SlideShare uma empresa Scribd logo
O CristianismoO Cristianismo
Judeia
Jesus
•Filho de um artesão, este homem judeu iniciou
a sua pregação aos trinta anos, com uma
mensagem inovadora de paz e igualdade entre
os homens : a “Boa Nova”.
•A mensagem de Jesus propunha o
despojamento material em favor da salvação da
alma e a igualdade entre todos os seres
humanos. Na linha do judaísmo defendia um
deus único.
•Ao criticar o esclavagismo da sociedade
romana e os deuses e hábitos dos romanos,
foi considerado um homem subversivo.
Como também criticava o poder dos
sacerdotes judeus e se intitulava como
“Messias” (O salvador) foi condenado à
morte pelo Conselho dos Judeus (Sinédrio).
•Foi condenado à morte e crucificado
publicamente – pena habitual para os
criminosos, cerca de 29 d.C. em Jerusalém.
Jerusalém
A nova fé
• A mensagem de Jesus, na linha do judaísmo
defendia um Deus único (monoteísmo).
Criticava o esclavagismo da sociedade romana
e os deuses tradicionais. Defendia a paz e a
solidariedade.
• O cristianismo foi considerado uma ameaça
ao império, por isso todos os cristãos foram
perseguidos violentamente entre meados do
século I e início do século IV.
Razões para a rápida difusão do
Cristianismo no Império romano
• Uma excelente rede de vias de comunicação ligava o IR, pela
qual passavam os homens e as suas ideias;
• Uma intensa evangelização por parte dos apóstolos
(discípulos de Cristo), quer através das suas viagens, quer
através da redacção dos quatro evangelhos do Novo
testamento;
• Uma corajosa resistência dos mártires (S. Paulo, S. Pedro),
que, em tempos de perseguição enfrentavam as torturas mais
cruéis;
• A multiplicação das catacumbas, vastas galerias subterrâneas,
destinadas ao culto e enterro dos cristãos – habitualmente
toleradas no IR.
Importância dos Edictos de Milão e
Tessalónica para o triunfo da Religião
Cristã
• A partir do século III, o Cristianismo expandiu-se, conquistando adeptos entre
todas as camadas da sociedade imperial. Finalmente, já no século IV, (312) o
Imperador Constantino aceitou publicamente o cristianismo. Em 313 publica o
Edicto de Milão: numa carta imperial dirigida aos governadores das províncias
ordena que estes concedam “tanto aos cristãos como a todos os demais a
faculdade de seguirem livremente a religião que desejarem”.
• O edito de Milão significa, não só o fim da perseguição aos cristãos como o
início da sua preponderância no Ocidente: os imperadores concedem aos
cristãos vários privilégios.
•A igreja romano-cristã (séculos IV e V) é protegida pelo Império.
•Em 380, pelo Edicto de Tessalónica o imperador Teodósio ordena que todos se
tornem cristãos. O cristianismo tornava-se a religião oficial do IR. Os antigos
deuses foram proibidos, os seus seguidores perseguidos e os seus templos
destruídos ou convertidos em igrejas.
Cristianismo e Império: do Passado ao
Presente
•O Cristianismo veio restituir um sentimento de unidade sob a liderança de
um imperador e a protecção de uma divindade – monoteísmo, antes da
divisão definitiva em 395. O imperador, não sendo um deus, era o seu
representante na terra.
•A Igreja cristã segue a organização do Império: por exemplo a diocese,
dirigida por um bispo, corresponde à cidade.
•Roma, sede do Império, é também a sede do Cristianismo. Aí reside o mais
importante dos bispos, o Papa (avô, em grego). O Papa exerce, ainda nos dias
de hoje, a autoridade sobre todos os cristãos que professam o cristianismo
de acordo com a doutrina católica (universal) romana.
Basílica de Santa Maria Maggiore em Roma – o exemplo da cultura romano-cristã
A Igreja e o legado político imperial
• Para além dos aspectos culturais, a Igreja preservou o
legado político da antiguidade:
• Ideia de um poder forte, centralizado, centrado numa
só pessoa;
• Ideia do poder sagrado: tal como os últimos
imperadores romanos, os monarcas (reis) afirmaram
que governam em nome de Deus.
• O próprio Papa será a figura política mais importante
do Ocidente, até ao século XV, exercendo sobrre a
Cristandade uma autoridade suprema, expressão da
vontade divina e símbolo da unidade do mundo cristão
ocidental.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho de emrc sobre as religiões cópia
Trabalho de emrc sobre as religiões   cópiaTrabalho de emrc sobre as religiões   cópia
Trabalho de emrc sobre as religiões cópia
evazmila
 
