SlideShare uma empresa Scribd logo
Sistemas Agroflorestais (SAF’s)
    são Agronegócios para

      Banco do Brasil
Soluções para Armazenagem

Instalação,    ampliação   Programa BB Armazenagem

e modernização de sis-
temas de armazena-
gem para incremento e
melhoria da capacida-
de estática.
Soluções para Produção Florestal
                             Programa BB Florestal

Implantação, manutenção
e ampliação de sistemas
florestais para o incre-
mento e melhoria da pro-
dução de madeira reflo-
restada.
Soluções para Fruticultura

Incentivo à produção, melhoria da      Programa BB Fruticultura

produtividade, beneficiamento, in-

dustrialização, padronização e de-

mais   investimentos   necessários

para a melhoria do padrão de qua-

lidade e das condições de comer-

cialização.
Soluções para Produção Orgânica
                              Programa BB Produção Orgânica



Incentivo à atividade agro-
pecuária conduzida pelas
normas do sistema agroe-
cológico de produção, a-
provado pelas Instituições
Certificadoras.
Soluções para Biodiesel

                                     Programa BB Biodiesel

Assistência sistêmica:
   - produção
   - processamento
   - distribuição
   - comercialização
Produção de oleaginosas;
Instalação de plantas industriais.
Soluções para Irrigação
                               MODERINFRA

 Apoiar o desenvolvimento da
agropecuária irrigada sus-
tentável, econômica e ambi-
entalmente, de forma a mini-
mizar o risco na produção e
aumentar a oferta de alimen-
tos para os mercados interno
e externo.
Linhas disponíveis
BNDES (Automático, Moderagro, PROCAP AGRO e ABC)
Finame (Agrícola, Moderfrota e Moderinfra)
MCR 6.2 e MCR 6.4 (Investimento e Custeio)

Pronamp (Investimento e Custeio)

BB Prodecoop (Investimento e Capital de Giro)

EGF, CPR e Crédito Agroindustrial

Financiamento à Exportação e Importação
Programa ABC no Banco do Brasil
Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil:
 Público: Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas,
    e suas cooperativas.
 Encargos Financeiros: juros efetivos de 5,5% ao ano.
 Valor Financiável: até R$ 1 milhão por beneficiário, por
    ano-safra, independentemente de outros créditos
    concedidos ao amparo de recursos controlados do
    crédito rural.
 Garantias: as usuais exigidas no Crédito Rural.
 Forma de Pagamento: Em parcelas semestrais ou
    anuais, de acordo com o projeto técnico.
 Liberação do crédito: conforme projeto técnico.
Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil:
 REEMBOLSO: conforme projeto técnico e fluxo.
 Exemplos:
 •   Implant. viveiros de mudas florestais: até 5 anos,
     incluídos até 2 anos de carência;
 •   Invest. destinados à adequação ao sistema de agri-
     cultura orgânica e à recuperação de pastagens e de
     sistemas produtivos de integração lavoura-pecuária,
     lavoura-floresta, pecuária-floresta ou lavoura-
     pecuária-floresta: até 8 anos, incluídos até 3 anos
     de carência, podendo ser estendido a até 12 anos,
     quando a componente florestal estiver presente;
Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil:
 •   projetos para implantação e manutenção de florestas
     comerciais e para produção de carvão vegetal: até 12
     anos, incluídos até 8 anos de carência.
 •   O prazo pode ser estendido para até 15 anos, quando a
     espécie florestal assim o justificar.
 •   projetos para recomposição e manutenção de áreas de
     preservação permanente ou de reserva legal: até 15
     anos, incluídos até 1 ano de carência;
 •   projetos para implantação e manutenção de florestas
     de dendezeiro: até 12 anos, incluídos até 6 anos de
     carência.
Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil:
 FINALIDADES:
 Investimentos destinados a:
 •   recuperação de áreas e pastagens degradadas;
 •   implantação de sistemas orgânicos de produção
     agropecuária;
 •   implantação e melhoramento de sistemas de plantio
     direto "na palha";
 •   implantação de sistemas de integração lavoura-
     pecuária, lavoura-floresta, pecuária-floresta ou
     lavoura-pecuária-floresta;
 •   implantação, manutenção e manejo de florestas
     comerciais, inclusive aquelas destinadas ao uso
     industrial ou à produção de carvão vegetal;
Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil:
 FINALIDADES (continuação):

