SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
PREFEITURA
DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
SUBSECRETARIA DE ENSINO
COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO

LÍNGUA PORTUGUESA
PROVA 2º BIMESTRE
7º ANO
Texto I
Pã, uma divindade rural
De acordo com a mitologia greco-romana, Pã ou Pan é o deus dos
bosques e dos campos, dos rebanhos e dos pastores. Morava em grutas, vagava
pelas montanhas e pelos vales e divertia-se caçando ou dirigindo as danças das
ninfas (divindades dos rios, dos bosques, das florestas e dos campos). Amante
da música, inventou a avena, uma flauta, que tocava exemplarmente.
Pã era temido por todos aqueles que tinham que atravessar as matas
durante a noite, pois as trevas e a solidão desses lugares predispunham as
pessoas a medos e superstições.
Por isso, os pavores desprovidos de causas aparentes eram atribuídos a Pã e
chamados de pânico.
Fonte: Thomas Bulfinch. O livro de ouro da mitologia.Rio de Janeiro: Ouro, 1967

QUESTÃO 1
Em “(...) e a solidão desses lugares (...)”, a expressão em destaque” refere-se
(A) às montanhas.
(B) aos vales.
(C) aos bosques.
(D) às matas.
Texto II
Todo acontecimento da cidade, da casa do vizinho, meu avô escrevia nas
paredes. Quem casou, morreu, fugiu, caiu, matou, traiu, comprou, juntou, chegou,
partiu. Coisas simples como a agulha perdida no buraco do assoalho, ele escrevia. A
história do açúcar sumido durante a guerra estava anotada. Eu não sabia por que os
soldados tinham tanta coisa a adoçar.[...]. E a casa de corredor comprido, ia ficando
bordada, estampada de cima a baixo. As paredes eram o caderno do meu avô.
Cada quarto, cada sala, cada cômodo, uma página (...). Conversa mais indecente
ele escrevia bem no alto. Era preciso ser grande para ler, ou aproveitar quando não
tinha ninguém em casa.(...).
Enquanto ele escrevia, eu inventava histórias sobre cada pedaço da parede.
A casa do meu avô foi o meu primeiro livro. (...) Apreciava meu avô e sua maneira
de não deixar as palavras se perderem.
Trecho extraído de Bartolomeu Campos Queirós. Por parte de pai. Belo Horizonte: RHJ, 1995.

QUESTÃO 2
O trecho em que o autor deixa clara a admiração que tinha pelo avô é
(A) “Todo acontecimento da cidade, da casa do vizinho, meu avô escrevia nas
paredes”.
(B) “A história do açúcar sumido durante a guerra estava anotada.”
(C) “A casa do meu avô foi meu primeiro livro”.
(D) “Apreciava meu avô e sua maneira de não deixar as palavras se perderem”.

QUESTÃO 3
O uso da palavra “Enquanto”, no 2° parágrafo, estabelece a seguinte relação com o
1° parágrafo:
(A) Simultaneidade entre as ações do avô e os pensamentos do menino.
(B) Comparação entre os pensamentos do avô e os do menino.
(C) Atemporalidade nas ações e pensamentos dos personagens.
(D) Contradição nos aspectos específicos entre avô e neto.
Texto III
LIBERDADE
É não depender de droga nenhuma pra viver.
Você sabia que os remédios sem indicação médica, a cola de sapateiro, o
álcool e o cigarro são as drogas mais consumidas no Brasil? São as mais comuns e,
por isso mesmo, muito traiçoeiras. Porque o pior de toda droga nem é o risco de
morte, é a certeza de uma vida de dependência. Quem ainda acredita que as drogas
libertam, é candidato a escravo. Porque a outra palavra para liberdade é
independência.
Campanha publicitária do Ministério da Saúde – Brasil: Governo Federal

A GENTE AJUDA VOCÊ A SAIR DESSA. LIGUE: TELESUS – DDG (061) 800.0778

QUESTÃO 4
A finalidade do texto é
(A) alertar as pessoas para o uso indevido de remédios.
(B) chamar a atenção para os malefícios da dependência química.
(C) informar sobre todos os tipos de drogas existentes.
(D) buscar soluções para os usuários das drogas mais consumidas.
Texto IV

Neologismo
Beijo pouco, falo menos ainda.
Mas invento palavras
que traduzem a ternura mais funda
E mais cotidiana.
Inventei, por exemplo, o verbo teadorar.
Intransitivo
Teadoro, Teodora.
http://www.casadobruxo.com.br/poesia/m/neo.htm

QUESTÃO 5
O sentido da palavra do título - Neologismo - está ratificado no seguinte verso:
(A) “Beijo pouco, falo menos ainda”.
(B) “Mas invento palavras”.
(C) “É mais cotidiana”.
(D) “Intransitivo”.
Texto V
Sai o primeiro condomínio com energia eólica
O primeiro empreendimento imobiliário com produção de energia eólica no
Brasil é residencial e será lançado este mês, em Florianópolis. O projeto, batizado
de Neo, prevê a instalação de duas turbinas de vento, uma em cada torre. Elas farão
o aquecimento de toda a água que será consumida pelos 24 apartamentos do
condomínio, cuja entrega está prevista para março de 2012.
[...]
“A tecnologia será capaz de produzir 100% da energia que será usada no
condomínio, que não utilizará nenhum tipo de combustível fóssil. Hoje, apenas o
aquecimento da água representa 50% do gasto com energia nas regiões Sul e
Sudeste”, diz Suchodolski. [...]
Ainda segundo Suchodolski, o empreendimento terá outros dispositivos
sustentáveis, como uma estação de tratamento de esgoto, com direito a uma
cisterna específica para água a ser reutilizada, destinada, por exemplo, à irrigação
das áreas verdes. Dessa forma, completa ele, o consumo será reduzido em 50%:
“Além disso, o condomínio usará madeira de reflorestamento certificada, tintas e
vernizes à base de água.”
http://www.zap.com.br/revista/imoveis/condominio

