SlideShare uma empresa Scribd logo
SISTEMA REPRODUTOR
A função pela qual os seres vivos dão origem a outros seres vivos
da mesma espécie chama-se REPRODUÇÃO.
REPRODUÇÃO ASSEXUADA
SEXUADA
REPRODUÇÃO ASSEXUADA – Reprodução onde
não existem células sexuais (óvulo e
espermatozóide). A reprodução faz-se por um
único ser através de divisões sucessivas.
Ex. Estrela-do-mar / leveduras / hidra /
amiba
Estrela-do-mar
REPRODUÇÃO SEXUADA – Reprodução onde
intervêm dois progenitores de sexos diferentes,
um masculino e outro feminino. Existe um óvulo
(feminino) e um espermatozóide (masculino).
Ex. Homem / cão / gato / aves …
Leão/leoa
FECUNDAÇÃO
FECUNDAÇÃO – É a união do óvulo da fêmea com o
espermatozóide do macho.
Pode ser INTERNA
EXTERNA
FECUNDAÇÃO INTERNA – Quando a
ligação do óvulo com o espermatozóide
ocorre dentro do corpo da mãe.
Ex. Galinha – mulher – égua – leoa …
Galinha
FECUNDAÇÃO EXTERNA – Quando a ligação do
óvulo com o espermatozóide ocorre fora do
corpo da mãe.
Ex . Ouriço-do-mar
NOTA
Quanto ao desenvolvimento do novo ser os animais podem ser:
1- OVÍPAROS – Quando o desenvolvimento do embrião se faz
fora do corpo da mãe.
2 – VIVÍPAROS – Quando o desenvolvimento do embrião se faz
dentro do corpo da mãe.
MODIFICAÇÃO DO CORPO – O CRESCIMENTO
Durante o crescimento o corpo humano sofre grandes
transformações, passando por três etapas fundamentais: a
infância, a adolescência e o estado adulto.
INFÂNCIA
Após o nascimento e durante os
primeiros tempos, o rapaz e
a rapariga só se conseguem
distinguir através dos
órgãos sexuais, são chamados
os caracteres sexuais primários.
A semelhança entre o corpo dos rapazes e das raparigas
permanece até por volta dos 10 anos. Possuem:
Alturas mais ou menos iguais
Ombros estreitos
Peito liso com pequenos mamilos
Cintura e ancas pouco pronunciadas
Tom de voz parecido
ADOLESCÊNCIA
Depois dos 10 anos, aproximadamente, verifica-se um
crescimento acelerado. Os órgãos sexuais começam a funcionar.
Nas raparigas aparece a primeira menstruação, sinal que há
libertação de óvulos. Nos rapazes surge a possibilidade de
ejaculação.
Estamos na fase da puberdade. Começam aqui as grandes
transformações do corpo humano, desenvolvem-se os chamados
caracteres sexuais secundários. É o início da adolescência.
Aparecem:
RAPAZES
A voz muda e fica mais grave.
O pénis e os testículos aumentam de
tamanho.
Aparecem pêlos nas axilas, no peito e na
região púbica.
Os ombros alargam.
A barba começa a querer nascer.
Dão-se as primeiras emissões de esperma.
RAPARIGAS
Desenvolvem-se os seios.
Aparece a menstruação.
Aparecem pêlos na região púbica e nas
axilas.
A bacia alarga e as ancas acentuam-se.
NOTA Não existe idade fixa para o início da adolescência,
assim como estas alterações não surgem em todas as pessoas ao
mesmo tempo, cada pessoa tem o seu ritmo próprio.
SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO
O Sistema Reprodutor Masculino é constituído por
um conjunto de órgãos sexuais masculinos que são:
Testículos
Canais deferentes
Vesículas seminais
Próstata
Pénis
FUNÇÕES
Testículos – Produzem os espermatozóides e estão situados na
parte exterior do corpo, numa espécie de bolsa – o escroto.
Canais Deferentes – São dois canais, finos e compridos que
conduzem os espermatozóides desde os testículos até às
vesículas seminais.
Vesículas Seminais – Glândulas que segregam o líquido seminal
que alimenta e facilita a mobilidade dos espermatozóides.
Próstata – Glândula que produz um líquido leitoso e denso, que se
mistura com os espermatozóides.
IMPORTANTE Da mistura dos líquidos produzidos pela próstata e
pelas vesículas seminais com os espermatozóides resulta um
produto branco e viscoso chamado esperma.
Pénis – Órgão externo atravessado pela uretra, que conduz o
esperma para o exterior. A expulsão do esperma através da
uretra chama-se ejaculação.
SISTEMA REPRODUTOR FEMININO
