SlideShare uma empresa Scribd logo
Resolução de Questões
Direito Penal e Processo Penal
ESTUDO FOCADO
CRIMES FUNCIONAIS – M 04, S 00
COM. DOS ATOS PROCESSUAIS – M 00, S 01ª
PROCEDIMENTO COMUM – M 01, S 00
TRIBUNAL DO JÚRI – M 01*, S 00
JECRIM(LEI 9.099/95) – M 04, S 00
LMP(LEI 11.340/06) – M 02, S 01
01 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Considere as seguintes afirmações quanto ao procedimento comum ordinário.
I - O magistrado, na mesma decisão de recebimento da peça acusatória, que conterá
o rol de testemunhas, até o máximo de cinco, deverá ordenar a citação do
denunciado para responder à acusação, por escrito, no prazo de 10 (dez) dias.
II - Na resposta à acusação, no prazo de 10 (dez) dias, o defensor do acusado poderá
argüir preliminares e alegar tudo o que interessa à sua defesa, oferecer documentos
e justificações, especificar as provas pretendidas e arrolar testemunhas,
qualificando-as e requerendo sua intimação quando necessário.
III - Oferecida a resposta à acusação, uma vez verificada a existência manifesta de
causa excludente da ilicitude do fato, o Juiz não pode absolver sumariamente o
acusado, pois no procedimento comum ordinário não há previsão legal para essa
hipótese.
IV - A audiência de instrução e julgamento deverá ser única. Na data aprazada,
primeiramente, o acusado será interrogado; a seguir, serão ouvidos o ofendido, as
testemunhas de acusação, de defesa, os peritos, serão feitas as acareações, o
reconhecimento de pessoas e coisas e, por fim, os debates orais.
Quais estão corretas?
02 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Acerca do procedimento do Tribunal do Júri, analise as assertivas a seguir.
I - Não pode o Magistrado, na decisão de pronúncia, deixar de examinar as
circunstâncias qualificadoras do delito, observados os limites próprios do
ato.
II - Contra a sentença de impronúncia ou de absolvição sumária caberá
recurso de apelação.
III - O desaforamento do julgamento para outra comarca poderá ocorrer
em razão do excesso de serviço, desde que seja comprovado que o
julgamento não poderá ser realizado no prazo de 6 (seis) meses, contado do
trânsito em julgado da decisão de pronúncia.
IV - O Tribunal do Júri é composto por um (1) juiz togado e por 25 (vinte e
cinco) jurados.
Quais estão corretas?
03 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Em todos os casos de violência doméstica e familiar contra a mulher, feito o registro
de ocorrência, deverá a autoridade policial
a) ouvir a ofendida, lavrar o boletim de ocorrência e decretar as medidas protetivas
cabíveis ao caso.
b) ouvir a ofendida, lavrar o boletim de ocorrência, tomar por termo sua
representação, quando necessária, e, se requerida a concessão de alguma medida
protetiva urgente, encaminhar o expediente a juízo, em autos apartados, no prazo de
48 (quarenta e oito) horas.
c) ouvir a ofendida, lavrar o boletim de ocorrência, tomar por termo sua
representação, quando necessária, e, se requerida a concessão de alguma medida
protetiva de urgência, ouvir as testemunhas e encaminhar a ofendida para
realização de exame de corpo de delito para, posteriormente, formar o expediente a
ser remetido a juízo.
d) ouvir a ofendida, encaminhá-la para realização de exame de corpo de delito,
ouvir a parte acusada e testemunhas, colher as demais provas e, findo o inquérito
policial, encaminhá-lo a juízo, independentemente de pedido de concessão de
alguma medida protetiva.
e) ouvir a ofendida, lavrar o boletim de ocorrência, tomar por termo sua
representação, independentemente do delito, e, se requerida a concessão de alguma
medida protetiva de urgência, encaminhar imediatamente o expediente a juízo.
04 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Acerca da Lei Maria da Penha (Lei n° 11.340/06), considere as assertivas a
seguir.
I - Constatada a prática de violência doméstica e familiar contra a mulher,
nos termos da lei, o Juiz poderá aplicar, de imediato, medidas protetivas de
urgência que obrigam o agressor, taxativamente previstas na Lei n°
11.340/2006.
II - A ofendida deverá ser notificada dos atos processuais relativos ao
agressor, especialmente dos pertinentes ao ingresso e à saída da prisão,
sem prejuízo da intimação do advogado constituído ou do defensor
público.
III - Formulado pedido liminar de concessão de medida protetiva de
urgência, o Magistrado deverá apreciá- lo em 48 (quarenta e oito) horas,
podendo deferi-lo ou indeferi-lo de plano.
IV - O Juiz poderá, antes de decidir acerca do pedido liminar de concessão
de medida protetiva, designar audiência de justificação.
Quais estão corretas?
05 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Acerca dos crimes contra a Administração Pública, assinale a
alternativa INCORRETA.
A)Se o funcionário público, no exercício de suas funções, revelar fato de que tem
ciência em razão do cargo e que deveria permanecer em segredo, incorrerá no crime
de violação de sigilo (art. 325, CP). No entanto, se o funcionário público revelar o
fato de que teve ciência em razão do cargo, desconhecendo que deveria permanecer
em segredo, incorrerá em erro de tipo, cuja estabilidade ou inevitabilidade deverá
ser apurada.
B)O crime de corrupção passiva consuma-se instantaneamente, isto é, com a
simples solicitação, recebimento ou aceitação da promessa de vantagem indevida.
C)Consuma-se o crime de excesso de exação (art. 316, § 1°, CP) com a simples
exigência de tributo indevido, ou, quando devido, com o emprego vexatório ou
gravoso na cobrança.
D)Se o funcionário público dolosamente retardar ou deixar de praticar,
indevidamente, ato de ofício, para satisfação de interesse ou sentimento pessoal,
incorrerá no crime de condescendência criminosa (art. 320, CP).
E)O Código Penal (art. 327) adota a noção extensiva do conceito de funcionário
público, abarcando quaisquer indivíduos que exerçam, ainda que temporariamente
e sem remuneração, cargo, emprego ou função pública.
06 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Considere as assertivas abaixo quanto a crimes contra a Administração Pública.
I - No tipo legal de peculato mediante erro de outrem (art. 313, CP), denominado
pela doutrina de peculato estelionato, o sujeito ativo não tem previamente a posse
da res objeto material do crime. O funcionário público, neste crime, aproveita-se do
erro de outrem e se apropria de dinheiro ou qualquer outra utilidade recebidos no
exercício do cargo.
II - Para a configuração do crime de corrupção passiva (art. 317, CP) é
imprescindível a ocorrência concomitante da corrupção ativa (art. 333, CP).
III - Em decorrência do caráter subsidiário do crime de extravio, sonegação ou
inutilização de livro ou documento (art. 314, CP), a configuração de infração mais
grave afasta a incidência do referido dispositivo, especialmente quando concretizar
algum crime de dano contra a Administração Pública.
Quais estão corretas?
07 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Maria foi denunciada pela prática do tipo legal de crime
de moeda falsa (art. 289, CP). Por oportunidade de sua
citação, Maria, vislumbrando a possibilidade de
prescrição da pretensão punitiva, ofereceu ao Oficial de
Justiça determinada quantia em dinheiro para que este
adiasse o cumprimento do ato. O Oficial de Justiça
aceitou a quantia oferecida. Maria e o Oficial de Justiça
praticaram, respectivamente, os crimes de
A)corrupção passiva e corrupção ativa.
B)corrupção ativa e condescendência criminosa.
C)corrupção ativa e corrupção passiva.
D)corrupção ativa e prevaricação.
E)corrupção passiva e prevaricação.
08 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Daniel, funcionário público, concorreu culposamente para que João,
igualmente funcionário público, se apropriasse intencionalmente de valores
de que tinham a posse em razão de seus cargos. Ambos foram denunciados
pelo Ministério Público, processados e condenados na Justiça Criminal.
Daniel, entretanto, após a publicação da sentença condenatória e antes do
trânsito em julgado, reparou o dano causado aos cofres públicos. Pode-se
afirmar que
A)Daniel terá a extinção da punibilidade, pois houve a reparação do dano
antes do trânsito em julgado da sentença
B)Daniel e João terão redução de 1/3 da pena imposta na sentença, pois
houve a reparação do dano antes do trânsito em julgado
C)a reparação do dano, mesmo antes do trânsito em julgado da sentença
penal condenatória, não tem efeito jurídico
D)pela reparação do dano, Daniel terá redução de metade da pena imposta
na sentença
E)pela reparação do dano, Daniel terá redução de 1/3 da pena imposta na
sentença
09 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Assinale a afirmação correta no que se refere ao Juizado Especial Criminal.
a) Na reunião de processos do Juizado Especial Criminal, perante o juízo comum ou
o tribunal do júri, decorrentes da aplicação das regras de conexão e continência, não
serão observados os institutos da transação penal e da composição dos danos civis.
b) No procedimento sumaríssimo imposto pela Lei n° 9.099/95 para as infrações
de menor potencial ofensivo, a citação do autor do fato será feita por
correspondência com aviso de recebimento.
c) No procedimento sumaríssimo imposto pela Lei n° 9.099/95, nos crimes em que
a pena mínima cominada for igual ou inferior a dois anos, o Ministério Público, ao
oferecer a denúncia, poderá propor a suspensão condicional do processo.
d) No procedimento sumaríssimo imposto pela Lei n° 9.099/95, tratando-se de
crime de ação penal pública incondicionada ou havendo representação, quando não
aceita ou não sendo oferecida a transação penal, o Ministério Público oferecerá ao
Juiz, de imediato, denúncia oral, se não houver necessidade de diligências
imprescindíveis.
e) No procedimento sumaríssimo imposto pela Lei n° 9.099/95, a presença do
advogado na audiência em que será proposta a transação penal não é obrigatória,
pois ainda não existe processo judicial.
10 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
Acerca dos institutos da composição civil dos danos e da transação penal na Lei n°
9.099/95, assinale a alternativa INCORRETA.
a) A composição dos danos civis, ainda que parcial, importará na renúncia ao
direito de representação ou queixa, com a conseqüente extinção da punibilidade do
autor do fato.
b) A composição civil, que consiste em reparação do dano, uma vez homologada,
constitui título executivo judicial, a ser executado no juízo cível, após o trânsito em
julgado.
c) Acolhendo a proposta de transação penal do Ministério Público e aceita pelo
autor da infração, o Juiz aplicará a pena restritiva de direitos ou multa, que não
importará em reincidência, sendo registrada apenas para impedir novamente o
mesmo benefício no prazo de 5 (cinco) anos.
d) Havendo representação ou tratando-se de crime de ação penal pública
incondicionada, não sendo caso de arquivamento, o Ministério Público poderá
propor transação penal com a aplicação imediata de pena de multa, sendo vedada a
aplicação de pena restritiva de direitos.
e) Não se admitirá proposta de transação penal se ficar comprovado que o autor da
infração foi condenado, pela prática de crime, a pena privativa de liberdade por
sentença definitiva.
11 Questões faurgs – Of. Esc. 2010
No procedimento sumaríssimo da Lei n° 9.099/95, não
sendo possível a citação pessoal do acusado por estar em
local incerto, deve o Juiz
a) determinar a sua citação por edital.
b) determinar a sua citação por hora certa.
c) encaminhar as peças existentes ao juízo comum para
adoção do procedimento previsto em lei.
d) encaminhar as peças existentes à Delegacia de Polícia
para novas diligências com o intuito de localizar o autor
do fato.
e) determinar o prosseguimento do processo e declarar o
acusado ausente, nomeando-lhe defensor dativo.
12 Questões faurgs – Analista Judiciário 2012
Sobre crimes em espécie, considere as afirmações abaixo.
I - O funcionário público que exigir vantagem indevida, para si ou para outrem, apenas poderá
ser responsabilizado pelo delito de concussão se estiver, no momento da exigência, em pleno e
efetivo exercício da função pública.
II - Iludir, totalmente, o pagamento de imposto devido pela entrada de mercadoria lícita no
território nacional caracteriza o delito de contrabando, enquanto a ilusão, em parte, do referido
pagamento, caracteriza o delito de descaminho.
III - Constatada a prática de violência doméstica contra a mulher, nos termos da Lei nº
11.340/2006, o juiz poderá aplicar, de imediato, ao agressor, a proibição de frequentar
determinados lugares, a fim de preservar a integridade física e psicológica da ofendida.
IV - Os crimes hediondos, a prática de tortura, o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins e
o terrorismo são insuscetíveis de anistia, progressão de regime, graça, indulto e fiança.
V - Comete o crime de corrupção passiva (art. 317 do CP) tanto o particular que oferece
vantagem indevida, como o servidor público que aceita a promessa de tal vantagem, em
concurso de agentes.
Quais estão corretas?
13 Questões faurgs – Analista Judiciário 2012
Sobre citações e intimações no processo penal, assinale a alternativa
que apresenta a afirmação correta.
a) Quando o acusado estiver fora do território da jurisdição do juízo
processante, será citado por edital com o prazo de cinco dias.
b) A intimação do defensor constituído, feita por publicação no
órgão incumbido da publicidade dos atos judiciais, deve,
necessariamente, conter o nome do acusado, sob pena de nulidade.
c) Verificando-se que o acusado se oculta para não ser citado, a
citação far-se-á por edital, com o prazo de cinco dias.
d) A intimação do Ministério Público e do defensor nomeado será
pessoal.
e) Estando o acusado no estrangeiro, em lugar sabido, a citação farse-á por carta ou qualquer meio hábil de comunicação.
14 Questões FCC – Técnico Judiciário 2012
Compete ao Juizado Especial Federal Criminal processar
e julgar os feitos de competência da Justiça Federal
relativos às infrações de menor potencial ofensivo,
respeitadas as regras de conexão e continência.
Consideram-se infrações de menor potencial ofensivo as
contravenções e os crimes a que a lei comine pena
máxima NÃO superior a
a) três anos, cumulada ou não com multa.
b) dois anos, cumulada ou não com multa.
c) dois anos, desde que não cumulada com multa.
d) um ano, desde que não cumulada com multa.
e) dois anos e seis meses, cumulada ou não com multa.
15 Questões FCC– Agente Penitenciário 2010
Quanto ao procedimento comum ordinário disciplinado no
Código de Processo Penal, é CORRETO afirmar que
a) o acusado poderá responder à acusação, por escrito, no
prazo de quinze dias.
b) produzidas as provas, e não sendo requeridas diligências,
serão oferecidas alegações finais escritas, pela acusação e pela
defesa.
c) depois de apresentada a resposta à acusação, o Juiz deverá
absolver sumariamente o acusado, se verificadas as hipóteses
previstas na lei.
d) na instrução deverão ser inquiridas, no mínimo, oito
testemunhas arroladas pela acusação e oito pela defesa.
e) tem por objeto crime cuja sanção máxima cominada for
igual ou superior a dois anos de pena privativa de liberdade.
16 Questões FCC– Promotor de Justiça 2012
O jurado, no Tribunal do Juri, e o advogado
contratado pelo ente público, para sua defesa
em juízo, são respectivamente:

