SlideShare uma empresa Scribd logo
CONTEXTUALIZAÇÃO

APRESENTAÇÃO

O Atelier de culinária “Doces e Salgados” do Agrupamento de Escolas de
Cuba, oportuniza o conhecimento e o desenvolvimento de práticas e
habilidades culinárias por meio da escolha e aprendizagem de receitas, bem
como a confeção das mesmas pelos alunos.


OBJETIVAÇÃO

Desenvolver nos alunos valores de cidadania, e de sociabilização, referindo-se
à aquisição de skills imprescindíveis ao desempenho produtivo no campo da
sociedade onde a aferição de resultados na conduta resolutiva esteja presente.
Favorecer diferentes alternativas de aprendizagem, aptidões que irão
desenvolver:
Costumes e valores de responsabilidade, cumprimentos de regras e normas,
assim como da produtividade;
Respeitar a dinâmica dos companheiros de grupo, suas limitações e desafios a
vencer, cooperando para a ampliação da relação inter e intrapessoal;
Promover estratégias de trabalho que promovam os intercâmbios sinérgicos na
escola.
Construir conhecimentos fundamentais de higiene e limpeza pessoal, do local
de trabalho, dando ênfase à importância destes conhecimentos para sua
inserção no mundo do trabalho.
Avaliar a própria atuação e a evolução do grupo, através de uma ficha de
observação e avaliação previamente elaborada e definida pelo departamento
do SEA.


DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES


O trabalho desenvolvido no “Atelier de Culinária” favorece a produção de
pequenas ementas e a realização prática das mesmas, em interação, com
outros técnicos membros de SEA.
Para isso o trabalho organiza-se assim:
- Folha de anotação dos materiais e produtividade do dia.
-Ficha de desempenho, onde o professor menciona as capacidades adquiridas.

Ricardo Rodrigues                                                      Página 1
CONTEXTUALIZAÇÃO

- Reunião trimestral para avaliação dos alunos entre o professor e a
coordenadora do SEA da escola, para acompanhamento do processo das
atividades do Atelier de Culinária.
- Produção de uma pasta informática de imagens e receitas já praticadas.
- Periodicamente os alunos produzem, no Atelier de Culinária, um prato
regional para consumo na Escola.
- As receitas produzidas são vendidas na comunidade escolar, através de
preços generosos.


PROPOSITOS ALCANÇÁVEIS:


Para os alunos portadores de deficiência é necessário que eles trabalhem, em
toda a sua plenitude com o conceito de pluri-temporalidade, desenvolvendo
competências e habilidades individuais que lhe garantam autonomia de
movimentos e meios de se garantirem socialmente, que se dará como um
processo de Educação continuada que se entende ao longo de toda vida do
trabalhador cidadão.
Aprender fazendo” produz a manutenção do que se estuda. Quando se estuda
com os conhecimentos do mundo, dificilmente se esquece o que se aprende é
o que se pratica, quando se depara uma mesma situação.
“Enfoque Amigo”, cujo princípio supõe que os amigos sejam apoios
importantes, porque eles são fontes de garantia social.


AVALIAÇÃO FUNCIONAL

         É uma metodologia de avaliação qualitativa e contínua, através da
observação informal e natural do educando especial em todas as situações de
vida e atividades habituais. Tem por objetivo obter dados sobre o
funcionamento do aluno, compreender todas as possibilidades globais e
verificar as necessidades específicas e dificuldades que intervém no processo
de desenvolvimento e aprendizagem. (SACRISTÁN, 1998).
         Chama-se funcional porque não avalia apenas o educando, mas
procura entender o que pode ser útil e funcional para melhorar o desempenho
global, o acesso ao conhecimento, garantindo assim, a melhoria e qualidade de
vida do educando e seus familiares.


