SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Concentração de Soluções Alunos:  Elisabeth Assis Martins Machado
Soluções   são sistemas homogêneos formados por uma ou mais substâncias dissolvidas  (solutos)  em outra substância presente em maior proporção na mistura  (solvente) .
Solução Soluto Solvente Exemplo Sólida Sólido Sólido Liga metálica Cu – Ni  Líquido Sólido Hg em Cu (amálgama de cobre) Gasoso  Sólido dissolvido em Ni Líquida  Sólido Líquido NaCl em  Líquido líquido Álcool em  Gasoso  Líquido dissolvido em  Gasosa Sólido Gasoso  Material particulado no ar atmosférico Líquido Gasoso  Água no ar atmosférico  Gasoso  Gasoso  Ar atmosférico
Soluções Iônicas (eletrolíticas) São aquelas em que o soluto é um composto iônico. Exemplo: água + sal de cozinha. Soluções Moleculares (não - eletrolíticas) São aquelas em que o soluto é um composto molecular. Exemplo: água + açúcar. Obs.: Os ácidos são compostos moleculares, que em água, originam uma solução eletrolítica.  b) Quanto à natureza do soluto as soluções são classificadas em:
c)  Classificação das soluções quanto a relação soluto x solvente:
O excesso do soluto - nesta mesma temperatura - vai se  depositando no fundo  do recipiente e a solução é dita saturada com corpo de fundo.     A  saturação  de uma solução ocorre quando, a uma determinada temperatura e sob agitação contínua, observa-se que em determinado momento o soluto não se dissolve mais.  Isto ocorre quando se adiciona aproximadamente 360 g de sal de cozinha (cloreto de sódio) puro em1 litro de água.
No momento que os primeiros fragmentos do soluto se depositam no fundo do recipiente, diz-se que foi atingido o  ponto de saturação , que depende tanto do soluto como do solvente, da temperatura e da pressão - esta última é importante quando existem gases envolvidos no processo.
Uma solução com quantidade de soluto inferior ao coeficiente de solubilidade é considerada: Não saturada ou insaturada
Quando uma solução saturada com corpo de fundo é aquecida lentamente, o soluto ali depositado é dissolvido numa temperatura mais elevada. Deixa-se o frasco em repouso, e provocando o rápido abaixamento da temperatura o soluto continua dissolvido e temos então uma solução supersaturada. Entretanto, basta uma pequena agitação no sistema ou a introdução de um fragmento (gérmen) do soluto para que ocorra a precipitação do excesso do soluto e a solução volta a ser saturada.  SOLUÇÃO SUPERSATURADA É INSTÁVEL
Substâncias diferentes se dissolvem em quantidades diferentes em uma mesma quantidade de solvente na mesma temperatura, isto depende do  Coeficiente de Solubilidade. O  CS  é a quantidade  máxima dissolvida de uma substância em uma determinada temperatura, em uma quantidade padrão de solvente.
São gráficos que apresentam a variação dos coeficientes de solubilidade das substâncias  em função da temperatura.   Curvas de Solubilidade:
Características de uma solução:
É a quantidade de soluto que é dissolvido em um solvente. Indica uma relação entre duas quantidades (soluto e solvente ou solução).  Em situações domésticas usamos as palavras “forte” e “fraca” para descrever a concentração, por exemplo, de uma xícara de chá ou de café.  CONCENTRAÇÃO  Em química, são utilizados os termos: “ CONCENTRADO” ou “DILUÍDO” para falar a respeito da quantidade de soluto presente na solução. Diluído significa que apenas uma pequena quantidade de soluto é dissolvida e concentrado significa que uma porção grande de soluto está presente na solução.
  Quantidade   de componente de interesse Concentração =   Quantidade de material total   ou seja,   Quantidade   de soluto Concentração de solução  =   Quantidade de solução (soluto + solvente) CONCENTRAÇÃO
Expressão de concentrações em:   - gramas por litro (g.L -1 )   - porcentagem (%): Peso por volume (g.100mL -1 ); peso por peso (g.100 g -1 ); volume por volume (mL.100mL -1 )   - partes por milhão (ppm), p.ex: mg.L -1   - partes por bilhão (ppb), p. ex: µg.L -1 CONCENTRAÇÃO
DENSIDADE DA SOLUÇÃO (d) É a relação entre a massa da solução e o seu volume: d=  massa da solução volume da solução TÍTULO ( t ) Relaciona massa de soluto e solução: t  =  massa do soluto massa do soluto + massa do solvente
TÍTULO EM VOLUME ( t v ) t v   =  volume do soluto volume da solução
Concentração em mol/L ou concentração molar ou molaridade (M) É a relação entre o número de mol do soluto e o volume da solução em litros: M   =  nº de mol do soluto volume da solução (L) RELAÇÕES ENTRE C,  T , D, M C   =  m1 V t  =  m1 m d   =  m V M =  n V