 •   adequação ou regularização das propriedades rurais
     frente à legislação ambiental, inclusive recuperação da
     reserva legal, de áreas de preservação permanente, e
     o tratamento de dejetos e resíduos, entre outros;
 •   implantação de planos de manejo florestal sustentável;
 •   implantação e manutenção de florestas de dendezeiro,
     prioritariamente em áreas produtivas degradadas.
Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil:
 ITENS FINANCIÁVEIS:
 •   projeto técnico e georreferenciamento das proprieda-des
     rurais;
 •   realocação de estradas internas das propriedades rurais
     para fins de adequação ambiental;
 •   aquisição de insumos e pagamento de serviços destinados
     a implantação e manutenção dos projetos financiados;
 •   pagamento de serviços destinados à conversão da
     produção orgânica e sua certificação;
 •   aquisição, transporte, aplicação e incorporação de corretivos
     agrícolas (calcário e outros);
Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil:
 ITENS FINANCIÁVEIS (continuação):
 •   marcação e construção de terraços e implantação de
     práticas conservacionistas do solo;
 •   aquisição de sementes e mudas para formação de
     pastagens e de florestas;
 •   implantação de viveiros de mudas florestais;
 •   operações de destoca;
 •   implantação e recuperação de cercas, aquisição de
     energizadores de cerca, aquisição, construção ou
     reformas de bebedouros e de saleiro ou cochos de sal;
 •   aquisição de bovinos, ovinos e caprinos, para
     reprodução, recria e terminação, e sêmen dessas
     espécies;
Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil:
ITENS FINANCIÁVEIS (continuação):
•   serviços de agricultura de precisão, desde o planejamento
    inicial da amostragem do solo à geração dos mapas de
    aplicação de fertilizantes e corretivos;
•   despesas de mão-de-obra própria, desde que compatíveis
    com estruturas de custos de produção regional, indicadas
    por instituições oficiais de pesquisa ou de assistência
    técnica;
Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil:
 ITENS FINANCIÁVEIS (continuação):
 • aquisição de máquinas e equipamentos de fabricação
    nacional para a agricultura e pecuária não financiáveis
    pelo Moderfrota e Moderinfra;
 • construção e modernização de benfeitorias e de instala-
    ções, na propriedade rural;
 •   custeio associado ao investimento, limitado a 30% (trinta
     por cento) do valor financiado, admitida a elevação para:
       > até 35% (trinta e cinco por cento) do valor financiado,
     quando destinado à implantação e à manutenção de
     florestas comerciais ou recomposição de áreas de
     preservação permanente ou de reserva legal;
       > até 40% (quarenta por cento) do valor financiado,
     quando o projeto incluir a aquisição de bovinos, ovinos e
     caprinos, para reprodução, recria e terminação, e sêmen
     dessas espécies.
Soluções para a
  Agricultura
    Familiar
Pronaf MULHER


Investimento para ativida-
des agropecuárias, turis-
mo rural, artesanato e ou-
tras atividades de interes-
se da mulher agricultora.
                              Imagem: www. mda.gov.br
Pronaf MAIS ALIMENTOS

Aquisição de tratores,
máquinas,     matrizes,
formação de pasta-
gens, implantação de
pomares, sistemas de
irrigação, para produ-
ção de alimentos.         Imagem: www. mda.gov.br
Pronaf AF Custeio



Financiamento das despe-
sas normais de custeio da
produção agrícola e pecu-
ária.
Pronaf AF Investimento

Financiamento de implan-
tação, ampliação ou mo-
dernização da infraestru-
tura de produção e serviços
agropecuários e não agro-
pecuários      no     estabeleci-
mento rural.
Pronaf FLORESTAL


Investimento para siste-
mas agroflorestais, ex-
ploração extrativista e-
cologicamente    susten-
tável, plano de manejo
e manejo florestal.
Linhas de Crédito - Portfólio
PRONAF Grupos “A”, “A/C”, “B” e “AF”
PRONAF Mais Alimento
PRONAF Mulher

PRONAF Jovem

PRONAF Florestal

PRONAF Agroindústria

PRONAF Eco
PRONAF Agroecologia
BANCO DO BRASIL

Mercado de Agronegócios e Desenvolvimento
               Sustentável

        Email: superpa@bb.com.br
          Telefone: 91 3216-4768

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Encontro GCF Belém - Entraves para Cadeias Produtivas na Amazônia
Encontro GCF Belém - Entraves para Cadeias Produtivas na AmazôniaEncontro GCF Belém - Entraves para Cadeias Produtivas na Amazônia
Encontro GCF Belém - Entraves para Cadeias Produtivas na Amazônia
Idesam
 
Boas práticas de produção
Boas práticas de produçãoBoas práticas de produção
Boas práticas de produção
Fernanda Fogaça
 
Curso Banco do Brasil - Linhas de crédito safra 2015/2016
Curso Banco do Brasil - Linhas de crédito safra 2015/2016Curso Banco do Brasil - Linhas de crédito safra 2015/2016
Curso Banco do Brasil - Linhas de crédito safra 2015/2016
equipeagroplus
 