Ricardo Rodrigues                                                     Página 2
CONTEXTUALIZAÇÃO

         Trata-se de um diagnóstico pedagógico com fim formativo, que de
acordo com Sacristán (1998), serve à tomada de consciência e auxilia a refletir
sobre o processo de intervenção, no planeamento de atividades e compreender
como o educando está avançando; permite ainda inserir alternativas, correções
ou reforçar certos aspectos.
         Ainda, segundo o mesmo autor, a avaliação funcional pode ser
desempenhada por meio de entrevistas, protocolos de observações, testes e
fichas de registos. O foco de atenção não é apenas o educando, mas, toda a
família.
       A participação ativa da família é essencial porque colabora com
informações sobre as necessidades do educando, seus interesses, como vê, o
que lhe é difícil; como interage, comunica-se com outros educandos. Nesse
processo, a família tem a possibilidade de especificar as suas dúvidas,
ansiedades e frustrações, como também de compartilhar como mediador no
processo educacional do educando. (SACRISTÁN 1998).
       Por esse caminho, a Avaliação Funcional, realizada pelo professor
especializado, não deve ver apenas a deficiência, a condição física; mas,
procura conhecer integralmente o educando – compreender todas as
possibilidades, o desenvolvimento global, os interesses, as relações
interpessoais, as dificuldades, as necessidades do educando; bem como os
desejos e expectativas do educando e de sua família.




Ricardo Rodrigues                                                     Página 3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Ulisses Vakirtzis
 
Gestão administrativa da escola publica
Gestão administrativa da escola publicaGestão administrativa da escola publica
Gestão administrativa da escola publica
vilemarm
 
A gestão participativa
A gestão participativaA gestão participativa
A gestão participativa
Blog Amiga da Pedagogia By Nathália
 
Slides gestão escolar
Slides gestão escolarSlides gestão escolar
Slides gestão escolar
Ricardo Jorge Araújo Sousa Peres
 
Como gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escolaComo gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escola
Ulisses Vakirtzis
 
Aula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão EscolarAula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão Escolar
Professora Florio
 
04 o papel do coordenador e supervisor
04  o papel do coordenador e supervisor04  o papel do coordenador e supervisor
04 o papel do coordenador e supervisor
Joao Balbi
 
Dimensao participativa-da-gestao-escolar
Dimensao participativa-da-gestao-escolarDimensao participativa-da-gestao-escolar
Dimensao participativa-da-gestao-escolar
Alexandra Balbino de Souza
 
Aula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacionalAula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacional
Fernando Palácios
 
11.Relações entre o administrativo e o pedagógico na prática do gestor escola...
11.Relações entre o administrativo e o pedagógico na prática do gestor escola...11.Relações entre o administrativo e o pedagógico na prática do gestor escola...
11.Relações entre o administrativo e o pedagógico na prática do gestor escola...
Paulo Lima
 
Cap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democraticaCap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democratica
Marjorie Klich Nunes
 
O papel do diretor
O  papel do diretorO  papel do diretor
O papel do diretor
biwal
 
Avaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho DocenteAvaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho Docente
Alan Ciriaco
 
Gestão participativa no contexto escolar
Gestão participativa no contexto escolarGestão participativa no contexto escolar
Gestão participativa no contexto escolar
gcordeiro42
 
Ppt i encontro_25_02_2014
Ppt i encontro_25_02_2014Ppt i encontro_25_02_2014
Ppt i encontro_25_02_2014
Andreia Carla Lobo
 
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagemEducação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Maria João Silva
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
Ulisses Vakirtzis
 
Gestão escolar
Gestão escolarGestão escolar
Gestão Democrática
Gestão DemocráticaGestão Democrática
Gestão Democrática
Jardeane Fontenele
 

Mais procurados (19)

Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
 
Gestão administrativa da escola publica
Gestão administrativa da escola publicaGestão administrativa da escola publica
Gestão administrativa da escola publica
 
A gestão participativa
A gestão participativaA gestão participativa
A gestão participativa
 
Slides gestão escolar
Slides gestão escolarSlides gestão escolar
Slides gestão escolar
 
Como gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escolaComo gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escola
 
Aula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão EscolarAula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão Escolar
 
04 o papel do coordenador e supervisor
04  o papel do coordenador e supervisor04  o papel do coordenador e supervisor
04 o papel do coordenador e supervisor
 
Dimensao participativa-da-gestao-escolar
Dimensao participativa-da-gestao-escolarDimensao participativa-da-gestao-escolar
Dimensao participativa-da-gestao-escolar
 
Aula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacionalAula 2 gestão educacional
Aula 2 gestão educacional
 
11.Relações entre o administrativo e o pedagógico na prática do gestor escola...
11.Relações entre o administrativo e o pedagógico na prática do gestor escola...11.Relações entre o administrativo e o pedagógico na prática do gestor escola...
11.Relações entre o administrativo e o pedagógico na prática do gestor escola...
 
