SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
   Curso de Licenciatura em Física – EAD
            Disciplina: Química
BEM-VINDOS AO REINO PERIÓDICO.
Esta é uma terra de fantasia,mas está mais
próxima da realidade do que parece.Este é o reino
dos elementos químicos,as substâncias a partir das
quais tudo é tangível é feito.Não é um país muito
grande pois consiste de um pouco mais de centenas
de regiões,mas ainda assim é responsável por tudo
que constitui nosso mundo.
                               ATKINS,P.W.1996
Sempre foi preocupação dos cientistas
organizar os resultados obtidos
experimentalmente de tal maneira que
semelhanças, diferenças e tendências se
tornassem mais evidentes.
Isto facilitaria previsões a partir de
conhecimentos anteriores.
Um dos recursos mais usados em Química
para atingir essa finalidade é a tabela
periódica.

Foi somente em 1869 que surgiu uma
tabela que atendia as necessidades dos
químicos e que se tornou a base da tabela
atual.

     Foi proposta por Dmitri Ivanovitch Mendeleev (1834-1907) que
     organizada os elementos em linhas verticais, os grupos ou famílias.
O PRINCÍPIO.....




 Dos atuais 115 elementos químicos conhecidos,cerca de
 60 já haviam sido isolados e estudados em 1869,quando o
 químico russo Dmitri Mendeleev se destacou na
 organização metódica desses elementos.
MENDELEEV listou os elementos e suas propriedades em cartões
  individuais e tentou organizá-los de diferentes formas à procura de
  padrões de comportamento.
  A solução foi encontrada quando ele dispôs os cartões em ordem
  crescente da massa atômica.

  Porém,em 1913, Moseley descobriu o número atômico Z e ficou
  determinado que os elementos deveriam obedecer a uma ordem
  crescente de número atômico e não de massa atômica.



H He Li Be B       C N O F Ne Na Mg Al Si P S Cl Ar K Ca



                 MASSA ATÔMICA CRESCENTE
Com a descoberta de MOSELEY a tabela passou a ser organizada com
a disposição dos elementos em ordem crescente de número atômico
e assim foi enunciada a lei periódica dos elementos:

     AS PROPRIEDADES DOS ELEMENTOS SÃO FUNÇÕES
     PERÍÓDICAS DE SEUS NÚMEROS ATÔMICOS


H He Li Be B        C N O F Ne Na Mg Al Si P S Cl Ar K
Ca


                     Ordem crescente de Z
O princípio de construção da tabela periódica atual está baseado em
que as semelhanças nas propriedades químicas dos elementos são
justificadas pelas semelhanças de suas eletrosferas.
Família (ou grupo)
                       À medida que percorremos um período, as
                       propriedades físicas variam regularmente,
                       uniformemente.

                                                                   1º período (ou série)

                                                                   2º período (ou série)

                                                                   3º período (ou série)

                                                                   4º período (ou série)

                                                                   5º período (ou série)

                                                                   6º período (ou série)

                                                                   7º período (ou série)


                                                     Série dos
                                                     Lantanídeos

                                                     Série dos Actinídeos




                     Num grupo,(famílias),os elementos apresentam
                     propriedades químicas semelhantes.
Configuração eletrônica:




        Períodos: horizontal indica o nº de níveis eletrônico
        Grupos/Famílias:Veltical:1,2,13,14,15,16,17,18 nº de elétrons
        no último nível
        Hélio só tem 2 elétrons.
Organização da Tabela Periódica
                   Famílias ou grupos
A tabela atual é constituída por 18 famílias. Cada uma delas agrupa
elementos com propriedades químicas semelhantes, devido ao fato de
apresentarem a mesma configuração eletrônica na camada de valência.