a) Agente honorífico e agente credenciado
b) Agente credenciado e agente delegado
c) Agente delegado e agente credenciado
d) Agente político e agente delegado
e) Agente administrativo e agente credenciado
17 Questões FCC– Promotor de Justiça 2012
No tocante ao procedimento do Júri, é correto afirmar que
a) o pedido de desaforamento do julgamento pelo Tribunal do Júri
é cabível quando houver dúvida sobre a segurança pessoal do
defensor do acusado.
b) não se convencendo da materialidade do fato ou da existência de
indícios suficientes de autoria ou de participação, o juiz,
fundamentadamente, absolverá sumariamente o acusado.
c) a intimação da decisão de pronúncia será feita pessoalmente ao
acusado, ao defensor constituído e ao Ministério Público.
d) contra a decisão de impronúncia caberá apelação.
e) na audiência de instrução, as alegações serão orais, concedendose a palavra, respectivamente, à acusação e à defesa, pelo prazo de
30 (trinta) minutos, prorrogáveis por mais 10 (dez).
18 Questões FGV– OAB 2010
João da Silva foi denunciado por homicídio qualificado por motivo fútil. Nos
debates orais ocorridos na primeira fase do procedimento de júri, a Defesa alegou
que João agira em estrito cumprimento de dever legal, postulando sua absolvição
sumária. Ao proferir sua decisão, o juiz rejeitou a tese de estrito cumprimento de
dever legal e o pedido de absolvição sumária, e pronunciou João por homicídio
simples, afastando a qualificadora contida na denúncia. A decisão de pronúncia foi
confirrmada pelo Tribunal de Justiça, operando-se a preclusão.
Considerando tal narrativa, assinale a afirrmativa correta.
a) Nos debates orais perante os jurados, o promotor de jusiça não poderá sustentar
a qualificadora de motivo fútil, mas a defesa poderá alegar a tese de estrito
cumprimento de dever legal.
b) Nos debates orais perante os jurados, o promotor de justiça poderá sustentar a
qualificadora de motivo fútil e a defesa poderá alegar a tese de estrito cumprimento
de dever legal.
c) Nos debates orais perante os jurados, o promotor de justiça não poderá sustentar
a qualificadora de motivo fútil e a defesa não poderá alegar a tese de estrito
cumprimento de dever legal.
d) Nos debates orais perante os jurados, o promotor de justiça poderá sustentar a
qualificadora de motivo fútil, mas a defesa não poderá alegar a tese de estrito
cumprimento de dever legal.
19 Questões FCC– MP Analista 2013
No que se refere a procedimento no Tribunal do Júri, é
INCORRETO afirmar:
a) Poderão ser jurados os cidadãos maiores de 18 anos.
b) Estão isentos do serviço do júri aqueles que o
requererem, demonstrando justo impedimento.
c) Contra a sentença de impronúncia caberá apelação.
d) O juiz, fundamentadamente, impronunciará desde
logo o acusado quando provado não ser ele o autor ou
partícipe do fato.
e) O jurado que tiver integrado o Conselho de Sentença
nos 12 (doze) meses que antecederam à publicação da
lista geral fica dela excluído.
20 Questões CESPE – Promotor de Justiça 2013
Acerca do desaforamento e de outras regras relativas ao procedimento do
tribunal do júri, assinale a opção correta.
a) É nula a decisão que determina o desaforamento de processo de
competência do júri sem audiência da defesa.
b) Se o julgamento não puder ser realizado no prazo de seis meses, contado
do trânsito em julgado da decisão de pronúncia, o desaforamento será
obrigatório
c) A recusa imotivada ou peremptória de jurados, quando houver dois ou
mais réus em julgamento, deverá ser feita pelos defensores de cada um dos
réus, estando limitado, de qualquer modo, ao máximo de três o número de
jurados por acusado.
d) De acordo com as regras processuais em vigor, não se exige o adiamento
da sessão de julgamento do tribunal do júri na hipótese de não
comparecimento do número mínimo de quinze jurados.
e) Em regra, o julgamento pelo plenário do júri não será adiado se a
testemunha não comparecer, exceção feita à testemunha indicada como
imprescindível, ainda que a parte não tenha requerido sua intimação por
mandado.
21 Questões FCC - Analista Judiciário 2012
No Juizado Especial Criminal,
a) a intimação de pessoa jurídica poderá ser feita
mediante entrega de correspondência ao encarregado da
recepção, que será obrigatoriamente identificado.
b) a competência será determinada pelo domicílio ou
residência do réu.
c) não encontrado o acusado para citação pessoal, não se
desloca a competência para o juízo comum.
d) os atos processuais são públicos e podem realizar- se
em qualquer dia da semana, no horário diurno.
e) a declaração de nulidade do ato independe da
comprovação de prejuízo.
22 Questões FCC – Juiz 2009
Em relação ao Juizado Especial Criminal, é INCORRETO afirmar
que
a) a prática de atos processuais em outras comarcas poderá ser
solicitada por qualquer meio hábil de comunicação.
b) sua competência será determinada pelo lugar em que foi
praticada a infração penal.
c) o processo orientar-se-á pelos critérios da oralidade,
informalidade, economia processual e celeridade, objetivando,
sempre que possível, a reparação dos danos sofridos pela vítima e a
aplicação de pena não privativa de liberdade.
d) não se pronunciará qualquer nulidade sem que tenha havido
prejuízo.
e) os atos processuais serão públicos e realizados sempre em
horário diurno, até às 18:00 horas, por se tratar de processos de
natureza criminal.
23 Questões FCC – Analista Judiciário 2011
Segundo a Lei Maria da Penha, configura-se violência doméstica e
familiar contra a mulher, qualquer ação ou omissão que lhe cause
morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico, dano moral ou
patrimonial. Uma das medidas que o juiz poderá determinar para
proteger os bens patrimoniais da sociedade conjugal ou de
propriedade particular da mulher é
a) restituição à ofendida dos bens devidamente subtraídos pelo
agressor.
b) proibição por tempo indeterminado para a celebração de atos e
contratos de compra, venda e locação de propriedade em comum.
c) suspensão das procurações conferidas pela ofendida ao agressor.
d) prestação de caução provisória, mediante depósito em conta
corrente por perdas e danos materiais decorrentes da prática de
violência contra a ofendida.
e) determinação da permanência da ofendida no lar, sem prejuízo
dos direitos relativos a bens, guarda dos filhos e alimento.
24 Questões FCC – Assessor Jurídico 2010
Considere: Ação ou omissão contra a mulher baseada no gênero que lhe cause
morte, lesão corporal, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou
patrimonial,
I. no âmbito da unidade doméstica, compreendida como o espaço de convívio
permanente de pessoas com vínculo familiar.
II. no âmbito da unidade doméstica, compreendida como o espaço de convívio
público sem vínculo familiar, inclusive as esporadicamente agregadas.
III. em qualquer relação íntima de afeto, ainda que o agressor não conviva ou não
tenha convivido, nem coabitado com a ofendida.
IV. no âmbito da família, compreendida como a comunidade formada por
indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por
afinidade ou por vontade expressa.
Configura violência doméstica e familiar contra a mulher, para os fins da Lei nº
11.340/2006 (Lei Maria da Penha), as situações indicadas APENAS em:
25 Questões FCC – Ag. Fiscal de Rendas 2009
O particular que, em concurso com funcionário
público e em razão da função por este exercida, exige
vantagem indevida para ambos, embora não
cheguem a recebê-la, pratica o crime de
a) tentativa de concussão.
b) corrupção passiva consumada.
c) concussão consumada.
d) tentativa de corrupção passiva.
e) corrupção ativa consumada.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Resumão direito penal- parte geral
Resumão direito penal- parte geralResumão direito penal- parte geral
Resumão direito penal- parte geral
Fonseca Advocacia
 