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluçõesDilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluções
Marilena Meira
 
Equilibrio Químico
Equilibrio QuímicoEquilibrio Químico
Equilibrio Químico
ursomaiaalfa
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
Liana Maia
 

Mais procurados (20)

Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
 
Dilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluçõesDilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluções
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Relatorio 9 quimica
Relatorio 9 quimicaRelatorio 9 quimica
Relatorio 9 quimica
 
Voltametria
VoltametriaVoltametria
Voltametria
 
Relatório Potenciometria
Relatório PotenciometriaRelatório Potenciometria
Relatório Potenciometria
 
Soluções Químicas
Soluções QuímicasSoluções Químicas
Soluções Químicas
 
Mol a unidade da química
Mol a unidade da químicaMol a unidade da química
Mol a unidade da química
 
Equilibrio Químico
Equilibrio QuímicoEquilibrio Químico
Equilibrio Químico
 
Introdução às Reações Orgânicas
Introdução às Reações OrgânicasIntrodução às Reações Orgânicas
Introdução às Reações Orgânicas
 
Balanceamento
BalanceamentoBalanceamento
Balanceamento
 
Relatório exp. 01
Relatório exp. 01Relatório exp. 01
Relatório exp. 01
 
A Densidade
A DensidadeA Densidade
A Densidade
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
 
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo IIRelatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
 
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos OrgânicosReações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
 
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscinaRelatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
Relatorio analitica 2 determinação de cloro ativo em produto para piscina
 
Fundamentos quimica analitica
Fundamentos quimica analiticaFundamentos quimica analitica
Fundamentos quimica analitica
 
Concentração das soluções
Concentração  das soluçõesConcentração  das soluções
Concentração das soluções
 
Apostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirreduçãoApostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirredução
 

Destaque

Chinese Immigration to Brazil: A Little History
Chinese Immigration to Brazil: A Little HistoryChinese Immigration to Brazil: A Little History
Chinese Immigration to Brazil: A Little History
UNIVERSIDADE UNIGRANRIO
 
Referencias bibliográficas
Referencias bibliográficasReferencias bibliográficas
Referencias bibliográficas
marcosbellacruz
 
Aula 3 solucoes
Aula 3   solucoesAula 3   solucoes
Aula 3 solucoes
joaocgf
 

Destaque (20)

Concentrações de soluções
Concentrações de soluçõesConcentrações de soluções
Concentrações de soluções
 
Chinese Immigration to Brazil: A Little History
Chinese Immigration to Brazil: A Little HistoryChinese Immigration to Brazil: A Little History
Chinese Immigration to Brazil: A Little History
 
2ª aula de Administração (UNIGRANRIO - D. Caxias - RJ)
2ª aula de Administração (UNIGRANRIO - D. Caxias - RJ)2ª aula de Administração (UNIGRANRIO - D. Caxias - RJ)
2ª aula de Administração (UNIGRANRIO - D. Caxias - RJ)
 
Os colóides do solo
Os colóides do soloOs colóides do solo
Os colóides do solo
 
Concentração de soluções aquosas
Concentração de soluções aquosasConcentração de soluções aquosas
Concentração de soluções aquosas
 
Solucoes-Colóides- Prof André
Solucoes-Colóides- Prof AndréSolucoes-Colóides- Prof André
Solucoes-Colóides- Prof André
 
Dengue Control in Belford Roxo_RJ
Dengue Control in Belford Roxo_RJDengue Control in Belford Roxo_RJ
Dengue Control in Belford Roxo_RJ
 
Project Mais Baixada
Project Mais BaixadaProject Mais Baixada
Project Mais Baixada
 
Referencias bibliográficas
Referencias bibliográficasReferencias bibliográficas
Referencias bibliográficas
 
Aula 02. Concentração Comum e Densidade
Aula 02. Concentração Comum e DensidadeAula 02. Concentração Comum e Densidade
Aula 02. Concentração Comum e Densidade
 
Soluções
Soluções  Soluções
Soluções
 
Aula 3 solucoes
Aula 3   solucoesAula 3   solucoes
Aula 3 solucoes
 
RevisãO Para Ufmt 2008
RevisãO Para Ufmt 2008RevisãO Para Ufmt 2008
RevisãO Para Ufmt 2008
 
