SlideShare uma empresa Scribd logo
Suely de Brito Clemente Soares Mestre em Educação, Ciência e Tecnologia  Cibertecária –  BRC [email_address] Biblioteca Digital do Campus de Rio Claro  UNESP [email_address] MSN:  [email_address]     SKYPE:  suelybcs
CiberEduc :  construção e desenvolvimento de uma comunidade virtual  de aprendizagem colaborativa das TICs, aplicadas ao fazer diário de  bibliotecários de referência de universidades brasileiras DF e 12  Estados representados   14   Estados não representados 120 inscritos 2º semestre/2003 Dissertação disponível em: http://libdigi.unicamp.br/ document/?code=vtls000384508
Comunidades Virtuais de Aprendizagem Colaborativa  CVACs e   Comunidades de Práticas  CoPs como  e  por  quê  construí-las para profissionais da informação
1. PROXIMIDADE   2. COESÃO 3. PRESERVAÇÃO VÍNCULOS C O M U N I D A D E
1.  PROXIMIDADE :   mesmo tempo, mesmo espaço, mesmo lugar V I R T U A I S 2. COESÃO:  cultura, características, interesses comuns   3. PRESERVAÇÃO:  conquista de objetivos coletivos 1.  PROXIMIDADE :  2.  COESÃO :   3. PRESERVAÇÃO :   TICs - tempo - espaço -  on-line  - conexão Cibercultura: hipertexto  -  língua  -  símbolos  -  ética interação pela  escolha  -  motivação pessoal   C O M U N I D A D E S
Interação humana mediatizada Interação síncrona e assíncrona Controle volitivo da participação  Motivação pessoal de  cada membro Comunidades Virtuais
TAXONOMIA DAS COMUNIDADES VIRTUAIS      Panitz (1996) – colaborativa  X cooperativa    colaborativa = característica pessoal      voluntária – motivação pessoal - desobrigação Howard Rheingold  (1993)    abertas:   chat  -   bloggers     restritas:   MSN  –  Orkut  -  Multiply      moderadas (ou não):   listas de discussão      Etienne Wenger ( 1998)    Community of Practices  – objetivos da empresa    educação corporativa – universidade corporativa CVs  DE  RELACIONAMENTOS   CVs  DE  APRENDIZAGEM CVAC -  Aprendizagem Colaborativa CoP -  Aprendizagem Cooperativa
Comunidades Virtuais de relacionamento sem qualquer compromisso com aprendizagem Agregação por interesses comuns E-mails – Listas de discussão – MSN – Orkut - Blog
Alguns conceitos básicos sobre Comunidades Virtuais de  Aprendizagem: CVACs  e CoPs
[object Object],[object Object],[object Object],desenvolvimento  pessoal  contextualizado
2. CoPs Comunidades  de Práticas desenvolvimento de idéias,  projetos, práticas de interesse da instituição
1. Comunidades Virtuais de Aprendizagem Colaborativa os membros da CVAC CONSTROEM   o conteúdo  mediante postagem de suas dúvidas e/ou necessidades de aprendizagem ênfase está na colaboração   voluntária interesse e motivação estão no   desenvolvimento pessoal  avaliação pela participação
Enviado: segunda-feira, 12 de junho de 2006 10:46:28 De:  miguel@ibict.br  Para: bib_virtual@ibict.br  Assunto: [Bib_virtual] BIBNEWS:    Aprendendo com colegas   Talk to the people you work with everyday, but not just other librarians.  Talk to your IT staff and your part-timers too.  You can learn  a lot about what is hot technologically from your computer lab attendants and your shelvers.  You can also learn from the colleagues  that you don’t see every day, and even from colleagues you don’t know! Blogs, wikis, chat, IM, even e-mail, can help you learn about new trends and developments that are headed your way. There are some interesting and fun library technology blogs out there and we should take advantage of them. Check out things like the Library Journal Tech Blog  (http://www.libraryjournal.com/blog/670000067.html),  ALA’s TechSource  (http://www.techsource.ala.org/),  Tame the Web  (http://www.tametheweb.com/ttwblog/),  The Shifted Librarian  (http://www.theshiftedlibrarian.com/),  Liblog  (http://www.rcpl.info/services/liblog.html). Remember to take advantage of the time savers that are available to us today like RSS feeds, digests, and database alerts.  FONTE: LIRT News, June 2006   Comunidade  Virtual    de  Aprendizagem  Colaborativa
CVACs de bibliotecários oportunizam: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CVACs de bibliotecários oportunizam: b) Reflexão sobre  a importância das comunidades virtuais  para o desenvolvimento,  a curto prazo,  da competência informacional requerida dos profissionais em exercício nas bibliotecas universitárias brasileiras
CVACs de bibliotecários oportunizam: c) possibilidade de  “ estarem juntos virtualmente”, compartilhando conhecimento:  os profissionais em exercício, docentes e alunos  dos cursos de graduação e pós-graduação em Biblioteconomia e correlatos.
CVACs de bibliotecários oportunizam: d) depois de construídas, estarem bem estruturadas  e estabelecidas,  duas CVACs poderão  criar vínculos entre si, ampliando a rede OU  uma CVAC  poderá se subdividir em duas, restringindo o tema e a rede
A capacitação de capacitadores (docentes) terá um efeito multiplicador exponencial  se feita  on-line , através de comunidades virtuais de aprendizagem colaborativa que incluam alunos e profissionais em exercício Profissionais em exercício têm  um papel educacional a desempenhar,  o de serem agentes que atuem na construção do conhecimento dos  profissionais que estão em formação
As CVACs temáticas poderão ser soluções, viáveis e a curto prazo,  para capacitação de profissionais, em exercício e/ou em formação, se viabilizadas por docentes vinculados  às IES e/ou Associações, CRBs, com ampla divulgação pelos mesmos
CiberEduc –  inscrições abertas   apoio:  IBICT -  http://teleduc.ibict.br
2. CoPs Comunidades  de Práticas
  CoPs : comunidades de práticas virtuais e/ou presenciais interação alinhada aos objetivos da biblioteca  ou universidade construir ou  melhorar produtos criar ou  implantar novos procedimentos
Há três elementos na definição  de comunidades de prática.  Um é o domínio: tem de haver um assunto  sobre o qual a comunidade fala .  (Etienne Wenger)
O segundo é a própria  comunidade :  as pessoas têm de  interagir e construir  relações entre si em torno do domínio.  Uma página na  web  não é uma CoP.   Ou, se houver sessenta gestores que nunca se falam,  eles não são uma CoP - ainda que desempenhem as mesmas funções.  Tem de haver uma comunidade.   (Etienne Wenger)
O terceiro é a  prática : tem de existir uma  prática  e  não apenas um interesse que as pessoas partilham.  Elas aprendem juntas como fazer as coisas  pelas quais se interessam.  (Etienne Wenger)
CoP  Fonte: Tekné digital - http://www.teknedigital.com.br/tekne/solucoes/gecon/
Para que uma  comunidade virtual de prática  possa surgir,  devem ser considerados os seguintes requisitos:  1)  a  participação  dos seus membros; 2)  benefícios  claros para os seus membros e   3) interesse do  conteúdo   (Etienne Wenger)
Uma CoP é um grupo que partilha um interesse e que se junta para criar  uma prática  em torno desse tópico  (Etienne Wenger) Comunidades de Práticas - CoPs algumas CoPs brasileiras:  Bireme - Embrapa - Petrobrás - Camargo Corrêa -  Serpro  Siemens – Votorantim ... Grupos de pessoas que compartilham um interesse,  um conjunto de problemas, ou uma paixão sobre um tema  e que aprofundam sua compreensão e conhecimento  da área através de  interação regular .  (Wenger, McDermott, and   Snyder)
As comunidades de prática bem sucedidas são, geralmente, aquelas importantes tanto para o  indivíduo  como para a  organização .  Além disso, para um profissional,  é essencial pertencer a uma  CoP  porque é muito difícil saber tudo: é necessário ter colegas,  pessoas com quem falar sobre os problemas,  a quem pedir ajuda e informação.  Há muito para ler,  muitas conferências para assistir...  É impossível uma pessoa saber tudo .  Fonte:   entrevista com   Etienne Wenger   http://www.kmol.online.pt/pessoas/WengerE/entrev_1.htm
 