Extinção da Punibilidade (Teoria Geral da Pena - Direito Penal II)
Extinção da Punibilidade (Teoria Geral da Pena - Direito Penal II)Extinção da Punibilidade (Teoria Geral da Pena - Direito Penal II)
Extinção da Punibilidade (Teoria Geral da Pena - Direito Penal II)
Helíssia Coimbra
 
Lei das contravenções penais
Lei das contravenções penaisLei das contravenções penais
Lei das contravenções penais
ACS PM RN
 
Direito penal ii teoria geral da pena
Direito penal ii teoria geral da penaDireito penal ii teoria geral da pena
Direito penal ii teoria geral da pena
volemar
 
Direito penal slides - parte geral
Direito penal   slides - parte geralDireito penal   slides - parte geral
Direito penal slides - parte geral
edgardrey
 
Direito penal i fontes do direito penal
Direito penal i   fontes do direito penalDireito penal i   fontes do direito penal
Direito penal i fontes do direito penal
Urbano Felix Pugliese
 
Curso de Direito Processual Penal (2014) - 9a ed.: Revista., ampliada e atual...
Curso de Direito Processual Penal (2014) - 9a ed.: Revista., ampliada e atual...Curso de Direito Processual Penal (2014) - 9a ed.: Revista., ampliada e atual...
Curso de Direito Processual Penal (2014) - 9a ed.: Revista., ampliada e atual...
Editora Juspodivm
 
Normas Processuais Civis Fundamentais
Normas Processuais Civis FundamentaisNormas Processuais Civis Fundamentais
Normas Processuais Civis Fundamentais
Ricardo Torques
 
Resumo penal
Resumo penalResumo penal
Comp aula03 penal_comp
Comp aula03 penal_compComp aula03 penal_comp
Comp aula03 penal_comp
J M
 
Lei penal no tempo e no espaço
Lei penal no tempo e no espaçoLei penal no tempo e no espaço
Lei penal no tempo e no espaço
crisdupret
 
Lei de execução penal
Lei de execução penalLei de execução penal
Lei de execução penal
Dimensson Costa Santos
 
Direito penal geral rogerio sanches
Direito penal geral   rogerio sanchesDireito penal geral   rogerio sanches
Direito penal geral rogerio sanches
Luciana Melo
 
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
Nilberte
 
Direito penal i lei penal do tempo
Direito penal i   lei penal do tempoDireito penal i   lei penal do tempo
Direito penal i lei penal do tempo
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal
Direito penalDireito penal
Direito penal
Thales Bezerra
 