O Sistema Reprodutor Feminino é diferente do Sistema
Reprodutor Masculino e é constituído pelos seguintes órgãos
sexuais:
Ovários
Trompas de Falópio
Útero Vias Genitais
Vagina
Vulva
FUNÇÕES
Ovários – Órgãos pequenos, com a forma de uma amêndoa e
situados na parte baixa do abdómen. Têm como função produzir e
amadurecer os óvulos.
Trompas de Falópio –Têm como função receber, todos os meses,
o óvulo produzido num dos ovários e conduzi-lo até ao útero.
Útero – É um órgão musculoso, oco e em forma de pêra virada ao
contrário. As suas paredes são muito elásticas o que lhe permite
aumentar de volume durante a gravidez.
Vagina – Canal musculoso e elástico, com cerca de 10 cm de
comprimento, que faz a ligação entre o útero e o exterior.
Vulva – Pregas de pele – pequenos e grandes lábios – que têm
como finalidade permitir o acto sexual e proteger a vagina e a
uretra.
COMO SE FORMA E DESENVOLVE UM NOVO SER
AS CÉLULAS
Para que se forme um novo ser, semelhante aos pais, é necessário
a existência de duas células, o espermatozóide (pai) e o óvulo
(mãe). Após o seu aparecimento é preciso que se faça a união
entre ambos – fecundação.
O ENCONTRO
Na mulher, uma vez por mês, liberta-se um óvulo de um dos
ovários – ovulação – que se vai deslocar através das Trompas. Os
espermatozóides, colocados na vagina da mulher, resultado da
relação sexual, vão ao encontro desse óvulo.
Depois desse encontro, só um único espermatozóide consegue
penetrar no óvulo – fecundação. Logo que se dá a união do óvulo
e do espermatozóide forma-se uma célula única, o ovo. Acaba de
se formar um novo ser, a mulher está grávida.
DESTINO DO OVO
Após a fecundação, o ovo desloca-se através da trompa em
direcção ao útero. Durante este trajecto, o ovo vai-se dividindo
sucessivamente até se formar um conjunto de células
embrionárias parecido com uma amora – mórula.
GRAVIDEZ
Quando chega ao útero, a mórula fixa-se na sua parede, que
entretanto, ficou esponjosa, como um “ninho”. Dá-se a nidação.
A partir daqui o embrião desenvolve-se dentro de um saco, saco
amniótico ou bolsa das águas.
saco amniótico ou cordão
“bolsa das águas” umbilical
placenta
Protege de
Choques
Variações de temperatura
Infecções
Desidratações
Nesta altura forma-se um novo órgão – a placenta – que tem por
função alimentar o novo ser. O embrião está ligado à placenta
pelo cordão umbilical.
Tem a função de filtro, evitando que certas
substâncias prejudiciais cheguem ao embrião. Apesar de tudo há
produtos como o tabaco, álcool e certos medicamentos que
conseguem passar.
IMPORTANTE Sempre que o óvulo, libertado pela mulher, não
é fecundado acaba por morrer. Vai ser expulso do organismo
arrastando consigo um fluxo de sangue que se desprende das
paredes do útero é a MENSTRUAÇÃO.
Tem normalmente a duração de 3 a 5 dias e
repete-se com intervalos de, mais ou menos, 28 dias.
O NASCIMENTO
Ao fim de nove meses de gestação, o feto completou o seu
desenvolvimento. Começam as contracções da parede do útero,
liberta-se o líquido amniótico, é o aviso de que o bebé vai nascer.
As contracções vão fazendo com que o feto se desloque em
direcção à vagina, e assim:
CUIDADOS A TER DURANTE A GRAVIDEZ
A gravidez é um período muito delicado, tanto para a mãe como
para o filho. Os cuidados com o bebé devem começar antes do
nascimento, por isso devem ser cumpridas algumas regras.
COMO CUIDAR DA CRIANÇA APÓS OS PRIMEIROS ANOS
DE VIDA
Depois de nascer, o bebé entra num mundo novo, o seu
desenvolvimento tem de ser bem acompanhado. Ele vai ser
influenciado por tudo o que se passa à sua volta.
RISCOS DAS EXPERIÊNCIAS SEXUAIS PREMATURAS
Sempre que se sinta atracção sexual por alguém é necessário
nunca esquecer que essas experiências prematuras implicam
riscos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
Isabel Lopes
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
guest1eea69
 