http://www.portalsbgc.org.br/sbgc/foruns
 
 
 
Alguns fatores críticos de sucesso = Comunidades Virtuais de  Aprendizagem
Fatores críticos  de sucesso a) TEMÁTICAS bem focadas em   interesses específicos
Fatores críticos  de sucesso b) SOFTWARE  LIVRE continuidade não pode depender de verbas
Fatores críticos  de sucesso c) TUTORES - MEMBROS o sucesso depende  das PESSOAS  (e não das tecnologias)
“ [...]  é irônico que pela primeira vez na história as tecnologias da informação criaram a possibilidade da comunidade global, mas fazê-la acontecer,  de fato, exige atos do  c o r a ç ã o  humano” (Richard McDermott  - Knowing in community )   SKYPE: suelybcs Grata pela atenção! [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Redes sociais na educação superior
Redes sociais na educação superiorRedes sociais na educação superior
Redes sociais na educação superior
Carloney
 
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembroe-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
eraizes redes
 
Quando os moocs não são moocs
Quando os moocs não são moocsQuando os moocs não são moocs
Quando os moocs não são moocs
Rafael Morais
 
Aula3 Tendencias
Aula3 TendenciasAula3 Tendencias
Aula3 Tendencias
Ana Paula
 
Redes e comunidades - ensino-aprendizagem pela internet
Redes e comunidades - ensino-aprendizagem pela internetRedes e comunidades - ensino-aprendizagem pela internet
Redes e comunidades - ensino-aprendizagem pela internet
Renata de Sousa
 
Escrita Colaborativa
Escrita ColaborativaEscrita Colaborativa
Escrita Colaborativa
apedro p
 
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [b...
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem  [b...Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem  [b...
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [b...
Pedro Príncipe
 
Laboratório Audivisual Hipermedia Aula4 22 03
Laboratório Audivisual Hipermedia Aula4 22 03Laboratório Audivisual Hipermedia Aula4 22 03
Laboratório Audivisual Hipermedia Aula4 22 03
Pedro Tavares
 
As ferramentas web 2.0 e as comunidades de aprendizagem : estudo de casos sob...
As ferramentas web 2.0 e as comunidades de aprendizagem : estudo de casos sob...As ferramentas web 2.0 e as comunidades de aprendizagem : estudo de casos sob...
As ferramentas web 2.0 e as comunidades de aprendizagem : estudo de casos sob...
Mónica Aresta
 
Comunidades de Prática (CoP): Subsídios para a Gestão do Conhecimento na Ed...
Comunidades de Prática (CoP): Subsídios para a Gestão do  Conhecimento na  Ed...Comunidades de Prática (CoP): Subsídios para a Gestão do  Conhecimento na  Ed...
Comunidades de Prática (CoP): Subsídios para a Gestão do Conhecimento na Ed...
Neli Maria Mengalli
 
Web2.0 Nas Organizacoes
Web2.0 Nas OrganizacoesWeb2.0 Nas Organizacoes
Web2.0 Nas Organizacoes
Paulo César Silva
 
Ii encontro ra
Ii encontro raIi encontro ra
Ii encontro ra
Sandra Guarnier
 
Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na EscolaRedes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola
Vanessa Nogueira
 
Sessao 1 sintese
Sessao 1 sinteseSessao 1 sintese
Sessao 1 sintese
Margarida Costa
 
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em RedePrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
Projeto Criança em Rede
 
Web 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
Web 2.0 e Aprendizagem ColaborativaWeb 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
Web 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
MP Cidadania
 
