pintado em volta da unha, deve-se proceder á sua remoção com um pau de laranjeira envolvido em algodão, que esteja embebido em dissolvente. 33
  • 34. Massagem da mão e antebraço Afloramento geral – Mão e antebraço 3x Afloramento do antebraço 1x Bombeamento no antebraço 3x Fricção digital no antebraço 3x Movimento nodular no antebraço 3x Deslizamento nodular 3x Abertura palmar da mão 3x Movimento nodular na mão 3x Fricção palmar 3x Abertura dorsal da mão 3x Fricção dos interósseos 3x em cada interósseo Rotação e estiramento dos dedos - 1 rotação para a esquerda, 1 para a direita e estiramento do dedo – 1x em cada dedo Afloramento geral – Mão e antebraço Rotação do pulso 34