Roteiro de estudo dirigido direito penal ii (1)
Roteiro de estudo dirigido   direito penal ii (1)Roteiro de estudo dirigido   direito penal ii (1)
Roteiro de estudo dirigido direito penal ii (1)
hismardanesh
 
Aula 001
Aula 001Aula 001
Aula 001
Luiz Guilherme
 
Resumo conflito aparente de normas penais. norma penal em branco. elementos...
Resumo   conflito aparente de normas penais. norma penal em branco. elementos...Resumo   conflito aparente de normas penais. norma penal em branco. elementos...
Resumo conflito aparente de normas penais. norma penal em branco. elementos...
Estrela Cursos e Concursos Online
 
Aula 07 direito penal p pf agente - 2014
Aula 07 direito penal p pf   agente - 2014Aula 07 direito penal p pf   agente - 2014
Aula 07 direito penal p pf agente - 2014
M Raquel Trindade
 

Mais procurados (20)

Resumão direito penal- parte geral
Resumão direito penal- parte geralResumão direito penal- parte geral
Resumão direito penal- parte geral
 
Extinção da Punibilidade (Teoria Geral da Pena - Direito Penal II)
Extinção da Punibilidade (Teoria Geral da Pena - Direito Penal II)Extinção da Punibilidade (Teoria Geral da Pena - Direito Penal II)
Extinção da Punibilidade (Teoria Geral da Pena - Direito Penal II)
 
Lei das contravenções penais
Lei das contravenções penaisLei das contravenções penais
Lei das contravenções penais
 
Direito penal ii teoria geral da pena
Direito penal ii teoria geral da penaDireito penal ii teoria geral da pena
Direito penal ii teoria geral da pena
 
Direito penal slides - parte geral
Direito penal   slides - parte geralDireito penal   slides - parte geral
Direito penal slides - parte geral
 
Direito penal i fontes do direito penal
Direito penal i   fontes do direito penalDireito penal i   fontes do direito penal
Direito penal i fontes do direito penal
 
Curso de Direito Processual Penal (2014) - 9a ed.: Revista., ampliada e atual...
Curso de Direito Processual Penal (2014) - 9a ed.: Revista., ampliada e atual...Curso de Direito Processual Penal (2014) - 9a ed.: Revista., ampliada e atual...
Curso de Direito Processual Penal (2014) - 9a ed.: Revista., ampliada e atual...
 
Normas Processuais Civis Fundamentais
Normas Processuais Civis FundamentaisNormas Processuais Civis Fundamentais
Normas Processuais Civis Fundamentais
 
Resumo penal
Resumo penalResumo penal
Resumo penal
 
Comp aula03 penal_comp
Comp aula03 penal_compComp aula03 penal_comp
Comp aula03 penal_comp
 
Lei penal no tempo e no espaço
Lei penal no tempo e no espaçoLei penal no tempo e no espaço
Lei penal no tempo e no espaço
 
Lei de execução penal
Lei de execução penalLei de execução penal
Lei de execução penal
 
Direito penal geral rogerio sanches
Direito penal geral   rogerio sanchesDireito penal geral   rogerio sanches
Direito penal geral rogerio sanches
 
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
 
Direito penal i lei penal do tempo
Direito penal i   lei penal do tempoDireito penal i   lei penal do tempo
Direito penal i lei penal do tempo
 
Direito penal
Direito penalDireito penal
Direito penal
 
Roteiro de estudo dirigido direito penal ii (1)
Roteiro de estudo dirigido   direito penal ii (1)Roteiro de estudo dirigido   direito penal ii (1)
Roteiro de estudo dirigido direito penal ii (1)
 
Aula 001
Aula 001Aula 001
Aula 001
 
Resumo conflito aparente de normas penais. norma penal em branco. elementos...
Resumo   conflito aparente de normas penais. norma penal em branco. elementos...Resumo   conflito aparente de normas penais. norma penal em branco. elementos...
Resumo conflito aparente de normas penais. norma penal em branco. elementos...
 
Aula 07 direito penal p pf agente - 2014
Aula 07 direito penal p pf   agente - 2014Aula 07 direito penal p pf   agente - 2014
Aula 07 direito penal p pf agente - 2014
 

Destaque

02 estatutoda igualdade racial rs
02   estatutoda igualdade racial rs02   estatutoda igualdade racial rs
02 estatutoda igualdade racial rs
thiago sturmer
 
Direito penal contemporâneo e seus desafios – Faculdade Asces – Caruaru – PE
Direito penal contemporâneo e seus desafios – Faculdade Asces – Caruaru – PEDireito penal contemporâneo e seus desafios – Faculdade Asces – Caruaru – PE
Direito penal contemporâneo e seus desafios – Faculdade Asces – Caruaru – PE
Atualidades Do Direito
 
Noções de direito penal knjnjo
Noções de direito penal knjnjoNoções de direito penal knjnjo
Noções de direito penal knjnjo
Jorge Oscar Miranda
 
Noções de direito penal
Noções de direito penalNoções de direito penal
Noções de direito penal
Jorge Oscar Miranda
 
Nacionalidade2
Nacionalidade2Nacionalidade2
Nacionalidade2
Xis da Questão
 
Direito penal parte geral - slides - caderno
Direito penal   parte geral - slides - cadernoDireito penal   parte geral - slides - caderno
Direito penal parte geral - slides - caderno
edgardrey
 
Noções de direito penal 2014 agente-pf
Noções de direito penal 2014   agente-pfNoções de direito penal 2014   agente-pf
Noções de direito penal 2014 agente-pf
Neon Online
 
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
andersonfdr1
 
Sistema de cotas Diaria Milennium
Sistema de cotas Diaria MilenniumSistema de cotas Diaria Milennium
Sistema de cotas Diaria Milennium
MMN Real
 
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comunsAspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
alcindoneto
 
Direito Penal parte geral
Direito Penal   parte geralDireito Penal   parte geral
Direito Penal parte geral
Portal Vitrine
 
Estatuto da igualdade racial e as lutas do movimento social negro brasileiro
Estatuto da igualdade racial e as lutas do movimento social negro brasileiroEstatuto da igualdade racial e as lutas do movimento social negro brasileiro
Estatuto da igualdade racial e as lutas do movimento social negro brasileiro
Sergiana Helmer
 
Cronograma intervenção hist 6 ano
Cronograma intervenção hist 6 anoCronograma intervenção hist 6 ano
Cronograma intervenção hist 6 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Direito penal
Direito penalDireito penal
Direito penal
Lucas Guerreiro
 
Aula 10 direito penal p pf agente - 2014
Aula 10 direito penal p pf   agente - 2014Aula 10 direito penal p pf   agente - 2014
Aula 10 direito penal p pf agente - 2014
M Raquel Trindade
 
Aula 07 Direito Penal
Aula 07 Direito PenalAula 07 Direito Penal
Aula 07 Direito Penal
Estudante
 
57 questoes de_direito_penal - parte geral
57 questoes de_direito_penal - parte geral57 questoes de_direito_penal - parte geral
57 questoes de_direito_penal - parte geral
Pereira Queiroz
 
Palestra cotasestado
Palestra cotasestadoPalestra cotasestado
Palestra cotasestado
Rodrigo Cardoso
 
Lei 12.288/ Estatuto da igualdade racial
Lei 12.288/ Estatuto da igualdade racialLei 12.288/ Estatuto da igualdade racial
Lei 12.288/ Estatuto da igualdade racial
thiago sturmer
 
Estatuto Da Igualdade Racial
Estatuto Da Igualdade RacialEstatuto Da Igualdade Racial
Estatuto Da Igualdade Racial
culturaafro
 

Destaque (20)

02 estatutoda igualdade racial rs
02   estatutoda igualdade racial rs02   estatutoda igualdade racial rs
02 estatutoda igualdade racial rs
 
Direito penal contemporâneo e seus desafios – Faculdade Asces – Caruaru – PE
Direito penal contemporâneo e seus desafios – Faculdade Asces – Caruaru – PEDireito penal contemporâneo e seus desafios – Faculdade Asces – Caruaru – PE
Direito penal contemporâneo e seus desafios – Faculdade Asces – Caruaru – PE
 
Noções de direito penal knjnjo
Noções de direito penal knjnjoNoções de direito penal knjnjo
Noções de direito penal knjnjo
 
Noções de direito penal
Noções de direito penalNoções de direito penal
Noções de direito penal
 
Nacionalidade2
Nacionalidade2Nacionalidade2
Nacionalidade2
 
Direito penal parte geral - slides - caderno
Direito penal   parte geral - slides - cadernoDireito penal   parte geral - slides - caderno
Direito penal parte geral - slides - caderno
 