Cooperativo Colaborativo
Cooperativo ColaborativoCooperativo Colaborativo
Cooperativo Colaborativo
Ana Maria Figueira
 
PowerPoint da professora Adriana Clementino
PowerPoint da professora Adriana ClementinoPowerPoint da professora Adriana Clementino
PowerPoint da professora Adriana Clementino
Renata Aquino
 
Influência das Comunidades de SL na formação dos melhores profissionais de TI
Influência das Comunidades de SL na formação dos melhores profissionais de TIInfluência das Comunidades de SL na formação dos melhores profissionais de TI
Influência das Comunidades de SL na formação dos melhores profissionais de TI
Jose Pissin
 

Mais procurados (19)

Redes sociais na educação superior
Redes sociais na educação superiorRedes sociais na educação superior
Redes sociais na educação superior
 
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembroe-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
 
Quando os moocs não são moocs
Quando os moocs não são moocsQuando os moocs não são moocs
Quando os moocs não são moocs
 
Aula3 Tendencias
Aula3 TendenciasAula3 Tendencias
Aula3 Tendencias
 
Redes e comunidades - ensino-aprendizagem pela internet
Redes e comunidades - ensino-aprendizagem pela internetRedes e comunidades - ensino-aprendizagem pela internet
Redes e comunidades - ensino-aprendizagem pela internet
 
Escrita Colaborativa
Escrita ColaborativaEscrita Colaborativa
Escrita Colaborativa
 
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [b...
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem  [b...Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem  [b...
Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [b...
 
Laboratório Audivisual Hipermedia Aula4 22 03
Laboratório Audivisual Hipermedia Aula4 22 03Laboratório Audivisual Hipermedia Aula4 22 03
Laboratório Audivisual Hipermedia Aula4 22 03
 
As ferramentas web 2.0 e as comunidades de aprendizagem : estudo de casos sob...
As ferramentas web 2.0 e as comunidades de aprendizagem : estudo de casos sob...As ferramentas web 2.0 e as comunidades de aprendizagem : estudo de casos sob...
As ferramentas web 2.0 e as comunidades de aprendizagem : estudo de casos sob...
 
Comunidades de Prática (CoP): Subsídios para a Gestão do Conhecimento na Ed...
Comunidades de Prática (CoP): Subsídios para a Gestão do  Conhecimento na  Ed...Comunidades de Prática (CoP): Subsídios para a Gestão do  Conhecimento na  Ed...
Comunidades de Prática (CoP): Subsídios para a Gestão do Conhecimento na Ed...
 
Web2.0 Nas Organizacoes
Web2.0 Nas OrganizacoesWeb2.0 Nas Organizacoes
Web2.0 Nas Organizacoes
 
Ii encontro ra
Ii encontro raIi encontro ra
Ii encontro ra
 
Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na EscolaRedes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola
 
Sessao 1 sintese
Sessao 1 sinteseSessao 1 sintese
Sessao 1 sintese
 
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em RedePrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
PrêMio Instituto Vivo Toda CriançA Em Rede
 
Web 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
Web 2.0 e Aprendizagem ColaborativaWeb 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
Web 2.0 e Aprendizagem Colaborativa
 
Cooperativo Colaborativo
Cooperativo ColaborativoCooperativo Colaborativo
Cooperativo Colaborativo
 
PowerPoint da professora Adriana Clementino
PowerPoint da professora Adriana ClementinoPowerPoint da professora Adriana Clementino
PowerPoint da professora Adriana Clementino
 
Influência das Comunidades de SL na formação dos melhores profissionais de TI
Influência das Comunidades de SL na formação dos melhores profissionais de TIInfluência das Comunidades de SL na formação dos melhores profissionais de TI
Influência das Comunidades de SL na formação dos melhores profissionais de TI
 

Destaque

Calidad de salud en colombia
Calidad de salud en colombiaCalidad de salud en colombia
Calidad de salud en colombia
alejito-9524
 
Databasis posdaya on line
Databasis posdaya on lineDatabasis posdaya on line
Databasis posdaya on lineklurakdesa
 
Enseñar funciones con advanced grapher
Enseñar funciones con advanced grapherEnseñar funciones con advanced grapher
Enseñar funciones con advanced grapher
Ramón González
 
Bekalkkn 2013
Bekalkkn 2013Bekalkkn 2013
Bekalkkn 2013
klurakdesa
 
Exportações do rio grande do sul: janeiro a agosto de 2014
Exportações do rio grande do sul: janeiro a agosto de 2014Exportações do rio grande do sul: janeiro a agosto de 2014
Exportações do rio grande do sul: janeiro a agosto de 2014
Fundação de Economia e Estatística
 
Taller sobre presentación e imágenes
Taller sobre presentación e imágenesTaller sobre presentación e imágenes
Taller sobre presentación e imágenes
Sam Just
 
Preguntas dificiles para los hispanos
Preguntas dificiles para los hispanosPreguntas dificiles para los hispanos
Preguntas dificiles para los hispanos
Negocio en Redes
 
Gestao Negocios 04
Gestao Negocios 04Gestao Negocios 04
Gestao Negocios 04
Joyce Carla
 
Homenagem João Soares Cruz
Homenagem João Soares CruzHomenagem João Soares Cruz
Homenagem João Soares Cruz
Vinícius Durães
 
Experimentamos con Espuma De Afeitar
Experimentamos con   Espuma De AfeitarExperimentamos con   Espuma De Afeitar
Experimentamos con Espuma De Afeitararosaymartaa
 
คัมภีร์ฉันทศาสตร์
คัมภีร์ฉันทศาสตร์คัมภีร์ฉันทศาสตร์
คัมภีร์ฉันทศาสตร์Einu Palm Indy
 