QUESTÃO 6
O condomínio a ser construído tem a finalidade de
(A) divulgar uma nova tecnologia.
(B) conter a expansão imobiliária na região.
(C) preservar o meio ambiente.
(D) diminuir o alto consumo de energia.
Texto VI

Texto VII

Ao namorado fanático

Além de linda, é do meu time

Você
sabe
que
sou
tão
apaixonada por você quanto você
é apaixonado pelo seu time. Mas
acho uma lástima gastar tanto
amor por um timinho como esse
seu. Ele já há muito tempo não te
dá nenhuma alegria.

Naquela tarde, quando a vi pela
primeira vez vestindo o uniforme do
meu time, integrada à nossa torcida
uniformizada, senti meu coração
bater descompassado.
http://1001cartasdeamor.terra.com.br/

http://1001cartasdeamor.terra.com.br/

QUESTÃO 7
A comparação entre os textos VI e VII nos permite afirmar que
(A) em VI, há a valorização do amor dos enamorados e do amor ao time preferido;
em VII, é exaltado o amor à torcida organizada.
(B) em VI, há a expressão sobre a facilidade dos enamorados torcerem pelo mesmo
time; em VII, é indicada a dificuldade de um relacionamento de namorados de
torcidas diferentes.
(C) em VI, há a abordagem da alegria daqueles que amam e torcem para mesmo
time; em VII, são apresentadas as frustrações oriundas da mesma torcida.
(D) em VI, há a revelação do sentimento negativo em relação ao time do amado; em
VII, é exaltada a coincidência entre amor e futebol.
Texto VIII
Bernardinho diz que derrota acontece, mas lembra que é preciso aprender
Técnico do Rio comenta irregularidade da equipe e parabeniza o Osasco

Nos cinco últimos anos, o técnico Bernardinho esteve no alto do pódio da
Superliga com a equipe do Rio de Janeiro. No entanto, neste domingo, em mais um
duelo com o Osasco, o treinador se viu um degrau abaixo.
– A derrota acontece, mas é preciso aprender com ela. Buscar saber o que
erramos para, da próxima vez, não pecarmos de novo - explicou o treinador.
Bernardinho comentou que o Rio de Janeiro foi muito irregular na partida.
Segundo ele, a equipe teve a chance do heptacampeonato, mas não soube
aproveitar. Antes de deixar o ginásio do Ibirapuera, o técnico fez questão de
ressaltar o esforço adversário.
– O Osasco está de parabéns. Sabíamos que não ia ser fácil, pois é sempre um
grande rival. Estão brigando por este título há anos.
http://globoesporte.globo.com/Esportes/Volei -19/04/2010

QUESTÃO 8
O trecho que apresenta um comentário do produtor do texto é
(A) “Nos cinco últimos anos, o técnico Bernardinho esteve no alto do pódio da
Superliga com a equipe do Rio de Janeiro”.
(B) “No entanto, neste domingo, em mais um duelo com o Osasco, o treinador se viu
um degrau abaixo.”
(C) “– A derrota acontece, mas é preciso aprender com ela.”
(D) “Antes de deixar o ginásio do Ibirapuera, o técnico fez questão de ressaltar o
esforço adversário”.

QUESTÃO 9
O trecho que revela a causa da derrota do Rio de Janeiro na Superliga Feminina é
(A) “ (...) Buscar saber o que erramos, (...) não pecarmos de novo.”
(B) “A derrota acontece, mas é preciso aprender com ela”.
(C) “ a equipe teve a chance (...), mas não soube aproveitar”.
(D) “(...) o técnico fez questão de ressaltar o esforço adversário”.
Texto IX
Qual É?
Marcelo D2

Eu tenho algo a dizer
Explicar prá você
Mas não garanto porém
Que engraçado
Eu serei dessa vez
Para os parceiros daqui
Para os parceiros de lá
Se você se porta
Como um homem, um homem...
Será?
Que você mantém a conduta
Será?
Que segue firme e forte na luta
Onde os caminhos da vida
Vão te levar
Se você aguenta ou não
O que será, será
Mas sem esse caô
De que tá ruim, não dá
Isso eu já ouvi, vi, venci
Deixa prá lá...
[...]
Então diz!
Essa onda que tu tira
Qual é?
Essa marra que tu tem
Qual é?
Tira onda com ninguém
Qual é?
Qual é neguinho?
Qual é?...
[...]

http://letras.terra.com.br/marcelo-d2/72679/http://letras.terra.com.br/marcelo-d2/72679/

QUESTÃO 10
O trecho da letra da música que exemplifica o uso da linguagem informal é
(A) “[...] Eu serei dessa vez”
(B) “[...]você mantém a conduta”
(C) “[...]Isso eu já ouvi, vi, venci”
(D) “[...]Tira onda com ninguém”
Texto X
Epitáfio
Sérgio Britto

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...
Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração...
[...]
Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...
[...]
http://letras.terra.com.br/titas/48968/

