SlideShare uma empresa Scribd logo
Professora: Erika Liz
COSMÉTICA
Estudo dos Cosméticos
Histórico
A palavra cosméticos vem do grego kosmétikos, o que
quer dizer, serve para ornamentar;
O uso de cosméticos remota há pelo menos 30.000
anos;
Na era Romana, um médico grego Claudius Galeno
deu início a manipulação de produtos cosméticos ao
criar um creme frio a base de cera de abelha e óleo
de oliva;
Durante a idade média os produtos cosméticos,
desapareceram na Europa, pois o Cristianismo
rechaçava o culto a beleza e a higiene pessoal;
Com o renascentismo e com o descobrimento da
América, no século XV, percebemos o retorno da
busca pelo embelezamento.
Durante a idade moderna, nos séculos XVII e XVIII,
notam-se a crescente evolução dos cosméticos,com o
uso de perfumes.
O reconhecimento dos benefícios à higiene pessoal e
a desassociação dos cosméticos com bruxarias
ocorreu na Idade Contemporânea, no século XIX;
O século XX inaugura a era das indústrias de
cosméticos;
Nos anos 50, políticas de incentivo trazem para o
Brasil, a empresa americana Avon, e a francesa
Loreal;
Nos anos 70 e 80,cores de maquiagem torna-se
variadas,os filtros solares começam a ser usados e os
ácidos começam a ser empregados no tratamento de
rugas e manchas;
Nos anos 90, o tempo entre a aplicação dos cosméticos
e o aparecimento do efeito prometido diminui de 30
dias para 24 horas;
No final do século XX, a ciência dos cosméticos foi um
fato inegável, pois trabalha não só o embelezamento,
como também o envelhecimento da pele e outros
fatores nocivos à saúde.
Evolução do Mercado de Cosméticos
Fatores que tem contribuído para o crescimento
do setor :
Participação da mulher brasileira no mercado de
trabalho;
Utilização da tecnologia de ponta;
Crescimento crescente de novos produtos;
Aumento da expectativa de vida.
Conceitos Básicos
Cosmético
Substância de origem animal, vegetal ou mineral
utilizada para limpar, hidratar, corrigir, embelezar e
proteger a pele e seus anexos.
Cosmetologia
É a ciência que serve de suporte à fabricação dos
produtos de beleza e permite verificar as suas
propriedades.
Cosmecêutico
É um produto cosmético com propriedades
farmacêuticas.
Cosmetólogo
É o técnico que estuda e afina as formulações e
fabrica produtos de beleza, aplicando os métodos
cientìficos determinados pela cosmetologia.
Esteticista
É o prático que sabe escolher os cosméticos, segundo
as suas propriedades, qualidades e indicações e os
aplica de acordo com as técnicas e métodos ligados à
profissão.
Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e
Perfumes
São preparações constituídas por substâncias naturais
ou sintéticas, de uso externo nas diversas partes do
corpo,com o objetivo exclusivo de limpá-los,
perfumá-los, alterar sua aparência e ou corrigir
odores corporais, protegê-los ou mantê-los em bom
estado.
COSMÉTICA
ESTUDO DOS COSMÉTICOS:
FUNÇÃO E ESTRUTURA DA PELE
Prof: Erika Liz
Função do Cosmético
O cosmético tem como finalidade tratar a pele
de forma a prevenir a sua deterioração e
restabelecer o seu equilíbrio.
As Funções Básicas dos Cosmético são:
Limpar
Proteger
Corrigir
Adornar
Limpar
O sol provoca na pele
Uma vasodilatação dos capilares superficiais que
acabam em rosácea (couperose)
Um espessamento da camada córnea
Uma desidratação da pele.
Câncer de pele
A pele deve ser protegida pela permanência de uma película
HIDROLÍPIDICA
Logo corrigir o estado de uma pele significa restabelecer o equilíbrio.
Aspecto da pele hidratada
Quando saudável e hidratada, a pele
apresenta um aspecto brilhante e de
plasticidade. Uma pele desidratada perde
suas propriedades biomecânicas, biológicas e
sobretudo estéticas pois o seu aspecto torna-
se opaco, áspero, sem elasticidade e com
tendência a descamação.
A pele é o maior órgão do corpo humano e um dos
mais complexos, exercendo uma função principal de
proteção e revestimento.
A pele protege o corpo contra agressões do meio
ambiente e funções sensoriais (calor, frio, pressão,
dor, tato), além de ter o seu importante papel na
regulação térmica, defesa orgânica e controle do
fluxo sangüíneo.
Função e Estrutura da Pele
Pele
A parte Externa - Epiderme
A parte Interna - Derme
Epiderme
Derme
Componentes da Pele
Epiderme
É um epitélio queratinizado estratificado composto
de queratinócitos, as células especilializadas
responsáveis pela renovação, coesão e barreira da
epiderme.
A epiderme é um tecido auto-renovador.
Camadas da Epiderme
Camada Basal ( Stratum Basale )
É a camada mais profunda e fica logo acima da