Cap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democraticaCap 3 gestao_democratica
Cap 3 gestao_democratica
 
O papel do diretor
O  papel do diretorO  papel do diretor
O papel do diretor
 
Avaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho DocenteAvaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho Docente
 
Gestão participativa no contexto escolar
Gestão participativa no contexto escolarGestão participativa no contexto escolar
Gestão participativa no contexto escolar
 
Ppt i encontro_25_02_2014
Ppt i encontro_25_02_2014Ppt i encontro_25_02_2014
Ppt i encontro_25_02_2014
 
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagemEducação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
Educação pré escolar avaliação das crianças e as metas de aprendizagem
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
 
Gestão escolar
Gestão escolarGestão escolar
Gestão escolar
 
Gestão Democrática
Gestão DemocráticaGestão Democrática
Gestão Democrática
 

Destaque

Aromaticas pesquisa orientada
Aromaticas pesquisa orientadaAromaticas pesquisa orientada
Aromaticas pesquisa orientada
rrodrigues57
 
O estudo dos solos
O estudo dos solosO estudo dos solos
O estudo dos solos
rrodrigues57
 
6 morfologia vegetal_hormonas
6 morfologia vegetal_hormonas6 morfologia vegetal_hormonas
6 morfologia vegetal_hormonas
rrodrigues57
 
4 morfologia vegetal_flores
4 morfologia vegetal_flores4 morfologia vegetal_flores
4 morfologia vegetal_flores
rrodrigues57
 
1 morfologia vegetal_raiz
1 morfologia vegetal_raiz1 morfologia vegetal_raiz
1 morfologia vegetal_raiz
rrodrigues57
 
Pãezinhos
PãezinhosPãezinhos
Pãezinhos
rrodrigues57
 
2 morfologia vegetal_caule
2 morfologia vegetal_caule2 morfologia vegetal_caule
2 morfologia vegetal_caule
rrodrigues57
 
Grelha de avaliação
Grelha de avaliaçãoGrelha de avaliação
Grelha de avaliação
rrodrigues57
 
Reflexão
ReflexãoReflexão
Reflexão
rrodrigues57
 
5 morfologia vegetal_sementes
5 morfologia vegetal_sementes5 morfologia vegetal_sementes
5 morfologia vegetal_sementes
rrodrigues57
 
3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas
rrodrigues57
 
3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas
rrodrigues57
 
Planificações 1º período áreas curriculares
Planificações 1º período áreas curricularesPlanificações 1º período áreas curriculares
Planificações 1º período áreas curriculares
Rogério Vara
 
Grelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competênciasGrelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competências
joaomengo
 
Doc9 dsea relatório final 12 13
Doc9 dsea relatório final 12 13Doc9 dsea relatório final 12 13
Doc9 dsea relatório final 12 13
mfcpestana
 
Grelha de avaliação
Grelha de avaliaçãoGrelha de avaliação
Grelha de avaliação
rrodrigues57
 
Pei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexiaPei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexia
Leo Silva
 

Destaque (17)

Aromaticas pesquisa orientada
Aromaticas pesquisa orientadaAromaticas pesquisa orientada
Aromaticas pesquisa orientada
 
O estudo dos solos
O estudo dos solosO estudo dos solos
O estudo dos solos
 
6 morfologia vegetal_hormonas
6 morfologia vegetal_hormonas6 morfologia vegetal_hormonas
6 morfologia vegetal_hormonas
 
4 morfologia vegetal_flores
4 morfologia vegetal_flores4 morfologia vegetal_flores
4 morfologia vegetal_flores
 
1 morfologia vegetal_raiz
1 morfologia vegetal_raiz1 morfologia vegetal_raiz
1 morfologia vegetal_raiz
 
Pãezinhos
PãezinhosPãezinhos
Pãezinhos
 
2 morfologia vegetal_caule
2 morfologia vegetal_caule2 morfologia vegetal_caule
2 morfologia vegetal_caule
 
Grelha de avaliação
Grelha de avaliaçãoGrelha de avaliação
Grelha de avaliação
 
Reflexão
ReflexãoReflexão
Reflexão
 
5 morfologia vegetal_sementes
5 morfologia vegetal_sementes5 morfologia vegetal_sementes
5 morfologia vegetal_sementes
 
3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas
 
3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas3 morfologia vegetal_folhas
3 morfologia vegetal_folhas
 