QUESTÃO 11
O tema central da letra da música é
(A) a eternização do amor como solução para os problemas da vida.
(B) o arrependimento por não ter podido aproveitar mais as coisas da vida.
(C) a preocupação por não saber o que fazer nas diversas situações de vida.
(D) o sentimento de morte que perpassa todas as simples situações da vida.
Texto XI
Conversa fiada
Era uma vez um homem muito velho que, por não ter muito o que fazer, ficava
pescando num lago.
Era uma vez um menino muito novo que também não tinha muito o que fazer e
ficava pescando no mesmo lago.
Um dia, os dois se encontraram, lado a lado, na pescaria, e no mesmo
momento, exatamente no mesmo instante, sentiram aquela puxadinha que indica
que o peixe mordeu a isca. [...] Quando apareceram os respectivos peixes, porém,
decepção: o peixe do menino era muito velho e o peixe do velho era muito novo!
O velho disse para o menino:
– Você não pode pescar esse peixe tão velho! Deixe que ele viva o pouco da
vida que lhe resta.
O menino respondeu:
– E o que você vai fazer com este peixe tão novo? Ele é tão pequeno... deixe
que ele viva mais um pouco!
O velho e o menino olharam um para o outro e, sem perder tempo, jogaram os
peixes no lago.
Ficaram amigos e agora, quando não têm muito o que fazer, vão até o lago,
cumprimentam os peixes e matam o tempo jogando conversa fora.
FRATE, Diléa. Histórias para Acordar. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 1996

QUESTÃO 12
O fato responsável pelo desenrolar da história é
(A) o encontro e a pescaria do menino com o velho no lago.
(B) o peixe do velho ser muito velho.
(C) o peixe do menino ser novo e pequeno.
(D) o retorno dos peixes ao lago.
Texto XII
Quino. Mafalda

QUESTÃO 13
A expressão da personagem feminina - Mafalda -, no primeiro quadrinho, reforça
(A) a gravidade da doença revelada no 4° quadrinho.
(B) a objetividade da resposta do personagem feminino no 2° quadrinho .
(C) as falas dos personagens no 3° quadrinho.
(D) a preocupação da pergunta do personagem masculino no 2° quadrinho.
Texto XIII
Orion
A primeira namorada, tão alta
que o beijo não alcançava,
o pescoço não alcançava,
nem mesmo a voz a alcançava.
Eram quilômetros de silêncio.
Luzia na janela do sobrado.
(Carlos Drummond de Andrade. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro:Aguilar, 1973.p392)

Glossário:
Orion – Constelação do equador celeste, reconhecida em todo o mundo, por incluir
estrelas brilhantes e visíveis de ambos os hemisférios da Terra.

QUESTÃO 14
Para enfatizar a ideia expressa no poema, reforçada no verso
“Eram quilômetros de silêncio”, o recurso utilizado foi
(A) a presença da vírgula no 2° verso, ratificando a negação.
(B) o isolamento do sexto verso, formando uma estrofe.
(C) a repetição da vírgula no 3° verso, separando as ações.
(D) a presença de uma estrofe, formada por cinco versos.

QUESTÃO 15
O uso da expressão “tão alta” no primeiro verso e o título do poema reforçam a ideia
de
(A) dedicação completa do eu poético à mulher amada.
(B) distanciamento total do eu poético da mulher amada.
(C) sofrimento do eu poético e da mulher amada.
(D) sensação forte de imaturidade da mulher amada.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º anoAtividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º anoMary Alvarenga
 
Simulado 7 (port. 5º ano)
Simulado 7 (port. 5º ano)Simulado 7 (port. 5º ano)
Simulado 7 (port. 5º ano)Cidinha Paulo
 
Simulado 22 (port. 5º ano)
Simulado 22 (port. 5º ano)Simulado 22 (port. 5º ano)
Simulado 22 (port. 5º ano)Cidinha Paulo
 
Primeiro Simulado da Prova Brasil 6 ano
Primeiro Simulado da Prova Brasil 6 anoPrimeiro Simulado da Prova Brasil 6 ano
Primeiro Simulado da Prova Brasil 6 anoSMEdeItabaianinha
 
Simulado de Matemática 5º ano
Simulado de Matemática 5º ano Simulado de Matemática 5º ano
Simulado de Matemática 5º ano Mary Alvarenga
 
Exercicios de crase
Exercicios de crase Exercicios de crase
Exercicios de crase Elaine Rabelo
 
Atividades com descritores matematica PROEB 5º ano
Atividades com descritores matematica PROEB 5º anoAtividades com descritores matematica PROEB 5º ano
Atividades com descritores matematica PROEB 5º anoSilvânia Silveira
 
Atividade de charge
Atividade de chargeAtividade de charge
Atividade de chargeNivea Neves
 
Simulado 26 av. externa (port. 5º ano)
Simulado 26   av. externa (port. 5º ano)Simulado 26   av. externa (port. 5º ano)
Simulado 26 av. externa (port. 5º ano)Cidinha Paulo
 
Simulado 11 (port. 5º ano)
Simulado 11 (port. 5º ano)Simulado 11 (port. 5º ano)
Simulado 11 (port. 5º ano)Cidinha Paulo
 
Prova com descritores do SPAECE 5º ano
Prova com descritores do SPAECE 5º anoProva com descritores do SPAECE 5º ano
Prova com descritores do SPAECE 5º anoProfessora Ivonilde
 

Mais procurados (20)

Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º anoAtividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
 
Simulado 7 (port. 5º ano)
Simulado 7 (port. 5º ano)Simulado 7 (port. 5º ano)
Simulado 7 (port. 5º ano)
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 1º BIMESTRE - 5º ANO
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 1º BIMESTRE - 5º ANOAVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 1º BIMESTRE - 5º ANO
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 1º BIMESTRE - 5º ANO
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESAAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
 
