SlideShare uma empresa Scribd logo
Revisão 6
Concordância
&
Problemas
Notacionais
Dominar a língua culta é bobagem?
“... é preciso que se reconheça que a língua culta reúne infinitamente mais
qualidades e valores (do que a língua não culta). Ela é a única que consegue
produzir e traduzir os pensamentos que circulam no mundo da filosofia, da
literatura das artes e das ciências.Ela é um componente determinante da ascensão
social... Privar cidadãos disso é o mesmo que lhes negar a chance de progredir na
vida.”
(Evanildo Bechara, em entrevista à revista Veja em 1º/06/2012)
Vide matéria na íntegra em : http://veja.abril.com.br/120907/p_088.shtml
Concordância Nominal
REGRA GERAL
O substantivo e o adjetivo concordam com as palavras
que a eles se referem no texto.
Ex.: O aluno. Os alunos.
A aluna. As alunas.
Garoto alto. Garotos altos.
Garota alta. Garotas altas.
GÊNERO
GÊNERO
NÚMERO
NÚMERO
CASOS PARTICULARES
1.Um adjetivo para mais de um substantivo.
a) Chamamos de concordância gramatical ou lógica quando o adjetivo
concorda com todos os substantivos.
Homem e menino altos.
Mulher e menina altas.
b) Chamamos de concordância atrativa quando o adjetivo concorda só com o
mais próximo.
Homem e menino alto.
Mulher e menina alta.
Homem e mulher alta.
c) Quando os substantivos são de gêneros diferentes, prevalece o masculino.
Homem e mulher altos.
d) Quando o adjetivo vem antes do substantivo, é mais frequente a
concordância atrativa.
Má hora e lugar. Mau lugar e hora.
- a menos que se trate de nome próprio.
Os inteligentes Téo e Luca chegaram cedo.
d) Se houver artigo entre o adjetivo e o substantivo, ambas as concordâncias
podem ser feitas.
Chegaram animados a moça e o rapaz.
Chegou animada a moça e o rapaz.
Problemas Notacionais
1. Alerta e menos são invariáveis.
 Eles estavam alerta. (e não alertas)
 Tinha menos convicção. (e não menas)
Obs: Se a palavra for substantivada, cumprirá seu plural
normalmente.
 o alerta - os alertas
 o não - os nãos.
A dúvida é: Os guardas vigiavam alertas ou alerta o portão principal?
A resposta é: Os guardas vigiavam alerta o portão principal.
O correto é “vigiavam alerta”, porque se trata de um advérbio,
é o modo como os guardas vigiavam o portão principal.
É importante lembrar que os advérbios são palavras invariáveis.
A palavra alerta se flexiona quando exerce uma função adjetiva (=sinônimo de “atento”):
“Eram guardas alertas” (=atentos).
O substantivo alerta (sinônimo de “aviso”,) também se flexiona:
“Os sentinelas deram vários alertas”. http://g1.globo.com/platb/portugues/
Problemas Notacionais
2. Bastante pode ser variável ou invariável.
Dica: Para fazermos a diferenciação, basta substituirmos [bastante] por muito;
se muito variar bastante também ira variar, em qualquer circunstância:
 Você conheceu muitas pessoas (muitas = bastantes).
 Elas são muito simpáticas (muito = bastante).
Obs: Bastante nem sempre é advérbio; às vezes pode ser
pronome indefinido, e nesse caso, tem plural.
Socorro!!!
3. Anexo, obrigado: são variáveis.
(a) Certidão anexa.
(o) Requerimento anexo.
Mandei anexa uma cópia.
4. Possível é adjetivo, portanto variável.
Mudança possível. Mudanças possíveis.
Obs: Às vezes, é empregado como reforço em frases especiais, em que
concorda com o artigo.
Histórias o mais tristes possível.
Histórias as mais tristes possíveis.
5. Mesmo e próprio concordam com a palavra a que se referem na frase.
Ela mesma fez a limpeza. Ela própria fez a limpeza.
Ele mesmo fez a limpeza. Ele próprio fez a limpeza.
Obs: Mesmo pode ser advérbio (realmente), ficando então invariável.
Ela fez mesmo a limpeza.
(realmente)
6.Só (sozinho) é variável.
Os parentes ficaram sós.
7.Só (somente) é invariável.
Só eles reclamaram.
Obs: “a sós” é invariável.
8. Haja vista (invariável).
Haja vista os resultados.
9.Meio (variável ou invariável)
Ele trouxe meia melancia. (metade)
Ela estava meio chateada. (mais ou menos).
Concordância Verbal e Regência
“O certo é “ALUGAM-SE apartamentos”.
A presença da partícula apassivadora
“SE” faz a frase ser passiva, ou seja, o
sujeito é quem sofre a ação do verbo
(= apartamentos), e não quem pratica a
ação de alugar. É o mesmo que eu
dissesse que “apartamentos são
alugados”.
http://colunas.g1.com.br/portugues/2006/10/25/ola-tudo-bem-8/
Sérgio Nogueira
O certo é “já FAZ dois anos que
não nos vemos”.
O verbo FAZER, quando se refere a
tempo decorrido, é impessoal. Isso
significa que não tem sujeito e que
deve ser usado sempre no singular:
“Já FAZ dez anos que ele morreu”;
“FAZIA oito minutos que ele não
tocava na bola”; “VAI FAZER quatro
anos que o Vasco não vence o
Flamengo numa final”.
O mesmo ocorre com o verbo
HAVER. Ninguém diria que “hão
dois anos que não nos vemos”. Nós
não nos vemos “há dois anos”, da
mesma forma que não nos vemos
“faz dois anos”. Sempre no singular.
Bendita crase!!
O certo é: “Vou a Roma” e “Vou à antiga Roma”.
Podemos usar o “macete” do verbo VOLTAR:
“Volto DE Roma” e “Volto DA antiga Roma”.
Observe que não há artigo antes de Roma. O artigo aparece se houver um
adjetivo ou termo equivalente:
“Vou a Paris.” (=volto DE Paris)
“Vou à Paris dos meus sonhos.” (=volto DA Paris dos meus sonhos)
“Vou a Porto Alegre.” (=volto DE Porto Alegre)
“Vou à bela Porto Alegre.” (=volto DA bela Porto Alegre)
“Vou a Londres.” (=volto DE Londres)
“Vou à Londres do Big Ben.” (=volto DA Londres do Big Ben)
Quando vou e volto DE, crase pra quê?
Quando vou e volto DA, crase haverá.
Fontes
CEGALLA, Domingos Paschoal. Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa. Ed. Nova
Fronteira, Rio de Janeiro, 1996.
ROCHA Lima, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. 45ª ed. Rio de
janeiro: José Olympio, 2006.
SÉRGIO, Ricardo. Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/gramatica/54626
NOGUEIRA, Sérgio. Dicas de Português do portal G1.
disponível em:http://g1.globo.com/platb/portugues/2011/02/02/duvidas-dos-leitores-26/
Revista Educar para crescer (edição online).
Google imagens.
Pesquisa e organização
Profa. Cláudia Heloísa C. Andria
Contato: clauheloisa@yahoo.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
Blog Estudo
 