FecundaçãO
FecundaçãOFecundaçãO
FecundaçãO
Nuno Correia
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
João Paulo jp
 
PowerPoint de Reprodução
PowerPoint de ReproduçãoPowerPoint de Reprodução
PowerPoint de Reprodução
joana71
 
Sistemareprodutor 121017142805-phpapp01
Sistemareprodutor 121017142805-phpapp01Sistemareprodutor 121017142805-phpapp01
Sistemareprodutor 121017142805-phpapp01
Pelo Siro
 
130310 reprodução humana - completo
130310   reprodução humana - completo130310   reprodução humana - completo
130310 reprodução humana - completo
Evandro Sanguinetto
 
ReproduçãO Humana
ReproduçãO HumanaReproduçãO Humana
ReproduçãO Humana
António Machado
 
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino MédioSistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Ronaldo Santana
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
educacaoraquetes
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
patricia0
 
Fecundação, gravidez e parto
Fecundação, gravidez e partoFecundação, gravidez e parto
Fecundação, gravidez e parto
Maria Carolina Esteves
 
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionárioGravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Isabel Lopes
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
Helena Borralho
 
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e partoFecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Catir
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
Sofia Mendes
 
Aula desenv fetal
Aula desenv fetalAula desenv fetal
Aula desenv fetal
Ronnezza Campos
 
A sexualidade humana
A sexualidade humanaA sexualidade humana
A sexualidade humana
professoraludmila
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
isabelalexandrapinto
 

Mais procurados (19)

fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
 
FecundaçãO
FecundaçãOFecundaçãO
FecundaçãO
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
PowerPoint de Reprodução
PowerPoint de ReproduçãoPowerPoint de Reprodução
PowerPoint de Reprodução
 
Sistemareprodutor 121017142805-phpapp01
Sistemareprodutor 121017142805-phpapp01Sistemareprodutor 121017142805-phpapp01
Sistemareprodutor 121017142805-phpapp01
 
130310 reprodução humana - completo
130310   reprodução humana - completo130310   reprodução humana - completo
130310 reprodução humana - completo
 
ReproduçãO Humana
ReproduçãO HumanaReproduçãO Humana
ReproduçãO Humana
 
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino MédioSistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Fecundação, gravidez e parto
Fecundação, gravidez e partoFecundação, gravidez e parto
Fecundação, gravidez e parto
 
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionárioGravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionário
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
 
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e partoFecundação, desenvolvimento embrionário e parto
Fecundação, desenvolvimento embrionário e parto
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Aula desenv fetal
Aula desenv fetalAula desenv fetal
Aula desenv fetal
 
A sexualidade humana
A sexualidade humanaA sexualidade humana
A sexualidade humana
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
 

Destaque

Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
Marcos Albuquerque
 
Função excretora
Função excretoraFunção excretora
Função excretora
Joaquim André
 
Reprodução das plantas com flor
Reprodução das plantas com florReprodução das plantas com flor
Reprodução das plantas com flor
Sandra Soeiro
 
Sistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculinoSistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculino
Elsa RITA
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
rukka
 
Sistema cardiovascular a circulação
Sistema cardiovascular   a circulaçãoSistema cardiovascular   a circulação
Sistema cardiovascular a circulação
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Reprodução nas plantas
Reprodução nas plantasReprodução nas plantas
Reprodução nas plantas
danielpinheiro
 
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologiaAula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre   sistema reprodutor feminino e masculinoAula sobre   sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
Marcionedes De Souza
 
Doenças Cardiovasculares
Doenças CardiovascularesDoenças Cardiovasculares
Doenças Cardiovasculares
CNProf
 
Sistema Excretor
Sistema ExcretorSistema Excretor
Sistema Excretor
Nuno Correia
 
Anatomia do coração
Anatomia do coraçãoAnatomia do coração
Anatomia do coração
Catir
 
Sistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculinoSistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculino
Fabiano Reis
 
Sistema UrináRio
Sistema UrináRioSistema UrináRio
Sistema UrináRio
rukka
 
Doenças Cardiovasculares
Doenças CardiovascularesDoenças Cardiovasculares
Doenças Cardiovasculares
Marisa Almeida
 

Destaque (15)

Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
 
Função excretora
Função excretoraFunção excretora
Função excretora
 
Reprodução das plantas com flor
Reprodução das plantas com florReprodução das plantas com flor
Reprodução das plantas com flor
 
Sistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculinoSistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculino
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
 
Sistema cardiovascular a circulação
Sistema cardiovascular   a circulaçãoSistema cardiovascular   a circulação
Sistema cardiovascular a circulação
 
Reprodução nas plantas
Reprodução nas plantasReprodução nas plantas
Reprodução nas plantas
 
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologiaAula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
 
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre   sistema reprodutor feminino e masculinoAula sobre   sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
 
Doenças Cardiovasculares
Doenças CardiovascularesDoenças Cardiovasculares
Doenças Cardiovasculares
 
Sistema Excretor
Sistema ExcretorSistema Excretor
Sistema Excretor
 
Anatomia do coração
Anatomia do coraçãoAnatomia do coração
Anatomia do coração
 
Sistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculinoSistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculino
 
Sistema UrináRio
Sistema UrináRioSistema UrináRio
Sistema UrináRio
 
Doenças Cardiovasculares
Doenças CardiovascularesDoenças Cardiovasculares
Doenças Cardiovasculares
 

Semelhante a Sistema reprodutor

Reproducao
ReproducaoReproducao
Reproducao
sandravnunes
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
Zé Luís
 
Sist reprodutor
Sist reprodutorSist reprodutor
Sist reprodutor
s1lv1alouro
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
Sérgio Luiz
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
Suelialves_1973
 
Reprodução%20 humana[1]
Reprodução%20 humana[1]Reprodução%20 humana[1]
Reprodução%20 humana[1]
Joao Ferreira
 
Reproduçao humana
Reproduçao humanaReproduçao humana
Reproduçao humana
Luiza Gonçalves
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
Francisca Pilar
 
Sexualidade..
Sexualidade..Sexualidade..
Sexualidade..
daniela
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
Liliana Silva
 
A Sexualidade
 A Sexualidade A Sexualidade
A Sexualidade
Liliana Silva
 
A Sexualidade
A SexualidadeA Sexualidade
A Sexualidade
Liliana Silva
 
Saúde Materna.pptx
Saúde Materna.pptxSaúde Materna.pptx
Saúde Materna.pptx
FlorbelaPeixoto
 
sistema reprodutor
sistema reprodutorsistema reprodutor
sistema reprodutor
kapekode
 
Gravides de ciencias lara
Gravides de ciencias laraGravides de ciencias lara
Gravides de ciencias lara
Carla Gomes
 
Reprodução Humana e Sexualidade
Reprodução Humana e SexualidadeReprodução Humana e Sexualidade
Reprodução Humana e Sexualidade
railuz07
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução humana 2
Reprodução humana 2Reprodução humana 2
Reprodução humana 2
Roberto Bagatini
 
16 ¬ aula slides sistema genital
16 ¬ aula slides sistema genital16 ¬ aula slides sistema genital
16 ¬ aula slides sistema genital
Simone Alvarenga
 
A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas
Elizangela Mendonça Martins
 

Semelhante a Sistema reprodutor (20)

Reproducao
ReproducaoReproducao
Reproducao
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Sist reprodutor
Sist reprodutorSist reprodutor
Sist reprodutor
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
 
Reprodução%20 humana[1]
Reprodução%20 humana[1]Reprodução%20 humana[1]
Reprodução%20 humana[1]
 
Reproduçao humana
Reproduçao humanaReproduçao humana
Reproduçao humana
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
 
Sexualidade..
Sexualidade..Sexualidade..
Sexualidade..
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
A Sexualidade
 A Sexualidade A Sexualidade
A Sexualidade
 
A Sexualidade
A SexualidadeA Sexualidade
A Sexualidade
 
Saúde Materna.pptx
Saúde Materna.pptxSaúde Materna.pptx
Saúde Materna.pptx
 
sistema reprodutor
sistema reprodutorsistema reprodutor
sistema reprodutor
 
Gravides de ciencias lara
Gravides de ciencias laraGravides de ciencias lara
Gravides de ciencias lara
 