Noções de direito penal 2014 agente-pf
Noções de direito penal 2014   agente-pfNoções de direito penal 2014   agente-pf
Noções de direito penal 2014 agente-pf
 
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
 
Sistema de cotas Diaria Milennium
Sistema de cotas Diaria MilenniumSistema de cotas Diaria Milennium
Sistema de cotas Diaria Milennium
 
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comunsAspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
 
Direito Penal parte geral
Direito Penal   parte geralDireito Penal   parte geral
Direito Penal parte geral
 
Estatuto da igualdade racial e as lutas do movimento social negro brasileiro
Estatuto da igualdade racial e as lutas do movimento social negro brasileiroEstatuto da igualdade racial e as lutas do movimento social negro brasileiro
Estatuto da igualdade racial e as lutas do movimento social negro brasileiro
 
Cronograma intervenção hist 6 ano
Cronograma intervenção hist 6 anoCronograma intervenção hist 6 ano
Cronograma intervenção hist 6 ano
 
Direito penal
Direito penalDireito penal
Direito penal
 
Aula 10 direito penal p pf agente - 2014
Aula 10 direito penal p pf   agente - 2014Aula 10 direito penal p pf   agente - 2014
Aula 10 direito penal p pf agente - 2014
 
Aula 07 Direito Penal
Aula 07 Direito PenalAula 07 Direito Penal
Aula 07 Direito Penal
 
57 questoes de_direito_penal - parte geral
57 questoes de_direito_penal - parte geral57 questoes de_direito_penal - parte geral
57 questoes de_direito_penal - parte geral
 
Palestra cotasestado
Palestra cotasestadoPalestra cotasestado
Palestra cotasestado
 
Lei 12.288/ Estatuto da igualdade racial
Lei 12.288/ Estatuto da igualdade racialLei 12.288/ Estatuto da igualdade racial
Lei 12.288/ Estatuto da igualdade racial
 
Estatuto Da Igualdade Racial
Estatuto Da Igualdade RacialEstatuto Da Igualdade Racial
Estatuto Da Igualdade Racial
 

Semelhante a Resolução de questões

Resumo de pratica simulada penal iii
Resumo de pratica simulada penal  iiiResumo de pratica simulada penal  iii
Resumo de pratica simulada penal iii
Walter Marinho
 
Acao penal
Acao penalAcao penal
Acao penal
Yara Souto Maior
 
Abuso de autoridade
Abuso de autoridadeAbuso de autoridade
Abuso de autoridade
Leiliana Costa Vieira
 
Lei 4.898
Lei 4.898Lei 4.898
Lei 4.898
Laiz Modesto
 
Lei do abuso de autoridade
Lei do abuso de autoridadeLei do abuso de autoridade
Lei do abuso de autoridade
ACS PM RN
 
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoasCartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Antonio Moreira
 
Caderno questoes processo penal - esquematizado
Caderno questoes   processo penal - esquematizadoCaderno questoes   processo penal - esquematizado
Caderno questoes processo penal - esquematizado
Roberto Migliavacca
 
Caderno questoes processo penal - esquematizado
Caderno questoes   processo penal - esquematizadoCaderno questoes   processo penal - esquematizado
Caderno questoes processo penal - esquematizado
Luciana Ramos
 
Aplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdf
Aplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdf
Aplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdf
leiacavalcanti1
 
Petição penal
Petição penalPetição penal
Petição penal
Ricardo Mota
 
PL-10372-2018.pdf
PL-10372-2018.pdfPL-10372-2018.pdf
PL-10372-2018.pdf
roximo4818
 
165 lei 4898-1965
165 lei 4898-1965165 lei 4898-1965
165 lei 4898-1965
Marcelo Almeida
 
3 e 4 aula.ppv
3 e 4 aula.ppv3 e 4 aula.ppv
3 e 4 aula.ppv
portustfs
 
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresaTJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
Leandro César
 
Procedimentos CPP.pptx
Procedimentos CPP.pptxProcedimentos CPP.pptx
Procedimentos CPP.pptx
ssuser39bd65
 
Código de processo penal
Código de processo penalCódigo de processo penal
Código de processo penal
ACS PM RN
 
Juiz suspende-atividades-instituto-lula
Juiz suspende-atividades-instituto-lulaJuiz suspende-atividades-instituto-lula
Juiz suspende-atividades-instituto-lula
Luiz Carlos Azenha
 
Lei maria-penha
Lei maria-penhaLei maria-penha
Lei maria-penha
Luiz Capuano
 
3. ação penal
3. ação penal3. ação penal
3. ação penal
João Marra
 
Código de processo penal
Código de processo penalCódigo de processo penal
Código de processo penal
day_vibe
 

Semelhante a Resolução de questões (20)

Resumo de pratica simulada penal iii
Resumo de pratica simulada penal  iiiResumo de pratica simulada penal  iii
Resumo de pratica simulada penal iii
 
Acao penal
Acao penalAcao penal
Acao penal
 
Abuso de autoridade
Abuso de autoridadeAbuso de autoridade
Abuso de autoridade
 
Lei 4.898
Lei 4.898Lei 4.898
Lei 4.898
 
Lei do abuso de autoridade
Lei do abuso de autoridadeLei do abuso de autoridade
Lei do abuso de autoridade
 
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoasCartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
 
Caderno questoes processo penal - esquematizado
Caderno questoes   processo penal - esquematizadoCaderno questoes   processo penal - esquematizado
Caderno questoes processo penal - esquematizado
 
Caderno questoes processo penal - esquematizado
Caderno questoes   processo penal - esquematizadoCaderno questoes   processo penal - esquematizado
Caderno questoes processo penal - esquematizado
 
Aplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdf
Aplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdf
Aplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdfAplicacao-da-Lei-Penal.pdf
 
Petição penal
Petição penalPetição penal
Petição penal
 
PL-10372-2018.pdf
PL-10372-2018.pdfPL-10372-2018.pdf
PL-10372-2018.pdf
 
165 lei 4898-1965
165 lei 4898-1965165 lei 4898-1965
165 lei 4898-1965
 
3 e 4 aula.ppv
3 e 4 aula.ppv3 e 4 aula.ppv
3 e 4 aula.ppv
 
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresaTJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
 
Procedimentos CPP.pptx
Procedimentos CPP.pptxProcedimentos CPP.pptx
Procedimentos CPP.pptx
 
Código de processo penal
Código de processo penalCódigo de processo penal
Código de processo penal
 
Juiz suspende-atividades-instituto-lula
Juiz suspende-atividades-instituto-lulaJuiz suspende-atividades-instituto-lula
Juiz suspende-atividades-instituto-lula
 
Lei maria-penha
Lei maria-penhaLei maria-penha
Lei maria-penha
 
3. ação penal
3. ação penal3. ação penal
3. ação penal
 
Código de processo penal
Código de processo penalCódigo de processo penal
Código de processo penal
 

Mais de thiago sturmer

06 regime disciplinar rs
06   regime disciplinar rs06   regime disciplinar rs
06 regime disciplinar rs
thiago sturmer
 
Aprovados edital11 sdpol (1)
Aprovados edital11 sdpol (1)Aprovados edital11 sdpol (1)
Aprovados edital11 sdpol (1)
thiago sturmer
 
04 abuso de autoridade 02
04   abuso de autoridade 0204   abuso de autoridade 02
04 abuso de autoridade 02
thiago sturmer
 
03 abuso de autoridade
03   abuso de autoridade03   abuso de autoridade
03 abuso de autoridade
thiago sturmer
 
Lei 12.288/10 - Estatuto da Igualdade Racial
Lei 12.288/10 - Estatuto da Igualdade RacialLei 12.288/10 - Estatuto da Igualdade Racial
Lei 12.288/10 - Estatuto da Igualdade Racial
thiago sturmer
 
Tribunal do júri – parte 1
Tribunal do júri – parte 1Tribunal do júri – parte 1
Tribunal do júri – parte 1
thiago sturmer
 
Legislação penal especial L 11340 Maria da Penha
Legislação penal especial   L 11340 Maria da PenhaLegislação penal especial   L 11340 Maria da Penha
Legislação penal especial L 11340 Maria da Penha
thiago sturmer
 
Procedimento comum
Procedimento comumProcedimento comum
Procedimento comum
thiago sturmer
 
Comunicação dos atos processuais
Comunicação dos atos processuaisComunicação dos atos processuais
Comunicação dos atos processuais
thiago sturmer
 