Crédito rural
Crédito ruralCrédito rural
Crédito rural
Linda Noara
 
SojaPlusMG_ApresentaçãoDoPrograma_Florestal
SojaPlusMG_ApresentaçãoDoPrograma_FlorestalSojaPlusMG_ApresentaçãoDoPrograma_Florestal
SojaPlusMG_ApresentaçãoDoPrograma_Florestal
equipeagroplus
 
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MGApresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
Ruan Coutinho
 
3 bases tecnológicas segunda aula 18 03
3 bases tecnológicas segunda aula 18 033 bases tecnológicas segunda aula 18 03
3 bases tecnológicas segunda aula 18 03
Agronegócios
 
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPiresApresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
equipeagroplus
 
Minas Pecuária
Minas PecuáriaMinas Pecuária
Minas Pecuária
Leonardo Gravina
 
Apresentação soja plus_willianpinto
Apresentação soja plus_willianpintoApresentação soja plus_willianpinto
Apresentação soja plus_willianpinto
equipeagroplus
 
Produtor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
Produtor de Água Ribeirão Carioca em ItabiritoProdutor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
Produtor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
CBH Rio das Velhas
 
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de ValorCASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
W9 - Apresentacao GPRH
W9 - Apresentacao GPRHW9 - Apresentacao GPRH
W9 - Apresentacao GPRH
Ruan Coutinho
 
Encontro GCF Belém - Cadeia Produtiva Sustentável Soja
Encontro GCF Belém - Cadeia Produtiva Sustentável SojaEncontro GCF Belém - Cadeia Produtiva Sustentável Soja
Encontro GCF Belém - Cadeia Produtiva Sustentável Soja
Idesam
 
Tinoco
TinocoTinoco
Folder pnae
Folder pnaeFolder pnae
Folder pnae
Rafael Soares Dias
 
Apresentação Tasso de Sousa Leite
Apresentação Tasso de Sousa LeiteApresentação Tasso de Sousa Leite
Apresentação Tasso de Sousa Leite
glauber_alien
 
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto RodriguesPalestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
24x7 COMUNICAÇÃO
 
Cartilha2
Cartilha2Cartilha2
Cartilha2
mcassia
 
Informe Rural - 15/08/13
Informe Rural - 15/08/13Informe Rural - 15/08/13
Informe Rural - 15/08/13
Informe Rural
 

Mais procurados (20)

Encontro GCF Belém - Entraves para Cadeias Produtivas na Amazônia
Encontro GCF Belém - Entraves para Cadeias Produtivas na AmazôniaEncontro GCF Belém - Entraves para Cadeias Produtivas na Amazônia
Encontro GCF Belém - Entraves para Cadeias Produtivas na Amazônia
 
Boas práticas de produção
Boas práticas de produçãoBoas práticas de produção
Boas práticas de produção
 
Curso Banco do Brasil - Linhas de crédito safra 2015/2016
Curso Banco do Brasil - Linhas de crédito safra 2015/2016Curso Banco do Brasil - Linhas de crédito safra 2015/2016
Curso Banco do Brasil - Linhas de crédito safra 2015/2016
 
Crédito rural
Crédito ruralCrédito rural
Crédito rural
 
SojaPlusMG_ApresentaçãoDoPrograma_Florestal
SojaPlusMG_ApresentaçãoDoPrograma_FlorestalSojaPlusMG_ApresentaçãoDoPrograma_Florestal
SojaPlusMG_ApresentaçãoDoPrograma_Florestal
 
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MGApresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
 
3 bases tecnológicas segunda aula 18 03
3 bases tecnológicas segunda aula 18 033 bases tecnológicas segunda aula 18 03
3 bases tecnológicas segunda aula 18 03
 
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPiresApresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
 
Minas Pecuária
Minas PecuáriaMinas Pecuária
Minas Pecuária
 
Apresentação soja plus_willianpinto
Apresentação soja plus_willianpintoApresentação soja plus_willianpinto
Apresentação soja plus_willianpinto
 
Produtor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
Produtor de Água Ribeirão Carioca em ItabiritoProdutor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
Produtor de Água Ribeirão Carioca em Itabirito
 
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de ValorCASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
 
W9 - Apresentacao GPRH
W9 - Apresentacao GPRHW9 - Apresentacao GPRH
W9 - Apresentacao GPRH
 
Encontro GCF Belém - Cadeia Produtiva Sustentável Soja
Encontro GCF Belém - Cadeia Produtiva Sustentável SojaEncontro GCF Belém - Cadeia Produtiva Sustentável Soja
Encontro GCF Belém - Cadeia Produtiva Sustentável Soja
 
Tinoco
TinocoTinoco
Tinoco
 
Folder pnae
Folder pnaeFolder pnae
Folder pnae
 
Apresentação Tasso de Sousa Leite
Apresentação Tasso de Sousa LeiteApresentação Tasso de Sousa Leite
Apresentação Tasso de Sousa Leite
 