Simulado 22 (port. 5º ano)
Simulado 22 (port. 5º ano)Simulado 22 (port. 5º ano)
Simulado 22 (port. 5º ano)
 
Primeiro Simulado da Prova Brasil 6 ano
Primeiro Simulado da Prova Brasil 6 anoPrimeiro Simulado da Prova Brasil 6 ano
Primeiro Simulado da Prova Brasil 6 ano
 
Simulado de Matemática 5º ano
Simulado de Matemática 5º ano Simulado de Matemática 5º ano
Simulado de Matemática 5º ano
 
Interpretações variadas charges atuais
Interpretações variadas charges atuaisInterpretações variadas charges atuais
Interpretações variadas charges atuais
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO - 3º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO - 3º BIMESTREAVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO - 3º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO - 3º BIMESTRE
 
Exercicios de crase
Exercicios de crase Exercicios de crase
Exercicios de crase
 
D8 (5º ano mat.)
D8 (5º ano   mat.)D8 (5º ano   mat.)
D8 (5º ano mat.)
 
Avaliação de Matemática - 5º Ano - 1º Bimestre
Avaliação  de Matemática - 5º  Ano - 1º BimestreAvaliação  de Matemática - 5º  Ano - 1º Bimestre
Avaliação de Matemática - 5º Ano - 1º Bimestre
 
Atividades com descritores matematica PROEB 5º ano
Atividades com descritores matematica PROEB 5º anoAtividades com descritores matematica PROEB 5º ano
Atividades com descritores matematica PROEB 5º ano
 
Atividade de charge
Atividade de chargeAtividade de charge
Atividade de charge
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4...AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4...
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4...AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4...
 
Simulado 26 av. externa (port. 5º ano)
Simulado 26   av. externa (port. 5º ano)Simulado 26   av. externa (port. 5º ano)
Simulado 26 av. externa (port. 5º ano)
 
Simulado 11 (port. 5º ano)
Simulado 11 (port. 5º ano)Simulado 11 (port. 5º ano)
Simulado 11 (port. 5º ano)
 
Prova com descritores do SPAECE 5º ano
Prova com descritores do SPAECE 5º anoProva com descritores do SPAECE 5º ano
Prova com descritores do SPAECE 5º ano
 
03 - Sistema de Numeração Decimal
03 - Sistema de Numeração Decimal03 - Sistema de Numeração Decimal
03 - Sistema de Numeração Decimal
 

Destaque

Prova Português 7 ano II
Prova Português 7 ano IIProva Português 7 ano II
Prova Português 7 ano IIGeo Honório
 
1º estudo de interpretação de texto - 7º ano
1º estudo de interpretação de texto - 7º ano1º estudo de interpretação de texto - 7º ano
1º estudo de interpretação de texto - 7º anoLuiza Collet
 
Avaliação diagnóstica 6ª serie 7º ano i
Avaliação diagnóstica 6ª serie 7º ano iAvaliação diagnóstica 6ª serie 7º ano i
Avaliação diagnóstica 6ª serie 7º ano iSHEILA MONTEIRO
 
Avaliação de língua portuguesa 7º ano[1]
Avaliação de língua portuguesa 7º ano[1]Avaliação de língua portuguesa 7º ano[1]
Avaliação de língua portuguesa 7º ano[1]Maria Coelho
 
A bela adormecida um conto de fada do mundo atual
A bela adormecida   um conto de fada do mundo atualA bela adormecida   um conto de fada do mundo atual
A bela adormecida um conto de fada do mundo atualDennison Souza
 
Prova de português Colégio Militar de fortaleza 2012 6ºano
Prova de português Colégio Militar de fortaleza 2012  6ºanoProva de português Colégio Militar de fortaleza 2012  6ºano
Prova de português Colégio Militar de fortaleza 2012 6ºanoElias de Lima Neto
 
8┬║Leitura e Interpretação 8ºano
8┬║Leitura e Interpretação 8ºano8┬║Leitura e Interpretação 8ºano
8┬║Leitura e Interpretação 8ºanoEloisa Fonseca
 
Simulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e cSimulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e crenata ubeda
 
142686437 exercicios-sobre-flexao-dos-adjetivos
142686437 exercicios-sobre-flexao-dos-adjetivos142686437 exercicios-sobre-flexao-dos-adjetivos
142686437 exercicios-sobre-flexao-dos-adjetivosKênia Machado
 
Atividade epitafio momento 2
Atividade epitafio momento 2Atividade epitafio momento 2
Atividade epitafio momento 2Fabiola Oliveira
 

Destaque (20)

Prova Português 7 ano II
Prova Português 7 ano IIProva Português 7 ano II
Prova Português 7 ano II
 
1º estudo de interpretação de texto - 7º ano
1º estudo de interpretação de texto - 7º ano1º estudo de interpretação de texto - 7º ano
1º estudo de interpretação de texto - 7º ano
 
7º ano portugues
7º ano portugues7º ano portugues
7º ano portugues
 
Avaliação diagnóstica 6ª serie 7º ano i
Avaliação diagnóstica 6ª serie 7º ano iAvaliação diagnóstica 6ª serie 7º ano i
Avaliação diagnóstica 6ª serie 7º ano i
 
Avaliação de língua portuguesa 7º ano[1]
Avaliação de língua portuguesa 7º ano[1]Avaliação de língua portuguesa 7º ano[1]
Avaliação de língua portuguesa 7º ano[1]
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
A bela adormecida um conto de fada do mundo atual
A bela adormecida   um conto de fada do mundo atualA bela adormecida   um conto de fada do mundo atual
A bela adormecida um conto de fada do mundo atual
 
Entre a selvageria e a civilização.
Entre a selvageria e a civilização.Entre a selvageria e a civilização.
Entre a selvageria e a civilização.
 