derme.Tem maior atividade mitótica.
Camada Espinosa ( Stratum Spinosum )
É a camada mais grossa da epiderme. As células
nesta camada chegam por migração da camada basal.
Camada Granular ( Stratum Granulosum )
É caracterizada pela presença de grânulos de
queratohialina entre os filamentos de queratina.
Camada Córnea ( Stratum Corneum )
É a camada mais superficial e é composta de células
mortas. O alto conteúdo lipídico forma uma barreira
para a retenção de água e resistência.
Composta basicamente de queratina, uma proteína
responsável pela impermeabilização da pele. O
stratum lucidum é parte desta camada.
Derme
A derme estar localizada entre a epiderme e a
hipoderme, e é responsável pela resistência e
elasticidade da pele.
É constituída por tecido conjuntivo denso irregular
(fibras colágenas e elásticas envoltas por substância
fundamental), pilossebáceos e glândulas sudoríparas,
originadas na epiderme.
Contém extensa vascularização, neurônios, músculo
liso e fibroblastos.
Hipoderme
É composta de tecido conectivo frouxo com um
grande número de células adiposas.
A hipoderme confere insulação, absorção de
impacto, estoque de energia e flexibilidade.
Contém o maior número de vasos sanguíneos da pele.
Matriz Extracelular
Representa a integração das células em tecidos, que
secretam uma ampla diversidade de proteinas e
carboidratos, criando um ambiente especial entre as
células.
O Colágeno é a principal proteína fibrosa encontrada
na matriz extracelular. É secretado na forma de
procolágeno, que formam as fibras colágenas para
dar resistência a pele.
Fibras de Colágeno e Elastina
Moléculas de Elastina formam uma rede interligada
de fibras na matriz extracelular, particulamente na
pele, pulmão e vasos sanguineos, onde confere as
propriedades de estiramento e retração elástica.
A Fibronectina é uma glicoproteína de estrutura. Sua
biossíntese aumenta na derme com a idade.
Modelo da estrutura laminar basal
Flora Cutânea
A pele é preenchida em toda sua superfície por
diversos tipos de microorganismos, constituindo a
flora cutânea, é formada:
Flora chamada resistente ( micoorganismos
saprófitas );
Flora transitória ( microorganismos são hóspedes
acidentais ).
COSMÉTICA
ESTUDO DOS COSMÉTICOS:
APÊNDICES EPIDÉRMICOS
Prof: Leina Mércia
Apêndices Epidérmicos
Glândulas Sebácea
São anexos dos folículos capilares e estão inseridos na
derme e hipoderme;
São predominantes no rosto, pescoço e parte superior
do corpo,secretam por secreção holócrina ( a própria
célula morre e é o produto de secreção);
A secreção é o sebo,uma mistura de triglicérides e
colesterol tipo cera.
Funciona como um agente protetor e mantém a
textura da pele e a flexibilidade do cabelo.
Devido a presença de lipídeos, desempenham papel
no odor específico de cada indivíduo.
Contribui para minimizar os efeitos da radiação
ultravioleta.
Glândulas Sudorípadas
As glândulas Sudorípadas Écrinas são glândulas
tubulares em espiral, estão na camada profunda da
derme ou sobre a hipoderme, estando presente em
todo o corpo.
Função primária é a
transpiração.
As glândulas Sudorípadas Apócrinas são glândulas
tubulares que desembocam nos folículos pilosos nas
axilas e regiões urogenitais.
A secreção é uma mistura
de proteínas, carboidratos,
e íons férricos que não possuem
odor, porém torna-se fétidas
após ação de bactérias comensais.
Pêlo
É composto por células epidérmicas mortas que
passaram por um processo de queratinização.
É derivado dos folículos capilares ou pilosos, que são
invaginações que se projetam da derme ou
hipoderme.
Os músculos eretores do pêlo tornam os pêlos
arrepiados para uma melhor insulação.
Unhas
As unhas são lâminas epidérmicas, queratinizadas,
duras e se diferenciam da pele por não serem
descamativas.
A função principal da unha é proteger as
extremidades dos dedos, aumentam a capacidade de
pressão e facilitam os movimentos de precisão.
Cabelo ( Estrutura )
Raízes
Estão protegidas na derme, dentro do folículo piloso,
onde o cabelo é gerado e colorido.
Papila dérmica
Regula o ciclo de vida do cabelo.
Glândula Sebácea
Libera lipídios na forma de sebo.É essencial para a
lubrificação e proteção da fibra capilar.
Queratinócitos
São células que se diferenciam para formar
diferentes estruturas do cabelo.
Melanócitos
São células grandes que estão presa na papila
dérmica, produzem o pigmento melanina.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula limpeza de pele
Aula limpeza de peleAula limpeza de pele
Aula limpeza de pele
Dry Rodrigues
 
