SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
RESPOSTAS - LIÇÃO 9 O Papel da Igreja na Comunidade
Jesus manifestava compaixão pelas pessoas 20 a 27 de agosto de 2016
❉ Sábado à tarde
VERSO PARA MEMORIZAR: “Percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas,
pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades”. (Mt 9:35).
Ao fazermos planos para a extensão da obra, devemos ter em vista muito mais do que as cidades. Distante das
estradas há muitas e muitas famílias que precisam de ser cuidadas, a fim de saber se compreendem a obra que
Jesus está a realizar em favor do Seu povo.
Os que estão nos caminhos não devem ser negligenciados; nem os que moram nos valados. E, ao viajarmos de
lugar em lugar, passando por uma casa após outra, devemos sempre perguntar: “Já ouviram a mensagem, por
acaso, os habitantes destes lugares? A verdade da Palavra de Deus já lhes chegou ao ouvido? Compreendem
que o fim de todas as coisas está próximo e que estão iminentes os juízos de Deus? Sabem que cada alma foi
comprada por um preço infinito?” Ao meditar sobre estas coisas, o meu coração expande-se no profundo
anseio de ver a verdade levada, na sua simplicidade, aos lares das pessoas que estão nos caminhos e lugares
separados dos centros densamente povoados. … É nosso privilégio visitá-los e fazer com que se familiarizem
com o amor de Deus por eles e com a Sua maravilhosa provisão para salvação da sua alma.
Nesta obra nos caminhos e valados, há sérias dificuldades que precisam de ser enfrentadas e vencidas. O
obreiro, ao sair em busca das almas, não deve temer, nem ficar desanimado, pois Deus é o seu ajudador e
continuará a ajudá-lo. E dará oportunidade aos Seus servos. Evangelismo, p. 45.
Teremos êxito, se avançarmos com fé, resolvidos a fazer a obra de Deus inteligentemente. Não devemos
permitir que sejamos estorvados por homens que gostam de ficar do lado negativo, demonstrando muito pouca
fé. A obra missionária de Deus deve ser levada avante por homens de muita fé e deve constantemente crescer
em força e eficiência. Fé, fé viva é que temos de ter, uma fé que opera por amor e purifica a alma. Temos de
aprender a levar tudo ao Senhor, com simplicidade e fervorosa fé. – Mente, Caráter e Personalidade, vol. 2, p.
540.
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
❉ Domingo, 21 de agosto - Interrupções: oportunidades inesperadas para servir
❉ Pergunta. 1. Leia Marcos 5:22-43. Enquanto Jesus caminhava para atender à necessidade do chefe da
sinagoga, o que O interrompeu, e como Ele reagiu à interrupção? Que lições encontramos nessa história a
respeito da nossa reação quando somos interrompidos em nosso ministério?
Mc 5:22-43, (NVI); 22 Então chegou ali um dos dirigentes da sinagoga, chamado Jairo. Vendo Jesus, prostrou-se
aos seus pés 23 e lhe implorou insistentemente: "Minha filhinha está morrendo! Vem, por favor, e impõe as
mãos sobre ela, para que seja curada e viva". 24 Jesus foi com ele. Uma grande multidão o seguia e o
comprimia. 25 E estava ali certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de uma hemorragia. 26 Ela
padecera muito sob o cuidado de vários médicos e gastara tudo o que tinha, mas, em vez de melhorar, piorava.
27 Quando ouviu falar de Jesus, chegou-se por trás dele, no meio da multidão, e tocou em seu manto, 28
porque pensava: "Se eu tão-somente tocar em seu manto, ficarei curada". 29 Imediatamente cessou sua
hemorragia e ela sentiu em seu corpo que estava livre do seu sofrimento. 30 No mesmo instante, Jesus
percebeu que dele havia saído poder, virou-se para a multidão e perguntou: "Quem tocou em meu manto? " 31
Responderam os seus discípulos: "Vês a multidão aglomerada ao teu redor e ainda perguntas: ‘Quem tocou em
mim? ’ " 32 Mas Jesus continuou olhando ao seu redor para ver quem tinha feito aquilo. 33 Então a mulher,
sabendo o que lhe tinha acontecido, aproximou-se, prostrou-se aos seus pés e, tremendo de medo, contou-lhe
toda a verdade. 34 Então ele lhe disse: "Filha, a sua fé a curou! Vá em paz e fique livre do seu sofrimento". 35
Enquanto Jesus ainda estava falando, chegaram algumas pessoas da casa de Jairo, o dirigente da sinagoga.
"Sua filha morreu", disseram eles. "Não precisa mais incomodar o mestre! " 36 Não fazendo caso do que eles
disseram, Jesus disse ao dirigente da sinagoga: "Não tenha medo; tão-somente creia". 37 E não deixou
ninguém segui-lo, senão Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago. 38 Quando chegaram à casa do dirigente da
sinagoga, Jesus viu um alvoroço, com gente chorando e se lamentando em alta voz. 39 Então entrou e lhes
disse: "Por que todo este alvoroço e lamento? A criança não está morta, mas dorme". 40 Mas todos começaram
a rir de Jesus. Ele, porém, ordenou que eles saíssem, tomou consigo o pai e a mãe da criança e os discípulos
que estavam com ele, e entrou onde se encontrava a criança. 41 Tomou-a pela mão e lhe disse: "Talita cumi! ",
que significa: "Menina, eu lhe ordeno, levante-se! ". 42 Imediatamente a menina, que tinha doze anos de idade,
levantou-se e começou a andar. Isso os deixou atônitos. 43 Ele deu ordens expressas para que não dissessem
nada a ninguém e mandou que dessem a ela alguma coisa para comer.
❉ Resposta. 1. Uma mulher com hemorragia. Ela foi por trás dEle e tocou Sua roupa na esperança de ser
curada. O Senhor percebeu e gostou de ser interrompido. Ele desejava atender à mulher, a Jairo e deseja
atender a cada sofredor. As interrupções em nosso ministério são uma oportunidade especial para Deus realizar
milagres em nós e através de nós.
Só Cristo é capaz de carregar as aflições de muitos. “Em toda a angústia deles foi ele angustiado” (Isaías
63:9). Ele nunca teve doença na Sua própria carne; mas tomava sobre Si as enfermidades dos outros. Com a
mais terna compaixão olhava para os sofredores que se comprimiam à Sua volta. Gemia em espírito ao ver a
obra de Satanás revelada em todo o seu infortúnio; e tornava como Seu cada caso de necessidade e dor.
Nenhuma multiplicidade de números O distraía. Nenhuma angústia O assombrava. Com um poder que nunca
diminuía, Ele expulsava os espíritos maus que possuíam mente e corpo, enquanto a dor dos aflitos vibrava em
todo o Seu ser. O poder do amor estava em todas as curas. Ele identificava os Seus interesses com os de toda a
Humanidade sofredora. – Para Conhecê-lo (Meditações Matinais, 1965), p. 43.
Ao ensinar ou ao curar, exercia ao extremo todas as energias da mente e do corpo; contudo reparava nas coisas
mais simples da vida e da Natureza. As Suas lições mais instrutivas foram aquelas com que ilustrou as grandes
verdades do reino de Deus através das coisas singelas da Natureza. Não passava por alto as necessidades do
mais humilde dos Seus servos. O Seu ouvido escutava cada clamor de necessidade. Estava atento ao contacto
da mulher enferma no meio da turba; o mais leve toque da fé recebia resposta. Ao despertar a filha de Jairo da
morte, recomendou aos pais que lhe dessem alguma coisa para comer. Quando, pela Sua força poderosa,
ressurgiu da sepultura, dignou-Se a dobrar e a colocar cuidadosamente no lugar apropriado a mortalha em que
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
fora envolto.
A obra a que como Cristãos somos chamados é a de cooperar com Cristo na salvação de almas. Através de um
pacto com Ele, comprometemo-nos a fazê-la. Negligenciar a obra é provar ser desleal a Cristo. Para cumprir
esta tarefa, porém, precisamos de seguir o Seu exemplo de atenção fiel e conscienciosa às coisas mínimas.
Este é o segredo do êxito em cada ramo de esforço e influência cristã. Parábolas de Jesus, pp. 357 e 358.
Mas o Filho de Deus era submisso à vontade do Seu Pai e dependente do Seu poder. Jesus era tão plenamente
vazio do próprio eu que não elaborava planos para Si mesmo. Aceitava os que Deus fazia a Seu respeito, e o
Pai desdobrava-os dia-a-dia. Assim devemos nós confiar em Deus, para que a nossa vida seja uma simples
operação da Sua vontade. – O Desejado de Todas as Nações, pp. 163 e 164 (Ed. P. SerVir).
Os nossos planos nem sempre são os planos de Deus. Ele pode ver que é melhor para nós e para a Sua causa
recusar as nossas melhores intenções, como fez no caso de David. Mas, de uma coisa podemos estar certos: é
de que abençoará e empregará no avanço da Sua causa aqueles que sinceramente se consagram à Sua glória,
com tudo o que possuem. Se vir que é melhor não atender os desejos, compensará a recusa dando-lhes provas
do Seu amor e confiando-lhes outro serviço. – A Ciência do Bom Viver, p. 364 (Ed. P. SerVir).
❉ Segunda, 22 de agosto - Posso ajudá-lo?
❉ Pergunta. 2. Leia Marcos 10:46-52 e João 5:1-9. Nesses casos, por que Jesus fez perguntas?
Mc 10:46-52, (KJA); 46 Chegaram pois a Jericó. Quando Jesus e seus discípulos, e mais uma grande multidão,
estavam deixando a cidade, o filho de Timeu, chamado Bartimeu, que era cego, estava assentado à beira do
caminho, pedindo esmolas. 47 Assim que ouviu que era Jesus de Nazaré, começou a gritar: “Jesus! Filho de
Davi, tem misericórdia de mim!”. 48 Muitos o advertiam severamente para que se calasse, contudo ele gritava
ainda mais: “Filho de Davi! Tem compaixão de mim!”. 49 Foi então que Jesus parou e pediu: “Chamai-o!” E
assim foram chamar o cego: “Ânimo, homem! Levanta-te, Ele te chama”. 50 Jogando sua capa para o lado, de
um só salto colocou-se em pé e foi ao encontro de Jesus. 51 Indagou-lhe Jesus: “Que queres que Eu te
faça?” Rogou-lhe o cego: “Raboni, que eu volte a enxergar!”. 52 E Jesus lhe ordenou: “Vai em frente, a tua fé
te salvou!”. No mesmo instante o homem recuperou a visão e passou a seguir a Jesus pelo caminho.
Jo 5:1-9, (KJA); 1 Algum tempo depois, havia uma festa dos judeus, e Jesus subiu para Jerusalém. 2 Existe em
Jerusalém, perto da Porta das Ovelhas, um tanque, chamado em hebraico Betesda, tendo cinco pavilhões. 3
Nestes, ficava grande multidão de enfermos, cegos, mancos e paralíticos, esperando pelo movimento nas
águas. 4 De certo em certo tempo, descia um anjo do Senhor e agitava as águas. O primeiro que entrasse no
tanque, depois de agitadas as águas, era curado de qualquer doença que tivesse. 5 Estava ali um certo homem,
enfermo havia trinta e oito anos. 6 Quando Jesus o viu deitado, e sabendo que estava assim havia muito
tempo, perguntou-lhe: “Queres ser curado?” 7 O homem enfermo queixou-se: “Senhor, não tenho ninguém
que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto estou indo, desce outro antes de mim.” 8
Ordenou-lhe Jesus: “Levanta-te, apanha o teu leito e anda.” 9 Imediatamente o homem ficou curado, pegou seu
leito e andou. E aquele dia era sábado.
❉ Resposta. 2. Porque Ele queria: demonstrar interesse e cuidado pela pessoa; ouvir os sentimentos dos
sofredores, o que fazia parte do processo de cura; dar oportunidade para que as pessoas expressassem sua fé.
Se elas não demonstrassem confiança em Cristo quanto à cura, não iriam valorizar os milagres divinos.
“Lembrem-se de que vocês podem derrubar a mais forte oposição, tendo interesse pessoal nas pessoas que
encontram. Cristo manifestou interesse pessoal em homens e mulheres enquanto viveu na Terra. Aonde quer