Concentracao de solucoes
Concentracao de solucoesConcentracao de solucoes
Concentracao de solucoes
 
Petroleo
PetroleoPetroleo
Petroleo
 
Concentração de soluções - Resumo e Lista de Exercícios
Concentração de soluções - Resumo e Lista de ExercíciosConcentração de soluções - Resumo e Lista de Exercícios
Concentração de soluções - Resumo e Lista de Exercícios
 
Fisico quimica
Fisico quimicaFisico quimica
Fisico quimica
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
Atividade concentração comum 2º médio
Atividade concentração comum 2º médioAtividade concentração comum 2º médio
Atividade concentração comum 2º médio
 
Soluções - Química geral para engenharia
Soluções - Química geral para engenhariaSoluções - Química geral para engenharia
Soluções - Química geral para engenharia
 

Semelhante a Soluções 1

Quimicasolues 090626113608-phpapp01
Quimicasolues 090626113608-phpapp01Quimicasolues 090626113608-phpapp01
Quimicasolues 090626113608-phpapp01
mpmk
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
Thiago
 
Aula iii soluções
Aula iii   soluçõesAula iii   soluções
Aula iii soluções
Aline Carla
 
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
MayraFonseca11
 
Solu%E7%F5es Defini%E7%F5es
Solu%E7%F5es Defini%E7%F5esSolu%E7%F5es Defini%E7%F5es
Solu%E7%F5es Defini%E7%F5es
Tallys_bio_qui
 
Soluções e cálculos químicos (mariana)
Soluções e cálculos químicos (mariana)Soluções e cálculos químicos (mariana)
Soluções e cálculos químicos (mariana)
Leonardo Carneiro
 

Semelhante a Soluções 1 (20)

Quimicasolues 090626113608-phpapp01
Quimicasolues 090626113608-phpapp01Quimicasolues 090626113608-phpapp01
Quimicasolues 090626113608-phpapp01
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
 
Sl solubilidade
Sl solubilidadeSl solubilidade
Sl solubilidade
 
Concentração de soluções
Concentração de soluçõesConcentração de soluções
Concentração de soluções
 
Instituto técnico de Moçambique.pptx
Instituto técnico de Moçambique.pptxInstituto técnico de Moçambique.pptx
Instituto técnico de Moçambique.pptx
 
Soluções - resolução de exercícios
Soluções - resolução de exercíciosSoluções - resolução de exercícios
Soluções - resolução de exercícios
 
soluções parte 1.pptx.pdf
soluções parte 1.pptx.pdfsoluções parte 1.pptx.pdf
soluções parte 1.pptx.pdf
 
Dispersões e soluções.pdf
Dispersões e soluções.pdfDispersões e soluções.pdf
Dispersões e soluções.pdf
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
solucoes.pdf
solucoes.pdfsolucoes.pdf
solucoes.pdf
 
Aula iii soluções
Aula iii   soluçõesAula iii   soluções
Aula iii soluções
 
As Soluções
As SoluçõesAs Soluções
As Soluções
 
1 Misturas e Soluções
1 Misturas e Soluções1 Misturas e Soluções
1 Misturas e Soluções
 
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
3-Química_Concentrações e estudo das soluções.pptx
 
Solubilidade 2013 csa_v2
Solubilidade 2013 csa_v2Solubilidade 2013 csa_v2
Solubilidade 2013 csa_v2
 
funções organicas
funções organicasfunções organicas
funções organicas
 
Solu%E7%F5es Defini%E7%F5es
Solu%E7%F5es Defini%E7%F5esSolu%E7%F5es Defini%E7%F5es
Solu%E7%F5es Defini%E7%F5es
 
AULA atual de SOLUCOES da QUIMICA!!.pptx
AULA atual de SOLUCOES da QUIMICA!!.pptxAULA atual de SOLUCOES da QUIMICA!!.pptx
AULA atual de SOLUCOES da QUIMICA!!.pptx
 
Estudo das Soluções
Estudo das SoluçõesEstudo das Soluções
Estudo das Soluções
 
Soluções e cálculos químicos (mariana)
Soluções e cálculos químicos (mariana)Soluções e cálculos químicos (mariana)
Soluções e cálculos químicos (mariana)
 