Reprodução Humana e Sexualidade
Reprodução Humana e SexualidadeReprodução Humana e Sexualidade
Reprodução Humana e Sexualidade
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução humana 2
Reprodução humana 2Reprodução humana 2
Reprodução humana 2
 
16 ¬ aula slides sistema genital
16 ¬ aula slides sistema genital16 ¬ aula slides sistema genital
16 ¬ aula slides sistema genital
 
A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas
 

Mais de Joaquim André

Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
Joaquim André
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
Joaquim André
 
A importância das plantas para o mundo vivo
A importância das plantas para o mundo vivoA importância das plantas para o mundo vivo
A importância das plantas para o mundo vivo
Joaquim André
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
Joaquim André
 
Trocas nutricionais
Trocas nutricionaisTrocas nutricionais
Trocas nutricionais
Joaquim André
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivo
Joaquim André
 
A Alimentação
A AlimentaçãoA Alimentação
A Alimentação
Joaquim André
 
Locomoção dos animais
Locomoção dos animaisLocomoção dos animais
Locomoção dos animais
Joaquim André
 
Poluição da agua
Poluição da aguaPoluição da agua
Poluição da agua
Joaquim André
 
Importância do ar para os seres vivos
Importância do ar para os seres vivosImportância do ar para os seres vivos
Importância do ar para os seres vivos
Joaquim André
 
Botânica
BotânicaBotânica
Botânica
Joaquim André
 
Importância da água para os seres vivos
Importância da água para os seres vivosImportância da água para os seres vivos
Importância da água para os seres vivos
Joaquim André
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
Joaquim André
 
Classificação seres vivos
Classificação seres vivosClassificação seres vivos
Classificação seres vivos
Joaquim André
 
Importância da água para os seres vivos
Importância da água para os seres vivosImportância da água para os seres vivos
Importância da água para os seres vivos
Joaquim André
 
Regimes alimentares
Regimes alimentaresRegimes alimentares
Regimes alimentares
Joaquim André
 
Regimes alimentares
Regimes alimentaresRegimes alimentares
Regimes alimentares
Joaquim André
 
Cn 5 ( plantas)
Cn   5 ( plantas)Cn   5 ( plantas)
Cn 5 ( plantas)
Joaquim André
 
C.n 5 - (plantas)
C.n   5 - (plantas)C.n   5 - (plantas)
C.n 5 - (plantas)
Joaquim André
 
C.n 5 - (plantas)
C.n   5 - (plantas)C.n   5 - (plantas)
C.n 5 - (plantas)
Joaquim André
 

Mais de Joaquim André (20)

Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
A importância das plantas para o mundo vivo
A importância das plantas para o mundo vivoA importância das plantas para o mundo vivo
A importância das plantas para o mundo vivo
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Trocas nutricionais
Trocas nutricionaisTrocas nutricionais
Trocas nutricionais
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivo
 
A Alimentação
A AlimentaçãoA Alimentação
A Alimentação
 
Locomoção dos animais
Locomoção dos animaisLocomoção dos animais
Locomoção dos animais
 
Poluição da agua
Poluição da aguaPoluição da agua
Poluição da agua
 
Importância do ar para os seres vivos
Importância do ar para os seres vivosImportância do ar para os seres vivos
Importância do ar para os seres vivos
 
Botânica
BotânicaBotânica
Botânica
 
Importância da água para os seres vivos
Importância da água para os seres vivosImportância da água para os seres vivos
Importância da água para os seres vivos
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
 
Classificação seres vivos
Classificação seres vivosClassificação seres vivos
Classificação seres vivos
 
Importância da água para os seres vivos
Importância da água para os seres vivosImportância da água para os seres vivos
Importância da água para os seres vivos
 
Regimes alimentares
Regimes alimentaresRegimes alimentares
Regimes alimentares
 
Regimes alimentares
Regimes alimentaresRegimes alimentares
Regimes alimentares
 
Cn 5 ( plantas)
Cn   5 ( plantas)Cn   5 ( plantas)
Cn 5 ( plantas)
 
C.n 5 - (plantas)
C.n   5 - (plantas)C.n   5 - (plantas)
C.n 5 - (plantas)
 
C.n 5 - (plantas)
C.n   5 - (plantas)C.n   5 - (plantas)
C.n 5 - (plantas)
 

Último

UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 

Último (20)

UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 

Sistema reprodutor

  • 1.
  • 2. SISTEMA REPRODUTOR A função pela qual os seres vivos dão origem a outros seres vivos da mesma espécie chama-se REPRODUÇÃO. REPRODUÇÃO ASSEXUADA SEXUADA REPRODUÇÃO ASSEXUADA – Reprodução onde não existem células sexuais (óvulo e espermatozóide). A reprodução faz-se por um único ser através de divisões sucessivas. Ex. Estrela-do-mar / leveduras / hidra / amiba Estrela-do-mar REPRODUÇÃO SEXUADA – Reprodução onde intervêm dois progenitores de sexos diferentes, um masculino e outro feminino. Existe um óvulo (feminino) e um espermatozóide (masculino). Ex. Homem / cão / gato / aves … Leão/leoa
  • 3. FECUNDAÇÃO FECUNDAÇÃO – É a união do óvulo da fêmea com o espermatozóide do macho. Pode ser INTERNA EXTERNA FECUNDAÇÃO INTERNA – Quando a ligação do óvulo com o espermatozóide ocorre dentro do corpo da mãe. Ex. Galinha – mulher – égua – leoa … Galinha FECUNDAÇÃO EXTERNA – Quando a ligação do óvulo com o espermatozóide ocorre fora do corpo da mãe. Ex . Ouriço-do-mar NOTA Quanto ao desenvolvimento do novo ser os animais podem ser: 1- OVÍPAROS – Quando o desenvolvimento do embrião se faz fora do corpo da mãe.
  • 4. 2 – VIVÍPAROS – Quando o desenvolvimento do embrião se faz dentro do corpo da mãe. MODIFICAÇÃO DO CORPO – O CRESCIMENTO Durante o crescimento o corpo humano sofre grandes transformações, passando por três etapas fundamentais: a infância, a adolescência e o estado adulto. INFÂNCIA Após o nascimento e durante os primeiros tempos, o rapaz e a rapariga só se conseguem distinguir através dos órgãos sexuais, são chamados os caracteres sexuais primários. A semelhança entre o corpo dos rapazes e das raparigas permanece até por volta dos 10 anos. Possuem: Alturas mais ou menos iguais Ombros estreitos Peito liso com pequenos mamilos Cintura e ancas pouco pronunciadas Tom de voz parecido ADOLESCÊNCIA Depois dos 10 anos, aproximadamente, verifica-se um crescimento acelerado. Os órgãos sexuais começam a funcionar. Nas raparigas aparece a primeira menstruação, sinal que há
  • 5. libertação de óvulos. Nos rapazes surge a possibilidade de ejaculação. Estamos na fase da puberdade. Começam aqui as grandes transformações do corpo humano, desenvolvem-se os chamados caracteres sexuais secundários. É o início da adolescência. Aparecem: RAPAZES A voz muda e fica mais grave. O pénis e os testículos aumentam de tamanho. Aparecem pêlos nas axilas, no peito e na região púbica. Os ombros alargam. A barba começa a querer nascer. Dão-se as primeiras emissões de esperma. RAPARIGAS Desenvolvem-se os seios. Aparece a menstruação. Aparecem pêlos na região púbica e nas axilas. A bacia alarga e as ancas acentuam-se. NOTA Não existe idade fixa para o início da adolescência, assim como estas alterações não surgem em todas as pessoas ao mesmo tempo, cada pessoa tem o seu ritmo próprio.
  • 6. SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO O Sistema Reprodutor Masculino é constituído por um conjunto de órgãos sexuais masculinos que são: Testículos Canais deferentes Vesículas seminais Próstata Pénis FUNÇÕES Testículos – Produzem os espermatozóides e estão situados na parte exterior do corpo, numa espécie de bolsa – o escroto. Canais Deferentes – São dois canais, finos e compridos que conduzem os espermatozóides desde os testículos até às vesículas seminais. Vesículas Seminais – Glândulas que segregam o líquido seminal que alimenta e facilita a mobilidade dos espermatozóides. Próstata – Glândula que produz um líquido leitoso e denso, que se mistura com os espermatozóides.