                  3 Li
                       − 1s 2 2s1
                  11 Na
                        − 1s 2 2s 2 2 p 6 3s1

 Família IA = todos os elementos apresentam
          1 elétron na camada de valência.
Existem, atualmente, duas maneiras de identificar as
famílias ou grupos. A mais comum é indicar cada
família por um algarismo romano, seguido de letras A
e B, por exemplo, IA, IIA, VB. Essas letras A e B
indicam a posição do elétron mais energético nos
subníveis.
No final da década passada, a IUPAC propôs outra
maneira: as famílias seriam indicadas por algarismos
arábicos de 1 a 18, eliminando-se as letras A e B.
Família     Nº de     Distribuição
                              ou       elétrons   eletrônica da
Os elementos que             grupo    na camada    camada de           Nome
constituem essas famílias                 de         valência
                                       valência
são denominados
elementos                     IA         1              ns¹       Metais alcalinos
representativos, e seus
elétrons mais energéticos                             ns²         Metais alcalinos
                             IIA         2                           terrosos
estão situados em
subníveis s ou p.
                             IIIA        3         ns² np¹        Família do boro
Nas famílias A, o número
da família indica a          IVA         4         ns² np²          Família do
quantidade de elétrons                                               carbono
na camada de valência .                  5
                             VA                    ns² np³          Família do
Elas recebem ainda                                                  nitrogênio
nomes característicos.       VIA         6         ns² np4          Calcogênios

                             VIIA        7         ns² np5          Halogênios

                            VIIIA                  ns² np6         Gases nobres
                             ou          8
                              O
Localização dos elementos nas Famílias B
Os elementos dessas famílias são denominados genericamente
elementos de transição.
Uma parte deles ocupa o bloco central da tabela periódica, de IIIB
até IIB (10 colunas), e apresenta seu elétron mais energético em
subníveis d.
 IIIB     IVB      VB       VIB     VIIB             VIIIB             IB      IIB
      1        2        3       4        5       6         7       8       9       10
  d        d       d        d        d       d         d       d       d       d

                    Exemplo: Ferro (Fe) / Z = 26
                            1s²2s²2p63s²3p64s²3d6
                                    Período: 4º
                                    Família: 8B
Localização dos elementos nas Famílias A

A distribuição eletrônica do átomo de um dado elemento
químico permite que determinemos sua localização na
tabela.

             Exemplo: Sódio(Na)
                 – Z = 11
                    1s²2s²2p63s¹
                     Período: 3º
                Família: 1A –
               Metais Alcalinos
O esquema abaixo mostra o subnível ocupado pelo elétron
mais energético dos elementos da tabela periódica.




      s                                      p
                        d
                                      f
Slide tabela periodica
APLICAÇÕES
Apresentam brilho quando polidos;
 Sob temperatura ambiente, apresentam-se no
estado sólido, a única exceção é o mercúrio, um
metal líquido;
 São bons condutores de calor e
eletricidade;
 São resistentes maleáveis e dúcteis
Correspondem a 4,16% da crosta terrestre,sendo
cálcio e magnésio os mais abundantes;
O rádio é raro e muito instável (radioativo);
Por serem muito reativos não se encontram
isolados,mas combinados,principalmente na forma de
silicatos,carbonatos e sulfatos;

           Ex: O magnésio é facilmente moldável e
           é utilizado na fabricação de ligas
           metálicas;
Existem nos estados sólidos (iodo, enxofre, fósforo,
carbono) e gasoso (nitrogênio, oxigênio, flúor); a exceção
é o bromo, um não-metal líquido;
 não apresentam brilho, são exceções o iodo e o
carbono sob a forma de diamante;
 não conduzem bem o calor a eletricidade , com
exceção do carbono sob a forma de grafite;

Geralmente possuem mais de 4 elétrons na última
camada eletrônica, o que lhes dá tendência a ganhar
elétrons, transformando-se em íons negativos (ânions)
Elementos químicos que dificilmente se combinam com
outros elementos – hélio, neônio, argônio, criptônio,
xenônio e radônio.
 Possuem a última camada eletrônica completa, ou
seja, 8 elétrons. A única exceção é o hélio, que possui
uma única camada, a camada K, que está completa com
2 elétrons.
Apresenta      propriedades
muito particulares e muito
diferentes em relação aos
outros elementos.
 Por exemplo, tem apenas 1
elétron na camada K (sua
única   camada)     quando
todos os outros elementos
têm 2.
APLICAÇÕES DE ALGUNS ELEMENTOS:
      Lantânio-Pedra para isqueiro;
      Zircônio-revestimento para metais;
      Ítrio-filtro para radar,lente para câmera fotográfica ;
      Titânio-pino para fratura;
      Manganês –trilho,cofre;
      Cobalto-lâmina de barbear,imã permanente;
      Níquel-moeda;talheres,ouro branco;
      Cádmio- parafusos,proteção anti-corrosiva;
      Potássio-adubo químico;
      Gálio-tela de televisão;
      Bromo-gás lacrimogêneo,anti-chamas,papel fotográfico,
      filme fotográfico;
Elementos essenciais à vida
Os organismos vivos, como qualquer matéria presente na terra ,são
formados por átomos de ocorrência natural.
Dos 90 elementos naturais,apenas 25 são essenciais nos organismos
vivos e desses 25,somente 4 (H,C,N e O) perfazem 99,3% de
todos os átomos de nosso corpo.