Avaliação de portugues 7º ano magali
Avaliação de portugues 7º ano magaliAvaliação de portugues 7º ano magali
Avaliação de portugues 7º ano magali
 
Ciências - 8º ano
Ciências - 8º anoCiências - 8º ano
Ciências - 8º ano
 
Exercícios matemática
Exercícios   matemáticaExercícios   matemática
Exercícios matemática
 
Prova de português Colégio Militar de fortaleza 2012 6ºano
Prova de português Colégio Militar de fortaleza 2012  6ºanoProva de português Colégio Militar de fortaleza 2012  6ºano
Prova de português Colégio Militar de fortaleza 2012 6ºano
 
8┬║Leitura e Interpretação 8ºano
8┬║Leitura e Interpretação 8ºano8┬║Leitura e Interpretação 8ºano
8┬║Leitura e Interpretação 8ºano
 
Simulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e cSimulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e c
 
Revisão de História - 8º ano
Revisão de História -  8º anoRevisão de História -  8º ano
Revisão de História - 8º ano
 
Ciências - 7º ano
Ciências - 7º anoCiências - 7º ano
Ciências - 7º ano
 
Mensagem porque gritamos
Mensagem porque gritamosMensagem porque gritamos
Mensagem porque gritamos
 
Ciências - 9º ano
Ciências -  9º anoCiências -  9º ano
Ciências - 9º ano
 
142686437 exercicios-sobre-flexao-dos-adjetivos
142686437 exercicios-sobre-flexao-dos-adjetivos142686437 exercicios-sobre-flexao-dos-adjetivos
142686437 exercicios-sobre-flexao-dos-adjetivos
 
Atividade epitafio momento 2
Atividade epitafio momento 2Atividade epitafio momento 2
Atividade epitafio momento 2
 

Semelhante a Prova SME Português- 7º Ano

Prova da 6 série 2 simulado revisada a
Prova da 6 série 2 simulado revisada aProva da 6 série 2 simulado revisada a
Prova da 6 série 2 simulado revisada aWashington Rocha
 
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacaoGeija Fortunato
 
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.Antônio Fernandes
 
Avaliacao diagnostica lp 8 ef
Avaliacao diagnostica lp 8 efAvaliacao diagnostica lp 8 ef
Avaliacao diagnostica lp 8 efMarcia Oliveira
 
Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Lucas Ferreira
 
Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Lucas Ferreira
 
Exercicios word v1
Exercicios word v1Exercicios word v1
Exercicios word v1navegananet
 
Exercicios word v1
Exercicios word v1Exercicios word v1
Exercicios word v1navegananet
 
Avaliação diagnóstica 2014.1
Avaliação diagnóstica 2014.1Avaliação diagnóstica 2014.1
Avaliação diagnóstica 2014.1ananiasdoamaral
 
Modulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisadoModulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisadopibidbar
 
Caderno de questões do estudante fera metrosul 2017 intensivão atualizado 17.08
Caderno de questões do estudante fera metrosul 2017 intensivão atualizado 17.08Caderno de questões do estudante fera metrosul 2017 intensivão atualizado 17.08
Caderno de questões do estudante fera metrosul 2017 intensivão atualizado 17.08Mario Santana
 
ProfBimestral interpretação 8º ano
ProfBimestral interpretação 8º anoProfBimestral interpretação 8º ano
ProfBimestral interpretação 8º anoMarconildo Viegas
 

Semelhante a Prova SME Português- 7º Ano (20)

Prova da 6 série 2 simulado revisada a
Prova da 6 série 2 simulado revisada aProva da 6 série 2 simulado revisada a
Prova da 6 série 2 simulado revisada a
 
Provaportuguesmatrizreferencia2
Provaportuguesmatrizreferencia2Provaportuguesmatrizreferencia2
Provaportuguesmatrizreferencia2
 
Prova de lingua portuguesa 1 ano
Prova de  lingua portuguesa 1 anoProva de  lingua portuguesa 1 ano
Prova de lingua portuguesa 1 ano
 
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
 
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
 
SIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
SIMULADO SARESP - Língua PortuguesaSIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
SIMULADO SARESP - Língua Portuguesa
 
Avaliacao diagnostica lp 8 ef
Avaliacao diagnostica lp 8 efAvaliacao diagnostica lp 8 ef
Avaliacao diagnostica lp 8 ef
 
Prova lp 3º ano cii_completo
Prova lp 3º ano cii_completoProva lp 3º ano cii_completo
Prova lp 3º ano cii_completo
 
Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003
 
Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003
 
Exercicios word v1
Exercicios word v1Exercicios word v1
Exercicios word v1
 
Exercicios word v1
Exercicios word v1Exercicios word v1
Exercicios word v1
 
Avaliação diagnóstica 2014.1
Avaliação diagnóstica 2014.1Avaliação diagnóstica 2014.1
Avaliação diagnóstica 2014.1
 
Modulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisadoModulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisado
 
Avaliação da aprendizagem 7 anojv
Avaliação da aprendizagem 7 anojvAvaliação da aprendizagem 7 anojv
Avaliação da aprendizagem 7 anojv
 
Avaliação da aprendizagem 7 anocs
Avaliação da aprendizagem 7 anocsAvaliação da aprendizagem 7 anocs
Avaliação da aprendizagem 7 anocs
 
Simulado de língua portuguesa
Simulado de língua portuguesaSimulado de língua portuguesa
Simulado de língua portuguesa
 