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento CutâneoCosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Rodrigo Caixeta
 
Dermocosmeticos
DermocosmeticosDermocosmeticos
Dermocosmeticos
LariRi
 
Pele
PelePele
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita CosméticosCosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Buona Vita
 
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e UnhasAula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Herbert Cristian de Souza
 
Limpeza de Pele
Limpeza de PeleLimpeza de Pele
Limpeza de Pele
Julie Christie Do Brasil
 
Componentes de uma formulação cosmética.pptx
Componentes de uma formulação cosmética.pptxComponentes de uma formulação cosmética.pptx
Componentes de uma formulação cosmética.pptx
Ana Cunha
 
Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno
Amanda Hamaue
 
A Pele
A PeleA Pele
Fotoproteção
FotoproteçãoFotoproteção
Fotoproteção
Larissa Paulo
 
Apresentação Spa Do Pe
Apresentação Spa Do PeApresentação Spa Do Pe
Apresentação Spa Do Pe
Shinsei Cosmeticos
 
Princípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a zPrincípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a z
Fernanda Esteves
 
Epilação e depilação
Epilação e depilaçãoEpilação e depilação
Epilação e depilação
Teresa Castilho
 
Manual de cosmetologia
Manual de cosmetologiaManual de cosmetologia
Manual de cosmetologia
Angela Guerra
 
Cosmeticos
CosmeticosCosmeticos
Cosmeticos
Lívia Sales
 
E Book Microagulhamento
E Book MicroagulhamentoE Book Microagulhamento
E Book Microagulhamento
ICosmetologia Educacional
 
145973060 aula-shampoo
145973060 aula-shampoo145973060 aula-shampoo
145973060 aula-shampoo
Marcelo Hiene
 
A pele e seus anexos
A pele e seus anexosA pele e seus anexos
A pele e seus anexos
Centro Universitário Ages
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
Bosco Magalhaex
 

Mais procurados (20)

Aula limpeza de pele
Aula limpeza de peleAula limpeza de pele
Aula limpeza de pele
 
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento CutâneoCosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
 
Dermocosmeticos
DermocosmeticosDermocosmeticos
Dermocosmeticos
 
Pele
PelePele
Pele
 
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita CosméticosCosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
 
