SlideShare uma empresa Scribd logo
CENTRO DECENTRO DE
TRABALHOS ESPÍRITATRABALHOS ESPÍRITA
ANA LUZANA LUZ
MEDIUNIDADE E MÉDIUM
1804-1869
Roteiro 1 – Influência dos Espíritos
em nossos pensamentos e atos, e nos
acontecimentos da vida;
Módulo V
Roteiro 2 – Mediunidade e médium;
Roteiro 3 – Mediunidade com Jesus.
Comunicabilidade dos Espíritos
MEDIUNIDADE E MÉDIUM
SubsídiosSubsídios
Digamos de início, que a mediunidade é
inerente a uma condição (disposição) orgânica, de
que todos os seres podem ser dotado, como da
de ver, de ouvir, de falar.
Não há nenhuma de que o homem, em
consequência do seu livre-arbítrio, não possa
abusar.
Ora, se Deus não tivesse concedido a
palavra, por exemplo, senão aos que são
incapazes de dizer coisas más, haveria mais
mudos do que falantes.
Deus outorgou as faculdades ao homem,
dando-lhe a liberdade de usá-las como quiser,
mas pune sempre aqueles que delas abusam.
Se o poder de comunicar-se com os
Espíritos só fosse dado aos mais dignos, qual
aquele que ousaria pretende-lo?
E onde estaria o limite da dignidade e da
indignidade?
A mediunidade é dada (conferida) sem
distinção, a fim de que os Espíritos possam levar
(trazer) a luz a todas as camadas, a todas as
classes da sociedade, ao pobre como ao rico:
Aos virtuosos, para os fortalecer no bem; e
aos viciosos para os corrigir.
Estes últimos não são os doentes que
precisam de médico?
Por que Deus, que não quer a morte do
pecador, o privaria do socorro que pode tirá-lo da
lama?
Os Bons Espíritos vêm assim em seu
auxílio, e seus conselhos, que ele recebe
diretamente, são de natureza a impressioná-lo
mais vivamente, do que se os recebesse de
maneira indireta.
Deus, na sua bondade, poupa-lhe a pena de
ir procurar a luz à distância, e a mete (a coloca)
nas mãos.
Não será ele bem mais culpado, se não
atentar para ela, isto é, se não a quiser ver?
Poderia recusar-se com a sua ignorância,
quando ele mesmo escreveu com suas mãos, viu
com os próprios olhos, ouviu com os seus
ouvidos e pronunciou com a sua própria boca a
sua condenação?
Se ele não aproveitar, então será punido
com a perda ou a perversão da sua faculdade, de
que os maus Espíritos se apoderação, para o
obsedar e enganar, sem prejuízo das aflições
comuns com que Deus castiga os servos indignos
e os corações endurecidos pelo orgulho e o
egoísmo.
A mediunidade não implica necessariamente
as relações habituais com os Espíritos superiores.
É simplesmente uma aptidão para servir de
instrumento, mais ou menos dócil, aos Espíritos,
em geral (1).
• Segundo Emmanuel, a [...] mediunidade é
aquela luz que seria derramada sobre toda carne
e prometida pelo Divino Mestre aos tempos do
Consolador, atualmente em curso na terra.
[...] Sendo luz que brilha na carne, a mediunidade
é atributo do Espírito, patrimônio da alma imortal,
elemento renovador da posição moral da criatura
terrena, enriquecendo todos os seus valores no
capítulo da virtude e da inteligência, sempre que
se encontre ligada aos princípios evangélicos na
sua trajetória pela face do mundo (7).
Mediunidade [é ainda Emmanuel quem o
diz] é talento do céu, para o serviço de renovação
do mundo.
Lâmpada, que nos cabe acender,
aproveitando o óleo da humildade, é
indispensável nutrir com ela a sublime luz do
amor, a irradiar-se em caridade e compreensão,