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto RodriguesPalestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
Palestra - A reconstrução do agronegócio do Brasil - Roberto Rodrigues
 
Cartilha2
Cartilha2Cartilha2
Cartilha2
 
Informe Rural - 15/08/13
Informe Rural - 15/08/13Informe Rural - 15/08/13
Informe Rural - 15/08/13
 

Destaque

24jorgevivan
24jorgevivan24jorgevivan
24jorgevivan
cbsaf
 
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
cbsaf
 
Paulo guilherme cabral mma
Paulo guilherme cabral mmaPaulo guilherme cabral mma
Paulo guilherme cabral mma
cbsaf
 
22iidamir
22iidamir22iidamir
22iidamircbsaf
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
cbsaf
 
Dia 4 - Simposio 3 - Desafios técnicos para o uso de SAFs na recuperação de á...
Dia 4 - Simposio 3 - Desafios técnicos para o uso de SAFs na recuperação de á...Dia 4 - Simposio 3 - Desafios técnicos para o uso de SAFs na recuperação de á...
Dia 4 - Simposio 3 - Desafios técnicos para o uso de SAFs na recuperação de á...
cbsaf
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - A cultura do açaizeiro irr...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - A cultura do açaizeiro irr...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - A cultura do açaizeiro irr...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - A cultura do açaizeiro irr...
cbsaf
 
Praticas de colheita do Açaí
Praticas de colheita do AçaíPraticas de colheita do Açaí
Praticas de colheita do Açaí
Jairo Sousa
 
Pará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
Pará, terra do açaí - Oportunidade de InvestimentosPará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
Pará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
Herbert Machado
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Manejo, produção e comerci...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Manejo, produção e comerci...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Manejo, produção e comerci...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Manejo, produção e comerci...
cbsaf
 
Paulo augusto lobato emater
Paulo augusto lobato ematerPaulo augusto lobato emater
Paulo augusto lobato emater
cbsaf
 
Cbsaf reduzido
Cbsaf reduzidoCbsaf reduzido
Cbsaf reduzido
cbsaf
 

Destaque (12)

24jorgevivan
24jorgevivan24jorgevivan
24jorgevivan
 
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
 
Paulo guilherme cabral mma
Paulo guilherme cabral mmaPaulo guilherme cabral mma
Paulo guilherme cabral mma
 
22iidamir
22iidamir22iidamir
22iidamir
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
 
Dia 4 - Simposio 3 - Desafios técnicos para o uso de SAFs na recuperação de á...
Dia 4 - Simposio 3 - Desafios técnicos para o uso de SAFs na recuperação de á...Dia 4 - Simposio 3 - Desafios técnicos para o uso de SAFs na recuperação de á...
Dia 4 - Simposio 3 - Desafios técnicos para o uso de SAFs na recuperação de á...
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - A cultura do açaizeiro irr...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - A cultura do açaizeiro irr...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - A cultura do açaizeiro irr...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - A cultura do açaizeiro irr...
 
Praticas de colheita do Açaí
Praticas de colheita do AçaíPraticas de colheita do Açaí
Praticas de colheita do Açaí
 
Pará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
Pará, terra do açaí - Oportunidade de InvestimentosPará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
Pará, terra do açaí - Oportunidade de Investimentos
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Manejo, produção e comerci...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Manejo, produção e comerci...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Manejo, produção e comerci...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Manejo, produção e comerci...
 
Paulo augusto lobato emater
Paulo augusto lobato ematerPaulo augusto lobato emater
Paulo augusto lobato emater
 
Cbsaf reduzido
Cbsaf reduzidoCbsaf reduzido
Cbsaf reduzido
 

Semelhante a Sergio aparecido bb

Banco do Brasil: Linhas de crédito para agronegócio
Banco do Brasil: Linhas de crédito para agronegócioBanco do Brasil: Linhas de crédito para agronegócio
Banco do Brasil: Linhas de crédito para agronegócio
Mudas Nobres
 
Familia leite financiamento
Familia leite financiamentoFamilia leite financiamento
Familia leite financiamento
Ruan Coutinho
 
Abc 17.03.2015
Abc   17.03.2015Abc   17.03.2015
Fabio-BANCO-DO-BRASIL-Linhas-de-Credito-e-E4rlaboracao-de-Projetos.pdf
Fabio-BANCO-DO-BRASIL-Linhas-de-Credito-e-E4rlaboracao-de-Projetos.pdfFabio-BANCO-DO-BRASIL-Linhas-de-Credito-e-E4rlaboracao-de-Projetos.pdf
Fabio-BANCO-DO-BRASIL-Linhas-de-Credito-e-E4rlaboracao-de-Projetos.pdf
ricardotajra3
 