que fosse, Ele era um médico-missionário. Devemos sair para fazer o bem, assim como Ele fez. Somos
instruídos a alimentar os famintos, vestir os nus e confortar os tristes”. (Beneficência Social, p. 162.
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
Só quando o pecador sente a necessidade de um Salvador é que o seu coração vai em busca d’Aquele que o
pode ajudar. … O cego Bartimeu está à espera à beira da estrada; há muito que espera para conhecer Cristo.
Multidões de pessoas, com a faculdade da vista, passam para trás e para a frente, mas não têm qualquer desejo
de ver Jesus. Um olhar de fé tocaria o Seu coração de amor e conceder-lhes-ia as bênçãos da Sua graça; mas
eles não têm conhecimento da doença e da pobreza das suas almas, e não sentem qualquer necessidade de
Cristo. Mas não é assim com o pobre cego. A sua única esperança está em Jesus. … Com a veemência do
intenso desejo, ele clama: “Jesus, filho de David, tem compaixão de mim!” (Marcos 10:47.) Eles tentam calá-
lo, porém ele clama ainda com mais veemência: “Filho de David, tem misericórdia de mim!” (Marcos 10:48.)
Este apelo foi ouvido. A sua fé perseverante é recompensada. Não só lhe foi restaurada a vista física, mas
foram-lhe abertos os olhos do entendimento. Vê em Cristo o Redentor, e o Sol da Justiça brilha na sua vida.
Todos os que sentem a sua necessidade de Cristo como o cego Bartimeu, e forem tão sinceros e decididos
como ele foi, hão de, como ele, receber a bênção que anseiam.
Os sofredores e aflitos que procuravam Cristo como seu ajudador ficavam encantados com a perfeição divina,
a beleza da santidade que irradiavam do Seu caráter. Mas os fariseus não conseguiam ver qualquer beleza
n’Ele, para que O desejassem. O Seu vestuário simples e a Sua vida humilde, isenta de qualquer demonstração
exterior, faziam com que eles O vissem como “raiz de uma terra seca”. Comentários de Ellen G. White, The
SDA Bible Commentary, vol. 5, p. 1111.
Muitos compreendem o seu desamparo e anseiam aquela vida espiritual que lhes trará harmonia com Deus, e
estão a esforçar-se por obtê-la. … Que essas almas abatidas, em luta, olhem para o Alto. O Salvador inclina-Se
sobre a aquisição do Seu sangue, dizendo com inexprimível ternura e piedade: “Queres ficar são?” Manda-vos
levantar em saúde e paz. Não esperem até sentir que estão curados. Creiam na palavra do Salvador. Ponham a
vossa vontade ao lado de Cristo. Decidam servi-lo, e, ao agirem em obediência à Sua palavra, receberão
forças. Seja qual for a má prática, a paixão dominante que, devido a longa condescendência, prende tanto a
alma como o corpo, Cristo é capaz de libertar, e anseia fazê-lo. …
Quando o pecado luta pelo domínio na vossa alma, e sobrecarrega a consciência, olhem para o Salvador. A Sua
graça é suficiente para subjugar o pecado. Que o vosso grato coração, trémulo de incerteza, se volte para Ele.
Apoderem-se da esperança posta diante de vós. Cristo espera adotar-vos na Sua família. A Sua força ajudará a
vossa fraqueza; conduzir-vos-á passo a passo. Coloquem a vossa mão na Sua, e deixem que Ele vos guie.
Nunca pensem que Cristo está distante. Ele está sempre perto. A Sua amorável presença envolve-vos.
Procurem-no como a Alguém que quer ser achado por vós. Deseja que não só toquem nas Suas vestes, mas
que andem com Ele numa constante comunhão. A Ciência do Bom Viver, pp. 48 e 49 (Ed. P. SerVir).
❉ Terça, 23 de agosto - As necessidades mais profundas
Jesus, sendo o Senhor, sabia mais sobre as pessoas do que elas sabiam sobre si mesmas. Há muitos relatos nos
evangelhos em que Jesus mostrou que não apenas sabia o que as pessoas estavam pensando naquele momento
(Mc 2:8), mas também conhecia sua história (Jo 4:18).
Mc 2:8, (ARA); 8 Mas Jesus logo percebeu em seu espírito que eles assim arrazoavam dentro de si, e perguntou-
lhes: Por que arrazoais desse modo em vossos corações?
Jo 4:17-18, (ACF 1753); 17 A mulher respondeu, e disse: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Disseste bem: Não
tenho marido; 18 Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.
❉ Pergunta. 3. Leia o Salmo 139:1-13. Qual é a mensagem da Palavra de Deus nessa passagem?
Sl 139:1-13, (ARC); 1 SENHOR, tu me sondaste e me conheces. 2 Tu conheces o meu assentar e o meu
levantar; de longe entendes o meu pensamento. 3 Cercas o meu andar e o meu deitar; e conheces todos os
meus caminhos. 4 Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó SENHOR, tudo conheces. 5 Tu
me cercaste em volta e puseste sobre mim a tua mão. 6 Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta, que
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
não a posso atingir. 7 Para onde me irei do teu Espírito ou para onde fugirei da tua face? 8 Se subir ao céu,
tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também; 9 se tomar as asas da alva, se habitar nas
extremidades do mar, 10 até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. 11 Se disser: decerto que as
trevas me encobrirão; então, a noite será luz à roda de mim. 12 Nem ainda as trevas me escondem de ti; mas
a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa. 13 Pois possuíste o meu
interior; entreteceste-me no ventre de minha mãe.
❉ Resposta. 3. Deus conhece nossa vida passada, presente e futura. Ele conhece nossas necessidades mais
profundas e nos cerca com Sua onisciência, onipresença e onipotência. Ele pode nos guiar, suster, iluminar e
curar.
Em cada lugar, a cada hora do dia, há um santo Vigia, que fecha todas as contas, cujos olhos veem toda a
situação, quer demonstre fidelidade, quer deslealdade e engano. Nunca estamos sós. Temos um Companheiro,
quer O escolhamos quer não. … onde quer que vocês estejam, o que quer que estejam a fazer, Deus está aí.
Para cada uma das vossas palavras ou atos, têm uma testemunha – o Deus santo, que aborrece o pecado. Nada
do que se diga, se faça ou se pense escapa ao Seu olhar infinito. As vossas palavras podem não ser ouvidas por
ouvidos humanos, mas são ouvidas pelo Soberano do Universo. Ele vê a ira íntima do coração quando a
vontade é contrariada. Ouve a expressão profana. Na mais profunda treva ou solidão, ali está Ele. Ninguém
pode enganar Deus; ninguém escapa da sua responsabilidade para com Ele. … Todo o Céu está interessado na
nossa salvação. Os anjos de Deus… estão a anotar as ações dos homens. Registam, nos livros memoriais de
Deus, as palavras de fé, os atos de amor, a humildade de espírito; e naquele dia em que as obras de cada um
hão de ser provadas, a fim de ver de que espécie são, a obra do humilde seguidor de Cristo resistirá à prova,
recebendo o louvor do Céu. – Para Conhecê-lo. (Meditações Matinais, 1965), p. 230.
❉ Pergunta. 4. Leia Marcos 2:1-12. Qual era a necessidade mais profunda desse homem, além das aparências?
Esse tipo de necessidade pode ser um problema para aqueles a quem procuramos ministrar?
Mc 2:1-12, (ARA); 1 Alguns dias depois entrou Jesus outra vez em Cafarnaum, e soube-se que ele estava em
casa. 2 Ajuntaram-se, pois, muitos, a ponta de não caberem nem mesmo diante da porta; e ele lhes anunciava a
palavra. 3 Nisso vieram alguns a trazer-lhe um paralítico, carregado por quatro; 4 e não podendo aproximar-se
dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava e, fazendo uma abertura, baixaram o leito em
que jazia o paralítico. 5 E Jesus, vendo-lhes a fé, disse ao paralítico: Filho, perdoados são os teus pecados.
6 Ora, estavam ali sentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: 7 Por que fala
assim este homem? Ele blasfema. Quem pode perdoar pecados senão um só, que é Deus? 8 Mas Jesus logo
percebeu em seu espírito que eles assim arrazoavam dentro de si, e perguntou-lhes: Por que arrazoais
desse modo em vossos corações? 9 Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Perdoados são os teus pecados; ou
dizer: Levanta-te, toma o teu leito, e anda? 10 Ora, para que saibais que o Filho do homem tem sobre a
terra autoridade para perdoar pecados ( disse ao paralítico ), 11 a ti te digo, levanta-te, toma o teu leito, e
vai para tua casa. 12 Então ele se levantou e, tomando logo o leito, saiu à vista de todos; de modo que
todos pasmavam e glorificavam a Deus, dizendo: Nunca vimos coisa semelhante.
❉ Resposta. 4. Paz e certeza do perdão. Ele sofria por causa da culpa do pecado, que paralisava seu corpo e sua
mente. Hoje muitos precisam desse mesmo perdão.
Como o leproso (Mat. 8:2 e 3), esse paralítico perdera toda a esperança de restabelecimento. Sua doença era
resultado de uma vida pecaminosa, e seus sofrimentos amargurados pelo remorso. Por muito tempo apelara
para os fariseus e os doutores, esperando alívio do sofrimento mental e físico. Mas eles friamente o
declaravam incurável, abandonando-o à ira de Deus. Os fariseus consideravam a doença como testemunho do
desagrado divino, e mantinham-se a distância do enfermo e do necessitado. Todavia, muitas vezes esses
próprios que se exaltavam como santos, eram mais culpados que as vítimas que condenavam.
O paralítico achava-se de todo impotente, e, não vendo nenhuma perspectiva de auxílio de qualquer lado, caíra
no desespero. Ouvira então falar das maravilhosas obras de Jesus. Foi-lhe dito que outros, tão pecadores e
desamparados como ele, haviam sido curados; até mesmo leprosos tinham sido purificados. E os amigos que
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
relatavam essas coisas animavam-no a crer que também ele poderia ser curado, caso fosse conduzido a Jesus.
Desfaleceu-se-lhe, no entanto, a esperança ao lembrar-se da maneira por que lhe sobreviera a enfermidade.
Temeu que o imaculado médico não o tolerasse em Sua presença.
Não era, entretanto, o restabelecimento físico, que desejava tanto, mas o alívio ao fardo do pecado. Se pudesse
ver a Jesus, e receber a certeza do perdão e a paz com o Céu, estaria contente de viver ou morrer, segundo a
vontade de Deus. O grito do moribundo, era: Oh! se eu pudesse chegar à Sua presença! Não havia tempo a
perder; já sua consumida carne começava a mostrar indícios de decomposição. Rogou aos amigos que o
conduzissem em seu leito a Jesus, o que empreenderam de boa vontade. O Desejado de Todas as Nações, p.
267
E Jesus, vendo-o, compadeceu-Se dele e disse: “Filho, os teus pecados estão perdoados” (Marcos 2:5). Bem,
que alegria foi aquela! Jesus sabia exatamente do que necessitava aquela alma enferma de pecado. Sabia que
ele tinha sido torturado pela sua própria consciência, por isso, disse: “Os teus pecados estão perdoados.” Que
alívio surgiu na sua mente! Que esperança lhe encheu o coração!
Então despertaram sentimentos no coração dos fariseus: “Quem pode perdoar pecados, senão um, que é
Deus?” (Marcos 2:7.)
A seguir, Jesus disse-lhes: “Para que saibais que o Filho do homem tem sobre a Terra poder de perdoar
pecados (disse ao paralítico): Eu te digo: Levanta-te, toma a tua cama, e vai para tua casa.” (Lucas 5:24.) O
quê? Pegar na sua cama com os braços paralisados!? O quê? Colocar-se de pé com as pernas entrevadas!? O