                       Enxofre         S
                      hidrogênio       H
                        Cálcio         Ca
                       Carbono         C
                        Cloro          Cl
                        Cromo          Cr
                        Flúor          F
                        Iodo           I
                        Sódio          Na
                        Zinco          Zn
Slide tabela periodica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono anoAula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono ano
Professora Raquel
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
loirissimavivi
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
João Paulo Luna
 
Íons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicosÍons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicos
Carlos Priante
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
Ajudar Pessoas
 
Balanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicasBalanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicas
Rafael Nishikawa
 
Quimica tabela periodica
Quimica tabela periodicaQuimica tabela periodica
Quimica tabela periodica
Estude Mais
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
Marilena Meira
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
Thiago Benevides
 
QUIMICA GERAL Aula 01
QUIMICA GERAL Aula 01QUIMICA GERAL Aula 01
QUIMICA GERAL Aula 01
Manim Edições
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
José Nunes da Silva Jr.
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
fisicaatual
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
Polo UAB de Alagoinhas
 
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
Kátia Elias
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
Rebeca Vale
 
Estrutura Atomica
Estrutura AtomicaEstrutura Atomica
Estrutura Atomica
José Miguel Dos Santos
 
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e BasesAula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria
crisbassanimedeiros
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
Karol Maia
 

Mais procurados (20)

Aula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono anoAula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono ano
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Íons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicosÍons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicos
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
 
Balanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicasBalanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicas
 
Quimica tabela periodica
Quimica tabela periodicaQuimica tabela periodica
Quimica tabela periodica
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
 
QUIMICA GERAL Aula 01
QUIMICA GERAL Aula 01QUIMICA GERAL Aula 01
QUIMICA GERAL Aula 01
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
 
Estrutura Atomica
Estrutura AtomicaEstrutura Atomica
Estrutura Atomica
 
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e BasesAula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
 
9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
 

Destaque

Tabela periódica
Tabela periódica Tabela periódica
Tabela periódica
Daniela Trovão Barbalho
 
Evolução histórica da Tabela Periódica
Evolução histórica da Tabela PeriódicaEvolução histórica da Tabela Periódica
Evolução histórica da Tabela Periódica
Claudia Ferreira Carrega
 
Química dos metais de transição
Química dos metais de transiçãoQuímica dos metais de transição
Química dos metais de transição
Alvinho Carvalho
 
Trabalho tabela periodica
Trabalho   tabela periodicaTrabalho   tabela periodica
Trabalho tabela periodica
Diogo Alves
 
Metais alcalinos
Metais alcalinosMetais alcalinos
Metais alcalinos
Cláudia Tavares
 
Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
Enio Silva De Lima
 

Destaque (6)

Tabela periódica
Tabela periódica Tabela periódica
Tabela periódica
 
Evolução histórica da Tabela Periódica
Evolução histórica da Tabela PeriódicaEvolução histórica da Tabela Periódica
Evolução histórica da Tabela Periódica
 
Química dos metais de transição
Química dos metais de transiçãoQuímica dos metais de transição
Química dos metais de transição
 
Trabalho tabela periodica
Trabalho   tabela periodicaTrabalho   tabela periodica
Trabalho tabela periodica
 
Metais alcalinos
Metais alcalinosMetais alcalinos
Metais alcalinos
 
Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
 

Semelhante a Slide tabela periodica

147
147147
Tabela Periódica 2012
Tabela Periódica 2012Tabela Periódica 2012
Tabela Periódica 2012
José Marcelo Cangemi
 
Tabela peridica
Tabela peridicaTabela peridica
Tabela peridica
victor marques
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
Fábio Garcia Ferreira
 
Tabela periódica cas
Tabela periódica casTabela periódica cas
Tabela periódica cas
Reginaldo Santana
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
Marilena Meira
 
Tabela PerióDica
Tabela PerióDicaTabela PerióDica
Tabela PerióDica
escola bernardino
 
Aula tabela periódica
Aula tabela periódicaAula tabela periódica
Aula tabela periódica
dandias5
 