Abc expocafé Banco do Brasil
Abc expocafé Banco do BrasilAbc expocafé Banco do Brasil
Abc expocafé Banco do Brasil
Revista Cafeicultura
 
23671_Folder-Digital-Credito-Rural 2023.pdf
23671_Folder-Digital-Credito-Rural 2023.pdf23671_Folder-Digital-Credito-Rural 2023.pdf
23671_Folder-Digital-Credito-Rural 2023.pdf
JairMachado13
 
Palestra jose luiz
Palestra jose luizPalestra jose luiz
Palestra jose luiz
ambiental
 
Credito rural apresentao soja 2015
Credito rural apresentao soja 2015Credito rural apresentao soja 2015
Credito rural apresentao soja 2015
Revista Cafeicultura
 
Crédito rural apresentaçãosoja_2015.05.27
Crédito rural apresentaçãosoja_2015.05.27Crédito rural apresentaçãosoja_2015.05.27
Crédito rural apresentaçãosoja_2015.05.27
equipeagroplus
 
Apresentação do Banco do Brasil no Agrocafé 2012
Apresentação do Banco do Brasil no Agrocafé 2012Apresentação do Banco do Brasil no Agrocafé 2012
Apresentação do Banco do Brasil no Agrocafé 2012
Revista Cafeicultura
 
Workshop Produção sustentável de óleos vegetais Carlos Tuma
Workshop Produção sustentável de óleos vegetais Carlos TumaWorkshop Produção sustentável de óleos vegetais Carlos Tuma
Workshop Produção sustentável de óleos vegetais Carlos Tuma
equipeagroplus
 
Pecuária de a a z 30.04
Pecuária de a a z 30.04Pecuária de a a z 30.04
Pecuária de a a z 30.04
Meio & Mensagem
 
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mdaPlano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Joel Silva de Araujo
 
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mdaPlano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Danilov19
 
Fenicafé 2014 demetrios christofidis as perspectivas da irrigação no brasil
Fenicafé 2014 demetrios christofidis as perspectivas da irrigação no brasilFenicafé 2014 demetrios christofidis as perspectivas da irrigação no brasil
Fenicafé 2014 demetrios christofidis as perspectivas da irrigação no brasil
Revista Cafeicultura
 
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MGW9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
equipeagroplus
 
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Palácio do Planalto
 
Plano safra familiar 2016.2017-1
Plano safra familiar  2016.2017-1Plano safra familiar  2016.2017-1
Plano safra familiar 2016.2017-1
Luis Carlos
 
"Programa ABC - Agricultura de Baixo Carbono"
"Programa ABC - Agricultura de Baixo Carbono""Programa ABC - Agricultura de Baixo Carbono"
"Programa ABC - Agricultura de Baixo Carbono"
UNDP Policy Centre
 
Banco do Brasil - Crédito Rural
Banco do Brasil - Crédito RuralBanco do Brasil - Crédito Rural
Banco do Brasil - Crédito Rural
equipeagroplus
 

Semelhante a Sergio aparecido bb (20)

Banco do Brasil: Linhas de crédito para agronegócio
Banco do Brasil: Linhas de crédito para agronegócioBanco do Brasil: Linhas de crédito para agronegócio
Banco do Brasil: Linhas de crédito para agronegócio
 
Familia leite financiamento
Familia leite financiamentoFamilia leite financiamento
Familia leite financiamento
 
Abc 17.03.2015
Abc   17.03.2015Abc   17.03.2015
Abc 17.03.2015
 
Fabio-BANCO-DO-BRASIL-Linhas-de-Credito-e-E4rlaboracao-de-Projetos.pdf
Fabio-BANCO-DO-BRASIL-Linhas-de-Credito-e-E4rlaboracao-de-Projetos.pdfFabio-BANCO-DO-BRASIL-Linhas-de-Credito-e-E4rlaboracao-de-Projetos.pdf
Fabio-BANCO-DO-BRASIL-Linhas-de-Credito-e-E4rlaboracao-de-Projetos.pdf
 
Abc expocafé Banco do Brasil
Abc expocafé Banco do BrasilAbc expocafé Banco do Brasil
Abc expocafé Banco do Brasil
 
23671_Folder-Digital-Credito-Rural 2023.pdf
23671_Folder-Digital-Credito-Rural 2023.pdf23671_Folder-Digital-Credito-Rural 2023.pdf
23671_Folder-Digital-Credito-Rural 2023.pdf
 
Palestra jose luiz
Palestra jose luizPalestra jose luiz
Palestra jose luiz
 
Credito rural apresentao soja 2015
Credito rural apresentao soja 2015Credito rural apresentao soja 2015
Credito rural apresentao soja 2015
 
Crédito rural apresentaçãosoja_2015.05.27
Crédito rural apresentaçãosoja_2015.05.27Crédito rural apresentaçãosoja_2015.05.27
Crédito rural apresentaçãosoja_2015.05.27
 