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e UnhasAula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
 
Limpeza de Pele
Limpeza de PeleLimpeza de Pele
Limpeza de Pele
 
Componentes de uma formulação cosmética.pptx
Componentes de uma formulação cosmética.pptxComponentes de uma formulação cosmética.pptx
Componentes de uma formulação cosmética.pptx
 
Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno
 
A Pele
A PeleA Pele
A Pele
 
Fotoproteção
FotoproteçãoFotoproteção
Fotoproteção
 
Apresentação Spa Do Pe
Apresentação Spa Do PeApresentação Spa Do Pe
Apresentação Spa Do Pe
 
Princípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a zPrincípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a z
 
Epilação e depilação
Epilação e depilaçãoEpilação e depilação
Epilação e depilação
 
Manual de cosmetologia
Manual de cosmetologiaManual de cosmetologia
Manual de cosmetologia
 
Cosmeticos
CosmeticosCosmeticos
Cosmeticos
 
E Book Microagulhamento
E Book MicroagulhamentoE Book Microagulhamento
E Book Microagulhamento
 
145973060 aula-shampoo
145973060 aula-shampoo145973060 aula-shampoo
145973060 aula-shampoo
 
A pele e seus anexos
A pele e seus anexosA pele e seus anexos
A pele e seus anexos
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
 

Semelhante a Aula 1-e-2-de-cosmetologia

Aula 04.pdf
Aula 04.pdfAula 04.pdf
Aula 04.pdf
ValldineyCruz
 
4 treinamento de maquiagem
4 treinamento de maquiagem4 treinamento de maquiagem
4 treinamento de maquiagem
Afins Cosméticos
 
Curso avancado _no_tratamento_de_feridas
Curso avancado _no_tratamento_de_feridasCurso avancado _no_tratamento_de_feridas
Curso avancado _no_tratamento_de_feridas
Roberto Firpo
 
Apostila tricologia
Apostila tricologiaApostila tricologia
Apostila tricologia
Norocha
 
Estruturas capilares e cores
Estruturas capilares e coresEstruturas capilares e cores
Estruturas capilares e cores
thalyta
 
A Pele (2010)
A Pele (2010)A Pele (2010)
A Pele (2010)
markpt
 
Tecido Epitelial 1° Ano
Tecido Epitelial 1° Ano Tecido Epitelial 1° Ano
Tecido Epitelial 1° Ano
Raquel Alves
 
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptxUFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
Nome Sobrenome
 
Aula 4 - Ativos dermatológicos.pdf
Aula 4 - Ativos dermatológicos.pdfAula 4 - Ativos dermatológicos.pdf
Aula 4 - Ativos dermatológicos.pdf
DeyseCaroliniAlmeida
 
Ana nery indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Ana nery   indústria de cosméticos e cuidados de higieneAna nery   indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Ana nery indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Joseval Estigaribia
 
aula 2 AFH SO.pdf
aula 2 AFH  SO.pdfaula 2 AFH  SO.pdf
aula 2 AFH SO.pdf
ALBANOJOAQUIM
 
apostila2.pdf
apostila2.pdfapostila2.pdf
apostila2.pdf
Gi Lorenzo
 
Biologia Ppt A Pele Humana
Biologia Ppt   A Pele HumanaBiologia Ppt   A Pele Humana
Biologia Ppt A Pele Humana
chicoba
 
Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4
André Fidelis
 
Tratamento capilar couro cabeludo
Tratamento capilar  couro cabeludoTratamento capilar  couro cabeludo
Tratamento capilar couro cabeludo
oligomax2009
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
Maisa Bruna
 
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdfAULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
fernanda881672
 
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucessoZeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
Top Elite Team
 
Curso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptxCurso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptx
CiceroGonzaga5
 
Manualdepilbella impressaosite
Manualdepilbella impressaositeManualdepilbella impressaosite
Manualdepilbella impressaosite
Belissacruz
 

Semelhante a Aula 1-e-2-de-cosmetologia (20)