que é que ele fez? Ora, ele fez simplesmente o que lhe foi ordenado. Fez o que o Senhor lhe mandou fazer. O
poder da vontade foi aplicado para mover as suas pernas e os seus braços paralisados, e eles reagiram, apesar
de não terem respondido durante muito tempo. Esta manifestação revelou às pessoas que havia Alguém no
meio delas que não somente podia perdoar pecados, mas também curar os doentes. Fé e Obras, p. 67.
❉ Quarta, 24 de agosto - Dorcas em Jope
❉ Pergunta. 5. Leia Atos 9:36-42. O que Dorcas fez em Jope quando descobriu as necessidades dos que
estavam ao seu redor? Em Atos 9:41, por que Pedro chamou “especialmente as viúvas” para vê-la
ressuscitada?
At 9:36-42, (NVI); 36 Em Jope havia uma discípula chamada Tabita, que em grego é Dorcas, que se dedicava a
praticar boas obras e dar esmolas. 37 Naqueles dias ela ficou doente e morreu, e seu corpo foi lavado e
colocado num quarto do andar superior. 38 Lida ficava perto de Jope, e quando os discípulos ouviram falar que
Pedro estava em Lida, mandaram-lhe dois homens dizer-lhe: "Não se demore em vir até nós". 39 Pedro foi com
eles e, quando chegou, foi levado para o quarto do andar superior. Todas as viúvas o rodearam, chorando e
mostrando-lhe os vestidos e outras roupas que Dorcas tinha feito quando ainda estava com elas. 40 Pedro
mandou que todos saíssem do quarto; depois, ajoelhou-se e orou. Voltando-se para a mulher morta, disse:
"Tabita, levante-se". Ela abriu os olhos e, vendo Pedro, sentou-se. 41 Tomando-a pela mão, ajudou-a a pôr-se
de pé. Então, chamando os santos e as viúvas, apresentou-a viva. 42 Este fato se tornou conhecido em toda a
cidade de Jope, e muitos creram no Senhor.
❉ Resposta. 5. Boas obras e esmolas. Fazia roupas para os pobres. Pedro chamou especialmente as viúvas
porque elas eram ajudadas por Dorcas e estavam perplexas pela perda dessa mulher tão dedicada aos
semelhantes.
Em Jope, havia uma certa Dorcas, cujos hábeis dedos eram mais ativos do que a língua. Ela sabia quem
necessitava de roupas confortáveis e quem necessitava de simpatia, e liberalmente ministrava às necessidades
de ambas as classes. E quando Dorcas morreu, a igreja em Jope sentiu a sua perda. Não admira que tenham
chorado e lamentado, e que lágrimas ardentes tenham caído sobre o seu corpo inanimado. Ela era de tão
grande valor que pelo poder de Deus foi trazida de volta da terra do inimigo, a fim de que a sua habilidade e
energia pudessem ser ainda uma bênção para outros. Uma fidelidade tão paciente, consagrada e perseverante
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
como a que possuíam estes santos de Deus é rara; porém a Igreja não pode prosperar sem ela. Testemunhos
Para a Igreja, vol. 5, p. 304.
❉ Pergunta. 6. Leia João 13:34, 35 e João 15:12. Qual é a mensagem essencial desses três versos? Por que é
tão importante que a igreja siga esse mandamento? Por que é tão difícil cumpri-lo?
Jo 13:34-35, (ACF 1753); 34 Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei
a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. 35 Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se
vos amardes uns aos outros.
Jo 15:12-13, (ACF 1753); 12 O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos
amei. 13 Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.
At 2:42-47, (NVI); 42 Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. 43
Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. 44 Todos os que
criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. 45 Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a
cada um conforme a sua necessidade. 46 Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o
pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, 47 louvando a
Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos.
❉ Resposta. 6. O sinal de identificação dos discípulos é o amor entre eles. Esse amor os leva à ação em favor
da comunidade ao redor das igrejas. É difícil cumprir esse mandamento porque temos a tendência de viver de
modo egoísta.
Cristo tinha ordenado aos primeiros discípulos que se amassem uns aos outros como Ele os tinha amado.
Dessa forma deviam dar testemunho ao mundo de que Cristo, a esperança da glória, habitava neles. “Um novo
man-damento vos dou”, disse Ele, “que vos ameis uns aos outros”. João 13:34. Quando estas palavras foram
pronunciadas, os discípulos não as conseguiram compreender. Mas depois de terem testemunhado os
sofrimentos de Cristo, depois da Sua crucificação, ressurreição e ascensão ao Céu, e após o Espírito Santo ter
repousado sobre eles no dia do Pentecostes, tiveram uma mais clara compreensão do amor de Deus, e da
natureza desse amor que deviam possuir uns pelos outros. Então João pôde dizer aos seus condiscípulos:
“Eis como nós podemos saber o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós; portanto, também nós
devemos dar a nossa vida pelos nossos irmãos.” I João 3:16.
Depois da descida do Espírito Santo, quando os discípulos saíram para proclamar um Salvador vivo, o seu
único desejo era a salvação de outros. Deliciavam-se com a doçura da comunhão com os santos. Eram ternos,
prestáveis, abnegados, prontos a fazer qualquer sacrifício pelo amor da verdade. No contacto que mantinham
entre si, todos os dias, revelavam aquele amor que Cristo lhes ordenara. Através de palavras e obras altruístas,
procuravam acender este amor noutros corações.
Os crentes deviam acarinhar continuamente esse amor. Deviam agir com obediência voluntária ao novo
mandamento. Deviam estar intimamente unidos a Cristo de modo a ficarem capacitados para cumprir toda a
Sua vontade. A sua vida devia glorificar o poder de um Salvador que, através da Sua justiça, os poderia
justificar. Atos dos Apóstolos, pp. 391 e 392. (Ed. P. SerVir).
Um dos últimos mandamentos que Cristo deu aos discípulos foi: “Que vos ameis uns aos outros; como eu vos
amei a vós.” João 13:34. Obedecemos a este mandamento, ou cultivamos rudes traços de caráter diferentes dos
de Cristo? Se causarmos de qualquer maneira dores e tristezas aos outros, é nosso dever confessar a nossa falta
e procurar reconciliação. Esta é uma preparação essencial para nos podermos achegar pela fé a Deus para
solicitar as Suas bênçãos. Parábolas de Jesus, p. 144.
❉ Quinta, 25 de agosto - A igreja em ação
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
“Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos” (Pv 16:3, NVI).
❉ Pergunta. 7. Leia Lucas 14:25-35. O que essa passagem fala sobre a dedicação e o planejamento necessários
para cumprir a missão da igreja?
Lc 14:25-35, (ACF 1753); 25 Ora, ia com ele uma grande multidão; e, voltando-se, disse-lhe: 26 Se alguém vier
a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua
própria vida, não pode ser meu discípulo. 27 E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim,
não pode ser meu discípulo. 28 Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a
fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? 29 Para que não aconteça que, depois de
haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele, 30
Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar. 31 Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar
contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro
do que vem contra ele com vinte mil? 32 De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda
embaixadores, e pede condições de paz. 33 Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto
tem, não pode ser meu discípulo. 34 Bom é o sal; mas, se o sal degenerar, com que se há de salgar? 35
Nem presta para a terra, nem para o monturo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
❉ Resposta. 7. É preciso colocar a vontade do Mestre acima dos relacionamentos e interesses na vida.
Devemos morrer para o egoísmo. Precisamos calcular o preço espiritual da edificação do reino de Deus e da
vitória na guerra em favor desse reino. Os discípulos dedicados são como o sal que nunca perde o sabor e a
influência. Por isso, eles planejam com sabedoria o trabalho da igreja.
Quando entregamos ao Senhor o nosso caminho, devemos esquadrinhar exaustivamente o nosso coração,
lançando fora todo o mal, para que Cristo o possa preencher com a Sua justiça. Devemos buscar o Senhor em
oração, iniciando as nossas petições com o arrependimento dos pecados. …
A Lei de Deus é a norma das nossas ações. Os Seus olhos veem cada ação, esquadrinham os recantos da
mente, descobrindo todo o engano próprio e toda a hipocrisia. Todas as coisas são nuas e patentes aos olhos
Daquele com Quem temos de tratar. Ele receberá, porém, todos os que se chegarem a Ele de
coração contrito e com o verdadeiro propósito de abandonar todo o erro. … Em todas as nossas transações
comerciais, em toda a palavra e ato, cumpre mantermos um propósito puro e uma consciência limpa. Devemos
confiar a Deus as nossas obras, e deixá-las então nas Suas mãos. A nossa obra deve ser feita segundo a maior
integridade. Não devemos acariciar nada que não possamos levar para as cortes celestiais. Ao trabalharmos,
peçamos a ajuda de Deus, reconhecendo que só assim é que a nossa obra ficará isenta de egoísmo. … Olhem
para cima, com intensa sinceridade, pois necessitam de constantes inalações do refrigerante ar do Céu.
Precisamos de viver em constante comunhão com o nosso Pai celestial. … Executem os vossos deveres como
se estivessem à vista de um Deus santo. – Para Conhecê-l’O (Meditações Matinais, 1965), p. 287.
A nós, assim como aos discípulos, Cristo deu-nos a obra de levar a verdade ao mundo. Mas antes de nos
envolvermos nesta grande e agressiva batalha, da qual dependem resultados eternos, Cristo convida todos a
calcular os custos. Ele assegura-lhes que, se se apropriarem dessa obra com um coração não dividido,
entregando-se como portadores de luz para o mundo, se se apropriarem da Sua força, estarão em paz com Ele,
e obterão ajuda sobrenatural que os capacitará na sua fraqueza para fazerem as obras da Onipotência. Se
avançarem com fé em Deus, não fracassarão nem ficarão desanimados, mas terão a garantia do sucesso
infalível. Comentários de Ellen G. White, The SDA Bible Commentary, vol. 5, p. 1121.
O Senhor não escondeu dos Seus seguidores o plano da batalha. Ele apresentou perante o Seu povo o Grande
Conflito, e tem-lhe dado palavras de ânimo. Ele insta-os a não entrarem no combate sem considerar o custo, ao
mesmo tempo que lhes assegura que não lutam sozinhos, mas que instrumentos sobrenaturais capacitarão o
fraco, se confiar Nele, para se tornar forte contra a vasta confederação do mal organizada contra eles. Aponta-
lhes o Universo do Céu e assegura-lhes que seres santos estão a combater contra os principados e as
potestades, contra os dominadores deste mundo … e contra as forças espirituais do mal, nos lugares celestiais.
Olhando Para o Alto (Meditações Matinais, 1983), p. 80.
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Oração inicial e acolhida - Encontro de Formação Missionária
Oração inicial e acolhida - Encontro de Formação MissionáriaOração inicial e acolhida - Encontro de Formação Missionária
Oração inicial e acolhida - Encontro de Formação Missionária
Bernadetecebs .
 