Apresentação do Banco do Brasil no Agrocafé 2012
Apresentação do Banco do Brasil no Agrocafé 2012Apresentação do Banco do Brasil no Agrocafé 2012
Apresentação do Banco do Brasil no Agrocafé 2012
 
Workshop Produção sustentável de óleos vegetais Carlos Tuma
Workshop Produção sustentável de óleos vegetais Carlos TumaWorkshop Produção sustentável de óleos vegetais Carlos Tuma
Workshop Produção sustentável de óleos vegetais Carlos Tuma
 
Pecuária de a a z 30.04
Pecuária de a a z 30.04Pecuária de a a z 30.04
Pecuária de a a z 30.04
 
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mdaPlano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
 
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mdaPlano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
Plano safra agricultura_familiar_2013.2014_mda
 
Fenicafé 2014 demetrios christofidis as perspectivas da irrigação no brasil
Fenicafé 2014 demetrios christofidis as perspectivas da irrigação no brasilFenicafé 2014 demetrios christofidis as perspectivas da irrigação no brasil
Fenicafé 2014 demetrios christofidis as perspectivas da irrigação no brasil
 
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MGW9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
 
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
 
Plano safra familiar 2016.2017-1
Plano safra familiar  2016.2017-1Plano safra familiar  2016.2017-1
Plano safra familiar 2016.2017-1
 
"Programa ABC - Agricultura de Baixo Carbono"
"Programa ABC - Agricultura de Baixo Carbono""Programa ABC - Agricultura de Baixo Carbono"
"Programa ABC - Agricultura de Baixo Carbono"
 
Banco do Brasil - Crédito Rural
Banco do Brasil - Crédito RuralBanco do Brasil - Crédito Rural
Banco do Brasil - Crédito Rural
 

Mais de cbsaf

Joao luis guadagnin mda
Joao luis guadagnin mdaJoao luis guadagnin mda
Joao luis guadagnin mda
cbsaf
 
22robertmiller
22robertmiller22robertmiller
22robertmillercbsaf
 
24zaresoares
24zaresoares24zaresoares
24zaresoares
cbsaf
 
24ricardoscoles
24ricardoscoles24ricardoscoles
24ricardoscolescbsaf
 
24marceloarcoverde
24marceloarcoverde24marceloarcoverde
24marceloarcoverde
cbsaf
 
24lucianarocha
24lucianarocha24lucianarocha
24lucianarocha
cbsaf
 
24cleidetavares
24cleidetavares24cleidetavares
24cleidetavares
cbsaf
 
24casemiro
24casemiro24casemiro
24casemiro
cbsaf
 
24andregolcalves
24andregolcalves24andregolcalves
24andregolcalves
cbsaf
 
23leonardosorice
23leonardosorice23leonardosorice
23leonardosorice
cbsaf
 
Robert miller simposio 3.1
Robert miller simposio 3.1Robert miller simposio 3.1
Robert miller simposio 3.1
cbsaf
 
Helio umemura simposio 2.1
Helio umemura simposio 2.1Helio umemura simposio 2.1
Helio umemura simposio 2.1
cbsaf
 
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiuttiCompressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
cbsaf
 
Dia 2 - Simpósio 3 - Políticas publicas para integrar beneficios econômicos e...
Dia 2 - Simpósio 3 - Políticas publicas para integrar beneficios econômicos e...Dia 2 - Simpósio 3 - Políticas publicas para integrar beneficios econômicos e...
Dia 2 - Simpósio 3 - Políticas publicas para integrar beneficios econômicos e...
cbsaf
 
Dia 2 - Estratégias de politicas públicas para uma maior adoção de sistemas a...
Dia 2 - Estratégias de politicas públicas para uma maior adoção de sistemas a...Dia 2 - Estratégias de politicas públicas para uma maior adoção de sistemas a...
Dia 2 - Estratégias de politicas públicas para uma maior adoção de sistemas a...
cbsaf
 
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
cbsaf
 
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
cbsaf
 
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
cbsaf
 
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
cbsaf
 
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambie...
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambie...Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambie...
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambie...
cbsaf
 

Mais de cbsaf (20)

Joao luis guadagnin mda
Joao luis guadagnin mdaJoao luis guadagnin mda
Joao luis guadagnin mda
 
22robertmiller
22robertmiller22robertmiller
22robertmiller
 
24zaresoares
24zaresoares24zaresoares
24zaresoares
 
24ricardoscoles
24ricardoscoles24ricardoscoles
24ricardoscoles
 
24marceloarcoverde
24marceloarcoverde24marceloarcoverde
24marceloarcoverde
 
24lucianarocha
24lucianarocha24lucianarocha
24lucianarocha
 
24cleidetavares
24cleidetavares24cleidetavares
24cleidetavares
 
24casemiro
24casemiro24casemiro
24casemiro
 
24andregolcalves
24andregolcalves24andregolcalves
24andregolcalves
 
23leonardosorice
23leonardosorice23leonardosorice
23leonardosorice
 
Robert miller simposio 3.1
Robert miller simposio 3.1Robert miller simposio 3.1
Robert miller simposio 3.1
 