Aula 04.pdf
Aula 04.pdfAula 04.pdf
Aula 04.pdf
 
4 treinamento de maquiagem
4 treinamento de maquiagem4 treinamento de maquiagem
4 treinamento de maquiagem
 
Curso avancado _no_tratamento_de_feridas
Curso avancado _no_tratamento_de_feridasCurso avancado _no_tratamento_de_feridas
Curso avancado _no_tratamento_de_feridas
 
Apostila tricologia
Apostila tricologiaApostila tricologia
Apostila tricologia
 
Estruturas capilares e cores
Estruturas capilares e coresEstruturas capilares e cores
Estruturas capilares e cores
 
A Pele (2010)
A Pele (2010)A Pele (2010)
A Pele (2010)
 
Tecido Epitelial 1° Ano
Tecido Epitelial 1° Ano Tecido Epitelial 1° Ano
Tecido Epitelial 1° Ano
 
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptxUFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
 
Aula 4 - Ativos dermatológicos.pdf
Aula 4 - Ativos dermatológicos.pdfAula 4 - Ativos dermatológicos.pdf
Aula 4 - Ativos dermatológicos.pdf
 
Ana nery indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Ana nery   indústria de cosméticos e cuidados de higieneAna nery   indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Ana nery indústria de cosméticos e cuidados de higiene
 
aula 2 AFH SO.pdf
aula 2 AFH  SO.pdfaula 2 AFH  SO.pdf
aula 2 AFH SO.pdf
 
apostila2.pdf
apostila2.pdfapostila2.pdf
apostila2.pdf
 
Biologia Ppt A Pele Humana
Biologia Ppt   A Pele HumanaBiologia Ppt   A Pele Humana
Biologia Ppt A Pele Humana
 
Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4
 
Tratamento capilar couro cabeludo
Tratamento capilar  couro cabeludoTratamento capilar  couro cabeludo
Tratamento capilar couro cabeludo
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdfAULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
 
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucessoZeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
 
Curso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptxCurso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptx
 
Manualdepilbella impressaosite
Manualdepilbella impressaositeManualdepilbella impressaosite
Manualdepilbella impressaosite
 

Último

3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
WilberthLincoln1
 
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
DavyllaVerasMenezes
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdfaula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
ADRIANEGOMESDASILVA
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Lenilson Souza
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
BarbaraKelle
 
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
BeatrizLittig1
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AntonioXavier35
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
jhordana1
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 

Último (11)

3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
 
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdfaula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
 