Mais procurados (20)

Letra e Cifras dos cânticos das Santas Missões
Letra e Cifras dos cânticos das Santas MissõesLetra e Cifras dos cânticos das Santas Missões
Letra e Cifras dos cânticos das Santas Missões
 
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SPNovena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
 
13º INTERECLESIAL DE CEBs - Arquidiocese de Vitória
13º INTERECLESIAL DE CEBs - Arquidiocese de Vitória13º INTERECLESIAL DE CEBs - Arquidiocese de Vitória
13º INTERECLESIAL DE CEBs - Arquidiocese de Vitória
 
Informativo "Lá Vem o Trem das CEBs..."
Informativo "Lá Vem o Trem das CEBs..."Informativo "Lá Vem o Trem das CEBs..."
Informativo "Lá Vem o Trem das CEBs..."
 
Ofício da Novena de Natal 2010
Ofício da Novena de Natal 2010Ofício da Novena de Natal 2010
Ofício da Novena de Natal 2010
 
Novena de natal 2016 diocese de são José dos Campos - SP
Novena de natal 2016   diocese de são José dos Campos - SPNovena de natal 2016   diocese de são José dos Campos - SP
Novena de natal 2016 diocese de são José dos Campos - SP
 
Novena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SP
Novena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SPNovena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SP
Novena de Natal 2015 CEBs - Diocese de São josé dos Campos - SP
 
Oração das Missões no Setor 26 das CEBs
 Oração das Missões no Setor 26 das CEBs Oração das Missões no Setor 26 das CEBs
Oração das Missões no Setor 26 das CEBs
 
Fôlder das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Fôlder das CEBs - diocese de São José dos Campos - SPFôlder das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Fôlder das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
 
A metodologia das Missões na Paróquia Coração de Jesus
A metodologia das Missões na Paróquia Coração de JesusA metodologia das Missões na Paróquia Coração de Jesus
A metodologia das Missões na Paróquia Coração de Jesus
 
Oração inicial e acolhida - Encontro de Formação Missionária
Oração inicial e acolhida - Encontro de Formação MissionáriaOração inicial e acolhida - Encontro de Formação Missionária
Oração inicial e acolhida - Encontro de Formação Missionária
 
O adventismo ontem_hoje (1)
O adventismo ontem_hoje (1)O adventismo ontem_hoje (1)
O adventismo ontem_hoje (1)
 
Oração da manhã - Santas Missões Populares
Oração da manhã - Santas Missões PopularesOração da manhã - Santas Missões Populares
Oração da manhã - Santas Missões Populares
 
Celebração nas Comunidades Eclesiais de Base - (Quarta-Feira de Cinzas feve...
Celebração nas Comunidades  Eclesiais de Base - (Quarta-Feira de Cinzas  feve...Celebração nas Comunidades  Eclesiais de Base - (Quarta-Feira de Cinzas  feve...
Celebração nas Comunidades Eclesiais de Base - (Quarta-Feira de Cinzas feve...
 