para todos os que nos cercam (8).
Por outro lado, toda pessoa que sente a
influência dos Espíritos, em qualquer grau de
intensidade, é médium.
Essa faculdade é inerente ao homem.
Por isso mesmo não constitui privilégio e são
raras as pessoas que não a possuam pelo menos
em estado rudimentar.
Pode-se dizer, pois, que todos são mais ou
menos médiuns.
Usualmente, porém, essa qualidade se aplica
somente aos que possuem uma faculdade
mediúnica bem caracterizada, que se traduz por
efeitos patentes de certa intensidade, o que
depende de uma organização mais ou menos
sensitiva (3).
O que é ser médium?
O médium é o indivíduo que serve de traço
de união aos Espíritos, para que estes possam
Espíritos materializados.
Por conseguinte, sem médium, não há
comunicações tangíveis, mentais, escritas,
físicas, de qualquer natureza que seja (4).
Nota-se, entretanto, que o [...] bom médium
não é, portanto, aquele que tem facilidade de
comunicação, mas o que é simpático aos Bons
Espíritos e só por eles é assistido.
É neste sentido, unicamente, que a
excelência das qualidades morais é de
importância absoluta para a mediunidade (2).
Qual a verdadeira definição da mediunidade?
A missão mediúnica se tem os seus percalços
e as suas lutas dolorosas, é uma das mais belas
oportunidades de progresso e de redenção
concedidas por Deus aos seus filhos misérrimos (6).
Assim é que os [...] grandes Instrutores da
Espiritualidade utilizam-se dos médiuns para a
transmissão de mensagens edificantes,
enriquecendo o Mundo com novas revelações,
conselhos e exortações que favorecem a definitiva
integração a programas emancipadores.
Tudo isso pode o mediunismo conseguir se o
pensamento de Nosso Senhor, repleto de
fraternidade e sabedoria, for a bússola de todas as
realizações.
O perispíritoO perispírito
do médiumdo médium
se expandese expande
O
perispírito
do Espírito
comunicante
também se
expande
O
Espírito
transmite
sua
vontade
ao
médium
Uma atmosfera fluídico
perispiritual comum é formada
O Espírito
comunicante
transmite seu
pensamento ao
perispírito do
médium, o qual
após ser captado, é
encaminhado ao
seu cérebro.
O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO MEDIÚNICO
ReferênciaReferência
BibliográficaBibliográfica
1. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo
Espiritismo. Tradução de J. Herculano Pires. 70ª
ed. Brás – São Paulo – LAKE 2013 – Cap. XXIV –
Não Por a Candeia Debaixo do Alqueire - Item: Os
Sãos Não Precisam de Médico - Questão 12 -
Págs. 284-285.
2. _______. Pág. 285
3. _______. O livro dos Médiuns. Tradução
de J. Herculano Pires. 27ª ed. Brás - São Paulo:
LAKE, Fevereiro de 2013. Segunda Parte - Cap.
XIV – OS MÉDIUNS - Questão 159 - Pág. 140.
4. ______. Cap. XXII – Da Mediunidade dos
Animais - Questão 236 - Pág. 213.
5. PERALVA, Martins. Estudando a
Mediunidade. 24ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005 –
Cap. 29 - Pág. 159.
6. XAVIER, Francisco Cândido. O
Consolador. Pelo Espírito Emmanuel – 26ª ed.
Rio de Janeiro: FEB 2004 – Terceira Parte –
Religião - 5. MEDIUNIDADE – Item:
Desenvolvimento - Questão 382 - Págs. 213.
7. _______. Págs. 213-214
6. _______. Dicionário da Alma. Por
Diversos Espíritos – Verbete: Mediunidade - 5ª
ed. Rio de Janeiro: FEB 2004 – Pág. 255.
Roteiro 2   mediunidade e médium

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deusEsde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Elysio Laroide Lugarinho
 
Psicofonia
PsicofoniaPsicofonia
Psicofonia
paikachambi
 
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografiaA categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
jcevadro
 
Emancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - DesdobramentoEmancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - Desdobramento
contatodoutrina2013
 
Mediunidade com Jesus
Mediunidade com JesusMediunidade com Jesus
Mediunidade com Jesus
home
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Leonardo Pereira
 
Criações fluídicas
Criações fluídicasCriações fluídicas
Criações fluídicas
Marcelo Noronha
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
Jorge Luiz dos Santos
 
Obsessão doença moral
Obsessão doença moralObsessão doença moral
Obsessão doença moral
Graça Maciel
 
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou UniversalAula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
carlos freire
 
Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf
Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transfOlm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf
Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidadeQuarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
CeiClarencio
 
Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1
Denise Aguiar
 
Espiritismo e mediunidade - 11 - obsessão
Espiritismo e mediunidade - 11 - obsessãoEspiritismo e mediunidade - 11 - obsessão
Espiritismo e mediunidade - 11 - obsessão
Leonardo Pereira
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
duadv
 
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
Marta Gomes
 
Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel
Ceile Bernardo
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
Jorge Luiz dos Santos
 
Animismo x Mediunidade
Animismo x MediunidadeAnimismo x Mediunidade
Animismo x Mediunidade
igmateus
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 

Mais procurados (20)

Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deusEsde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
 
Psicofonia
PsicofoniaPsicofonia
Psicofonia
 
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografiaA categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
 
Emancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - DesdobramentoEmancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - Desdobramento
 
Mediunidade com Jesus
Mediunidade com JesusMediunidade com Jesus
Mediunidade com Jesus
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
 
Criações fluídicas
Criações fluídicasCriações fluídicas
Criações fluídicas
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
 
Obsessão doença moral
Obsessão doença moralObsessão doença moral
Obsessão doença moral
 
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou UniversalAula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
 
Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf
Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transfOlm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf
Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf
 
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidadeQuarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
 
Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1
 
Espiritismo e mediunidade - 11 - obsessão
Espiritismo e mediunidade - 11 - obsessãoEspiritismo e mediunidade - 11 - obsessão
Espiritismo e mediunidade - 11 - obsessão
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
 
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
 
Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
 
Animismo x Mediunidade
Animismo x MediunidadeAnimismo x Mediunidade
Animismo x Mediunidade
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 

Destaque

Somos todos médiuns
Somos todos médiunsSomos todos médiuns
Somos todos médiuns
Helio Cruz
 
Mediunidade e corpo fisico
Mediunidade e corpo fisicoMediunidade e corpo fisico
Mediunidade e corpo fisico
Victor Passos
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
Bruno Cechinel Filho
 
0 energias
0  energias0  energias
0 energias
luzberto
 
Chacras Parte III
Chacras   Parte IIIChacras   Parte III
Chacras Parte III
Lívia Maria Pereira
 
Chacras Parte IV
Chacras   Parte IVChacras   Parte IV
Chacras Parte IV
Lívia Maria Pereira
 
61 0402 el verdadero sello de la pascua
61 0402 el verdadero sello de la pascua61 0402 el verdadero sello de la pascua
61 0402 el verdadero sello de la pascua
Miguel Angel Huayta Seminario
 
Homicidio doloso - Febrero
Homicidio doloso - FebreroHomicidio doloso - Febrero
Homicidio doloso - Febrero
Consejo Cívico
 
Manejo del paciente diabético y nefropatía diabética
Manejo del paciente diabético y nefropatía diabéticaManejo del paciente diabético y nefropatía diabética
Manejo del paciente diabético y nefropatía diabética
Braulio Enrique Aguilar Zacarías
 
Informe de práctica
Informe de práctica Informe de práctica
Informe de práctica
Maritzel González
 
53 0326 israel en el mar rojo #1
53 0326 israel en el mar rojo #153 0326 israel en el mar rojo #1
53 0326 israel en el mar rojo #1
Miguel Angel Huayta Seminario
 
62 1231 la contienda
62 1231 la contienda62 1231 la contienda
62 1231 la contienda
Miguel Angel Huayta Seminario
 
62 1111 e el porqué estoy en contra de la religión
62 1111 e el porqué estoy en contra de la religión62 1111 e el porqué estoy en contra de la religión
62 1111 e el porqué estoy en contra de la religión
Miguel Angel Huayta Seminario
 
Minimizing radio resource usage for machine to-machine communications through...
Minimizing radio resource usage for machine to-machine communications through...Minimizing radio resource usage for machine to-machine communications through...
Minimizing radio resource usage for machine to-machine communications through...
Shakas Technologies
 
Educación social pp
Educación social ppEducación social pp
Educación social pp
Uxue2611
 
55 0119 josué el gran guerrero
55 0119 josué el gran guerrero55 0119 josué el gran guerrero
55 0119 josué el gran guerrero
Miguel Angel Huayta Seminario
 
Herramientas del aula virtual udes # 3
Herramientas del aula virtual udes # 3Herramientas del aula virtual udes # 3
Herramientas del aula virtual udes # 3
Janeth Londoño
 
Educación social
Educación socialEducación social
Educación social
aliciacentella
 
MRMyersResume2016-07-18
MRMyersResume2016-07-18MRMyersResume2016-07-18
MRMyersResume2016-07-18
Michael Myers
 
Corpos sutís e o corpo físico
Corpos sutís e o corpo físicoCorpos sutís e o corpo físico
Corpos sutís e o corpo físico
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 

Destaque (20)

Somos todos médiuns
Somos todos médiunsSomos todos médiuns
Somos todos médiuns
 
Mediunidade e corpo fisico
Mediunidade e corpo fisicoMediunidade e corpo fisico
Mediunidade e corpo fisico
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
0 energias
0  energias0  energias
0 energias
 
Chacras Parte III
Chacras   Parte IIIChacras   Parte III
Chacras Parte III
 
Chacras Parte IV
Chacras   Parte IVChacras   Parte IV
Chacras Parte IV
 
61 0402 el verdadero sello de la pascua
61 0402 el verdadero sello de la pascua61 0402 el verdadero sello de la pascua
61 0402 el verdadero sello de la pascua
 
Homicidio doloso - Febrero
Homicidio doloso - FebreroHomicidio doloso - Febrero
Homicidio doloso - Febrero
 
Manejo del paciente diabético y nefropatía diabética
Manejo del paciente diabético y nefropatía diabéticaManejo del paciente diabético y nefropatía diabética
Manejo del paciente diabético y nefropatía diabética
 
Informe de práctica
Informe de práctica Informe de práctica
Informe de práctica
 
53 0326 israel en el mar rojo #1
53 0326 israel en el mar rojo #153 0326 israel en el mar rojo #1
53 0326 israel en el mar rojo #1
 
62 1231 la contienda
62 1231 la contienda62 1231 la contienda
62 1231 la contienda
 
62 1111 e el porqué estoy en contra de la religión
62 1111 e el porqué estoy en contra de la religión62 1111 e el porqué estoy en contra de la religión
62 1111 e el porqué estoy en contra de la religión
 
Minimizing radio resource usage for machine to-machine communications through...
Minimizing radio resource usage for machine to-machine communications through...Minimizing radio resource usage for machine to-machine communications through...
Minimizing radio resource usage for machine to-machine communications through...
 
Educación social pp
Educación social ppEducación social pp
Educación social pp
 
55 0119 josué el gran guerrero
55 0119 josué el gran guerrero55 0119 josué el gran guerrero
55 0119 josué el gran guerrero
 
Herramientas del aula virtual udes # 3
Herramientas del aula virtual udes # 3Herramientas del aula virtual udes # 3
Herramientas del aula virtual udes # 3
 
Educación social
Educación socialEducación social
Educación social
 
MRMyersResume2016-07-18
MRMyersResume2016-07-18MRMyersResume2016-07-18
MRMyersResume2016-07-18
 
Corpos sutís e o corpo físico
Corpos sutís e o corpo físicoCorpos sutís e o corpo físico
Corpos sutís e o corpo físico
 

Semelhante a Roteiro 2 mediunidade e médium

( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Mediunidade (cefak)
Mediunidade (cefak)Mediunidade (cefak)
Mediunidade (cefak)
Ana Annunciação
 
A mediunidade e o seu despertar i
A mediunidade e o seu despertar  iA mediunidade e o seu despertar  i
A mediunidade e o seu despertar i
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Seminario_mediuns obsidiados.pptx
Seminario_mediuns obsidiados.pptxSeminario_mediuns obsidiados.pptx
Seminario_mediuns obsidiados.pptx
msdbiasi
 
Quarto Módulo - 10ª influência moral dos médiuns, influencia do meio sobre ...
Quarto Módulo - 10ª   influência moral dos médiuns, influencia do meio sobre ...Quarto Módulo - 10ª   influência moral dos médiuns, influencia do meio sobre ...
Quarto Módulo - 10ª influência moral dos médiuns, influencia do meio sobre ...
CeiClarencio
 
( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
A idéia da Comunicação com os Espíritos
A idéia da Comunicação com os EspíritosA idéia da Comunicação com os Espíritos
A idéia da Comunicação com os Espíritos
Eduardo Henrique Marçal
 
01 a idéia da comunicação com os espíritos
01 a idéia da comunicação com os espíritos01 a idéia da comunicação com os espíritos
01 a idéia da comunicação com os espíritos
Antonio SSantos
 
SEMINÁRIO APRESENTAÇÃO FINAL.pptx
SEMINÁRIO APRESENTAÇÃO FINAL.pptxSEMINÁRIO APRESENTAÇÃO FINAL.pptx
SEMINÁRIO APRESENTAÇÃO FINAL.pptx
msdbiasi
 
01
0101
01
0101
11 mediunidade, o que é
11 mediunidade, o que é11 mediunidade, o que é
11 mediunidade, o que é
Antonio SSantos
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Antonino Silva
 
Mediunidade Missao de amor e o evangellho do Cristo
Mediunidade Missao de amor e o  evangellho do Cristo Mediunidade Missao de amor e o  evangellho do Cristo
Mediunidade Missao de amor e o evangellho do Cristo
Claudio Macedo
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos
Leonardo Pereira
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
Roberta Andrade
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - o que e a mediunidade
( Espiritismo)   # - amag ramgis - o que e a mediunidade( Espiritismo)   # - amag ramgis - o que e a mediunidade
( Espiritismo) # - amag ramgis - o que e a mediunidade
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
Roberta Andrade
 
Diálogo nas Reuniões Mediúnicas
Diálogo nas Reuniões MediúnicasDiálogo nas Reuniões Mediúnicas
Diálogo nas Reuniões Mediúnicas
GEOMPM FEEB
 
O médium e a mediunidade no Espiritismo. Reinaldo Barros
O médium e a mediunidade no Espiritismo. Reinaldo BarrosO médium e a mediunidade no Espiritismo. Reinaldo Barros
O médium e a mediunidade no Espiritismo. Reinaldo Barros
ADEP Portugal
 

Semelhante a Roteiro 2 mediunidade e médium (20)

( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
 
Mediunidade (cefak)
Mediunidade (cefak)Mediunidade (cefak)
Mediunidade (cefak)
 
A mediunidade e o seu despertar i
A mediunidade e o seu despertar  iA mediunidade e o seu despertar  i
A mediunidade e o seu despertar i
 
Seminario_mediuns obsidiados.pptx
Seminario_mediuns obsidiados.pptxSeminario_mediuns obsidiados.pptx
Seminario_mediuns obsidiados.pptx
 
Quarto Módulo - 10ª influência moral dos médiuns, influencia do meio sobre ...
Quarto Módulo - 10ª   influência moral dos médiuns, influencia do meio sobre ...Quarto Módulo - 10ª   influência moral dos médiuns, influencia do meio sobre ...
Quarto Módulo - 10ª influência moral dos médiuns, influencia do meio sobre ...
 
( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
 
A idéia da Comunicação com os Espíritos
A idéia da Comunicação com os EspíritosA idéia da Comunicação com os Espíritos
A idéia da Comunicação com os Espíritos
 
01 a idéia da comunicação com os espíritos
01 a idéia da comunicação com os espíritos01 a idéia da comunicação com os espíritos
01 a idéia da comunicação com os espíritos
 
SEMINÁRIO APRESENTAÇÃO FINAL.pptx
SEMINÁRIO APRESENTAÇÃO FINAL.pptxSEMINÁRIO APRESENTAÇÃO FINAL.pptx
SEMINÁRIO APRESENTAÇÃO FINAL.pptx
 
01
0101
01
 
01
0101
01
 
11 mediunidade, o que é
11 mediunidade, o que é11 mediunidade, o que é
11 mediunidade, o que é
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
Mediunidade Missao de amor e o evangellho do Cristo
Mediunidade Missao de amor e o  evangellho do Cristo Mediunidade Missao de amor e o  evangellho do Cristo
Mediunidade Missao de amor e o evangellho do Cristo
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - o que e a mediunidade
( Espiritismo)   # - amag ramgis - o que e a mediunidade( Espiritismo)   # - amag ramgis - o que e a mediunidade
( Espiritismo) # - amag ramgis - o que e a mediunidade
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
 
Diálogo nas Reuniões Mediúnicas
Diálogo nas Reuniões MediúnicasDiálogo nas Reuniões Mediúnicas
Diálogo nas Reuniões Mediúnicas
 
O médium e a mediunidade no Espiritismo. Reinaldo Barros
O médium e a mediunidade no Espiritismo. Reinaldo BarrosO médium e a mediunidade no Espiritismo. Reinaldo Barros
O médium e a mediunidade no Espiritismo. Reinaldo Barros
 

Mais de Bruno Cechinel Filho

Roteiro 3 evangelho no lar
Roteiro 3   evangelho no larRoteiro 3   evangelho no lar
Roteiro 3 evangelho no lar
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivosRoteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
Bruno Cechinel Filho
 

Mais de Bruno Cechinel Filho (20)

Roteiro 3 evangelho no lar
Roteiro 3   evangelho no larRoteiro 3   evangelho no lar
Roteiro 3 evangelho no lar
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
 
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivosRoteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
 

Último

Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 

Último (16)

Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 

Roteiro 2 mediunidade e médium

  • 1. CENTRO DECENTRO DE TRABALHOS ESPÍRITATRABALHOS ESPÍRITA ANA LUZANA LUZ MEDIUNIDADE E MÉDIUM
  • 3.
  • 4. Roteiro 1 – Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos, e nos acontecimentos da vida; Módulo V Roteiro 2 – Mediunidade e médium; Roteiro 3 – Mediunidade com Jesus. Comunicabilidade dos Espíritos
  • 7.
  • 8. Digamos de início, que a mediunidade é inerente a uma condição (disposição) orgânica, de que todos os seres podem ser dotado, como da de ver, de ouvir, de falar. Não há nenhuma de que o homem, em consequência do seu livre-arbítrio, não possa abusar. Ora, se Deus não tivesse concedido a palavra, por exemplo, senão aos que são incapazes de dizer coisas más, haveria mais mudos do que falantes. Deus outorgou as faculdades ao homem, dando-lhe a liberdade de usá-las como quiser, mas pune sempre aqueles que delas abusam.
  • 9. Se o poder de comunicar-se com os Espíritos só fosse dado aos mais dignos, qual aquele que ousaria pretende-lo? E onde estaria o limite da dignidade e da indignidade? A mediunidade é dada (conferida) sem distinção, a fim de que os Espíritos possam levar (trazer) a luz a todas as camadas, a todas as classes da sociedade, ao pobre como ao rico: Aos virtuosos, para os fortalecer no bem; e aos viciosos para os corrigir. Estes últimos não são os doentes que precisam de médico?
  • 10. Por que Deus, que não quer a morte do pecador, o privaria do socorro que pode tirá-lo da lama? Os Bons Espíritos vêm assim em seu auxílio, e seus conselhos, que ele recebe diretamente, são de natureza a impressioná-lo mais vivamente, do que se os recebesse de maneira indireta. Deus, na sua bondade, poupa-lhe a pena de ir procurar a luz à distância, e a mete (a coloca) nas mãos. Não será ele bem mais culpado, se não atentar para ela, isto é, se não a quiser ver?
  • 11. Poderia recusar-se com a sua ignorância, quando ele mesmo escreveu com suas mãos, viu com os próprios olhos, ouviu com os seus ouvidos e pronunciou com a sua própria boca a sua condenação? Se ele não aproveitar, então será punido com a perda ou a perversão da sua faculdade, de que os maus Espíritos se apoderação, para o obsedar e enganar, sem prejuízo das aflições comuns com que Deus castiga os servos indignos e os corações endurecidos pelo orgulho e o egoísmo. A mediunidade não implica necessariamente as relações habituais com os Espíritos superiores.
  • 12. É simplesmente uma aptidão para servir de instrumento, mais ou menos dócil, aos Espíritos, em geral (1). • Segundo Emmanuel, a [...] mediunidade é aquela luz que seria derramada sobre toda carne e prometida pelo Divino Mestre aos tempos do Consolador, atualmente em curso na terra. [...] Sendo luz que brilha na carne, a mediunidade é atributo do Espírito, patrimônio da alma imortal, elemento renovador da posição moral da criatura terrena, enriquecendo todos os seus valores no capítulo da virtude e da inteligência, sempre que se encontre ligada aos princípios evangélicos na sua trajetória pela face do mundo (7).
  • 13. Mediunidade [é ainda Emmanuel quem o diz] é talento do céu, para o serviço de renovação do mundo. Lâmpada, que nos cabe acender, aproveitando o óleo da humildade, é indispensável nutrir com ela a sublime luz do amor, a irradiar-se em caridade e compreensão, para todos os que nos cercam (8). Por outro lado, toda pessoa que sente a influência dos Espíritos, em qualquer grau de intensidade, é médium. Essa faculdade é inerente ao homem.
  • 14. Por isso mesmo não constitui privilégio e são raras as pessoas que não a possuam pelo menos em estado rudimentar. Pode-se dizer, pois, que todos são mais ou menos médiuns. Usualmente, porém, essa qualidade se aplica somente aos que possuem uma faculdade mediúnica bem caracterizada, que se traduz por efeitos patentes de certa intensidade, o que depende de uma organização mais ou menos sensitiva (3). O que é ser médium? O médium é o indivíduo que serve de traço de união aos Espíritos, para que estes possam
  • 15. Espíritos materializados. Por conseguinte, sem médium, não há comunicações tangíveis, mentais, escritas, físicas, de qualquer natureza que seja (4). Nota-se, entretanto, que o [...] bom médium não é, portanto, aquele que tem facilidade de comunicação, mas o que é simpático aos Bons Espíritos e só por eles é assistido. É neste sentido, unicamente, que a excelência das qualidades morais é de importância absoluta para a mediunidade (2). Qual a verdadeira definição da mediunidade?
  • 16. A missão mediúnica se tem os seus percalços e as suas lutas dolorosas, é uma das mais belas oportunidades de progresso e de redenção concedidas por Deus aos seus filhos misérrimos (6). Assim é que os [...] grandes Instrutores da Espiritualidade utilizam-se dos médiuns para a transmissão de mensagens edificantes, enriquecendo o Mundo com novas revelações, conselhos e exortações que favorecem a definitiva integração a programas emancipadores. Tudo isso pode o mediunismo conseguir se o pensamento de Nosso Senhor, repleto de fraternidade e sabedoria, for a bússola de todas as realizações.
  • 17. O perispíritoO perispírito do médiumdo médium se expandese expande O perispírito do Espírito comunicante também se expande O Espírito transmite sua vontade ao médium Uma atmosfera fluídico perispiritual comum é formada
  • 18. O Espírito comunicante transmite seu pensamento ao perispírito do médium, o qual após ser captado, é encaminhado ao seu cérebro. O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO MEDIÚNICO
  • 20. 1. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo Espiritismo. Tradução de J. Herculano Pires. 70ª ed. Brás – São Paulo – LAKE 2013 – Cap. XXIV – Não Por a Candeia Debaixo do Alqueire - Item: Os Sãos Não Precisam de Médico - Questão 12 - Págs. 284-285. 2. _______. Pág. 285 3. _______. O livro dos Médiuns. Tradução de J. Herculano Pires. 27ª ed. Brás - São Paulo: LAKE, Fevereiro de 2013. Segunda Parte - Cap. XIV – OS MÉDIUNS - Questão 159 - Pág. 140. 4. ______. Cap. XXII – Da Mediunidade dos Animais - Questão 236 - Pág. 213.
  • 21. 5. PERALVA, Martins. Estudando a Mediunidade. 24ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005 – Cap. 29 - Pág. 159. 6. XAVIER, Francisco Cândido. O Consolador. Pelo Espírito Emmanuel – 26ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2004 – Terceira Parte – Religião - 5. MEDIUNIDADE – Item: Desenvolvimento - Questão 382 - Págs. 213. 7. _______. Págs. 213-214 6. _______. Dicionário da Alma. Por Diversos Espíritos – Verbete: Mediunidade - 5ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2004 – Pág. 255.