Último

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 

Soluções 1

  • 1. Concentração de Soluções Alunos: Elisabeth Assis Martins Machado
  • 2. Soluções são sistemas homogêneos formados por uma ou mais substâncias dissolvidas (solutos) em outra substância presente em maior proporção na mistura (solvente) .
  • 3. Solução Soluto Solvente Exemplo Sólida Sólido Sólido Liga metálica Cu – Ni Líquido Sólido Hg em Cu (amálgama de cobre) Gasoso Sólido dissolvido em Ni Líquida Sólido Líquido NaCl em Líquido líquido Álcool em Gasoso Líquido dissolvido em Gasosa Sólido Gasoso Material particulado no ar atmosférico Líquido Gasoso Água no ar atmosférico Gasoso Gasoso Ar atmosférico
  • 4. Soluções Iônicas (eletrolíticas) São aquelas em que o soluto é um composto iônico. Exemplo: água + sal de cozinha. Soluções Moleculares (não - eletrolíticas) São aquelas em que o soluto é um composto molecular. Exemplo: água + açúcar. Obs.: Os ácidos são compostos moleculares, que em água, originam uma solução eletrolítica. b) Quanto à natureza do soluto as soluções são classificadas em:
  • 5. c) Classificação das soluções quanto a relação soluto x solvente:
  • 6. O excesso do soluto - nesta mesma temperatura - vai se depositando no fundo do recipiente e a solução é dita saturada com corpo de fundo.   A saturação de uma solução ocorre quando, a uma determinada temperatura e sob agitação contínua, observa-se que em determinado momento o soluto não se dissolve mais. Isto ocorre quando se adiciona aproximadamente 360 g de sal de cozinha (cloreto de sódio) puro em1 litro de água.
  • 7. No momento que os primeiros fragmentos do soluto se depositam no fundo do recipiente, diz-se que foi atingido o ponto de saturação , que depende tanto do soluto como do solvente, da temperatura e da pressão - esta última é importante quando existem gases envolvidos no processo.
  • 8. Uma solução com quantidade de soluto inferior ao coeficiente de solubilidade é considerada: Não saturada ou insaturada
  • 9. Quando uma solução saturada com corpo de fundo é aquecida lentamente, o soluto ali depositado é dissolvido numa temperatura mais elevada. Deixa-se o frasco em repouso, e provocando o rápido abaixamento da temperatura o soluto continua dissolvido e temos então uma solução supersaturada. Entretanto, basta uma pequena agitação no sistema ou a introdução de um fragmento (gérmen) do soluto para que ocorra a precipitação do excesso do soluto e a solução volta a ser saturada. SOLUÇÃO SUPERSATURADA É INSTÁVEL
  • 10. Substâncias diferentes se dissolvem em quantidades diferentes em uma mesma quantidade de solvente na mesma temperatura, isto depende do Coeficiente de Solubilidade. O CS é a quantidade máxima dissolvida de uma substância em uma determinada temperatura, em uma quantidade padrão de solvente.
  • 11. São gráficos que apresentam a variação dos coeficientes de solubilidade das substâncias  em função da temperatura. Curvas de Solubilidade:
  • 13. É a quantidade de soluto que é dissolvido em um solvente. Indica uma relação entre duas quantidades (soluto e solvente ou solução). Em situações domésticas usamos as palavras “forte” e “fraca” para descrever a concentração, por exemplo, de uma xícara de chá ou de café. CONCENTRAÇÃO Em química, são utilizados os termos: “ CONCENTRADO” ou “DILUÍDO” para falar a respeito da quantidade de soluto presente na solução. Diluído significa que apenas uma pequena quantidade de soluto é dissolvida e concentrado significa que uma porção grande de soluto está presente na solução.
  • 14.   Quantidade de componente de interesse Concentração = Quantidade de material total   ou seja,   Quantidade de soluto Concentração de solução = Quantidade de solução (soluto + solvente) CONCENTRAÇÃO
  • 15. Expressão de concentrações em:   - gramas por litro (g.L -1 )   - porcentagem (%): Peso por volume (g.100mL -1 ); peso por peso (g.100 g -1 ); volume por volume (mL.100mL -1 )   - partes por milhão (ppm), p.ex: mg.L -1   - partes por bilhão (ppb), p. ex: µg.L -1 CONCENTRAÇÃO
  • 16. DENSIDADE DA SOLUÇÃO (d) É a relação entre a massa da solução e o seu volume: d= massa da solução volume da solução TÍTULO ( t ) Relaciona massa de soluto e solução: t = massa do soluto massa do soluto + massa do solvente
  • 17. TÍTULO EM VOLUME ( t v ) t v = volume do soluto volume da solução
  • 18. Concentração em mol/L ou concentração molar ou molaridade (M) É a relação entre o número de mol do soluto e o volume da solução em litros: M = nº de mol do soluto volume da solução (L) RELAÇÕES ENTRE C, T , D, M C = m1 V t = m1 m d = m V M = n V