Prova.matriz de referência de língua portuguesa
Prova.matriz de referência de língua portuguesaProva.matriz de referência de língua portuguesa
Prova.matriz de referência de língua portuguesa
 
Caderno de questões do estudante fera metrosul 2017 intensivão atualizado 17.08
Caderno de questões do estudante fera metrosul 2017 intensivão atualizado 17.08Caderno de questões do estudante fera metrosul 2017 intensivão atualizado 17.08
Caderno de questões do estudante fera metrosul 2017 intensivão atualizado 17.08
 
ProfBimestral interpretação 8º ano
ProfBimestral interpretação 8º anoProfBimestral interpretação 8º ano
ProfBimestral interpretação 8º ano
 

Mais de Patrícia Costa Grigório

Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º BimestrePatrícia Costa Grigório
 
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º BimestrePatrícia Costa Grigório
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º BimestrePatrícia Costa Grigório
 

Mais de Patrícia Costa Grigório (20)

O iiLUMINISMO
O iiLUMINISMOO iiLUMINISMO
O iiLUMINISMO
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
Africa - Iorubas e Bantos
Africa - Iorubas e BantosAfrica - Iorubas e Bantos
Africa - Iorubas e Bantos
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
O Absolutismo e o Mercantilismo
O Absolutismo e o MercantilismoO Absolutismo e o Mercantilismo
O Absolutismo e o Mercantilismo
 
Povoamento do América
Povoamento do AméricaPovoamento do América
Povoamento do América
 
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
 
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
 
O Trabalhismo na Era Vargas
O Trabalhismo na Era VargasO Trabalhismo na Era Vargas
O Trabalhismo na Era Vargas
 
O mundo de Homero
O mundo de HomeroO mundo de Homero
O mundo de Homero
 
A Grécia Antiga
A Grécia AntigaA Grécia Antiga
A Grécia Antiga
 
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano
Caderno Pedagógico de História - 9º AnoCaderno Pedagógico de História - 9º Ano
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º AnoCaderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
 
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano
Caderno Pedagógico de História - 6º AnoCaderno Pedagógico de História - 6º Ano
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano
 
Mesopotâmia: terra entre rios
Mesopotâmia: terra entre riosMesopotâmia: terra entre rios
Mesopotâmia: terra entre rios
 
Unificação Italiana e Alemã
Unificação Italiana e AlemãUnificação Italiana e Alemã
Unificação Italiana e Alemã
 
Introdução ao Estudo da História
Introdução ao Estudo da HistóriaIntrodução ao Estudo da História
Introdução ao Estudo da História
 
Origens do Cristianismo
Origens do CristianismoOrigens do Cristianismo
Origens do Cristianismo
 