Adverbio
AdverbioAdverbio
Adverbio
Karla Costa
 
Apresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominalApresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominal
laboratório de informática cef15
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
Elaine Teixeira
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivas
Carolina Loçasso Pereira
 
Orações Subordinadas Adjetivas
Orações Subordinadas AdjetivasOrações Subordinadas Adjetivas
Orações Subordinadas Adjetivas
Angela Santos
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
ma.no.el.ne.ves
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem
Denise
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas Adverbiais
Fábio Guimarães
 
Regência nominal e verbal
Regência nominal e verbalRegência nominal e verbal
Regência nominal e verbal
Sadrak Silva
 
Pronomes Relativos
Pronomes RelativosPronomes Relativos
Pronomes Relativos
catarinodilson
 
Complemento nominal
Complemento nominalComplemento nominal
Complemento nominal
Flávio Ferreira
 
Elementos constituintes do esquema argumentativo (tese, argumento, tema, pont...
Elementos constituintes do esquema argumentativo (tese, argumento, tema, pont...Elementos constituintes do esquema argumentativo (tese, argumento, tema, pont...
Elementos constituintes do esquema argumentativo (tese, argumento, tema, pont...
EEFRANCISCODASILVEIR
 
Tipos de predicado
Tipos de predicadoTipos de predicado
Tipos de predicado
Leidiane Santos
 
Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivas
Fábio Guimarães
 
Charge e Cartum
Charge e CartumCharge e Cartum
Charge e Cartum
aylton sheverino
 
Predicado
PredicadoPredicado
Predicado
Diego Prezia
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Andriane Cursino
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
Alice Silva
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
Andriane Cursino
 

Mais procurados (20)

Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Adverbio
AdverbioAdverbio
Adverbio
 
Apresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominalApresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominal
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivas
 
Orações Subordinadas Adjetivas
Orações Subordinadas AdjetivasOrações Subordinadas Adjetivas
Orações Subordinadas Adjetivas
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas Adverbiais
 
Regência nominal e verbal
Regência nominal e verbalRegência nominal e verbal
Regência nominal e verbal
 
Pronomes Relativos
Pronomes RelativosPronomes Relativos
Pronomes Relativos
 
Complemento nominal
Complemento nominalComplemento nominal
Complemento nominal
 
Elementos constituintes do esquema argumentativo (tese, argumento, tema, pont...
Elementos constituintes do esquema argumentativo (tese, argumento, tema, pont...Elementos constituintes do esquema argumentativo (tese, argumento, tema, pont...
Elementos constituintes do esquema argumentativo (tese, argumento, tema, pont...
 
Tipos de predicado
Tipos de predicadoTipos de predicado
Tipos de predicado
 
Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivas
 
Charge e Cartum
Charge e CartumCharge e Cartum
Charge e Cartum
 
Predicado
PredicadoPredicado
Predicado
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
 

Destaque

Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios
Cláudia Heloísa
 
Figuras de linguagem em propagandas
Figuras de linguagem em propagandasFiguras de linguagem em propagandas
Figuras de linguagem em propagandas
Cláudia Heloísa
 
PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016
Cláudia Heloísa
 
PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016 PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016
Cláudia Heloísa
 
Aula 4
Aula 4 Aula 4
Piva aula 7 2016
Piva aula 7  2016Piva aula 7  2016
Piva aula 7 2016
Cláudia Heloísa
 
Aula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discursoAula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discurso
Cláudia Heloísa
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
Cláudia Heloísa
 
PIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógicaPIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógica
Cláudia Heloísa
 
Aula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionaisAula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionais
Cláudia Heloísa
 
Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7
Cláudia Heloísa
 
Revisão 4 regência
Revisão 4  regênciaRevisão 4  regência
Revisão 4 regência
Cláudia Heloísa
 
Aula 5 2016
Aula 5 2016Aula 5 2016
Aula 5 2016
Cláudia Heloísa
 
Revisão 5 crase
Revisão 5 craseRevisão 5 crase
Revisão 5 crase
Cláudia Heloísa
 
Romantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracaoRomantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracao
Cláudia Heloísa
 
Álvares de Azevedo
Álvares de AzevedoÁlvares de Azevedo
Álvares de Azevedo
Cláudia Heloísa
 
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Cláudia Heloísa
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Valéria Alves de Arantes
 
Aula 3 Comportamento do Consumidor
Aula 3 Comportamento do ConsumidorAula 3 Comportamento do Consumidor
Aula 3 Comportamento do Consumidor
Felipe Duarte Silva
 
Aula 4 Comportamento do Consumidor
Aula 4 Comportamento do ConsumidorAula 4 Comportamento do Consumidor
Aula 4 Comportamento do Consumidor
Felipe Duarte Silva
 

Destaque (20)

Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios
 
Figuras de linguagem em propagandas
Figuras de linguagem em propagandasFiguras de linguagem em propagandas
Figuras de linguagem em propagandas
 
PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016
 
PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016 PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016
 
Aula 4
Aula 4 Aula 4
Aula 4
 
Piva aula 7 2016
Piva aula 7  2016Piva aula 7  2016
Piva aula 7 2016
 
Aula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discursoAula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discurso
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
 
PIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógicaPIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógica
 
Aula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionaisAula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionais
 
Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7
 
Revisão 4 regência
Revisão 4  regênciaRevisão 4  regência
Revisão 4 regência
 
Aula 5 2016
Aula 5 2016Aula 5 2016
Aula 5 2016
 
Revisão 5 crase
Revisão 5 craseRevisão 5 crase
Revisão 5 crase
 
Romantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracaoRomantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracao
 