Questionário CRIMES FUNCIONAIS - 02
Questionário CRIMES FUNCIONAIS - 02 Questionário CRIMES FUNCIONAIS - 02
Questionário CRIMES FUNCIONAIS - 02
thiago sturmer
 
Questionário para concurseiros - Crimes Funcionais
Questionário para concurseiros - Crimes FuncionaisQuestionário para concurseiros - Crimes Funcionais
Questionário para concurseiros - Crimes Funcionais
thiago sturmer
 
Funcionário publico - Prof Paulo
Funcionário publico - Prof PauloFuncionário publico - Prof Paulo
Funcionário publico - Prof Paulo
thiago sturmer
 
Crimes contra administração pública - Funcionário Publico
Crimes contra administração pública - Funcionário PublicoCrimes contra administração pública - Funcionário Publico
Crimes contra administração pública - Funcionário Publico
thiago sturmer
 
Crimes contra administração pública - Crimes Funcionais
Crimes contra administração pública   - Crimes FuncionaisCrimes contra administração pública   - Crimes Funcionais
Crimes contra administração pública - Crimes Funcionais
thiago sturmer
 

Mais de thiago sturmer (14)

06 regime disciplinar rs
06   regime disciplinar rs06   regime disciplinar rs
06 regime disciplinar rs
 
Aprovados edital11 sdpol (1)
Aprovados edital11 sdpol (1)Aprovados edital11 sdpol (1)
Aprovados edital11 sdpol (1)
 
04 abuso de autoridade 02
04   abuso de autoridade 0204   abuso de autoridade 02
04 abuso de autoridade 02
 
03 abuso de autoridade
03   abuso de autoridade03   abuso de autoridade
03 abuso de autoridade
 
Lei 12.288/10 - Estatuto da Igualdade Racial
Lei 12.288/10 - Estatuto da Igualdade RacialLei 12.288/10 - Estatuto da Igualdade Racial
Lei 12.288/10 - Estatuto da Igualdade Racial
 
Tribunal do júri – parte 1
Tribunal do júri – parte 1Tribunal do júri – parte 1
Tribunal do júri – parte 1
 
Legislação penal especial L 11340 Maria da Penha
Legislação penal especial   L 11340 Maria da PenhaLegislação penal especial   L 11340 Maria da Penha
Legislação penal especial L 11340 Maria da Penha
 
Procedimento comum
Procedimento comumProcedimento comum
Procedimento comum
 
Comunicação dos atos processuais
Comunicação dos atos processuaisComunicação dos atos processuais
Comunicação dos atos processuais
 
Questionário CRIMES FUNCIONAIS - 02
Questionário CRIMES FUNCIONAIS - 02 Questionário CRIMES FUNCIONAIS - 02
Questionário CRIMES FUNCIONAIS - 02
 
Questionário para concurseiros - Crimes Funcionais
Questionário para concurseiros - Crimes FuncionaisQuestionário para concurseiros - Crimes Funcionais
Questionário para concurseiros - Crimes Funcionais
 
Funcionário publico - Prof Paulo
Funcionário publico - Prof PauloFuncionário publico - Prof Paulo
Funcionário publico - Prof Paulo
 
Crimes contra administração pública - Funcionário Publico
Crimes contra administração pública - Funcionário PublicoCrimes contra administração pública - Funcionário Publico
Crimes contra administração pública - Funcionário Publico
 
Crimes contra administração pública - Crimes Funcionais
Crimes contra administração pública   - Crimes FuncionaisCrimes contra administração pública   - Crimes Funcionais
Crimes contra administração pública - Crimes Funcionais
 