Planificações 1º período áreas curriculares
Planificações 1º período áreas curricularesPlanificações 1º período áreas curriculares
Planificações 1º período áreas curriculares
 
Grelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competênciasGrelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competências
 
Doc9 dsea relatório final 12 13
Doc9 dsea relatório final 12 13Doc9 dsea relatório final 12 13
Doc9 dsea relatório final 12 13
 
Grelha de avaliação
Grelha de avaliaçãoGrelha de avaliação
Grelha de avaliação
 
Pei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexiaPei, exemplo dislexia
Pei, exemplo dislexia
 

Semelhante a Reflexão

Sala ppp
Sala pppSala ppp
Sala ppp
ryldonjohnson
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
aninhaw2
 
Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011
dencia999
 
PCN
PCNPCN
apostila projeto de vida 2 ano ensino médio
apostila projeto de vida 2 ano ensino médioapostila projeto de vida 2 ano ensino médio
apostila projeto de vida 2 ano ensino médio
rosenilrucks
 
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
Eduardo Lopes
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
lucavao2010
 
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativoRelatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Alessandra Alves
 
21 pdca
21 pdca21 pdca
O papel da equipe multidisciplinar na inclusão de alunos com NEEs
O papel da equipe multidisciplinar na inclusão de alunos com NEEsO papel da equipe multidisciplinar na inclusão de alunos com NEEs
O papel da equipe multidisciplinar na inclusão de alunos com NEEs
Rosemeire Fernanda
 
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
Centro Neurológico de Teresópolis
 
Luciane
LucianeLuciane
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docxPrograma GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Glauber Eduardo Aragon Pereira
 
Plano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseliPlano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseli
Daniela F Almenara
 
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdfAVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
LucianeTomzRodrigues
 
Aprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliaçãoAprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliação
Iza Pache
 
Aprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliaçãoAprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliação
Iza Pache
 
PPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. AdolfoPPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. Adolfo
heder oliveira silva
 
20 pea-2013-2016
20 pea-2013-201620 pea-2013-2016
20 pea-2013-2016
Maria José Oliveira
 
Aprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliaçãoAprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliação
Sandra Regina Silva Ferreira
 

Semelhante a Reflexão (20)

Sala ppp
Sala pppSala ppp
Sala ppp
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
 
Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011Plano coordenção 2011
Plano coordenção 2011
 
PCN
PCNPCN
PCN
 
apostila projeto de vida 2 ano ensino médio
apostila projeto de vida 2 ano ensino médioapostila projeto de vida 2 ano ensino médio
apostila projeto de vida 2 ano ensino médio
 
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
74376105 dicas-para-coordenacao-pedagogica-julia-rocha-enviar-para-os-grupos-...
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
 
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativoRelatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
 
21 pdca
21 pdca21 pdca
21 pdca
 
O papel da equipe multidisciplinar na inclusão de alunos com NEEs
O papel da equipe multidisciplinar na inclusão de alunos com NEEsO papel da equipe multidisciplinar na inclusão de alunos com NEEs
O papel da equipe multidisciplinar na inclusão de alunos com NEEs
 
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
 
Luciane
LucianeLuciane
Luciane
 
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docxPrograma GLAUBER 2023 17-04 B.docx
Programa GLAUBER 2023 17-04 B.docx
 
Plano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseliPlano de ação nilda auseli
Plano de ação nilda auseli
 
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdfAVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
AVALIAÇÃO-ESCOLAR-E-CONCEPÇÕES-PEDAGÓGICAS-DE-ENSINO.pdf
 
Aprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliaçãoAprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliação
 
Aprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliaçãoAprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliação
 
PPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. AdolfoPPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. Adolfo
 
20 pea-2013-2016
20 pea-2013-201620 pea-2013-2016
20 pea-2013-2016
 
Aprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliaçãoAprendizagem, autoria e avaliação
Aprendizagem, autoria e avaliação
 