Innovación y calidad en la RAPPS (Red Aragonesa de Proyectos de Promoción de...
Innovación y calidad  en la RAPPS (Red Aragonesa de Proyectos de Promoción de...Innovación y calidad  en la RAPPS (Red Aragonesa de Proyectos de Promoción de...
Innovación y calidad en la RAPPS (Red Aragonesa de Proyectos de Promoción de...
Departamento de Sanidad. Gobierno de Aragón (España)
 
пам.культури 9 кл.
пам.культури 9 кл.пам.культури 9 кл.
пам.культури 9 кл.
olgaskrip
 
Gestione Associata ICT
Gestione Associata ICTGestione Associata ICT
Gestione Associata ICT
Alessio Migazzi
 
3. toefl
3. toefl3. toefl
3. toefl
IECP
 
Plano de projeto - Sistema de Remoção de Servidores
Plano de projeto - Sistema de Remoção de ServidoresPlano de projeto - Sistema de Remoção de Servidores
Plano de projeto - Sistema de Remoção de Servidores
Diego Armando
 

Destaque (20)

Calidad de salud en colombia
Calidad de salud en colombiaCalidad de salud en colombia
Calidad de salud en colombia
 
我子を分析3
我子を分析3我子を分析3
我子を分析3
 
Databasis posdaya on line
Databasis posdaya on lineDatabasis posdaya on line
Databasis posdaya on line
 
Enseñar funciones con advanced grapher
Enseñar funciones con advanced grapherEnseñar funciones con advanced grapher
Enseñar funciones con advanced grapher
 
Bekalkkn 2013
Bekalkkn 2013Bekalkkn 2013
Bekalkkn 2013
 
Exportações do rio grande do sul: janeiro a agosto de 2014
Exportações do rio grande do sul: janeiro a agosto de 2014Exportações do rio grande do sul: janeiro a agosto de 2014
Exportações do rio grande do sul: janeiro a agosto de 2014
 
Taller sobre presentación e imágenes
Taller sobre presentación e imágenesTaller sobre presentación e imágenes
Taller sobre presentación e imágenes
 
Preguntas dificiles para los hispanos
Preguntas dificiles para los hispanosPreguntas dificiles para los hispanos
Preguntas dificiles para los hispanos
 
Spain
SpainSpain
Spain
 
Gestao Negocios 04
Gestao Negocios 04Gestao Negocios 04
Gestao Negocios 04
 
Homenagem João Soares Cruz
Homenagem João Soares CruzHomenagem João Soares Cruz
Homenagem João Soares Cruz
 
Experimentamos con Espuma De Afeitar
Experimentamos con   Espuma De AfeitarExperimentamos con   Espuma De Afeitar
Experimentamos con Espuma De Afeitar
 
คัมภีร์ฉันทศาสตร์
คัมภีร์ฉันทศาสตร์คัมภีร์ฉันทศาสตร์
คัมภีร์ฉันทศาสตร์
 
Innovación y calidad en la RAPPS (Red Aragonesa de Proyectos de Promoción de...
Innovación y calidad  en la RAPPS (Red Aragonesa de Proyectos de Promoción de...Innovación y calidad  en la RAPPS (Red Aragonesa de Proyectos de Promoción de...
Innovación y calidad en la RAPPS (Red Aragonesa de Proyectos de Promoción de...
 
Manual de kushida, matsuo
Manual de kushida, matsuoManual de kushida, matsuo
Manual de kushida, matsuo
 
пам.культури 9 кл.
пам.культури 9 кл.пам.культури 9 кл.
пам.культури 9 кл.
 
Gestione Associata ICT
Gestione Associata ICTGestione Associata ICT
Gestione Associata ICT
 
Usb idazteko plantilla
Usb idazteko plantillaUsb idazteko plantilla
Usb idazteko plantilla
 
3. toefl
3. toefl3. toefl
3. toefl
 
Plano de projeto - Sistema de Remoção de Servidores
Plano de projeto - Sistema de Remoção de ServidoresPlano de projeto - Sistema de Remoção de Servidores
Plano de projeto - Sistema de Remoção de Servidores
 

Semelhante a CVACs e CoPs: como e porque construi-las para profissionais da informacao

Comunidade de Prática e Web 2
Comunidade de Prática e Web 2Comunidade de Prática e Web 2
Comunidade de Prática e Web 2
thamarduarte
 
Redes sociais aabb em tela
Redes sociais   aabb em telaRedes sociais   aabb em tela
Redes sociais aabb em tela
Lívia Neiva
 
O que aprendemos com a web2.0
O que aprendemos com a web2.0O que aprendemos com a web2.0
O que aprendemos com a web2.0
Luciana Ferreira
 
Tecnologias da Web Social Aplicadas a Ambientes Educacionais
Tecnologias da Web Social Aplicadas a Ambientes EducacionaisTecnologias da Web Social Aplicadas a Ambientes Educacionais
Tecnologias da Web Social Aplicadas a Ambientes Educacionais
Ewout ter Haar
 
Tecnologias que Educam
Tecnologias que EducamTecnologias que Educam
Tecnologias que Educam
Maria Cristina Bortolozo
 
19248-Texto do artigo-78853-1-10-20121205.pdf
19248-Texto do artigo-78853-1-10-20121205.pdf19248-Texto do artigo-78853-1-10-20121205.pdf
19248-Texto do artigo-78853-1-10-20121205.pdf
JOSEDEANGELIS
 
Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12
Márcio Vasconcelos Pinto
 
Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12
techyredes
 
Redes Sociais: alguns conceitos e tecnologias
Redes Sociais: alguns conceitos e tecnologiasRedes Sociais: alguns conceitos e tecnologias
Ferramentas
FerramentasFerramentas
Ferramentas
carolineborba
 
Módulo2 - A sociedade da Informação e Comunicação
Módulo2 - A sociedade da Informação e ComunicaçãoMódulo2 - A sociedade da Informação e Comunicação
Módulo2 - A sociedade da Informação e Comunicação
Nuno Cardoso
 