A Igrea Medieval
A Igrea MedievalA Igrea Medieval
A Igrea Medieval
 

Prova SME Português- 7º Ano

  • 1. PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 2º BIMESTRE 7º ANO
  • 2. Texto I Pã, uma divindade rural De acordo com a mitologia greco-romana, Pã ou Pan é o deus dos bosques e dos campos, dos rebanhos e dos pastores. Morava em grutas, vagava pelas montanhas e pelos vales e divertia-se caçando ou dirigindo as danças das ninfas (divindades dos rios, dos bosques, das florestas e dos campos). Amante da música, inventou a avena, uma flauta, que tocava exemplarmente. Pã era temido por todos aqueles que tinham que atravessar as matas durante a noite, pois as trevas e a solidão desses lugares predispunham as pessoas a medos e superstições. Por isso, os pavores desprovidos de causas aparentes eram atribuídos a Pã e chamados de pânico. Fonte: Thomas Bulfinch. O livro de ouro da mitologia.Rio de Janeiro: Ouro, 1967 QUESTÃO 1 Em “(...) e a solidão desses lugares (...)”, a expressão em destaque” refere-se (A) às montanhas. (B) aos vales. (C) aos bosques. (D) às matas.
  • 3. Texto II Todo acontecimento da cidade, da casa do vizinho, meu avô escrevia nas paredes. Quem casou, morreu, fugiu, caiu, matou, traiu, comprou, juntou, chegou, partiu. Coisas simples como a agulha perdida no buraco do assoalho, ele escrevia. A história do açúcar sumido durante a guerra estava anotada. Eu não sabia por que os soldados tinham tanta coisa a adoçar.[...]. E a casa de corredor comprido, ia ficando bordada, estampada de cima a baixo. As paredes eram o caderno do meu avô. Cada quarto, cada sala, cada cômodo, uma página (...). Conversa mais indecente ele escrevia bem no alto. Era preciso ser grande para ler, ou aproveitar quando não tinha ninguém em casa.(...). Enquanto ele escrevia, eu inventava histórias sobre cada pedaço da parede. A casa do meu avô foi o meu primeiro livro. (...) Apreciava meu avô e sua maneira de não deixar as palavras se perderem. Trecho extraído de Bartolomeu Campos Queirós. Por parte de pai. Belo Horizonte: RHJ, 1995. QUESTÃO 2 O trecho em que o autor deixa clara a admiração que tinha pelo avô é (A) “Todo acontecimento da cidade, da casa do vizinho, meu avô escrevia nas paredes”. (B) “A história do açúcar sumido durante a guerra estava anotada.” (C) “A casa do meu avô foi meu primeiro livro”. (D) “Apreciava meu avô e sua maneira de não deixar as palavras se perderem”. QUESTÃO 3 O uso da palavra “Enquanto”, no 2° parágrafo, estabelece a seguinte relação com o 1° parágrafo: (A) Simultaneidade entre as ações do avô e os pensamentos do menino. (B) Comparação entre os pensamentos do avô e os do menino. (C) Atemporalidade nas ações e pensamentos dos personagens. (D) Contradição nos aspectos específicos entre avô e neto.
  • 4. Texto III LIBERDADE É não depender de droga nenhuma pra viver. Você sabia que os remédios sem indicação médica, a cola de sapateiro, o álcool e o cigarro são as drogas mais consumidas no Brasil? São as mais comuns e, por isso mesmo, muito traiçoeiras. Porque o pior de toda droga nem é o risco de morte, é a certeza de uma vida de dependência. Quem ainda acredita que as drogas libertam, é candidato a escravo. Porque a outra palavra para liberdade é independência. Campanha publicitária do Ministério da Saúde – Brasil: Governo Federal A GENTE AJUDA VOCÊ A SAIR DESSA. LIGUE: TELESUS – DDG (061) 800.0778 QUESTÃO 4 A finalidade do texto é (A) alertar as pessoas para o uso indevido de remédios. (B) chamar a atenção para os malefícios da dependência química. (C) informar sobre todos os tipos de drogas existentes. (D) buscar soluções para os usuários das drogas mais consumidas.
  • 5. Texto IV Neologismo Beijo pouco, falo menos ainda. Mas invento palavras que traduzem a ternura mais funda E mais cotidiana. Inventei, por exemplo, o verbo teadorar. Intransitivo Teadoro, Teodora. http://www.casadobruxo.com.br/poesia/m/neo.htm QUESTÃO 5 O sentido da palavra do título - Neologismo - está ratificado no seguinte verso: (A) “Beijo pouco, falo menos ainda”. (B) “Mas invento palavras”. (C) “É mais cotidiana”. (D) “Intransitivo”.
  • 6. Texto V Sai o primeiro condomínio com energia eólica O primeiro empreendimento imobiliário com produção de energia eólica no Brasil é residencial e será lançado este mês, em Florianópolis. O projeto, batizado de Neo, prevê a instalação de duas turbinas de vento, uma em cada torre. Elas farão o aquecimento de toda a água que será consumida pelos 24 apartamentos do condomínio, cuja entrega está prevista para março de 2012. [...] “A tecnologia será capaz de produzir 100% da energia que será usada no condomínio, que não utilizará nenhum tipo de combustível fóssil. Hoje, apenas o aquecimento da água representa 50% do gasto com energia nas regiões Sul e Sudeste”, diz Suchodolski. [...] Ainda segundo Suchodolski, o empreendimento terá outros dispositivos sustentáveis, como uma estação de tratamento de esgoto, com direito a uma cisterna específica para água a ser reutilizada, destinada, por exemplo, à irrigação das áreas verdes. Dessa forma, completa ele, o consumo será reduzido em 50%: “Além disso, o condomínio usará madeira de reflorestamento certificada, tintas e vernizes à base de água.” http://www.zap.com.br/revista/imoveis/condominio QUESTÃO 6 O condomínio a ser construído tem a finalidade de (A) divulgar uma nova tecnologia. (B) conter a expansão imobiliária na região. (C) preservar o meio ambiente. (D) diminuir o alto consumo de energia.
  • 7. Texto VI Texto VII Ao namorado fanático Além de linda, é do meu time Você sabe que sou tão apaixonada por você quanto você é apaixonado pelo seu time. Mas acho uma lástima gastar tanto amor por um timinho como esse seu. Ele já há muito tempo não te dá nenhuma alegria. Naquela tarde, quando a vi pela primeira vez vestindo o uniforme do meu time, integrada à nossa torcida uniformizada, senti meu coração bater descompassado. http://1001cartasdeamor.terra.com.br/ http://1001cartasdeamor.terra.com.br/ QUESTÃO 7 A comparação entre os textos VI e VII nos permite afirmar que (A) em VI, há a valorização do amor dos enamorados e do amor ao time preferido; em VII, é exaltado o amor à torcida organizada. (B) em VI, há a expressão sobre a facilidade dos enamorados torcerem pelo mesmo time; em VII, é indicada a dificuldade de um relacionamento de namorados de torcidas diferentes. (C) em VI, há a abordagem da alegria daqueles que amam e torcem para mesmo time; em VII, são apresentadas as frustrações oriundas da mesma torcida. (D) em VI, há a revelação do sentimento negativo em relação ao time do amado; em VII, é exaltada a coincidência entre amor e futebol.
  • 8. Texto VIII Bernardinho diz que derrota acontece, mas lembra que é preciso aprender Técnico do Rio comenta irregularidade da equipe e parabeniza o Osasco Nos cinco últimos anos, o técnico Bernardinho esteve no alto do pódio da Superliga com a equipe do Rio de Janeiro. No entanto, neste domingo, em mais um duelo com o Osasco, o treinador se viu um degrau abaixo. – A derrota acontece, mas é preciso aprender com ela. Buscar saber o que erramos para, da próxima vez, não pecarmos de novo - explicou o treinador. Bernardinho comentou que o Rio de Janeiro foi muito irregular na partida. Segundo ele, a equipe teve a chance do heptacampeonato, mas não soube aproveitar. Antes de deixar o ginásio do Ibirapuera, o técnico fez questão de ressaltar o esforço adversário. – O Osasco está de parabéns. Sabíamos que não ia ser fácil, pois é sempre um grande rival. Estão brigando por este título há anos. http://globoesporte.globo.com/Esportes/Volei -19/04/2010 QUESTÃO 8 O trecho que apresenta um comentário do produtor do texto é (A) “Nos cinco últimos anos, o técnico Bernardinho esteve no alto do pódio da Superliga com a equipe do Rio de Janeiro”. (B) “No entanto, neste domingo, em mais um duelo com o Osasco, o treinador se viu um degrau abaixo.” (C) “– A derrota acontece, mas é preciso aprender com ela.” (D) “Antes de deixar o ginásio do Ibirapuera, o técnico fez questão de ressaltar o esforço adversário”. QUESTÃO 9 O trecho que revela a causa da derrota do Rio de Janeiro na Superliga Feminina é (A) “ (...) Buscar saber o que erramos, (...) não pecarmos de novo.” (B) “A derrota acontece, mas é preciso aprender com ela”. (C) “ a equipe teve a chance (...), mas não soube aproveitar”. (D) “(...) o técnico fez questão de ressaltar o esforço adversário”.
  • 9. Texto IX Qual É? Marcelo D2 Eu tenho algo a dizer Explicar prá você Mas não garanto porém Que engraçado Eu serei dessa vez Para os parceiros daqui Para os parceiros de lá Se você se porta Como um homem, um homem... Será? Que você mantém a conduta Será? Que segue firme e forte na luta Onde os caminhos da vida Vão te levar Se você aguenta ou não O que será, será Mas sem esse caô De que tá ruim, não dá Isso eu já ouvi, vi, venci Deixa prá lá... [...] Então diz! Essa onda que tu tira Qual é? Essa marra que tu tem Qual é? Tira onda com ninguém Qual é? Qual é neguinho? Qual é?... [...] http://letras.terra.com.br/marcelo-d2/72679/http://letras.terra.com.br/marcelo-d2/72679/ QUESTÃO 10 O trecho da letra da música que exemplifica o uso da linguagem informal é (A) “[...] Eu serei dessa vez” (B) “[...]você mantém a conduta” (C) “[...]Isso eu já ouvi, vi, venci” (D) “[...]Tira onda com ninguém”
  • 10. Texto X Epitáfio Sérgio Britto Devia ter amado mais Ter chorado mais Ter visto o sol nascer Devia ter arriscado mais E até errado mais Ter feito o que eu queria fazer... Queria ter aceitado As pessoas como elas são Cada um sabe a alegria E a dor que traz no coração... [...] Devia ter complicado menos Trabalhado menos Ter visto o sol se pôr Devia ter me importado menos Com problemas pequenos Ter morrido de amor... [...] http://letras.terra.com.br/titas/48968/ QUESTÃO 11 O tema central da letra da música é (A) a eternização do amor como solução para os problemas da vida. (B) o arrependimento por não ter podido aproveitar mais as coisas da vida. (C) a preocupação por não saber o que fazer nas diversas situações de vida. (D) o sentimento de morte que perpassa todas as simples situações da vida.
  • 11. Texto XI Conversa fiada Era uma vez um homem muito velho que, por não ter muito o que fazer, ficava pescando num lago. Era uma vez um menino muito novo que também não tinha muito o que fazer e ficava pescando no mesmo lago. Um dia, os dois se encontraram, lado a lado, na pescaria, e no mesmo momento, exatamente no mesmo instante, sentiram aquela puxadinha que indica que o peixe mordeu a isca. [...] Quando apareceram os respectivos peixes, porém, decepção: o peixe do menino era muito velho e o peixe do velho era muito novo! O velho disse para o menino: – Você não pode pescar esse peixe tão velho! Deixe que ele viva o pouco da vida que lhe resta. O menino respondeu: – E o que você vai fazer com este peixe tão novo? Ele é tão pequeno... deixe que ele viva mais um pouco! O velho e o menino olharam um para o outro e, sem perder tempo, jogaram os peixes no lago. Ficaram amigos e agora, quando não têm muito o que fazer, vão até o lago, cumprimentam os peixes e matam o tempo jogando conversa fora. FRATE, Diléa. Histórias para Acordar. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 1996 QUESTÃO 12 O fato responsável pelo desenrolar da história é (A) o encontro e a pescaria do menino com o velho no lago. (B) o peixe do velho ser muito velho. (C) o peixe do menino ser novo e pequeno. (D) o retorno dos peixes ao lago.
  • 12. Texto XII Quino. Mafalda QUESTÃO 13 A expressão da personagem feminina - Mafalda -, no primeiro quadrinho, reforça (A) a gravidade da doença revelada no 4° quadrinho. (B) a objetividade da resposta do personagem feminino no 2° quadrinho . (C) as falas dos personagens no 3° quadrinho. (D) a preocupação da pergunta do personagem masculino no 2° quadrinho.
  • 13. Texto XIII Orion A primeira namorada, tão alta que o beijo não alcançava, o pescoço não alcançava, nem mesmo a voz a alcançava. Eram quilômetros de silêncio. Luzia na janela do sobrado. (Carlos Drummond de Andrade. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro:Aguilar, 1973.p392) Glossário: Orion – Constelação do equador celeste, reconhecida em todo o mundo, por incluir estrelas brilhantes e visíveis de ambos os hemisférios da Terra. QUESTÃO 14 Para enfatizar a ideia expressa no poema, reforçada no verso “Eram quilômetros de silêncio”, o recurso utilizado foi (A) a presença da vírgula no 2° verso, ratificando a negação. (B) o isolamento do sexto verso, formando uma estrofe. (C) a repetição da vírgula no 3° verso, separando as ações. (D) a presença de uma estrofe, formada por cinco versos. QUESTÃO 15 O uso da expressão “tão alta” no primeiro verso e o título do poema reforçam a ideia de (A) dedicação completa do eu poético à mulher amada. (B) distanciamento total do eu poético da mulher amada. (C) sofrimento do eu poético e da mulher amada. (D) sensação forte de imaturidade da mulher amada.