Álvares de Azevedo
Álvares de AzevedoÁlvares de Azevedo
Álvares de Azevedo
 
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
 
Aula 3 Comportamento do Consumidor
Aula 3 Comportamento do ConsumidorAula 3 Comportamento do Consumidor
Aula 3 Comportamento do Consumidor
 
Aula 4 Comportamento do Consumidor
Aula 4 Comportamento do ConsumidorAula 4 Comportamento do Consumidor
Aula 4 Comportamento do Consumidor
 

Semelhante a Revisão6 concordância e problemas notacionais

Adjunto adnominal e adverbial
Adjunto adnominal e adverbialAdjunto adnominal e adverbial
Adjunto adnominal e adverbial
M. Cristina Torres Felippin
 
Verbos 2
Verbos 2Verbos 2
Verbos 2
Aportuguesando
 
Concordância verbal dkdjksjdkjskdjksjdskjdksd
Concordância verbal dkdjksjdkjskdjksjdskjdksdConcordância verbal dkdjksjdkjskdjksjdskjdksd
Concordância verbal dkdjksjdkjskdjksjdskjdksd
bloke
 
Gramática aula 14 - concordância nominal i
Gramática   aula 14 - concordância nominal iGramática   aula 14 - concordância nominal i
Gramática aula 14 - concordância nominal i
mfmpafatima
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
Don Veneziani
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
Edson Alves
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
Edson Alves
 
Apostila portugues pasquale
Apostila portugues pasqualeApostila portugues pasquale
Apostila portugues pasquale
terezamaciel
 
Manual Língua Portuguesa Professor Pasquale
Manual Língua Portuguesa Professor PasqualeManual Língua Portuguesa Professor Pasquale
Manual Língua Portuguesa Professor Pasquale
Nayara Rodrigues
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
MGLAUCIA /LÍNGUA PORTUGUESA
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
Rebeca Kaus
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
Blog Estudo
 
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; CraseConcordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Lidiane Rodrigues
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
ADRIANA BORDINHÃO VICIOLI
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
Tio Pablo Virtual
 
Concordância (tudo)
Concordância (tudo)Concordância (tudo)
Concordância (tudo)
professorakathia
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
guest2efcd1
 
Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos VerbaisGramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Carson Souza
 
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
Marcos Emídio
 
Livros poliedro caderno 1 português
Livros poliedro   caderno 1 portuguêsLivros poliedro   caderno 1 português
Livros poliedro caderno 1 português
Claudinei Pereria
 

Semelhante a Revisão6 concordância e problemas notacionais (20)

Adjunto adnominal e adverbial
Adjunto adnominal e adverbialAdjunto adnominal e adverbial
Adjunto adnominal e adverbial
 
Verbos 2
Verbos 2Verbos 2
Verbos 2
 
Concordância verbal dkdjksjdkjskdjksjdskjdksd
Concordância verbal dkdjksjdkjskdjksjdskjdksdConcordância verbal dkdjksjdkjskdjksjdskjdksd
Concordância verbal dkdjksjdkjskdjksjdskjdksd
 
Gramática aula 14 - concordância nominal i
Gramática   aula 14 - concordância nominal iGramática   aula 14 - concordância nominal i
Gramática aula 14 - concordância nominal i
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Apostila portugues pasquale
Apostila portugues pasqualeApostila portugues pasquale
Apostila portugues pasquale
 
Manual Língua Portuguesa Professor Pasquale
Manual Língua Portuguesa Professor PasqualeManual Língua Portuguesa Professor Pasquale
Manual Língua Portuguesa Professor Pasquale
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
 
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; CraseConcordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
 
Concordância (tudo)
Concordância (tudo)Concordância (tudo)
Concordância (tudo)
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos VerbaisGramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
 
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
 
Livros poliedro caderno 1 português
Livros poliedro   caderno 1 portuguêsLivros poliedro   caderno 1 português
Livros poliedro caderno 1 português
 

Mais de Cláudia Heloísa

Dom Casmurro
Dom CasmurroDom Casmurro
Dom Casmurro
Cláudia Heloísa
 
Quincas Borba
Quincas BorbaQuincas Borba
Quincas Borba
Cláudia Heloísa
 
Angústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano RamosAngústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano Ramos
Cláudia Heloísa
 
A relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de QueirósA relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de Queirós
Cláudia Heloísa
 
Enem 2018 informações
Enem 2018 informaçõesEnem 2018 informações
Enem 2018 informações
Cláudia Heloísa
 
Mayombe
MayombeMayombe
Minha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena MorleyMinha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena Morley
Cláudia Heloísa
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
Cláudia Heloísa
 
Aula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.AAula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.A
Cláudia Heloísa
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
Cláudia Heloísa
 
Lusofonia
Lusofonia Lusofonia
Lusofonia
Cláudia Heloísa
 
Vanguarda I - Surrealismo
Vanguarda I - SurrealismoVanguarda I - Surrealismo
Vanguarda I - Surrealismo
Cláudia Heloísa
 

Mais de Cláudia Heloísa (12)

Dom Casmurro
Dom CasmurroDom Casmurro
Dom Casmurro
 
Quincas Borba
Quincas BorbaQuincas Borba
Quincas Borba
 
Angústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano RamosAngústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano Ramos
 
A relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de QueirósA relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de Queirós
 
Enem 2018 informações
Enem 2018 informaçõesEnem 2018 informações
Enem 2018 informações
 
Mayombe
MayombeMayombe
Mayombe
 
Minha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena MorleyMinha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena Morley
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
 
Aula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.AAula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.A
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Lusofonia
Lusofonia Lusofonia
Lusofonia
 
Vanguarda I - Surrealismo
Vanguarda I - SurrealismoVanguarda I - Surrealismo
Vanguarda I - Surrealismo
 