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 

Aula 1-e-2-de-cosmetologia

  • 2. Estudo dos Cosméticos Histórico A palavra cosméticos vem do grego kosmétikos, o que quer dizer, serve para ornamentar; O uso de cosméticos remota há pelo menos 30.000 anos;
  • 3. Na era Romana, um médico grego Claudius Galeno deu início a manipulação de produtos cosméticos ao criar um creme frio a base de cera de abelha e óleo de oliva; Durante a idade média os produtos cosméticos, desapareceram na Europa, pois o Cristianismo rechaçava o culto a beleza e a higiene pessoal;
  • 4. Com o renascentismo e com o descobrimento da América, no século XV, percebemos o retorno da busca pelo embelezamento. Durante a idade moderna, nos séculos XVII e XVIII, notam-se a crescente evolução dos cosméticos,com o uso de perfumes.
  • 5. O reconhecimento dos benefícios à higiene pessoal e a desassociação dos cosméticos com bruxarias ocorreu na Idade Contemporânea, no século XIX; O século XX inaugura a era das indústrias de cosméticos;
  • 6. Nos anos 50, políticas de incentivo trazem para o Brasil, a empresa americana Avon, e a francesa Loreal; Nos anos 70 e 80,cores de maquiagem torna-se variadas,os filtros solares começam a ser usados e os ácidos começam a ser empregados no tratamento de rugas e manchas;
  • 7. Nos anos 90, o tempo entre a aplicação dos cosméticos e o aparecimento do efeito prometido diminui de 30 dias para 24 horas; No final do século XX, a ciência dos cosméticos foi um fato inegável, pois trabalha não só o embelezamento, como também o envelhecimento da pele e outros fatores nocivos à saúde.
  • 8. Evolução do Mercado de Cosméticos
  • 9. Fatores que tem contribuído para o crescimento do setor : Participação da mulher brasileira no mercado de trabalho; Utilização da tecnologia de ponta; Crescimento crescente de novos produtos; Aumento da expectativa de vida.
  • 10. Conceitos Básicos Cosmético Substância de origem animal, vegetal ou mineral utilizada para limpar, hidratar, corrigir, embelezar e proteger a pele e seus anexos.
  • 11. Cosmetologia É a ciência que serve de suporte à fabricação dos produtos de beleza e permite verificar as suas propriedades. Cosmecêutico É um produto cosmético com propriedades farmacêuticas.
  • 12. Cosmetólogo É o técnico que estuda e afina as formulações e fabrica produtos de beleza, aplicando os métodos cientìficos determinados pela cosmetologia. Esteticista É o prático que sabe escolher os cosméticos, segundo as suas propriedades, qualidades e indicações e os aplica de acordo com as técnicas e métodos ligados à profissão.
  • 13. Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes São preparações constituídas por substâncias naturais ou sintéticas, de uso externo nas diversas partes do corpo,com o objetivo exclusivo de limpá-los, perfumá-los, alterar sua aparência e ou corrigir odores corporais, protegê-los ou mantê-los em bom estado.
  • 14. COSMÉTICA ESTUDO DOS COSMÉTICOS: FUNÇÃO E ESTRUTURA DA PELE Prof: Erika Liz
  • 15. Função do Cosmético O cosmético tem como finalidade tratar a pele de forma a prevenir a sua deterioração e restabelecer o seu equilíbrio. As Funções Básicas dos Cosmético são: Limpar Proteger Corrigir Adornar Limpar
  • 16. O sol provoca na pele Uma vasodilatação dos capilares superficiais que acabam em rosácea (couperose)
  • 17. Um espessamento da camada córnea Uma desidratação da pele. Câncer de pele A pele deve ser protegida pela permanência de uma película HIDROLÍPIDICA Logo corrigir o estado de uma pele significa restabelecer o equilíbrio.
  • 18. Aspecto da pele hidratada Quando saudável e hidratada, a pele apresenta um aspecto brilhante e de plasticidade. Uma pele desidratada perde suas propriedades biomecânicas, biológicas e sobretudo estéticas pois o seu aspecto torna- se opaco, áspero, sem elasticidade e com tendência a descamação.
  • 19. A pele é o maior órgão do corpo humano e um dos mais complexos, exercendo uma função principal de proteção e revestimento. A pele protege o corpo contra agressões do meio ambiente e funções sensoriais (calor, frio, pressão, dor, tato), além de ter o seu importante papel na regulação térmica, defesa orgânica e controle do fluxo sangüíneo. Função e Estrutura da Pele
  • 20. Pele A parte Externa - Epiderme A parte Interna - Derme Epiderme Derme
  • 22. Epiderme É um epitélio queratinizado estratificado composto de queratinócitos, as células especilializadas responsáveis pela renovação, coesão e barreira da epiderme. A epiderme é um tecido auto-renovador.