  • 7. IMPORTANTE Da mistura dos líquidos produzidos pela próstata e pelas vesículas seminais com os espermatozóides resulta um produto branco e viscoso chamado esperma. Pénis – Órgão externo atravessado pela uretra, que conduz o esperma para o exterior. A expulsão do esperma através da uretra chama-se ejaculação. SISTEMA REPRODUTOR FEMININO O Sistema Reprodutor Feminino é diferente do Sistema Reprodutor Masculino e é constituído pelos seguintes órgãos sexuais: Ovários Trompas de Falópio Útero Vias Genitais Vagina Vulva FUNÇÕES Ovários – Órgãos pequenos, com a forma de uma amêndoa e situados na parte baixa do abdómen. Têm como função produzir e amadurecer os óvulos.
  • 8. Trompas de Falópio –Têm como função receber, todos os meses, o óvulo produzido num dos ovários e conduzi-lo até ao útero. Útero – É um órgão musculoso, oco e em forma de pêra virada ao contrário. As suas paredes são muito elásticas o que lhe permite aumentar de volume durante a gravidez. Vagina – Canal musculoso e elástico, com cerca de 10 cm de comprimento, que faz a ligação entre o útero e o exterior. Vulva – Pregas de pele – pequenos e grandes lábios – que têm como finalidade permitir o acto sexual e proteger a vagina e a uretra. COMO SE FORMA E DESENVOLVE UM NOVO SER AS CÉLULAS Para que se forme um novo ser, semelhante aos pais, é necessário a existência de duas células, o espermatozóide (pai) e o óvulo (mãe). Após o seu aparecimento é preciso que se faça a união entre ambos – fecundação. O ENCONTRO Na mulher, uma vez por mês, liberta-se um óvulo de um dos ovários – ovulação – que se vai deslocar através das Trompas. Os
  • 9. espermatozóides, colocados na vagina da mulher, resultado da relação sexual, vão ao encontro desse óvulo. Depois desse encontro, só um único espermatozóide consegue penetrar no óvulo – fecundação. Logo que se dá a união do óvulo e do espermatozóide forma-se uma célula única, o ovo. Acaba de se formar um novo ser, a mulher está grávida. DESTINO DO OVO Após a fecundação, o ovo desloca-se através da trompa em direcção ao útero. Durante este trajecto, o ovo vai-se dividindo sucessivamente até se formar um conjunto de células embrionárias parecido com uma amora – mórula.
  • 10. GRAVIDEZ Quando chega ao útero, a mórula fixa-se na sua parede, que entretanto, ficou esponjosa, como um “ninho”. Dá-se a nidação. A partir daqui o embrião desenvolve-se dentro de um saco, saco amniótico ou bolsa das águas. saco amniótico ou cordão “bolsa das águas” umbilical placenta Protege de Choques Variações de temperatura Infecções Desidratações Nesta altura forma-se um novo órgão – a placenta – que tem por função alimentar o novo ser. O embrião está ligado à placenta pelo cordão umbilical. Tem a função de filtro, evitando que certas substâncias prejudiciais cheguem ao embrião. Apesar de tudo há produtos como o tabaco, álcool e certos medicamentos que conseguem passar. IMPORTANTE Sempre que o óvulo, libertado pela mulher, não é fecundado acaba por morrer. Vai ser expulso do organismo
  • 11. arrastando consigo um fluxo de sangue que se desprende das paredes do útero é a MENSTRUAÇÃO. Tem normalmente a duração de 3 a 5 dias e repete-se com intervalos de, mais ou menos, 28 dias. O NASCIMENTO Ao fim de nove meses de gestação, o feto completou o seu desenvolvimento. Começam as contracções da parede do útero, liberta-se o líquido amniótico, é o aviso de que o bebé vai nascer. As contracções vão fazendo com que o feto se desloque em direcção à vagina, e assim:
  • 12. CUIDADOS A TER DURANTE A GRAVIDEZ A gravidez é um período muito delicado, tanto para a mãe como para o filho. Os cuidados com o bebé devem começar antes do nascimento, por isso devem ser cumpridas algumas regras.
  • 13. COMO CUIDAR DA CRIANÇA APÓS OS PRIMEIROS ANOS DE VIDA Depois de nascer, o bebé entra num mundo novo, o seu desenvolvimento tem de ser bem acompanhado. Ele vai ser influenciado por tudo o que se passa à sua volta.
  • 14. RISCOS DAS EXPERIÊNCIAS SEXUAIS PREMATURAS Sempre que se sinta atracção sexual por alguém é necessário nunca esquecer que essas experiências prematuras implicam riscos.