Roteiro homilético do natal missa da noite 251212
Roteiro homilético do natal missa da noite 251212Roteiro homilético do natal missa da noite 251212
Roteiro homilético do natal missa da noite 251212
 
Oração das Missões no setor 01 das CEBs
Oração das Missões no setor 01 das CEBs Oração das Missões no setor 01 das CEBs
Oração das Missões no setor 01 das CEBs
 
Novena Missionária 2016
Novena Missionária 2016Novena Missionária 2016
Novena Missionária 2016
 
Lição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Desafiadores
Lição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos DesafiadoresLição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Desafiadores
Lição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Desafiadores
 
Aula Jonatas 75: Um corpo estranho
Aula Jonatas 75: Um corpo estranhoAula Jonatas 75: Um corpo estranho
Aula Jonatas 75: Um corpo estranho
 
Livro cifras - Santas Missões Populares
Livro cifras - Santas Missões PopularesLivro cifras - Santas Missões Populares
Livro cifras - Santas Missões Populares
 

Destaque

12_Thorvald Finnbjörnsson_İzlanda Kümelenme Politikaları
12_Thorvald Finnbjörnsson_İzlanda Kümelenme Politikaları12_Thorvald Finnbjörnsson_İzlanda Kümelenme Politikaları
12_Thorvald Finnbjörnsson_İzlanda Kümelenme Politikaları
Ege Ihracatci Birlikleri
 
Castaic single family homes January 2015
Castaic single family homes January 2015Castaic single family homes January 2015
Castaic single family homes January 2015
Connor T. MacIVOR
 
Method statement piping works
Method statement piping worksMethod statement piping works
Method statement piping works
Surya Kant
 

Destaque (12)

Sea power 2 session 10-decline and fall of the French Empire
Sea power 2  session 10-decline and fall of the French EmpireSea power 2  session 10-decline and fall of the French Empire
Sea power 2 session 10-decline and fall of the French Empire
 
Lição_522016_a guerra visível e a invisível_GGR
Lição_522016_a guerra visível e a invisível_GGRLição_522016_a guerra visível e a invisível_GGR
Lição_522016_a guerra visível e a invisível_GGR
 
8. 神的固執
8. 神的固執8. 神的固執
8. 神的固執
 
12_Thorvald Finnbjörnsson_İzlanda Kümelenme Politikaları
12_Thorvald Finnbjörnsson_İzlanda Kümelenme Politikaları12_Thorvald Finnbjörnsson_İzlanda Kümelenme Politikaları
12_Thorvald Finnbjörnsson_İzlanda Kümelenme Politikaları
 
Castaic single family homes January 2015
Castaic single family homes January 2015Castaic single family homes January 2015
Castaic single family homes January 2015
 
Mouganja jal upbhokta sansha kanhaiya nrega me hera pheri3
Mouganja jal upbhokta sansha kanhaiya  nrega me hera  pheri3Mouganja jal upbhokta sansha kanhaiya  nrega me hera  pheri3
Mouganja jal upbhokta sansha kanhaiya nrega me hera pheri3
 
Тема 15 Банерна реклама
Тема 15 Банерна рекламаТема 15 Банерна реклама
Тема 15 Банерна реклама
 
8 cara menjadi suami yang hebat
8 cara menjadi suami yang hebat8 cara menjadi suami yang hebat
8 cara menjadi suami yang hebat
 
DIGITALSIMI2016 : Lancement de l’accélérateur de start-up dédié aux solutions...
DIGITALSIMI2016 : Lancement de l’accélérateur de start-up dédié aux solutions...DIGITALSIMI2016 : Lancement de l’accélérateur de start-up dédié aux solutions...
DIGITALSIMI2016 : Lancement de l’accélérateur de start-up dédié aux solutions...
 
Línea del tiempo
Línea del tiempoLínea del tiempo
Línea del tiempo
 
8. el medio ambiente de la mercadotecnia
8. el medio ambiente de la mercadotecnia8. el medio ambiente de la mercadotecnia
8. el medio ambiente de la mercadotecnia
 
Method statement piping works
Method statement piping worksMethod statement piping works
Method statement piping works
 

Semelhante a Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR

JORMI - Jornal Missionário n° 91
JORMI - Jornal Missionário n° 91JORMI - Jornal Missionário n° 91
JORMI - Jornal Missionário n° 91
Almir Rodrigues
 
Jesus e a mulher cananéia a salvação de deus é para todos - 14 08 2005 - 1...
Jesus e a mulher cananéia   a salvação de deus é para todos -  14 08 2005 - 1...Jesus e a mulher cananéia   a salvação de deus é para todos -  14 08 2005 - 1...
Jesus e a mulher cananéia a salvação de deus é para todos - 14 08 2005 - 1...
Paulo Dias Nogueira
 
1 mistério
1 mistério1 mistério
1 mistério
pgshama
 

Semelhante a Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR (20)

Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
 
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
 
Palavra do encontro
Palavra do encontroPalavra do encontro
Palavra do encontro
 
❉ A missionária inesperada_GGR_332015
❉ A missionária inesperada_GGR_332015❉ A missionária inesperada_GGR_332015
❉ A missionária inesperada_GGR_332015
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
JORMI - Jornal Missionário n° 91
JORMI - Jornal Missionário n° 91JORMI - Jornal Missionário n° 91
JORMI - Jornal Missionário n° 91
 
Resistência missionária
Resistência missionária Resistência missionária
Resistência missionária
 
Jesus e a mulher cananéia a salvação de deus é para todos - 14 08 2005 - 1...
Jesus e a mulher cananéia   a salvação de deus é para todos -  14 08 2005 - 1...Jesus e a mulher cananéia   a salvação de deus é para todos -  14 08 2005 - 1...
Jesus e a mulher cananéia a salvação de deus é para todos - 14 08 2005 - 1...
 
GGR_Jesus, o Espírito Santo e a oração_722015
GGR_Jesus, o Espírito Santo e a oração_722015GGR_Jesus, o Espírito Santo e a oração_722015
GGR_Jesus, o Espírito Santo e a oração_722015
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
1 mistério
1 mistério1 mistério
1 mistério
 
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
 
Respostas_422016_fé e cura_GGR
Respostas_422016_fé e cura_GGRRespostas_422016_fé e cura_GGR
Respostas_422016_fé e cura_GGR
 
17072012
1707201217072012
17072012
 
Um ministério perpétuo
Um ministério perpétuo      Um ministério perpétuo
Um ministério perpétuo
 
17052012
1705201217052012
17052012
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
 
A evangelização dos grupos desafiadores l 6
A evangelização dos grupos desafiadores l 6A evangelização dos grupos desafiadores l 6
A evangelização dos grupos desafiadores l 6
 

Mais de Gerson G. Ramos

Mais de Gerson G. Ramos (20)

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRRespostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
 
Lição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Lição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRLição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Lição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
 
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGRRespostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
 
Lição_1122016_eventos finais_GGR
Lição_1122016_eventos finais_GGRLição_1122016_eventos finais_GGR
Lição_1122016_eventos finais_GGR
 
Respostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Respostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGRRespostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Respostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
 
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGRLição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
thandreola
 

Último (15)

Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
 

Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR

  • 1. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com RESPOSTAS - LIÇÃO 9 O Papel da Igreja na Comunidade Jesus manifestava compaixão pelas pessoas 20 a 27 de agosto de 2016 ❉ Sábado à tarde VERSO PARA MEMORIZAR: “Percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades”. (Mt 9:35). Ao fazermos planos para a extensão da obra, devemos ter em vista muito mais do que as cidades. Distante das estradas há muitas e muitas famílias que precisam de ser cuidadas, a fim de saber se compreendem a obra que Jesus está a realizar em favor do Seu povo. Os que estão nos caminhos não devem ser negligenciados; nem os que moram nos valados. E, ao viajarmos de lugar em lugar, passando por uma casa após outra, devemos sempre perguntar: “Já ouviram a mensagem, por acaso, os habitantes destes lugares? A verdade da Palavra de Deus já lhes chegou ao ouvido? Compreendem que o fim de todas as coisas está próximo e que estão iminentes os juízos de Deus? Sabem que cada alma foi comprada por um preço infinito?” Ao meditar sobre estas coisas, o meu coração expande-se no profundo anseio de ver a verdade levada, na sua simplicidade, aos lares das pessoas que estão nos caminhos e lugares separados dos centros densamente povoados. … É nosso privilégio visitá-los e fazer com que se familiarizem com o amor de Deus por eles e com a Sua maravilhosa provisão para salvação da sua alma. Nesta obra nos caminhos e valados, há sérias dificuldades que precisam de ser enfrentadas e vencidas. O obreiro, ao sair em busca das almas, não deve temer, nem ficar desanimado, pois Deus é o seu ajudador e continuará a ajudá-lo. E dará oportunidade aos Seus servos. Evangelismo, p. 45. Teremos êxito, se avançarmos com fé, resolvidos a fazer a obra de Deus inteligentemente. Não devemos permitir que sejamos estorvados por homens que gostam de ficar do lado negativo, demonstrando muito pouca fé. A obra missionária de Deus deve ser levada avante por homens de muita fé e deve constantemente crescer em força e eficiência. Fé, fé viva é que temos de ter, uma fé que opera por amor e purifica a alma. Temos de aprender a levar tudo ao Senhor, com simplicidade e fervorosa fé. – Mente, Caráter e Personalidade, vol. 2, p. 540. Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 2. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com ❉ Domingo, 21 de agosto - Interrupções: oportunidades inesperadas para servir ❉ Pergunta. 1. Leia Marcos 5:22-43. Enquanto Jesus caminhava para atender à necessidade do chefe da sinagoga, o que O interrompeu, e como Ele reagiu à interrupção? Que lições encontramos nessa história a respeito da nossa reação quando somos interrompidos em nosso ministério? Mc 5:22-43, (NVI); 22 Então chegou ali um dos dirigentes da sinagoga, chamado Jairo. Vendo Jesus, prostrou-se aos seus pés 23 e lhe implorou insistentemente: "Minha filhinha está morrendo! Vem, por favor, e impõe as mãos sobre ela, para que seja curada e viva". 24 Jesus foi com ele. Uma grande multidão o seguia e o comprimia. 25 E estava ali certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de uma hemorragia. 26 Ela padecera muito sob o cuidado de vários médicos e gastara tudo o que tinha, mas, em vez de melhorar, piorava. 27 Quando ouviu falar de Jesus, chegou-se por trás dele, no meio da multidão, e tocou em seu manto, 28 porque pensava: "Se eu tão-somente tocar em seu manto, ficarei curada". 29 Imediatamente cessou sua hemorragia e ela sentiu em seu corpo que estava livre do seu sofrimento. 30 No mesmo instante, Jesus percebeu que dele havia saído poder, virou-se para a multidão e perguntou: "Quem tocou em meu manto? " 31 Responderam os seus discípulos: "Vês a multidão aglomerada ao teu redor e ainda perguntas: ‘Quem tocou em mim? ’ " 32 Mas Jesus continuou olhando ao seu redor para ver quem tinha feito aquilo. 33 Então a mulher, sabendo o que lhe tinha acontecido, aproximou-se, prostrou-se aos seus pés e, tremendo de medo, contou-lhe toda a verdade. 34 Então ele lhe disse: "Filha, a sua fé a curou! Vá em paz e fique livre do seu sofrimento". 35 Enquanto Jesus ainda estava falando, chegaram algumas pessoas da casa de Jairo, o dirigente da sinagoga. "Sua filha morreu", disseram eles. "Não precisa mais incomodar o mestre! " 36 Não fazendo caso do que eles disseram, Jesus disse ao dirigente da sinagoga: "Não tenha medo; tão-somente creia". 37 E não deixou ninguém segui-lo, senão Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago. 38 Quando chegaram à casa do dirigente da sinagoga, Jesus viu um alvoroço, com gente chorando e se lamentando em alta voz. 39 Então entrou e lhes disse: "Por que todo este alvoroço e lamento? A criança não está morta, mas dorme". 40 Mas todos começaram a rir de Jesus. Ele, porém, ordenou que eles saíssem, tomou consigo o pai e a mãe da criança e os discípulos que estavam com ele, e entrou onde se encontrava a criança. 41 Tomou-a pela mão e lhe disse: "Talita cumi! ", que significa: "Menina, eu lhe ordeno, levante-se! ". 42 Imediatamente a menina, que tinha doze anos de idade, levantou-se e começou a andar. Isso os deixou atônitos. 43 Ele deu ordens expressas para que não dissessem nada a ninguém e mandou que dessem a ela alguma coisa para comer. ❉ Resposta. 1. Uma mulher com hemorragia. Ela foi por trás dEle e tocou Sua roupa na esperança de ser curada. O Senhor percebeu e gostou de ser interrompido. Ele desejava atender à mulher, a Jairo e deseja atender a cada sofredor. As interrupções em nosso ministério são uma oportunidade especial para Deus realizar milagres em nós e através de nós. Só Cristo é capaz de carregar as aflições de muitos. “Em toda a angústia deles foi ele angustiado” (Isaías 63:9). Ele nunca teve doença na Sua própria carne; mas tomava sobre Si as enfermidades dos outros. Com a mais terna compaixão olhava para os sofredores que se comprimiam à Sua volta. Gemia em espírito ao ver a obra de Satanás revelada em todo o seu infortúnio; e tornava como Seu cada caso de necessidade e dor. Nenhuma multiplicidade de números O distraía. Nenhuma angústia O assombrava. Com um poder que nunca diminuía, Ele expulsava os espíritos maus que possuíam mente e corpo, enquanto a dor dos aflitos vibrava em todo o Seu ser. O poder do amor estava em todas as curas. Ele identificava os Seus interesses com os de toda a Humanidade sofredora. – Para Conhecê-lo (Meditações Matinais, 1965), p. 43. Ao ensinar ou ao curar, exercia ao extremo todas as energias da mente e do corpo; contudo reparava nas coisas mais simples da vida e da Natureza. As Suas lições mais instrutivas foram aquelas com que ilustrou as grandes verdades do reino de Deus através das coisas singelas da Natureza. Não passava por alto as necessidades do mais humilde dos Seus servos. O Seu ouvido escutava cada clamor de necessidade. Estava atento ao contacto da mulher enferma no meio da turba; o mais leve toque da fé recebia resposta. Ao despertar a filha de Jairo da morte, recomendou aos pais que lhe dessem alguma coisa para comer. Quando, pela Sua força poderosa, ressurgiu da sepultura, dignou-Se a dobrar e a colocar cuidadosamente no lugar apropriado a mortalha em que Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 3. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com fora envolto. A obra a que como Cristãos somos chamados é a de cooperar com Cristo na salvação de almas. Através de um pacto com Ele, comprometemo-nos a fazê-la. Negligenciar a obra é provar ser desleal a Cristo. Para cumprir esta tarefa, porém, precisamos de seguir o Seu exemplo de atenção fiel e conscienciosa às coisas mínimas. Este é o segredo do êxito em cada ramo de esforço e influência cristã. Parábolas de Jesus, pp. 357 e 358. Mas o Filho de Deus era submisso à vontade do Seu Pai e dependente do Seu poder. Jesus era tão plenamente vazio do próprio eu que não elaborava planos para Si mesmo. Aceitava os que Deus fazia a Seu respeito, e o Pai desdobrava-os dia-a-dia. Assim devemos nós confiar em Deus, para que a nossa vida seja uma simples operação da Sua vontade. – O Desejado de Todas as Nações, pp. 163 e 164 (Ed. P. SerVir). Os nossos planos nem sempre são os planos de Deus. Ele pode ver que é melhor para nós e para a Sua causa recusar as nossas melhores intenções, como fez no caso de David. Mas, de uma coisa podemos estar certos: é de que abençoará e empregará no avanço da Sua causa aqueles que sinceramente se consagram à Sua glória, com tudo o que possuem. Se vir que é melhor não atender os desejos, compensará a recusa dando-lhes provas do Seu amor e confiando-lhes outro serviço. – A Ciência do Bom Viver, p. 364 (Ed. P. SerVir). ❉ Segunda, 22 de agosto - Posso ajudá-lo? ❉ Pergunta. 2. Leia Marcos 10:46-52 e João 5:1-9. Nesses casos, por que Jesus fez perguntas? Mc 10:46-52, (KJA); 46 Chegaram pois a Jericó. Quando Jesus e seus discípulos, e mais uma grande multidão, estavam deixando a cidade, o filho de Timeu, chamado Bartimeu, que era cego, estava assentado à beira do caminho, pedindo esmolas. 47 Assim que ouviu que era Jesus de Nazaré, começou a gritar: “Jesus! Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”. 48 Muitos o advertiam severamente para que se calasse, contudo ele gritava ainda mais: “Filho de Davi! Tem compaixão de mim!”. 49 Foi então que Jesus parou e pediu: “Chamai-o!” E assim foram chamar o cego: “Ânimo, homem! Levanta-te, Ele te chama”. 50 Jogando sua capa para o lado, de um só salto colocou-se em pé e foi ao encontro de Jesus. 51 Indagou-lhe Jesus: “Que queres que Eu te faça?” Rogou-lhe o cego: “Raboni, que eu volte a enxergar!”. 52 E Jesus lhe ordenou: “Vai em frente, a tua fé te salvou!”. No mesmo instante o homem recuperou a visão e passou a seguir a Jesus pelo caminho. Jo 5:1-9, (KJA); 1 Algum tempo depois, havia uma festa dos judeus, e Jesus subiu para Jerusalém. 2 Existe em Jerusalém, perto da Porta das Ovelhas, um tanque, chamado em hebraico Betesda, tendo cinco pavilhões. 3 Nestes, ficava grande multidão de enfermos, cegos, mancos e paralíticos, esperando pelo movimento nas águas. 4 De certo em certo tempo, descia um anjo do Senhor e agitava as águas. O primeiro que entrasse no tanque, depois de agitadas as águas, era curado de qualquer doença que tivesse. 5 Estava ali um certo homem, enfermo havia trinta e oito anos. 6 Quando Jesus o viu deitado, e sabendo que estava assim havia muito tempo, perguntou-lhe: “Queres ser curado?” 7 O homem enfermo queixou-se: “Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto estou indo, desce outro antes de mim.” 8 Ordenou-lhe Jesus: “Levanta-te, apanha o teu leito e anda.” 9 Imediatamente o homem ficou curado, pegou seu leito e andou. E aquele dia era sábado. ❉ Resposta. 