Reflexão

  • 1. CONTEXTUALIZAÇÃO APRESENTAÇÃO O Atelier de culinária “Doces e Salgados” do Agrupamento de Escolas de Cuba, oportuniza o conhecimento e o desenvolvimento de práticas e habilidades culinárias por meio da escolha e aprendizagem de receitas, bem como a confeção das mesmas pelos alunos. OBJETIVAÇÃO Desenvolver nos alunos valores de cidadania, e de sociabilização, referindo-se à aquisição de skills imprescindíveis ao desempenho produtivo no campo da sociedade onde a aferição de resultados na conduta resolutiva esteja presente. Favorecer diferentes alternativas de aprendizagem, aptidões que irão desenvolver: Costumes e valores de responsabilidade, cumprimentos de regras e normas, assim como da produtividade; Respeitar a dinâmica dos companheiros de grupo, suas limitações e desafios a vencer, cooperando para a ampliação da relação inter e intrapessoal; Promover estratégias de trabalho que promovam os intercâmbios sinérgicos na escola. Construir conhecimentos fundamentais de higiene e limpeza pessoal, do local de trabalho, dando ênfase à importância destes conhecimentos para sua inserção no mundo do trabalho. Avaliar a própria atuação e a evolução do grupo, através de uma ficha de observação e avaliação previamente elaborada e definida pelo departamento do SEA. DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES O trabalho desenvolvido no “Atelier de Culinária” favorece a produção de pequenas ementas e a realização prática das mesmas, em interação, com outros técnicos membros de SEA. Para isso o trabalho organiza-se assim: - Folha de anotação dos materiais e produtividade do dia. -Ficha de desempenho, onde o professor menciona as capacidades adquiridas. Ricardo Rodrigues Página 1
  • 2. CONTEXTUALIZAÇÃO - Reunião trimestral para avaliação dos alunos entre o professor e a coordenadora do SEA da escola, para acompanhamento do processo das atividades do Atelier de Culinária. - Produção de uma pasta informática de imagens e receitas já praticadas. - Periodicamente os alunos produzem, no Atelier de Culinária, um prato regional para consumo na Escola. - As receitas produzidas são vendidas na comunidade escolar, através de preços generosos. PROPOSITOS ALCANÇÁVEIS: Para os alunos portadores de deficiência é necessário que eles trabalhem, em toda a sua plenitude com o conceito de pluri-temporalidade, desenvolvendo competências e habilidades individuais que lhe garantam autonomia de movimentos e meios de se garantirem socialmente, que se dará como um processo de Educação continuada que se entende ao longo de toda vida do trabalhador cidadão. Aprender fazendo” produz a manutenção do que se estuda. Quando se estuda com os conhecimentos do mundo, dificilmente se esquece o que se aprende é o que se pratica, quando se depara uma mesma situação. “Enfoque Amigo”, cujo princípio supõe que os amigos sejam apoios importantes, porque eles são fontes de garantia social. AVALIAÇÃO FUNCIONAL É uma metodologia de avaliação qualitativa e contínua, através da observação informal e natural do educando especial em todas as situações de vida e atividades habituais. Tem por objetivo obter dados sobre o funcionamento do aluno, compreender todas as possibilidades globais e verificar as necessidades específicas e dificuldades que intervém no processo de desenvolvimento e aprendizagem. (SACRISTÁN, 1998). Chama-se funcional porque não avalia apenas o educando, mas procura entender o que pode ser útil e funcional para melhorar o desempenho global, o acesso ao conhecimento, garantindo assim, a melhoria e qualidade de vida do educando e seus familiares. Ricardo Rodrigues Página 2
  • 3. CONTEXTUALIZAÇÃO Trata-se de um diagnóstico pedagógico com fim formativo, que de acordo com Sacristán (1998), serve à tomada de consciência e auxilia a refletir sobre o processo de intervenção, no planeamento de atividades e compreender como o educando está avançando; permite ainda inserir alternativas, correções ou reforçar certos aspectos. Ainda, segundo o mesmo autor, a avaliação funcional pode ser desempenhada por meio de entrevistas, protocolos de observações, testes e fichas de registos. O foco de atenção não é apenas o educando, mas, toda a família. A participação ativa da família é essencial porque colabora com informações sobre as necessidades do educando, seus interesses, como vê, o que lhe é difícil; como interage, comunica-se com outros educandos. Nesse processo, a família tem a possibilidade de especificar as suas dúvidas, ansiedades e frustrações, como também de compartilhar como mediador no processo educacional do educando. (SACRISTÁN 1998). Por esse caminho, a Avaliação Funcional, realizada pelo professor especializado, não deve ver apenas a deficiência, a condição física; mas, procura conhecer integralmente o educando – compreender todas as possibilidades, o desenvolvimento global, os interesses, as relações interpessoais, as dificuldades, as necessidades do educando; bem como os desejos e expectativas do educando e de sua família. Ricardo Rodrigues Página 3