Tabela e Propriedades Periódicas (ERE).pdf
Tabela e Propriedades Periódicas (ERE).pdfTabela e Propriedades Periódicas (ERE).pdf
Tabela e Propriedades Periódicas (ERE).pdf
GabrielaHonorio4
 
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
Vagner Dias
 
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
Vagner Dias
 
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
José Marcelo Cangemi
 
Propriedades periódicas
Propriedades periódicasPropriedades periódicas
Propriedades periódicas
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
tabela periódica e propriedades periódicas
tabela periódica e propriedades periódicastabela periódica e propriedades periódicas
tabela periódica e propriedades periódicas
crislania1
 
Resumo tabela periódica e propriedades periódicas
Resumo  tabela periódica e propriedades periódicasResumo  tabela periódica e propriedades periódicas
Resumo tabela periódica e propriedades periódicas
Profª Alda Ernestina
 
Tabela periódica e propriedades periódicas
Tabela periódica e propriedades periódicasTabela periódica e propriedades periódicas
Tabela periódica e propriedades periódicas
Leonardo Carneiro
 
2º SEMESTRE - TABELA PERIÓDICA HISTÓRIA.ppt
2º SEMESTRE - TABELA PERIÓDICA HISTÓRIA.ppt2º SEMESTRE - TABELA PERIÓDICA HISTÓRIA.ppt
2º SEMESTRE - TABELA PERIÓDICA HISTÓRIA.ppt
Elifabio Sobreira Pereira
 
Aula 06 classificação periódica
Aula 06 classificação periódicaAula 06 classificação periódica
Aula 06 classificação periódica
Colegio CMC
 
41964_41a7d549074174c3e21a206bbb5f496b.pdf
41964_41a7d549074174c3e21a206bbb5f496b.pdf41964_41a7d549074174c3e21a206bbb5f496b.pdf
41964_41a7d549074174c3e21a206bbb5f496b.pdf
AlcesteMateusdosSant
 
AULA - TABELA PEIÓDICA
AULA - TABELA PEIÓDICAAULA - TABELA PEIÓDICA
AULA - TABELA PEIÓDICA
cezaoo
 

Semelhante a Slide tabela periodica (20)

147
147147
147
 
Tabela Periódica 2012
Tabela Periódica 2012Tabela Periódica 2012
Tabela Periódica 2012
 
Tabela peridica
Tabela peridicaTabela peridica
Tabela peridica
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
 
Tabela periódica cas
Tabela periódica casTabela periódica cas
Tabela periódica cas
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
 
Tabela PerióDica
Tabela PerióDicaTabela PerióDica
Tabela PerióDica
 
Aula tabela periódica
Aula tabela periódicaAula tabela periódica
Aula tabela periódica
 
Tabela e Propriedades Periódicas (ERE).pdf
Tabela e Propriedades Periódicas (ERE).pdfTabela e Propriedades Periódicas (ERE).pdf
Tabela e Propriedades Periódicas (ERE).pdf
 
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
 
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
99805816 apostila-quimica-1-tabela-periodica-ifms
 
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
 
Propriedades periódicas
Propriedades periódicasPropriedades periódicas
Propriedades periódicas
 
tabela periódica e propriedades periódicas
tabela periódica e propriedades periódicastabela periódica e propriedades periódicas
tabela periódica e propriedades periódicas
 
Resumo tabela periódica e propriedades periódicas
Resumo  tabela periódica e propriedades periódicasResumo  tabela periódica e propriedades periódicas
Resumo tabela periódica e propriedades periódicas
 
Tabela periódica e propriedades periódicas
Tabela periódica e propriedades periódicasTabela periódica e propriedades periódicas
Tabela periódica e propriedades periódicas
 
2º SEMESTRE - TABELA PERIÓDICA HISTÓRIA.ppt
2º SEMESTRE - TABELA PERIÓDICA HISTÓRIA.ppt2º SEMESTRE - TABELA PERIÓDICA HISTÓRIA.ppt
2º SEMESTRE - TABELA PERIÓDICA HISTÓRIA.ppt
 
Aula 06 classificação periódica
Aula 06 classificação periódicaAula 06 classificação periódica
Aula 06 classificação periódica
 
41964_41a7d549074174c3e21a206bbb5f496b.pdf
41964_41a7d549074174c3e21a206bbb5f496b.pdf41964_41a7d549074174c3e21a206bbb5f496b.pdf
41964_41a7d549074174c3e21a206bbb5f496b.pdf
 
AULA - TABELA PEIÓDICA
AULA - TABELA PEIÓDICAAULA - TABELA PEIÓDICA
AULA - TABELA PEIÓDICA
 

Último

Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 

Slide tabela periodica

  • 1. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Curso de Licenciatura em Física – EAD Disciplina: Química
  • 2. BEM-VINDOS AO REINO PERIÓDICO. Esta é uma terra de fantasia,mas está mais próxima da realidade do que parece.Este é o reino dos elementos químicos,as substâncias a partir das quais tudo é tangível é feito.Não é um país muito grande pois consiste de um pouco mais de centenas de regiões,mas ainda assim é responsável por tudo que constitui nosso mundo. ATKINS,P.W.1996
  • 3. Sempre foi preocupação dos cientistas organizar os resultados obtidos experimentalmente de tal maneira que semelhanças, diferenças e tendências se tornassem mais evidentes. Isto facilitaria previsões a partir de conhecimentos anteriores. Um dos recursos mais usados em Química para atingir essa finalidade é a tabela periódica. Foi somente em 1869 que surgiu uma tabela que atendia as necessidades dos químicos e que se tornou a base da tabela atual. Foi proposta por Dmitri Ivanovitch Mendeleev (1834-1907) que organizada os elementos em linhas verticais, os grupos ou famílias.
  • 4. O PRINCÍPIO..... Dos atuais 115 elementos químicos conhecidos,cerca de 60 já haviam sido isolados e estudados em 1869,quando o químico russo Dmitri Mendeleev se destacou na organização metódica desses elementos.
  • 5. MENDELEEV listou os elementos e suas propriedades em cartões individuais e tentou organizá-los de diferentes formas à procura de padrões de comportamento. A solução foi encontrada quando ele dispôs os cartões em ordem crescente da massa atômica. Porém,em 1913, Moseley descobriu o número atômico Z e ficou determinado que os elementos deveriam obedecer a uma ordem crescente de número atômico e não de massa atômica. H He Li Be B C N O F Ne Na Mg Al Si P S Cl Ar K Ca MASSA ATÔMICA CRESCENTE
  • 6. Com a descoberta de MOSELEY a tabela passou a ser organizada com a disposição dos elementos em ordem crescente de número atômico e assim foi enunciada a lei periódica dos elementos: AS PROPRIEDADES DOS ELEMENTOS SÃO FUNÇÕES PERÍÓDICAS DE SEUS NÚMEROS ATÔMICOS H He Li Be B C N O F Ne Na Mg Al Si P S Cl Ar K Ca Ordem crescente de Z
  • 7. O princípio de construção da tabela periódica atual está baseado em que as semelhanças nas propriedades químicas dos elementos são justificadas pelas semelhanças de suas eletrosferas.
  • 8. Família (ou grupo) À medida que percorremos um período, as propriedades físicas variam regularmente, uniformemente. 1º período (ou série) 2º período (ou série) 3º período (ou série) 4º período (ou série) 5º período (ou série) 6º período (ou série) 7º período (ou série) Série dos Lantanídeos Série dos Actinídeos Num grupo,(famílias),os elementos apresentam propriedades químicas semelhantes.
  • 9. Configuração eletrônica: Períodos: horizontal indica o nº de níveis eletrônico Grupos/Famílias:Veltical:1,2,13,14,15,16,17,18 nº de elétrons no último nível Hélio só tem 2 elétrons.
  • 10. Organização da Tabela Periódica Famílias ou grupos A tabela atual é constituída por 18 famílias. Cada uma delas agrupa elementos com propriedades químicas semelhantes, devido ao fato de apresentarem a mesma configuração eletrônica na camada de valência. 3 Li − 1s 2 2s1 11 Na − 1s 2 2s 2 2 p 6 3s1 Família IA = todos os elementos apresentam 1 elétron na camada de valência.
  • 11. Existem, atualmente, duas maneiras de identificar as famílias ou grupos. A mais comum é indicar cada família por um algarismo romano, seguido de letras A e B, por exemplo, IA, IIA, VB. Essas letras A e B indicam a posição do elétron mais energético nos subníveis. No final da década passada, a IUPAC propôs outra maneira: as famílias seriam indicadas por algarismos arábicos de 1 a 18, eliminando-se as letras A e B.