Resolução de questões

  • 1. Resolução de Questões Direito Penal e Processo Penal ESTUDO FOCADO CRIMES FUNCIONAIS – M 04, S 00 COM. DOS ATOS PROCESSUAIS – M 00, S 01ª PROCEDIMENTO COMUM – M 01, S 00 TRIBUNAL DO JÚRI – M 01*, S 00 JECRIM(LEI 9.099/95) – M 04, S 00 LMP(LEI 11.340/06) – M 02, S 01
  • 2. 01 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Considere as seguintes afirmações quanto ao procedimento comum ordinário. I - O magistrado, na mesma decisão de recebimento da peça acusatória, que conterá o rol de testemunhas, até o máximo de cinco, deverá ordenar a citação do denunciado para responder à acusação, por escrito, no prazo de 10 (dez) dias. II - Na resposta à acusação, no prazo de 10 (dez) dias, o defensor do acusado poderá argüir preliminares e alegar tudo o que interessa à sua defesa, oferecer documentos e justificações, especificar as provas pretendidas e arrolar testemunhas, qualificando-as e requerendo sua intimação quando necessário. III - Oferecida a resposta à acusação, uma vez verificada a existência manifesta de causa excludente da ilicitude do fato, o Juiz não pode absolver sumariamente o acusado, pois no procedimento comum ordinário não há previsão legal para essa hipótese. IV - A audiência de instrução e julgamento deverá ser única. Na data aprazada, primeiramente, o acusado será interrogado; a seguir, serão ouvidos o ofendido, as testemunhas de acusação, de defesa, os peritos, serão feitas as acareações, o reconhecimento de pessoas e coisas e, por fim, os debates orais. Quais estão corretas?
  • 3. 02 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Acerca do procedimento do Tribunal do Júri, analise as assertivas a seguir. I - Não pode o Magistrado, na decisão de pronúncia, deixar de examinar as circunstâncias qualificadoras do delito, observados os limites próprios do ato. II - Contra a sentença de impronúncia ou de absolvição sumária caberá recurso de apelação. III - O desaforamento do julgamento para outra comarca poderá ocorrer em razão do excesso de serviço, desde que seja comprovado que o julgamento não poderá ser realizado no prazo de 6 (seis) meses, contado do trânsito em julgado da decisão de pronúncia. IV - O Tribunal do Júri é composto por um (1) juiz togado e por 25 (vinte e cinco) jurados. Quais estão corretas?
  • 4. 03 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Em todos os casos de violência doméstica e familiar contra a mulher, feito o registro de ocorrência, deverá a autoridade policial a) ouvir a ofendida, lavrar o boletim de ocorrência e decretar as medidas protetivas cabíveis ao caso. b) ouvir a ofendida, lavrar o boletim de ocorrência, tomar por termo sua representação, quando necessária, e, se requerida a concessão de alguma medida protetiva urgente, encaminhar o expediente a juízo, em autos apartados, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas. c) ouvir a ofendida, lavrar o boletim de ocorrência, tomar por termo sua representação, quando necessária, e, se requerida a concessão de alguma medida protetiva de urgência, ouvir as testemunhas e encaminhar a ofendida para realização de exame de corpo de delito para, posteriormente, formar o expediente a ser remetido a juízo. d) ouvir a ofendida, encaminhá-la para realização de exame de corpo de delito, ouvir a parte acusada e testemunhas, colher as demais provas e, findo o inquérito policial, encaminhá-lo a juízo, independentemente de pedido de concessão de alguma medida protetiva. e) ouvir a ofendida, lavrar o boletim de ocorrência, tomar por termo sua representação, independentemente do delito, e, se requerida a concessão de alguma medida protetiva de urgência, encaminhar imediatamente o expediente a juízo.
  • 5. 04 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Acerca da Lei Maria da Penha (Lei n° 11.340/06), considere as assertivas a seguir. I - Constatada a prática de violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos da lei, o Juiz poderá aplicar, de imediato, medidas protetivas de urgência que obrigam o agressor, taxativamente previstas na Lei n° 11.340/2006. II - A ofendida deverá ser notificada dos atos processuais relativos ao agressor, especialmente dos pertinentes ao ingresso e à saída da prisão, sem prejuízo da intimação do advogado constituído ou do defensor público. III - Formulado pedido liminar de concessão de medida protetiva de urgência, o Magistrado deverá apreciá- lo em 48 (quarenta e oito) horas, podendo deferi-lo ou indeferi-lo de plano. IV - O Juiz poderá, antes de decidir acerca do pedido liminar de concessão de medida protetiva, designar audiência de justificação. Quais estão corretas?
  • 6. 05 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Acerca dos crimes contra a Administração Pública, assinale a alternativa INCORRETA. A)Se o funcionário público, no exercício de suas funções, revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deveria permanecer em segredo, incorrerá no crime de violação de sigilo (art. 325, CP). No entanto, se o funcionário público revelar o fato de que teve ciência em razão do cargo, desconhecendo que deveria permanecer em segredo, incorrerá em erro de tipo, cuja estabilidade ou inevitabilidade deverá ser apurada. B)O crime de corrupção passiva consuma-se instantaneamente, isto é, com a simples solicitação, recebimento ou aceitação da promessa de vantagem indevida. C)Consuma-se o crime de excesso de exação (art. 316, § 1°, CP) com a simples exigência de tributo indevido, ou, quando devido, com o emprego vexatório ou gravoso na cobrança. D)Se o funcionário público dolosamente retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, para satisfação de interesse ou sentimento pessoal, incorrerá no crime de condescendência criminosa (art. 320, CP). E)O Código Penal (art. 327) adota a noção extensiva do conceito de funcionário público, abarcando quaisquer indivíduos que exerçam, ainda que temporariamente e sem remuneração, cargo, emprego ou função pública.
  • 7. 06 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Considere as assertivas abaixo quanto a crimes contra a Administração Pública. I - No tipo legal de peculato mediante erro de outrem (art. 313, CP), denominado pela doutrina de peculato estelionato, o sujeito ativo não tem previamente a posse da res objeto material do crime. O funcionário público, neste crime, aproveita-se do erro de outrem e se apropria de dinheiro ou qualquer outra utilidade recebidos no exercício do cargo. II - Para a configuração do crime de corrupção passiva (art. 317, CP) é imprescindível a ocorrência concomitante da corrupção ativa (art. 333, CP). III - Em decorrência do caráter subsidiário do crime de extravio, sonegação ou inutilização de livro ou documento (art. 314, CP), a configuração de infração mais grave afasta a incidência do referido dispositivo, especialmente quando concretizar algum crime de dano contra a Administração Pública. Quais estão corretas?
  • 8. 07 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Maria foi denunciada pela prática do tipo legal de crime de moeda falsa (art. 289, CP). Por oportunidade de sua citação, Maria, vislumbrando a possibilidade de prescrição da pretensão punitiva, ofereceu ao Oficial de Justiça determinada quantia em dinheiro para que este adiasse o cumprimento do ato. O Oficial de Justiça aceitou a quantia oferecida. Maria e o Oficial de Justiça praticaram, respectivamente, os crimes de A)corrupção passiva e corrupção ativa. B)corrupção ativa e condescendência criminosa. C)corrupção ativa e corrupção passiva. D)corrupção ativa e prevaricação. E)corrupção passiva e prevaricação.
  • 9. 08 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Daniel, funcionário público, concorreu culposamente para que João, igualmente funcionário público, se apropriasse intencionalmente de valores de que tinham a posse em razão de seus cargos. Ambos foram denunciados pelo Ministério Público, processados e condenados na Justiça Criminal. Daniel, entretanto, após a publicação da sentença condenatória e antes do trânsito em julgado, reparou o dano causado aos cofres públicos. Pode-se afirmar que A)Daniel terá a extinção da punibilidade, pois houve a reparação do dano antes do trânsito em julgado da sentença B)Daniel e João terão redução de 1/3 da pena imposta na sentença, pois houve a reparação do dano antes do trânsito em julgado C)a reparação do dano, mesmo antes do trânsito em julgado da sentença penal condenatória, não tem efeito jurídico D)pela reparação do dano, Daniel terá redução de metade da pena imposta na sentença E)pela reparação do dano, Daniel terá redução de 1/3 da pena imposta na sentença
  • 10. 09 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Assinale a afirmação correta no que se refere ao Juizado Especial Criminal. a) Na reunião de processos do Juizado Especial Criminal, perante o juízo comum ou o tribunal do júri, decorrentes da aplicação das regras de conexão e continência, não serão observados os institutos da transação penal e da composição dos danos civis. b) No procedimento sumaríssimo imposto pela Lei n° 9.099/95 para as infrações de menor potencial ofensivo, a citação do autor do fato será feita por correspondência com aviso de recebimento. c) No procedimento sumaríssimo imposto pela Lei n° 9.099/95, nos crimes em que a pena mínima cominada for igual ou inferior a dois anos, o Ministério Público, ao oferecer a denúncia, poderá propor a suspensão condicional do processo. d) No procedimento sumaríssimo imposto pela Lei n° 9.099/95, tratando-se de crime de ação penal pública incondicionada ou havendo representação, quando não aceita ou não sendo oferecida a transação penal, o Ministério Público oferecerá ao Juiz, de imediato, denúncia oral, se não houver necessidade de diligências imprescindíveis. e) No procedimento sumaríssimo imposto pela Lei n° 9.099/95, a presença do advogado na audiência em que será proposta a transação penal não é obrigatória, pois ainda não existe processo judicial.
  • 11. 10 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 Acerca dos institutos da composição civil dos danos e da transação penal na Lei n° 9.099/95, assinale a alternativa INCORRETA. a) A composição dos danos civis, ainda que parcial, importará na renúncia ao direito de representação ou queixa, com a conseqüente extinção da punibilidade do autor do fato. b) A composição civil, que consiste em reparação do dano, uma vez homologada, constitui título executivo judicial, a ser executado no juízo cível, após o trânsito em julgado. c) Acolhendo a proposta de transação penal do Ministério Público e aceita pelo autor da infração, o Juiz aplicará a pena restritiva de direitos ou multa, que não importará em reincidência, sendo registrada apenas para impedir novamente o mesmo benefício no prazo de 5 (cinco) anos. d) Havendo representação ou tratando-se de crime de ação penal pública incondicionada, não sendo caso de arquivamento, o Ministério Público poderá propor transação penal com a aplicação imediata de pena de multa, sendo vedada a aplicação de pena restritiva de direitos. e) Não se admitirá proposta de transação penal se ficar comprovado que o autor da infração foi condenado, pela prática de crime, a pena privativa de liberdade por sentença definitiva.