Último

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 

Revisão6 concordância e problemas notacionais

  • 2. Dominar a língua culta é bobagem? “... é preciso que se reconheça que a língua culta reúne infinitamente mais qualidades e valores (do que a língua não culta). Ela é a única que consegue produzir e traduzir os pensamentos que circulam no mundo da filosofia, da literatura das artes e das ciências.Ela é um componente determinante da ascensão social... Privar cidadãos disso é o mesmo que lhes negar a chance de progredir na vida.” (Evanildo Bechara, em entrevista à revista Veja em 1º/06/2012)
  • 3.
  • 4.
  • 5. Vide matéria na íntegra em : http://veja.abril.com.br/120907/p_088.shtml
  • 6.
  • 7. Concordância Nominal REGRA GERAL O substantivo e o adjetivo concordam com as palavras que a eles se referem no texto. Ex.: O aluno. Os alunos. A aluna. As alunas. Garoto alto. Garotos altos. Garota alta. Garotas altas. GÊNERO GÊNERO NÚMERO NÚMERO
  • 8. CASOS PARTICULARES 1.Um adjetivo para mais de um substantivo. a) Chamamos de concordância gramatical ou lógica quando o adjetivo concorda com todos os substantivos. Homem e menino altos. Mulher e menina altas. b) Chamamos de concordância atrativa quando o adjetivo concorda só com o mais próximo. Homem e menino alto. Mulher e menina alta. Homem e mulher alta.
  • 9. c) Quando os substantivos são de gêneros diferentes, prevalece o masculino. Homem e mulher altos. d) Quando o adjetivo vem antes do substantivo, é mais frequente a concordância atrativa. Má hora e lugar. Mau lugar e hora. - a menos que se trate de nome próprio. Os inteligentes Téo e Luca chegaram cedo. d) Se houver artigo entre o adjetivo e o substantivo, ambas as concordâncias podem ser feitas. Chegaram animados a moça e o rapaz. Chegou animada a moça e o rapaz.
  • 10. Problemas Notacionais 1. Alerta e menos são invariáveis.  Eles estavam alerta. (e não alertas)  Tinha menos convicção. (e não menas) Obs: Se a palavra for substantivada, cumprirá seu plural normalmente.  o alerta - os alertas  o não - os nãos. A dúvida é: Os guardas vigiavam alertas ou alerta o portão principal? A resposta é: Os guardas vigiavam alerta o portão principal. O correto é “vigiavam alerta”, porque se trata de um advérbio, é o modo como os guardas vigiavam o portão principal. É importante lembrar que os advérbios são palavras invariáveis. A palavra alerta se flexiona quando exerce uma função adjetiva (=sinônimo de “atento”): “Eram guardas alertas” (=atentos). O substantivo alerta (sinônimo de “aviso”,) também se flexiona: “Os sentinelas deram vários alertas”. http://g1.globo.com/platb/portugues/
  • 11. Problemas Notacionais 2. Bastante pode ser variável ou invariável. Dica: Para fazermos a diferenciação, basta substituirmos [bastante] por muito; se muito variar bastante também ira variar, em qualquer circunstância:  Você conheceu muitas pessoas (muitas = bastantes).  Elas são muito simpáticas (muito = bastante). Obs: Bastante nem sempre é advérbio; às vezes pode ser pronome indefinido, e nesse caso, tem plural. Socorro!!!
  • 12. 3. Anexo, obrigado: são variáveis. (a) Certidão anexa. (o) Requerimento anexo. Mandei anexa uma cópia.
  • 13. 4. Possível é adjetivo, portanto variável. Mudança possível. Mudanças possíveis. Obs: Às vezes, é empregado como reforço em frases especiais, em que concorda com o artigo. Histórias o mais tristes possível. Histórias as mais tristes possíveis. 5. Mesmo e próprio concordam com a palavra a que se referem na frase. Ela mesma fez a limpeza. Ela própria fez a limpeza. Ele mesmo fez a limpeza. Ele próprio fez a limpeza. Obs: Mesmo pode ser advérbio (realmente), ficando então invariável. Ela fez mesmo a limpeza. (realmente)
  • 14. 6.Só (sozinho) é variável. Os parentes ficaram sós. 7.Só (somente) é invariável. Só eles reclamaram. Obs: “a sós” é invariável. 8. Haja vista (invariável). Haja vista os resultados. 9.Meio (variável ou invariável) Ele trouxe meia melancia. (metade) Ela estava meio chateada. (mais ou menos).
  • 15.
  • 16.
  • 17. Concordância Verbal e Regência “O certo é “ALUGAM-SE apartamentos”. A presença da partícula apassivadora “SE” faz a frase ser passiva, ou seja, o sujeito é quem sofre a ação do verbo (= apartamentos), e não quem pratica a ação de alugar. É o mesmo que eu dissesse que “apartamentos são alugados”. http://colunas.g1.com.br/portugues/2006/10/25/ola-tudo-bem-8/ Sérgio Nogueira
  • 18. O certo é “já FAZ dois anos que não nos vemos”. O verbo FAZER, quando se refere a tempo decorrido, é impessoal. Isso significa que não tem sujeito e que deve ser usado sempre no singular: “Já FAZ dez anos que ele morreu”; “FAZIA oito minutos que ele não tocava na bola”; “VAI FAZER quatro anos que o Vasco não vence o Flamengo numa final”. O mesmo ocorre com o verbo HAVER. Ninguém diria que “hão dois anos que não nos vemos”. Nós não nos vemos “há dois anos”, da mesma forma que não nos vemos “faz dois anos”. Sempre no singular.
  • 19.
  • 20. Bendita crase!! O certo é: “Vou a Roma” e “Vou à antiga Roma”. Podemos usar o “macete” do verbo VOLTAR: “Volto DE Roma” e “Volto DA antiga Roma”. Observe que não há artigo antes de Roma. O artigo aparece se houver um adjetivo ou termo equivalente: “Vou a Paris.” (=volto DE Paris) “Vou à Paris dos meus sonhos.” (=volto DA Paris dos meus sonhos) “Vou a Porto Alegre.” (=volto DE Porto Alegre) “Vou à bela Porto Alegre.” (=volto DA bela Porto Alegre) “Vou a Londres.” (=volto DE Londres) “Vou à Londres do Big Ben.” (=volto DA Londres do Big Ben) Quando vou e volto DE, crase pra quê? Quando vou e volto DA, crase haverá.
  • 21. Fontes CEGALLA, Domingos Paschoal. Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa. Ed. Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1996. ROCHA Lima, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. 45ª ed. Rio de janeiro: José Olympio, 2006. SÉRGIO, Ricardo. Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/gramatica/54626 NOGUEIRA, Sérgio. Dicas de Português do portal G1. disponível em:http://g1.globo.com/platb/portugues/2011/02/02/duvidas-dos-leitores-26/ Revista Educar para crescer (edição online). Google imagens. Pesquisa e organização Profa. Cláudia Heloísa C. Andria Contato: clauheloisa@yahoo.com.br