  • 24. Camada Basal ( Stratum Basale ) É a camada mais profunda e fica logo acima da derme.Tem maior atividade mitótica. Camada Espinosa ( Stratum Spinosum ) É a camada mais grossa da epiderme. As células nesta camada chegam por migração da camada basal. Camada Granular ( Stratum Granulosum ) É caracterizada pela presença de grânulos de queratohialina entre os filamentos de queratina.
  • 25. Camada Córnea ( Stratum Corneum ) É a camada mais superficial e é composta de células mortas. O alto conteúdo lipídico forma uma barreira para a retenção de água e resistência. Composta basicamente de queratina, uma proteína responsável pela impermeabilização da pele. O stratum lucidum é parte desta camada.
  • 26. Derme A derme estar localizada entre a epiderme e a hipoderme, e é responsável pela resistência e elasticidade da pele. É constituída por tecido conjuntivo denso irregular (fibras colágenas e elásticas envoltas por substância fundamental), pilossebáceos e glândulas sudoríparas, originadas na epiderme. Contém extensa vascularização, neurônios, músculo liso e fibroblastos.
  • 27. Hipoderme É composta de tecido conectivo frouxo com um grande número de células adiposas. A hipoderme confere insulação, absorção de impacto, estoque de energia e flexibilidade. Contém o maior número de vasos sanguíneos da pele.
  • 28. Matriz Extracelular Representa a integração das células em tecidos, que secretam uma ampla diversidade de proteinas e carboidratos, criando um ambiente especial entre as células. O Colágeno é a principal proteína fibrosa encontrada na matriz extracelular. É secretado na forma de procolágeno, que formam as fibras colágenas para dar resistência a pele.
  • 29. Fibras de Colágeno e Elastina
  • 30. Moléculas de Elastina formam uma rede interligada de fibras na matriz extracelular, particulamente na pele, pulmão e vasos sanguineos, onde confere as propriedades de estiramento e retração elástica. A Fibronectina é uma glicoproteína de estrutura. Sua biossíntese aumenta na derme com a idade.
  • 31. Modelo da estrutura laminar basal
  • 32. Flora Cutânea A pele é preenchida em toda sua superfície por diversos tipos de microorganismos, constituindo a flora cutânea, é formada: Flora chamada resistente ( micoorganismos saprófitas ); Flora transitória ( microorganismos são hóspedes acidentais ).
  • 33. COSMÉTICA ESTUDO DOS COSMÉTICOS: APÊNDICES EPIDÉRMICOS Prof: Leina Mércia
  • 34.
  • 35. Apêndices Epidérmicos Glândulas Sebácea São anexos dos folículos capilares e estão inseridos na derme e hipoderme; São predominantes no rosto, pescoço e parte superior do corpo,secretam por secreção holócrina ( a própria célula morre e é o produto de secreção); A secreção é o sebo,uma mistura de triglicérides e colesterol tipo cera.
  • 36. Funciona como um agente protetor e mantém a textura da pele e a flexibilidade do cabelo. Devido a presença de lipídeos, desempenham papel no odor específico de cada indivíduo. Contribui para minimizar os efeitos da radiação ultravioleta.
  • 37. Glândulas Sudorípadas As glândulas Sudorípadas Écrinas são glândulas tubulares em espiral, estão na camada profunda da derme ou sobre a hipoderme, estando presente em todo o corpo. Função primária é a transpiração.
  • 38. As glândulas Sudorípadas Apócrinas são glândulas tubulares que desembocam nos folículos pilosos nas axilas e regiões urogenitais. A secreção é uma mistura de proteínas, carboidratos, e íons férricos que não possuem odor, porém torna-se fétidas após ação de bactérias comensais.
  • 39. Pêlo É composto por células epidérmicas mortas que passaram por um processo de queratinização. É derivado dos folículos capilares ou pilosos, que são invaginações que se projetam da derme ou hipoderme. Os músculos eretores do pêlo tornam os pêlos arrepiados para uma melhor insulação.
  • 40. Unhas As unhas são lâminas epidérmicas, queratinizadas, duras e se diferenciam da pele por não serem descamativas. A função principal da unha é proteger as extremidades dos dedos, aumentam a capacidade de pressão e facilitam os movimentos de precisão.
  • 42. Raízes Estão protegidas na derme, dentro do folículo piloso, onde o cabelo é gerado e colorido. Papila dérmica Regula o ciclo de vida do cabelo. Glândula Sebácea Libera lipídios na forma de sebo.É essencial para a lubrificação e proteção da fibra capilar.
  • 43. Queratinócitos São células que se diferenciam para formar diferentes estruturas do cabelo. Melanócitos São células grandes que estão presa na papila dérmica, produzem o pigmento melanina.