  • 12. 11 Questões faurgs – Of. Esc. 2010 No procedimento sumaríssimo da Lei n° 9.099/95, não sendo possível a citação pessoal do acusado por estar em local incerto, deve o Juiz a) determinar a sua citação por edital. b) determinar a sua citação por hora certa. c) encaminhar as peças existentes ao juízo comum para adoção do procedimento previsto em lei. d) encaminhar as peças existentes à Delegacia de Polícia para novas diligências com o intuito de localizar o autor do fato. e) determinar o prosseguimento do processo e declarar o acusado ausente, nomeando-lhe defensor dativo.
  • 13. 12 Questões faurgs – Analista Judiciário 2012 Sobre crimes em espécie, considere as afirmações abaixo. I - O funcionário público que exigir vantagem indevida, para si ou para outrem, apenas poderá ser responsabilizado pelo delito de concussão se estiver, no momento da exigência, em pleno e efetivo exercício da função pública. II - Iludir, totalmente, o pagamento de imposto devido pela entrada de mercadoria lícita no território nacional caracteriza o delito de contrabando, enquanto a ilusão, em parte, do referido pagamento, caracteriza o delito de descaminho. III - Constatada a prática de violência doméstica contra a mulher, nos termos da Lei nº 11.340/2006, o juiz poderá aplicar, de imediato, ao agressor, a proibição de frequentar determinados lugares, a fim de preservar a integridade física e psicológica da ofendida. IV - Os crimes hediondos, a prática de tortura, o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins e o terrorismo são insuscetíveis de anistia, progressão de regime, graça, indulto e fiança. V - Comete o crime de corrupção passiva (art. 317 do CP) tanto o particular que oferece vantagem indevida, como o servidor público que aceita a promessa de tal vantagem, em concurso de agentes. Quais estão corretas?
  • 14. 13 Questões faurgs – Analista Judiciário 2012 Sobre citações e intimações no processo penal, assinale a alternativa que apresenta a afirmação correta. a) Quando o acusado estiver fora do território da jurisdição do juízo processante, será citado por edital com o prazo de cinco dias. b) A intimação do defensor constituído, feita por publicação no órgão incumbido da publicidade dos atos judiciais, deve, necessariamente, conter o nome do acusado, sob pena de nulidade. c) Verificando-se que o acusado se oculta para não ser citado, a citação far-se-á por edital, com o prazo de cinco dias. d) A intimação do Ministério Público e do defensor nomeado será pessoal. e) Estando o acusado no estrangeiro, em lugar sabido, a citação farse-á por carta ou qualquer meio hábil de comunicação.
  • 15. 14 Questões FCC – Técnico Judiciário 2012 Compete ao Juizado Especial Federal Criminal processar e julgar os feitos de competência da Justiça Federal relativos às infrações de menor potencial ofensivo, respeitadas as regras de conexão e continência. Consideram-se infrações de menor potencial ofensivo as contravenções e os crimes a que a lei comine pena máxima NÃO superior a a) três anos, cumulada ou não com multa. b) dois anos, cumulada ou não com multa. c) dois anos, desde que não cumulada com multa. d) um ano, desde que não cumulada com multa. e) dois anos e seis meses, cumulada ou não com multa.
  • 16. 15 Questões FCC– Agente Penitenciário 2010 Quanto ao procedimento comum ordinário disciplinado no Código de Processo Penal, é CORRETO afirmar que a) o acusado poderá responder à acusação, por escrito, no prazo de quinze dias. b) produzidas as provas, e não sendo requeridas diligências, serão oferecidas alegações finais escritas, pela acusação e pela defesa. c) depois de apresentada a resposta à acusação, o Juiz deverá absolver sumariamente o acusado, se verificadas as hipóteses previstas na lei. d) na instrução deverão ser inquiridas, no mínimo, oito testemunhas arroladas pela acusação e oito pela defesa. e) tem por objeto crime cuja sanção máxima cominada for igual ou superior a dois anos de pena privativa de liberdade.
  • 17. 16 Questões FCC– Promotor de Justiça 2012 O jurado, no Tribunal do Juri, e o advogado contratado pelo ente público, para sua defesa em juízo, são respectivamente: a) Agente honorífico e agente credenciado b) Agente credenciado e agente delegado c) Agente delegado e agente credenciado d) Agente político e agente delegado e) Agente administrativo e agente credenciado
  • 18. 17 Questões FCC– Promotor de Justiça 2012 No tocante ao procedimento do Júri, é correto afirmar que a) o pedido de desaforamento do julgamento pelo Tribunal do Júri é cabível quando houver dúvida sobre a segurança pessoal do defensor do acusado. b) não se convencendo da materialidade do fato ou da existência de indícios suficientes de autoria ou de participação, o juiz, fundamentadamente, absolverá sumariamente o acusado. c) a intimação da decisão de pronúncia será feita pessoalmente ao acusado, ao defensor constituído e ao Ministério Público. d) contra a decisão de impronúncia caberá apelação. e) na audiência de instrução, as alegações serão orais, concedendose a palavra, respectivamente, à acusação e à defesa, pelo prazo de 30 (trinta) minutos, prorrogáveis por mais 10 (dez).
  • 19. 18 Questões FGV– OAB 2010 João da Silva foi denunciado por homicídio qualificado por motivo fútil. Nos debates orais ocorridos na primeira fase do procedimento de júri, a Defesa alegou que João agira em estrito cumprimento de dever legal, postulando sua absolvição sumária. Ao proferir sua decisão, o juiz rejeitou a tese de estrito cumprimento de dever legal e o pedido de absolvição sumária, e pronunciou João por homicídio simples, afastando a qualificadora contida na denúncia. A decisão de pronúncia foi confirrmada pelo Tribunal de Justiça, operando-se a preclusão. Considerando tal narrativa, assinale a afirrmativa correta. a) Nos debates orais perante os jurados, o promotor de jusiça não poderá sustentar a qualificadora de motivo fútil, mas a defesa poderá alegar a tese de estrito cumprimento de dever legal. b) Nos debates orais perante os jurados, o promotor de justiça poderá sustentar a qualificadora de motivo fútil e a defesa poderá alegar a tese de estrito cumprimento de dever legal. c) Nos debates orais perante os jurados, o promotor de justiça não poderá sustentar a qualificadora de motivo fútil e a defesa não poderá alegar a tese de estrito cumprimento de dever legal. d) Nos debates orais perante os jurados, o promotor de justiça poderá sustentar a qualificadora de motivo fútil, mas a defesa não poderá alegar a tese de estrito cumprimento de dever legal.
  • 20. 19 Questões FCC– MP Analista 2013 No que se refere a procedimento no Tribunal do Júri, é INCORRETO afirmar: a) Poderão ser jurados os cidadãos maiores de 18 anos. b) Estão isentos do serviço do júri aqueles que o requererem, demonstrando justo impedimento. c) Contra a sentença de impronúncia caberá apelação. d) O juiz, fundamentadamente, impronunciará desde logo o acusado quando provado não ser ele o autor ou partícipe do fato. e) O jurado que tiver integrado o Conselho de Sentença nos 12 (doze) meses que antecederam à publicação da lista geral fica dela excluído.
  • 21. 20 Questões CESPE – Promotor de Justiça 2013 Acerca do desaforamento e de outras regras relativas ao procedimento do tribunal do júri, assinale a opção correta. a) É nula a decisão que determina o desaforamento de processo de competência do júri sem audiência da defesa. b) Se o julgamento não puder ser realizado no prazo de seis meses, contado do trânsito em julgado da decisão de pronúncia, o desaforamento será obrigatório c) A recusa imotivada ou peremptória de jurados, quando houver dois ou mais réus em julgamento, deverá ser feita pelos defensores de cada um dos réus, estando limitado, de qualquer modo, ao máximo de três o número de jurados por acusado. d) De acordo com as regras processuais em vigor, não se exige o adiamento da sessão de julgamento do tribunal do júri na hipótese de não comparecimento do número mínimo de quinze jurados. e) Em regra, o julgamento pelo plenário do júri não será adiado se a testemunha não comparecer, exceção feita à testemunha indicada como imprescindível, ainda que a parte não tenha requerido sua intimação por mandado.
  • 22. 21 Questões FCC - Analista Judiciário 2012 No Juizado Especial Criminal, a) a intimação de pessoa jurídica poderá ser feita mediante entrega de correspondência ao encarregado da recepção, que será obrigatoriamente identificado. b) a competência será determinada pelo domicílio ou residência do réu. c) não encontrado o acusado para citação pessoal, não se desloca a competência para o juízo comum. d) os atos processuais são públicos e podem realizar- se em qualquer dia da semana, no horário diurno. e) a declaração de nulidade do ato independe da comprovação de prejuízo.
  • 23. 22 Questões FCC – Juiz 2009 Em relação ao Juizado Especial Criminal, é INCORRETO afirmar que a) a prática de atos processuais em outras comarcas poderá ser solicitada por qualquer meio hábil de comunicação. b) sua competência será determinada pelo lugar em que foi praticada a infração penal. c) o processo orientar-se-á pelos critérios da oralidade, informalidade, economia processual e celeridade, objetivando, sempre que possível, a reparação dos danos sofridos pela vítima e a aplicação de pena não privativa de liberdade. d) não se pronunciará qualquer nulidade sem que tenha havido prejuízo. e) os atos processuais serão públicos e realizados sempre em horário diurno, até às 18:00 horas, por se tratar de processos de natureza criminal.
  • 24. 23 Questões FCC – Analista Judiciário 2011 Segundo a Lei Maria da Penha, configura-se violência doméstica e familiar contra a mulher, qualquer ação ou omissão que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico, dano moral ou patrimonial. Uma das medidas que o juiz poderá determinar para proteger os bens patrimoniais da sociedade conjugal ou de propriedade particular da mulher é a) restituição à ofendida dos bens devidamente subtraídos pelo agressor. b) proibição por tempo indeterminado para a celebração de atos e contratos de compra, venda e locação de propriedade em comum. c) suspensão das procurações conferidas pela ofendida ao agressor. d) prestação de caução provisória, mediante depósito em conta corrente por perdas e danos materiais decorrentes da prática de violência contra a ofendida. e) determinação da permanência da ofendida no lar, sem prejuízo dos direitos relativos a bens, guarda dos filhos e alimento.
  • 25. 24 Questões FCC – Assessor Jurídico 2010 Considere: Ação ou omissão contra a mulher baseada no gênero que lhe cause morte, lesão corporal, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial, I. no âmbito da unidade doméstica, compreendida como o espaço de convívio permanente de pessoas com vínculo familiar. II. no âmbito da unidade doméstica, compreendida como o espaço de convívio público sem vínculo familiar, inclusive as esporadicamente agregadas. III. em qualquer relação íntima de afeto, ainda que o agressor não conviva ou não tenha convivido, nem coabitado com a ofendida. IV. no âmbito da família, compreendida como a comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa. Configura violência doméstica e familiar contra a mulher, para os fins da Lei nº 11.340/2006 (Lei Maria da Penha), as situações indicadas APENAS em:
  • 26. 25 Questões FCC – Ag. Fiscal de Rendas 2009 O particular que, em concurso com funcionário público e em razão da função por este exercida, exige vantagem indevida para ambos, embora não cheguem a recebê-la, pratica o crime de a) tentativa de concussão. b) corrupção passiva consumada. c) concussão consumada. d) tentativa de corrupção passiva. e) corrupção ativa consumada.