  • 12. Família Nº de Distribuição ou elétrons eletrônica da Os elementos que grupo na camada camada de Nome constituem essas famílias de valência valência são denominados elementos IA 1 ns¹ Metais alcalinos representativos, e seus elétrons mais energéticos ns² Metais alcalinos IIA 2 terrosos estão situados em subníveis s ou p. IIIA 3 ns² np¹ Família do boro Nas famílias A, o número da família indica a IVA 4 ns² np² Família do quantidade de elétrons carbono na camada de valência . 5 VA ns² np³ Família do Elas recebem ainda nitrogênio nomes característicos. VIA 6 ns² np4 Calcogênios VIIA 7 ns² np5 Halogênios VIIIA ns² np6 Gases nobres ou 8 O
  • 13. Localização dos elementos nas Famílias B Os elementos dessas famílias são denominados genericamente elementos de transição. Uma parte deles ocupa o bloco central da tabela periódica, de IIIB até IIB (10 colunas), e apresenta seu elétron mais energético em subníveis d. IIIB IVB VB VIB VIIB VIIIB IB IIB 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 d d d d d d d d d d Exemplo: Ferro (Fe) / Z = 26 1s²2s²2p63s²3p64s²3d6 Período: 4º Família: 8B
  • 14. Localização dos elementos nas Famílias A A distribuição eletrônica do átomo de um dado elemento químico permite que determinemos sua localização na tabela. Exemplo: Sódio(Na) – Z = 11 1s²2s²2p63s¹ Período: 3º Família: 1A – Metais Alcalinos
  • 15. O esquema abaixo mostra o subnível ocupado pelo elétron mais energético dos elementos da tabela periódica. s p d f
  • 18. Apresentam brilho quando polidos;  Sob temperatura ambiente, apresentam-se no estado sólido, a única exceção é o mercúrio, um metal líquido;  São bons condutores de calor e eletricidade;  São resistentes maleáveis e dúcteis
  • 19. Correspondem a 4,16% da crosta terrestre,sendo cálcio e magnésio os mais abundantes; O rádio é raro e muito instável (radioativo); Por serem muito reativos não se encontram isolados,mas combinados,principalmente na forma de silicatos,carbonatos e sulfatos; Ex: O magnésio é facilmente moldável e é utilizado na fabricação de ligas metálicas;
  • 20. Existem nos estados sólidos (iodo, enxofre, fósforo, carbono) e gasoso (nitrogênio, oxigênio, flúor); a exceção é o bromo, um não-metal líquido; não apresentam brilho, são exceções o iodo e o carbono sob a forma de diamante; não conduzem bem o calor a eletricidade , com exceção do carbono sob a forma de grafite; Geralmente possuem mais de 4 elétrons na última camada eletrônica, o que lhes dá tendência a ganhar elétrons, transformando-se em íons negativos (ânions)
  • 21. Elementos químicos que dificilmente se combinam com outros elementos – hélio, neônio, argônio, criptônio, xenônio e radônio. Possuem a última camada eletrônica completa, ou seja, 8 elétrons. A única exceção é o hélio, que possui uma única camada, a camada K, que está completa com 2 elétrons.
  • 22. Apresenta propriedades muito particulares e muito diferentes em relação aos outros elementos. Por exemplo, tem apenas 1 elétron na camada K (sua única camada) quando todos os outros elementos têm 2.
  • 23. APLICAÇÕES DE ALGUNS ELEMENTOS: Lantânio-Pedra para isqueiro; Zircônio-revestimento para metais; Ítrio-filtro para radar,lente para câmera fotográfica ; Titânio-pino para fratura; Manganês –trilho,cofre; Cobalto-lâmina de barbear,imã permanente; Níquel-moeda;talheres,ouro branco; Cádmio- parafusos,proteção anti-corrosiva; Potássio-adubo químico; Gálio-tela de televisão; Bromo-gás lacrimogêneo,anti-chamas,papel fotográfico, filme fotográfico;
  • 24. Elementos essenciais à vida Os organismos vivos, como qualquer matéria presente na terra ,são formados por átomos de ocorrência natural. Dos 90 elementos naturais,apenas 25 são essenciais nos organismos vivos e desses 25,somente 4 (H,C,N e O) perfazem 99,3% de todos os átomos de nosso corpo. Enxofre S hidrogênio H Cálcio Ca Carbono C Cloro Cl Cromo Cr Flúor F Iodo I Sódio Na Zinco Zn