Apresentação unidade 5 cooperação
Apresentação unidade 5 cooperaçãoApresentação unidade 5 cooperação
Apresentação unidade 5 cooperação
betzandonadi
 
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Neli Maria Mengalli
 
Apresentação unidade 5 cooperação
Apresentação unidade 5 cooperaçãoApresentação unidade 5 cooperação
Apresentação unidade 5 cooperação
betzandonadi
 
Comunidades virtuais de práticas
Comunidades virtuais de práticasComunidades virtuais de práticas
Comunidades virtuais de práticas
Danila Dourado
 
Comunidades de Prática
Comunidades de PráticaComunidades de Prática
Comunidades de Prática
Pós Marketing Una
 
Inteligencia Coletiva
Inteligencia ColetivaInteligencia Coletiva
Inteligencia Coletiva
kinheiro
 
A Internet Na Escola
A Internet Na EscolaA Internet Na Escola
A Internet Na Escola
Itamar Freire
 
Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades
Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para ComunidadesUma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades
Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades
Ana Paula Mendonça
 
Caderno07
Caderno07Caderno07
Caderno07
tecampinasoeste
 

Semelhante a CVACs e CoPs: como e porque construi-las para profissionais da informacao (20)

Comunidade de Prática e Web 2
Comunidade de Prática e Web 2Comunidade de Prática e Web 2
Comunidade de Prática e Web 2
 
Redes sociais aabb em tela
Redes sociais   aabb em telaRedes sociais   aabb em tela
Redes sociais aabb em tela
 
O que aprendemos com a web2.0
O que aprendemos com a web2.0O que aprendemos com a web2.0
O que aprendemos com a web2.0
 
Tecnologias da Web Social Aplicadas a Ambientes Educacionais
Tecnologias da Web Social Aplicadas a Ambientes EducacionaisTecnologias da Web Social Aplicadas a Ambientes Educacionais
Tecnologias da Web Social Aplicadas a Ambientes Educacionais
 
Tecnologias que Educam
Tecnologias que EducamTecnologias que Educam
Tecnologias que Educam
 
19248-Texto do artigo-78853-1-10-20121205.pdf
19248-Texto do artigo-78853-1-10-20121205.pdf19248-Texto do artigo-78853-1-10-20121205.pdf
19248-Texto do artigo-78853-1-10-20121205.pdf
 
Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12
 
Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12Hub curitiba techyredes 08mar12
Hub curitiba techyredes 08mar12
 
Redes Sociais: alguns conceitos e tecnologias
Redes Sociais: alguns conceitos e tecnologiasRedes Sociais: alguns conceitos e tecnologias
Redes Sociais: alguns conceitos e tecnologias
 
Ferramentas
FerramentasFerramentas
Ferramentas
 
Módulo2 - A sociedade da Informação e Comunicação
Módulo2 - A sociedade da Informação e ComunicaçãoMódulo2 - A sociedade da Informação e Comunicação
Módulo2 - A sociedade da Informação e Comunicação
 
Apresentação unidade 5 cooperação
Apresentação unidade 5 cooperaçãoApresentação unidade 5 cooperação
Apresentação unidade 5 cooperação
 
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
 
Apresentação unidade 5 cooperação
Apresentação unidade 5 cooperaçãoApresentação unidade 5 cooperação
Apresentação unidade 5 cooperação
 
Comunidades virtuais de práticas
Comunidades virtuais de práticasComunidades virtuais de práticas
Comunidades virtuais de práticas
 
Comunidades de Prática
Comunidades de PráticaComunidades de Prática
Comunidades de Prática
 
Inteligencia Coletiva
Inteligencia ColetivaInteligencia Coletiva
Inteligencia Coletiva
 
A Internet Na Escola
A Internet Na EscolaA Internet Na Escola
A Internet Na Escola
 
Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades
Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para ComunidadesUma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades
Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades
 
Caderno07
Caderno07Caderno07
Caderno07
 

Mais de Suelybcs .

Curso on-line OJS 3 - Aula 2.5.1 DOI: como configurar/atribuir no OJS 3 e com...
Curso on-line OJS 3 - Aula 2.5.1 DOI: como configurar/atribuir no OJS 3 e com...Curso on-line OJS 3 - Aula 2.5.1 DOI: como configurar/atribuir no OJS 3 e com...
Curso on-line OJS 3 - Aula 2.5.1 DOI: como configurar/atribuir no OJS 3 e com...
Suelybcs .
 
Pesquisas Acadêmicas na Web: roteiro básico de pesquisa: principais funcional...
Pesquisas Acadêmicas na Web: roteiro básico de pesquisa: principais funcional...Pesquisas Acadêmicas na Web: roteiro básico de pesquisa: principais funcional...
Pesquisas Acadêmicas na Web: roteiro básico de pesquisa: principais funcional...
Suelybcs .
 
Como [e por quê] otimizar sua publicação em OJS
Como [e por quê] otimizar sua publicação em OJSComo [e por quê] otimizar sua publicação em OJS
Como [e por quê] otimizar sua publicação em OJS
Suelybcs .
 
ORCID para autores
ORCID para autoresORCID para autores
ORCID para autores
Suelybcs .
 
Profissão bibliotecário: tendências e (im)possibilidades
Profissão bibliotecário: tendências e (im)possibilidadesProfissão bibliotecário: tendências e (im)possibilidades
Profissão bibliotecário: tendências e (im)possibilidades
Suelybcs .
 
Cultura digital e editores científicos
Cultura digital e editores científicosCultura digital e editores científicos
Cultura digital e editores científicos
Suelybcs .
 
Como indexar seu Periódico no Google Acadêmico
Como indexar seu Periódico no Google AcadêmicoComo indexar seu Periódico no Google Acadêmico
Como indexar seu Periódico no Google Acadêmico
Suelybcs .
 
ORCID: o que é e por que usá-lo?
ORCID: o que é e por que usá-lo?ORCID: o que é e por que usá-lo?
ORCID: o que é e por que usá-lo?
Suelybcs .
 
ORCID: o que é e por que usá-lo?
ORCID: o que é e por que usá-lo?ORCID: o que é e por que usá-lo?
ORCID: o que é e por que usá-lo?
Suelybcs .
 
Uso do SEER - Curso XV ENEC - ABEC - Costão do Santinho, Florianópolis, 24nov...
Uso do SEER - Curso XV ENEC - ABEC - Costão do Santinho, Florianópolis, 24nov...Uso do SEER - Curso XV ENEC - ABEC - Costão do Santinho, Florianópolis, 24nov...
Uso do SEER - Curso XV ENEC - ABEC - Costão do Santinho, Florianópolis, 24nov...
Suelybcs .
 
Gestao de projetos, inovacao e sustentabilidade na comunicacao cientifica
Gestao de projetos, inovacao e sustentabilidade na comunicacao cientificaGestao de projetos, inovacao e sustentabilidade na comunicacao cientifica
Gestao de projetos, inovacao e sustentabilidade na comunicacao cientifica
Suelybcs .
 
Roda de Conversa sobre: “Para além do trabalho: vivendo em biblioteca”
Roda de Conversa sobre: “Para além do trabalho: vivendo em biblioteca”Roda de Conversa sobre: “Para além do trabalho: vivendo em biblioteca”
Roda de Conversa sobre: “Para além do trabalho: vivendo em biblioteca”
Suelybcs .
 
NBR-6023: Referências em consulta pública
NBR-6023: Referências em consulta públicaNBR-6023: Referências em consulta pública
NBR-6023: Referências em consulta pública
Suelybcs .
 
Oficina ORCID: gere o seu código junto conosco e aprenda mais sobre o ORCID |...
Oficina ORCID: gere o seu código junto conosco e aprenda mais sobre o ORCID |...Oficina ORCID: gere o seu código junto conosco e aprenda mais sobre o ORCID |...
Oficina ORCID: gere o seu código junto conosco e aprenda mais sobre o ORCID |...
Suelybcs .
 
Curadoria digital dos dados pessoais
Curadoria digital dos dados pessoaisCuradoria digital dos dados pessoais
Curadoria digital dos dados pessoais
Suelybcs .
 
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol..."Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
Suelybcs .
 
Cultura digital mobile: serviços e aplicativos para uso pessoal e profissiona...
Cultura digital mobile: serviços e aplicativos para uso pessoal e profissiona...Cultura digital mobile: serviços e aplicativos para uso pessoal e profissiona...
Cultura digital mobile: serviços e aplicativos para uso pessoal e profissiona...
Suelybcs .
 
OJS/SEER: demonstração de uma revista hipermídia na versão 2.4.6
OJS/SEER: demonstração de uma revista hipermídia na versão 2.4.6OJS/SEER: demonstração de uma revista hipermídia na versão 2.4.6
OJS/SEER: demonstração de uma revista hipermídia na versão 2.4.6
Suelybcs .
 
Palestra SNBU 2010 Prof. Murilo Bastos da Cunha
Palestra SNBU 2010 Prof. Murilo Bastos da CunhaPalestra SNBU 2010 Prof. Murilo Bastos da Cunha
Palestra SNBU 2010 Prof. Murilo Bastos da Cunha
Suelybcs .
 
GPS informacional alerta: recalculando...
GPS informacional alerta: recalculando...GPS informacional alerta: recalculando...
GPS informacional alerta: recalculando...
Suelybcs .
 

Mais de Suelybcs . (20)

Curso on-line OJS 3 - Aula 2.5.1 DOI: como configurar/atribuir no OJS 3 e com...
Curso on-line OJS 3 - Aula 2.5.1 DOI: como configurar/atribuir no OJS 3 e com...Curso on-line OJS 3 - Aula 2.5.1 DOI: como configurar/atribuir no OJS 3 e com...
Curso on-line OJS 3 - Aula 2.5.1 DOI: como configurar/atribuir no OJS 3 e com...
 
Pesquisas Acadêmicas na Web: roteiro básico de pesquisa: principais funcional...
Pesquisas Acadêmicas na Web: roteiro básico de pesquisa: principais funcional...Pesquisas Acadêmicas na Web: roteiro básico de pesquisa: principais funcional...
Pesquisas Acadêmicas na Web: roteiro básico de pesquisa: principais funcional...
 
Como [e por quê] otimizar sua publicação em OJS
Como [e por quê] otimizar sua publicação em OJSComo [e por quê] otimizar sua publicação em OJS
Como [e por quê] otimizar sua publicação em OJS
 
ORCID para autores
ORCID para autoresORCID para autores
ORCID para autores
 
Profissão bibliotecário: tendências e (im)possibilidades
Profissão bibliotecário: tendências e (im)possibilidadesProfissão bibliotecário: tendências e (im)possibilidades
Profissão bibliotecário: tendências e (im)possibilidades
 
Cultura digital e editores científicos
Cultura digital e editores científicosCultura digital e editores científicos
Cultura digital e editores científicos
 
Como indexar seu Periódico no Google Acadêmico
Como indexar seu Periódico no Google AcadêmicoComo indexar seu Periódico no Google Acadêmico
Como indexar seu Periódico no Google Acadêmico
 
ORCID: o que é e por que usá-lo?
ORCID: o que é e por que usá-lo?ORCID: o que é e por que usá-lo?
ORCID: o que é e por que usá-lo?
 
ORCID: o que é e por que usá-lo?
ORCID: o que é e por que usá-lo?ORCID: o que é e por que usá-lo?
ORCID: o que é e por que usá-lo?
 
Uso do SEER - Curso XV ENEC - ABEC - Costão do Santinho, Florianópolis, 24nov...
Uso do SEER - Curso XV ENEC - ABEC - Costão do Santinho, Florianópolis, 24nov...Uso do SEER - Curso XV ENEC - ABEC - Costão do Santinho, Florianópolis, 24nov...
Uso do SEER - Curso XV ENEC - ABEC - Costão do Santinho, Florianópolis, 24nov...
 
Gestao de projetos, inovacao e sustentabilidade na comunicacao cientifica
Gestao de projetos, inovacao e sustentabilidade na comunicacao cientificaGestao de projetos, inovacao e sustentabilidade na comunicacao cientifica
Gestao de projetos, inovacao e sustentabilidade na comunicacao cientifica
 
Roda de Conversa sobre: “Para além do trabalho: vivendo em biblioteca”
Roda de Conversa sobre: “Para além do trabalho: vivendo em biblioteca”Roda de Conversa sobre: “Para além do trabalho: vivendo em biblioteca”
Roda de Conversa sobre: “Para além do trabalho: vivendo em biblioteca”
 
NBR-6023: Referências em consulta pública
NBR-6023: Referências em consulta públicaNBR-6023: Referências em consulta pública
NBR-6023: Referências em consulta pública
 
Oficina ORCID: gere o seu código junto conosco e aprenda mais sobre o ORCID |...
Oficina ORCID: gere o seu código junto conosco e aprenda mais sobre o ORCID |...Oficina ORCID: gere o seu código junto conosco e aprenda mais sobre o ORCID |...
Oficina ORCID: gere o seu código junto conosco e aprenda mais sobre o ORCID |...
 
Curadoria digital dos dados pessoais
Curadoria digital dos dados pessoaisCuradoria digital dos dados pessoais
Curadoria digital dos dados pessoais
 
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol..."Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
 
Cultura digital mobile: serviços e aplicativos para uso pessoal e profissiona...
Cultura digital mobile: serviços e aplicativos para uso pessoal e profissiona...Cultura digital mobile: serviços e aplicativos para uso pessoal e profissiona...
Cultura digital mobile: serviços e aplicativos para uso pessoal e profissiona...
 
OJS/SEER: demonstração de uma revista hipermídia na versão 2.4.6
OJS/SEER: demonstração de uma revista hipermídia na versão 2.4.6OJS/SEER: demonstração de uma revista hipermídia na versão 2.4.6
OJS/SEER: demonstração de uma revista hipermídia na versão 2.4.6
 
Palestra SNBU 2010 Prof. Murilo Bastos da Cunha
Palestra SNBU 2010 Prof. Murilo Bastos da CunhaPalestra SNBU 2010 Prof. Murilo Bastos da Cunha
Palestra SNBU 2010 Prof. Murilo Bastos da Cunha
 
GPS informacional alerta: recalculando...
GPS informacional alerta: recalculando...GPS informacional alerta: recalculando...
GPS informacional alerta: recalculando...
 

Último

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 

Último (20)

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 

CVACs e CoPs: como e porque construi-las para profissionais da informacao

  • 1. Suely de Brito Clemente Soares Mestre em Educação, Ciência e Tecnologia Cibertecária – BRC [email_address] Biblioteca Digital do Campus de Rio Claro UNESP [email_address] MSN: [email_address] SKYPE: suelybcs
  • 2. CiberEduc : construção e desenvolvimento de uma comunidade virtual de aprendizagem colaborativa das TICs, aplicadas ao fazer diário de bibliotecários de referência de universidades brasileiras DF e 12 Estados representados 14 Estados não representados 120 inscritos 2º semestre/2003 Dissertação disponível em: http://libdigi.unicamp.br/ document/?code=vtls000384508
  • 3. Comunidades Virtuais de Aprendizagem Colaborativa CVACs e Comunidades de Práticas CoPs como e por quê construí-las para profissionais da informação
  • 4. 1. PROXIMIDADE 2. COESÃO 3. PRESERVAÇÃO VÍNCULOS C O M U N I D A D E
  • 5. 1. PROXIMIDADE : mesmo tempo, mesmo espaço, mesmo lugar V I R T U A I S 2. COESÃO: cultura, características, interesses comuns 3. PRESERVAÇÃO: conquista de objetivos coletivos 1. PROXIMIDADE : 2. COESÃO : 3. PRESERVAÇÃO : TICs - tempo - espaço - on-line - conexão Cibercultura: hipertexto - língua - símbolos - ética interação pela escolha - motivação pessoal C O M U N I D A D E S
  • 6. Interação humana mediatizada Interação síncrona e assíncrona Controle volitivo da participação Motivação pessoal de cada membro Comunidades Virtuais
  • 7. TAXONOMIA DAS COMUNIDADES VIRTUAIS  Panitz (1996) – colaborativa X cooperativa  colaborativa = característica pessoal  voluntária – motivação pessoal - desobrigação Howard Rheingold (1993)  abertas: chat - bloggers  restritas: MSN – Orkut - Multiply  moderadas (ou não): listas de discussão  Etienne Wenger ( 1998)  Community of Practices – objetivos da empresa  educação corporativa – universidade corporativa CVs DE RELACIONAMENTOS CVs DE APRENDIZAGEM CVAC - Aprendizagem Colaborativa CoP - Aprendizagem Cooperativa
  • 8. Comunidades Virtuais de relacionamento sem qualquer compromisso com aprendizagem Agregação por interesses comuns E-mails – Listas de discussão – MSN – Orkut - Blog
  • 9. Alguns conceitos básicos sobre Comunidades Virtuais de Aprendizagem: CVACs e CoPs
  • 10.
  • 11. 2. CoPs Comunidades de Práticas desenvolvimento de idéias, projetos, práticas de interesse da instituição
  • 12. 1. Comunidades Virtuais de Aprendizagem Colaborativa os membros da CVAC CONSTROEM o conteúdo mediante postagem de suas dúvidas e/ou necessidades de aprendizagem ênfase está na colaboração voluntária interesse e motivação estão no desenvolvimento pessoal avaliação pela participação
  • 13. Enviado: segunda-feira, 12 de junho de 2006 10:46:28 De:  miguel@ibict.br Para: bib_virtual@ibict.br Assunto: [Bib_virtual] BIBNEWS: Aprendendo com colegas Talk to the people you work with everyday, but not just other librarians. Talk to your IT staff and your part-timers too. You can learn a lot about what is hot technologically from your computer lab attendants and your shelvers. You can also learn from the colleagues that you don’t see every day, and even from colleagues you don’t know! Blogs, wikis, chat, IM, even e-mail, can help you learn about new trends and developments that are headed your way. There are some interesting and fun library technology blogs out there and we should take advantage of them. Check out things like the Library Journal Tech Blog (http://www.libraryjournal.com/blog/670000067.html), ALA’s TechSource (http://www.techsource.ala.org/), Tame the Web (http://www.tametheweb.com/ttwblog/), The Shifted Librarian (http://www.theshiftedlibrarian.com/), Liblog (http://www.rcpl.info/services/liblog.html). Remember to take advantage of the time savers that are available to us today like RSS feeds, digests, and database alerts. FONTE: LIRT News, June 2006 Comunidade Virtual de Aprendizagem Colaborativa
  • 14.
  • 15. CVACs de bibliotecários oportunizam: b) Reflexão sobre a importância das comunidades virtuais para o desenvolvimento, a curto prazo, da competência informacional requerida dos profissionais em exercício nas bibliotecas universitárias brasileiras
  • 16. CVACs de bibliotecários oportunizam: c) possibilidade de “ estarem juntos virtualmente”, compartilhando conhecimento: os profissionais em exercício, docentes e alunos dos cursos de graduação e pós-graduação em Biblioteconomia e correlatos.
  • 17. CVACs de bibliotecários oportunizam: d) depois de construídas, estarem bem estruturadas e estabelecidas, duas CVACs poderão criar vínculos entre si, ampliando a rede OU uma CVAC poderá se subdividir em duas, restringindo o tema e a rede
  • 18. A capacitação de capacitadores (docentes) terá um efeito multiplicador exponencial se feita on-line , através de comunidades virtuais de aprendizagem colaborativa que incluam alunos e profissionais em exercício Profissionais em exercício têm um papel educacional a desempenhar, o de serem agentes que atuem na construção do conhecimento dos profissionais que estão em formação
  • 19. As CVACs temáticas poderão ser soluções, viáveis e a curto prazo, para capacitação de profissionais, em exercício e/ou em formação, se viabilizadas por docentes vinculados às IES e/ou Associações, CRBs, com ampla divulgação pelos mesmos
  • 20. CiberEduc – inscrições abertas apoio: IBICT - http://teleduc.ibict.br
  • 21. 2. CoPs Comunidades de Práticas
  • 22.   CoPs : comunidades de práticas virtuais e/ou presenciais interação alinhada aos objetivos da biblioteca ou universidade construir ou melhorar produtos criar ou implantar novos procedimentos
  • 23. Há três elementos na definição de comunidades de prática. Um é o domínio: tem de haver um assunto sobre o qual a comunidade fala . (Etienne Wenger)
  • 24. O segundo é a própria comunidade : as pessoas têm de interagir e construir relações entre si em torno do domínio. Uma página na web não é uma CoP. Ou, se houver sessenta gestores que nunca se falam, eles não são uma CoP - ainda que desempenhem as mesmas funções. Tem de haver uma comunidade. (Etienne Wenger)
  • 25. O terceiro é a prática : tem de existir uma prática e não apenas um interesse que as pessoas partilham. Elas aprendem juntas como fazer as coisas pelas quais se interessam. (Etienne Wenger)
  • 26. CoP Fonte: Tekné digital - http://www.teknedigital.com.br/tekne/solucoes/gecon/
  • 27. Para que uma comunidade virtual de prática possa surgir, devem ser considerados os seguintes requisitos: 1) a participação dos seus membros; 2) benefícios claros para os seus membros e 3) interesse do conteúdo (Etienne Wenger)
  • 28. Uma CoP é um grupo que partilha um interesse e que se junta para criar uma prática em torno desse tópico (Etienne Wenger) Comunidades de Práticas - CoPs algumas CoPs brasileiras: Bireme - Embrapa - Petrobrás - Camargo Corrêa - Serpro Siemens – Votorantim ... Grupos de pessoas que compartilham um interesse, um conjunto de problemas, ou uma paixão sobre um tema e que aprofundam sua compreensão e conhecimento da área através de interação regular . (Wenger, McDermott, and Snyder)
  • 29. As comunidades de prática bem sucedidas são, geralmente, aquelas importantes tanto para o indivíduo como para a organização . Além disso, para um profissional, é essencial pertencer a uma CoP porque é muito difícil saber tudo: é necessário ter colegas, pessoas com quem falar sobre os problemas, a quem pedir ajuda e informação. Há muito para ler, muitas conferências para assistir... É impossível uma pessoa saber tudo . Fonte: entrevista com Etienne Wenger http://www.kmol.online.pt/pessoas/WengerE/entrev_1.htm
  • 30.  
  • 32.  
  • 33.  
  • 34.  
  • 35. Alguns fatores críticos de sucesso = Comunidades Virtuais de Aprendizagem
  • 36. Fatores críticos de sucesso a) TEMÁTICAS bem focadas em interesses específicos
  • 37. Fatores críticos de sucesso b) SOFTWARE LIVRE continuidade não pode depender de verbas
  • 38. Fatores críticos de sucesso c) TUTORES - MEMBROS o sucesso depende das PESSOAS (e não das tecnologias)
  • 39. “ [...] é irônico que pela primeira vez na história as tecnologias da informação criaram a possibilidade da comunidade global, mas fazê-la acontecer, de fato, exige atos do c o r a ç ã o humano” (Richard McDermott - Knowing in community )   SKYPE: suelybcs Grata pela atenção! [email_address]