Helio umemura simposio 2.1
Helio umemura simposio 2.1Helio umemura simposio 2.1
Helio umemura simposio 2.1
 
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiuttiCompressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
 
Dia 2 - Simpósio 3 - Políticas publicas para integrar beneficios econômicos e...
Dia 2 - Simpósio 3 - Políticas publicas para integrar beneficios econômicos e...Dia 2 - Simpósio 3 - Políticas publicas para integrar beneficios econômicos e...
Dia 2 - Simpósio 3 - Políticas publicas para integrar beneficios econômicos e...
 
Dia 2 - Estratégias de politicas públicas para uma maior adoção de sistemas a...
Dia 2 - Estratégias de politicas públicas para uma maior adoção de sistemas a...Dia 2 - Estratégias de politicas públicas para uma maior adoção de sistemas a...
Dia 2 - Estratégias de politicas públicas para uma maior adoção de sistemas a...
 
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
 
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
 
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
 
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
Dia 2 - Políticas públicas e sistemas agroflorestais: lições aprendidas a par...
 
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambie...
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambie...Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambie...
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambie...
 

Sergio aparecido bb

  • 1. Sistemas Agroflorestais (SAF’s) são Agronegócios para Banco do Brasil
  • 2. Soluções para Armazenagem Instalação, ampliação Programa BB Armazenagem e modernização de sis- temas de armazena- gem para incremento e melhoria da capacida- de estática.
  • 3. Soluções para Produção Florestal Programa BB Florestal Implantação, manutenção e ampliação de sistemas florestais para o incre- mento e melhoria da pro- dução de madeira reflo- restada.
  • 4. Soluções para Fruticultura Incentivo à produção, melhoria da Programa BB Fruticultura produtividade, beneficiamento, in- dustrialização, padronização e de- mais investimentos necessários para a melhoria do padrão de qua- lidade e das condições de comer- cialização.
  • 5. Soluções para Produção Orgânica Programa BB Produção Orgânica Incentivo à atividade agro- pecuária conduzida pelas normas do sistema agroe- cológico de produção, a- provado pelas Instituições Certificadoras.
  • 6. Soluções para Biodiesel Programa BB Biodiesel Assistência sistêmica: - produção - processamento - distribuição - comercialização Produção de oleaginosas; Instalação de plantas industriais.
  • 7. Soluções para Irrigação MODERINFRA Apoiar o desenvolvimento da agropecuária irrigada sus- tentável, econômica e ambi- entalmente, de forma a mini- mizar o risco na produção e aumentar a oferta de alimen- tos para os mercados interno e externo.
  • 8. Linhas disponíveis BNDES (Automático, Moderagro, PROCAP AGRO e ABC) Finame (Agrícola, Moderfrota e Moderinfra) MCR 6.2 e MCR 6.4 (Investimento e Custeio) Pronamp (Investimento e Custeio) BB Prodecoop (Investimento e Capital de Giro) EGF, CPR e Crédito Agroindustrial Financiamento à Exportação e Importação
  • 9. Programa ABC no Banco do Brasil
  • 10. Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil: Público: Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, e suas cooperativas. Encargos Financeiros: juros efetivos de 5,5% ao ano. Valor Financiável: até R$ 1 milhão por beneficiário, por ano-safra, independentemente de outros créditos concedidos ao amparo de recursos controlados do crédito rural. Garantias: as usuais exigidas no Crédito Rural. Forma de Pagamento: Em parcelas semestrais ou anuais, de acordo com o projeto técnico. Liberação do crédito: conforme projeto técnico.
  • 11. Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil: REEMBOLSO: conforme projeto técnico e fluxo. Exemplos: • Implant. viveiros de mudas florestais: até 5 anos, incluídos até 2 anos de carência; • Invest. destinados à adequação ao sistema de agri- cultura orgânica e à recuperação de pastagens e de sistemas produtivos de integração lavoura-pecuária, lavoura-floresta, pecuária-floresta ou lavoura- pecuária-floresta: até 8 anos, incluídos até 3 anos de carência, podendo ser estendido a até 12 anos, quando a componente florestal estiver presente;
  • 12. Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil: • projetos para implantação e manutenção de florestas comerciais e para produção de carvão vegetal: até 12 anos, incluídos até 8 anos de carência. • O prazo pode ser estendido para até 15 anos, quando a espécie florestal assim o justificar. • projetos para recomposição e manutenção de áreas de preservação permanente ou de reserva legal: até 15 anos, incluídos até 1 ano de carência; • projetos para implantação e manutenção de florestas de dendezeiro: até 12 anos, incluídos até 6 anos de carência.