2. Porque Ele queria: demonstrar interesse e cuidado pela pessoa; ouvir os sentimentos dos sofredores, o que fazia parte do processo de cura; dar oportunidade para que as pessoas expressassem sua fé. Se elas não demonstrassem confiança em Cristo quanto à cura, não iriam valorizar os milagres divinos. “Lembrem-se de que vocês podem derrubar a mais forte oposição, tendo interesse pessoal nas pessoas que encontram. Cristo manifestou interesse pessoal em homens e mulheres enquanto viveu na Terra. Aonde quer que fosse, Ele era um médico-missionário. Devemos sair para fazer o bem, assim como Ele fez. Somos instruídos a alimentar os famintos, vestir os nus e confortar os tristes”. (Beneficência Social, p. 162. Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 4. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com Só quando o pecador sente a necessidade de um Salvador é que o seu coração vai em busca d’Aquele que o pode ajudar. … O cego Bartimeu está à espera à beira da estrada; há muito que espera para conhecer Cristo. Multidões de pessoas, com a faculdade da vista, passam para trás e para a frente, mas não têm qualquer desejo de ver Jesus. Um olhar de fé tocaria o Seu coração de amor e conceder-lhes-ia as bênçãos da Sua graça; mas eles não têm conhecimento da doença e da pobreza das suas almas, e não sentem qualquer necessidade de Cristo. Mas não é assim com o pobre cego. A sua única esperança está em Jesus. … Com a veemência do intenso desejo, ele clama: “Jesus, filho de David, tem compaixão de mim!” (Marcos 10:47.) Eles tentam calá- lo, porém ele clama ainda com mais veemência: “Filho de David, tem misericórdia de mim!” (Marcos 10:48.) Este apelo foi ouvido. A sua fé perseverante é recompensada. Não só lhe foi restaurada a vista física, mas foram-lhe abertos os olhos do entendimento. Vê em Cristo o Redentor, e o Sol da Justiça brilha na sua vida. Todos os que sentem a sua necessidade de Cristo como o cego Bartimeu, e forem tão sinceros e decididos como ele foi, hão de, como ele, receber a bênção que anseiam. Os sofredores e aflitos que procuravam Cristo como seu ajudador ficavam encantados com a perfeição divina, a beleza da santidade que irradiavam do Seu caráter. Mas os fariseus não conseguiam ver qualquer beleza n’Ele, para que O desejassem. O Seu vestuário simples e a Sua vida humilde, isenta de qualquer demonstração exterior, faziam com que eles O vissem como “raiz de uma terra seca”. Comentários de Ellen G. White, The SDA Bible Commentary, vol. 5, p. 1111. Muitos compreendem o seu desamparo e anseiam aquela vida espiritual que lhes trará harmonia com Deus, e estão a esforçar-se por obtê-la. … Que essas almas abatidas, em luta, olhem para o Alto. O Salvador inclina-Se sobre a aquisição do Seu sangue, dizendo com inexprimível ternura e piedade: “Queres ficar são?” Manda-vos levantar em saúde e paz. Não esperem até sentir que estão curados. Creiam na palavra do Salvador. Ponham a vossa vontade ao lado de Cristo. Decidam servi-lo, e, ao agirem em obediência à Sua palavra, receberão forças. Seja qual for a má prática, a paixão dominante que, devido a longa condescendência, prende tanto a alma como o corpo, Cristo é capaz de libertar, e anseia fazê-lo. … Quando o pecado luta pelo domínio na vossa alma, e sobrecarrega a consciência, olhem para o Salvador. A Sua graça é suficiente para subjugar o pecado. Que o vosso grato coração, trémulo de incerteza, se volte para Ele. Apoderem-se da esperança posta diante de vós. Cristo espera adotar-vos na Sua família. A Sua força ajudará a vossa fraqueza; conduzir-vos-á passo a passo. Coloquem a vossa mão na Sua, e deixem que Ele vos guie. Nunca pensem que Cristo está distante. Ele está sempre perto. A Sua amorável presença envolve-vos. Procurem-no como a Alguém que quer ser achado por vós. Deseja que não só toquem nas Suas vestes, mas que andem com Ele numa constante comunhão. A Ciência do Bom Viver, pp. 48 e 49 (Ed. P. SerVir). ❉ Terça, 23 de agosto - As necessidades mais profundas Jesus, sendo o Senhor, sabia mais sobre as pessoas do que elas sabiam sobre si mesmas. Há muitos relatos nos evangelhos em que Jesus mostrou que não apenas sabia o que as pessoas estavam pensando naquele momento (Mc 2:8), mas também conhecia sua história (Jo 4:18). Mc 2:8, (ARA); 8 Mas Jesus logo percebeu em seu espírito que eles assim arrazoavam dentro de si, e perguntou- lhes: Por que arrazoais desse modo em vossos corações? Jo 4:17-18, (ACF 1753); 17 A mulher respondeu, e disse: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Disseste bem: Não tenho marido; 18 Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade. ❉ Pergunta. 3. Leia o Salmo 139:1-13. Qual é a mensagem da Palavra de Deus nessa passagem? Sl 139:1-13, (ARC); 1 SENHOR, tu me sondaste e me conheces. 2 Tu conheces o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. 3 Cercas o meu andar e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos. 4 Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó SENHOR, tudo conheces. 5 Tu me cercaste em volta e puseste sobre mim a tua mão. 6 Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta, que Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 5. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com não a posso atingir. 7 Para onde me irei do teu Espírito ou para onde fugirei da tua face? 8 Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também; 9 se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, 10 até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. 11 Se disser: decerto que as trevas me encobrirão; então, a noite será luz à roda de mim. 12 Nem ainda as trevas me escondem de ti; mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa. 13 Pois possuíste o meu interior; entreteceste-me no ventre de minha mãe. ❉ Resposta. 3. Deus conhece nossa vida passada, presente e futura. Ele conhece nossas necessidades mais profundas e nos cerca com Sua onisciência, onipresença e onipotência. Ele pode nos guiar, suster, iluminar e curar. Em cada lugar, a cada hora do dia, há um santo Vigia, que fecha todas as contas, cujos olhos veem toda a situação, quer demonstre fidelidade, quer deslealdade e engano. Nunca estamos sós. Temos um Companheiro, quer O escolhamos quer não. … onde quer que vocês estejam, o que quer que estejam a fazer, Deus está aí. Para cada uma das vossas palavras ou atos, têm uma testemunha – o Deus santo, que aborrece o pecado. Nada do que se diga, se faça ou se pense escapa ao Seu olhar infinito. As vossas palavras podem não ser ouvidas por ouvidos humanos, mas são ouvidas pelo Soberano do Universo. Ele vê a ira íntima do coração quando a vontade é contrariada. Ouve a expressão profana. Na mais profunda treva ou solidão, ali está Ele. Ninguém pode enganar Deus; ninguém escapa da sua responsabilidade para com Ele. … Todo o Céu está interessado na nossa salvação. Os anjos de Deus… estão a anotar as ações dos homens. Registam, nos livros memoriais de Deus, as palavras de fé, os atos de amor, a humildade de espírito; e naquele dia em que as obras de cada um hão de ser provadas, a fim de ver de que espécie são, a obra do humilde seguidor de Cristo resistirá à prova, recebendo o louvor do Céu. – Para Conhecê-lo. (Meditações Matinais, 1965), p. 230. ❉ Pergunta. 4. Leia Marcos 2:1-12. Qual era a necessidade mais profunda desse homem, além das aparências? Esse tipo de necessidade pode ser um problema para aqueles a quem procuramos ministrar? Mc 2:1-12, (ARA); 1 Alguns dias depois entrou Jesus outra vez em Cafarnaum, e soube-se que ele estava em casa. 2 Ajuntaram-se, pois, muitos, a ponta de não caberem nem mesmo diante da porta; e ele lhes anunciava a palavra. 3 Nisso vieram alguns a trazer-lhe um paralítico, carregado por quatro; 4 e não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava e, fazendo uma abertura, baixaram o leito em que jazia o paralítico. 5 E Jesus, vendo-lhes a fé, disse ao paralítico: Filho, perdoados são os teus pecados. 6 Ora, estavam ali sentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: 7 Por que fala assim este homem? Ele blasfema. Quem pode perdoar pecados senão um só, que é Deus? 8 Mas Jesus logo percebeu em seu espírito que eles assim arrazoavam dentro de si, e perguntou-lhes: Por que arrazoais desse modo em vossos corações? 9 Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Perdoados são os teus pecados; ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito, e anda? 10 Ora, para que saibais que o Filho do homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados ( disse ao paralítico ), 11 a ti te digo, levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa. 12 Então ele se levantou e, tomando logo o leito, saiu à vista de todos; de modo que todos pasmavam e glorificavam a Deus, dizendo: Nunca vimos coisa semelhante. ❉ Resposta. 4. Paz e certeza do perdão. Ele sofria por causa da culpa do pecado, que paralisava seu corpo e sua mente. Hoje muitos precisam desse mesmo perdão. Como o leproso (Mat. 8:2 e 3), esse paralítico perdera toda a esperança de restabelecimento. Sua doença era resultado de uma vida pecaminosa, e seus sofrimentos amargurados pelo remorso. Por muito tempo apelara para os fariseus e os doutores, esperando alívio do sofrimento mental e físico. Mas eles friamente o declaravam incurável, abandonando-o à ira de Deus. Os fariseus consideravam a doença como testemunho do desagrado divino, e mantinham-se a distância do enfermo e do necessitado. Todavia, muitas vezes esses próprios que se exaltavam como santos, eram mais culpados que as vítimas que condenavam. O paralítico achava-se de todo impotente, e, não vendo nenhuma perspectiva de auxílio de qualquer lado, caíra no desespero. Ouvira então falar das maravilhosas obras de Jesus. Foi-lhe dito que outros, tão pecadores e desamparados como ele, haviam sido curados; até mesmo leprosos tinham sido purificados. E os amigos que Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 6. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com relatavam essas coisas animavam-no a crer que também ele poderia ser curado, caso fosse conduzido a Jesus. Desfaleceu-se-lhe, no entanto, a esperança ao lembrar-se da maneira por que lhe sobreviera a enfermidade. Temeu que o imaculado médico não o tolerasse em Sua presença. Não era, entretanto, o restabelecimento físico, que desejava tanto, mas o alívio ao fardo do pecado. Se pudesse ver a Jesus, e receber a certeza do perdão e a paz com o Céu, estaria contente de viver ou morrer, segundo a vontade de Deus. O grito do moribundo, era: Oh! se eu pudesse chegar à Sua presença! Não havia tempo a perder; já sua consumida carne começava a mostrar indícios de decomposição. Rogou aos amigos que o conduzissem em seu leito a Jesus, o que empreenderam de boa vontade. O Desejado de Todas as Nações, p. 267 E Jesus, vendo-o, compadeceu-Se dele e disse: “Filho, os teus pecados estão perdoados” (Marcos 2:5). Bem, que alegria foi aquela! Jesus sabia exatamente do que necessitava aquela alma enferma de pecado. Sabia que ele tinha sido torturado pela sua própria consciência, por isso, disse: “Os teus pecados estão perdoados.” Que alívio surgiu na sua mente! Que esperança lhe encheu o coração! Então despertaram sentimentos no coração dos fariseus: “Quem pode perdoar pecados, senão um, que é Deus?” (Marcos 2:7.) A seguir, Jesus disse-lhes: “Para que saibais que o Filho do homem tem sobre a Terra poder de perdoar pecados (disse ao paralítico): Eu te digo: Levanta-te, toma a tua cama, e vai para tua casa.” (Lucas 5:24.) O quê? Pegar na sua cama com os braços paralisados!? O quê? Colocar-se de pé com as pernas entrevadas!? O que é que ele fez? Ora, ele fez simplesmente o que lhe foi ordenado. Fez o que o Senhor lhe mandou fazer. O poder da vontade foi aplicado para mover as suas pernas e os seus braços paralisados, e eles reagiram, apesar de não terem respondido durante muito tempo. Esta manifestação revelou às pessoas que havia Alguém no meio delas que não somente podia perdoar pecados, mas também curar os doentes. Fé e Obras, p. 67. ❉ Quarta, 24 de agosto - Dorcas em Jope ❉ Pergunta. 