Geografia das Religiões
Geografia das ReligiõesGeografia das Religiões
Geografia das Religiões
Luciano Emanuel Silva
 
Islã
IslãIslã
Maiores religiões
Maiores religiõesMaiores religiões
Maiores religiões
Jefferson Cunha
 
Islamismo e sahel
Islamismo e sahelIslamismo e sahel
Islamismo e sahel
MARIANO C7S
 
O ISLAMISMO
O ISLAMISMOO ISLAMISMO
O ISLAMISMO
Antonio Marcos
 
O islamismo
O islamismoO islamismo
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
terceirao-zepires
 
Formação do Islamismo
Formação do IslamismoFormação do Islamismo
Formação do Islamismo
Profdaltonjunior
 
Educafro sociologia religioes
Educafro sociologia religioesEducafro sociologia religioes
Educafro sociologia religioes
educafro
 
Síntese cristianismoeislamismo
Síntese cristianismoeislamismoSíntese cristianismoeislamismo
Síntese cristianismoeislamismo
Origenes
 
Império islamico
Império islamicoImpério islamico
Império islamico
alinemaiahistoria
 
Religião
ReligiãoReligião
Religiões asiáticas
Religiões asiáticasReligiões asiáticas
Religiões asiáticas
flaviocosac
 
Islamismo (resumo)
Islamismo (resumo)Islamismo (resumo)
Islamismo (resumo)
Gustavo Silva de Souza
 
O islamismo
O islamismoO islamismo
O islamismo
16emerson
 
Diversidade Religiosa Brasileira
Diversidade Religiosa BrasileiraDiversidade Religiosa Brasileira
Diversidade Religiosa Brasileira
Lara Luisa
 
Ensino religioso 2º ano ensino médio
Ensino religioso  2º ano ensino médioEnsino religioso  2º ano ensino médio
Ensino religioso 2º ano ensino médio
Rafael Noronha
 
religiões CP- IA-Dr1
religiões CP- IA-Dr1religiões CP- IA-Dr1
religiões CP- IA-Dr1
mega
 
Cultura islamica
Cultura islamicaCultura islamica
Cultura islamica
Professor Duda - História
 

Mais procurados (20)

Trabalho de emrc sobre as religiões cópia
Trabalho de emrc sobre as religiões   cópiaTrabalho de emrc sobre as religiões   cópia
Trabalho de emrc sobre as religiões cópia
 
Geografia das Religiões
Geografia das ReligiõesGeografia das Religiões
Geografia das Religiões
 
Islã
IslãIslã
Islã
 
Maiores religiões
Maiores religiõesMaiores religiões
Maiores religiões
 
Islamismo e sahel
Islamismo e sahelIslamismo e sahel
Islamismo e sahel
 
O ISLAMISMO
O ISLAMISMOO ISLAMISMO
O ISLAMISMO
 
O islamismo
O islamismoO islamismo
O islamismo
 
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
 
Formação do Islamismo
Formação do IslamismoFormação do Islamismo
Formação do Islamismo
 
Educafro sociologia religioes
Educafro sociologia religioesEducafro sociologia religioes
Educafro sociologia religioes
 
Síntese cristianismoeislamismo
Síntese cristianismoeislamismoSíntese cristianismoeislamismo
Síntese cristianismoeislamismo
 
Império islamico
Império islamicoImpério islamico
Império islamico
 
Religião
ReligiãoReligião
Religião
 
Religiões asiáticas
Religiões asiáticasReligiões asiáticas
Religiões asiáticas
 
Islamismo (resumo)
Islamismo (resumo)Islamismo (resumo)
Islamismo (resumo)
 
O islamismo
O islamismoO islamismo
O islamismo
 
Diversidade Religiosa Brasileira
Diversidade Religiosa BrasileiraDiversidade Religiosa Brasileira
Diversidade Religiosa Brasileira
 
Ensino religioso 2º ano ensino médio
Ensino religioso  2º ano ensino médioEnsino religioso  2º ano ensino médio
Ensino religioso 2º ano ensino médio
 
religiões CP- IA-Dr1
religiões CP- IA-Dr1religiões CP- IA-Dr1
religiões CP- IA-Dr1
 
Cultura islamica
Cultura islamicaCultura islamica
Cultura islamica
 

Destaque

A escravidão na África: uma história de suas transformações
A escravidão  na África: uma história de suas transformaçõesA escravidão  na África: uma história de suas transformações
A escravidão na África: uma história de suas transformações
Patrícia Costa Grigório
 
O fim do Império Romano
O fim do Império RomanoO fim do Império Romano
O fim do Império Romano
Patrícia Costa Grigório
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
Patrícia Costa Grigório
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º AnoCaderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Patrícia Costa Grigório
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
Fabiana Tonsis
 
Descritores História 3º bimestre
Descritores História 3º bimestreDescritores História 3º bimestre
Descritores História 3º bimestre
Patrícia Costa Grigório
 
Descritores de história
Descritores de históriaDescritores de história
Descritores de história
Angelina Lopes
 
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
Patrícia Costa Grigório
 
Egito: presente do Nilo
Egito: presente do NiloEgito: presente do Nilo
Egito: presente do Nilo
Patrícia Costa Grigório
 
O mundo de Homero
O mundo de HomeroO mundo de Homero
O mundo de Homero
Patrícia Costa Grigório
 
A Grécia Antiga
A Grécia AntigaA Grécia Antiga
A Grécia Antiga
Patrícia Costa Grigório
 
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
Patrícia Costa Grigório
 
Mesopotâmia: terra entre rios
Mesopotâmia: terra entre riosMesopotâmia: terra entre rios
Mesopotâmia: terra entre rios
Patrícia Costa Grigório
 
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano
Caderno Pedagógico de História - 6º AnoCaderno Pedagógico de História - 6º Ano
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano
Patrícia Costa Grigório
 
Roma Antiga - Da Monarquia à República
Roma Antiga - Da Monarquia à RepúblicaRoma Antiga - Da Monarquia à República
Roma Antiga - Da Monarquia à República
Patrícia Costa Grigório
 
Plano de ensino 7º ano história
Plano de ensino 7º ano históriaPlano de ensino 7º ano história
Plano de ensino 7º ano história
Atividades Diversas Cláudia
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Patrícia Costa Grigório
 
O Trabalhismo na Era Vargas
O Trabalhismo na Era VargasO Trabalhismo na Era Vargas
O Trabalhismo na Era Vargas
Patrícia Costa Grigório
 
Unificação Italiana e Alemã
Unificação Italiana e AlemãUnificação Italiana e Alemã
Unificação Italiana e Alemã
Patrícia Costa Grigório
 
A Corte portuguesa no brasil
A Corte portuguesa no brasilA Corte portuguesa no brasil
A Corte portuguesa no brasil
Patrícia Costa Grigório
 

Destaque (20)

A escravidão na África: uma história de suas transformações
A escravidão  na África: uma história de suas transformaçõesA escravidão  na África: uma história de suas transformações
A escravidão na África: uma história de suas transformações
 
O fim do Império Romano
O fim do Império RomanoO fim do Império Romano
O fim do Império Romano
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano/4º Bimestre
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º AnoCaderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
Descritores História 3º bimestre
Descritores História 3º bimestreDescritores História 3º bimestre
Descritores História 3º bimestre
 
Descritores de história
Descritores de históriaDescritores de história
Descritores de história
 
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano/4º Bimestre
 
Egito: presente do Nilo
Egito: presente do NiloEgito: presente do Nilo
Egito: presente do Nilo
 
O mundo de Homero
O mundo de HomeroO mundo de Homero
O mundo de Homero
 
A Grécia Antiga
A Grécia AntigaA Grécia Antiga
A Grécia Antiga
 
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano/4º Bimestre
 
Mesopotâmia: terra entre rios
Mesopotâmia: terra entre riosMesopotâmia: terra entre rios
Mesopotâmia: terra entre rios
 
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano
Caderno Pedagógico de História - 6º AnoCaderno Pedagógico de História - 6º Ano
Caderno Pedagógico de História - 6º Ano
 
Roma Antiga - Da Monarquia à República
Roma Antiga - Da Monarquia à RepúblicaRoma Antiga - Da Monarquia à República
Roma Antiga - Da Monarquia à República
 
Plano de ensino 7º ano história
Plano de ensino 7º ano históriaPlano de ensino 7º ano história
Plano de ensino 7º ano história
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
O Trabalhismo na Era Vargas
O Trabalhismo na Era VargasO Trabalhismo na Era Vargas
O Trabalhismo na Era Vargas
 
Unificação Italiana e Alemã
Unificação Italiana e AlemãUnificação Italiana e Alemã
Unificação Italiana e Alemã
 
A Corte portuguesa no brasil
A Corte portuguesa no brasilA Corte portuguesa no brasil
A Corte portuguesa no brasil
 

Semelhante a Origens do Cristianismo

O Cristianismo
O CristianismoO Cristianismo
O Cristianismo
AEDFL
 
O cristianismo em roma
O cristianismo em romaO cristianismo em roma
O cristianismo em roma
Ana Barreiros
 
Historia da igreja antiga
Historia da igreja antigaHistoria da igreja antiga
Historia da igreja antiga
JosJunqueira1
 
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudançaEspaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Rita
 
O império em crise parte 1
O império em crise  parte 1O império em crise  parte 1
O império em crise parte 1
Carla Teixeira
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Escoladocs
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Escoladocs
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
geografiahistoria2013
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
Maria Gomes
 
CRISTIANISMO
CRISTIANISMOCRISTIANISMO
CRISTIANISMO
Maria Gomes
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
Maria Gomes
 
Slide cristianismo hist. das religiões
Slide cristianismo   hist. das religiõesSlide cristianismo   hist. das religiões
Slide cristianismo hist. das religiões
Joás Silva
 
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
PIB Penha
 
Roma antiga arlete
Roma antiga arleteRoma antiga arlete
Roma antiga arlete
Raimund M Souza
 
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Raimund M Souza
 
Origem e difusão do cristianismo
Origem e difusão do cristianismoOrigem e difusão do cristianismo
Origem e difusão do cristianismo
Carlos Pinheiro
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
Margarida Moreira
 
História Medieval aula 02 Cristianismo
História Medieval aula 02 CristianismoHistória Medieval aula 02 Cristianismo
História Medieval aula 02 Cristianismo
Marcelo Abreu Gomes
 
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
Tiago Silva
 
18
18 18

Semelhante a Origens do Cristianismo (20)

O Cristianismo
O CristianismoO Cristianismo
O Cristianismo
 
O cristianismo em roma
O cristianismo em romaO cristianismo em roma
O cristianismo em roma
 
Historia da igreja antiga
Historia da igreja antigaHistoria da igreja antiga
Historia da igreja antiga
 
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudançaEspaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
 
O império em crise parte 1
O império em crise  parte 1O império em crise  parte 1
O império em crise parte 1
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
 
CRISTIANISMO
CRISTIANISMOCRISTIANISMO
CRISTIANISMO
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
 
Slide cristianismo hist. das religiões
Slide cristianismo   hist. das religiõesSlide cristianismo   hist. das religiões
Slide cristianismo hist. das religiões
 
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
 
Roma antiga arlete
Roma antiga arleteRoma antiga arlete
Roma antiga arlete
 
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
 
Origem e difusão do cristianismo
Origem e difusão do cristianismoOrigem e difusão do cristianismo
Origem e difusão do cristianismo
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
 
História Medieval aula 02 Cristianismo
História Medieval aula 02 CristianismoHistória Medieval aula 02 Cristianismo
História Medieval aula 02 Cristianismo
 
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
 
18
18 18
18
 

Mais de Patrícia Costa Grigório

O iiLUMINISMO
O iiLUMINISMOO iiLUMINISMO
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Africa - Iorubas e Bantos
Africa - Iorubas e BantosAfrica - Iorubas e Bantos
Africa - Iorubas e Bantos
Patrícia Costa Grigório
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
O Absolutismo e o Mercantilismo
O Absolutismo e o MercantilismoO Absolutismo e o Mercantilismo
O Absolutismo e o Mercantilismo
Patrícia Costa Grigório
 
Povoamento do América
Povoamento do AméricaPovoamento do América
Povoamento do América
Patrícia Costa Grigório
 
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano
Caderno Pedagógico de História - 9º AnoCaderno Pedagógico de História - 9º Ano
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano
Patrícia Costa Grigório
 
Introdução ao Estudo da História
Introdução ao Estudo da HistóriaIntrodução ao Estudo da História
Introdução ao Estudo da História
Patrícia Costa Grigório
 
Caderno Pedagógico de História - 8º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 8º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 8º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 8º Ano/4º Bimestre
Patrícia Costa Grigório
 
A grécia das cidades
A grécia das cidadesA grécia das cidades
A grécia das cidades
Patrícia Costa Grigório
 
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de PortugalAs guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
Patrícia Costa Grigório
 
A Grécia Antiga
A Grécia AntigaA Grécia Antiga
A Grécia Antiga
Patrícia Costa Grigório
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
As primeiras cidades
As primeiras cidadesAs primeiras cidades
As primeiras cidades
Patrícia Costa Grigório
 
A Revolução Francesa em imagens
A Revolução Francesa em imagensA Revolução Francesa em imagens
A Revolução Francesa em imagens
Patrícia Costa Grigório
 
Tesouros da mesopotâmia
Tesouros da mesopotâmiaTesouros da mesopotâmia
Tesouros da mesopotâmia
Patrícia Costa Grigório
 
O mundo de Homero
O mundo de HomeroO mundo de Homero
O mundo de Homero
Patrícia Costa Grigório
 

Mais de Patrícia Costa Grigório (17)

O iiLUMINISMO
O iiLUMINISMOO iiLUMINISMO
O iiLUMINISMO
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
Africa - Iorubas e Bantos
Africa - Iorubas e BantosAfrica - Iorubas e Bantos
Africa - Iorubas e Bantos
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
O Absolutismo e o Mercantilismo
O Absolutismo e o MercantilismoO Absolutismo e o Mercantilismo
O Absolutismo e o Mercantilismo
 
Povoamento do América
Povoamento do AméricaPovoamento do América
Povoamento do América
 
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano
Caderno Pedagógico de História - 9º AnoCaderno Pedagógico de História - 9º Ano
Caderno Pedagógico de História - 9º Ano
 
Introdução ao Estudo da História
Introdução ao Estudo da HistóriaIntrodução ao Estudo da História
Introdução ao Estudo da História
 
Caderno Pedagógico de História - 8º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 8º Ano/4º BimestreCaderno Pedagógico de História - 8º Ano/4º Bimestre
Caderno Pedagógico de História - 8º Ano/4º Bimestre
 
A grécia das cidades
A grécia das cidadesA grécia das cidades
A grécia das cidades
 
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de PortugalAs guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
 
A Grécia Antiga
A Grécia AntigaA Grécia Antiga
A Grécia Antiga
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
As primeiras cidades
As primeiras cidadesAs primeiras cidades
As primeiras cidades
 
A Revolução Francesa em imagens
A Revolução Francesa em imagensA Revolução Francesa em imagens
A Revolução Francesa em imagens
 
Tesouros da mesopotâmia
Tesouros da mesopotâmiaTesouros da mesopotâmia
Tesouros da mesopotâmia
 
O mundo de Homero
O mundo de HomeroO mundo de Homero
O mundo de Homero
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 

Origens do Cristianismo

  • 3. Jesus •Filho de um artesão, este homem judeu iniciou a sua pregação aos trinta anos, com uma mensagem inovadora de paz e igualdade entre os homens : a “Boa Nova”. •A mensagem de Jesus propunha o despojamento material em favor da salvação da alma e a igualdade entre todos os seres humanos. Na linha do judaísmo defendia um deus único.
  • 4. •Ao criticar o esclavagismo da sociedade romana e os deuses e hábitos dos romanos, foi considerado um homem subversivo. Como também criticava o poder dos sacerdotes judeus e se intitulava como “Messias” (O salvador) foi condenado à morte pelo Conselho dos Judeus (Sinédrio). •Foi condenado à morte e crucificado publicamente – pena habitual para os criminosos, cerca de 29 d.C. em Jerusalém.
  • 6. A nova fé • A mensagem de Jesus, na linha do judaísmo defendia um Deus único (monoteísmo). Criticava o esclavagismo da sociedade romana e os deuses tradicionais. Defendia a paz e a solidariedade. • O cristianismo foi considerado uma ameaça ao império, por isso todos os cristãos foram perseguidos violentamente entre meados do século I e início do século IV.
  • 7. Razões para a rápida difusão do Cristianismo no Império romano • Uma excelente rede de vias de comunicação ligava o IR, pela qual passavam os homens e as suas ideias; • Uma intensa evangelização por parte dos apóstolos (discípulos de Cristo), quer através das suas viagens, quer através da redacção dos quatro evangelhos do Novo testamento; • Uma corajosa resistência dos mártires (S. Paulo, S. Pedro), que, em tempos de perseguição enfrentavam as torturas mais cruéis; • A multiplicação das catacumbas, vastas galerias subterrâneas, destinadas ao culto e enterro dos cristãos – habitualmente toleradas no IR.
  • 8.
  • 9. Importância dos Edictos de Milão e Tessalónica para o triunfo da Religião Cristã • A partir do século III, o Cristianismo expandiu-se, conquistando adeptos entre todas as camadas da sociedade imperial. Finalmente, já no século IV, (312) o Imperador Constantino aceitou publicamente o cristianismo. Em 313 publica o Edicto de Milão: numa carta imperial dirigida aos governadores das províncias ordena que estes concedam “tanto aos cristãos como a todos os demais a faculdade de seguirem livremente a religião que desejarem”. • O edito de Milão significa, não só o fim da perseguição aos cristãos como o início da sua preponderância no Ocidente: os imperadores concedem aos cristãos vários privilégios. •A igreja romano-cristã (séculos IV e V) é protegida pelo Império. •Em 380, pelo Edicto de Tessalónica o imperador Teodósio ordena que todos se tornem cristãos. O cristianismo tornava-se a religião oficial do IR. Os antigos deuses foram proibidos, os seus seguidores perseguidos e os seus templos destruídos ou convertidos em igrejas.
  • 10. Cristianismo e Império: do Passado ao Presente •O Cristianismo veio restituir um sentimento de unidade sob a liderança de um imperador e a protecção de uma divindade – monoteísmo, antes da divisão definitiva em 395. O imperador, não sendo um deus, era o seu representante na terra. •A Igreja cristã segue a organização do Império: por exemplo a diocese, dirigida por um bispo, corresponde à cidade. •Roma, sede do Império, é também a sede do Cristianismo. Aí reside o mais importante dos bispos, o Papa (avô, em grego). O Papa exerce, ainda nos dias de hoje, a autoridade sobre todos os cristãos que professam o cristianismo de acordo com a doutrina católica (universal) romana.
  • 11. Basílica de Santa Maria Maggiore em Roma – o exemplo da cultura romano-cristã
  • 12. A Igreja e o legado político imperial • Para além dos aspectos culturais, a Igreja preservou o legado político da antiguidade: • Ideia de um poder forte, centralizado, centrado numa só pessoa; • Ideia do poder sagrado: tal como os últimos imperadores romanos, os monarcas (reis) afirmaram que governam em nome de Deus. • O próprio Papa será a figura política mais importante do Ocidente, até ao século XV, exercendo sobrre a Cristandade uma autoridade suprema, expressão da vontade divina e símbolo da unidade do mundo cristão ocidental.