  • 13. Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil: FINALIDADES: Investimentos destinados a: • recuperação de áreas e pastagens degradadas; • implantação de sistemas orgânicos de produção agropecuária; • implantação e melhoramento de sistemas de plantio direto "na palha"; • implantação de sistemas de integração lavoura- pecuária, lavoura-floresta, pecuária-floresta ou lavoura-pecuária-floresta; • implantação, manutenção e manejo de florestas comerciais, inclusive aquelas destinadas ao uso industrial ou à produção de carvão vegetal;
  • 14. Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil: FINALIDADES (continuação): • adequação ou regularização das propriedades rurais frente à legislação ambiental, inclusive recuperação da reserva legal, de áreas de preservação permanente, e o tratamento de dejetos e resíduos, entre outros; • implantação de planos de manejo florestal sustentável; • implantação e manutenção de florestas de dendezeiro, prioritariamente em áreas produtivas degradadas.
  • 15. Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil: ITENS FINANCIÁVEIS: • projeto técnico e georreferenciamento das proprieda-des rurais; • realocação de estradas internas das propriedades rurais para fins de adequação ambiental; • aquisição de insumos e pagamento de serviços destinados a implantação e manutenção dos projetos financiados; • pagamento de serviços destinados à conversão da produção orgânica e sua certificação; • aquisição, transporte, aplicação e incorporação de corretivos agrícolas (calcário e outros);
  • 16. Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil: ITENS FINANCIÁVEIS (continuação): • marcação e construção de terraços e implantação de práticas conservacionistas do solo; • aquisição de sementes e mudas para formação de pastagens e de florestas; • implantação de viveiros de mudas florestais; • operações de destoca; • implantação e recuperação de cercas, aquisição de energizadores de cerca, aquisição, construção ou reformas de bebedouros e de saleiro ou cochos de sal; • aquisição de bovinos, ovinos e caprinos, para reprodução, recria e terminação, e sêmen dessas espécies;
  • 17. Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil: ITENS FINANCIÁVEIS (continuação): • serviços de agricultura de precisão, desde o planejamento inicial da amostragem do solo à geração dos mapas de aplicação de fertilizantes e corretivos; • despesas de mão-de-obra própria, desde que compatíveis com estruturas de custos de produção regional, indicadas por instituições oficiais de pesquisa ou de assistência técnica;
  • 18. Novidade: Programa ABC no Banco do Brasil: ITENS FINANCIÁVEIS (continuação): • aquisição de máquinas e equipamentos de fabricação nacional para a agricultura e pecuária não financiáveis pelo Moderfrota e Moderinfra; • construção e modernização de benfeitorias e de instala- ções, na propriedade rural; • custeio associado ao investimento, limitado a 30% (trinta por cento) do valor financiado, admitida a elevação para: > até 35% (trinta e cinco por cento) do valor financiado, quando destinado à implantação e à manutenção de florestas comerciais ou recomposição de áreas de preservação permanente ou de reserva legal; > até 40% (quarenta por cento) do valor financiado, quando o projeto incluir a aquisição de bovinos, ovinos e caprinos, para reprodução, recria e terminação, e sêmen dessas espécies.
  • 19. Soluções para a Agricultura Familiar
  • 20. Pronaf MULHER Investimento para ativida- des agropecuárias, turis- mo rural, artesanato e ou- tras atividades de interes- se da mulher agricultora. Imagem: www. mda.gov.br
  • 21. Pronaf MAIS ALIMENTOS Aquisição de tratores, máquinas, matrizes, formação de pasta- gens, implantação de pomares, sistemas de irrigação, para produ- ção de alimentos. Imagem: www. mda.gov.br
  • 22. Pronaf AF Custeio Financiamento das despe- sas normais de custeio da produção agrícola e pecu- ária.
  • 23. Pronaf AF Investimento Financiamento de implan- tação, ampliação ou mo- dernização da infraestru- tura de produção e serviços agropecuários e não agro- pecuários no estabeleci- mento rural.
  • 24. Pronaf FLORESTAL Investimento para siste- mas agroflorestais, ex- ploração extrativista e- cologicamente susten- tável, plano de manejo e manejo florestal.
  • 25. Linhas de Crédito - Portfólio PRONAF Grupos “A”, “A/C”, “B” e “AF” PRONAF Mais Alimento PRONAF Mulher PRONAF Jovem PRONAF Florestal PRONAF Agroindústria PRONAF Eco PRONAF Agroecologia
  • 26. BANCO DO BRASIL Mercado de Agronegócios e Desenvolvimento Sustentável Email: superpa@bb.com.br Telefone: 91 3216-4768