5. Leia Atos 9:36-42. O que Dorcas fez em Jope quando descobriu as necessidades dos que estavam ao seu redor? Em Atos 9:41, por que Pedro chamou “especialmente as viúvas” para vê-la ressuscitada? At 9:36-42, (NVI); 36 Em Jope havia uma discípula chamada Tabita, que em grego é Dorcas, que se dedicava a praticar boas obras e dar esmolas. 37 Naqueles dias ela ficou doente e morreu, e seu corpo foi lavado e colocado num quarto do andar superior. 38 Lida ficava perto de Jope, e quando os discípulos ouviram falar que Pedro estava em Lida, mandaram-lhe dois homens dizer-lhe: "Não se demore em vir até nós". 39 Pedro foi com eles e, quando chegou, foi levado para o quarto do andar superior. Todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando-lhe os vestidos e outras roupas que Dorcas tinha feito quando ainda estava com elas. 40 Pedro mandou que todos saíssem do quarto; depois, ajoelhou-se e orou. Voltando-se para a mulher morta, disse: "Tabita, levante-se". Ela abriu os olhos e, vendo Pedro, sentou-se. 41 Tomando-a pela mão, ajudou-a a pôr-se de pé. Então, chamando os santos e as viúvas, apresentou-a viva. 42 Este fato se tornou conhecido em toda a cidade de Jope, e muitos creram no Senhor. ❉ Resposta. 5. Boas obras e esmolas. Fazia roupas para os pobres. Pedro chamou especialmente as viúvas porque elas eram ajudadas por Dorcas e estavam perplexas pela perda dessa mulher tão dedicada aos semelhantes. Em Jope, havia uma certa Dorcas, cujos hábeis dedos eram mais ativos do que a língua. Ela sabia quem necessitava de roupas confortáveis e quem necessitava de simpatia, e liberalmente ministrava às necessidades de ambas as classes. E quando Dorcas morreu, a igreja em Jope sentiu a sua perda. Não admira que tenham chorado e lamentado, e que lágrimas ardentes tenham caído sobre o seu corpo inanimado. Ela era de tão grande valor que pelo poder de Deus foi trazida de volta da terra do inimigo, a fim de que a sua habilidade e energia pudessem ser ainda uma bênção para outros. Uma fidelidade tão paciente, consagrada e perseverante Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 7. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com como a que possuíam estes santos de Deus é rara; porém a Igreja não pode prosperar sem ela. Testemunhos Para a Igreja, vol. 5, p. 304. ❉ Pergunta. 6. Leia João 13:34, 35 e João 15:12. Qual é a mensagem essencial desses três versos? Por que é tão importante que a igreja siga esse mandamento? Por que é tão difícil cumpri-lo? Jo 13:34-35, (ACF 1753); 34 Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. 35 Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. Jo 15:12-13, (ACF 1753); 12 O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. 13 Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. At 2:42-47, (NVI); 42 Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. 43 Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. 44 Todos os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. 45 Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade. 46 Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, 47 louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos. ❉ Resposta. 6. O sinal de identificação dos discípulos é o amor entre eles. Esse amor os leva à ação em favor da comunidade ao redor das igrejas. É difícil cumprir esse mandamento porque temos a tendência de viver de modo egoísta. Cristo tinha ordenado aos primeiros discípulos que se amassem uns aos outros como Ele os tinha amado. Dessa forma deviam dar testemunho ao mundo de que Cristo, a esperança da glória, habitava neles. “Um novo man-damento vos dou”, disse Ele, “que vos ameis uns aos outros”. João 13:34. Quando estas palavras foram pronunciadas, os discípulos não as conseguiram compreender. Mas depois de terem testemunhado os sofrimentos de Cristo, depois da Sua crucificação, ressurreição e ascensão ao Céu, e após o Espírito Santo ter repousado sobre eles no dia do Pentecostes, tiveram uma mais clara compreensão do amor de Deus, e da natureza desse amor que deviam possuir uns pelos outros. Então João pôde dizer aos seus condiscípulos: “Eis como nós podemos saber o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós; portanto, também nós devemos dar a nossa vida pelos nossos irmãos.” I João 3:16. Depois da descida do Espírito Santo, quando os discípulos saíram para proclamar um Salvador vivo, o seu único desejo era a salvação de outros. Deliciavam-se com a doçura da comunhão com os santos. Eram ternos, prestáveis, abnegados, prontos a fazer qualquer sacrifício pelo amor da verdade. No contacto que mantinham entre si, todos os dias, revelavam aquele amor que Cristo lhes ordenara. Através de palavras e obras altruístas, procuravam acender este amor noutros corações. Os crentes deviam acarinhar continuamente esse amor. Deviam agir com obediência voluntária ao novo mandamento. Deviam estar intimamente unidos a Cristo de modo a ficarem capacitados para cumprir toda a Sua vontade. A sua vida devia glorificar o poder de um Salvador que, através da Sua justiça, os poderia justificar. Atos dos Apóstolos, pp. 391 e 392. (Ed. P. SerVir). Um dos últimos mandamentos que Cristo deu aos discípulos foi: “Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós.” João 13:34. Obedecemos a este mandamento, ou cultivamos rudes traços de caráter diferentes dos de Cristo? Se causarmos de qualquer maneira dores e tristezas aos outros, é nosso dever confessar a nossa falta e procurar reconciliação. Esta é uma preparação essencial para nos podermos achegar pela fé a Deus para solicitar as Suas bênçãos. Parábolas de Jesus, p. 144. ❉ Quinta, 25 de agosto - A igreja em ação Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 8. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com “Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos” (Pv 16:3, NVI). ❉ Pergunta. 7. Leia Lucas 14:25-35. O que essa passagem fala sobre a dedicação e o planejamento necessários para cumprir a missão da igreja? Lc 14:25-35, (ACF 1753); 25 Ora, ia com ele uma grande multidão; e, voltando-se, disse-lhe: 26 Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. 27 E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo. 28 Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? 29 Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele, 30 Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar. 31 Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil? 32 De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda embaixadores, e pede condições de paz. 33 Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo. 34 Bom é o sal; mas, se o sal degenerar, com que se há de salgar? 35 Nem presta para a terra, nem para o monturo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. ❉ Resposta. 7. É preciso colocar a vontade do Mestre acima dos relacionamentos e interesses na vida. Devemos morrer para o egoísmo. Precisamos calcular o preço espiritual da edificação do reino de Deus e da vitória na guerra em favor desse reino. Os discípulos dedicados são como o sal que nunca perde o sabor e a influência. Por isso, eles planejam com sabedoria o trabalho da igreja. Quando entregamos ao Senhor o nosso caminho, devemos esquadrinhar exaustivamente o nosso coração, lançando fora todo o mal, para que Cristo o possa preencher com a Sua justiça. Devemos buscar o Senhor em oração, iniciando as nossas petições com o arrependimento dos pecados. … A Lei de Deus é a norma das nossas ações. Os Seus olhos veem cada ação, esquadrinham os recantos da mente, descobrindo todo o engano próprio e toda a hipocrisia. Todas as coisas são nuas e patentes aos olhos Daquele com Quem temos de tratar. Ele receberá, porém, todos os que se chegarem a Ele de coração contrito e com o verdadeiro propósito de abandonar todo o erro. … Em todas as nossas transações comerciais, em toda a palavra e ato, cumpre mantermos um propósito puro e uma consciência limpa. Devemos confiar a Deus as nossas obras, e deixá-las então nas Suas mãos. A nossa obra deve ser feita segundo a maior integridade. Não devemos acariciar nada que não possamos levar para as cortes celestiais. Ao trabalharmos, peçamos a ajuda de Deus, reconhecendo que só assim é que a nossa obra ficará isenta de egoísmo. … Olhem para cima, com intensa sinceridade, pois necessitam de constantes inalações do refrigerante ar do Céu. Precisamos de viver em constante comunhão com o nosso Pai celestial. … Executem os vossos deveres como se estivessem à vista de um Deus santo. – Para Conhecê-l’O (Meditações Matinais, 1965), p. 287. A nós, assim como aos discípulos, Cristo deu-nos a obra de levar a verdade ao mundo. Mas antes de nos envolvermos nesta grande e agressiva batalha, da qual dependem resultados eternos, Cristo convida todos a calcular os custos. Ele assegura-lhes que, se se apropriarem dessa obra com um coração não dividido, entregando-se como portadores de luz para o mundo, se se apropriarem da Sua força, estarão em paz com Ele, e obterão ajuda sobrenatural que os capacitará na sua fraqueza para fazerem as obras da Onipotência. Se avançarem com fé em Deus, não fracassarão nem ficarão desanimados, mas terão a garantia do sucesso infalível. Comentários de Ellen G. White, The SDA Bible Commentary, vol. 5, p. 1121. O Senhor não escondeu dos Seus seguidores o plano da batalha. Ele apresentou perante o Seu povo o Grande Conflito, e tem-lhe dado palavras de ânimo. Ele insta-os a não entrarem no combate sem considerar o custo, ao mesmo tempo que lhes assegura que não lutam sozinhos, mas que instrumentos sobrenaturais capacitarão o fraco, se confiar Nele, para se tornar forte contra a vasta confederação do mal organizada contra eles. Aponta- lhes o Universo do Céu e assegura-lhes que seres santos estão a combater contra os principados e as potestades, contra os dominadores deste mundo … e contra as forças espirituais do mal, nos lugares celestiais. Olhando Para o Alto (Meditações Matinais, 1983), p. 80. Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos